• Nenhum resultado encontrado

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data!

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data!"

Copied!
7
0
0

Texto

(1)

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data!

Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche!  Não se esqueça de que organização e qualidade também fazem parte da nota!

CIÊNCIAS - UNIDADE 7 – REPRODUÇÃO E HEREDITARIEDADE (pág. 196 a 231)

REPRODUÇÃO SEXUAL

Os seres humanos se reproduzem de forma sexuada, assim como a grande maioria dos animais. Neste tipo de reprodução é necessário que haja um indivíduo do sexo masculino e um do sexo feminino. Para isso, existem órgãos denominados gônadas, que são especializados em produzir células reprodutivas chamadas de gametas. - Gônada feminina = Ovário ; - Gameta feminino = Ovócito

- Gônada masculina = Testículos ; - Gameta masculino = Espermatozoide

* Lembrete: As gônadas são os órgãos que produzem os gametas (células reprodutivas).

SISTEMA GENITAL MASCULINO Composto pelo pênis e testículos.

- Pênis: A extremidade do pênis recebe o nome de glande (cabeça) e é recoberta por uma pele chamada prepúcio. Algumas pessoas podem ter problemas para retrair (puxar) esta pele, e por isso passam por cirurgia quando crianças ainda.

Dentro do pênis passa a uretra, que é o canal de eliminação tanto da urina como do esperma. Porém não ao mesmo tempo!

O pênis é quase todo coberto por um corpo esponjoso, irrigado por vasos sanguíneos, o que permite que ele fique ereto.

- Testículos: Os testículos são o órgão masculino que produz as células reprodutivas, os espermatozoides. São encobertos por uma pele que forma o escroto, ou bolsa escrotal.

Nos testículos é produzida a testosterona, que é o hormônio masculino.

- Glândulas anexas: Produzem secreções que nutrem os espermatozoides e ajudam no seu deslocamento, e produzem um líquido que protege os espermatozoides contra a acidez da vagina. Essas secreções junto com os espermatozoides formam o esperma, ou sêmen.

(2)

SISTEMA GENITAL FEMININO

Composto por dois ovários, duas tubas uterinas, útero, vagina e pudendo feminino.

- Pudendo feminino: Parte externa, que protege a abertura da vagina e da uretra, onde ficam os lábios maiores e os lábios menores. Os lábios são dobras de pele.

No pudendo feminino é onde fica o clitóris, que é uma região de grande sensibilidade na mulher.

- Vagina: canal de comunicação entre o pudendo feminino e o útero. No seu interior encontram-se glândulas secretoras de muco, responsáveis pela lubrificação, facilitando assim a penetração do pênis.

Pela vagina é liberada a menstruação e também é por onde sai o bebê no parto normal.

- Útero: é constituído por uma camada espessa muscular, o miométrio, e revestido internamente por uma mucosa irrigada por vasos sanguíneos, chamada endométrio.

É no seu interior que o embrião se desenvolve até o nascimento.

- Tubas uterinas: são dois canais de aproximadamente 10 cm de comprimento que fazem a comunicação entre os ovários e o útero. Uma vez por mês, um dos ovários lança um óvulo por uma das tubas em direção ao útero.

As mulheres têm dois ovários, onde o ovócito é produzido e onde ocorre a produção de hormônios como a progesterona.

CICLO MENSTRUAL

Antes da ovulação (liberação do ovócito pelo ovário), o útero prepara-se para receber um embrião. Acontecem alterações hormonais que provocam o espessamento das paredes do útero e a dilatação dos vasos sanguíneos do endométrio. Caso não ocorra a fecundação do ovócito liberado, ocorrerá um sangramento que conhecemos como menstruação, resultado da descamação do útero.

- O ciclo menstrual começa no primeiro dia da menstruação e dura até o dia imediatamente anterior à menstruação seguinte. O ciclo varia de mulher para mulher.

- A primeira menstruação ocorre geralmente entre os 11 e 15 anos de idade. A partir desse momento, geralmente uma vez por mês, um dos ovários libera um ovócito. Caso ocorra a fecundação, o ovócito termina seu desenvolvimento transformando-se em óvulo.

