Comparativo de Leis - Francisco Filomeno

13 

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

QUADRO COMPARATIVO QUADRO COMPARATIVO LEIS

LEIS 13.465/17 X 11.977/0913.465/17 X 11.977/09

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 - - Art.11 Art.11 Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 - - Art. Art. 4747 Objeto da Regularização:

Objeto da Regularização:

Núcleos Urbanos Informais: assentamentos Núcleos Urbanos Informais: assentamentos humanos com usos e características urbanas, humanos com usos e características urbanas, clandestino, irregular ou no qual não foi clandestino, irregular ou no qual não foi possível realizar, por qualquer modo, a possível realizar, por qualquer modo, a titulação de seus ocupantes.

titulação de seus ocupantes.

Assentamentos Irregulares: ocupações Assentamentos Irregulares: ocupações inseridas em parcelamentos informais ou inseridas em parcelamentos informais ou irregulares em áreas urbanas, com

irregulares em áreas urbanas, com predomínio de moradia.

predomínio de moradia.

Amplia-se o alcance da Reurb ao se considerar todos os núcleos informais com usos e Amplia-se o alcance da Reurb ao se considerar todos os núcleos informais com usos e características urbanas, ainda que situados em áreas rurais. A alteração deixa clara a características urbanas, ainda que situados em áreas rurais. A alteração deixa clara a aplicação da Lei aos

aplicação da Lei aos núcleos constituídos por parcelamentos do solo, de conjuntosnúcleos constituídos por parcelamentos do solo, de conjuntos habitacionais ou condomínios, horizontais, verticais ou mistos.

habitacionais ou condomínios, horizontais, verticais ou mistos.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – –Art. Art. 11 11 Lei Lei 11.977/200911.977/2009 – – Art. 47 Art. 47

Critérios de Consolidação: Critérios de Consolidação:

Núcleo urbano informal consolidado é aquele Núcleo urbano informal consolidado é aquele de difícil reversão, considerados o tempo da de difícil reversão, considerados o tempo da ocupação, a natureza das edificações, a ocupação, a natureza das edificações, a localização das vias de circulação e a localização das vias de circulação e a

presença de equipamentos públicos, entre presença de equipamentos públicos, entre outras circunstâncias a serem avaliadas pelo outras circunstâncias a serem avaliadas pelo Município.

Município.

Área urbana consolidada: parcela da área Área urbana consolidada: parcela da área urbana com densidade demográfica superior urbana com densidade demográfica superior a 50 (cinquenta) habitantes por hectare e a 50 (cinquenta) habitantes por hectare e malha viária implantada e que tenha, malha viária implantada e que tenha, nono mínimo, 2 equipamentos de infraestrutura mínimo, 2 equipamentos de infraestrutura urbana.

urbana. Os novos critérios reforçam a a

Os novos critérios reforçam a autonomia do Município, com uma abrangência territorialutonomia do Município, com uma abrangência territorial muito maior.

muito maior. O critério antigo,

O critério antigo, 50 habitantes por hectare, 50 habitantes por hectare, além de chocar-se com a Lei Fedealém de chocar-se com a Lei Federal 11.952/09ral 11.952/09 que definia os critérios de Regularização na Amazônia

que definia os critérios de Regularização na Amazônia Legal, Legal, deixava um número muitodeixava um número muito grande de núcleos urbanos informais fora

grande de núcleos urbanos informais fora da regularização, principalmente se levarmos emda regularização, principalmente se levarmos em conta que a densidade habitacional anteriorme

conta que a densidade habitacional anteriormente definida, nte definida, não era atingida, em função donão era atingida, em função do tamanho máximo dos lotes para interesse social, definido na Lei 11.952/09, que era de tamanho máximo dos lotes para interesse social, definido na Lei 11.952/09, que era de 1.000m²

1.000m² Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 - - Art. Art. 9º 9º Lei Lei 11.977/200911.977/2009 – – Art. 46 Art. 46

Conceito da Regularização: Conceito da Regularização:

Abrange Medidas jurídicas, urbanísticas, Abrange Medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais destinadas à

ambientais e sociais destinadas à

incorporação dos núcleos urbanos informais incorporação dos núcleos urbanos informais ao ordenamento territorial e à titulação de ao ordenamento territorial e à titulação de seus ocupantes.

seus ocupantes.

Conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, Conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que visam à

ambientais e sociais que visam à

regularização de assentamentos irregulares e regularização de assentamentos irregulares e à titulação de seus oc

à titulação de seus ocupantes,upantes, de modo ade modo a garantir o direito social à moradia, o garantir o direito social à moradia, o plenopleno desenvolvimento das funções sociais da desenvolvimento das funções sociais da propriedade e o direito ao meio ambiente propriedade e o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

ecologicamente equilibrado. O conceito foi simplificado, incorporando os termos agregados, em destaque,

O conceito foi simplificado, incorporando os termos agregados, em destaque, ao conceitoao conceito estabelecido na lei anterior aos objetivos da

(2)

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – –Art. Art. 11; 11; 19 19 a a 22 22 Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 - - Art.47; Art.47; 56 56 e e outrosoutros

Demarcação Urbanística: Demarcação Urbanística: Procedimento

Procedimento de de utilização utilização facultativa. facultativa. Procedimento obrigatório Procedimento obrigatório para para a a LegitimaçãoLegitimação de Posse

de Posse

O instrumento criado na Lei 11.977 foi mantido no novo marco legal. Porém, como o O instrumento criado na Lei 11.977 foi mantido no novo marco legal. Porém, como o projeto de regularização fundiária estabelecido na Lei 13.4

projeto de regularização fundiária estabelecido na Lei 13.465 incorporou seus65 incorporou seus procedimentos, sua aplicação tornou-se facultativa.

procedimentos, sua aplicação tornou-se facultativa.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – –Art. Art. 13 13 Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 - - Art. Art. 4747

Classificação da modalidade da REURB: Classificação da modalidade da REURB: REURB-S: Predomínio de população de baixa REURB-S: Predomínio de população de baixa renda declarado em ato do Poder Executivo renda declarado em ato do Poder Executivo municipal.

municipal.

Regularização de Interesse Social - Utilização Regularização de Interesse Social - Utilização para fins de moradia; Predomínio de

para fins de moradia; Predomínio de

população de baixa renda; Tempo mínimo de população de baixa renda; Tempo mínimo de ocupação

ocupação – – 5 anos; Zeis; ou 5 anos; Zeis; ou

Declaração de interesse Declaração de interesse A nova Lei simplifica a c

A nova Lei simplifica a classificação da Reurb dando ao Município a lassificação da Reurb dando ao Município a competência paracompetência para determinar sua modalidade, em função da

determinar sua modalidade, em função da situação socioeconômica dos ocupantes.situação socioeconômica dos ocupantes.

