Texto

(1)

Financeiro | Visão Geral

17/09/2012

(2)

Sumário

Sumário ... 2

1 Conceitos Básicos ... 3

1.1 Objetivos Instrucionais ... 3

2 Principais Processos do Ambiente Financeiro ... 3

3 Patrimônio ... 4

4 Macro Processo do Contas a Receber ... 4

5 Macro Processo Contas a Pagar ... 6

6 Macro Processo do Tesouraria ... 8

7 Principais Cadastros ... 9

8 Cadastro de Moedas ... 10

9 Cadastro de Naturezas ... 10

10 Cadastro de Naturezas – Principais Campos ... 11

11 Cadastro de Condição de Pagamento ... 12

12 Cadastro de Bancos ... 13

13 Cadastro de Contratos Bancários ... 14

14 Cadastro de Orçamentos ... 15

15 Cadastro do Tipo de Entrada e Saída ... 16

16 Cadastro de Lançamento Padrão ... 16

17 Conclusão ... 17

(3)

1 Conceitos Básicos

Olá!

Seja bem-vindo ao treinamento Visão Geral do ambiente Financeiro.

1.1 Objetivos Instrucionais

Ao término deste treinamento você terá conhecido um pouco mais sobre:

• Principais processos do ambiente Financeiro.

• Fluxo macro dos ambientes.

• Principais cadastros.

2 Principais Processos do Ambiente Financeiro

O ambiente Financeiro tem o objetivo de controlar, descrever e determinar a circulação do dinheiro em uma organização.

O fluxo macro dos processos do Financeiro é basicamente o processo do Contas a Receber, no qual ocorre o controle de recebimentos de valores pela organização, que movimenta o fluxo do caixa com entradas de valores, alimentando os processos da Tesouraria. Esses recebimentos são recursos que a empresa utiliza para manter seus processos.

O Contas a Pagar é o controle de pagamentos que deve ser feito por uma organização para controle de despesas e obrigações com as entidades governamentais, que movimenta o fluxo de caixa com as saídas de valores, alimentando também os processos da Tesouraria.

O processo da Tesouraria permite a análise de viabilidade de valores para fazer investimentos, controla o fluxo de caixa e realiza o planejamento de receitas e despesas.

(4)

3 Patrimônio

Vimos que a contabilidade é a ciência que tem como objeto de estudo o Patrimônio. Mas qual é definição de Patrimônio?

Patrimônio é um conjunto de bens, direitos e obrigações avaliáveis em moeda, que pertence a uma pessoa física ou jurídica.

O patrimônio é dividido em dois grupos:

O Ativo representa todos os bens e direitos da entidade, ou seja, tudo que a empresa possui (Bens) e tudo que a empresa tem para receber (Direitos).

Como exemplo de ativos, temos o dinheiro que a empresa possui em caixa e depositado nas instituições bancárias, duplicatas a receber de clientes, estoques de mercadorias e maquinário para produção desse estoque.

O Passivo são todas as obrigações que a empresa possui com terceiros, como por exemplo, duplicatas a pagar de fornecedores e financiamentos com bancos.

4 Macro Processo do Contas a Receber

Em Contas a Receber, temos os seguintes processos:

Inclusão: é o processo de entrada de documentos financeiros que representem valores a serem recebidos pela organização.

Normalmente são notas fiscais faturadas que representam crédito para os clientes na venda de um produto ou serviço.

Manutenção: é o processo que auxilia a manter a carteira de documentos a receber de acordo com a realidade, caso seja necessário corrigir algum documento financeiro a receber ou excluir do sistema alguma cobrança indevida, a manutenção auxilia o administrador nesse gerenciamento, quando necessário.

Baixas: é o processo de baixa de documentos a receber, ou seja, é o registro da movimentação em uma organização. Quando um cliente efetua o pagamento de uma cobrança e esta ação movimenta valores para uma conta bancária ou para o caixa da empresa, este processo movimenta o fluxo de caixa da organização, dessa forma, registra-se uma baixa a receber representando este processo.

Compensação: a compensação a receber é o processo de confronto de créditos que um cliente possui com débitos existentes deste mesmo cliente. Vamos imaginar que a organização é uma empresa de produtos de insumos de escritório, e um cliente solicitou papel sulfite para a sua empresa, quando a mercadoria foi entregue, percebeu-se que o cliente realmente necessitava de um papel sulfite tamanho A4, que não era o que foi entregue a ele. O cliente efetuará a devolução deste produto, gerando um crédito na organização que vendeu a mercadoria. Quando este cliente efetuar uma nova compra, esta cobrança poderá ter valores abatidos do total com o crédito criado anteriormente com a devolução de mercadorias ocorridas.

Nestes processos mais importantes, existem algumas entidades no sistema, com informações que apoiam esses processos básicos. Essas entidades são:

Cliente: o cadastro do cliente é a entidade que determina os processos de recebimento de uma organização. É a partir de sua solicitação são gerados os documentos a receber que representam valores a serem recebidos pela organização, apoiando os processos

(5)

que ocorrem quando algum produto ou serviço é solicitado. Se não houvesse um cadastro de cliente, não seria possível saber para quem deveríamos cobrar uma dívida e até mesmo onde deveríamos entregar um produto ou prestar um serviço solicitado. Assim, o cadastro de clientes é uma das ferramentas mais importantes que uma organização pode ter para aumentar a sua produtividade e lucratividade.

