• Nenhum resultado encontrado

Deliberação CG-FD Nº02/2011

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Deliberação CG-FD Nº02/2011"

Copied!
7
0
0

Texto

(1)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139.

Deliberação CG-FD Nº02/2011

Regulamenta as atividades de monitoria realizadas por alunos de graduação.

Art. 1º - A presente Deliberação regulamenta as funções de monitor exercidas por alunos matriculados no curso de graduação desta Faculdade.

Parágrafo único. As funções de monitor poderão ser exercidas por alunos com rendimento escolar geral comprovadamente satisfatório e que, após passar por processo seletivo prévia e amplamente divulgado na comunidade acadêmica, demonstrem suficiente conhecimento da matéria e capacidade de auxiliar os membros docentes dos Departamentos.

Art. 2º - As atividades de monitoria têm por objetivo despertar o interesse na docência por meio do desempenho de atividades ligadas ao ensino, pesquisa e extensão. Mediante a participação em diversas funções da organização e do desenvolvimento das disciplinas dos cursos, espera-se que sejam desenvolvidas as habilidades relacionadas às atividades didáticas e aprofundados os conhecimentos dos monitores acerca do conteúdo das disciplinas.

Parágrafo único - Os programas de monitoria poderão ter duração semestral ou anual, a critério do(s) professor(es) responsável(is) pela(s) disciplina(s).

(2)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139. Art. 3º - São condições para o exercício da monitoria:

I – Ser aluno regularmente matriculado na graduação do curso de Direito;

II – Ter cursado e ter sido aprovado na disciplina em que irá exercer a monitoria, ou em disciplina equivalente, com rendimento escolar geral comprovadamente satisfatório;

III – Ter sido aprovado no respectivo processo seletivo.

Art. 4º - Cabe ao monitor colaborar no processo pedagógico da disciplina para a qual foi aprovado, participando, juntamente com o docente responsável, de uma ou algumas das seguintes atividades designadas pelo docente responsável pela disciplina:

I - organização e execução de seminários; II - orientação de trabalhos;

III - preparação de material didático; IV - elaboração de exercícios;

V - correção de exercícios e de material de apoio ao desenvolvimento de atividades didáticas, excluídas as provas e avaliações;

§ 1º – O monitor poderá, ainda, integrar-se às atividades de pesquisa ou de extensão às quais o docente responsável encontre-se vinculado.

§ 2º – Ao final do programa de monitoria, deverá o monitor apresentar à Comissão de Graduação relatório das atividades realizadas com aprovação do docente responsável.

(3)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139. § 3º A execução de seminários por monitores não poderá ultrapassar o limite estabelecido no caput do artigo 2º da Portaria GDI nº17/04, vedada a cumulação de uma aula prática semanal, conduzida por monitores de graduação, com outra, na mesma semana, conduzida por alunos de pós-graduação.

Art. 5º - É expressamente vedada a atribuição ao monitor de graduação do exercício de atividades docentes, tais como ministrar aulas expositivas, aplicar provas, corrigir avaliações, assinar a lista de presença na ausência do docente e proceder à revisão de prova.

Art. 6º - Cabe ao docente responsável:

I – Apresentar, dentro do prazo estabelecido pela Comissão de Graduação, o(s) programa(s) de monitoria que pretende desenvolver no período letivo subseqüente, contendo expressamente:

a) A disciplina em que será desenvolvida a monitoria;

b) O período de duração das atividades de monitoria (semestral ou anual); c) As atividades que deverão ser exercidas pelo monitor;

d) A jornada semanal a ser cumprida pelo monitor; e) Os critérios de seleção dos monitores;

f) Indicação do número de vagas disponíveis para o período;

II – Selecionar, com base em critérios previamente divulgados, os alunos que integrarão o programa de monitoria;

III - Planejar e supervisionar as atividades do monitor de graduação;

IV – Dar oportunidade ao monitor para que ele acompanhe as atividades didático-científicas da disciplina;

(4)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139. V – Transmitir orientações gerais para os monitores sobre preparação e execução de aulas de forma a capacitá-los, bem como despertar interesse para o efetivo aproveitamento da monitoria;

VI – Uniformizar os critérios de correção dos trabalhos desenvolvidos no âmbito da monitoria e o peso da monitoria na nota final do aluno, quando houver mais de um monitor auxiliando o professor responsável, de forma a padronizar as notas de todos os alunos que cursam aquela disciplina;

VII – Aprovar ou reprovar o relatório semestral de atividades elaborado pelo monitor.

Art. 7º - Cabe à Comissão de Graduação:

I – Estabelecer as diretrizes gerais para o Programa de Monitoria;

II – Divulgar, no início do ano, os prazos para os docentes encaminharem os programas de monitoria para o segundo semestre e para o primeiro semestre do ano seguinte, assim como o período de inscrições e a data da divulgação dos respectivos processos seletivos.

III - Consolidar os dados sobre os monitores em atividade e dar publicidade no início de cada semestre da lista de nomes, com indicação das disciplinas e dos docentes responsáveis aos quais estarão vinculados;

IV – Conhecer os relatórios encaminhados pelos monitores e pelos docentes e, quando for o caso, autorizar à Seção de Alunos a inserção dos dados relativos ao início de atividades e aproveitamento no histórico escolar de cada monitor; V – Decidir sobre a atribuição de créditos aos monitores, nos termos dos relatórios apresentados, em conjunto, pelo monitor e pelo docente responsável;

Art. 8º O processo seletivo para os programas de monitoria deverá obedecer às seguintes etapas:

(5)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139. I - A Comissão de Graduação deverá, dentro do prazo fixado no início do ano, divulgar os programas de monitoria aprovados, e também o período de inscrições para os alunos.