É admitido expressamente o uso misto de atividades como forma de promover a integração É admitido expressamente o uso misto de atividades como forma de promover a integração social e a geração de emprego e renda.

social e a geração de emprego e renda. A classificação do interesse visa

A classificação do interesse visa exclusivamente à identificação dos responsáveis pelaexclusivamente à identificação dos responsáveis pela implantação ou adequação das obras

implantação ou adequação das obras de infraestrutura essencial e ao recde infraestrutura essencial e ao reconhecimento doonhecimento do direito à gratuidade das custas e

direito à gratuidade das custas e emolumentos notariais e registrais em favor daqueles aemolumentos notariais e registrais em favor daqueles a quem for atribuído o domínio das unidades

quem for atribuído o domínio das unidades imobiliárias regularizadas.imobiliárias regularizadas.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – –Art. Art. 10 10 Lei Lei 11.977/200911.977/2009 – – Art. 48 Art. 48

Objetivos e princípios: Objetivos e princípios:

Novos objetivos inseridos na lei: Novos objetivos inseridos na lei: I - Identificar os núcleos, organizá-los e I - Identificar os núcleos, organizá-los e assegurar a prestação de serviços públicos assegurar a prestação de serviços públicos aos seus ocupantes, melhorando as

aos seus ocupantes, melhorando as condições urbanísticas e ambientais; condições urbanísticas e ambientais; II - Criar unidades imobiliárias compatíveis II - Criar unidades imobiliárias compatíveis com o ordenamento territorial urbano e com o ordenamento territorial urbano e constituir direitos reais em favor de seus constituir direitos reais em favor de seus ocupantes;

ocupantes;

III - Promover a integração social e a geração III - Promover a integração social e a geração de emprego e renda;

de emprego e renda;

IV - Garantir a efetivação da função social da IV - Garantir a efetivação da função social da propriedade;

propriedade; V - Ordenar o

V - Ordenar o pleno desenvolvimento daspleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e garantir o funções sociais da cidade e garantir o bem-estar de seus ocupantes;

estar de seus ocupantes;

VI - Concretizar o princípio da eficiência na VI - Concretizar o princípio da eficiência na ocupação e no uso do solo;

ocupação e no uso do solo; VII - Prevenir e

VII - Prevenir e desestimular a formação dedesestimular a formação de novos núcleos urbanos informais

novos núcleos urbanos informais

Observa os seguintes princípios: Observa os seguintes princípios:

II – – ampliação do acesso à terra urbanizada ampliação do acesso à terra urbanizada

pela população de baixa renda, com pela população de baixa renda, com prioridade para sua permanência na área prioridade para sua permanência na área ocupada, assegurados o nível adequado de ocupada, assegurados o nível adequado de habitabilidade e a melhoria das condições de habitabilidade e a melhoria das condições de sustentabilidade urbanística, social e

sustentabilidade urbanística, social e ambiental;

ambiental;

IIII – – articulação com as políticas setoriais de articulação com as políticas setoriais de

habitação, de meio ambiente, de habitação, de meio ambiente, de

saneamento básico e de mobilidade urbana, saneamento básico e de mobilidade urbana, nos diferentes níveis de governo e com nos diferentes níveis de governo e com asas iniciativas públicas e privadas, voltadas à iniciativas públicas e privadas, voltadas à integração social e à geração de emprego e integração social e à geração de emprego e renda;

renda; III

III – – participação dos interessados em todas participação dos interessados em todas

as

as etapas do processo de regularização; etapas do processo de regularização; IV

IV – – estímulo à resolução extrajudicial de estímulo à resolução extrajudicial de

conflitos; e conflitos; e V

V – – concessão do título preferencialmente concessão do título preferencialmente

para a mulher. para a mulher.

A nova lei mantém os princípios anteriores e acrescenta 07 novos objetivos. A nova lei mantém os princípios anteriores e acrescenta 07 novos objetivos.

(3)

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 - - Art. Art. 14 14 Lei Lei 11.977/200911.977/2009 – – Art. 50 Art. 50

Legitimados: Legitimados:

Amplia o rol de legitimados da lei anterior, Amplia o rol de legitimados da lei anterior, incluindo as Defensorias Públicas, o

incluindo as Defensorias Públicas, o Ministério Público e proprietários. Ministério Público e proprietários.

União, Estados, Distrito Federal e Municípios. União, Estados, Distrito Federal e Municípios. Seus beneficiários, individual ou

Seus beneficiários, individual ou coletivamente;

coletivamente;

Cooperativas habitacionais, associações de Cooperativas habitacionais, associações de moradores, fundações, organizações sociais, moradores, fundações, organizações sociais, organizações da sociedade civil de

organizações da sociedade civil de interesseinteresse público ou outras associações civis que público ou outras associações civis que tenham por finalidade atividades nas áreas tenham por finalidade atividades nas áreas de desenvolvimento urbano ou regularização de desenvolvimento urbano ou regularização fundiária.

fundiária. Amplia o rol e mantem

Amplia o rol e mantem o papel dos legitimados, em relação à o papel dos legitimados, em relação à legislação anterior, sendo oslegislação anterior, sendo os legitimados aptos a promover todos os

legitimados aptos a promover todos os atos necessários à regularização fundiária, inclusiveatos necessários à regularização fundiária, inclusive requerer os atos de registro.

requerer os atos de registro.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – –Art. Art. 12 12 Lei Lei 11.977/200911.977/2009 – – Art. 53 Art. 53

Análise e Aprovação da REURB Análise e Aprovação da REURB Reurb-S e Reurb-E:

Reurb-S e Reurb-E: - Município

- Município

Nos casos onde há incidência de áreas de Nos casos onde há incidência de áreas de preservação permanente ou unidades de preservação permanente ou unidades de conservação:

conservação:

- Município com órgão ambiental capacitado; - Município com órgão ambiental capacitado; ou, no caso da ausência deste, o Estado, ou, no caso da ausência deste, o Estado, subsidiariamente;

subsidiariamente;

Regularização Fundiária de Interesse Social: Regularização Fundiária de Interesse Social: -- MunicípioMunicípio

Nos casos onde há incidência de áreas de Nos casos onde há incidência de áreas de preservação permanente ou unidades de preservação permanente ou unidades de conservação:

conservação:

- Município com Conselho do

- Município com Conselho do Meio AmbienteMeio Ambiente e órgão ambiental capacitado; ou, no caso da e órgão ambiental capacitado; ou, no caso da ausência deste, o Estado, subsidiariamente. ausência deste, o Estado, subsidiariamente. Regularização Fundiária de Interesse

Regularização Fundiária de Interesse Específico:

Específico:

“autoridade licenciadora” nos casos de “autoridade licenciadora” nos casos de

incidência de APP. incidência de APP.

O novo marco legal não alterou a necessidade de análise e aprovação da REURB pelos O novo marco legal não alterou a necessidade de análise e aprovação da REURB pelos municípios, inclusive quando houver a incidência de APP (desde que este

municípios, inclusive quando houver a incidência de APP (desde que este possua órgãopossua órgão ambiental capacitado).

ambiental capacitado). A Lei reforça a obrigatoriedA Lei reforça a obrigatoriedade de atendimento ao Código Floade de atendimento ao Código Florestalrestal e vincula o processo de

e vincula o processo de análise da REURB, no caso análise da REURB, no caso de incidência de APP ou Unidade dede incidência de APP ou Unidade de Conservação de Uso Sustentável, ao disposto nos arts. 64 e 65 da Lei Federal 12.651/2012, Conservação de Uso Sustentável, ao disposto nos arts. 64 e 65 da Lei Federal 12.651/2012, uniformizando os procedimentos.

(4)

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – –Art. Art. 13 13 Lei Lei 11.977/200911.977/2009 – – Art. 68 Art. 68

Gratuidade dos atos de Registro Gratuidade dos atos de Registro

Estabelece a gratuidade para atos de registro, Estabelece a gratuidade para atos de registro, averbações e

averbações e certidões.certidões.

Também estabelece a dispensa de Também estabelece a dispensa de

comprovação do pagamento de tributos ou comprovação do pagamento de tributos ou penalidades tributárias.

penalidades tributárias.

