AVALIAÇÃO DOS RISCOS QUÍMICOS DIÁRIOS EM UM LABORATÓRIO DE BIOLOGIA TUMORAL

19 

Texto

(1)

Keilá Carvalho Rodrigues de Oliveira Médica do Trabalho – SESMT-HCFMUSP

Parte do TCC apresentado na conclusão do curso de especialização de medicina do trabalho da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Orientador Dr. Luiz Carlos Morrone Agradecimento – Dr. Marcelo Pustiglione

AVALIAÇÃO DOS RISCOS QUÍMICOS

DIÁRIOS EM UM LABORATÓRIO DE

(2)

RISCOS QUÍMICOS EM LABORATÓRIOS

Laboratório de Análises Clínicas - exames laboratoriais ferramentas de grande relevância na tomada de decisões da classe médica.

Laboratório de Biologia Tumoral - pesquisas na área de imunologia de tumores, com objetivo de projetar e desenvolver imunoterapias e estratégias imunológicas para tratamento e prevenção do câncer.

Risco químico: substâncias capazes de penetrar no organismo do trabalhador pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos gases, neblinas, nevoas ou vapores, ou que seja, pela natureza da atividade, de exposição, capazes de ter contato ou ser absorvido pelo organismo através da pele ou por ingestão. (Oda, L. et all, 1998).

(3)

OBJETIVOS

• Identificar os riscos químicos reconhecidos em um laboratório de biologia tumoral de um hospital escola de grande porte, dando ênfase à avaliação dos agentes

químicos de uso diário.

• Verificar quais as medidas adotadas de antecipação quanto à segurança, proteção e saúde em relação ao trabalhador, ao processo e ao ambiente laboral.

• Avaliar se há necessidade de adequação do Programa de Prevenção de Riscos de Acidentes e do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional em face do observado neste trabalho.

(4)

METODOLOGIA

Local da avaliação: Laboratório de biologia tumoral, unidade de Laboratório de Pesquisa Hematológica e Fracionamento do Sangue de um serviço hospitalar de grande porte.

Ferramentas de avaliação:

1. Ficha de reconhecimento de riscos preliminares.

2 .Dados do Programa de Controle Médico de saúde Ocupacional (PCMSO) e do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) do laboratório de Biologia Tumoral.

3. Tabela de agentes químicos manuseados com maior frequência no laboratório de Biologia Tumoral. 4. Tabelas da Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) para os agentes químicos de uso diário no laboratório de Biologia Tumoral.

5. Verificação dos equipamentos de proteção coletiva e individual usados no laboratório de Biologia Tumoral.

6. Exame clínico periódico dos 14 funcionários do laboratório de Biologia Tumoral. 7. Avaliação da composição do PCMSO e do risco químico encontrado no PPRA.

(5)
(6)

USO DIÁRIO USO MENSAL USO ESPORÀDICO Brometo de etídio Clorofórmio Trizol *(fenol) Sabonete Antisséptico Cloredexina 2% Ácido acético Álcool Etílico Álcool isopropílico Cloreto de Amônia Bicarbonato de amônia Agarose Tris (hidroxiaminometano) Glicerol Eco R1 Polímero POP7 Reagente MasterMix Sondas Primers DNTPs Ladder 100bp EDTA Formamida Tribase Ácido Clorídrico

QUADRO 1.

Relação de produtos químicos utilizados com maior frequência

(7)

PRODUTO

VOLUME* MANIPULADO

MEDIDAS DE CONTROLE

COLETIVA INDIVIDUAL

Brometo de etidio 0,18 g Treinamento Respirador c/ Filtro

Químico Óculos de Segurança Luvas de Procedimento Clorofórmio 13 ml

Capela com exaustor Treinamento Trizol (fenol) 54 ml Sabonete Anti-séptico cloredexina 2% 45 ml Treinamento Luvas de Procedimento Ácido acético 10 ml Álcool Etílico 1 l Álcool isopropílico 22 ml Cloreto de Amônia 22 g

Quadro 2. Inventário dos Produtos Químicos de uso diário – ( base: dados do PPRA)

(8)

AVALIAÇÃO DOS TRABALHADORES NO EXAME MÉDICO PERIÓDICO

(FEVEREIRO/2011)

• Foi realizada avaliação clinica ocupacional de 13/14 colaboradores .

