Manual Projeto de Um Edificio Com Cypecad

Texto

(1)

MANUAL PROJETO DE UM EDIFICIO

COM CYPECAD

(2)

VIDEO-AULAS DE UM PROJETO DEMONSTRADO PASSO A PASSO

VAMOS ESTUDAR ATRAVÉS DAS VIDEO-AULAS EM CONJUNTO COM ESTE MANUAL UM PROJETO ELABORADO QUE CONSISTE DE UM EDIFÍCIO DE 5 PISOS, COM SUBSOLO, TÉRREO, 2 PAVIMENTOS TIPOS E COBERTURA, ONDE SERÃO APRESENTADOS OS PRINCIPAIS RECURSOS DO SOFTWARE.

AO LONGO DA APRESENTAÇÃO VAMOS ACOMPANHAR TODA A ENTRADA GRÁFICA DE DADOS, COMO O LANÇAMENTO DE PILARES, VIGAS, LAJES, CARGAS, RESERVATÓRIOS, VENTO, CONSOLOS, FUNDAÇÃO, ETC. APÓS A ENTRADA GRÁFICA A ESTRUTURA SERÁ CALCULADA E ANALISADOS TODOS OS DIAGRAMAS DE ESFORÇOS, CONSIDERAÇÕES REALIZADAS E O DIMENSIONAMENTO E DETALHAMENTO DAS ARMADURAS. TAMBÉM SERÃO GERADOS OS RELATÓRIOS DE CALCULO E OS DESENHOS DE TODOS OS ELEMENTOS ESTRUTURAIS.

ESPERAMOS ATRAVÉS DESSA APRESENTAÇÃO PASSAR O MAIOR NÚMERO DE INFORMAÇÕES SOBRE O SOFTWARE.

PARA ASSISTIR AS VÍDEO-AULAS RECOMENDA-SE SEGUIR A SEQUÊNCIA APRESENTADA NO

MANUAL PROJETO DE UM EDIFICIO COM CYPECAD SEM PULAR NENHUMA ETAPA PARA

COMPREENSÃO TOTAL DO PROJETO QUE ESTÁ SENDO CRIADO.

A CADA ETAPA APRESENTADA NO MANUAL ESTA UM ÍCONE E AO LADO O NOME DA

VIDEO-AULA QUE SE ENCONTRA DENTRO DA PASTA VIDEO-AULAS PROJETO DE UM EDIFICIO

COM CYPECAD NO CD-ROM.

PARA VER AS VÍDEO–AULAS BASTA ARRASTAR O VÍDEO DESEJADO DENTRO DA TELA DO

(3)

POR FAVOR TENHA INSTALADO EM SEU PC/Notebook OS SEGUINTES ITENS PARA PODER

ASSISTIR AS VÍDEO-AULAS E VISUALIZAR OS MANUAIS:

_Ter instalado plugin Adobe Flash Player

_Ter instalado plugin Adobe Shockwave Player

_Ter instalado visualizador de arquivos PDF

_Ter instalado Windows Media Player Classic

CASO NÃO POSSUA ESTES ITENS INSTALADOS ELES JÁ ESTÃO NO CD-ROM DO CURSO

DENTRO DA PASTA

APLICATIVOS

E TODOS SÃO COMPATÍVEIS COM WINDOWS XP OU

VISTA. PARA VER OS VÍDEOS SEM PERDA DE PARTES NO PLAYER CONFIGURE EM MODO

FULL SCREEM (Tela Cheia) PARA OCUPAR TODO ESPAÇO DA TELA DO MONITOR DE VÍDEO.

ÍNDICE GERAL:

PROJETO DE UM EDIFICIO COM CYPECAD

01 Ambiente Iintegrado.swf

02 Lancamento Automático da Obra.swf

03 Dados Gerais.swf

04 Vento.swf

05 Combinações.swf

06 Composição do Projeto.swf

07 Pisos.swf

08 Pilares.swf

09 Pilar Parede.swf

10 Engastamento.swf

11 Flambagem.swf

12 Carregamento de Pilares.swf

13 Linhas de Referencia.swf

14 Opções de Pilares.swf

15 Tabela Armadura de Pilares.swf

16 Tipos de Vigas.swf

17 Lancamento de Vigas.swf

18 Captura de Vigas.swf

19 Viga Curva.swf

20 Condições de Contorno.swf

21 Opções de Vigas.swf

22 Tabela Ferro para Vigas.swf

23 Consolo de Pilares.swf

24 Tipos de Lajes.swf

25 Laje Maciça.swf

26 Abertura de Lajes.swf

27 Engastamento de Lajes.swf

28 Cargas.swf

29 Cargas de Vigas.swf

30 Carga Linear de Lajes.swf

31 Carga Distribuida.swf

33 Rebaixo de Banheiro.swf

34 Viga Semi Invertida.swf

35 Cortes Seções.swf

36 Cotas.swf

38 Laje Nervurada.swf

39 Maciços.swf

40 Ponto de Nervuras.swf

64 Pilares.swf

65 Vigas.swf

66 Laje Maciça.swf

67 Laje Nervurada.swf

68 Armadura de Punção.swf

69 Armadura Lajes Pré Fabricadas.swf

70 Armadura de Consolos.swf

70A Armadura 3D de Consolo.swf

71 Armadura de Cortinas.swf

72 Armadura de Reservatorios.swf

73 Armadura de Paredes.swf

74 Lançamento das Sapatas.swf

75 Introdução Lançamento das Sapatas.swf

76 Lançando Vigas de Equilibrio.swf

77 Dimensionar.swf

78 Resultados.swf

79 Resultados das Vigas.swf

81 Lançamento dos Blocos.swf

82 Bloco de Estacas.swf

83 Lançamento das Vigas.swf

84 Dimensionar Fundação.swf

85 Resultado dos Blocos.swf

87 Geometria de Radie.swf

88 Lançamento Laje de Fundação.swf

89 Calculo da Obra.swf

90 Formatos de Desenhos.swf

91 Desenhos 2D.swf

92 Exportação 3D.swf

93 Cargas de Fundação.swf

94 Carimbo.swf

95 Detalhes Tipicos.swf

96 Detalhamento da Fundação.swf

97 Desenho das Formas.swf

98 Girar Desenho de Vigas.swf

99 Desenho das Lajes.swf

100 Desenho de Pilares.swf

101 Relatorios da Obra.swf

101 Layers.swf

(4)

41 Copia Pisos.swf

42 Laje Pré Fabricada.swf

43 Reservatorio Elevado.swf

44 Cortina de Subsolo.swf

45 Visualização 3D.swf

46 Laje Inclinada.swf

47 Seção do Edificio.swf

48 Calculo da Obra.swf

49 Mensagens de Calculo.swf

50 Envoltoria de Vigas.swf

51 Esforços em Pilares.swf

52 Esforços em Lajes.swf

53 Taxa de Armadura.swf

54 Isovalores.swf

55 Deformada em 3D.swf

56 Esforços de Cortinas.swf

57 Esforços de Reservatorios.swf

58 Esforços em Paredes.swf

59 Deslocamento de Pilares.swf

60 Modelo 3D.swf

61 Gama Z.swf

62 Lajes Pré Fabricadas.swf

63 Erro em Vigas.swf

102 Relatorio de Quantitade da Obra.swf

103 Relatorio da Fundação.swf

104 Relatorio de Pilares.swf

105 Relatorio das Vigas.swf

106 Relatorio das Lajes.swf

A01 DEFINIÇÃO DOS PISOS.swf

A02 IMPORTA CAD.swf

A03 PILARES.swf

A04 LANÇAMENTO.swf

A05 LAJES.swf

A08 CONFIGURAÇÃO.swf

A09 CALCULAR.swf

A10 ESFORÇOS.swf

A13 ARMADURA.swf

A15 RELATORIOS.swf

A16 DESENHOS.swf

203 DEFINIÇÃO DAS BARRAS.swf

204 TERÇAS.swf

205 DEFINIÇÃO MATERIAL.swf

206 CARGAS.swf

207 ESFORÇOS.swf

208 VERIFICAÇÃO.swf

209 REALTORIOS.swf

210 DESENHOS.swf

DENTRO DA PASTA

NOVIDADES CYPECAD VERSÃO 2008

NO CD-ROM ESTÃO VIDEOS

EXPLICATIVOS DOS NOVOS RECURSOS E MELHORIAS INCLUIDAS NO CYPECAD.