Os disposto aplica-se também à Reurb-S que Os disposto aplica-se também à Reurb-S que tenha por objeto conjuntos habitacionais ou tenha por objeto conjuntos habitacionais ou condomínios de interesse social construídos condomínios de interesse social construídos pelo poder público.

pelo poder público.

Estabelece no Art.73, que devem os

Estabelece no Art.73, que devem os EstadosEstados criar e regulamentar fundos específicos criar e regulamentar fundos específicos destinados à compensação, total ou parcial, destinados à compensação, total ou parcial, dos custos referentes aos atos registrais da dos custos referentes aos atos registrais da Reurb-S previstos nesta Lei.

Reurb-S previstos nesta Lei.

Estabelece a gratuidade para atos de

Estabelece a gratuidade para atos de registroregistro e averbações.

e averbações.

A nova lei mantém a gratuidade do registro para fins de Reurb-S e inclui a emissão de A nova lei mantém a gratuidade do registro para fins de Reurb-S e inclui a emissão de certidões na relação de atos gratuitos.

certidões na relação de atos gratuitos.

A partir da nova Lei, fica o Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS) A partir da nova Lei, fica o Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS)

habilitado a destinar recursos para a compensação, total ou parcial, dos custos referentes habilitado a destinar recursos para a compensação, total ou parcial, dos custos referentes aos atos registrais da

aos atos registrais da Regularização Fundiária Urbana de Interesse Social (Reurb-S). ARegularização Fundiária Urbana de Interesse Social (Reurb-S). A destinação de recursos se dará por meio de fundos estaduais criados para este fim, destinação de recursos se dará por meio de fundos estaduais criados para este fim, viabilizando a gratuidade prevista na lei anterior.

viabilizando a gratuidade prevista na lei anterior.

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art.20;31) (Art.20;31) Lei 11.977/2009 Lei 11.977/2009 (Art.57)(Art.57) Notificações

Notificações

A notificação dos titulares de domínio e A notificação dos titulares de domínio e confrontantes fica a cargo do poder público e confrontantes fica a cargo do poder público e poderá ocorrer em três oportunidades:

poderá ocorrer em três oportunidades: - Durante o procedimento administrativo; - Durante o procedimento administrativo; - Na demarcação; e

- Na demarcação; e

- No Registro do Projeto (no caso em que o - No Registro do Projeto (no caso em que o município não o fizer).

município não o fizer).

A critério do poder público municipal as A critério do poder público municipal as medidas de notificação poderão ser medidas de notificação poderão ser realizadas pelo CRI.

realizadas pelo CRI.

A fase de notificação ocorre no âmbito do A fase de notificação ocorre no âmbito do Cartório de Registro de Imóveis na etapa da Cartório de Registro de Imóveis na etapa da demarcação urbanística.

demarcação urbanística.

A lei atribui ao poder público a

A lei atribui ao poder público a notificação, simplificando e agilizando o procedimento. Nanotificação, simplificando e agilizando o procedimento. Na ausência de notificação pelo Poder Público Municipal, o CRI

(5)

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 25 25 a a 27) 27) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art. (Art. 47, 47, 58, 58, 59, 59, 60 60 e e 60-A)60-A) Legitimação de Posse

Legitimação de Posse

- Aplicada a todas as modalidades de REURB; - Aplicada a todas as modalidades de REURB; - Imóveis destinados a vários usos;

- Imóveis destinados a vários usos; - aplicável a bens privados;

- aplicável a bens privados;

- conversão automática após 5 anos nos - conversão automática após 5 anos nos casos enquadrados na usucapião urbana da casos enquadrados na usucapião urbana da CF;

CF;

- conversão em propriedade provocada - conversão em propriedade provocada (requerimento ao CRI) nos casos

(requerimento ao CRI) nos casos enquadrados nas demais usucapiões; enquadrados nas demais usucapiões; - requisitos para a c

- requisitos para a conversão em propriedadeonversão em propriedade de acordo com as espécies de usucapião; de acordo com as espécies de usucapião;

- Aplicada somente no âmbito da - Aplicada somente no âmbito da

regularização fundiária de interesse social; regularização fundiária de interesse social; - Apenas um imóvel destinado à

- Apenas um imóvel destinado à moradia.moradia. -- aplicável a bens privadosaplicável a bens privados;;

- Vinculada à demarcação urbanística (fase - Vinculada à demarcação urbanística (fase obrigatória);

obrigatória);

- conversão por requerimento ao CRI; - conversão por requerimento ao CRI;

O novo marco legal simplifica o procedimento existente, retirando a

O novo marco legal simplifica o procedimento existente, retirando a obrigação prévia daobrigação prévia da demarcação urbanística. Amplia a aplicação para usos diversos e áreas superiores a 250 m², demarcação urbanística. Amplia a aplicação para usos diversos e áreas superiores a 250 m², desde que atendidos os requisitos das demais modalidades da usucapião.

desde que atendidos os requisitos das demais modalidades da usucapião.

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 23 23 e e 24) 24) Lei Lei 11.977/200911.977/2009 Legitimação Fundiária

Legitimação Fundiária

Novo instrumento criado pela Lei Novo instrumento criado pela Lei

13.465/2017 que, a critério do ente público, 13.465/2017 que, a critério do ente público, possibilita a aquisição de direito de

possibilita a aquisição de direito de

propriedade, àquele que detiver área pública propriedade, àquele que detiver área pública ou possuir área privada, integrante de núcleo ou possuir área privada, integrante de núcleo urbano informal existente até 22 de

urbano informal existente até 22 de dezembro de 2016.

dezembro de 2016. Por ser

Por ser ato únicoato único de registro ede registro e aquisiçãoaquisição originária

originária, a unidade imobiliária restará, a unidade imobiliária restará livrelivre e desembaraçada de quaisquer ônus

e desembaraçada de quaisquer ônus,, direitos reais, gravames, não incidindo direitos reais, gravames, não incidindo tributos de transferência como o ITBI e tributos de transferência como o ITBI e ITCMD.

ITCMD.

Aplica-se a todas as modalidades de REURB. Aplica-se a todas as modalidades de REURB.

Não previsto em legislação anterior. Não previsto em legislação anterior.

Novo instrumento criado pela 13.465/2017. O instrumento facilita a atuação do poder Novo instrumento criado pela 13.465/2017. O instrumento facilita a atuação do poder público na regularização fundiária de áreas

(6)

Lei 13.465/2017 (Seção I - Art. 28 a 34; e Art Lei 13.465/2017 (Seção I - Art. 28 a 34; e Art 38 e 40)

38 e 40)

Lei 11.977/2009 (Sem Seção específica

Lei 11.977/2009 (Sem Seção específica – – Art. Art.

