M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A

Download (0)

Full text

(1)

Prospecto Simplificado (Actualizado a 8 de Fevereiro de 2012) Fundo Especial de Investimento Aberto

Strategic Diversified USD – Fundo Especial de Investimento Aberto

(Fundo autorizado pela CMVM em 8 de Fevereiro de 2011, sob o número 1333 e constituído em __ de ______ de 20__, em Portugal)

Tipo e Duração Fundo Especial de Investimento (*) Aberto, com duração indeterminada.

Entidade Gestora MNF Gestão de Activos – SGFIM, S.A.

Consultores para

Investimento Golden Hill Capital A.G.

Banco Depositário Banco Invest S.A.

Entidades

Comercializadoras Na sede da MNF Gestão de Activos, Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário S.A., situada na Praça do Príncipe Real, nº 28, 1º e 2º, 1250-184 Lisboa.

Auditor BDO bdc & Associados SROC, inscrita na Ordem dos Revisores Oficiais de Contas com o nº 29 e registada na CMVM com o nº 1122, com sede na Av. da República nº 50 - 10º 1060-211, LISBOA, representada pelo Dr. Pedro Manuel Aleixo Dias.

Autoridade de

Supervisão Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, situada na Av. Da Liberdade nº 252, 1056-801 Lisboa. Site:

cmvm@cmvm.pt Objectivos do

Fundo O objectivo principal do Fundo é proporcionar aos participantes o acesso a uma carteira de investimentos alternativos, orientada para a obtenção de rendibilidades positivas independentemente da evolução dos principais mercados financeiros.

Política de

Investimento Com os objectivos acima definidos o Fundo investirá de forma flexível nos seguintes activos predominantemente denominados em USD: hedge funds* (fundos single manager e single strategy), fundos de hedge funds* (fundos multimanager e multiestratégia), em fundos de capital de risco*, em acções, em obrigações, em certificados indexados a índices ou a fundos de investimento, dentro dos seguintes limites calculados sobre o VLGF(*):

Os hedge funds e fundos de hedge funds poderão representar 80% do valor líquido global do Fundo.

O Fundo pode investir até 35% em hedge funds com estratégias de Tendência de Mercado/Oportunista.

O Fundo pode investir até 35% em hedge funds com estratégias de “Event-Driven”.

O Fundo pode investir até 35% em hedge funds com estratégias de Arbitragem.

O Fundo pode investir até 50% em hedge funds de Multi estratégia..

O Fundo pode aplicar até 15% do VLGF em fundos de capital de risco, com um máximo de 10% por cada categoria definida no ponto 1.1 do prospecto completo.

O Fundo pode investir até 40% do seu VLGF em acções, obrigações, em certificados indexados a índices ou a fundos de investimento e outros valores mobiliários.

O Fundo poderá investir, até ao limite de 30%, em fundos de investimento geridos pela própria entidade gestora.

O Fundo não pode investir mais de 20% do seu VLGF em unidades de participação de um único fundo, nem em valores mobiliários emitidos por uma mesma entidade.

O Fundo poderá utilizar instrumentos financeiros derivados para cobertura do risco e para prossecução de outros objectivos de adequada gestão do seu património.

O Fundo investirá maioritariamente em activos denominados em USD e por princípio realizará a cobertura cambial quando estiver exposto a activos denominados em moedas distintas do USD. No entanto, poderá haver períodos nos quais o Fundo estará exposto ao Risco Cambial.

O Fundo por norma não recorre a Endividamento, mas pode recorrer a empréstimos pontualmente, para fazer face a resgates, até o limite máximo de 20% do VLGF.

O Fundo não realiza directamente operações de Short-Selling. No entanto, os hedge funds em que o Fundo investe, podem realizar esse tipo de operações.

O Fundo pode investir em fundos Off-Shore.

Nota: A leitura do presente Prospecto Simplificado deverá ser acompanhada pelo Glossário anexo, relativamente aos termos assinalados com (*), e não dispensa a leitura do Prospecto Completo que se encontra disponível em todos os locais de comercialização do Fundo.