NOVIDADES CYPECAD VERSÃO 2008

01-Novo Módulo de Escadas (Módulo Opcional)

02-Girar Pilares ao longo da PRUMADA

03-Salvar Armadura de Pilares e Vigas

04-Geração dos desenhos em diretório definido pelo usuário

05-Deformada com Indicação de Cores

06-Curvas de Isovalores com Limitação de valores

07-Visualização automática de todos os desenhos na geração de Pranchas

DENTRO DA PASTA

MANUAIS CYPECAD PT-BR

NO CD-ROM ESTÃO TODOS OS MANUAIS EM

FORMATO PDF VERSÃO 2008 PARA CONSULTA DURANTE O APRENDIZADO DO CURSO

ATRAVÉS DAS VIDEO-AULAS.

(5)

Lançamento da Estrutura

Análise Estrutural

Armaduras

Fundação

Relátorio de Cálculo

Desenhos da Obra

Alvenaria Estrutural

Integração Concreto - Aço

LANÇAMENTO DA ESTRUTURA

Ambiente Integrado

Carregamentos

Introdução Automática da Obra

Desniveis

Dados Gerais

Cortes

Vento

Cotas

Combinações

Lajes Nervuradas

O projeto

Copia de Piso

Pavimentos

Lajes Pré-Fabricadas

Introdução de Pilares e Paredes

Cortina de Subsolo

Linhas de Referência

Reservátorio Elevado

Lançamento das vigas

Visualização 3D

Tipos de lajes

Lajes Inclinadas

Lajes

Seção do Edificio

(6)

Lançamento da Estrutura

AMBIENTE INTEGRADO

Identificação da Obra

 - nome do Projeto, Obra, comentários, etc  Escolha da Norma

- pode-se escolher a NB1-78 ou NBR-6118:2003.

 - pode-se calcular com cada uma delas e comparar os resultados.  Concreto e Aço: propriedades automáticas

- escolher através de menu com as classes.

 - resistência, módulo de elasticidade, peso próprio.  Vento: consideração espacial em 3D

- especificado facilmente através de Menu interativo.

 - gerado automaticamente para todo o edifício: X,-X,Y,-Y.  Combinações: todo rigor da Norma Brasileira

 - gera automaticamente todas as combinações.  - coeficientes de majoração e minoração.  Estabilidade Global e Efeitos de 2a. Ordem

- calcula o Coeficiente Gama-Z.

 - considera o efeito P-delta

01_ambiente_integrado.swf

Lançamento da Estrutura

INTRODUÇÃO AUTOMÁTICA DA OBRA

Pisos e Tipos - o edifício na elevação.

 - descreve número de pisos, de tipos, subsolos, cobertura.  - o valor do pé direito pode variar inclusive nos andares tipo.  - geração automática do edifício na elevação.

 - cálculo das cotas do edifício, considerando a fundação.  Cargas Permanentes e Acidentais

 - sobrecargas especificadas por andar ou tipo.  - geração automática do peso próprio e sobrecargas.  - para todos os andares - para o edifício inteiro.  Editor Inteligente: edifício virtual

 - visualização e edição interativa de andares, pés-direito, sobrecargas, etc.  - resultando em grande produtividade.

(7)

Lançamento da Estrutura

DADOS GERAIS

Identificação da Obra

 - nome do Projeto, Obra, comentários, etc.  Escolha da Norma

- pode-se escolher a NB1-78 ou NBR-6118:2003.

 - pode-se calcular com cada uma delas e comparar os resultados.  Concreto e Aço: propriedades automáticas

- escolher através de menu com as classes.

- resistência, módulo de elasticidade, peso próprio. Vento: consideração espacial em 3D

- especificado facilmente através de Menu interativo.

- gerado automaticamente para todo o edifício: X,-X,Y,-Y. Combinações: todo rigor da Norma Brasileira

 - gera automaticamente todas as combinações.  - coeficientes de majoração e minoração.  Estabilidade Global e Efeitos de 2a. Ordem

- calcula o Coeficiente Gama-Z.

 - considera o efeito P-delta

03_dados_gerais.swf

Lançamento da Estrutura

VENTO

Facilidade de Lançamento

 - janela gráfica contém todas as informações necessárias.  - geometria do edifício.

 - seleção da classe de risco, topografia, etc.  - vento de acordo com Norma NBR 6123/88.

 - velocidade do vento pode ser consultada diretamente das curvas isopletas.  -Verifica estabilidade global do edifício (efeito P-Delta).

Help "on line"

 - esclarece com textos e figuras qualquer dúvida.  Geração Automática

 - vento é gerado nas 4 direções: +X, +Y -X e –Y.  - para todo o edifício.

 - combinações de carregamento também são automáticas.

(8)

Lançamento da Estrutura

COMBINAÇÕES

 Pode-se criar quantas hipoteses de carregamento for necessarias  Todas as Combinações são Automáticas.

 Pode-se editar os coeficientes para cada Norma.  Segue rigorosamente a NBR8681/2004.

 Peso Proprio da estrutura é Automatico.

05_combinacoes.swf

(9)

Lançamento da Estrutura

O PROJETO

Com este passo a passo, pretendemos passar todas as informações necessárias referentes ao software CYPECAD, serão abordados praticamente todas as funções do sistema e sua aplicação em casos práticos.

Os principais temas tratados são:

1- Pilares

2- Vigas de concreto armado e perfis metálicos 3- Lajes maciças 4- Lajes nervuradas 5- Lajes pré-fabricadas 6- Vigas curvas 7- Vigas em seção T 8- Transições 9- Desníveis

10- Muros de reservatórios e alvenaria estrutural 11- Fundações em sapatas e blocos

12- O correto uso das vigas de equilíbrio e vigas alavancas

13- Combinações e Carregamentos 14- Aplicação da norma NBR-6118:2003 15- Geração e configuração de desenhos E outros temas.

06_composicao_projeto.swf

Lançamento da Estrutura

PAVIMENTOS

Os Pavimentos podem ser agrupados ou individuais. No caso dos pavimentos agrupados (tipos) são fornecidos o numero de pisos iguais.

Para cada pavimento deve ser fornecido as cargas acidentais (NBR6120) e também a altura de piso a piso. A cota da estrutura é obtida automaticamente em função do ajuste da cota da fundação (que pode ser uma cota negativa para simular a região enterrada).

Depois de criados os pavimentos, estes podem ser alterados a qualquer momento do projeto, admitindo também a criação de novos pavimentos mesmo depois de inseridos dados como vigas, pilares e cargas.

(10)

Lançamento da Estrutura

INTRODUÇÃO DE PILARES E PAREDES

Lançamento de Pilares

Pilares-Paredes

Engastamento de Pilares

Coeficiente de Flambagem

Cargas em Pilares

Opção de Customização

Tabelas de Armadura de Pilares

Consolo de Pilares

Armaduras de Consolos

(11)

Introdução de Pilares e Paredes

EDIÇÃO DE PILARES

Facilidade de Lançamento

- basta escolher a seção, locar pilar em planta, piso início e fim. - prumada inteira é gerada automaticamente.

