• Nenhum resultado encontrado

Consulta Pública Catalão 23 de março de 2017

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Consulta Pública Catalão 23 de março de 2017"

Copied!
40
0
0

Texto

(1)

Consulta Pública

Catalão 23 de março de 2017

Esta atividade faz parte do Licenciamento Ambiental Federal conduzido pelo IBAMA

(2)

Conteúdo

 Introdução

 Caracterização das Áreas de Abrangência

 Zoneamento e Código de Usos do Reservatório

 Gestão do Reservatório e Entorno

(3)

Localização da UHE Serra do Fação e Área de Influencia

Localização: Rio São Marcos,

entre os municípios de goianos de Catalão e Davinópolis

Capacidade Instalada: 210

MW, 2 x 105 MW, turbinas Voith-Siemes

Energia Assegurada: 182 MWBarragem: 87 metros de altura e

300 metros de extensão

Área do Reservatório : 227 km2  Início de Geração: Maio de 2010

(primeira turbina)

(4)

Municípios no entorno do Reservatório:

Goiás:

 Catalão, Campo Alegre de Goiás, Cristalina, Davinópolis e Ipameri.

Minas Gerais:

 Paracatu.

Bacia do Rio São Marcos

UHE-MUNDO NOVO UHE-PAULISTAS UHE-SERRA DO FACÃO UHE-PARAISO Catalão Ouvidor Davinópolis

Campo Alegre d e Goi ás

Cristalina Paracatú-MG Unaí-MG Rio S.Marcos Rio S.Marcos BR-040 BR-040 BR-050 Mun. Guarda-Mor Mun. Catalão Mun. Paracatu Mun. Paracatu Mun. Cristalina Mun. Unaí Mun.Ipamerí

Mun. Campo Alegre de Goiás

Mun. Catalão Mun.Davinópolis Mun.Ouvidor Estado de GOIÁS GOIÁS MINAS GERAIS

(5)

Visão Geral do Reservatório

(6)

Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno de Reservatório

Artificial (PACUERA): O Que é?

 De acordo com a definição da Resolução CONAMA 302/2002 é um documento que estabelece as diretrizes e proposições com o objetivo de disciplinar a

conservação, recuperação, o uso e ocupação do entorno do reservatório artificial;

O PACUERA da UHE Serra do Facão orienta o uso e ocupação do solo do seu

entorno, buscando potencializar o desenvolvimento econômico regional em diversos

setores (turismo, lazer, pesca, agricultura e pecuária), melhorando a qualidade de vida de seus moradores.

Como consequência, o PACUERA preconiza o estabelecimento de uma faixa de

Área de Preservação Permanente (APP) variável, com base em critérios de uso e

ocupação do entorno (socioeconômico) e ambiental (fragilidades ambientais: vegetação, uso e ocupação do solo, declividade, propensão à erosão, geomorfologia, fauna, entre outros).

(7)

Licenciamento Ambiental LI 190/2002 Cond. 2.30 set/2006 Legislação Aplicável CONAMA 302/2002, Lei 12.251/2012 Código Florestal Dados de Campo (Inspeções, Diagnósticos) Reuniões com Municípios, Comunidades, Proprietários

PACUERA

Serra do

Facão

1ª Versão: Maio/2009; 2ª Versão: Complementação 2015/2016

Vistorias e Análises Técnicas do IBAMA

Aspectos Legais do Pacuera

Processo de avaliação pública e aprovação

06 Oficinas Comunitárias 06 a 10 de março:  Catalão GO;

 Paracatu – MG;  Ipameri – GO;

 Campo Alegre – GO;

 Comunidade de Santo Antonio do Rio Verde;  Davinópolis – GO;

Consultas Públicas: • 23/03/2017 – Catalão

(8)

Diagnóstico: Zoneamento; Código de Usos;

Plano de Gestão Sociopatrimonial;Sugestão de Legislação e Código de

Usos para municípios;

(9)

Conteúdo

 Introdução

 Caracterização das Áreas de Abrangência

 Zoneamento e Código de Usos do Reservatório

 Gestão do Reservatório e Entorno

(10)

Área de Estudo do PACUERA do SEFAC

 Para a definição da área de abrangência do Pacuera o diagnóstico ambiental inclui o estudo do:

 Clima, Geologia, Sismologia, Geomorfologia, Pedologia, Recursos Hídricos;  Fauna e Flora;

 Histórico de ocupação, perfil demográfico, uso do solo, infraestrutura, economia, qualidade de vida, comunidades afetadas.

