• Nenhum resultado encontrado

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA AVALIAÇÃO DA MATRIZ PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NO TERRITÓRIO SUL SERGIPANO. RESUMO

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA AVALIAÇÃO DA MATRIZ PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NO TERRITÓRIO SUL SERGIPANO. RESUMO"

Copied!
12
0
0

Texto

(1)

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA AVALIAÇÃO DA MATRIZ PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NO TERRITÓRIO SUL

SERGIPANO.

Marilia Andrade Fontes (UFS/ marilia_fontes@yahoo.com.br), Edmar Ramos de Siqueira (EMBRAPA/ edmar@cpatc.embrapa.br), Francisco Sandro Rodrigues Holanda (UFS/ fholanda@infonet.com.br).

RESUMO

O Território Sul Sergipano compreende 15 municípios1 que possuem possui como principal atividade econômica a agropecuária, mais especificamente a agricultura familiar. Portanto, essa atividade, constitui a base para do desenvolvimento desse território. Existem várias formas de pensar e de promover desenvolvimento, porém, o desenvolvimento que pretende-se alcançar nesses municípios possui como alicerce a emancipação e o envolvimento popular em todas as etapas do processo de mudanças, que fundamentalmente perpassam por adoção de práticas sustentáveis de agricultura, ou seja, a construção de um estilo de produção familiar de base ecológica. O Objetivo do trabalho foi construir um conjunto de indicadores que permitam entender e avaliar a matriz produtiva da agricultura familiar no Território Sul Sergipano. Para tanto utilizou-se a matriz PEI/ER (Pressão-Estado-Impacto/Efeito-Resposta, criada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE,1993), e adaptada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA-CIAT, 1996). Assim selecionamos treze descritores e trinta e dois indicadores, que levaram em consideração a abrangência de aspectos físicos, econômicos, sociais e ambientais, para que dessa forma pudéssemos abranger com mais complexidade a leitura da realidade estudada, identificando as características essenciais e expressando-as em valores quantificáveis e/ou qualificáveis. A avaliação da atual matriz produtiva do território Sul Sergipano com o uso de indicadores dará elementos para a construção de um estilo de produção familiar de base ecológica, além de permitir o monitoramento do processo de construção e dos resultados.

Palavras Chave: Agroecologia, Agricultura Familiar, Impactos Ambientais Eixo Temático: Territórios Rurais e Agricultura Familiar.

RESUMEN

El territorio Sul Sergipano comprende 15 municipios que tiene como principal actividad económica en la agricultura, específicamente la explotación familiar. Por lo tanto, esta

1

Municípios que compõem o território Sul Sergipano: 1. Arauá; 2.Boquim; 3. Cristinápolis; 4. Estância; 5.Indiaroba; 6. Itabaianinha; 7. Itaporanga d’ Ajuda; 8. Lagarto; 9.Pedrinhas; 10. Riachão do Dantas; 11. Salgado; 12. Santa Luzia; 13. São Cristóvão; 14. Tomar do Geru e 15. Umbaúba.

(2)

actividad es la base para el desarrollo de este territorio. Hay diferentes maneras de pensar y de promover el desarrollo, sino que ha de desarrollo que pretende alcanzar estos municipios como base de la emancipación y la participación popular en todas las etapas de los cambios, que fundamentalmente permeado mediante la adopción de prácticas agrícolas sostenibles, en outras palabras, la construcción de un estilo de producción familiar bases ecológicas. El objetivo del estudio era construir un conjunto de indicadores para conocer y evaluar del sistema de producción de la agricultura familiar de Territorio Sul Sergipano. Para este uso de la matriz EIP / ER (Pressão-Estado-Impacto/Efeito-Resposta), creado por la Organización para la Cooperación y Desarrollo Económicos (OCDE, 1993) y adaptado por las Naciones Unidas para el Medio Ambiente (PNUMA-CIAT , 1996). Así que hemos seleccionados trece descriptores y treinta y dos indicadores, que se tuvieron en cuenta la gama de materiales, económicos, sociales y ambientales, de esa manera podríamos cubrir lectura más compleja de la realidad estudiada, la identificación de las características esenciales y expresándolos en valores cuantificables y / o calificación. La evaluación del sistema de producción actual del territorio Sul Sergipano con el uso de indicadores proporcionarán elementos para la construcción de un estilo de la producción familiar de base ecológica, y permite la supervisión de la construcción y los resultados.