Facilidade de Locação

- apenas um clique do mouse lança um pilar.

- cotas interativas ou do projeto arquitetônico no CAD.  Considera Dimensões Reais do Pilar

- e não o pilar com simples eixo.

- resultado mais preciso nos esforços de pilares e vigas. - armadura mais precisa e ancoragens mais seguras.  Editor Inteligente: edifício virtual

- facilidade para editar pilares: copia, move, altera seção, etc. - resulta em grande produtividade no lançamento.

Simular Situações Especiais

- seção variável na prumada.

- alterar coeficiente de engastamento ou de flambagem. - cargas horizontais na prumada ou cargas no topo dos pilares.

(12)

Introdução de Pilares-Paredes

Pilares-Paredes

Lançamento Muito Fácil:

 - descrever geometria, posição em planta, piso início e término.  Geometria Qualquer

 - criada com editor gráfico: pode ser aberta ou fechada.  - seção variável ao longo da prumada.

 - discretiza toda a prumada por elementos finitos  Biblioteca de Seções

- seções são guardadas por nome e lançadas mais de uma vez.

Editor Inteligente: edifício virtual

 - resulta em grande produtividade no lançamento.

(13)

Introdução de Pilares-Paredes

ENGASTAMENTO DE PILARES

As lajes podem ser analisadas como simplesmente apoiadas ou engastadas. Adimite-se um coeficiente intermediário entre a rotula e o engaste, através de um coeficiente que varia de 0 a 1. Este coeficiente é adotado nas bordas das lajes.

(14)

Introdução de Pilares-Paredes

COEFICIENTE DE FLAMBAGEM

Pode-se indicar os coeficientes de flambagem ao longo da prumada dos pilares.O coeficiente de flambagem é definido pelo usuário nas direções x e y e em todos os tramos do pilar. O CYPECAD considera automaticamente o coeficiente em pés-direitos duplos.

11_flambagem.swf

(15)

Introdução de Pilares-Paredes

CARGAS DE PILARES

O peso-próprio da estrutura, e a distribuição de cargas (vigas e lajes) é gerado

automaticamente pelo CYPECAD, pode-se ainda adotar um carregamento horizontal nos pilares (para simular empuxos, reações externas) e também cargas no topo do pilar (muito útil para transferir esforços de outros sistemas (ex: carregamento de uma treliça de

madeira ou metálica calculada pelo Metálicas 3D). Ainda é possível lançar cargas pontuais nos pilares considerando as excentricidades das mesmas.

(16)

Introdução de Pilares-Paredes

OPÇÕES DE CUSTOMIZAÇÃO

O CYPECAD permite ao usuário configurar as opções para os pilares, alterar coeficientes de rigidez a torção, rigidez axial, disposição de armaduras longitudinais e estribos, critérios para dobras, critérios para emendas de armaduras e igualação de pilares.

14_opcoes_pilares.swf

Introdução de Pilares-Paredes

TABELAS DE ARMADRAS DE PILARES

As tabelas de armaduras são configuradas de acordo com a necessidade do usuário, pode-se definir para o CYPECAD quais as bitolas e os arranjos disponíveis para o software armar as vigas. É possível customizar varias tabelas, para obras menores, edifícios, obras industriais, e o usuário escolhe a tabela mais adequada à situação da obra.

(17)

Introdução de Pilares-Paredes

CONSOLOS DE PILARES

As tabelas de armaduras são configuradas de acordo com a necessidade do usuário, pode-se definir para o

CYPECAD quais as bitolas e os arranjos disponíveis para o software armar as vigas. É possível customizar varias

tabelas, para obras menores, edifícios, obras industriais, e o usuário escolhe a tabela mais adequada à situação da obra.

23_consolo_pilares.swf

Lançamento da Estrutura

LINHAS DE REFERÊNCIAS

Lançamento Automático

 - basta indicar o eixo dos pilares.

 - eixos de locação são gerados e numerados.  Desenho de Locação de Pilares

 - elaboração automática.  - baseado nos eixos de locação.  Cotagem Automática

 - com base dos eixos de locação.  Linhas Especiais

 - chamadas de Linhas de Contorno.

 - para definir regiões especiais: do projeto, de um piso ou de um pano de laje.

(18)

Lançamento da Estrutura

LANÇAMENTO DE VIGAS

Tipo de Vigas

Lançamento das Vigas

Ferramentas de Captura

Viga Curva

Condições de Contorno

Opção de Customização

Tabelas de Armadura de Vigas

Lançamento de Vigas

TIPOS DE VIGAS

Lançamento Muito Fácil:

- escolher tipo de viga, pré-dimensionamento e locação.  Vários Tipos de Viga

- rasas, normais, T, invertida, semi-invertida.  Locação Fácil e Exata

- eixo de pilar, mouse, cotas, projeto no CAD (DXF).  Considera as Dimensões Reais das Vigas

- e não simplesmente como um eixo

- ajusta a viga à face do pilar ou face do edifício.  Verifica a Consistência e Conectividade

- vigas e pilares estão conectados adequadamente. - avisa as situações anormais.

Editor Inteligente: edifício virtual

- fácil mudar tipo, seção deslocar, prolongar vigas. - resulta em grande produtividade no lançamento.

16_tipos_vigas.swf

(19)

Lançamento de Vigas

LANÇAMENTO DE VIGAS

As vigas podem ser de vários tipos, vigas altas, vigas embutidas na laje ( viga rasa, chata ou plana), nervura não estrutural, vigas apoiadas sobre o solo, vigas metálicas, seção T ou invertidas.

O lançamento das vigas é feito de uma maneira bem simples: clicar sobre o ponto inicial e o ponto final da viga, com o software reconhecendo automaticamente os apoios intermediários. Uma viga continua pode ter tramos com seções diferentes e conta com recursos importantes como editar uma viga depois de lançada, apagar ou mesmo deslocar. Possui um importante recurso para ajustar as vigas em função do desenho importado do CAD, inclusive fornecendo deslocamentos provenientes dos revestimentos.

Um novo recurso de captura de vigas foi desenvolvido, aumentando muito a produtividade do lançamento estrutural. Esse recurso consiste em inserir a viga conforme o desenho de arquitetura, ou seja ao clicar sobre a linha da parede a viga foi lançada automaticamente (esse recurso somente esta disponível com o modulo de lançamento automático da obra)

17_lancamento_vigas.swf

Lançamento de Vigas

FERRAMENTA DE CAPTURA

Um novo recurso de captura de vigas foi desenvolvido, aumentando muito a produtividade do lançamento estrutural. Esse recurso consiste em inserir a viga conforme o desenho de arquitetura, ou seja ao clicar sobre a linha da parede a viga foi lançada automaticamente (esse recurso somente esta disponível com o modulo de lançamento automático da obra).

(20)

Lançamento de Vigas

VIGA CURVA

Recurso exclusivo para o lançamento de vigas curvas, clicando no ponto inicial, ponto central para a definição do raio eum terceiro ponto o arco é lançado automaticamente pelo CYPECAD.

19_viga_curva.swf

Lançamento de Vigas

CONDIÇÃO DE CONTORNO

Vigas Inclinadas

- inclinação qualquer: ângulo horizontal e vertical.

- vários carregamentos também definidos em qualquer direção.  Vigas Curvas e Poligonais

- de qualquer geometria definidas com vários segmentos de viga.  Rótulas

- pode-se introduzir em quaisquer extremidade. - para a liberação de momentos.

Apoios Externos

- de vários tipos, simulando outras estruturas.