53; 56 e 61). 53; 56 e 61). Procedimento Administrativo Municipal

Procedimento Administrativo Municipal Estabelece os procedimentos administrativos Estabelece os procedimentos administrativos em Seção específica. Requerimento,

em Seção específica. Requerimento, processamento, elaboração, saneamento, processamento, elaboração, saneamento, decisão, emissão da Certidão de

decisão, emissão da Certidão de

Regularização Fundiária (CRF) e registro. Regularização Fundiária (CRF) e registro. Cabe ao Município:

Cabe ao Município:

- Processar, classificar as modalidades da - Processar, classificar as modalidades da Reurb (S ou E) no prazo de 180 dias, analisar, Reurb (S ou E) no prazo de 180 dias, analisar, sanar e aprovar os projetos de regularização sanar e aprovar os projetos de regularização fundiária e encaminhá-los ao registro;

fundiária e encaminhá-los ao registro; - Identificar e titular os ocupantes; - Identificar e titular os ocupantes; - Notificar os proprietários, loteadores, - Notificar os proprietários, loteadores, incorporadores, confinantes e terceiros incorporadores, confinantes e terceiros eventualmente interessados.

eventualmente interessados. Na REURB-S:

Na REURB-S:

Arcar com os custos da Reurb, inclusive com Arcar com os custos da Reurb, inclusive com a implantação da infraestrutura essencial e a implantação da infraestrutura essencial e adequações e compensações urbanísticas e adequações e compensações urbanísticas e ambientais, quando necessárias.

ambientais, quando necessárias.

Cabe aos municípios a análise e aprovação do Cabe aos municípios a análise e aprovação do projeto de regularização fundiária.

projeto de regularização fundiária. Lavrar auto de demarcação urbanística. Lavrar auto de demarcação urbanística.

A nova lei estabelece e

A nova lei estabelece e deixa claro os procedimentos e responsabilidades do deixa claro os procedimentos e responsabilidades do Município emMunicípio em todas as etapas da regularização.

todas as etapas da regularização.

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 35 35 e e 36) 36) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art.51)(Art.51) Projeto de Regularização Fundiária

Projeto de Regularização Fundiária O Projeto conterá:

O Projeto conterá:

- Levantamento planialtimétrico e cadastral, - Levantamento planialtimétrico e cadastral, com georreferenciamento;

com georreferenciamento; - Planta de sobreposição, se po

- Planta de sobreposição, se possível;ssível;

- Estudo preliminar das desconformidades e - Estudo preliminar das desconformidades e da situação jurídica, urbanística e ambiental; da situação jurídica, urbanística e ambiental; - Projeto urbanístico

- Projeto urbanístico - Memoriais descritivos; - Memoriais descritivos; - Proposta de soluções para

- Proposta de soluções para questõesquestões ambientais, urbanísticas e de

ambientais, urbanísticas e de

reassentamento dos ocupantes, quando for o reassentamento dos ocupantes, quando for o caso;

caso;

- Estudo técnico para área de risco quando - Estudo técnico para área de risco quando for o caso;

for o caso;

- Estudo técnico ambiental, se necessário; - Estudo técnico ambiental, se necessário; - Cronograma físico de implantação de obras - Cronograma físico de implantação de obras e serviços e eventuais compensações;

e serviços e eventuais compensações; - Termo

- Termo de compromisso de compromisso pelo cumprimentopelo cumprimento do cronograma físico;

do cronograma físico;

O Projeto definirá: O Projeto definirá:

- Áreas ou lotes a serem regularizados; - Áreas ou lotes a serem regularizados; - Vias de ci

- Vias de circulação existentes ou projetadasrculação existentes ou projetadas e, se possível, áreas públicas;

e, se possível, áreas públicas; - Medidas necessárias;

- Medidas necessárias;

- Condições para promover a segurança - Condições para promover a segurança dada população em risco;

população em risco;

- Adequação da infraestrutura básica - Adequação da infraestrutura básica

O projeto de regularização fundiária recebe na

O projeto de regularização fundiária recebe na nova lei uma regulamentação maisnova lei uma regulamentação mais

detalhada, e vincula os projetos de infraestrutura a um cronograma físico cuja execução é detalhada, e vincula os projetos de infraestrutura a um cronograma físico cuja execução é assumida em Termos de Compromisso levado ao Registro.

(7)

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 36) 36) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art. (Art. 51)51) Infraestrutura

Infraestrutura

Infraestrutura essencial: Infraestrutura essencial:

- Sistema de abastecimento de água

- Sistema de abastecimento de água potável,potável, coletivo ou individual;

coletivo ou individual; - Sistema de coleta e

- Sistema de coleta e tratamento de esgoto,tratamento de esgoto, coletivo ou individual;

coletivo ou individual;

- Rede de energia elétrica domiciliar; - Rede de energia elétrica domiciliar; - Soluções de drenagem, se necessárias; - Soluções de drenagem, se necessárias; - Outros requisitos municipais.

- Outros requisitos municipais.

Infraestrutura básica, conforme Art. 2º da Lei Infraestrutura básica, conforme Art. 2º da Lei 6766/79.

6766/79.

- Vias de circulação; - Vias de circulação;

- Escoamento de águas pluviais; - Escoamento de águas pluviais;

- Rede de abastecimento de água potável; - Rede de abastecimento de água potável; - Soluções para o esgotamento sanitário; - Soluções para o esgotamento sanitário; - Soluções para energia elétrica domiciliar. - Soluções para energia elétrica domiciliar. A lei 13.465/2017 estabelece os

A lei 13.465/2017 estabelece os equipamentos urbanos, mínimos necessárioequipamentos urbanos, mínimos necessários, de formas, de forma clara, admitindo soluções coletivas ou individuais, possibilitando a regularização de núcleos clara, admitindo soluções coletivas ou individuais, possibilitando a regularização de núcleos em que a implantação de redes de infraestrutura é inviável.

em que a implantação de redes de infraestrutura é inviável.

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 33) 33) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art.55 (Art.55 e e 62)62) Responsabilidades pela implantação de infraestrutura

Responsabilidades pela implantação de infraestrutura A elaboração e o custeio do projeto de

A elaboração e o custeio do projeto de regularização fundiária e da implantação da regularização fundiária e da implantação da infraestrutura essencial obedecerão aos infraestrutura essencial obedecerão aos seguintes procedimentos:

seguintes procedimentos: I - na Reurb-S:

I - na Reurb-S:

a) operada sobre área de titularidade de ente a) operada sobre área de titularidade de ente público, caberão ao referido ente público ou público, caberão ao referido ente público ou ao Município promotor ou ao Distrito Federal ao Município promotor ou ao Distrito Federal a responsabilidade de elaborar o projeto de a responsabilidade de elaborar o projeto de regularização fundiária nos termos do

regularização fundiária nos termos do ajusteajuste que venha a ser celebrado e a implantação da que venha a ser celebrado e a implantação da infraestrutura essencial, quando necessária; e infraestrutura essencial, quando necessária; e b) operada sobre área titularizada por

b) operada sobre área titularizada por particular, caberão ao Município ou ao particular, caberão ao Município ou ao Distrito Federal a responsabilidade de Distrito Federal a responsabilidade de

elaborar e custear o projeto de regularização elaborar e custear o projeto de regularização fundiária e a implantação da infraestrutura fundiária e a implantação da infraestrutura essencial, quando necessária;

essencial, quando necessária; II - na Reurb-E

II - na Reurb-E, a regularização fundiária será, a regularização fundiária será contratada e custeada por seus potenciais contratada e custeada por seus potenciais beneficiários ou requerentes privados; beneficiários ou requerentes privados; III - na Reurb-E sobre áreas públicas, se III - na Reurb-E sobre áreas públicas, se houver interesse público, o Município

houver interesse público, o Município poderápoderá proceder à elaboração e ao custeio do

proceder à elaboração e ao custeio do projeto de regularização fundiária e da projeto de regularização fundiária e da

implantação da infraestrutura essencial, com implantação da infraestrutura essencial, com posterior cobrança aos seus beneficiários. posterior cobrança aos seus beneficiários.

