• Nenhum resultado encontrado

SISTEMA CONSTRUTIVO EM LAJES LISAS: CULTURA DO PROJETO MOLDADO NO LOCAL

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "SISTEMA CONSTRUTIVO EM LAJES LISAS: CULTURA DO PROJETO MOLDADO NO LOCAL"

Copied!
12
0
0

Texto

(1)

SISTEMA CONSTRUTIVO EM LAJES LISAS:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM LAJES LISAS:

CULTURA DO PROJETO MOLDADO NO LOCAL

CULTURA DO PROJETO MOLDADO NO LOCAL

AUTORES:

AUTORES:

Jovair

Jovair

Avilla

Avilla

Junior

Junior

-

-

Mestre em Constru

Mestre em Constru

ç

ç

ão Civil

ão Civil

UFSCar

UFSCar

Jasson

Jasson

Rodrigues de Figueiredo Filho

Rodrigues de Figueiredo Filho

-

-

Professor Associado UFSCar

Professor Associado UFSCar

Roberto

Roberto

Chust

Chust

Carvalho

Carvalho

-

-

Professor Associado UFSCar

Professor Associado UFSCar

Marcella

Marcella

Caon

Caon

Avilla

Avilla

-

-

Graduando em Engenharia Civil FAER

Graduando em Engenharia Civil FAER

Larissa R. G.

(2)

1 – INTRODUÇÃO

Objetivo  obter respostas para o comportamento cultural predominante em projetar lajes lisas nervuradas moldadas no local, cultura se contrapõe à industrialização da construção Foi aplicado um questionário a diversos engenheiros do Brasil, no site da comunidade TQS.

2 – ANÁLISE CRÍTICA DAS RESPOSTAS OBTIDAS

2.1 - CARACTERÍSTICAS DO PÚBLICO ALVO:

60%, dos pesquisados pertence à região Sul e Sudeste.

82% dos profissionais atua há mais de 12 anos na profissão.

2.2 - VERIFICAÇÃO QUANTO À PRESENÇA DE LAJES TRELIÇADAS EM PROJETOS

ESTRUTURAIS:

Muito baixa: apenas 27,5% dos projetistas utilizam em seus projetos com freqüência maior ou igual a 80%.

2.3 - EMPREGO DE LAJES TRELIÇADAS EM RELAÇÃO AO NÚMERO DE PAVIMENTOS:

Brasil: 70% as empregam em até 5 pavimentos e 30% as empregam em projetos com 8 e acima de 10 pavimentos. Aplicação ainda restrita a edificações de pequeno porte.

(3)

Numero maior de pavimentos quando projetado com lajes moldadas no local 65% 20% 26% 50% 37% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% dificuldades no transporte vertical dificuldades na montagem dúvidas em relação à análise estrutural; dúvidas quanto ao comportamento das lajes nervuradas com vigotas treliçadas como diafragma rígido exigência do cliente FR EQ U ÊN C IA (% )

 2.4 - LAJES IN LOCO VERSUS LAJES TRELIÇADAS:

68% projetam edifícios com número maior de pavimentos quando utilizam lajes moldadas no local, apresentando os seguintes fatores indutores:

fck de projeto 15% 62,50% 22,50% fck = 20MPa fck = 25MPa fck = 30 e 35MPa  2.5 - VALORES DE PROJETO: fck

(4)

Vão Maximo considerado como competitivo para o sistema com lajes treliças

17,5% 50,0% 25,0% 7,5% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 60,0% 4m 6m 8m 10m

ferramentas mais utilizadas no pré-dimensionamento e/ou no dimensionamento das lajes treliçadas no Brasil

32,5% 32,5%

62,5%

Tabelas Software fornecido por

fabricantes Software para analise

estrutural (TQS, CYPECAD, ETC)

2.6 - VÃO MÁXIMO CONSIDERADO COMO COMPETITIVO PARA O SISTEMA CONSTRUTIVO

COM LAJES TRELIÇADAS

(5)

Principais fatores indutores para a não utilização das lajes pré-fabricadas treliçadas nos

projetos em lajes lisas:

Falta de divulgação e a carência de literatura técnica específica quanto ao projeto com

elementos pré-fabricados, os quais exigem detalhamentos específicos, implicando

ainda no conhecimento de todo o processo (transporte, escoramentos e montagem) por

parte do engenheiro projetista.

12,62% 3,88% 8,74% 7,77% 7,77% 13,59%

Desconhecem a utilização do sistema de lajes treliçadas em projetos com Lajes

Alegam falta informação e bibliografias disponíveis sobre o assunto Têm dúvidas em relação à análise

estrutural.