(11)

Conteúdo

 Introdução

 Caracterização das Áreas de Abrangência

 Zoneamento e Código de Usos do Reservatório

 Gestão do Reservatório e Entorno

(12)

 A proposta de zoneamento incluí a área de gestão da UHE Serra do Facão,

(Lago + APP de entorno) sendo complementada com uma área estudada no

entorno da APP cuja gestão territorial cabe aos municípios e/ou INCRA.

Zoneamento de Usos – Resultados

Mapa do zoneamento proposto pelo PACUERA:  04 Macrozonas

(13)

Integram a área de

propriedade do SEFAC, e

portanto as diretrizes do

Código de Usos do PACUERA

Zoneamento de Usos – Resultados

Identificação Nomenclatura das

Zonas Macro Zona Lacustre - Área do reservatório ZLL - Zona Lacustre de Lazer ZLD - Zona Lacustre de Deplecionamento ZLS - Zona Lacustre de Segurança

ZUC - Zona Lacustre de Uso Controlado Macro Zona de Preservação - Área de APP do SEFAC ZP APP - Zona de Preservação

(14)
(15)

ZLS – Zona Lacustre de

Segurança (Água) com ZP

APP (APP do SEFAC) e ZPO

Zona de Preservação

Sujeita a Ocupação;

Zoneamento de Usos – Exemplos

ZPO

Imagem da região da ZLS 1000 metros acima e abaixo do barramento

ZP-APP

(16)

Zoneamento de Usos – Resultados

Integram áreas do entorno

da APP de propriedade de

terceiros. O PACUERA

apresenta sugestões de

diretrizes para os Planos

Diretores Municipais

Macro Zona de Preservação - Área de Preservação do entorno da APP – Propriedade de Terceiros – Gestão do Plano Diretor Municipal ZP PUC - Zona de Preservação potencial para Unidades de Conservação ZPO - Zona de Preservação Sujeita a Ocupação Macro Zona de Ocupação – entorno da APP propriedade de terceiros e gestão do Plano Diretor Municipal

ZOO - Zona de Ocupação Orientada

ZO CS - Zona de Ocupação – Corredores de Serviços ZR 1 - Zona Rural – Alta Produtividade 1

ZR 2 - Zona Rural – Alta Produtividade 2

Identificação Nomenclatura das

Zonas Macro Zona Lacustre - Área do reservatório ZLL - Zona Lacustre de Lazer ZLD - Zona Lacustre de Deplecionamento ZLS - Zona Lacustre de Segurança

ZUC - Zona Lacustre de Uso Controlado Macro Zona de Preservação - Área de APP do SEFAC ZP APP - Zona de Preservação

(17)
(18)

ZOO

ZLL

ZLD

ZP-APP

ZLL – Zona Lacustre de Lazer (Água) com ZP APP (APP

do SEFAC) e ZOO - Zona de Ocupação Orientada;

Zoneamento de Usos – Exemplos

Imagem da região da ZLL , consorciada com ZOO Característica – Área 01 a. Acesso preexistente; b. Declividade menor que 25º c. ZLL consorciada com ZOO d. APP 30 metros

(19)

Macrozona Lacustre (ZLL, ZUC, ZLS e ZLD) - Uso está submetido e de acordo com a

Resolução CONAMA 357/2005 e as Normas da Autoridade Marítima Brasileira –

NORMAM, principalmente as listadas no quadro 8.3-1. Cabe destaque que o acesso para

zona lacustre, depende de autorização de passagem pela APP do SEFAC, sendo está

submetida ao código de usos para a Zona de Preservação – APP, que será detalhadas

abaixo:

NOTA: Especial atenção a ZLD e ZUC onde há restrições de uso, e necessidade de

adequações de projetos às características das variações do nível do reservatório em

consequência do deplecionamento.