Na regularização fundiária de i

Na regularização fundiária de interesse social,nteresse social, caberá ao poder público, diretamente ou por caberá ao poder público, diretamente ou por meio de seus concessionários ou

meio de seus concessionários ou

permissionários de serviços públicos, a permissionários de serviços públicos, a implantação do sistema viário e da implantação do sistema viário e da infraestrutura básica, previstos na Lei infraestrutura básica, previstos na Lei 6.766/79, ainda que promovida pelos 6.766/79, ainda que promovida pelos legitimados.

legitimados.

Na regularização fundiária de i

Na regularização fundiária de interessenteresse específico a autoridade licenciadora deverá específico a autoridade licenciadora deverá definir, nas licenças urbanística e ambiental definir, nas licenças urbanística e ambiental da regularização fundiária de i

da regularização fundiária de interessenteresse específico, as responsabilidades relativas à específico, as responsabilidades relativas à implantação da infraestrutura básica. implantação da infraestrutura básica.

O novo marco legal estabelece de forma clara as responsabilidades pelo custeio da Reurb e O novo marco legal estabelece de forma clara as responsabilidades pelo custeio da Reurb e pela implantação da infraestrutura essencial em cada uma das modalidades. (REURB-S ou E) pela implantação da infraestrutura essencial em cada uma das modalidades. (REURB-S ou E)

(8)

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art.11 (Art.11 e e 35) 35) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art.52 (Art.52 e e 54)54) Exigências urbanísticas e ambientais

Exigências urbanísticas e ambientais Para fins da Reurb, os Municípios poderão Para fins da Reurb, os Municípios poderão dispensar as exigências relativas ao

dispensar as exigências relativas ao percentual e às dimensões de áreas percentual e às dimensões de áreas

destinadas ao uso público ou ao tamanho dos destinadas ao uso público ou ao tamanho dos lotes regularizados, assim como a outros lotes regularizados, assim como a outros parâmetros urbanísticos e edilícios. parâmetros urbanísticos e edilícios.

O projeto de regularização fundiária deverá O projeto de regularização fundiária deverá considerar as características da ocupação e considerar as características da ocupação e da área ocupada para definir parâmetros da área ocupada para definir parâmetros urbanísticos e ambientais específicos. urbanísticos e ambientais específicos.

Na regularização fundiária de assentamentos Na regularização fundiária de assentamentos consolidados anteriormente à publicação consolidados anteriormente à publicação desta Lei, o Município poderá autorizar a desta Lei, o Município poderá autorizar a redução do percentual de áreas destinadas redução do percentual de áreas destinadas ao uso público e da área mínima dos lotes. ao uso público e da área mínima dos lotes. O projeto de regularização fundiária de O projeto de regularização fundiária de interesse social

interesse social deverá considerar as deverá considerar as características da ocupação e da área características da ocupação e da área

ocupada para definir parâmetros urbanísticos ocupada para definir parâmetros urbanísticos e ambientais específicos.

e ambientais específicos. O novo marco legal abre a

O novo marco legal abre a possibilidade, a critério dos Municípios, da dispensa depossibilidade, a critério dos Municípios, da dispensa de parâmetros urbanísticos para todas as

parâmetros urbanísticos para todas as modalidades de regularização fundiária.modalidades de regularização fundiária.

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 42 42 a a 54) 54) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art. (Art. 64 64 a a 68)68) Registro da Regularização

Registro da Regularização

-- Demarcação + projeto + titulaçãoDemarcação + projeto + titulação - Registro - Registro único da CRF com o projeto de regularização único da CRF com o projeto de regularização fundiária e da constituição do direito real aos fundiária e da constituição do direito real aos beneficiários;

beneficiários;

- 15 dias para qualificar; - 15 dias para qualificar;

- 60 dias para registrar, prorrogável por até - 60 dias para registrar, prorrogável por até igual período;

igual período;

- Especialização de fração ideal; - Especialização de fração ideal; - Registro de contrato;

- Registro de contrato; - Notificações simplificadas; - Notificações simplificadas;

- Dispensa de retificação, notificação, - Dispensa de retificação, notificação,

unificação ou apuração de disponibilidade ou unificação ou apuração de disponibilidade ou remanescente.

remanescente.

-- Na Reurb-S promovida sobre bem público, oNa Reurb-S promovida sobre bem público, o registro do projeto de regularização fundiária registro do projeto de regularização fundiária e a constituição de direito real em nome dos e a constituição de direito real em nome dos beneficiários poderão ser feitos em ato

beneficiários poderão ser feitos em ato único,único, a critério do ente público promovente.

a critério do ente público promovente.

- Demarcação; - Demarcação; - Projeto de regularização; - Projeto de regularização; - Legitimação de posse; - Legitimação de posse; - Conversão da legitimação de

- Conversão da legitimação de posseposse Sem prazo de tramitação no CRI. Sem prazo de tramitação no CRI.

As novas regras de Registro, s

As novas regras de Registro, simplificam, agilizam e garantem maior eficiência eimplificam, agilizam e garantem maior eficiência e economicidade no ato de registro. Dispensam

economicidade no ato de registro. Dispensam a necessidade de título individual para cadaa necessidade de título individual para cada beneficiário da Reurb e as cópias da documentação referente à qualificação de cada

beneficiário da Reurb e as cópias da documentação referente à qualificação de cada beneficiário.

(9)

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 11) 11) Lei Lei 11.977/200911.977/2009 Certidão de Regularização Fundiária - CRF

Certidão de Regularização Fundiária - CRF Documento expedido pelo Município quando Documento expedido pelo Município quando da aprovação da Reurb, constituído de:

da aprovação da Reurb, constituído de: •

• projeto de regularização fundiáriaprojeto de regularização fundiária aprovado

aprovado •

• cronograma físico de implantação dacronograma físico de implantação da infraestrutura

infraestrutura essencial essencial ee compensações urbanísticas e compensações urbanísticas e ambientais;

ambientais; •

• termo de compromisso relativo atermo de compromisso relativo a execução do cronograma;

execução do cronograma;

Nos casos de Legitimação Fundiária e da Nos casos de Legitimação Fundiária e da Legitimação de Posse, a listagem dos Legitimação de Posse, a listagem dos ocupantes do núcleo urbano com a devida ocupantes do núcleo urbano com a devida qualificação e os direitos reais que lhes foram qualificação e os direitos reais que lhes foram conferidos.

conferidos.

Não previsto na legislação anterior. Não previsto na legislação anterior.

A nova lei estabelece a

A nova lei estabelece a CRF. Trata-se do documento expedido pela administração municipalCRF. Trata-se do documento expedido pela administração municipal que unifica todos os elementos técnicos relacionados ao processo de regularização, que serão que unifica todos os elementos técnicos relacionados ao processo de regularização, que serão encaminhados ao CRI.

encaminhados ao CRI.