- são definidos com suas dimensões reais (e não simples eixos).  Continuidade de Viga Contínua

- pode-se forçar ou quebrar entre vários trechos de uma viga.  Vigas de Transição

- são calculadas e detalhadas automaticamente.

(21)

Lançamento de Vigas

OPÇÃO DE CUSTOMIZAÇÃO

Pode-se indicar condições de contorno para todas as vigas lançadas, como engastamento viga-pilar, engastamento viga-laje, liberando a torção ou não nas bordas. Estabelece critérios de continuidade e possibilita ao usuário indicar a continuidade ou não de determinadas vigas.

O CYPECAD traz uma serie de configurações como critérios de numeração das vigas, região para dispor de estribos em vigas que se apóiam em vigas, que se apóiam em pilares, como dispor das armaduras nas vigas, tamanho do agregado e vibrador para a determinação dos espaçamentos e outras configurações.

21_opcoes_vigas.swf

Lançamento de Vigas

TABELAS DE ARMADURA DE VIGAS

As tabelas de armaduras são configuradas de acordo com a necessidade do usuário, pode-se definir para o CYPECAD quais as bitolas e os arranjos disponíveis para o software armar as vigas. É possível customizar varias tabelas, para obras menores, edifícios, obras industriais, e o usuário escolhe a tabela mais adequada à situação da obra.

22_tabela_ferro_vigas.swf

Lançamento da Estrutura

TIPOS DE LAJES

Com o CYPECAD, pode-se analisar a estrutura com diversos tipos de lajes:

- Lajes Maciças - Lajes Nervuradas - Lajes Pré-Fabricadas - Lajes Alveolares - Lajes Steel-Deck

As lajes Cogumelo estão disponíveis para as lajes maciças e nervuradas, sendo analisado o puincionamento rigorosamente conforme a NBR6118:2003

(22)

Lançamento da Estrutura

LAJES

Lajes Maciças

Abertura em lajes

Engastamento de lajes

Lajes

LAJES MACIÇAS

 Facilidade de Lançamento  - escolher a espessura da laje.  - clicar com o mouse dentro do pano  Geometria Irregular

- panos, aberturas, rebaixos e de geometria irregular.

- rebaixos e desníveis considerados na análise e detalhamento  Geração Automática de Capitéis de Laje Cogumelo

 - com recursos de edição ou criação manual.  Discretização Automática da Malha

 - utiliza elementos especiais de laje com diafragma rígido.

 - engaste e continuidade podem ser definidas por pano ou aresta.  Armaduras em Malhas

 - considerada como armadura de base.  Editor Inteligente: edifício virtual

 - altera facilmente tipos de laje, geometria, espessura, engaste.  - resulta em grande produtividade no lançamento.

(23)

Lajes

ABERTURA EM LAJES

O CYPECAD possibilita ao engenheiro o lançamento de aberturas nas lajes maciças e nervuradas, a analise é feita através do Método dos elementos finitos, fornecendo ao usuário todos os esforços e tensões no pano de laje que contem a abertura.

As lajes podem ter qualquer geometria, adimitindo aberturas irregulares nos panos de lajes maciças. Ao lançar as lajes é feita automaticamente a discritização automática da malha com elementos especiais de laje com diafragma rígido.

26_abertura_lajes.swf

Lajes

ENGASTAMENTO DE LAJES

As lajes podem ser analisadas como simplesmente apoiadas ou engastadas. Adimite-se um coeficiente intermediário entre a rotula e o engaste, através de um coeficiente que varia de 0 a 1. Este coeficiente é adotado nas bordas das lajes.

27_engastamento_lajes.swf

Lançamento da Estrutura

CARREGAMENTO

Carregamentos no Piso

Cargas em Vigas

Carga em lajes

Cargas Lineares

(24)

Carregamentos

CARREGAMENTOS NO PISO

O peso-próprio da estrutura é calculado automaticamente em função do pré-dimensionamento feito pelo usuário. Pode-se lançar as cargas acidentais ( tf/m2) que atua em todo o pavimento,alem de carga permanente devido a revestimentos, impermeabilização e enchimentos.

Permite ao engenheiro inidicar as cargas em pontos específicos do projeto como:  Carga de Paredes – sobre vigas ou lajes através da carga linear ( tf/m)  Cargas concentradas – lançadas através de coordenadas

 Cargas Distribuídas por superfície – Carregamentos em regiões da laje. Esse carregamento atua apenas na região solicitada , somando-se as cargas permanentes e acidentais inidicadas no inicio do projeto.

28_cargas.swf

Carregamentos

CARGAS EM VIGAS

Lançamento automático de Carga Distribuída em Vigas, basta fornecer o valor do carregamento e clicar

sobre as várias vigas com esse carregamento.Pode-se escolher varias vigas ao mesmo tempo.

(25)

Carregamentos

CARGAS EM LAJES

Lançamento automático de Carga Distribuída em Lajes, basta fornecer o valor do carregamento e clicar

sobre as várias lajes com esse carregamento

.

31_carga_distribuida.swf

Carregamentos

CARGAS LINEARES

Através das cargas lineares e possível a introdução de cargas que atua por metro (tf/m2) sobre vigas ou lajes.

(26)

Lançamento da Estrutura

DESNIVEIS

Rebaixo em lajes

Vigas Semi - Invertida

Desniveis

REBAIXO EM LAJES

Facilidade de Lançamento

 - escolher a altura do rebaixo (-) ou desnível (+) para cima. - desenhar a geometria do balanço.

- ou importar a geometria através do projeto arquitetônico (CAD). - clicar com o mouse dentro do rebaixo ou desnível

Geometria Irregular

 - panos, aberturas, rebaixos e de geometria irregular.

 - rebaixos e desníveis considerados na análise e detalhamento.  Discretização Automática da Malha

 - utiliza elementos especiais de laje com diafragma rígido.

 - engaste e continuidade podem ser definidas por pano ou aresta.  Editor Inteligente: edifício virtual

 - altera facilmente tipos de laje, geometria, espessura, engaste.  - resulta em grande produtividade no lançamento.

(27)

Desniveis

VIGAS SEMI-INVERTIDAS

Ao lançar as vigas, elas assumem automaticamente a cota do pavimento, porem é possível indicar para algumas vigas uma cota diferente. Para isso indica-se o valor do desnível e escolhe as vigas que terão a nova altura. O 3D é atualizado automaticamente pelo CYPECAD.

(28)

Lançamento da Estrutura

CORTES

Cortes e Seções Automáticas

- total liberdade para criar cortes de qualquer região. - cortes podem ser por qualquer plano: X, Y ou esconso.  Seções Rebatidas no Desenho

 - para mostrar vigas, rebaixos em laje.  - geralmente corta-se uma única peça.  Cortes Rebatidos Fora do Desenho

 - geralmente corta-se o piso de fora a fora.

 - dá todos os detalhes: seção de pilar, lajes nervuradas, pré-fabricada

35_cortes_secoes.swf

Lançamento da Estrutura

COTAS

Cotas Automáticas

 - total liberdade para criar cotas de qualquer região.  - cortes podem ser por qualquer direção: X, Y ou esconso.  - atualização automática ao mover a cota de posição.  - usuário escolhe o que vai sair na prancha de forma.

(29)

Lançamento da Estrutura

LAJES NERVURADAS

Introdução da Laje

Maciços

Ponto de Passagem

Lajes Nervuradas

INTRODUÇÃO DA LAJE

As lajes Nervuradas são escolhidas a partir de uma biblioteca de fabricantes ( estão cadastrados ATEX, ASTRA e ULMA ). O usuário tem a possibilidade de consultar e também de editar os dados dessas lajes. Os cortes de seção são feitos automaticamente e o levantamento do volume pode ser ajustado em função dos dados fornecidos pelo fabricante.