Código de Usos – Diretrizes do PACUERA para Reservatório e APP do

reservatório.

(20)

 ZP – APP: Esta zona compreende a Área de Preservação Permanente do UHE Serra do

Facão, que de acordo com a legislação incidente, em especial a Resolução CONAMA nº. 302/2002 e o novo Código Florestal Brasileiro, compreende uma faixa variável com largura média de 100 metros e mínima de 30 metros, totalizando cerca de 12 mil hectares.  Com base nos registros feitos são considerados três tipos de acesso ao reservatório, com as respectivas larguras máximas atribuídas de acordo com o Código de Usos do PACUERA:

 Corredores de dessedentação animal com 5 metros de largura;

 Trilhas e estruturas para acesso de pedestres com 3 metros de largura;

 Locais para lançamento de embarcação com 6 metros de largura e 12 metros na área de manobra;

 O código de usos também determina critérios quanto a quantidade de acessos máximo por propriedade lindeira, bem como a distância mínima a ser observada na implantação dos mesmos conforme quadros abaixo, aplicando-se aos acessos para de propriedades rurais, loteamentos e condomínios.

 Usos possíveis:

 Usos consolidados: acessos e corredores de dessedentação animal, estradas públicas, pontes.

 Novos Usos: Baixo impacto ambiental, uso público decretado, interesse social

Código de Usos – Diretrizes do PACUERA para Reservatório e APP do

reservatório.

(21)

 Propriedades do entorno – Corredores e Acessos

Código de Usos – Diretrizes do PACUERA para Reservatório e APP do

reservatório.

(22)

 Propriedades do entorno – Loteamentos e Condomínios

Código de Usos – Diretrizes do PACUERA para Reservatório e APP do

reservatório.

(23)

Código de Usos – Sugestões do PACUERA para Planos Diretores

 Os Planos Diretores dos seis municípios afetados pelo reservatório da UHE Serra do Facão não apresentam nenhuma diretriz específica de ocupação para as áreas do entorno do lago, definem apenas como zona rural.

 Cabe destacar que os aspectos e restrições oriundas de legislações federais e estaduais para áreas rurais continuam vigentes nestas áreas, sendo, contudo acrescido de diretrizes complementares para respaldar o novo uso potencial para a região. Para definição do código de usos, foram consideradas além das Legislações Federais, Estaduais e Municipais o seguinte:

 Fração mínima de parcelamento definida pelo INCRA para zona rural nos seis municípios;

 Porcentagem de área construída para fins residenciais (excluem-se construções para a infraestrutura rural como galinheiros, paióis, currais, chiqueiros, entre outros);

 Taxa de impermeabilização: área revestida com material que não permite o escoamento de água ou gás;

 Gabarito máximo: altura da edificação em metros;  Tipo de ocupação uni ou multifamiliar.

(24)

ZONA DE OCUPAÇÃO

USO POSSÍVEL LOTEAMENTOS

USO OCUPAÇÃO mínimo m²Lote ImpermeabilizaçãoTaxa Máxima de Área Máxima Construída Gabarito max. (m)

ZO

ZO-CS Comércio Varejista e Serviços Locais Projeto Aprovado na Prefeitura 500 50% 90% 6 ZOO Permanência de atividades atuais, atividade turística em chácaras e condomínio Unifamiliar e Multifamiliar 30.000* 30% 10% 6

(25)

Na ZR1 serão permitidos os seguintes usos e

atividades, desde que não alterem as

características socioambientais da zona: I. Pequenas e médias propriedades; II. Sítios e chácaras de lazer;

III. Atividades agrícolas caracterizadas pelo plantio de culturas permanentes, temporárias,

silvicultura e pastagens, com manejo

adequado;