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 69) 69) Lei Lei 11.977/2009 11.977/2009 (Art. (Art. 71)71) Parcelamentos implantados antes de 19 de dezembro de 1979

Parcelamentos implantados antes de 19 de dezembro de 1979 Requerimento ao CRI:

Requerimento ao CRI:

I - planta da área em regularização assinada I - planta da área em regularização assinada pelo interessado responsável pela

pelo interessado responsável pela

regularização e por profissional legalmente regularização e por profissional legalmente habilitado,

habilitado,

II - descrição técnica do perímetro da área a II - descrição técnica do perímetro da área a ser regularizada, dos lotes, das áreas

ser regularizada, dos lotes, das áreas públicaspúblicas e de outras áreas com

e de outras áreas com destinação específica,destinação específica, quando for o caso;

quando for o caso;

III - documento expedido pelo Município, III - documento expedido pelo Município, atestando que o parcelamento foi

atestando que o parcelamento foi

implantado antes de 19 de dezembro de implantado antes de 19 de dezembro de 1979 e que está integrado à cidade. 1979 e que está integrado à cidade. Dispensa a apresentação do projeto de Dispensa a apresentação do projeto de regularização fundiária, de estudo técnico regularização fundiária, de estudo técnico ambiental, de CRF ou

ambiental, de CRF ou de quaisquer outrasde quaisquer outras manifestações, aprovações, licenças ou manifestações, aprovações, licenças ou alvarás emitidos pelos órgãos públicos. alvarás emitidos pelos órgãos públicos.

Dispensa o Projeto de Regularização Dispensa o Projeto de Regularização Fundiária.

Fundiária.

O novo normativo mantém a dispensa

O novo normativo mantém a dispensa de apresentação do projeto ade apresentação do projeto aprovado,provado,

anteriormente estabelecida, deixando mais claro os procedimentos e documentação anteriormente estabelecida, deixando mais claro os procedimentos e documentação necessários aos atos de registro.

(10)

Lei

Lei 13.465/2017 13.465/2017 (Art. (Art. 15) 15) Lei Lei 11.977/200911.977/2009 Instrumentos da Regularização Fundiária

Instrumentos da Regularização Fundiária 15 instrumentos:

15 instrumentos:

I - a legitimação fundiária e a I - a legitimação fundiária e a legitimação de posse, nos termos desta Lei; legitimação de posse, nos termos desta Lei;

II - a usucapião, nos termos dos arts. II - a usucapião, nos termos dos arts. 1.238 a

1.238 a 1.244 da 1.244 da Lei no Lei no 10.406, de 10.406, de 10 de10 de  janeiro

 janeiro de de 2002 2002 (Código (Código Civil), Civil), dos dos arts. arts. 9o a9o a 14 da Lei no 10.257,

14 da Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001, ede 10 de julho de 2001, e do art.

do art. 216-A da 216-A da Lei no Lei no 6.015, de 6.015, de 31 de31 de dezembro de 1973;

dezembro de 1973;

III - a desapropriação em favor dos III - a desapropriação em favor dos possuidores, nos termos dos §§ 4o e 5o do possuidores, nos termos dos §§ 4o e 5o do art. 1.228 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro art. 1.228 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil);

de 2002 (Código Civil);

IV - a arrecadação de bem vago, nos IV - a arrecadação de bem vago, nos termos do art. 1.276 da Lei no 10.406, de 10 termos do art. 1.276 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil);

de janeiro de 2002 (Código Civil);

V - o consórcio imobiliário, nos termos V - o consórcio imobiliário, nos termos do art. 46 da Lei no 10.257, de 10 de julho de do art. 46 da Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001;

2001;

VI - a desapropriação por interesse VI - a desapropriação por interesse social, nos termos do inciso IV do art. 2o da social, nos termos do inciso IV do art. 2o da Lei no 4.132, de 10 de setembro de 1962; Lei no 4.132, de 10 de setembro de 1962;

VII - o direito de preempção, nos VII - o direito de preempção, nos termos do inciso I do art. 26 da Lei no 10.257, termos do inciso I do art. 26 da Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001;

de 10 de julho de 2001;

VIII - a transferência do direito de VIII - a transferência do direito de construir, nos termos do inciso III do art. 35 construir, nos termos do inciso III do art. 35 da Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001; da Lei no 10.257, de 10 de julho de 2001;

IX - a requisição, em caso de perigo IX - a requisição, em caso de perigo público iminente, nos termos do § 3o do art. público iminente, nos termos do § 3o do art. 1.228 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 1.228 da Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil);

2002 (Código Civil);

X - a intervenção do poder público em X - a intervenção do poder público em parcelamento clandestino ou irregular, nos parcelamento clandestino ou irregular, nos termos do art. 40 da Lei no 6.766, de 19 de termos do art. 40 da Lei no 6.766, de 19 de dezembro de 1979;

dezembro de 1979;

XI - a alienação de imóvel pela XI - a alienação de imóvel pela administração pública diretamente para seu administração pública diretamente para seu detentor, nos termos da alínea f do inciso I do detentor, nos termos da alínea f do inciso I do art. 17 da Lei no 8.666, de 21 de junho de art. 17 da Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993;

1993;

XII - a concessão de uso especial para XII - a concessão de uso especial para fins de moradia;

fins de moradia;

XIII - a concessão de direito real de XIII - a concessão de direito real de uso; uso; XIV - a doação; e XIV - a doação; e XV - a compra e venda. XV - a compra e venda. 02 instrumentos: 02 instrumentos: - Demarcação Urbanística - Demarcação Urbanística - Legitimação de Posse - Legitimação de Posse

A nova legislação listou e aumentou o rol de instrumentos para realização da Reurb. A nova legislação listou e aumentou o rol de instrumentos para realização da Reurb.

(11)

Itens previstos na Lei 13.465/2017 e não existentes na 11.977/2009.

Itens previstos na Lei 13.465/2017 e não existentes na 11.977/2009.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 59  Art. 59 - Conjuntos Habitacionais- Conjuntos Habitacionais

Art. 59 - Serão regularizados como conjuntos habitacionais os núcleos urbanos informais que Art. 59 - Serão regularizados como conjuntos habitacionais os núcleos urbanos informais que tenham sido constituídos para a alienação de unidades já edificadas pelo próprio

tenham sido constituídos para a alienação de unidades já edificadas pelo próprio empreendedor, público ou privado.

empreendedor, público ou privado.

§1º. Os conjuntos habitacionais podem ser constituídos de parcelamento do solo com §1º. Os conjuntos habitacionais podem ser constituídos de parcelamento do solo com unidades edificadas isoladas, parcelamento do solo com

unidades edificadas isoladas, parcelamento do solo com edificações em condomíniosedificações em condomínios horizontais ou verticais ou ambas

horizontais ou verticais ou ambas as modalidades de parcelamento e condomínio.as modalidades de parcelamento e condomínio. §2º. As unidades resultantes da regularização

§2º. As unidades resultantes da regularização de conjuntos habitacionais serão atribuídas aosde conjuntos habitacionais serão atribuídas aos ocupantes reconhecidos, salvo quando o ente público promotor do programa habitacional ocupantes reconhecidos, salvo quando o ente público promotor do programa habitacional demonstrar que no processo de regularização

demonstrar que no processo de regularização fundiária há obrigações pendentes, caso emfundiária há obrigações pendentes, caso em que as unidades imobiliárias regularizadas serão

que as unidades imobiliárias regularizadas serão a ele atribuídas.a ele atribuídas.

Art. 60 - Para a aprovação e o registro dos conjuntos habitacionais que compõem a Reurb, é Art. 60 - Para a aprovação e o registro dos conjuntos habitacionais que compõem a Reurb, é dispensada a apresentação do habite-se e, no

dispensada a apresentação do habite-se e, no caso de Reurb-S, das respectivas certidõescaso de Reurb-S, das respectivas certidões negativas de tributos e de contri

negativas de tributos e de contribuições previdenciárias.buições previdenciárias. O novo marco legal estabelece normas es

O novo marco legal estabelece normas específicas para a regularização de conjuntospecíficas para a regularização de conjuntos habitacionais, tornando mais clara à aplicação da

habitacionais, tornando mais clara à aplicação da regularização em relação à Lregularização em relação à Lei anterior.ei anterior.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 71; 90 e 98 Art. 71; 90 e 98 – – Regularização de Bem Público. Regularização de Bem Público.