Apenas 01 colaborador não foi avaliado por estar afastado por auxilio espécie 31.

• Não foram observadas alterações fora dos padrões de normalidade nos níveis pressóricos . • Não foram observadas alterações no exame físico dos trabalhadores em relação ao trabalho

(9)

• Existe no programa do PCMSO a composição de exames que verificam

anormalidades no sistema hematopoiético, hepático e renal através de Hemograma completo, TGO, TGP, gama GT, Uréia e creatinina.

03 colaboradores apresentaram alteração nos valores de colesterol total e/ou frações.

01 colaborador apresentou alteração nos valores de gama GT. 01 colaborador apresentou alteração no valor de creatinina.

(10)

NÃO CONFORMIDADES

(11)

A capela deve conter

apenas o material a ser

analisado e não deve

servir como deposito de

materiais.

(12)

Caixa de papelão

inadequada em cima do

armário destinado aos

produtos químicos

residuais (rotulo indicando

perigo por substancia

(13)

O chuveiro e o lava-olhos

que nunca foram usados

no laboratório estudado.

(14)

Os aventais de uso diário

permanecem no local de

trabalho

(15)

Armário reservado ao

armazenamento das

substancias químicas

inflamáveis e corrosivas.

Sinalizado com rótulos

ilustrativos e cores

indicativas. Não são

visualizadas as fichas de

Informação de Segurança

do Produto Químico, com

fácil acesso.

(16)

RECOMENDAÇÕES ÚTEIS PARA NÃO

CONFORMIDADES E PROBLEMAS OBSERVADOS

Problematização Recomendação

Os trabalhadores têm o direito de conhecer os potenciais de risco químico envolvidos no seu local de trabalho durante suas atividades laborais, em especial dos agentes químicos de uso diário.

Manter a Ficha de Informação de Segurança do Produto Químico disponível e com fácil acesso aos trabalhadores.

Foram observados pontos falhos em relação ao manuseio seguro e aos riscos do clorofórmio entre os colaboradores do laboratório estudado.

Todos os colaboradores devem ser instruídos (capacitados) sobre o manuseio seguro do clorofórmio

Não há padronização e informações de higiene quanto ao período de troca dos aventais.

Padronizar o período de troca e higienização dos aventais com orientação. Convém sempre relembrar os colaboradores sobre os agentes químicos e seu potencial de dano.

(17)

RECOMENDAÇÕES ÚTEIS PARA NÃO

CONFORMIDADES E PROBLEMAS OBSERVADOS

Problematização Recomendação

Os chuveiros e lava-olhos não são checados semanalmente e o

propósito de emergência destes equipamentos ainda não é do conhecimento de todos os colaboradores.

Verificar o funcionamento dos chuveiros e o lava olhos uma vez por semana e retirar as caixas depositadas próximas ao local. Informar os colaboradores sobre estes equipamentos e quando e como usá-los.

Pouca atenção dada aos portadores de hepatite C e historia de

hepatopatias crônicas durante o exame admissional e periódico.

Avaliar especificamente esta eventualidade, pois os casos positivos não devem exercer

atividades com agentes químicos de metabolização hepática, como por exemplo, o clorofórmio e o álcool etílico.

(18)

RECOMENDAÇÕES ÚTEIS PARA NÃO

CONFORMIDADES E PROBLEMAS OBSERVADOS

Problematização Recomendação

Pouca atenção dada aos portadores de disfunção renal durante o exame admissional e periódico.

Avaliar especificamente esta eventualidade, pois os casos positivos não devem exercer

atividades com agentes químicos de metabolização e excreção renal.

Pouca atenção dada ao potencial de hepatotoxicidade do clorofórmio

Pessoas com disfunção hepática, com histórico de alcoolismo,

usuários de drogas e grávidas não devem ter contato com clorofórmio.

Foram verificadas medidas de prevenção e controle dos riscos (como o chuveiro, por exemplo), mas que não são usadas para livrar os profissionais dos riscos desnecessários que enfrentam no seu dia-a-dia.

O treinamento deve ser realizado com frequência e profundidade necessárias.

(19)

MUITO OBRIGADA!

Imagem

Referências

temas relacionados :