Bancos: o cadastro de bancos é uma das entidades mais importantes do sistema. É a partir dele que conseguimos efetuar as movimentações de entrada e saída de valores pela organização. Se não fosse por essas informações, não seria possível enviar aos clientes as cobranças com os dados bancários.

Moedas: este cadastro é utilizado para informar taxas de variação cambial quando uma organização trabalha com mais de uma moeda. Podemos ter uma organização que trabalha com processos em que o valor monetário é real, mas há transações que são efetuadas e o valor monetário é em dólar, sendo assim, é necessário converter os valores de reais para o dólar e vice-versa para que o processo reflita o real valor movimentado.

Cheques: a emissão de um cheque é uma ordem de pagamento à vista expedida contra um banco sobre fundos depositados na conta do emitente para pagamento ao beneficiário do cheque. Ou seja, é a ordem de pagamento que será expedida contra o saldo bancário do titular do cheque.

Naturezas: a natureza financeira é a forma de classificar e agrupar as movimentações financeiras no sistema. São apenas valores sendo recebidos e pagos, porém, não se sabe a razão ou origem dessas movimentações, nesse sentido é que a natureza financeira atua dizendo o motivo e a origem de um movimento.

Exemplo: O pagamento de uma despesa de energia elétrica terá o movimento no fluxo de caixa classificado como Consumo de Energia Elétrica.

Títulos Financeiros: os títulos financeiros são documentos que representam o valor empenhado em algum pagamento ou um valor de crédito. Exemplo: O provisionamento do pagamento de um serviço de segurança por um fornecedor e um crédito para um cliente pela aquisição de produtos produzidos pela organização.

Movimentos Bancários: os movimentos bancários são as representações de circulação de valores monetários, vinculados a uma origem, que pode ser pessoa física ou jurídica, utilizando uma organização bancária que intermedeia os relacionamentos necessários para as movimentações de valores da origem até o destino.

Exemplo: Pagamento de um serviço a um fornecedor por meio do pagamento de boleto bancário.

Títulos de Impostos: os títulos financeiros de impostos são documentos que representam o valor empenhado em alguma obrigação com alguma entidade governamental. Geralmente são gerados a partir de outros processos financeiros passíveis de retenção de impostos.Exemplo: O pagamento de uma conta de energia elétrica é passível do recolhimento do imposto do ISS – Imposto sobre o Serviço Prestado.

E além das entidades, temos alguns processos de apoio que completam o ciclo de processos do ambiente do Contas a Receber, que são:

Transferências: As transferências podem ser utilizadas para manipular documentos financeiros entre carteiras.

Exemplo: Existe a carteira Normal do Contas a Receber que possui um título a receber de um cliente. Neste processo, a este cliente, foi concedido um desconto, assim na rotina de transferência, podemos transferir um título da carteira a receber Normal para a carteira a receber Descontada.

Comunicação Bancária: utilizada quando existir o processo de movimentações bancárias automatizadas com alguma organização bancária. Exemplo: Utilizar o serviço do banco de processamento de movimentações bancárias via CNAB.

Controle de Cheques: é o processo de apoio para gerenciamento de cheques recebidos pela organização, assim como o controle de origem e destinação de cada cheque.

Controle de Impostos: o processo de controle de impostos visa gerenciar o crédito de impostos na carteira de títulos a receber, sendo que a obrigação com as organizações governamentais nos processos comerciais passíveis de retenção de impostos é dos clientes.

Quando o cliente efetua algum pagamento para organização, e este processo é passível de retenção de imposto serão gerados títulos de créditos do tipo abatimento no sistema, destacando o valor de impostos que será recolhido pelo cliente e deduzido do valor a ser pago pelo cliente.

(6)

5 Macro Processo Contas a Pagar

Em Contas a Pagar, temos os seguintes processos:

Inclusão: é o processo de entrada de documentos financeiros que representam valores empenhados em algum pagamento a ser efetuado pela organização. Normalmente são notas fiscais faturas que representam uma obrigação de um produto ou serviço adquirido.

Manutenção: é o processo que auxilia a manter a carteira de documentos a pagar de acordo com a realidade, caso seja necessário corrigir algum documento financeiro a pagar ou excluir do sistema alguma cobrança indevida, a manutenção auxilia o administrador nesse gerenciamento, quando necessário.

Baixas: é processo de baixa de documentos a pagar, ou seja, é o registro da movimentação em uma organização. Quando se efetua o pagamento de uma cobrança do fornecedor, e esta ação movimenta valores de uma conta bancária ou do caixa da empresa, este processo movimenta o fluxo de caixa da organização, dessa forma, registra-se uma baixa a pagar representando este processo.

Negociação: este processo envolve várias rotinas para negociação de pendências com fornecedores pela organização. Pode existir a prorrogação do pagamento com novas datas ou pode ocorrer a compensação entre títulos de créditos com o fornecedor e obrigações pendentes, afim de diminuir o saldo devedor com fornecedores.