Art. 90

Art. 90 - Ficam a União, suas - Ficam a União, suas autarquias e fundações autorizadas a transferir aos autarquias e fundações autorizadas a transferir aos Estados, aosEstados, aos Municípios e ao Distrito F

Municípios e ao Distrito Federal as áreas públicas federais ocupadas por núcleos urbanosederal as áreas públicas federais ocupadas por núcleos urbanos informais, para que promovam a

informais, para que promovam a Reurb nos termos desta Lei, observado o Reurb nos termos desta Lei, observado o regulamentoregulamento quando se tratar de imóveis de

quando se tratar de imóveis de titularidade de fundos.titularidade de fundos. Art. 98

Art. 98 - Fica facultado aos Estados, aos Municípios e ao Distrito Federal utilizar a prerrogativa - Fica facultado aos Estados, aos Municípios e ao Distrito Federal utilizar a prerrogativa de venda direta aos ocupantes de

de venda direta aos ocupantes de suas áreas públicas objeto da Reurb-E, suas áreas públicas objeto da Reurb-E, dispensados osdispensados os procedimentos exigidos pela Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993, e desde que os im

procedimentos exigidos pela Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993, e desde que os imveis seveis se

encontrem ocupados at

encontrem ocupados at 22 de  22 de dezembro de 2016, devendo regulamentar o processo emdezembro de 2016, devendo regulamentar o processo em

legisla

legislao pro prpria nos moldes do disposto no art. 84 desta Lei.pria nos moldes do disposto no art. 84 desta Lei. Na

Na ReurbReurb – –SS a aquisição de direitos reais pelo particular poderá ser feita de a aquisição de direitos reais pelo particular poderá ser feita de forma gratuitaforma gratuita, a, a

critério do ente público titular do domínio. Na

critério do ente público titular do domínio. Na Reurb-EReurb-E, a aquisição de direitos reais pelo, a aquisição de direitos reais pelo particular ficará condicionada ao

particular ficará condicionada ao pagamento do justo valorpagamento do justo valor da unidade imobiliária, a serda unidade imobiliária, a ser apurado na forma estabelecida em ato do Poder Executivo titular do domínio.

apurado na forma estabelecida em ato do Poder Executivo titular do domínio. Art. 71.

Art. 71. Para fins da Reurb, ficam dispensadPara fins da Reurb, ficam dispensadas a desafetação e as exigências as a desafetação e as exigências previstasprevistas no

no inciso I do caput do art. 17  inciso I do caput do art. 17 da Lei no 8.666, de 21 de junho da Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993.de 1993. A nova Lei introduz dispositivos específicos para

A nova Lei introduz dispositivos específicos para a regularização fundiária de bens públicos.a regularização fundiária de bens públicos. Os novos dispositivos permitem que o poder público regularize situações consolidadas, Os novos dispositivos permitem que o poder público regularize situações consolidadas, simplificando os procedimentos necessários ao processo administrativo.

(12)

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 55  Art. 55 - - Direito Real Direito Real de Lajede Laje

Altera a

Altera a Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), instituindo o direito real de(Código Civil), instituindo o direito real de laje.

laje.

O proprietário de uma construção-base poderá ceder a superfície superior ou inferior de sua O proprietário de uma construção-base poderá ceder a superfície superior ou inferior de sua construção a fim de que o titular da laje mantenha unidade distinta daquela originalmente construção a fim de que o titular da laje mantenha unidade distinta daquela originalmente construída sobre o solo.

construída sobre o solo. O instrumento viabiliza a

O instrumento viabiliza a titulação de mais de uma titulação de mais de uma família residentes em unidfamília residentes em unidadesades habitacionais sobrepostas, no mesmo lote, de forma que cada uma tenha sua matricula; habitacionais sobrepostas, no mesmo lote, de forma que cada uma tenha sua matricula; Possibilita que os moradores destas unidades

Possibilita que os moradores destas unidades unifamiliares possam alienar autonomamenteunifamiliares possam alienar autonomamente seus imóveis, além de criar uma

seus imóveis, além de criar uma nova mercadoria, no mercado imobiliário, que énova mercadoria, no mercado imobiliário, que é “a laje”,“a laje”,

passível de alienação. passível de alienação.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 58 Art. 58 – – Condomínio de Lotes Condomínio de Lotes

Altera o Código Civil: Altera o Código Civil: Art. 1.358A

-Art. 1.358-A - Pode haver, em terrenos, Pode haver, em terrenos, partes designadas de lotes que spartes designadas de lotes que são propriedadeão propriedade exclusiva e partes que são propriedade

exclusiva e partes que são propriedade comum dos condôminos.comum dos condôminos. § 1º

§ 1º A fração ideal de cada condômino podA fração ideal de cada condômino poderá ser proporcional à área do solo de cadaerá ser proporcional à área do solo de cada

unidade autônoma, ao respectivo potencial construtivo ou a outros critérios indicados no ato unidade autônoma, ao respectivo potencial construtivo ou a outros critérios indicados no ato de instituição.

de instituição. § 2º

§ 2º Aplica-se, no que couber, ao Aplica-se, no que couber, ao condomínio de lotes o disposto sobre condomínio de lotes o disposto sobre condomínio edilíciocondomínio edilício neste Capítulo, respeitada a legislação urbanística.

neste Capítulo, respeitada a legislação urbanística. § 3º

§ 3º Para fins de incorporação imobiliária, a implantação de tPara fins de incorporação imobiliária, a implantação de toda a infraestrutura ficará aoda a infraestrutura ficará a cargo do empreendedor.

cargo do empreendedor. Acrescenta

Acrescenta§§ 7 7ºº ao Art. 2 ao Art. 2ºº da Lei 6.766/79 da Lei 6.766/79

§ 7º O lote poderá ser constituído sob a forma de imóvel autônomo ou de unidade imobiliária § 7º O lote poderá ser constituído sob a forma de imóvel autônomo ou de unidade imobiliária integrante de condomínio de lotes.

integrante de condomínio de lotes.

Novo instrumento aplicável tanto à REURB como

Novo instrumento aplicável tanto à REURB como para novos empreendimentos,para novos empreendimentos, possibilitando à regularização de empreendimentos existentes e consolidados, o que

possibilitando à regularização de empreendimentos existentes e consolidados, o que é umaé uma realidade em nosso Pais.

realidade em nosso Pais.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 64 e 65 Art. 64 e 65 – – Arrecadação de Imóveis Abandonados Arrecadação de Imóveis Abandonados

Regulamenta o artigo 1.276 do Código Civil, que trata do

Regulamenta o artigo 1.276 do Código Civil, que trata do abandono de imóvel urbano.abandono de imóvel urbano. Os imóveis urbanos privados abandonados cujos proprietários não

Os imóveis urbanos privados abandonados cujos proprietários não possuam a intenção depossuam a intenção de conservá-los em seu patrimônio ficam sujeitos à

conservá-los em seu patrimônio ficam sujeitos à arrecadação pelo Município ou pelo Distritoarrecadação pelo Município ou pelo Distrito Federal na condição de bem vago.

Federal na condição de bem vago. A nova lei não inovou, somente

A nova lei não inovou, somente regulamentou art. do CC, possibilitando que o Municípioregulamentou art. do CC, possibilitando que o Município utilize esta disposição como mais uma

utilize esta disposição como mais uma ferramenta destinada ao ordenamento do soloferramenta destinada ao ordenamento do solo urbano.

urbano.