Risco associado ao

Investimento O Fundo poderá estar exposto aos vários tipos de risco que a seguir se descrevem, e os investidores podem sofrer perdas de capital.

(2)

O Fundo não é, por natureza, correlacionado com os tradicionais mercados de acções ou de obrigações.

O facto dos investimentos efectuados pelos fundos em que o Fundo investe serem muitas vezes pouco líquidos, de complexa avaliação e não se encontrarem admitidos à negociação em bolsa, leva a que o valor da unidade de participação apurado e utilizado para efeitos de subscrição e resgate pelos participantes possa comportar algum desfasamento face ao valor justo.

Os participantes não podem desmobilizar a qualquer altura o seu investimento no Fundo, podendo o prazo que medeia entre o pedido de resgate dirigido às entidades colocadoras e a correspondente disponibilização dos montantes devidos, ir até a um máximo de dois meses.

A) Riscos Genéricos

Risco de Capital e de Rendimentos: Não existe qualquer garantia para o participante quanto à preservação do capital investido ou em relação à rendibilidade do seu investimento pelo que existe risco de perda do investimento. Como forma de mitigação de parte deste risco, a sociedade gestora efectua uma rigorosa análise de cada um dos investimentos efectuados conforme descrito na política de investimentos, e diversifica as suas aplicações por diversos activos, fundos e entidades gestoras.

Risco de Liquidez: Alguns dos fundos em que o Fundo investe caracterizam-se por terem liquidez reduzida (o que dificulta a desmobilização do investimento em qualquer altura) e por poderem, nos casos previstos nos respectivos prospectos mandar suspender as operações de resgate. Adicionalmente, o facto de o Fundo investir em fundos fechados com horizontes temporais de investimento de longo prazo incrementa o risco de liquidez. Para mitigar ainda este risco, o Fundo possui um prazo de pré-aviso de resgate de um a dois meses, , a possibilidade de financiar-se no mercado ou suspender temporariamente os resgates de unidades de participação.

Assim, como os activos em que o Fundo investe são muitas vezes pouco líquidos, de complexa avaliação, e não se encontram admitidos à negociação em bolsa, leva a que o valor da unidade de participação apurado e utilizado para efeitos de subscrição e resgate pelos participantes possa comportar algum desfasamento face ao valor justo.

Risco Cambial: Nos investimentos realizados, o Fundo pode estar também exposto a Risco Cambial. Este risco existe sempre que o Fundo esteja investido em activos denominados em moedas distintas do USD e não tenha realizado a respectiva cobertura cambial. Caso a moeda em que o activo está denominado se desvalorize contra o USD, o contravalor em USD desse activo diminui e como tal o VLGF também é afectado negativamente.

Risco de Taxa de Juro: O Fundo pode comprar obrigações ou outros instrumentos de dívida de taxa fixa. O valor destes instrumentos varia positiva ou negativamente consoante os níveis e a evolução das taxa de juro de mercado (o preço das obrigações varia no sentido inverso à evolução das taxas de juro. Quando as taxas de juro sobem, o preço desce.).

Risco de Crédito: O Fundo não impõe uma notação de risco de credito mínima para os seus investimentos, podendo comprar instrumentos de entidades com menor capacidade de cumprir com as suas responsabilidades e operar em mercados OTC (Over the Counter).

Risco de Mercado: Como risco de mercado entende-se: risco de variação de preços dos activos que compõem a carteira.

Risco de Utilização de Derivados: A utilização de instrumentos financeiros derivados pode aumentar ou diminuir a exposição a um determinado activo e consequentemente incrementar ou reduzir a valorização global do Fundo.

. Risco Político e Fiscal: O Fundo poderá estar indirectamente exposto ao risco de instabilidade política ou de alteração das condições fiscais.

Risco de Conflito de Interesses: Informa-se que o Fundo poderá investir, ainda que parcialmente, em fundos, geridos pela própria entidade gestora.