- O óvulo é o ovócito fecundado, ou seja, quando ele encontra um espermatozoide.

- Os ovócitos começam a ser produzidos quando a mulher ainda é um feto. Ao nascer, a menina já tem um número determinado de ovócitos.

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

Os métodos contraceptivos, ou anticoncepcionais, são atitudes ou procedimentos que previnem a gravidez. * A escolha do método anticoncepcional deve ser acompanhada por um médico!

MÉTODOS QUE IMPEDEM A GRAVIDEZ E EVITAM DSTS - Preservativo masculino (camisinha masculina)

(3)

É uma proteção de borracha látex, popularmente conhecida como camisinha. Deve ser colocada no pênis ereto, antes da relação sexual. Na ponta da camisinha, há um reservatório que armazena o esperma liberado durante a ejaculação. Após a ejaculação, a camisinha deve ser retirada com cuidado, amarrada com um nó e jogada no lixo. A camisinha além de ser um método anticoncepcional (que previne a gravidez), é também uma forma de proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

- Preservativo feminino (camisinha feminina)

É um tubo de borracha com dois anéis flexíveis e deve ser introduzido na vagina antes da relação sexual, deixando a extremidade aberta para o lado de fora. Após a relação sexual, a camisinha deve ser retirada com cuidado, fechada com um nó e jogada no lixo.

Além de impedir a entrada dos espermatozoides, também funciona como proteção contra doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

OBS: Os preservativos masculinos e femininos são distribuídos GRATUITAMENTE em todos os postos de saúde do Brasil! Não deixe de usar...

MÉTODOS QUE IMPEDEM A GRAVIDEZ E MAS NÃO PROTEGEM CONTRA DSTS - Pílula anticoncepcional

É uma pílula de hormônios (estrógenos e progesterona), que impede a ovulação. Pode ser usados como: pílulas, implantes na pele, injeção, adesivos e anéis vaginais. Independente da forma escolhida, a utilização desse método deve seguir orientação médica, pois o uso indevido pode causar efeitos colaterais.

- Dispositivo intrauterino (DIU)

Dispositivo plástico ou recoberto por cobre em forma de T, implantado por um médico no útero da mulher. Apesar de seguro, nem todas as mulheres conseguem tolerá-lo, pois ele pode provocar cólicas, sangramentos e infecções. - Laqueadura (procedimento realizado na mulher)

Procedimento realizado por meio de cirurgia, na qual se faz a interrupção das tubas uterinas, impedindo o encontro do ovócito com o espermatozoide.

- Vasectomia (procedimento realizado no homem)

É feito um corte do ducto deferente para impedir que o espermatozoide se junte com as outras secreções que formam o esperma. Dessa forma, o indivíduo continua produzindo esperma e ejaculando, no entanto nesse líquido não haverá espermatozoides.

* Tanto a Vasectomia quanto a Laqueadura podem ser revertidas, porém, por serem cirurgias delicadas, nem sempre haverá sucesso. A reversão no homem é mais fácil do que na mulher.

FECUNDAÇÃO E NIDAÇÃO DO EMBRIÃO

Fecundação é a fusão (união) do núcleo do gameta masculino (espermatozoide) com o núcleo do gameta feminino (ovócito).

Os espermatozoides precisam sobreviver à acidez da vagina, atravessar o muco do colo do útero e enfrentar os movimentos peristálticos da tuba uterina, que empurram o ovócito em direção ao útero.

Apenas um espermatozoide penetra o útero. Quando isso acontece, uma membrana mais espessa se forma em volta do óvulo impedindo que outros espermatozoides entrem.

(4)

É importante que muitos espermatozoides sejam produzidos e lançados em cada ejaculação, pois poucos conseguem chegar ao destino final. Cerca de 100 a 300 milhões de espermatozoides são eliminados durante a ejaculação, mas apenas 200 chegam às tubas uterinas.

NIDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

O óvulo origina o zigoto ou célula-ovo, que passa por sucessivas divisões formando um aglomerado de células. Sete dias após a fecundação, o embrião implanta-se na parede uterina, no processo chamado de Nidação. Aos poucos, o aglomerado de células que continua se dividindo, começa a se diferenciar formando tecidos e órgãos.

O embrião é alimentado pelas reservas nutritivas presentes no óvulo, mas também se formam estruturas que auxiliam o crescimento e a sobrevivência do feto, chamados de anexos embrionários.

Na placenta ocorrem trocas entre o sangue do bebe e o sangue materno. O bebe recebe água, oxigênio, nutrientes e anticorpos da mãe. O cordão umbilical faz a comunicação entre o bebê e a placenta. A bolsa amniótica, cheia de líquido, protege o bebê contra choques mecânicos, evita o ressecamento e ajuda a manter a temperatura.

A placenta e a bolsa amniótica são os anexos embrionários. GESTAÇÃO

Após a implantação do embrião na parede do útero, um novo hormônio (gonadatrofina coriônica) passa a ser liberado na corrente sanguínea, que impede a próxima menstruação.

O período de gestação da espécie humana geralmente é de 38 a 40 semanas.

Durante toda a gravidez a mulher deve ser acompanhada, pois diversas mudanças estão acontecendo no seu corpo e ela agora carrega uma nova vida. Esse acompanhamento é chamado de pré-natal e é gratuito no SUS.

PARTO

Terminada a gestação, começa o trabalho de parto. O útero passa a ter contrações periódicas, o canal vaginal dilata e o feto pressiona o colo do útero. Com a intensificação das contrações, a bolsa amniótica rompe-se e há contração voluntária da parede abdominal materna, empurrando o bebê para fora.

O parto pode acontecer de forma normal ou cesariana. A cesariana só é recomendada caso haja algum risco para o bebê ou para a mãe, pois pode trazer diversos problemas inclusive de saúde para a criança.

PUBERDADE E ADOLESCÊNCIA

Puberdade é o período de mudanças anatômicas, fisiológicas e psicológicas. Nesta fase ocorre o amadurecimento sexual e aos relacionamentos afetivos e sexuais.

(5)

Em nossa cultura, a adolescência corresponde à passagem da vida infantil para a vida adulta, embora ela não aconteça da mesma forma e no mesmo ritmo para todas as pessoas. O Estatuto da Criança e do Adolescente considera a pessoa adolescente com idade entre 12 e 18 anos.

Ao nascer, o bebê já tem um sexo definido: masculino ou feminino. Com o passar dos anos, as diferenças entre os sexos ficam mais evidentes. Nos meninos, os testículos começam a produzir testosterona, dando início a produção de espermatozoides e desenvolvimento de características masculinas secundárias.

Nas meninas, os ovários produzem estrógeno e progesterona, então os ovócitos passam a ser liberados uma vez por mês e características sexuais secundárias serão desenvolvidas.

Somente a partir da puberdade é que o ser humano está apto fisicamente para gerar filhos.

PATERNIDADE E MATERNIDADE

Ser pai e ser mãe é uma tarefa que requer não só idade, mas também maturidade. Gerar uma nova vida e cuidar dela é um trabalho que pode ser muitas vezes cansativo, exaustivo e doloroso. Porém, um filho traz muitos momentos de aprendizado, de felicidade e um laço de amor que não pode ser facilmente compreendido.

Ter um filho é uma responsabilidade gigantesca, então é preciso que isso ocorra na hora certa e com condições financeiras e psicológicas estáveis, para que essE “presente” não vire uma dificuldade na vida de alguém.

HEREDITARIEDADE E BIOTECNOLOGIA

Progênese ou Teoria da Pré-formação: Uma das explicações mais antigas a respeito da hereditariedade foi desenvolvida por Aristóteles (384 a.C – 322 a.C), propunha que dentro de cada gameta (ou semente como era chamado na época), havia miniaturas de seres humanos, os homúnculos, que davam origem a um novo ser humano. Gregor Mendel (1822-1884), monge e pesquisador austríaco, é conhecido como o “Pai da genética” e fez vários estudos a respeito da hereditariedade, usando ervilhas ele descobriu a existência de fatores que determinam as características hereditárias, ou seja, características que são passadas de pai pra filho.