38_laje nervurada.swf

Lajes Nervuradas

MACIÇOS

Recurso para o lançamento automático de regiões macicadas em lajes nervuradas. Os maciços pode ter alturas diferentes da laje nervurada formando os capitéis. Depois de criados os maciços o usuário tem liberdade para alterar a geometria.

.

(30)

Lajes Nervuradas

PONTO DE PASSAGEM

O usuário pode alterar o ponto de passagem das lajes, indicando exatamente a posição das nervuras, o software realiza automaticamente o detalhamento dos moldes.

40_ponto_nervuras.swf

Lançamento da Estrutura

CÓPIA DE PISOS

Editor Inteligente

 - permite copiar pisos inteiros para vários andares.  Gera Andar Completo

 - são copiados todos os elementos:

 -- estruturais: vigas, lajes, capitéis, aberturas, etc.

 -- cargas concentradas, lineares e distribuídas por superfície.  Facilidade de Edição

 - pode-se alterar o tipo de viga e de laje.

 - amplos recursos de apagar elementos de viga, laje ou cargas.

(31)

Lançamento da Estrutura

LAJES PRÉ - FABRICADAS

Bibliotecas de Fabricantes

 - facilidade de criar novos padrões ou editar existentes.  - pode-se ter bibliotecas com vários fabricantes nacionais.  Comportamento Estrutural das Vigotas

 - pod

 - e-se considerar as vigotas como continuas entre panos.  - ou mesmo considerar as vigotas "engastadas" nas vigas.  - surgem momentos negativos nos apoios - calcula armadura.  - com grande redução do momento positivo no meio do vão.  Seleciona o Tipo de Vigota

 - com base nas envoltórias de esforços nas vigotas.

 - seleciona o Tipo de Vigota dentro da bilblioteca de vigotas  Cálculo da Armadura das Vigotas

 - pode ser feita através de um artifício.

 - em que o software escolhe o tipo (e armadura) das vigota.  Lista de Vigotas

 - por tipo de vigota, comprimento, etc.

(32)

Lançamento da Estrutura

CORTINAS DE SUBSOLO

Lançamento

- pode começar e terminar em qualquer nível.

 - pode se estender por mais de 1 piso (entre 2, 3, 4 ou mais pisos).  Empuxos

 - aceita grande variedade de tipos de empuxo.  - pressão hidrostática, empuxo de solo, enrocamento.  - variação nível do lençol freático.

Combinações

 - são geradas automaticamente conforme a norma.  - considerando todas as possibilidades.

 - inclusive variação do nível de lençol freático.

44_cortina_subsolo.swf

Lançamento da Estrutura

RESERVÁTORIO ELEVADO

Lançamento Muito Fácil:

 - lançamento como muro ou cortina armada.

 - descrever geometria em planta, com o editor de vigas.

 - indica-se o piso em que começa e piso em que o muro termina.  Geometria Qualquer

 - criada com editor de vigas: pode ser aberta ou fechada.  - discretiza toda a prumada por elementos finitos.

 - utiliza Elementos Finitos de Placa de Parede Espessa.  Vários Tipos de Carregamentos

- gera automaticamente cargas hidrostáticas. - empuxo com variação no nível do lençol freático. - elabora as combinações automaticamente. - gera automaticamente diagrama de pressões. - Mais de um empuxo por cortina.

(33)

Lançamento da Estrutura

VISUALIZAÇÃO 3D

Perspectiva Rápida

 - visualização com sobra e luz do edifício.

 - pode-se escolher qualquer ângulo ou porção do edifício.  Perspectiva Completa

 - visualização em sombra e luz.

 - visualização em modelo de arame: barras e elementos finitos.  - permite consulta interativa sobre os elementos.

(34)

Lançamento da Estrutura

LAJES INCLINADAS

 Lajes inclinadas integradas a estrutura, calcula e arma rampas, escadas, lajes inclinadas de telhado ou arquitetônicas.

46_laje_inclinada.swf

Lançamento da Estrutura

SEÇÃO DO EDIFÍCIO

Corte Vertical

- efetua cortes automaticamente.

- qualquer plano vertical: segundo os eixos XY ou esconso.

Perspectiva Rápida

 - visualização com sobra e luz do edifício.

 - pode-se escolher qualquer ângulo ou porção do edifício.

Perspectiva Completa

 - visualização em sombra e luz.

 - visualização em modelo de arame: barras e elementos finitos.  - permite consulta interativa sobre os elementos.

(35)

ANÁLISE ESTRUTURAL

Cálculo da Obra

Esforços em Cortinas

Mensagens do Cálculo

Reservátorios

Esforços em Vigas

Esforços em Pilares-Paredes

Esforços em Pilares

Deslocamento de pilares

Esforços em Lajes

Discretização do Modelo 3D

Taxa de Armadura em

Lajes

Gama Z

Isovalores

Lajes Pré-Fabricadas

Deformanda em 3D

Erro em Vigas

Análise Estrutural

CÁLCULO DA OBRA

Cálculo totalmente automático abrangendo:

o MONTAGEM do MODELO ESTRUTURAL

o - pórtico espacial com barras: pilares e vigas integrado com o - elementos finitos: lajes, radiers, cortinas armadas, reservatórios o ANÁLISE ESTRUTURAL

o - estática e dinâmica, vento e efeitos de 2a. ordem o - combinações e envoltórias de esforço.

o DIMENSIONAMENTO das ARMADURAS

o - determina o As para a estrutura toda pilares, vigas, lajes, fund. o - verifica a seção de concreto rigorosamente com a Norma o DETALHAMENTO das ARMADURAS

o - determina arranjos de armadura, inclusive ganchos e estribos o - calculista pode "ensinar" o software armar como seu estilo  DESENHO das ARMADURAS

 - pranchas completas com armaduras, tabelas de ferro, etc.

(36)

Análise Estrutural

MENSAGENS DO CÁLCULO

Mensagens de Erro

- indicam problemas na estrutura. - falhas na concepção ou vinculação.

- orientam em que peça, local em planta e piso está o problema.  Mensagens do Cálculo

- indicam problemas no pr é-dimensionamento das peças. - situações em que não foi possível armar as peças.

49_mensagens_calculo.swf

(37)

Análise Estrutural

ESFORÇOS DE VIGAS

Informações Sobre as Vigas

 - listam qualquer situação irregular.

 - podem ser do pré-dimensionamento do concreto ou armadura.  Correção Automática

 - o software indica a correção a ser feita na seção de concreto.  - usuário pode escolher como solucionar o problema.

Níveis de Problemas

 - existem 3 níveis de problemas: avisos, alertas e erros.  - visualização através de cores.

 - usuário pode classificar que situações são graves, médias, etc.  Re-armar a Viga ou Re-calcular a Estrutura

 - re-armar vigas: alterações pequenas em dimensões de vigas. - re-calcular a estrutura: grandes alterações em pilares e vigas.

(38)

Análise Estrutural

ESFORÇOS DE PILARES

Método de Cálculo

 - pilares são calculados a Flexão composta oblíqua.  Esforços Solicitantes

- diagramas por caso de carregamento.  Combinações

 - caso típico com vento: consideram-se 36 combinações.  Diagramas de Tensões e Linha Neutra

 - apresentados para o concreto e no aço para cada combinação  Diagrama de Deformações

 - apresentados para cada combinação.  Deslocamentos

 - são fornecidos por casos de carregamento.  Prumada Inteira

 - fácil visualização e posicionamento com o mouse. 

(39)

Análise Estrutural

ESFORÇOS EM LAJES

Os esforços nas lajes podem ser analisados em cada ponto da malha de elementos finitos, podem ser consultados momentos, cortantes, deslocamentos e taxas de armadura.