Risco de variação do Perfil de Risco do Fundo: Por ser adoptada uma política de investimento flexível na gestão do Fundo, este poderá ao longo do tempo apresentar diferentes perfis de risco em função da composição da respectiva carteira ao longo do tempo.

Nota: A leitura do presente Prospecto Simplificado deverá ser acompanhada pelo Glossário anexo, relativamente aos termos assinalados com (*), e não dispensa a leitura do Prospecto Completo que se encontra disponível em todos os locais de comercialização do Fundo.

Risco associado ao Investimento (continuação)

B) Riscos Específicos dos hedge funds

Os hedge funds caracterizam-se por seguirem estratégias de investimento muito específicas nos mercados financeiros, utilizando instrumentos e técnicas financeiras complexas e pouco acessíveis aos investidores individuais. Para além dos riscos anteriormente referidos, estes fundos poderão estar ainda expostos aos riscos de venda a descoberto (short selling), de alavancagem (leverage), aos riscos de taxa de juro e de crédito e ao risco regulamentar.

(3)

Risco de Alavancagem (Leverage): Os hedge funds podem recorrer à alavancagem para potenciar eventuais ganhos, numa percentagem superior a 100%. A técnica de alavancagem das posições assumidas por cada um dos fundos, tende a ampliar os ganhos, mas também as perdas, no caso de evolução adversa dos mercados relevantes.

Essa alavancagem pode ser conseguida:

- através do recurso a empréstimos junto de instituições de crédito para aquisição dos instrumentos financeiros;

- através da utilização de instrumentos derivados;

Risco de Venda a descoberto (Short Selling): Alguns dos hedge funds poderão recorrer à técnica de venda a descoberto. Neste caso, o Fundo fica indirectamente exposto ao risco dos activos sobre os quais foi efectuada uma venda a descoberto. Se esses activos subirem em preço vão resultar perdas para o Fundo.

Risco Regulamentar: Alguns dos fundos encontram-se sediados em zonas geográficas onde a regulamentação é menos exigente do que na U.E., resultando daqui uma muito menor protecção dos investidores. Essa menor protecção traduz-se, por exemplo:

- na falta de controle sobre as actividades dos gestores desses fundos, nomeadamente em termos da conformidade dos investimentos com a política de investimentos definida;

- na inexistência de supervisão prudencial e de monitorização dos riscos potenciais que, em caso de evolução adversa dos mercados, podem resultar em perdas para os investidores;

- na impossibilidade de prevenir riscos operacionais e sistémicos bem como fraudes e outros actos ilícitos.

Risco de Equipa de gestão: O sucesso dos fundos em que o Fundo investe pode estar dependente da equipa de gestão e uma alteração da mesma pode ter um impacto adverso na performance.

C) Riscos Específicos dos Fundos de Capital de Risco

O risco associado ao investimento em Fundos de capital de risco resulta de vários factores, tais como:

reduzida liquidez das unidades de participação do Fundo e dos activos que integram a carteira, que são essencialmente empresas que não estão cotadas em bolsa; qualidade e diversificação da carteira de activos.

Risco de Equipa de gestão: O sucesso dos fundos em que o Fundo investe pode estar dependente da equipa de gestão e uma alteração da mesma pode ter um impacto adverso na performance.

Aconselha-se a leitura do prospecto completo para uma melhor descrição dos riscos.

Perfil do Investidor O Fundo destina-se a investidores preparados para suportar eventuais perdas de capital, e sem grandes necessidades de liquidez imediata, e que tenham em vista a obtenção de retornos absolutos, de modo a que assumam uma perspectiva de valorização do seu capital no médio prazo. Os investidores deverão possuir um conhecimento adequado dos mercados financeiros e dos principais riscos envolvidos e apetência para o investimento em activos não correlacionados com os mercados tradicionais de acções e obrigações, e estejam na disposição de imobilizar as suas poupanças por um período mínimo recomendado de três anos. Atendendo à especificidade do Fundo e aos riscos em que o mesmo pode incorrer, considera- se que a percentagem máxima de investimento pessoal aconselhável neste Fundo não deverá ultrapassar 20% da totalidade do património de cada investidor não institucional.