IV. Atividades pecuárias, com manejo

adequado;

V. Adubação com fertilizantes nitrogenados de origem orgânica ou mineral, com manejo adequado;

Na ZR2 serão permitidos os seguintes usos e atividades, desde que não alterem as

características socioambientais da zona: I. Médias e grandes propriedades; II. Sítios e chácaras de lazer;

III. Atividades agrícolas caracterizadas pelo plantio de culturas temporárias, com

padrões tecnológicos e manejo adequado; IV. Utilização de agricultura mecanizada e sistemas de irrigação por pivô central; V. Adubação com fertilizantes nitrogenados de origem orgânica ou mineral, com manejo adequado.

(26)

Conteúdo

 Introdução

 Caracterização das Áreas de Abrangência

 Zoneamento e Código de Usos do Reservatório

 Gestão do Reservatório e Entorno

(27)

Processos e Ferramentas para a Gestão do Pacuera

 Conforme previsto no PACUERA e no licenciamento ambiental, a partir da aprovação do Pacuera deverão ser implantados processos, instrumentos e ferramentas de gestão do Plano, tais como:

a. Gestão Sociopatrimonial das áreas de APP de propriedade do SEFAC;

b. Gestão Territorial do Reservatório da UHE Serra do Facão e de seu Entorno em conjunto com os municípios e comunidade;

Vistoria Rotineira - SEFAC

Detecção de irregularidade Elaboração de Registro Contato com o Responsável Providências Usos Consolidados Caracterização Cadastramento Adequações ao PACUERA Fechamento Regularização Fiscalização e Monitoramento

a1. Monitoramento Periódico de Uso e Ocupação do Entorno da APP e atuação nas constatações de usos

(28)

Orientações Gerais para Uso do Reservatório e da APP

a.2 Monitoramento Periódico de Uso e Ocupação do Entorno da APP, regularização dos usos consolidados e novos usos não previstos

(29)

Processos e Ferramentas para a Gestão do Pacuera

a.3 Adoção de um mecanismo legal para autorização dos acessos e usos da APP: termo que deve ser preenchido para formalizar a autorização de uso de porção da APP da UHE Serra do Fação.

Termo que deve ser assinado entre o proprietário lindeiro e a SEFAC – documento define as

(30)

Processos e Ferramentas para a Gestão do Pacuera

Orientação Básica para Atuação em caso de Emergência

a4. O Plano de Gestão Patrimonial prevê ações para atuação em situações

normais de operação e em caso de emergência (contingencia) envolvendo a

APP e Reservatório

(31)

Processos e Ferramentas para a Gestão do Pacuera

a5. Criação da Identidade Visual e Comunicação do Lago: Estão sendo implantadas ações

associadas à criação de uma identidade visual do lago e entorno, o qual compreende,

dentre elas:

Sinalização de áreas de risco na APP do reservatório; Sinalização náutica;

Produção de folders e cartilhas para orientação sobre o uso correto da APP e Lago

(32)

“planejamento é um processo contínuo que envolve a coleta,

organização e análise sistematizadas das informações por meio de

procedimentos e métodos, para chegar a decisões ou a escolhas

acerca das melhores alternativas para o aproveitamento dos

recursos disponíveis”.

“O planejamento ambiental pode ser entendido como um estudo, que tem como

objetivo a adequação do uso, controle e proteção ao ambiente, ao mesmo

tempo em que garante ao atendimento das aspirações sociais e

governamentais expressas ou não em uma política ambiental”

(33)

Gestão Sociopatrimonial

Uso

Sustentável

(34)

Gestão Sociopatrimonial

b2. Case da ADREL: Agência de Desenvolvimento da Região dos Lagos ( 08 municípios de

Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

www.adrel.org.br

 Planejamento estratégico regional;  Integração econômica;

 Desenvolvimento da oferta turística;