Nestes processos mais importantes, existem algumas entidades no sistema, com informações que apoiam esses processos básicos. Essas entidades são:

Fornecedor: o cadastro de fornecedor é a entidade que determina os processos de pagamento de uma organização. A partir da necessidade da organização são gerados os documentos que representam valores a serem pagos pela empresa. Se não houvesse um cadastro de fornecedor, não seria possível saber para quem deveríamos pagar alguma dívida. Assim, o cadastro de fornecedores é uma das ferramentas mais importantes para aumentar produtividade e lucratividade da organização.

Bancos: o cadastro de bancos é uma das entidades mais importantes do sistema. É a partir dele que conseguimos efetuar as movimentações de entrada e saída de valores pela organização. Se não fosse por essas informações, não seria possível efetuar o pagamento ao fornecedor sem os dados bancários.

Moedas: este cadastro é utilizado para informar taxas de variação cambial quando uma organização trabalha com mais de uma moeda. Podemos ter uma organização que trabalha com processos em que o valor monetário é real, mas há transações que são efetuadas e o valor monetário é em dólar, sendo assim, é necessário converter os valores de reais para o dólar e vice-versa para que o processo reflita o real valor movimentado.

Cheques: a emissão de um cheque é uma ordem de pagamento à vista expedida contra um banco sobre fundos depositados na conta do emitente para pagamento ao beneficiário do cheque. Ou seja, é a ordem de pagamento que será expedida contra o saldo bancário do titular do cheque.

Naturezas: a natureza financeira é a forma de classificar e agrupar as movimentações financeiras no sistema. São apenas valores sendo recebidos e pagos, porém, não se sabe a razão ou origem dessas movimentações, nesse sentido é que a natureza financeira atua dizendo o motivo e a origem de um movimento.

(7)

Exemplo: O pagamento de uma despesa de energia elétrica terá o movimento no fluxo de caixa classificado como Consumo de Energia Elétrica.

Títulos Financeiros: os títulos financeiros são documentos que representam o valor empenhado em algum pagamento ou um valor de crédito.

Exemplo: O provisionamento do pagamento de um serviço de segurança por um fornecedor e um crédito para o cliente pela aquisição de produtos produzidos pela organização.

Movimentos Bancários: os movimentos bancários são as representações de circulação de valores monetários, vinculados a uma origem, que pode ser pessoa física ou jurídica, utilizando uma organização bancária que intermedeia os relacionamentos necessários para as movimentações de valores da origem até o destino.

Exemplo: Pagamento de um serviço a um fornecedor por meio do pagamento de boleto bancário.

Títulos de Impostos: Os títulos financeiros de impostos são documentos que representam o valor empenhado em alguma obrigação com alguma entidade governamental. Geralmente são gerados a partir de outros processos financeiros passíveis de retenção de impostos.

Exemplo: O pagamento de uma conta energia elétrica é passível do recolhimento do imposto do ISS – Imposto sobre o Serviço Prestado.

E além das entidades, temos alguns processos de apoio que completam o ciclo de processos do ambiente do Contas a Receber, que são:

Liberação de Pagamentos: o processo de apoio de liberação de pagamentos é para bloqueio de documento a pagar, que necessita a avaliação do tipo de pagamento e os recursos disponíveis antes que seja feito o registro do movimento bancário a pagar. Ou seja, antes que seja movimentado valores no fluxo de caixa.

Comunicação Bancária: utilizada quando existir o processo de movimentações bancárias automatizadas com alguma organização bancária.

Exemplo: Utilizar o serviço do banco de processamento de movimentações bancárias via CNAB.

Controle de Cheques: é o processo de apoio para gerenciamento de cheques recebidos e emitidos pela organização, assim como o controle de origem e destinação de cada cheque.

Controle de Impostos: o processo de controle de impostos visa gerenciar os impostos na carteira de títulos a pagar sendo que a obrigação com as organizações governamentais nos processos comerciais passíveis de retenção de impostos é da organização. Assim, quando a organização efetua algum pagamento a fornecedores, e este processo é passível de retenção de imposto, serão gerados títulos de obrigações do tipo abatimento no sistema, destacando o valor de impostos que serão recolhidos pela organização.

(8)

6 Macro Processo do Tesouraria

Em Tesouraria temos os seguintes processos:

Inclusão: é o processo de entrada de documentos financeiros que representam valores a serem recebidos pela organização.

Normalmente são notas fiscais faturadas que representam crédito para clientes na venda de um produto ou serviço.

Manutenção: é o processo que auxilia a manter a carteira de documentos a receber de acordo com a realidade, caso seja necessário corrigir algum documento financeiro a receber ou excluir do sistema alguma cobrança indevida, a manutenção auxilia o administrador nesse gerenciamento, quando necessário.

Baixas: é o processo de baixa de documentos a receber, ou seja, é o registro da movimentação em uma organização. Quando um cliente efetua o pagamento de uma cobrança e esta ação movimenta valores para uma conta bancária ou para o caixa da empresa, este processo movimenta o fluxo de caixa da organização, dessa forma, registra-se uma baixa a receber representando este processo.

Compensação: a compensação a receber é o processo de confronto de créditos que um cliente possui com débitos existentes deste mesmo cliente. Vamos imaginar que a organização é uma empresa de produtos de insumos de escritório, e um cliente solicitou papel sulfite para a sua empresa, quando a mercadoria foi entregue, percebeu-se que o cliente realmente necessitava de um papel sulfite tamanho A4, que não era o que foi entregue a ele. O cliente efetuará a devolução deste produto, gerando um crédito na organização que vendeu a mercadoria. Quando este cliente efetuar uma nova compra, esta cobrança poderá ter valores abatidos do total com o crédito criado anteriormente com a devolução de mercadorias ocorridas.