Palavras Chave: Agroecologia, Agricultura Familiar, Impactos Ambientais

INTRODUÇÃO

O Território é formado por um conjunto de municípios2

2

Municípios que compõem o território Sul Sergipano: 1. Arauá; 2.Boquim; 3. Cristinápolis; 4. Estância; 5.Indiaroba; 6. Itabaianinha; 7. Itaporanga d’ Ajuda; 8. Lagarto; 9.Pedrinhas; 10. Riachão do Dantas; 11. Salgado; 12. Santa Luzia;

com a mesma característica econômica e ambiental, identidade e coesão social, cultural e geográfica e tem como

(3)

objetivo promover o desenvolvimento econômico e universalizar direitos básicos (MDA, 2009).

Os municípios que compõem o território Sul Sergipano possuem como principal atividade econômica a agropecuária, mais especificamente a agricultura familiar. Portanto, essa atividade, constitui a base para o desenvolvimento desse território.

Existem várias formas de pensar e de promover desenvolvimento, porém, o desenvolvimento que pretende-se alcançar nesses municípios possui como alicerce a emancipação e o envolvimento popular em todas as etapas do processo, desde a identificação dos problemas socioeconômicos e das potencialidades não mobilizadas, até a construção das soluções, que se materializa na estratégia de implantação das mudanças, dotada de um sistema de indicadores de processo e resultados (Siqueira, 2008).

Conforme estudos realizados pelo governo federal existem cerca de 1555 municípios com renda deprimida, ou seja, baixo potencial de desenvolvimento endógeno. No caso do Nordeste Brasileiro essa realidade é conseqüência da dilapidação dos recursos naturais, ou seja, da degradação do meio ambiente.

Portanto, o desenvolvimento do território rural Sul Sergipano perpassa pela recuperação da base de recursos naturais, matéria prima capaz de gerar renda e assim promover o desenvolvimento.

Deste modo, torna-se fundamental repensar a atual matriz produtiva, baseada no modelo agrícola agroexportador que substitui áreas de grande diversidade biológica por cultivares homogêneos, extremamente simples em diversidade (pastagem e monocultivos), que intensifica o uso de insumos químicos e é capaz de reorganizar todo o meio rural (Fontes, 2007).

Com perspectivas de um desenvolvimento sustentável é necessário a implantação de um estilo de agricultura, que consiga agregar aos cultivares a diversidade e a complexidade de sistemas florestais, para tanto, é necessário uma agricultura de base ecológica, que seja capaz de produzir alimentos e matéria prima, aliado a conservação dos recursos naturais e da biodiversidade.

Esse estilo de agricultura de base ecológica deve ser capaz de responder aos principais problemas socioeconômicos e ambientais causados pela atual matriz produtiva. Portanto, o uso de indicadores, auxiliará na construção dessa proposta de agricultura na

(4)

medida em que avalia a atual matriz produtiva, nos permitindo diagnosticar os entraves ao desenvolvimento rural e dessa forma buscarmos, coletivamente, as soluções.

A escolha de um indicador, ou um conjunto deles, tem por objetivo identificar as características essenciais de uma determinada realidade e expressá-las na forma de valores quantificáveis e/ou qualificáveis (Bergamasco ET al., 2010).

O Objetivo do trabalho foi construir um conjunto de indicadores que permitam entender e avaliar a matriz produtiva da agricultura familiar no Território Sul Sergipano.

PROCEDIMENTOS TÉCNICOS E METODOLOGICOS

A pesquisa foi realizada no território Sul Sergipano, que através do projeto intitulado: “Articulação para a geração e transferência de tecnologias, produtos e serviços, de base ecológica, para o desenvolvimento endógeno do Território Centro-Sul de Sergipe” liderado pela EMBRAPA tabuleiros costeiros, realizou um DRP – diagnóstico rápido participativo em dezessete comunidades pertencentes ao território. Neste diagnóstico foi levantado os principais problemas e as principais potencialidades do Território.

Após o DRP, em oficina de ajuste de soluções para as demandas do território, foram eleitas as cinco principais demandas para o desenvolvimento territorial e as propostas de resolução para atendimento às demandas identificadas:

1. Programa de restauração florestal para o Território.

2. Programa de recuperação de áreas degradadas para o Território.

3. Rede Social para construção de um estilo de produção familiar, de base ecológica, para o Território Rural.

4. Plano de assessoramento e Extensão Rural para o Território. 5. Plano de implantação da Economia Solidária para o Território.