Da mesma forma que os esforços nos pontos, podemos analisar a estrutura de uma maneira global, através das curvas de isovalores:

• Malha de Elementos

– elementos com máx. 25 cm para lajes maciças. – ou 9 elementos por célula de laje Nervuradas. • Isovalores

– momentos, deslocamentos, etc.

• Diagramas de Taxa de Armadura

– longitudinal, transversal, superior e inferior.

• Esforços Solicitantes: todos os pisos

(40)

Análise Estrutural

TAXA DE ARMADURA EM LAJES

As armaduras são calculadas em Malhas . Pode ser considerada uma armadura de base, indicada previamente, sendo que esta armadura de base será descontada da armadura de reforço,

calculada apenas nos pontos onde a armadura de base não foi suficiente. A edição é feita através de um editor Inteligente:

 edifício virtual

 altera facilmente tipos de laje, geometria, espessura, engaste.  resulta em grande produtividade no lançamento.

O software fornece um diagrama com a taxa de armadura em cada seção da laje.

(41)

Análise Estrutural

ISOVALORES

Malha de Elementos

 - elementos com máx. 25 cm para lajes maciças.  - ou 9 elementos por célula de laje Nervuradas.  Isovalores

 - momentos, deslocamentos, etc.  Diagramas de Taxa de Armadura

 - longitudinal, transversal, superior e inferior.  Esforços Solicitantes: todos os pisos

 - momentos e cortantes por ponto e caso de carregamento.  Deslocamentos: verticais e rotações

 - para qualquer ponto, para cada caso de carregamento.  Deslocamentos Máximos

- para cada pano e indica o ponto onde ocorrem.

(42)

Análise Estrutural

DEFORMADA 3D

Visualização da estrutura deformada em 3D, podem ser visualizados os deslocamentos para cada uma

das hipóteses ou combinação de carregamentos

Opção de sobrepor a estrutura indeformada como referência para a estrutura deformadaGera uma animação da estrutura deformada.

(43)

Análise Estrutural

ESFORÇOS EM CORTINAS

Isovalores

 - de muros ou cortinas armadas.

 - mostram toda a prumada ou com zoom interativo.  - visualizam a discretização em elementos finitos.

Tipos de Isovalores

- deslocamentos. - esforços solicitantes. - tensões.

- resultados por piso ao clicar no trecho.

(44)

Análise Estrutural

RESERVATÓRIOS

O Módulo de Muros Armados calcula paredes armadas de Reservatórios Elevados e Enterrados (piscinas), Muros de Arrimo Tipo Cortina

e Alvenaria Estrutural pelo Método dos Elementos Finitos, considerando esses elementos estruturais integrados e trabalhando em conjunto com a estrutura toda. A discretização dos nós e elementos finitos é automática.

• o software efetua análise estrutural, calcula, detalha e desenha a armadura

• as armaduras e a seção de concreto podem ser alteradas através de um editor gráfico interativo muito poderoso • podem ter geometria irregular, poligonal e ter derivações abertas fechadas em planta

• podem começar e terminar em qualquer nível ou piso da estrutura

• permite vinculação em viga de fundação, em sapata corrida, vinculação externa rígida, ou qualquer elemento • são calculados integrados a estrutura toda com transmissão automática de cargas e esforços

• análise estrutural por elementos finitos, geração automática da malha

• fornece curvas de isovalores para deslocamentos, tensões, esforços permite consultar valores numéricos

• gera cargas hidrostáticas, pressão hidrostática e empuxo do solo

• gera cargas devidas ao empuxo de água com variação lençol freático, rocha, enchimento, cargas sobre o terreno • as combinações são automáticas para todos os carregamentos existentes

(45)

Análise Estrutural

ESFORÇOS EM PILARES-PAREDES

Método de Cálculo

 - análise por elementos finitos: placas de parede espessa  Discretização em Elementos

 - automática para toda a prumada  Isovalores dos Resultados

 - recursos de zoom interativo.

 - pode-se escolher a combinação para analisar  Deslocamentos

 - são considerados 3 translações e 3 rotações e deslocamento global  Esforços Solicitantes

 - forças normais, cortantes e momentos.  Tensões

 - tensões normais, tangenciais e principais (valor e direção)

(46)

Análise Estrutural

DESLOCAMENTO DE PILARES

Tipos de Deslocamentos - horizontais direções X e Y.

Casos de Carregamento - vento em cada direção.

59_deslocamento_pilares.swf

Análise Estrutural

DISCRETIZAÇÃO DO MODELO 3D

• Considera a estrutura toda integrada

• Pilares, Vigas e Lajes formam um pórtico espacial com elementos finitos • Pilares Parede, Reservatórios e Muros Armados por Elementos Finitos • Radiers e Vigas sobre apoio elástico

• Análise Estática linear e efeito P-delta e coeficiente Gama-z

• Análise Dinâmica: modos e freqüências naturais e análise espectral e análise sísmica

(47)

Análise Estrutural

GAMA Z

Estabilidade Global

 - calcula o coeficiente Gama-Z.

 - cálculo preciso para cada combinação  Efeito P-delta

 - majoração dos esforços horizontais.  - simulando efeito de 2a. ordem.

61_gamaz.swf

Análise Estrutural

LAJES PRÉ - FABRICADAS

Este módulo calcula, dimensiona, detalha e desenha Lajes Pré-fabricadas, analisando a estrutura como um conjunto espacial único em que lajes, vigas e pilares trabalham integrados.

 aceita geometria irregular para panos, balanços e aberturas  possui biblioteca de lajes e vigotas dos fabricantes

 o usuário pode editar ou criar novas bibliotecas para novos fabricantes ou padrões de lajes  permite considerar as vigotas trabalhando solidárias com as vigas de concreto da estrutura

 pode-se considerar continuidade entre vigotas alinhadas de panos adjacentes, colocando armadura negativa  levanta lista de vigotas e quantitativos da obra

(48)

Análise Estrutural

ERROS EM VIGAS

Informações Sobre as Vigas

 - listam qualquer situação irregular.

 - podem ser do pré-dimensionamento do concreto ou armadura.  Correção Automática

 - o software indica a correção a ser feita na seção de concreto.  - usuário pode escolher como solucionar o problema.

Níveis de Problemas

 - existem 3 níveis de problemas: avisos, alertas e erros.  - visualização através de cores.

 - usuário pode classificar que situações são graves, médias, etc.  Re-armar a Viga ou Re-calcular a Estrutura

 - re-armar vigas: alterações pequenas em dimensões de vigas. - re-calcular a estrutura: grandes alterações em pilares e vigas. 

63_erro_em_vigas.swf

(49)

ARMADURAS

Armaduras de Pilares

Armaduras de Vigas

Armaduras de Lajes Maciças

Armaduras de Lajes Nervuradas

Armaduras de Punção

Armaduras de Lajes Pré-Fabricadas

Armaduras de Consolos

Armaduras de Cortinas

Armaduras de Reservátorios

Armaduras de Pilares- Paredes

Armaduras

ARMADURA DE PILARES

Armadura Longitudinal

 - cantos, face X, face Y.  Estribos

 - bitola, espaçamento, detalhamento.  Esperas, Transpasses, Último Andar

 - arranjo considera situações especiais.  Verificação Rigorosa com Normas Brasil

 - indica quaisquer critérios não satisfeitos. - indica condições críticas que resultam no As. 

(50)

Armaduras

ARMADURA DE VIGAS

Todas as Armaduras são Calculadas

armadura positiva, negativa, estribos, de pele  Áreas de Aço

 - As calculado e As colocado (atualizado).  Detalhamento Completo

 - bitola, quantidade, camadas, comprimento, dobras.  Verificação Rigor com Norma Brasil

 - indica quaisquer critérios não satisfeitos.  Sugere Nova Seção da Viga

 - nova largura, altura ou misto para a viga “passar”  Examinar” todas as Vigas do Piso

- comando “avanço rápido” de vigas.