Nestes processos mais importantes, existem algumas entidades no sistema, com informações que apoiam esses processos básicos. Essas entidades são:

Cliente: o cadastro do cliente é a entidade que determina os processos de recebimento de uma organização. É a partir de sua solicitação são gerados os documentos a receber que representam valores a serem recebidos pela organização, apoiando os processos que ocorrem quando algum produto ou serviço é solicitado. Se não houvesse um cadastro de cliente, não seria possível saber para quem deveríamos cobrar uma dívida e até mesmo onde deveríamos entregar um produto ou prestar um serviço solicitado. Assim, o cadastro de clientes é uma das ferramentas mais importantes que uma organização pode ter para aumentar a sua produtividade e lucratividade.

Bancos: o cadastro de bancos é uma das entidades mais importantes do sistema. É a partir dele que conseguimos efetuar as movimentações de entrada e saída de valores pela organização. Se não fosse por essas informações, não seria possível enviar aos clientes as cobranças com os dados bancários.

Moedas: este cadastro é utilizado para informar taxas de variação cambial quando uma organização trabalha com mais de uma moeda. Podemos ter uma organização que trabalha com processos em que o valor monetário é real, mas há transações que são efetuadas e o valor monetário é em dólar, sendo assim, é necessário converter os valores de reais para o dólar e vice-versa para que o processo reflita o real valor movimentado.

Cheques: a emissão de um cheque é uma ordem de pagamento à vista expedida contra um banco sobre fundos depositados na conta do emitente para pagamento ao beneficiário do cheque. Ou seja, é a ordem de pagamento que será expedida contra o saldo bancário do titular do cheque.

Naturezas: a natureza financeira é a forma de classificar e agrupar as movimentações financeiras no sistema. São apenas valores sendo recebidos e pagos, porém, não se sabe a razão ou origem dessas movimentações, nesse sentido é que a natureza financeira atua dizendo o motivo e a origem de um movimento.

Exemplo: O pagamento de uma despesa de energia elétrica terá o movimento no fluxo de caixa classificado como Consumo de Energia Elétrica.

Títulos Financeiros: os títulos financeiros são documentos que representam o valor empenhado em algum pagamento ou um valor de crédito. Exemplo: O provisionamento do pagamento de um serviço de segurança por um fornecedor e um crédito para um cliente pela aquisição de produtos produzidos pela organização.

Movimentos Bancários: os movimentos bancários são as representações de circulação de valores monetários, vinculados a uma origem, que pode ser pessoa física ou jurídica, utilizando uma organização bancária que intermedeia os relacionamentos necessários para as movimentações de valores da origem até o destino.

Exemplo: Pagamento de um serviço a um fornecedor por meio do pagamento de boleto bancário.

Títulos de Impostos: os movimentos bancários são as representações de circulação de valores monetários, vinculados a uma origem, que pode ser pessoa física ou jurídica, utilizando uma organização bancária que intermedeia os relacionamentos necessários para as movimentações de valores da origem até o destino.

Exemplo: Pagamento de um serviço a um fornecedor por meio do pagamento de boleto bancário.

E além das entidades, temos alguns processos de apoio que completam o ciclo de processos do ambiente do Contas a Receber, que são:

Transferências: As transferências podem ser utilizadas para manipular documentos financeiros entre carteiras.

Exemplo: Existe a carteira Normal do Contas a Receber que possui um título a receber de um cliente. Neste processo, a este cliente, foi concedido um desconto, assim na rotina de transferência, podemos transferir um título da carteira a receber Normal para a carteira a receber Descontada.

(9)

Comunicação Bancária: utilizada quando existir o processo de movimentações bancárias automatizadas com alguma organização bancária. Exemplo: Utilizar o serviço do banco de processamento de movimentações bancárias via CNAB.

Controle de Cheques: é o processo de apoio para gerenciamento de cheques recebidos pela organização, assim como o controle de origem e destinação de cada cheque.

Controle de Impostos: o processo de controle de impostos visa gerenciar o crédito de impostos na carteira de títulos a receber, sendo que a obrigação com as organizações governamentais nos processos comerciais passíveis de retenção de impostos é dos clientes.

Quando o cliente efetua algum pagamento para organização, e este processo é passível de retenção de imposto serão gerados títulos de créditos do tipo abatimento no sistema, destacando o valor de impostos que será recolhido pelo cliente e deduzido do valor a ser pago pelo cliente.

7 Principais Cadastros

A seguir falaremos mais sobre os principais cadastros que apoiam grande parte dos processos do ambiente Financeiro e que são necessários para o funcionamento básico do sistema.

Moedas: cadastro de Moedas.

Natureza: cadastro de Natureza Financeira.

Condições de Pagamento: cadastro de Condições de Pagamento.

Bancos: cadastros de Bancos.

Tipos de Títulos: cadastro de Tipos de Títulos Financeiros.

Orçamentos: cadastro de Orçamentos Financeiros.

Tipos de Entrada e Saída: cadastro de Tipos de Entrada e Saída.