Evolução do valor da Unidade de Participação (O Fundo ainda não apresenta dados históricos) Rendibilidade e Risco Históricos

(O Fundo ainda não apresenta dados históricos) Taxa Global de

Custos e Rotação

Média da Carteira (O Fundo ainda não apresenta dados históricos)

Nota: A leitura do presente Prospecto Simplificado deverá ser acompanhada pelo Glossário anexo, relativamente aos termos assinalados com (*), e não dispensa a leitura do Prospecto Completo que se encontra disponível em todos os locais de comercialização do Fundo.

Tabela de Custos Os custos a que se encontram sujeitos os participantes do Fundo encontram-se definidos na Tabela de Custos abaixo indicada e estão descritos com maior detalhe no Prospecto Completo. Serão ainda suportados directamente pelo Fundo todos os encargos legais e fiscais que lhe sejam imputáveis, incluindo os custos emergentes das auditorias exigidas pela legislação em vigor.

Imputáveis Directamente ao Participante:

Comissão de Subscrição 0,25%

Comissão de Resgate 1%(a) até 180 dias

0% depois de 180 dias Imputáveis Directamente ao Fundo:

Comissão de Gestão (Taxa Anual Nominal)

(4)

- Componente Fixa 2,5% do VLGF com o mínimo mensal de 30.833,33 USD

- Componente Variável (b) 20% sobre o excesso de retorno acima do Benchmark (Libor(*) 3 meses USD + 2%)

Comissão de Depósito(Taxa Anual Nominal) 0,125% do VLGF, com o mínimo mensal de 1.500 USD

Taxa de Supervisão (Mensal) 0,03‰, sobre o VLGF no último dia de cada mês (colecta não pode ser <200€ nem >20.000€).

Outros Custos (os custos de transacção não são incluídos para efeitos de cálculo da Taxa Global de Custos)

Comissões de outros Fundos da Sociedade Gestora, Comissões de Fundos de outras Sociedades Gestoras(c), Taxa de bolsa, corretagem, liquidação e custos com ROC.

(a) Não se aplica sobre as carteiras geridas pela entidade gestora, bem como sobre fundos geridos pela entidade gestora e por entidades que se encontrem em relação de domínio ou de Grupo.

(b) Comissão de Gestão - Componente Variável: 20% X (Rentabilidade Anual Nominal do Fundo – Rentabilidade do Benchmark), em que Benchmark = Libor 3 meses USD + 2%.

(c) Para além das comissões de gestão referidas no quadro, o Fundo suporta as comissões de gestão de outros fundos onde venha a investir O valor cumulativo e ponderado de todas as comissões de gestão passíveis de serem apuradas não pode representar mais de 5% do VLGF. Excluem-se desta percentagem as comissões de depósito e as comissões de performance cobradas por alguns fundos em que o Fundo investe e que pode atingir em valor absoluto 25% da performance obtida por esses fundos.

Subscrição A subscrição terá uma periodicidade mensal. No entanto, os pedidos podem ser dirigidos à entidade comercializadora em qualquer dia do mês. Os pedidos de subscrição recebidos até às 18h00m (hora de Portugal Continental) do último dia útil de cada mês, são processados ao valor da unidade de participação referente a esse mesmo dia (valuation date) e conhecido e divulgado no dia 25 (ou no dia útil seguinte, caso o dia 25 não seja útil) do mês subsequente ao do pedido. Os pedidos de subscrição recebidos após as 18h00m (hora de Portugal Continental) do último dia útil de cada mês, são processados ao valor da unidade de participação referente ao último dia útil do mês seguinte, conhecido e divulgado no dia 25, (ou no dia útil seguinte, caso o dia 25 não seja útil) do 2º mês subsequente ao do pedido. O pedido de subscrição é, portanto, efectuado a preço desconhecido podendo o subscritor ter de aguardar um a dois meses, consoante os casos, para conhecer o valor da unidade de participação pelo qual foi efectuada a subscrição, e pelo débito da sua conta.