(51)

Armaduras

ARMADURA DE LAJES MACIÇAS

Tipos de Armadura

 - armadura convencional (armadura de reforço).  - armadura pré-determinada.

 - telas eletro-soldadas (armadura de base).  - armadura de punção.

Visualização

 - usuário escolhe quais armaduras que visualizar.  - cores indicam as bitolas (pode personalizar).  Recursos de Edição

 - pode-se alterar tudo: bitola, espaçamento, faixa, comprimento.  - editor é gráfico interativo basta selecionar a armadura na tela.  Recursos de Igualação de Armaduras

 - igualação automática para lajes retangulares.

 - usuário define faixas para igualar armaduras nessa região.

66_laje_macica.swf

Armaduras

ARMADURA DE LAJES NERVURADAS

Armadura das Nervuras

- considera continuidade entre as nervuras

Armadura de Cisalhamento

- das nervuras: cálculo exato, ponto a ponto.

Detalhamento Completo

 - bitola, espaçamento, comprimento, faixa distribuída, cota, dobra.

Piso Trabalhando em Conjunto

 - arma o piso interno, de todos os andares.

(52)

Armaduras

ARMADURA DE PUNÇÃO

Cálculo Automático

 - pesquisa superfícies de ruptura por punção e cisalhamento.  - todas as lajes são pesquisadas automaticamente.

 - determina armadura quando necessário.

Visualização

 - cores indicam a bitola.

 - o arranjo também é determinado.

68_armadura_puncao.swf

Armaduras

ARMADURA DE PRÉ-FABRICADAS

Envoltórias das Vigotas

 - considera continuidade entre as vigotas.

Momento Máximo das Vigotas

- utilizado para “escolher” a vigota do catálogo.

Armaduras das Capas

 - cálculo rigoroso considerando continuidade de vigotas.

Lista de Vigotas do Catálogo

 - lista com código, quantidade e comprimento das vigotas.

Quantitativas de Vigotas

(53)

Armaduras

ARMADURAS DE CONSOLO

 Toda armadura gerada pode ser alterada com apenas um clique de mouse.

 Pode-se alterar geometria e o software redimensina, alterar numero de barras ou diametros. Alem das ancoragens

 Toda a armadura detalhada em 2D pode ser visualizada em 3D , facilitando a analise.

 Permite mudar o ponto de observação, é como se "a armadura estivesse dentro do computador"  Pode-se editar a armadura em 3D como imediata visualização dos novos arranjos.

70_armadura_consolos.swf

Armaduras

ARMADURAS DE CORTINAS

Dimensiona e detalha todas as armaduras: barras horizontais (tração horizontal) e ganchos, barras verticais e estribos.

Possui um editor gráfico permite alterar seção de concreto e armaduras e recalcula "on line" após as modificações

.

(54)

Armaduras

ARMADURA DE RESERVÁTORIOS

Armadura nas 2 Faces

 - armaduras independentes nas duas faces.  - armaduras podem variar entre pisos.  Armadura Completa

 - armadura horizontal e vertical.  - distribuída em faixas.

Recursos de Edição

 - usuário pode editar bitola e espaçamento.

 - edição fácil através de janelas gráficas interativas.  Visualização Gráfica

 - pode-se visualizar graficamente os muros armados. - útil no caso do muro-cortina se estender por vários pisos.

(55)

Armaduras

ARMADURA DE PILARES-PAREDES

Armadura Vertical

 - por trecho (face) do pilar.  Armadura Horizontal

 - por trecho, face do pilar.

 - para resistir tensões de tração horizontais.  Armadura Transversal

- estribo, bitola, espaçamento, detalhamento. 

(56)

FUNDAÇÕES

Sapatas

Blocos

Radiers

SAPATAS

Taxa do Solo

Introdução das Sapatas

Vigas de Equilibrio

Dimensionamento

Resultados

Resultados das Vigas Equilibrio

Sapatas

TAXA DO SOLO

O software permite configurar a taxa do terreno para o calculo das dimensões da Sapata.

Pode-se adotar uma taxa para todas as sapatas ou entrar com um valoir especifico para apenas algumas das sapatas

(57)

Sapatas

INTRODUÇÃO DAS SAPATAS

Tipos de Sapatas

 - podem ser para um pilar ou para muitos pilares.  - centradas, excêntricas, de canto, de lado, etc.  - podem ser retangulares ou trapezoidais.  Materiais

 - especificar concreto e aço para o bloco.  Geometria

 - escolher a estaca da Tabela de Estacas.

 - distância da penetração estaca-bloco e entre eixos das estacas.  - distâncias das estacas até as bordas X e Y e altura do bloco.  - pode-se pré-determinar a armadura da estaca.

Cálculo Automático

 - dimensões geométricas da estaca.  - cálculo das armaduras.

 - informações referentes aos critérios da Norma.

75_introducao_lancamento_sapatas.swf

Sapatas

VIGAS DE EQUILIBRIO

Vigas de Travamento

 - também denominadas cintas de amarração.  - somente resistem esforços axiais.

 - não resistem momentos.

Biblioteca de Vigas de Travamento

 - já contem os tipos mais comuns.  - pode ser alterada pelo usuário.

Lançamento

 - muito fácil e rápido.

 - pode-se passar por várias sapatas de uma vez só.

(58)

Sapatas

DIMENSIONAMENTO

Lançamento Manual

 - escolher a estaca da Tabela de Estacas.

 - especificar o comprimento da penetração estaca-bloco.  - espaçamento entre eixos das estacas.

 - distâncias das estacas até as bordas X e Y e altura do bloco.

Armadura pré-determinada

- o calculista pode lançar uma armadura pré-determinada. - o software verifica esta armadura e informa qualquer problema.  Cálculo Automático

 - dimensões geométricas da sapata.  - cálculo das armaduras.

 - informações referentes aos critérios da Norma.

77_dimensiona.swf

Sapatas

RESULTADOS

78_resultados.swf

Sapatas

RESULTADOS DAS VIGAS EQUILIBRIO

(59)

Fundações

BLOCOS

Definição das Estacas

Introdução dos Blocos

Blocos Pilar-Parede

Vigas de Equilibrio

Dimensionamento

Erros de Dimensionamento

Resultados das Vigas Equilibrio

Blocos

DEFINIÇÃO DE ESTACAS

Tipos de Estacas

 - concreto circular, concreto quadrada.  - metálica - tipo de perfil

Características

 - diâmetro.

 - capacidade portante.

 - espaçamento mínimo entre eixos.  - símbolo para representar.

(60)

Blocos

INTRODUÇÃO DOS BLOCOS

Tipologia de Blocos

 - blocos retangulares de 1, 2, 3 e 4 estacas.

 - bloco linear ou retangular - qualquer número de estacas.  - bloco de 5 ou 6 estacas: retangular, pentagonal ou hexagonal.  Materiais

 - especificar concreto e aço para o bloco.  Geometria

- escolher a estaca da Tabela de Estacas.

- especificar o comprimento da penetração estaca-bloco. - espaçamento entre eixos das estacas.

- distâncias das estacas até as bordas X e Y e altura do bloco

Cálculo Automático

 - dimensões geométricas do bloco.  - cálculo das armaduras.

 - informações referentes aos critérios da Norma

81_lancamento_blocos.swf

Blocos

BLOCOS PARA PILARES-PAREDES

(61)

Blocos

VIGAS DE EQUILIBRIO

Vigas de Travamento

 - também denominadas cintas de amarração.  - somente resistem esforços axiais.