II - As inscrições deverão ser feitas diretamente na Seção de Alunos, obedecendo aos requisitos estipulados no edital.

III - Findo o prazo de inscrição, caberá aos docentes responsáveis pelos programas de monitoria realizar o processo seletivo entre os alunos inscritos e comunicar o resultado da seleção à Comissão de Graduação.

IV - Na data estipulada, a Comissão de Graduação deverá divulgar a relação dos alunos aprovados nos programas de monitoria e providenciar a efetivação da matrícula na disciplina optativa livre “Atividade de Monitoria”.

Parágrafo único - Os alunos que já tiverem sido monitores da(s) disciplina(s) e tiverem interesse em participar novamente do mesmo programa de monitoria poderão ser dispensados do processo seletivo, a critério do professor responsável pela monitoria. Nessa hipótese, a dispensa do processo seletivo será feita após efetuada a inscrição dentro do prazo estipulado.

Art. 9º – As atividades de monitoria poderão ser desenvolvidas em, no máximo, 6 horas semanais, não conflitantes com o horário de aulas do aluno monitor, sendo conferidos até 3 (três) créditos de disciplina optativa livre por semestre.

§ 1º - No relatório final de atividades apresentado pelo monitor, deverá constar a avaliação do professor responsável acerca do mérito do aluno quanto aos créditos oferecidos pelo programa de monitoria.

§ 2º - Os créditos atribuídos às atividades de monitoria somente poderão ser concedidos uma vez por disciplina. Caso haja concordância do professor responsável, o aluno poderá exercer a monitoria mais de uma vez na(s) mesma(s) disciplina, mas nessa hipótese não terá direito a créditos.

(6)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139. § 3º - Se houver conflito de horários entre as aulas do monitor e a atividade de monitoria, e a fim de garantir o cumprimento do disposto no caput desse artigo e estimular a prática da monitoria, ao aluno monitor será assegurada a matrícula em outra turma ou período, exclusivamente na disciplina oferecida no mesmo horário da monitoria.

Art. 10 - As monitorias poderão ser remuneradas por bolsas, conforme disponibilidade de instituições de fomento, programas internos da Universidade ou por determinação do Conselho Técnico Acadêmico da Faculdade.

Parágrafo único - Para a atribuição de créditos, não haverá distinção entre monitores bolsistas e não bolsistas.

Art. 11 - Caso o programa de monitoria proposto pelo professor tenha carga horária insuficiente para permitir a concessão de créditos, o exercício satisfatório por parte do aluno monitor ensejará a inserção de anotação em seu histórico escolar contendo as informações relativas às atividades desenvolvidas.

§ 1º - Na hipótese do caput desse artigo, o docente responsável também deverá submeter à Comissão de Graduação o programa de monitoria dentro dos prazos regulamentados e obedecidas as formalidades descritas na presente regulamentação.

§ 2º - Em qualquer caso, o exercício da função de monitor será considerado título para posterior ingresso na carreira docente.

Art. 12 - A monitoria será suspensa:

(7)

Largo São Francisco, 95 - Centro - São Paulo - SP - CEP: 01005-010 – Fone: (11) 3111-4121/4138/4139. II – Por desempenho insatisfatório, mediante provocação do professor docente, a critério da Comissão de Graduação;

III – A pedido do monitor.

Art. 13 – O regime especial de monitoria previsto nessa deliberação não exclui outras formas de colaboração adotadas pelos docentes responsáveis para integração de alunos de graduação nas suas atividades didáticas, de pesquisa ou de extensão.

Parágrafo único – O Departamento poderá, independentemente da concessão de créditos ou do registro da atividade no histórico escolar do monitor, expedir certificado de aproveitamento da atividade de monitoria ao aluno que tiver exercido de forma satisfatória sua função, com indicação do período, docente responsável, disciplinas e créditos obtidos.

Art. 14 – Casos omissos ou dúvidas sobre os termos da presente Deliberação serão decididos pela Comissão de Graduação, mediante consulta da Representação Discente, departamentos ou docentes interessados.

Art. 15 – Esta Deliberação entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as demais disposições em contrário.

Faculdade de Direito, aos 30 de agosto de 2011.

Professor Associado Heleno Taveira Tôrres

Presidente

Referências

Documentos relacionados

Os profissionais da medicina do trabalho que preenchem a ficha de aptidão do trabalhador, ao assinalarem se o trabalhador se encontra apto, apto condicionalmente

nesta nossa modesta obra O sonho e os sonhos analisa- mos o sono e sua importância para o corpo e sobretudo para a alma que, nas horas de repouso da matéria, liberta-se parcialmente

3.3 o Município tem caminhão da coleta seletiva, sendo orientado a providenciar a contratação direta da associação para o recolhimento dos resíduos recicláveis,

Frondes fasciculadas, não adpressas ao substrato, levemente dimórficas; as estéreis com 16-27 cm de comprimento e 9,0-12 cm de largura; pecíolo com 6,0-10,0 cm de

5.2.1.  As  rubricas  de  despesa  de  transferências  correntes  ou  de  capital  e  de  subsídios  para  organismos  da  Administração  Central  devem 

Neste tipo de situações, os valores da propriedade cuisine da classe Restaurant deixam de ser apenas “valores” sem semântica a apresentar (possivelmente) numa caixa

A FC tem como principal função a dispensa do medicamento e outros produtos e serviços de saúde, em função do bem-estar e melhoria na qualidade de vida do utente. Deste

- habilitar o professor de Psicologia a atuar na constru- ção de políticas públicas de educação, na educação básica, no nível médio, no curso Normal, em cursos