Lançamento Padrão: cadastro de Lançamento Padrão.

Para

(10)

8 Cadastro de Moedas

O cadastro de moedas tem o objetivo de registrar a taxa cambial em outras moedas que serão usadas para conversão de valores no sistema.

É muito utilizado nas organizações que trabalham com diversas cotações como Dólar, Peso, Libra etc., além de índices financeiros como o IGP, IGPM etc.

Geralmente, para registrar as taxas de outras moedas utilizadas pelo sistema, no primeiro acesso do dia é apresentada uma tela para informação das moedas. Porém, este processo pode ser cancelado e feito posteriormente por meio do cadastro de Moedas.

Para incluir uma nova taxa acesse:

Atualizações / Cadastros / Moedas Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas:

Data: data do dia da taxa cambial que está informando.

Taxa Moeda 2: taxa cambial da Moeda 2, no caso da localização Brasil, Dólar.

Taxa Moeda 3: taxa cambial da Moeda 3, no caso da localização Brasil, UFIR.

Taxa Moeda 4: taxa cambial da Moeda 4, no caso da localização Brasil, Euro.

Taxa Moeda 5: taxa cambial da Moeda 5, no caso da localização Brasil, IENE.

Clique em Confirmar.

Na localização Brasil, a Linha de Produto Microsiga Protheus já vem por padrão com cinco moedas configuradas:

1. Real / 2.Dólar / 3. UFIR / 4. Euro / 5. IENE

Trabalhando sempre nesta sequência é possível configurar e modificar essas moedas por outras.

9 Cadastro de Naturezas

O cadastro de Natureza tem o objetivo de classificar os movimentos do ambiente Financeiro, auxiliando as análises gerenciais no sistema.

Possibilita o controle das finanças da empresa, sem a colaboração direta ou dependência da contabilidade na geração automática de títulos. Por meio da natureza de operação financeira, o sistema faz a classificação dos títulos a pagar e a receber, e todos os seus processos, conforme a operação.

O cadastro de naturezas é importante também, na definição do cálculo da maioria dos impostos tratados pelo ambiente Financeiro.

Para incluir uma nova natureza acesse:

Atualizações / Cadastro / Naturezas Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas.

Clique em Confirmar.

Os principais campos do cadastro de Naturezas são:

Código: código da Natureza financeira. Pode conter letras e números, e recomenda-se criar as naturezas com códigos que sigam alguma estrutura.

Descrição: taxa Cambial da Moeda 2, no caso da localização Brasil, Dólar.

Conta Contábil: taxa Cambial da Moeda 3, no caso da localização Brasil, UFIR.

Condição da Natureza: taxa Cambial da Moeda 4, no caso da localização Brasil, Euro.

As naturezas devem ser agrupadas em a pagar e a receber, ou despesa e receita, com o objetivo de facilitar a filtragem de dados em consultas e relatórios do sistema.

Para permitir o controle gerencial, as naturezas devem ser informadas nos processos que ocorram relação com ambiente Financeiro para viabilizar o acompanhamento dos saldos orçados e realizados.

Importante!

O Parâmetro MV_MASCNAT define a máscara para digitação do código da natureza.

(11)

10 Cadastro de Naturezas – Principais Campos

Os principais campos de impostos do cadastro de Naturezas são:

Clique sobre cada um deles para acessar suas caracteristicas.

Calcula IRRF: informa se haverá cálculo do Imposto de Renda.

Porcentagem do IRRF: porcentagem usada como alíquota para cálculo do imposto de renda. Utilizada para cálculo de imposto de renda para pessoa jurídica.

Base IRRF: informa o percentual da base de cálculo do imposto de renda. Quando o valor é menor e diferente de 0 (zero), este percentual é utilizado. É muito comum haver incentivos fiscais por parte das entidades governamentais e permitir que o cálculo do imposto seja feito em uma base de cálculo menor, consequentemente reduzindo o valor de imposto pago.

Calcula ISS: informa se haverá cálculo do imposto sobre o serviço prestado.

Calcula INSS: informa se haverá cálculo do imposto do Instituto Nacional do Seguro Social.

Porcentagem do INSS: porcentagem usada como alíquota para cálculo do imposto do INSS.

Base INSS: informa qual percentual da base de cálculo será utilizado para cálculo do imposto do INSS. Quando o valor é menor e diferente de 0 (zero), este percentual é utilizado. É muito comum haver incentivos fiscais por parte das entidades governamentais e permitir que o cálculo do imposto seja feito em uma base de cálculo menor, consequentemente reduzindo o valor de imposto pago.

Calcula CSLL: informa se haverá cálculo do impostos de Contribuição Social sobre o lucro líquido.

Porcentagem do CSLL: Porcentagem usada como alíquota para cálculo do imposto de CSLL.

Base CSLL: informa o percentual da base de cálculo do imposto de CSLL. Quando o valor é menor e diferente de 0 (zero), este percentual é utilizado. É muito comum haver incentivos fiscais por parte das entidades governamentais e permitir que o cálculo do imposto seja feito em uma base de cálculo menor, consequentemente reduzindo o valor de imposto pago.

Calcula COFINS: informa se haverá cálculo do Imposto de Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social.

Porcentagem do COFINS: Porcentagem usada como alíquota para cálculo do imposto de COFINS.