 Atração de recursos e investimentos para fomentar o complexo turístico e econômico no território abrangido pela hidrelétrica Barra Grande e demais reservatórios da Bacia do Rio Uruguai;

 Administração profissional e prefeitos como conselheiros;

(35)

Orientações Gerais

a) Nenhum uso do reservatório ou do entorno prejudicial ao meio ambiente ou ao empreendimento será permitido;

b) Todos os usos na APP de propriedade do SEFAC necessitam obter as devidas licenças, aprovações e autorizações, além da concessão do Direito de Passagem ou da Cessão Gratuita de Uso, fornecida pelo SEFAC;

c) Previamente a qualquer solicitação de uso, o PACUERA deverá ser consultado sobre os possíveis usos no zoneamento do lago e do entorno;

d) Os projetos técnicos devem atender aos requisitos previstos nas legislações aplicáveis e nas indicações do PACUERA;

e) As áreas do entorno da APP em relação ao uso do solo são disciplinadas pelos municípios (Plano Diretor); no caso de parcelamento município (áreas urbanas, expansão urbana) e INCRA (áreas rurais);

f) O PACUERA apresentou minuta proposta de legislação para o disciplinamento do zoneamento do entorno, cabendo porém aos municípios adotá-las de acordo com os tramites legais;

g) Aguardar manifestação do SEFAC e futuros encaminhamentos - Qualquer autorização de uso pretendido somente poderá ser efetivada após a formalização de uma autorização do SEFAC, denominada Termo de Ciência e Concordância (TCC) no qual estarão previstos os direitos e obrigações do usuário;

(36)

Orientações Gerais

h) Após a obtenção das respectivas licenças, aprovações e do Termo de Permissão assinado a área “requerida” da APP fica sob responsabilidade do permissionário que passará a responder integralmente pela área em todos os aspectos que lhe forem legalmente imputáveis;

i) O infrator de danos ao meio ambiente ou a terceiros é obrigado a indenizar ou repará-los, podendo responder a processos;

j) Ocupações mais densas, como loteamentos deverão ter a aprovação da Prefeitura Municipal e em áreas que admitam este tipo de ocupação;

l) No caso de corredores de dessedentação para acessos de animais estes deverão ser cercados conforme padrão pré-estabelecido;

m. O SEFAC fiscalizará o cumprimento das regras estabelecidas no instrumento estabelecido entre as partes e, se em qualquer momento, for detectado divergências em relação ao uso e às condições previstas, haverá o cancelamento do termo.

n. É vedada a intervenção na vegetação, salvo previsto em legislação específica;

o. A intervenção na vegetação eventual e de baixo impacto ambiental na área de APP não poderá exceder a 5% de sua área total (CONAMA 369/06);

p. Os usos de APP poderão ocupar até 10% da área da APP, atendendo ao disposto na CONAMA 302/02, devendo ocorrer essencialmente nas zonas e usos indicadas no PACUERA;

(37)

Perguntas e Respostas

 Como posso ter acesso ao PACUERA?

 Cópias do PACUERA estão disponíveis nas Prefeituras dos municípios, no site do SEFAC e na dúvida entre em contato com o SEFAC onde você também poderá solicitar uma cópia.

 Qualquer pessoa pode desenvolver atividades no lago e na APP?

 Sim, qualquer pessoa pode desenvolver atividades no lago, desde que estejam regulamentadas no PACUERA e sejam autorizadas por órgãos públicos responsáveis.

 E quais são os Órgãos Públicos responsáveis por autorizar?

 Depende da atividade, mas em geral Prefeituras, IBAMA, Capitania dos Portos, Ministério da Pesca e o SEFAC por ser o proprietário legal das áreas.

 Mas por que eu preciso pedir autorização para utilizar o lago e a APP?

 Todo uso de áreas em APP deve ser autorizado por um órgão ambiental responsável pelo licenciamento da atividade, dependendo do nível do impacto e da competência do órgão definida em Lei, também há a questão da regulamentação do uso das águas de responsabilidade da Capitania dos Portos ou Agência de Águas que precisa ser observada. Além de ter a questão patrimonial do SEFAC sobre a APP. Tudo isso objetiva sempre um uso sustentável da água e da APP.