A qualidade de participante adquire-se no momento da subscrição das unidades de participação, contra o pagamento do respectivo preço.

Os pedidos de subscrição posteriores à constituição do Fundo, serão efectuados a preço desconhecido. O valor mínimo de subscrição é de 25.000 USD.

Em cada subscrição haverá lugar a uma comissão de 0,25%.

Resgate O resgate terá uma periodicidade mensal independentemente dos pedidos de resgate poderem ser solicitados diariamente junto da entidade comercializadora. Os pedidos de resgate recebidos até às 18h00m (hora de Portugal Continental) do dia 25 de cada mês (ou do dia útil seguinte, caso o dia 25 não seja útil), são processados ao valor da unidade de participação referente ao último dia útil, do mês do pedido, conhecido e divulgado no dia 25 (ou no dia útil seguinte, caso o dia 25 não seja útil) do mês subsequente ao do pedido, deduzido da comissão de resgate, bem como o respectivo crédito em conta. Os pedidos de resgate recebidos após as 18h00m (hora de Portugal Continental) do dia 25 (ou do dia útil seguinte, caso o dia 25 não seja útil) de cada mês, são processados ao valor da unidade de participação referente ao último dia útil do mês subsequente ao do pedido, conhecido e divulgado no dia 25 (ou no dia útil seguinte, caso o dia 25 não seja útil) do 2º mês subsequente ao do pedido, deduzido da comissão de resgate. O pedido de resgate é, portanto, efectuado a preço desconhecido, podendo o participante ter de aguardar um ou dois meses, consoante os casos, para conhecer o valor da unidade de participação pelo qual foi efectuado o resgate e pelo correspondente crédito em conta. O participante continuará exposto ao risco do Fundo, até ao último dia útil do mês em que o pedido foi feito.

No caso da detenção das unidades de participação por um período inferior a seis meses, haverá lugar a uma comissão de resgate de 1%. Para efeitos de cálculo da comissão de resgate, as unidades de participação subscritas em primeiro lugar são as primeiras a ser consideradas para efeitos de resgate (método FIFO - First In First Out).

Política de

Rendimentos O Fundo é um fundo de capitalização, pelo que não há distribuição de rendimentos, os quais, caso existam, estarão incorporados no valor da unidade de participação sendo aplicados de acordo com a política de investimento do Fundo.

Admissão à Cotação As unidades de participação do Fundo não se encontram admitidas à cotação.

Nota: A leitura do presente Prospecto Simplificado deverá ser acompanhada pelo Glossário anexo, relativamente aos termos assinalados com (*), e não dispensa a leitura do Prospecto Completo que se encontra disponível em todos os locais de comercialização do Fundo.

Informações

Complementares O Prospecto Simplificado contém apenas informações essenciais sobre o Fundo em causa, pelo que a sua leitura não exclui a necessidade de informação mais detalhada, que poderá ser obtida, sem quaisquer encargos, através do Prospecto Completo e dos Relatórios Anual e Semestral, junto da Sociedade Gestora, do Banco Depositário e das Entidades Colocadoras.

Divulgação do valor das Unidades de

Participação

O valor da unidade de participação é divulgado no dia 25 de cada mês ou no dia útil seguinte, caso o dia 25 seja dia não útil e pode ser obtido junto das entidades acima referidas bem como no sistema de divulgação de informação da CMVM (www.cmvm.pt), onde também pode ser consultada (mensalmente) a

(5)

carteira do Fundo.

Regime Fiscal Do Fundo

O Fundo é tributado como se de uma pessoa singular se tratasse.

Rendimentos obtidos em território português, que não sejam mais-valias: Os juros das obrigações, dos depósitos bancários e os dividendos estão sujeitos a retenção na fonte, à taxa de 25%. Nos casos de rendimentos não sujeitos a retenção na fonte, à lugar a tributação é autónoma, à taxa de 25%, incidente sobre o respectivo valor líquido obtido em cada ano. Os rendimentos respeitantes a unidades de participação em Fundos que se constituam e operem de acordo com a legislação nacional estão isentos de tributação.