Base COFINS: informa qual percentual da base de cálculo será utilizado para cálculo do imposto de COFINS. Quando o valor é menor e diferente de 0 (zero), este percentual é utilizado. É muito comum ter incentivos fiscais por parte das entidades governamentais e permitir que o cálculo do imposto seja feito em uma base de cálculo menor, consequentemente reduzindo o valor de imposto pago.

Calcula PIS: informa se haverá cálculo do Imposto do Programa de Integração Social.

Porcentagem do PIS: Porcentagem usada como alíquota para cálculo do imposto do PIS.

Base PIS: informa o percentual da base de cálculo do imposto de PIS. Quando o valor é menor e diferente de 0 (zero), este percentual é utilizado. É muito comum ter incentivos fiscais por parte das entidades governamentais e permitir que o cálculo do imposto seja feito em uma base de cálculo menor, consequentemente reduzindo o valor de imposto pago.

Importante!

Alíquota do ISS é definida pelo parâmetro MV_ALIQISS.

(12)

11 Cadastro de Condição de Pagamento

A Condição de Pagamento tem por objetivo armazenar os tipos de condições de pagamento e suas características específicas que serão relacionadas aos processos financeiros.

Um dos principais pontos no processo e negociação de uma determinada venda ou pagamento é a condição de pagamento. Nela é informado quando e como o pagamento dos títulos de uma venda será realizado, especificando as datas de vencimento, número e valores das parcelas.

Para incluir uma nova condição de pagamento acesse:

Atualizações / Cadastros / Cond. Pagamento Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas.

Clique em Confirmar.

Os principais campos do cadastro de Condições de Pagamento são:

Código: é a identificação da condição de pagamento.

Tipo: define qual formato terá a condição de pagamento, mas geralmente se utiliza o tipo padrão 1.

Cond. Pagto: informa a regra da condição de pagamento. Neste campo define-se a quantidade de parcelas e como os vencimentos serão calculados.

Descrição: é a descrição da condição de pagamento.

Neste exemplo, temos uma condição de pagamento de 3 parcelas, que terá seu vencimento a cada 10 dias.

Cada quantidade de dias informada na condição de pagamento corresponde à data de vencimento de cada parcela, separados por vírgulas, sendo possível colocar a quantidade necessária de parcelas no limite que o campo comporta.

Por exemplo:

Um documento financeiro emitido no dia 1º de Outubro de 2012, que foi parcelado em três vezes com vencimento a cada 10 dias a partir da data de emissão do documento financeiro.

Temos:

1ª parcela para o dia 10 de Outubro de 2012.

2ª parcela para o dia 20 de Outubro de 2012.

3ª parcela para o dia 30 de Outubro de 2012.

(13)

12 Cadastro de Bancos

O cadastro de Bancos tem o objetivo de registrar todas as contas bancárias de propriedade da organização que serão usadas nas transações financeiras do sistema. Ou seja, esse cadastro permite a inclusão de bancos, caixas e agentes cobradores com os quais uma empresa trabalha.

As contas correntes devem ser cadastradas individualmente, mesmo que pertençam ao mesmo banco.

O cadastro de Bancos está presente em todas as transações financeiras da Linha de Produto Microsiga Protheus, e é de extrema importância para controle do fluxo de caixa, emissão de borderôs, baixas manuais e automáticas dos títulos.

Para incluir uma nova conta bancária acesse:

Atualizações / Cadastros / Bancos

Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas.

Clique em Confirmar.

Apresentaremos no próximo slide os principais campos para preenchimento.

Os principais campos do Cadastro de Bancos são:

Código:

Dica: Recomenda-se que utilize identificação do código do banco da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), que são os códigos utilizados na conciliação de informações com os bancos via CNAB.

Acesse: http://www.febraban.org.br

Número da Agência: é o número de identificação da agência bancária.

Dígito Verificador da Agência: é o código verificador da agência bancária, utilizado para validar a informação nas transações bancárias.

Número da Conta Bancária: é o número de identificação da conta bancária.

Dígito Verificador da Conta Bancária: é o código verificador da conta bancária, utilizado para validação da informação nas transações bancárias.

Nome do Banco: nome de identificação do banco da conta bancária.

Saldo Atual: é exibido o saldo bancário da conta. Esse campo é atualizado automaticamente pelo sistema e ficará somente para consulta no cadastro. É extremamente importante que todas as transações sejam feitas pelo sistema e controladas para que esta informação seja confiável.

Conta Contábil: é a conta contábil da contabilização dos movimentos efetuados com esta natureza de operação financeira.

Fluxo de Caixa: informa se a natureza financeira movimentará o fluxo de caixa do sistema.

Limite de Crédito: é a informação do limite de crédito que a empresa possui nesta conta com o banco.

Moeda: é a moeda dos valores que são movimentados nesta conta bancária. Permite a movimentação em outras moedas e não somente a moeda forte ou principal do sistema.

Bloqueada: efetua o bloqueio da utilização desta conta bancária, se necessário.

A

dastro de Bancos

(14)

13 Cadastro de Contratos Bancários

Este cadastro é usado para documentar os contratos bancários utilizados em cobrança simples, borderô de pagamentos e recebimentos, aplicações financeiras, empréstimos financeiros ou outros serviços.

Para incluir um novo contrato bancário acesse:

Atualizações / Cadastros / Contratos Bancários Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas.