Para o atendimento da terceira demanda, além das informações oriundas do DRP alia-se essa alia-seleção de indicadores que auxiliará na construção de um estilo de produção familiar de base ecológica, permitindo o monitoramento da implantação das mudanças e dos resultados.

(5)

A metodologia adotada para a seleção de indicadores foi criada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE,1993), Pressão/Estado/Resposta (PER) e adaptada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA-CIAT, 1996).

Este método possui vantagens devido a sua simplicidade e facilidade de aplicação em diferentes níveis, escalas e atividades humanas (Carvalho, et al., 2009)

A matriz PEI/ER consiste na seleção de descritores e indicadores organizados nas categorias Pressão-Estado-Impacto/Efeito-Resposta.

A categoria pressão nos diz a causa do problema, os motivos que levaram aquele determinado estudo. O Estado nos diz a situação do meio em função da ação antrópica, ou seja, a qualidade do agroecossitema estudado. A categoria impacto/efeito é produzida através dos resultados da pressão sobre o agroecossistema e por último a categoria resposta é identificada pelas ações que a sociedade gera como respostas ás pressões naquele sistema.

Inicialmente selecionamos descritores que segundo Camino e Muller (1996) são obtidos através de aspectos de um sistema significativo. Os descritores nada mais são do que características de um elemento que corresponde aos atributos de sustentabilidade do sistema.

Após a seleção dos descritores foram escolhidos os indicadores, usados como medidas do efeito do funcionamento do sistema sobre os descritores (Oliveira, 2000).

RESULTADOS E DISCUSSÕES

Para avaliação do agroecossistema do Território Sul Sergipano, foram selecionados 13 descritores resultando em 32 indicadores, que levaram em consideração a abrangência de aspectos físicos, econômicos, sociais e ambientais, para que dessa forma pudéssemos abranger com mais complexidade a leitura da realidade estudada.

(6)

O conjunto de indicadores deve conseguir expressar a realidade estudada, mas para isso é preciso escolher indicadores que segundo OLIVEIRA, 2000, apresentem as seguintes características:

 mensuráreis e de fácil medição;

 aplicáveis sobre uma gama de diferentes ecossistemas;  devem ser sensíveis às mudanças do sistema;

 devem cumprir uma série de requisitos funcionais de um sistema, sejam ambientais, ecológicos, distributivos, econômicos ou sociais e,

 devem permitir a análise das relações com outros indicadores.

Na tabela abaixo estão apresentados descritores, relacionando os indicadores correspondentes e agrupados nas categorias PEI/ER.

Tabela 1: Matriz de Descritores e Indicadores para avaliação e monitoramento do sistema produtivo da agricultura familiar no Território Sul Sergipano.

Categoria Descritores Indicadores

Pressão

Base de Recursos Naturais

Cobertura Vegetal (ha) APP (ha)

APP efetiva (ha) Renda Deprimida Renda do Produtor (R$) Desenvolvimento Rural IDH

Atividade Agrícola

Agricultores (no)

Áreas com Agricultura (ha/ano) Êxodo Rural (habitantes/ano) Índice GINNI

Categoria Descritores Indicadores

Estado

Produção dos Sistemas Agrícolas

Produtividade (ton/ha/ano) Custo da produção (R$/ano)

(7)

Continua...

(tipificar e no)

Espécies cultivadas para subsistência (tipificar e no)

Qualidade de Vida no campo

Satisfação do produtor (satisfeito/ insatisfeito) Políticas públicas na comunidade (Tipificar e no)

Acesso à Assessoria Técnica (node famílias assistidas)

Acesso à serviços de saúde (node famílias assistidas)

Acesso à moradia (no de famílias) Acesso à educação (node famílias) Acesso à eletricidade (node familias)

Acesso água para consumo humano (no de comunidades beneficiadas)

Acesso à saneamento básico e coleta de lixo (node familias)

Categoria Descritores Indicadores

Impacto/Efeito Uso do Solo

Solo Exposto (ha) Agricultura (ha/ano)

(8)

Continuação...

Selecionamos para discussão os principais indicadores que permitirão a analise da matriz produtiva do Território Sul Sergipano.

Indicadores de pressão 1- Cobertura Vegetal (ha)

O desmatamento desenfreado, que tem ocorrido sistematicamente em todos os biomas existentes no Brasil, reduziu em níveis críticos a cobertura florestal, causando problemas econômicos, ecológicos e sociais pela ausência de proteção proporcionada pela floresta e pela rápida degradação dos recursos naturais, criando dificuldades para a geração de renda das populações.