Rendimentos obtidos fora do território português, que não sejam mais-valias: Tratando-se de rendimentos de títulos de dívida e de rendimentos provenientes de fundos de investimento constituídos no estrangeiro, a tributação é autónoma, à taxa de 20%. Para rendimentos de outra natureza, aplica-se a taxa de 25%.

Mais-valias obtidas em território português ou fora dele: A diferença positiva entre as mais e menos valias obtidas em cada ano é tributada, autonomamente, à taxa de 21,5%, encontrando-se excluídas de tributação as mais-valias provenientes da alienação de obrigações e outros títulos de dívida, e acções detidas pelo Fundo durante mais de 12 meses.

Do Participante (Participantes residentes em território português)

Sujeitos passivos de IRS, fora do âmbito de uma actividade comercial, industrial ou agrícola: Os rendimentos respeitantes a unidades de participação estão isentos de tributação. A transmissão gratuita (heranças e doações) de valores aplicados em Fundos não se encontra sujeita a tributação em sede de Imposto do Selo.

Sujeitos passivos de IRC e sujeitos passivos de IRS, no âmbito de uma actividade comercial, industrial ou agrícola: Os rendimentos respeitantes a unidades de participação são considerados como proveitos ou ganhos para efeitos do apuramento do lucro tributável e o montante de imposto retido ou devido na esfera do Fundo tem a natureza de pagamento por conta.

A descrição do regime fiscal do Fundo e do Participante não dispensa a consulta da legislação em vigor, nem constitui garantia que o regime fiscal se mantenha inalterado.

Anexo Exemplos de Subscrição e de

Resgate

Exemplo de Subscrição:

1. O cliente que solicitar a subscrição no dia 30 de Dezembro - terá o montante de subscrição debitado e efectivamente subscrito no dia 25 de Janeiro, à cotação referente a 30 de Dezembro, conhecida e divulgada no dia 25 de Janeiro.

2. O cliente que solicitar a subscrição no dia 1 de Janeiro - terá o montante de subscrição debitado e efectivamente subscrito no dia 25 de Fevereiro, à cotação referente a 31 de Janeiro, conhecida e divulgada no dia 25 de Fevereiro.

Exemplo de Resgate:

1. O cliente que solicitar o resgate no dia 25 de Janeiro - terá o montante de resgate creditado na sua conta bancária no dia 25 de Fevereiro, à cotação divulgada neste dia.

2. O cliente que solicitar o resgate no dia 26 de Janeiro – terá o montante de resgate creditado sua conta bancária no dia 25 de Março, à cotação divulgada neste dia.

Nota: A leitura do presente Prospecto Simplificado deverá ser acompanhada pelo Glossário anexo, relativamente aos termos assinalados com (*), e não dispensa a leitura do Prospecto Completo que se encontra disponível em todos os locais de comercialização do Fundo.

Contactos Telefone: 211 534 090 E-mail: operacoes@mnfactivos.com Até às 18h00m do dia

25 de cada mês (ou dia útil anterior)

Depois das 18h00 do dia 25 de cada mês (ou dia útil seguinte)

Até às 18h00m do dia 25 do mês seguinte

(ou dia útil seguinte)

Fim da recolha dos pedidos de resgate

Inicio da recolha dos pedidos de resgate para o próximo período de resgate

Liquidação financeira aos clientes ao valor da UP conhecido nesse dia, dos pedidos recolhidos até às 18h00m do dia 25 do mês anterior Até às 18h00m do ultimo dia

útil de cada mês

Depois das 18h00 do ultimo dia úyil de cada mês

Até às 18h00m do dia 25 do mês seguinte

(ou dia útil seguinte)

Fim da recolha dos pedidos de subscrição

Inicio da recolha dos pedidos de subscrição para o próximo período de subscrição

Liquidação financeira e atribuição do nº de up’s aos clientes que solicitaram a subscrição até às 18h00m do último dia útil do mês anterior

(6)

*GLOSSÁRIO

Para efeitos do presente documento e salvo se do contexto claramente resultar sentido diferente, os termos e expressões a seguir indicados terão o significado que a seguir lhes é atribuído:

Fundo: Strategic Diversified USD - Fundo Especial de Investimento Aberto.