Têm dúvidas nos detalhes das ligações das vigotas treliçadas com capitéis, vigas de

Têm dúvidas quanto aos detalhes construtivos e de execução de obra Não conseguiram agregar valor ao projeto

estrutural com lajes treliçadas que

2.8 - QUANTO A UTILIZAÇÃO DE LAJES LISAS COM VIGOTAS TRELIÇADAS NOS PROJETOS

ESTRUTURAIS

60% dos projetistas estruturais, não utilizam o sistema de lajes lisas e/ou vigas planas com lajes treliçadas em seus projetos estruturais. Apresentam como justificativa :presentam como justificativa :

(6)

3 - CONHECIMENTO LAJES TRELIÇADAS

3.1 QUANTO A DISPONIBILIDADE DE INFORMAÇÕES

Tais dados mostram a deficiência na disseminação das

informações disponíveis para uso dos projetista

s

estruturais sobre lajes treliçadas no Brasil.

24% 32% 45% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50%

Excelente e Bom Razoável Ruim e Péssimo Fabricantes de lajes treliçadas

21% 34% 42% 3% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45%

Excelente e Bom Razoável Ruim e Péssimo Não Pesquisou

Usinas fabricantes de armações para lajes treliçadas

16% 39% 26% 18% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45%

Excelente e Bom Razoável Ruim e Péssimo Não Pesquisou

Pesquisas realizadas em nível nacional

14% 19% 3% 65% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70%

Excelente e Bom Razoável Ruim Não Pesquisou

(7)

10% 31% 28% 31% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35%

Excelente e Bom Razoável Ruim e Péssimo Não Pesquisou

3.2- QUALIDADE DA BIBLIOGRAFIA DISPONÍVEL

Bibliografia nacional referente à análise estrutural para sistemas com lajes treliçadas

18% 44% 38% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50%

Razoável Ruim e Péssimo Não Pesquisou

Bibliografia com detalhes de ligações das vigotas treliçadas com capitéis, vigas de borda

10% 31% 28% 31% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35%

Excelente e Bom Razoável Ruim e Péssimo Não Pesquisou

Bibliografia com detalhes construtivos e de execução de obra (transporte, fôrmas, escoramentos e montagem).

A qualidade das informações disponíveis sobre lajes treliçadas no Brasil são deficientes

.

O que instiga a criação de medidas que as qualifiquem de modo que assim também

sejam hábeis no sentido de contribuir com o incentivo à utilização de lajes treliçadas.

(8)

3.3 - ANÁLISE ECONÔMICA

 Questão com o maior índice de abstenção (50%), tendo como justificativa a execução somente dos projetos, não possuindo acesso ou desconhecem dados quanto a custos relativos a sistemas de lajes treliçadas.

 A divergência entre as respostas entre regiões pode ser atribuída às suas diferentes economias de mercado, à mão de obra não qualificada e o tipo de transporte vertical disponível na região e principalmente ao desconhecimento quanto à composição dos custos pelos respondentes.

3.4 – ELEMENTO DE ENCHIMENTO

BRASIL 5% 55% 85% 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90

Bl. EPS Laj Cerâmica Bl. Concreto

ENCHIMENTO F R E Q NC IA (% ) BRASIL 15% 70% 15% 0 10 20 30 40 50 60 70 80

Sim Não Desconheço

USO DE FÔRMAS PLÁSTICAS REMOVÍVEIS

FR E Q U Ê N C IA ( % )

3.5 – TRANSPORTE VERTICAL

BRASIL 5% 12,5% 47,5% 52,5% 0 10 20 30 40 50 60

Manual Elev de obra Guindaste Grua

TRANSPORTE VERTICAL F R E Q U Ê N C IA ( % )

(9)

78% 22% 2% 26% 19% 14% 4% 6% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% Fi s s ur as por to rç ão nas v igas de c o nt or no Fi s s ur as s o br e os apoi os Fi s s ur as tr ans v e rs ai s nas vig o ta s t re liça d a s Fi s s ur a lo ngi tudi n al ent re vig o ta e el em. e nc hi ment o S a liê n c ia d o el ement o de enc h im ent o par te in fe rio r Def o rm aç ões e x ce ssiva s Fl am bagem do banz o s u per ior da t rel iç a Ni nhos de c o nc re ta gem

3.6 - PATOLOGIAS

A análise a ser feita permite avaliar em porcentagem no Brasil quais as patologias que mais ocorrem com o sistema de lajes treliçadas.

• fissuras por torção nas vigas de contorno dos painéis das lajes, sobre os apoios, transversais nas vigotas treliçadas e as deformações excessivas  fase de elaboração do projeto estrutural das lajes

e/ou execução;

• As fissuras longitudinais entre a vigota e o elemento de enchimento, que aparecem após o revestimento, têm grande incidência nas lajes com elementos de enchimento em EPS  Origem na retração por secagem do material de revestimento.

• O aparecimento da saliência na parte inferior da laje  deve-se ao excesso de concreto sobre o elemento de enchimento durante a concretagem. O correto é a concretagem no sentido das vigotas.

