• Nenhum resultado encontrado

Area (km 2 ): ,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): (2010)

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Area (km 2 ): ,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): (2010)"

Copied!
10
0
0

Texto

(1)

aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal – Av. 5 de Outubro, 101, 1050-051 LISBOA Tel.Lisboa: + 351 217 909 500 Contact Centre: 808 214 214 aicep@portugalglobal.pt www.portugalglobal.pt

1

As Regiões de Portugal - Região Alentejo

As Regiões de Portugal - Região Alentejo

O Território

O Território

Porquê Alentejo?

Porquê Alentejo?

√ Com a maior área territorial de Portugal Continental – 31.605,2 km2 (1/3 do território nacional) a região do Alentejo apresenta 179 km de perímetro de linha de costa e 432 km de fronteira terrestre internacional

√ Com a maior área territorial de Portugal Continental – 31.605,2 km2 (1/3 do território nacional) a região do Alentejo apresenta 179 km de perímetro de linha de costa e 432 km de fronteira terrestre internacional

Area (km2): 31.604,9 Hab/Km2: 23,7 População (Nº): 749.055 (2010)

√ É uma região caracterizada pela uniformidade: planície com uma altitude média que ronda os 200m, com afloramentos montanhosos pouco acentuados

√ É cortada por 3 grandes bacias hidrográficas – a do Tejo, a do Guadiana e a do Sado, na cabeceira dos quais se situa a cidade de Évora

√ Évora, classificada como Património Mundial em 1986 é o principal pólo urbano da região, em termos populacionais e funcionais

√ Evolução positiva na cobertura da região em infra-estruturas e equipamentos no campo da logística e dos transportes

1Porto Marítimo (Sines) de rede ferroviária

Aeropo

Aeródr rreira do Alentejo (Privado) lataform ogística de Sines – ZILS

Aeroporto de Beja como plataforma de conectividade, suporte logístico e indutor de novas

836 km Electrificada: 342 km Dupla: 87 km 1 rto (Beja) omos – Évora, Fe 2 P a L √ actividades económicas

√ Plataforma portuária de Sines com posição privilegiada de cruzamento das grandes rotas mundiais de transporte marítimo

(2)

A NUT II –Alentejo abrange 6 distritos: Lisboa (parte), Setúbal (parte), Santarém (parte),

Portalegre, Évora e Beja e, para fins estatísticos encontra-se dividida em 5 NUT III com particularidades distintas  Alentejo Litoral  Alto Alentejo ral  Alentejo Cent  Baixo Alentejo  Lezíria do Tejo

√ A preservação da costa alentejana, conjugada com um valioso património edificado e espaços naturais envolventes, são factores importantes em termos de aposta turística. Existem na região dois pólos turísticos importantes: Alentejo Litoral e Alqueva

(3)

aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal – Av. 5 de Outubro, 101, 1050-051 LISBOA Tel.Lisboa: + 351 217 909 500 Contact Centre: 808 214 214 aicep@portugalglobal.pt www.portugalglobal.pt

3

As Pessoas

Porquê o Alentejo?

População

√ O Alentejo é a região portuguesa de menor índice de densidade populacional (23,7 hab/km2) e um povoamento concentrado.

√ População residente em 31.12.2010: 749 mil habitantes (7% do total em 2010 e crescimento de 0,3% em 10 anos) Projecção para 2025 (Eurostat): 775 mil habitantes.

√ O traço marcante da estrutura demográfica da região reside no seu elevado índice de envelhecimento, já que o peso da população idosa (+65 anos), apesar de acompanhar a tendência nacional, no Alentejo assume maior proporção (23% do total contra 18,2% de média nacional em 2010)

Repartição População p/ Faixa Etária

13,4 13,3 13,3 13,3 13,3 11,1 10,7 10,4 10,1 9,9 52,7 53,0 53,3 53,5 53,7 22,9 23,0 23,0 23,1 23,1 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 2006 2007 2008 2009 2010 Fonte: INE %

0 - 14 anos 15 - 24 anos 25 - 64 anos 65 e mais anos

Educação

√ No ano lectivo 2010/2011 os alunos matriculados no ensino básico e secundário representaram cerca de 6,3% e 6,5% do total nacional, respectivamente

√ Entre 2006/2007 e 2010/2011 os alunos matriculados no ensino superior aumentaram 5,4%

√ A Região do Alentejo apresenta a 2ª taxa de escolarização mais alta de Portugal no ensino secundário (154,4%) e acima da média nacional (146,2%)

(4)

Evol. Nº Alunos matriculados por Grau de Ensino / Nº Diplomados 72.7 6 5 78.5 3 4 84.70 6 71.49 1 6 8 .871 2 3 .086 2 2 .697 35.48 4 2 0 .527 17 .4 67 17 .981 17 .2 14 17 .7 14 18 .410 2 1 .228 4.595 4.227 3.496 3.185 0 25.000 50.000 75.000 100.000 125.000 150.000 2006/2007 2007/2008 2008/2009 2009/2010 2010/2011