2- Área de Preservação Permanente efetiva (ha)

As áreas de Preservação Permanente possuem uma função ambiental de proteção aos recursos naturais. Possuem a função de proteção aos corpos d’água e regulação de sua vazão e recarga.

Assim é importante mensurar a quantidade desse recurso natural que ainda existe no Território Sul Sergipano, esse valor deve ser comparado ao dado fornecido pelo indicador APP (ha) permitindo a comparação entre a quantidade efetiva e a que deveria existir. Dessa forma, teremos mais um elemento para analisar a sustentabilidade da atual matriz produtiva.

3 –Renda do Produtor

Mata Nativa (ha) Pastagens (há)

Renda do Produtor

Renda do produtor (R$/ano)

Produtos Comercializados (ton/ano)

Resposta

Matriz de base ecológica (Sistemas Agroflorestais Sucessionais)

Experiências de produtores agroecológicos (no)

Pesquisas Trabalho publicados pela EMBRAPA,

Universidades e ONG’s (no) Políticas Públicas Políticas públicas (no) ATER/ATES Trabalhos realizados (no)

(9)

Nível de renda dos produtores rurais do território Sul Sergipano. 4 – IDH

Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios que compõem o território Sul Sergipano.

5 –Área com agricultura (ha/ano).

Quantificar a área utilizada para a prática agricola do território e suas variações ao longo dos anos.

6 –Índice GINNI

O desenvolvimento de uma região depende diretamente de como é a concentração de renda e de terras. Portanto o índice GINNI permite mensurar a concentração fundiária do Território sul Sergipano, isso nos permite avaliar a matriz produtiva, o potencial de desenvolvimento e o acesso aos recursos naturais nessa região.

Indicadores de Estado

1 – Produtividade (ton/ha/ano).

A variação da produtividade ao longo dos anos mostra um retrato do sistema agrícola vigente.

2 - Custo da Produção (R$/ano)

Os incrementos relacionados ao aumento de produtividade como o uso de insumos externos, tem produzido efeitos sobre o custo da produção. Muitas vezes inviabilizando a agricultura do pequeno produtor. Analisar a variação desses custos ao longo do ano, associado aos indicadores produção (ton/ha/ano) e com área utilizada para agricultura (ha/ano), nos permitirá inferir sobre a viabilidade econômica e social do sistema agrícola do território Sul Sergipano.

3 – Espécies Cultivadas para fins comerciais (tipificar e no).

Os sistemas agrícolas baseados no modelo agroexportador substituem áreas de grande diversidade biológica por cultivares homogêneos, extremamente simples em diversidade (pastagem e monocultivos). É importante para avaliação da sustentabilidade de um agroecossitema sabermos o que se planta (tipificar) e número de cultivares utilizados.

(10)

Indicadores de Impacto/Efeito. 1- Solo Exposto (ha/ano)

Os atributos relacionados ao solo são importantes parâmetros para avaliação de um sistema agrícola, um agroecossitema, dependendo de sua biodiversidade e complexidade pode melhorar as condições de um solo ou pode exaurir todo esse recurso e iniciar um grave processo de degradação ambiental. Quantificar as áreas ou manchas do território que possuem graves problemas de solo (erosão, desertificação) é estudar os impactos e efeitos que as pressões desse agroecossitema estão fazendo no meio.

2 – Áreas de Pastagens (ha/ano)

As pastagens são agroecossistemas simplificados, na região estudada, em sua maioria, se encontram degradadas o que causam grandes impactos ambientais e econômicos. Indicadores de Resposta

1 – Experiencia de Produtores Agroecológicos (no).

As respostas que a sociedade gera para as pressões exercidas no agroecossitemas tem sido cada vez maiores. Existem hoje no Brasil muitas experiências de sucesso no que diz respeito a mudança de matriz produtiva, ou, adoção de um estilo de produção de base ecológica. Os Sistemas Agroflorestais Sucessionais são bons exemplos desse estilo produtivo e podemos quantificar as experiências existententes no território.

2 – Trabalhos realizados por ATER/ATES (no).

A assistência técnica e extensão rural é importante ferramenta para difusão de tecnologia. Hoje em dia é possível perceber um orientação agroecológica de algumas empresas/ONG’s que prestam esse serviço.