(38)

Perguntas e Respostas

 O que preciso fazer para obter essa autorização?

 Primeiramente observar o zoneamento proposto no PACUERA para a área pretendida, depois definir o projeto (o que pretende fazer) e buscar orientações de qual o órgão responsável pela autorização, além de buscar autorização orientação do SEFAC antes de qualquer ação.

 Que tipos de atividades podem ser desenvolvidas no lago e no entorno?

 As atividades são diversas como turismo, acesso ao lago, trapiches, pesca, navegação, trilhas ecológicas, atividades econômicas, dessedentação de animais. O uso na APP deve observar o caráter de utilidade pública e baixo impacto ambiental e considerando sempre o zoneamento proposto para a região pretendida.

 Posso criar peixes no lago?

 Sim, a piscicultura é uma das atividades previstas, mas devem ser autorizadas pelos órgãos responsáveis e pelo SEFAC.

 E quais peixes podem ser criados?

(39)

Perguntas e Respostas

 Posso pescar em qualquer área do lago?

 Não. Nas áreas de segurança da usina (1.000 metros acima ou abaixo do barramento) não será permitida a pesca por motivos de segurança. Vale salientar que as orientações de pesca são àquelas válidas para qualquer outro rio da região, respeitando sempre os períodos de defeso (piracema).

 Onde ficam as áreas de uso do lago e APP?

 As áreas estão sinalizadas com placas indicativas e orientativas instaladas pelo SEFAC.

 O lago é seguro para nadar?

 O lago possui profundidades diferentes, e em muitos lugares de grande profundidade e com obstáculos submersos, além de grande dimensão. É importante ficar atento às sinalizações, se houver locais próprios estes serão indicados por sinalização.

 Posso utilizar a água do reservatório para irrigação?

 Cabe a agência reguladora de águas, responsável pelo curso hídrico do local da captação, avaliar o uso pretendido e o volume a ser retirado. O uso pode ser autorizado através da emissão de outorga ou mediante dispensa desta para usos insignificantes, ou mesmo recursar a concessão da outorga.

Caso o interessa receba a autorização de uso da água (outorga ou declaração de dispensa dela) pelo órgão responsável, poderá fazer uso da água do lago, mas antes de implantar a captação é necessário obter também a autorização do SEFAC para passagem da tubulação pela área de APP.

(40)

OBRIGADO!

“Nós devemos ser a mudança que queremos ver no mundo, o

caminho para a solução de grandes ou pequenos problemas

começa com cada um fazendo a sua parte.”

Ou, como resumiu Ghandi.

Referências

Documentos relacionados

A partir da junção da proposta teórica de Frank Esser (ESSER apud ZIPSER, 2002) e Christiane Nord (1991), passamos, então, a considerar o texto jornalístico como

volver competências indispensáveis ao exercício profissional da Medicina, nomeadamente, colheita da história clínica e exame físico detalhado, identificação dos

As análises serão aplicadas em chapas de aços de alta resistência (22MnB5) de 1 mm de espessura e não esperados são a realização de um mapeamento do processo

Apontamos nesta parte algumas diretrizes gerais que podem ser aplicadas a qualquer tipologia de mercado ao ar livre, não se constituindo, logo, em soluções, mas sim em indicações

Our contributions are: a set of guidelines that provide meaning to the different modelling elements of SysML used during the design of systems; the individual formal semantics for

Para isto, determinaremos a viabilidade de queratinócitos que expressem apenas uma oncoproteína viral após infecção com lentivírus que codifiquem shRNA para os genes candidatos;

O Programa de Educação do Estado do Rio de Janeiro, implementado em janeiro de 2011, trouxe mudanças relevantes para o contexto educacional do estado. No ranking do

O fortalecimento da escola pública requer a criação de uma cultura de participação para todos os seus segmentos, e a melhoria das condições efetivas para