Fontes: GEPE, MEC

1.000 2.000 3.000 4.000 5.000

Ensino Básico Ensino Secundário Ensino Superior Diplomados

√ Nos 20 estabelecimentos de ensino superior existentes no Alentejo matricularam-se mais de 18 mil alunos e saíram 2.899 jovens diplomados (3,7% do total nacional). No primeiro caso as áreas de Ciências Empresariais (Gestão/Economia/Contabilidade), Saúde e Engenharia e Matemática, foram escolhidas, respectivamente, por 15,5%, 11%, 6,9 dos alunos matriculados. Os diplomados nestas mesmas áreas representaram, respectivamente, 14,1%, 15,7% e 3,5% do total

√ Cerca de 22% dos alunos inscritos no ensino superior escolheram cursos nas áreas de C&T

Actividade/Emprego

√ População activa (2011): 374 milhares de indivíduos (6,7% do total nacional) √ População empregada (2011): 328 milhares de indivíduos (6,8% do total nacional)

√ Apresenta uma taxa de emprego próxima da média nacional (50,6% face a 53,5%) e uma taxa de actividade nos indivíduos com mais de 15 anos de 57,7%

(5)

aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal – Av. 5 de Outubro, 101, 1050-051 LISBOA Tel.Lisboa: + 351 217 909 500 Contact Centre: 808 214 214 aicep@portugalglobal.pt www.portugalglobal.pt

5

Evolução Pop. Activa e Emprego

343 333 329 327 328 374 369 368 366 374 6,8 6,6 6,5 6,4 6,6 100 150 200 250 300 350 400 450 500 2007 2008 2009 2010 2011

Fonte: INE - Estatísticas do Emprego Milhares 2,0 3,0 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 % População Activa População Empregada % Emprego no total Portugal

Conhecimento

√ Cerca de metade dos indivíduos entre os 16-74 anos utiliza computador e mais de 40% tem acesso à Internet

Soc. Conhecimento - Acesso a Computadores e Internet, 2010

47,1 49,0 43,7 44,2 59,5 55,4 53,7 51,1 0,0 10,0 20,0 30,0 40,0 50,0 60,0 70,0 Agregados Domésticos Indivíduos 16-74 anos Agregados Domésticos Indivíduos 16-74 anos Computador Internet

Fonte: INE/Inquérito à utilização de Tecnologias de Informação pelas Famílias, 2010 %

(6)

A Economia

√ Produto Interno Bruto da Região do Alentejo (2010): 11.027 milhões € (6,4% do total nacional e crescimento de 2,1% face a 2009)

PIB per capita: 14,7 milhares € em 2009 (91 - índice Portugal=100; 73 - EU27=100)

Evolução do PIB por habitante em PPC (índice UE27=100)

65 70 75 80 85 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010P Portugal Alentejo

Fonte: INE P= Provisórios

√ Taxa Média de Crescimento Anual do PIB (2001-2010): 2,2% (média nacional 2,8%)

VAB - Sector Actividade - 2010

Serviços 66,2% Agricultura, caça e silvicultura; pesca e aquicultura 9,3% Indústria (energia e construção) 24,5% Fonte: INE

Emprego - Sector Actividade - 2010

Serviços 65,5% Agricultura, caça e silvicultura; pesca e aquicultura 10,9% Indústria (energia e construção) 23,5% Fonte: INE

√ Volume de negócios gerado em 2009: 12.994 milhões € (3.452 milhões € Ind. Transf.) o que representou 3,9% do VN total e 5% do VN da indústria transformadora)

√ A produção agrícola tem um peso significativo na estrutura produtiva da região, com produtos de qualidade reconhecida a nível nacional e internacional

√ Destaque para a indústria extractiva em termos de volume extraído e valor a nível nacional (o Alentejo tem uma das mais ricas reservas mundiais de sulfuretos polimetálicos) e para a indústria da cortiça

(7)

aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal – Av. 5 de Outubro, 101, 1050-051 LISBOA Tel.Lisboa: + 351 217 909 500 Contact Centre: 808 214 214 aicep@portugalglobal.pt www.portugalglobal.pt

7

√ Região rica em recursos energéticos (energia solar) e com capacidade de produzir biomassa e biocombustíveis

√ A exploração/rentabilização do Porto e da Plataforma industrial e logística de Sines assumem uma importância determinante no desenvolvimento económico da região e do país

√ A reserva de água proporcionada pela albufeira de Alqueva e as diversas valências a ela associadas (abastecimento de água, agricultura, indústria e turismo) contribuem para a diversificação da actividade económica da região

√ Novas áreas de diversificação económica: a indústria aeronáutica com o projecto Embraer

√ Balança comercial superavitária e a registar um crescimento de 21% nas exportações em 2011 (representaram 4% do total nacional)

Evolução da Balança Comercial

2.304 2.191 1.699 2.165 2. 622 2.031 2.035 1. 682 2.001 2. 16 9 273 15 6 17 164 453 0 500 1.000 1.500 2.000 2.500 3.000 2007 2008 2009 2010P 2011P P= Preliminares (2010-2011) Mi lhões €

Exportações Importações Saldo

+ 21%

Fonte: INE (valores declarados)

4% to tal nac.