• A flambagem do banzo superior da treliça  ocorrencia durante as operações de transporte,

montagem ou concretagem ( distancia entre filas de escora).

(10)

3.7 – ESTUDOS SOBRE LAJES TRELIÇADAS

88,89% 91,89% 92,11%

93,92%

Comportamento das lajes como diafragma rígido Determinação de procedimentos para diminuição do

tempo de execução

Detalhes de ligações das vigotas com elementos estruturais

Verificação de redução e mensuração de custos em relação aos sistemas in loco

Pontos do Sistema de lajes treliçadas que necessitam maiores esclarecimentos classificados de importante a importantissimo em %

3.8 – CARACTERÍSTICAS DAS EMPRESAS FABRICANTES DE LAJES PRÉ-FABRICADAS

Para se traçar o perfil dos fabricantes de lajes treliçadas do Brasil foram avaliadas duas características: atuação do engenheiro responsável e capacitação dos fabricantes quanto ao cálculo e orientação técnica.

(11)

A protensão

não aderente com cordoalhas com cabo engraxado, disponível no mercado nacional há

pouco mais de 10 anos com grande utilização pelo meio técnico. Foi disseminada corretamente

como um produto com valor tecnológico agregado com aplicação através de empresas de

engenharia, cuja mentalidade é

totalmente contrária a dos fabricantes de lajes treliçadas.

BRASIL 0 2,78% 0 2,78% 0 0 5,56% 8,33% 8,33% 25% 47,22% 0 10 20 30 40 50 60 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 FREQUÊNCIA DO ENGº (%) F RE Q NCI A ( % ) BRASIL 0 30% 37,5% 22,5% 10% 0 10 20 30 40 50 60

Excelente Bom Razoável Ruim Péssimo

CAPACITAÇÃO F R EQ U Ê N C IA ( % )

Análise no Brasil quanto à capacitação dos fabricantes de lajes treliçadas

Freqüência do Engenheiro das fabricas de lajes treliçadas visita as obras

Os fabricantes de lajes treliçadas no Brasil (e de suas regiões em específico) não fornecem o devido respaldo a seus clientes quanto à execução, em específico a concretagem das lajes treliçadas.

• Este fato é também detectado pela atuação do engenheiro responsável pela fábrica de lajes, onde 72,22% destes apresentam a freqüência entre “ZERO e 10% de comparecimento a obra”.

Quanto aos dados das avaliações ruim e

péssimo, é o reflexo da grande maioria das empresas de lajes treliçadas não atua de forma profissional junto ao mercado, fugindo à responsabilidade como empresa de engenharia. Um dos fatores responsável pela baixa aplicação do sistema que possui um potencial extraordinário.

• Compartilham essa responsabilidade empresas fabricantes de armações treliçadas que fomentam a disseminação do sistema em fabricas exigir ou qualificar técnicamente o fabricante, alimentando- os com tabelas e softwares na maioria das vezes manipulados por leigos.

(12)

3.9 –

CONCLUSÃO FINAL

A análise crítica das respostas permite-nos concluir que o sistema de lajes lisas

nervuradas pré-fabricadas com vigotas treliçadas

pode ser empregado com

grandes vantagens em comparação ao sistema convencional (lajes, vigas e pilares)

e ao sistema de lajes lisas nervuradas moldadas no local, a partir da concepção de

projetos voltados para a produção e obra seja provida de equipamentos para

movimentação como grua ou guindastes.

4 –

REFERÊNCIAS

Referências

Documentos relacionados

As Cargas Equivalentes nos NÕs, sao obtidas fixando-se os nos da estrutura contra todos os deslocamentos e a seguir, calculando-se as ações de engastamento

Como a carga positiva acumula-se na parte superior, a corrente resultante da fem induzida tem o sentido indicado na figura, o que também pode ser concluído aplicando-se a Lei de

em mais alto grau metamórfico = Grupo Varginha Quartzito, quartzo xisto e muscovita biotita xisto Xisto Cachoeira das Marias Biotita muscovita xisto grosso, anfibolito

Os critérios C2 e C3 foram unidos para criar uma definição mais genérica de custo em transporte “Custo geral do sistema de transporte” e, partir dele, desarticulam-se

Depois que a terra se arreou de novo De verdes bosques, animais e homens, Os que primeiro para aqui vieram, Filhos do único pai dos homens todos, Foram, como parece, esses Tapuyas,

Assim situado, é nesse contexto que surge a proposta do presente trabalho: ampliar o Portal da Transparência da UFJF, disponibilizando as informações de interesse público mais

O presente artigo analisa as representações dos feirantes do Mercado Municipal de Montes Claros – MG sobre o processo de sucessão e herança das barracas e da profissão de

Um elemento com as dimensões mostradas na figura deverá ser usado para resistir a um momento fletor interno M = 2 kN.m.. Além disso, trace um rascunho de uma visão tridimensional