Clique em Confirmar.

Apresentaremos no próximo slide os principais campos para preenchimento.

Os principais campos do cadastro de Contratos Bancários são:

Banco: é o número de identificação da agência bancária.

Agência: é o código verificador da agência bancária, utilizado para validação da informação nas transações bancárias.

Conta: é o número de identificação da agência bancária.

Número: é o número de identificação do contrato bancário.

Valor: É o valor contratado pelo contrato bancário.

Emissão: É a data de emissão do contrato bancário.

Vencimento: É a data de vencimento do contrato bancário.

Renovação: é a data de renovação do contrato bancário.

Descrição: é a descrição do serviço contratado ao banco.

Taxa de Acréscimo de Vendor: é a taxa de acréscimo de juros em caso de contratos bancários de empréstimos do tipo vendedor.

Valor da Cota/Título: é o valor da cota para resgate no caso de contrato bancário de aplicações financeiras por cotas.

Tipos de títulos mais comuns, usados no sistema:

NF: usado para identificar um título gerado por nota fiscal, seja de entrada ou de saída.

DUP: usado para identificar duplicata, seja de entrada ou de saída.

FT: usado para identificar um título de fatura.

IRF: usado para identificar um título a pagar de Imposto de Renda.

INS: usado para identificar um título a pagar de Imposto de INSS.

ISS: usado para identificar um título a pagar de Imposto de ISS.

PI: usado para identificar um título a pagar de Imposto de PIS.

COF: usado para identificar um título a pagar de Imposto de COFINS.

CSL: usado para identificar um título a pagar de Imposto de CSLL.

Tipos de títulos de abatimento mais comuns, usados no sistema:

IR-: usado para identificar um título de abatimento de Imposto de Renda.

IN-: usado para identificar um título de abatimento de Imposto de INSS.

IS-: usado para identificar um título de abatimento de Imposto de ISS.

PI-: usado para identificar um título de abatimento de Imposto de PIS.

CF-: usado para identificar um título de abatimento de Imposto de COFINS.

CS-: usado para identificar um título de abatimento de Imposto de CSLL.

(15)

Tipos de títulos especiais mais comuns, usados no sistema:

PR : usado para identificar um título provisório, previsões de títulos que podem ser efetivados posteriormente.

PA : usado para identificar um título de pagamento antecipado de alguma despesa e/ou título a pagar.

RA : usado para identificar um título de recebimento antecipado de alguma receita e/ou título a receber.

NCC: usado para identificar um título de crédito para clientes.

NDF: usado para identificar um título de crédito para fornecedores.

Os principais campos do cadastro de Tipos de Títulos são:

Tipo Original de Títulos: é o tipo original do sistema (utilizado para fazer tratamentos específicos de acordo com a operação).

Carteira: qual carteira que esse tipo de título será utilizado entre Receber, Pagar ou Ambas.

Tipo: código do tipo do título que será cadastrado.

Descrição: descrição do tipo de título que será cadastrado.

Sinal: define se este título irá somar ou se trata de um redutor da conta corrente do cliente ou fornecedor.

Atualiza Saldo de Duplicatas: indica se o tipo de título atualiza saldo de duplicatas primário ou secundário ou se não atualiza.

Abatimento: determina se o tipo do título refere-se a um abatimento a ser concedido ou obtido.

Recomenda-se que não utilize o cadastro de Tipos de Títulos, já que em muitos processos, são utilizados os tipos padrão do ambiente Financeiro.

Se for realmente necessário, aconselha-se o cadastro de Tipos de Títulos do ambiente a fim de evitar possíveis problemas de comportamento no ambiente.

14 Cadastro de Orçamentos

O Cadastro de Orçamentos tem o objetivo de registrar o planejamento mensal de valores empenhados, destinados a uma determinada operação.

O orçamento é feito por natureza de operação financeira e por moeda do sistema, sendo possível controlar neste nível de detalhe, o planejamento financeiro das operações, que serão realizadas ao longo de um período em uma organização.

Orçar significa fazer a previsão de um determinado evento, em função das entradas e saídas de recursos financeiros.

O orçamento é utilizado para planejar financeiramente as atividades operacionais, quer sejam atividades rotineiras (como folha de pagamento, por exemplo) ou esporádicas (como projetos, participação em eventos).

Para incluir um orçamento acesse:

Atualizações / Cadastros / Orçamentos

Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas:

Ano: é o ano do orçamento em questão, período do planejamento que está sendo feito.

Natureza: é a natureza da operação e/ou evento que está sendo feito o orçamento.

Janeiro a Dezembro: são os meses do período que é possível efetuar orçamento.

Moeda: é a moeda do sistema que corresponde aos valores informados no orçamento.

Clique em Confirmar.

(16)

O orçamento pode ser detalhado por centro de custo, possibilitando assim o rateio do orçamento mensal por natureza de operação financeira e moeda.

Os principais campos do Rateio de Orçamento por Centro de Custo são:

Centro de Custo: informa o código do centro de custo que terá um valor distribuído no rateio.

Valor de Movimento: valor rateado a ser empenhado no centro de custo informado no rateio.

Percentual de Distribuição: percentual do valor rateado sobre o total do orçamento a ser empenhado no centro de custo informado no rateio.