√ 5 Principais clientes: Espanha, Alemanha, França, Países Baixos e Finlândia

√ Mais de 70% das exportações correspondem a produtos industriais e alimentares (peso significativo das transacções operadas no Porto de Sines)

(8)

Comércio Internacional - Principais Grupos de Produtos, 2010P 253.90 8 234 .533 14 3.164 72.84 0 3 05.366 100. 697 132. 983 103. 156 275 .740 325.4 7 0 526. 650 24 6.276 108. 402 126. 367 0 100.000 200.000 300.000 400.000 500.000 600.000 Produtos minerais Plástico, borracha e suas obras Indústrias químicas Máquinas e aparelhos Industrias alimentares Produtos do reino vegetal Metais comuns e suas obras P= Dados preliminares M ilhar es € Exportações Importações

Fonte: INE (valores declarados)

√ Proporção das exportações de bens de alta tecnologia em 2011: 2,8%, com especial destaque para a sub-região do Alentejo Central (14,9%)

(9)

aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal – Av. 5 de Outubro, 101, 1050-051 LISBOA Tel.Lisboa: + 351 217 909 500 Contact Centre: 808 214 214 aicep@portugalglobal.pt www.portugalglobal.pt

9

As Empresas

√ Encontram-se instaladas na região mais de 65 mil empresas que geram um volume de negócios próximo dos 13 mil milhões de euros e empregam mais de 170 mil de trabalhadores

Empresas - Nº e Pessoal ao Serviço, 2009

1.060.906 3.717.920 74.234 718.507 4.497 32.927 107.536 472.730 6.312 21.480 514.326 1.596.929 33.929 75.347 65.412 170.962 Empresas(Nº) Pessoal Serviço (Nº ) Empresas(Nº) Pessoal Serviço (Nº ) P or tugal A lent ej o Serviços Construção Ind. Transf. Total Fonte: INE

√ A indústria transformadora está representada por mais de 4 mil empresas, que geram um volume de negócios (VN) a rondar os 3,5 mil milhões de euros e têm ao seu serviço cerca de 33 mil trabalhadores. Destacam-se as seguintes indústrias: Alimentar (41% do total do V.N. da Ind. Transformadora), Químicos (16%), Prod. Metálicos (6%), Bebidas (5,9%) e Minerais não Metálicos (5,6%).

Empresas - Volume de Negócios e VAB, 2009

335.887 82.736 70.630 16.715 3.452 332 177 185.085 38.964 6.960 840 12.944 1.967 34.581 9.501 902 V.Negócios (M€) VAB (M€) V.Negócios (M€) VAB (M€) P or tugal A lent ej o Serviços Construção Ind. Transf. Total Fonte: INE

(10)

√ N.º Empresas exportadoras (2010): 827 (4,7% do total)

√ Dispõe de 145 Unidades de Investigação (Centros de I&D) de excelência e prestígio internacional

Empresas - Pessoal em I&D (Milhares)

6.133 9.459 12.784 14.510 13.922 237 279 320 651 262 Portugal Alentejo Portugal Alentejo Portugal Alentejo Portugal Alentejo Portugal Alentejo 2005 2006 20 07 2008 2009 Fonte: INE

Empresas - Despesa em I&D (Milhares€)

462.015 736.402 1.010.790 1.295.099 1.311.070 27.362 19.434 35.289 27.439 64.992 Portugal Alentejo Portugal Alentejo Portugal Alentejo Portugal Alentejo Portugal Alentejo 2005 2006 2007 2008 2009 Fonte: INE

√ Entre 2005 e 2009 a contratação de pessoal para actividades de I&D nas empresas aumentou 10,5% e a despesa em I&D cresceu cerca de 40%

Referências

Documentos relacionados

Torna-se importante entender o gênero enquanto uma categoria de análise, relativizando o que entendemos por homens e mulheres (e não só inserindo-os como categorias já dadas) e nos

Toxicidade sistêmica para órgãos-alvo específicos - exposição repetida Dados não disponíveis. Perigo de aspiração Dados não disponíveis Possíveis danos para

Ainda que com participação pouco expressiva em relação ao total de trabalhadores excluídos do segmento formal, em alguns desses setores é elevada a proporção dos trabalhadores

- Transformação do conceito de tempo na Física, em que este era sempre absoluto e uniforme, para uma nova Física, em que o fluxo do tempo é elástico e varia de acordo

Resultados semelhantes para a análise pré- -armazenamento foram encontrados para a cultivar Monsoy 8001 (Figura 2A), sendo que, para o maior teor de água, apenas a maior pressão

Um protótipo à escala 1/4 de um sistema construtivo de laje de betão auto-compactável reforçado com fibras de aço (BACRFA) apoiada em pilares foi construído e vem sendo testado

• É possível ampliar a participação de grupos econômicos privados nacionais e empresas líderes e emergentes no segmento de subsea com dois benefícios:.  Aumento da

3.1.3. É de inteira e exclusiva responsabilidade do candidato o completo e correto preenchimento dos dados no site no momento da inscrição ONLINE e anexar