O Município poderá arrecadar e transferir para s

O Município poderá arrecadar e transferir para seu patrimônio os imóveis urbanos privadoseu patrimônio os imóveis urbanos privados abandonados quando o proprietário, cessados os a

abandonados quando o proprietário, cessados os atos de posse sobre o tos de posse sobre o imóvel, nãoimóvel, não adimplir os ônus fiscais, por 05 anos.

adimplir os ônus fiscais, por 05 anos.

O instrumento permite que o Município dê uma

O instrumento permite que o Município dê uma destinação para aqueles prédiosdestinação para aqueles prédios

abandonados e terrenos baldios que, muitas vezes, causam grandes problemas de saúde e abandonados e terrenos baldios que, muitas vezes, causam grandes problemas de saúde e segurança pública.

(13)

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 61 a  Art. 61 a 63 - 63 - Condomínio Urbano Condomínio Urbano SimplesSimples

Quando um mesmo imóvel contiver construções de

Quando um mesmo imóvel contiver construções de casas ou cômodos, poderá ser instituído,casas ou cômodos, poderá ser instituído, inclusive para fins de Reurb, co

inclusive para fins de Reurb, condomínio urbano simples, respeitados os parâmetrosndomínio urbano simples, respeitados os parâmetros urbanísticos locais, e serão discriminadas, na matrícula, a parte do terreno ocupada pelas urbanísticos locais, e serão discriminadas, na matrícula, a parte do terreno ocupada pelas edificações, as partes de utilização exclusiva

edificações, as partes de utilização exclusiva e as áreas que constituem passagem para as e as áreas que constituem passagem para as viasvias públicas ou para as unidades entre si.

públicas ou para as unidades entre si. O novo instrumento criado pela Lei 13.46

O novo instrumento criado pela Lei 13.465/2017 possibilita a regularização de forma5/2017 possibilita a regularização de forma individualizada de situações em que vários domicílios ocupam o mesmo

individualizada de situações em que vários domicílios ocupam o mesmo lote.lote.

Anteriormente à existência deste dispositivo, tais situações implicavam em soluções Anteriormente à existência deste dispositivo, tais situações implicavam em soluções coletivas de titulação que, em muitos casos,

coletivas de titulação que, em muitos casos, inviabilizavam a Reurb, devido suainviabilizavam a Reurb, devido sua

complexidade e custos com a implantação de um condomínio, nos termos da Lei 4.591/64. complexidade e custos com a implantação de um condomínio, nos termos da Lei 4.591/64.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 78 Art. 78 – – Loteamento de Acesso Controlado Loteamento de Acesso Controlado

Acrescenta § 8º ao Art. 2º da Lei 6.766/79. Acrescenta § 8º ao Art. 2º da Lei 6.766/79.

““§8º Constitui Loteamento de Acesso Controlado a modalidade de §8º Constitui Loteamento de Acesso Controlado a modalidade de loteamento, definida nosloteamento, definida nos termos do § 1º deste artigo, cujo controle de acesso será regulamentado por ato do Poder termos do § 1º deste artigo, cujo controle de acesso será regulamentado por ato do Poder Público Municipal, sendo vedado o

Público Municipal, sendo vedado o impedimento de acesso a pedestres ou a condutores impedimento de acesso a pedestres ou a condutores dede

veículos, no residentes, devidamente identificados ou

veículos, no residentes, devidamente identificados ou cadastrados.”cadastrados.”

Trata-se de dispositivo novo a ser

Trata-se de dispositivo novo a ser regulamentado pelos municípios. Sua aplicação não éregulamentado pelos municípios. Sua aplicação não é exclusiva dos casos de

exclusiva dos casos de regularização, podendo ser aplicado em loteamentos regulares.regularização, podendo ser aplicado em loteamentos regulares.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 34 - Câmaras de Prevenção e Resolução Administrativa de Conflitos Art. 34 - Câmaras de Prevenção e Resolução Administrativa de Conflitos

Os Municípios poderão criar c

Os Municípios poderão criar câmaras de prevenção e resolução administrativa de conflitos, âmaras de prevenção e resolução administrativa de conflitos, nono âmbito da administração local,

âmbito da administração local, inclusive mediante celebração de ajustes com os inclusive mediante celebração de ajustes com os Tribunais deTribunais de Justiça estaduais, as quais deterão competência para dirimir conflitos relacionados à Reurb, Justiça estaduais, as quais deterão competência para dirimir conflitos relacionados à Reurb, mediante solução consensual.

mediante solução consensual.

O modo de composição e funcionamento das câmaras de que trata o caput deste artigo será O modo de composição e funcionamento das câmaras de que trata o caput deste artigo será estabelecido em ato do Poder Executivo municipal.

estabelecido em ato do Poder Executivo municipal. O novo marco legal estabelece

O novo marco legal estabelece a possibilidade de criação de instância administrativa dea possibilidade de criação de instância administrativa de resolução de conflitos ligado à REURB, priorizando a solução

resolução de conflitos ligado à REURB, priorizando a solução extrajudicial de conflitos e aextrajudicial de conflitos e a autonomia do poder público municipal nos processos de

autonomia do poder público municipal nos processos de REURB.REURB.

Lei 13.465/2017

Lei 13.465/2017 – – Art. 15 inciso  Art. 15 inciso V e Art. 79 - V e Art. 79 - Consórcio ImobiliárioConsórcio Imobiliário

Altera o Art. 46 da Lei 10.257/2001: Altera o Art. 46 da Lei 10.257/2001:

O poder público municipal poderá facultar ao proprietário da área atingida pela obrigação de O poder público municipal poderá facultar ao proprietário da área atingida pela obrigação de que trata o caput do art. 5o desta Lei, ou objeto de regularização fundiária urbana para fins de que trata o caput do art. 5o desta Lei, ou objeto de regularização fundiária urbana para fins de regularização fundiária, o estabelecimento de consórcio imobiliário

regularização fundiária, o estabelecimento de consórcio imobiliário como forma decomo forma de viabilização financeira do aproveitamento do imóvel.

viabilização financeira do aproveitamento do imóvel.

Considera-se consórcio imobiliário a forma de viabilização de planos de urbanização, de Considera-se consórcio imobiliário a forma de viabilização de planos de urbanização, de regularização fundiária ou de reforma, conservação ou construção de edificação por meio da regularização fundiária ou de reforma, conservação ou construção de edificação por meio da qual o proprietário transfere ao poder público municipal seu imóvel e, após a realização das qual o proprietário transfere ao poder público municipal seu imóvel e, após a realização das obras, recebe, como pagamento, unidades imobiliárias devidamente urbanizadas ou

obras, recebe, como pagamento, unidades imobiliárias devidamente urbanizadas ou edificadas, ficando as demais unidades incorporadas ao

edificadas, ficando as demais unidades incorporadas ao patrimônio público.patrimônio público. O dispositivo abre a possibilidade da utilização do instrumento do

O dispositivo abre a possibilidade da utilização do instrumento do Consórcio Imobiliário,Consórcio Imobiliário, estabelecido pelo Estatuto da Cidade (Lei Federal 10.257/2001), no âmbito dos processos de estabelecido pelo Estatuto da Cidade (Lei Federal 10.257/2001), no âmbito dos processos de REURB.

Imagem

Referências

temas relacionados :