 - não resistem momentos.

Biblioteca de Vigas de Travamento

 - já contem os tipos mais comuns.  - pode ser alterada pelo usuário.

Lançamento

 - muito fácil e rápido.

 - pode-se passar por várias sapatas de uma vez só.

83_lancamento_vigas.swf

Blocos

DIMENSIONAMENTO

84_dimensionar_fundacao.swf

Blocos

ERROS DE DIMENSIONAMENTO

85_resultado_blocos.swf

Blocos

RESULTADOS DAS VIGAS EQUILIBRIO

Blocos

(62)

RADIERS

Geometria

Lançamento do Radiers

Resultados

Armaduras

Radiers

GEOMETRIA

Definindo a Geometria

 - geometria é desenhada pelo usuário.  - pode ser irregular.

Malha de Elementos Finitos

 - geração automática de malha.

 - elementos finitos especiais de laje com diafragma rígido. 

87_geometria_radie.swf

Radiers

LANÇAMENTO DO RADIER

Lançamento do Radier

 - lançado como laje sobre apoio elástico.  - fornecer a espessura do Radier.  - fornecer a taxa do solo.

Vigas sobre Apoio Elástico

- podem ser lançadas junto com o Radier. - ou isoladas.

(63)

Radiers

RESULTADOS DE CÁLCULOS

Cálculo Integrado

- o Radier é calculado considerando toda a estrutura integrada: - pórtico espacial: pilares e vigas.

- elementos finitos: radiers, lajes, muros armados, pilares parede. - sobre base elástica.

Carregamentos e Combinações

 - decorrem da super-estrutura.

 - o peso próprio do Radier é gerado automaticamente.

89_calculo_obra.swf

RELÁTORIOS

Relátorios

Dados Gerais

Quantitativos

Relátórios de Fundação

Esforços de Pilares

Esforços em Lajes

Relátorio de Vigas

(64)

Relatórios

RELATÓRIOS

Personalizado e Interativo

 - composição e detalhes, seletivo (listagem).  Dados Gerais

 - descrição, concreto, aço, pisos, pé-direitos,vento.  Carregamentos

 - locação e casos de cada carga.  Deslocamentos

 - 3 translações e 3 rotações por nó,coeficiente Gama-Z.  Envoltórias

 - esforços em vigas, lajes, pilares.  Armadura por Tipo de Elementos

 - dimensionamento e detalhamento das vigas, pilares e lajes  Quantitativos

 - peso de aço e área de formas.

 - impresso ou arquivo texto para edição.

Relatórios

DADOS GERAIS

• Personalizado e Interativo

– composição e detalhes, seletivo (listagem).

• Dados Gerais

– descrição, concreto, aço, pisos, pé-direitos,vento. • Carregamentos

– locação e casos de cada carga.

(65)

Relatórios

QUANTITATIVOS

Quantitativos Automáticos

 - software levanta os quantitativos da obra:

 - área de forma, volume de concreto e peso de aço.  Tipo de Elemento

- software quantifica por elemento estrutural - pilares - vigas - lajes maciças - lajes pré-fabricadas - lajes nervuradas - fundações

Quantitativos por Piso

 - software quantifica por piso, tipo é multiplicado.  - quantitativos TOTAIS da obra.

102_relatorio_quantitade_obra.swf

Relatórios

RELATÓRIOS DE FUNDAÇÃO

• Personalizado e Interativo

– composição e detalhes, seletivo (listagem). • Dados Gerais

– descrição, concreto, aço, pisos, pé-direitos, vento. • Carregamentos

– locação e casos de cada carga. • Verificacao

– Indica todas as verificações realizadas, apontando o que não passa • Lista de Material

- Volume de concreto e quantidade de aço para as fundações

103_relatorio_fundacao.swf

Relatórios

ESFORÇOS EM PILARES

• Personalizado e Interativo

– composição e detalhes, seletivo (listagem). • Dados Gerais

– descrição, concreto, aço, pisos, pé-direitos, vento. • Carregamentos

– locação e casos de cada carga. • Verificacao

– Indica todas as verificações realizadas, apontando o que não passa • Lista de Material

- Volume de concreto e quantidade de aço para as fundações

(66)

Relatórios

ESFORÇOS EM LAJES

Os esforços nas lajes podem ser analisados em cada ponto da malha de elementos finitos, podem ser consultados momentos, cortantes, deslocamentos e taxas de armadura.

Da mesma forma que os esforços nos pontos, podemos analisar a estrutura de uma maneira global, através das curvas de isovalores:

• Malha de Elementos

– elementos com máx. 25 cm para lajes maciças. – ou 9 elementos por célula de laje Nervuradas.

• Isovalores

– momentos, deslocamentos, etc.

• Diagramas de Taxa de Armadura

– longitudinal, transversal, superior e inferior.

• Esforços Solicitantes: todos os pisos

106_relatorio_lajes.swf

DESENHOS

Definição dos Formatos

Impressão da tela 2D

Impressão da tela 3D

Cargas de Fundação

Utilização do Carimbo

Detalhes Típicos

Desenhos de Fundação

Desenhos de Formas

Desenhos de Pilares

Desenhos de Vigas

Desenhos de Lajes

Configuração dos Layers

(67)

Desenhos

DEFINIÇÃO DE FORMATOS

Grupos de Formatos

 - pode ser definido para cada periférico  Definir Formatos

 - tamanho de folhas, margens e carimbo  Impressoras

 - vários tipos, papel, margens, configurados pelo Windows  Mosaico

 - automaticamente segmenta o desenho conforme o periférico. Ex: tamanho AO em 80 colunas  Plotters

 - vários tipos áreas de plotagem, penas  Plotter Virtual

 - Permite utilizar um plotter que não está fisicamente ao lado do computador - grava um arquivo de plotagem

AutoCAD

 - interface com arquivo DXF controlando, escala, layer, penas, etc.

90_formatos_desenhos.swf

Desenhos

IMPRESSÃO DE TELA 2D

Impressão de Tela  - para impressora  - imagem  - desenho em DXF

É gerado um desenho para qualquer programa de CAD do que estiver na tela, um desenho de formas sobreposto com a arquitetura, o modelo em 3D, um detalhe específico, um diagrama de esforços em vigas, etc.

91_desenhos_2d.swf

Desenhos

IMPRESSÃO DE TELA 3D

Impressão de Tela  - para impressora  - imagem  - desenho em DXF

É gerado um desenho para qualquer programa de CAD do que estiver na tela, um desenho de formas

sobreposto com a arquitetura, o modelo em 3D, um detalhe específico, um diagrama de esforços em vigas, etc.

(68)

Desenhos

CARGA NA FUNDAÇÃO

Cargas na Fundação

 - são montados automaticamente por pilar.  - tabela com esforços:

 - Normal, Cortantes e Momentos.  Personalização

 - prancha pode ser personalizada.  - avisa de superposição na prancha.

93_cargas_fundacao.swf

Desenhos

UTILIZAÇÃO DO CARIMBO

 Pode-se importar um desenho em formato DWG/DXF  Configuração em função de variáveis

 Preenchimento automático do Carimbo

94_CARIMBO.swf

Desenhos

DETALHES TÍPICOS

Otimização do Detalhamento

 - possui muitos detalhes na biblioteca

 - enriquece o detalhamento com desenhos já feitos em CAD  - usuário pode acrescentar novos desenhos

Exemplos  - vigas invertidas  - escadas  - rampas  - detalhamento de punção  - ligações metálicas  - capitéis  - e outros

95_detalhe_tipico.swf

Imagem

Referências

temas relacionados : CYPECAD - Memória de Cálculo