Item Contábil: informa o código do item contábil que terá um valor distribuído no rateio.

Classe de Valor: informa o código da classe de valor que terá um valor distribuído no rateio.

Importante!

Para efetuar o rateio posicione o cursor no campo do mês orçado e clique em Rateio em Ações Relacionadas.

15 Cadastro do Tipo de Entrada e Saída

Esta rotina tem o objetivo de classificar os documentos fiscais de entrada e saída registrados no sistema por uma organização.

Possibilita a inclusão automática de títulos de Carteira a Pagar que são compras e entradas, e a Carteira a Receber que são vendas e saídas no ambiente Financeiro.

Para incluir um Tipo de Entrada e Saída acesse:

Atualizações / Cadastros / Tipos de Ent./Saída Acione a opção Incluir.

Preencha as informações solicitadas.

Clique em Confirmar.

Os principais campos do Cadastro de Tipo de Entrada e Saída são:

Pasta Administrativo/Finanças/Custos Código de Tipo de Entrada e Saída:

Tipo de TES: define se é uma TES de entrada ou de saída.

Gera Duplicata: é o campo que integra os processos da TES utilizada. A TES de entrada para Contas a Pagar e TES de saída para Contas a Receber.

Pasta Impostos

Texto Padrão: é a descrição do processo utilizado para o tipo de entrada ou saída.

16 Cadastro de Lançamento Padrão

O cadastro de Lançamento Padrão tem o objetivo de determinar como e quais lançamentos serão feitos para o ambiente da Contabilidade Gerencial.

Esse cadastro é o elo entre os diversos ambientes da Linha de Produto Microsiga Protheus e da Contabilidade Gerencial. Toda a integração contábil será feita a partir dos dados e regras aqui cadastrados.

As regras contábeis são fundamentais para a integração contábil, portanto, antes de iniciar o cadastramento é necessário definir como cada processo gerador de lançamentos contábeis deverá ser integrado.

Uma vez estabelecidas as regras de contabilização, os processos serão automaticamente contabilizados sem a necessidade de intervenção do usuário.

Para incluir um lançamento padrão acesse:

Atualizações / Cadastros / Lançamento Padrão

• Acione a opção Incluir.

• Preencha as informações solicitadas.

(17)

• Clique em Confirmar.

Os principais campos do cadastro do lançamento padrão são:

Pasta Cadastro

Código do Lançamento Padrão: informa o código do processo do sistema que deseja configurar o lançamento contábil. Esses códigos dos processos já são pré-definidos no sistema.

Sequencial: é a sequência do lançamento a ser feito no processo de contabilização. É possível efetuar vários lançamentos em apenas um lançamento padronizado, incrementando a sequência de lançamento.

Descrição: descrição do lançamento padronizado.

Tipo Lcto: informa o tipo de lançamento da sequência, entre lançamento simples a débito ou a crédito ou partida dobrada.

Tipo de Saldo: informa em qual tipo de saldo contábil será feito o lançamento. O padrão é o saldo do tipo Real, mas existem outros como orçado, empenhado etc.

Status: informa o status do lançamento padrão, se está ativo ou não. Se não estiver ativado, não é utilizado na contabilização dos processos que se referem ao lançamento padrão no sistema.

Pasta Entidades

Conta a Débito: informa a conta contábil ou o campo de conta contábil da tabela envolvida no processo que deve ser feito um lançamento do valor devedor na contabilidade.

Conta a Crédito: informa a conta contábil ou o campo de conta contábil da tabela envolvida no processo que deve ser feito um lançamento do valor credor na contabilidade.

Centro de Custo a Débito: informa o centro de custo ou o campo de centro de custo da tabela envolvida no processo em que deve ser feito um lançamento do valor devedor na contabilidade.

Centro de Custo a Crédito: informa a centro de custo ou o campo de centro de custo da tabela envolvida no processo em que deve ser feito um lançamento do valor credor na contabilidade.

Importante!

Os campos de definição das entidades contábeis da configuração de lançamento padrão aceitam comandos em ADVPL.

Os principais campos do cadastro do lançamento padrão são:

Pasta Valores

Lançamento Moedas: informa em quais moedas serão feitos os lançamentos contábeis deste processo configurado nos lançamentos padrão. Para cada posição do campo é uma moeda, são 5 dígitos informados como 1 para a moeda na posição.

Exemplo: o 4º dígito deste campo corresponde à moeda 4, que é o Euro, informado como 1, será feito um lançamento com o código da 4ª moeda. Se todos os dígitos forem informados como 1, o valor do lançamento na moeda 1, principal do sistema será convertido com a taxa cambial informado no cadastro de moedas e feito um lançamento para cada moeda na contabilidade.

Valor 1 a 5: é o valor que deve ser lançado na contabilidade para cada moeda do sistema.

Pasta Histórico

Histórico: é o texto que será informado no lançamento para identificar o movimento na contabilidade.

Importante!

Os campos de valor e histórico da configuração de lançamento padrão aceita comandos em ADVPL.

17 Conclusão

Assim, você terminou o treinamento Visão Geral do ambiente Financeiro.

Neste treinamento você conheceu um pouco mais sobre:

• Principais processos do ambiente Financeiro.

• Fluxo macro dos ambientes.

• Principais cadastros.

Imagem

temas relacionados :