Quantificar essas experiências dentro do território Sul Sergipano é importante para o êxito do trabalho.

CONCLUSÕES

1 – A escolha de indicadores para analise de uma realidade é um processo reducionista, por mais complexa e sofisticada que seja a matriz de indicadores não será capaz de expressar a realidade exatamente como ela é. Portanto é necessário ter como pano de fundo a teoria do pensamento sistêmico e conceber um sistema de indicadores que abrangem os aspectos sociais, econômicos, cultural, ambiental e política.

(11)

2 – Essa seleção de indicadores é um trabalho em construção. Os indicadores precisam ser validados e ponderados por intermédios de metodologias participativas em um fórum do colegiado do Território Sul Sergipano. Assim, após a aprovação e contribuição daqueles que estão diretamente envolvidos no processo de construção do desenvolvimento rural do território teremos uma matriz de indicadores sensível ao conjunto de variáveis que possui a agricultura familiar no território Sul Sergipano.

3 - Avaliar a atual matriz produtiva do território Sul Sergipano com o uso de indicadores dará contribuirá com elementos para a construção de um estilo de produção familiar de base ecológica, além de permitir o monitoramento dessa prática

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CAMINO. R.; MÜLLER, S. Esquema. para. La definición. de. indicadores. Agroecología. y. Desarrollo, n.10, p.62-67, 1996.

CARVALHO, C.E. et AL, Indicadores de sustentabilidade fortalecendo a constituição de agroecossistemas sustentáveis em assentamentos rurais do semi-árido Sergipano. Fapese, p.79-86, 2009.

CONWAY, G.R. The properties of agroecosystems. Agricultural Systems. Great Britain, n.24, p.95-117, 1987.

FONTES, M.A. Questão agrária e a construção do conhecimento no Brasil, UFV, p. 41, 2007

MARTEN, G.G. Productivity, Stability, Sustainability, Equitability and Autonomy as Properties for Agroecossystem Assessment. Agricultural Systems. Great Britain, n.26, p.291-316, 1988.

MDA. Implantação de Metodologia de Aplicabilidade e avaliação de eficácia da política nacional de ATER – PNATER. Observatório de ATER do Estado de Sergipe, n.136.p, 2010.

OLIVEIRA, J. T. Lógicas produtivas e impactos ambientais: estudo

comparativo de sistemas de produção. Campinas : FEAGRI, UNICAMP, 2000. Tese (Doutorado) – Faculdade de Engenharia Agrícola, Universidade Estadual de Campinas. 284p.

OLIVEIRA, M.E.C. A criação de indicadores para a avaliação da sustentabilidade em agroecossistemas apícolas em Sergipe. Fapese, n.79-86, 2007.

(12)

PNUMA-CIAT. Marco conceptual para el desarrollo y uso de indicadores ambientales y de sustentabilidad para toma de decisiones em Latinoamerica y el Caribe.

México. D.F. 4-16 de febrero 1996.

SILVA, M.B. Seleção de indicadores de sustentabilidade do pólo citrícola do Estado de Sergipe. Informações Economicas p.11. v.38, 2008.

SIQUEIRA, E.R. Articulação para a geração e transferência de tecnologias, produtos e serviços, de base ecológica, para o desenvolvimento endógeno do Território Centro-Sul de Sergipe. EMBRAPA Tabuleiros Costeiros. n.18, 2008.

Referências

Documentos relacionados

ed è una delle cause della permanente ostilità contro il potere da parte dell’opinione pubblica. 2) Oggi non basta più il semplice decentramento amministrativo.

Para uma boa gestão de stocks na farmácia deve ter-se em consideração certas variáveis, tais como: a localização, o espaço disponível para o armazenamento dos

Esta acção era de extrema necessidade uma vez que se os stocks no BaaN estivessem errados, todos os procedimentos que tem como base esse stock seriam executadas de

Também surgiu a oportunidade de explorar as plataformas Sistema Nacional de Informação e Registo Animal (SNIRA) e Sistema de Informação do Plano de Aprovação e Controlo

To measure the horizontal and resultant lower limbs external kinetics at backstroke starting, researchers have used one force plate, while for ventral starts one and two force

da quem praticasse tais assaltos às igrejas e mosteiros ou outros bens da Igreja, 29 medida que foi igualmente ineficaz, como decorre das deliberações tomadas por D. João I, quan-

Discussion The present results show that, like other conditions that change brain excitability, early environmental heat exposure also enhanced CSD propagation in adult rats.. The