Hedge Fund: Organismo de investimento colectivo que investe em diversos activos, podendo ou não estar registada nas autoridades de supervisão ou reguladoras dos mercados financeiros. No entanto, tipicamente são fundos de investimento sem restrições e pouco regulados com os quais os gestores qualificados procuram retornos absolutos, aproveitando oportunidades de investimento ao mesmo tempo em que tentam preservar o capital independentemente da direcção do mercado.

Os objectivos de investimento dos hedge funds variam de fundo para fundo. No entanto, a maioria dos hedge funds procura obter retornos positivos absolutos, com baixa volatilidade, não medindo a sua performance contra um índice de referência. Para alcançar os seus objectivos, os hedge funds recorrem a um leque variado de estilos de investimento e estratégias, investindo numa vasta gama de instrumentos financeiros, tais como, acções, obrigações (de taxa fixa e taxa variável), obrigações convertíveis, unidades de participação de fundos, opções, futuros financeiros e de matérias-primas, warrants, forwards cambiais, instrumentos derivados OTC, acções preferenciais, entre outros.

Alguns hedge funds, na prossecução dos seus objectivos de investimento, recorrem à alavancagem e à venda a descoberto de activos, utilizando também estratégias de arbitragem e hedging (cobertura).

Um dos principais benefícios do tipo de gestão e objectivos implementados pelos hedge funds, consiste na baixa correlação que estes fundos têm apresentado com os mercados mais tradicionais (nomeadamente acções e taxa de juro). Desta forma, estes fundos apresentam-se geralmente como um bom diversificador de carteira e instrumento de gestão de volatilidade (risco).

Tipos de Hedge Funds:

- Fundo Multi-Manager: Fundo que investe em outros fundos, geridos por diferentes entidades, seguindo, normalmente, diferentes estratégias;

- Fundo Single Manager: Fundo que investe directamente nos mercados mobiliários, sem ser através de unidades de participação de outros fundos, seguindo, normalmente, uma estratégia específica, implementada por um único gestor;

- Fundo Single Strategy: Fundo que investe directamente nos mercados mobiliários, sem ser através de unidades de participação de outros fundos, seguindo, uma única estratégia conforme tipologia de Estratégias de Hedge Funds (para mais informações consulte o Prospecto Completo).

Fundo de Fundos: Fundo que investe os seus capitais exclusivamente noutros fundos de investimento.

Fundo de Capital de Risco: fundos que têm por finalidade investir na aquisição, por período de tempo limitado, de instrumentos de capital próprio e de instrumentos de capital alheio em sociedades com elevado potencial de desenvolvimento, como forma de beneficiar da respectiva valorização.

Fundo Especial de Investimento / FEI: Permite uma combinação diferenciada das diversas regras, técnicas e limites aplicáveis aos Fundos de Investimento Mobiliário. Desta forma, é conferida aos FEI maior liberdade na definição e prossecução das suas políticas de investimento em valores mobiliários, instrumentos financeiros derivados e liquidez, prevendo-se igualmente a possibilidade de investimento em activos diferentes destes, reunidos que estejam determinados requisitos.

Fundo Off-Shore: Fundo de investimento domiciliado fora do espaço da União Europeia, em jurisdições com regimes fiscais, legais e regulamentares muito menos exigentes e ausência de supervisão.

Venda a descoberto (Short selling): Venda de um título que o vendedor ainda não possui. Caso o título vendido baixe ou suba de preço, de acordo com as expectativas do vendedor, este terá que adquiri-lo (ao novo preço) e entregá-lo ao comprador. Deste modo, é possível obter retornos positivos em momentos em que se assiste a uma desvalorização de determinados activos. Existe, no entanto, o risco de os activos, sobre os quais foi efectuada uma venda a descoberto, subirem em preço, resultando consequentemente em perdas.

Figure

Updating...

References

Related subjects :