- 1850: Pesquisadores descobriram estruturas no núcleo das células que carregavam informações hereditárias, os cromossomos.

- 1860: Foi identificada pela primeira vez a molécula de DNA.

- 1910: A Teoria Cromossômica foi aperfeiçoada e os genes foram então identificados.

O MATERIAL GENÉTICO

Na natureza existe uma grande variedade de seres vivos, desde criaturas microscópicas até outras muito grandes, como as baleias. Porém, todos possuem a mesma unidade formadora: a célula.

Os cromossomos são o material genético (DNA) que transportam um grande número de genes. O gene é um pedaço do cromossomo responsável por determinar uma ou mais características genéticas, como por exemplo, a cor dos olhos, o formato do nariz, a cor da pele.

A genética é o estudo da transmissão das características genéticas h(hereditárias) transmitidas de pais para filhos, por meio dos genes e, portanto, através dos cromossomos.

(6)

CARIÓTIPO

Cariótipo: Conjunto de cromossomos de uma espécie.

Ex: As células dos seres da espécie humana têm 46 cromossomos cada, com exceção dos gametas. Quando um indivíduo produz gametas, o número de cromossomos é reduzido para a metade, ou seja, cada gameta carrega 23 cromossomos.

Isso acontece, pois na fecundação há a união entre o gameta feminino da mãe (ovócito) contendo 23 cromossomos, com o gameta masculino do pai (espermatozoide) contendo 23 cromossomos. Essa união gera uma nova célula chamada de óvulo, que contem então 23 cromossomos da mãe mais 23 cromossomos do pai, totalizando 46 cromossomos que irão se dividir e formar um novo indivíduo: o bebê.

Os cientistas enumeraram os cromossomos com números, de 1 à 22, sendo o último par, os cromossomos sexuais (que definem o sexo daquela pessoa), chamados de cromossomos XX (para mulheres) e XY (para homens).

Dos 46 cromossomos presentes em cada célula do corpo humano, 44 armazenas informações gerais, chamados de autossomos, enquanto os outros dois, são os cromossomos que definem o sexo do indivíduo, chamados de cromossomos sexuais.

Resumindo: Cada célula possui 44 cromossomos autossomos + 2 cromossomos sexuais = Cariótipo

DETERMINAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS GENÉTICAS

As características de cada indivíduo são determinadas em parte por seu material genético, em parte por influências do ambiente.

Os genes são partes do cromossomo que contém uma ou mais características específicas, como por exemplo a cor dos olhos, o tipo de cabelo, tom da pele, etc.

DOMINANTE E RECESSIVO

Para representar os genes usamos letras.

- Alelos gênicos: variações de um mesmo gene que podem ou não conter informações iguais. Ex: aa / Aa / AA

- Alelo dominante (representado pela letra maiúscula): é aquele que determinará a caraterística do indivíduo. Ex: Aa / AA

- Alelo recessivo (representado pela letra minúscula): somente se manifesta se não houver a presença de um alelo dominante.

Ex: aa

DETERMINAÇÃO DO SEXO

Durante a divisão das células para formar os gametas, cada par de cromossomos se separa, assim como os genes correspondentes. Sendo assim, uma mulher, por exemplo, possui dois cromossomos sexuais X (XX) e na hora da divisão celular ela manda para o gameta apenas um, no caso X.

(7)

O homem, por ser XY, pode mandar ou o cromossomo X ou o cromossomo Y. Dependendo de qual ele mandar, nascerá uma mulher (XX) ou homem (XY).

DOENÇAS HEREDITÁRIAS

As doenças hereditárias são causadas por alterações no número de cromossomos, em sua estrutura ou em anomalias nos genes. Geralmente essas doenças são transmitidas de uma geração para outra, por isso são chamadas de hereditárias.

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS

- Síndrome de Down: alteração no número de cromossomos, ou seja, essa pessoa pode ter mais ou menos cromossomos do que o normal.

- Síndrome de Turner: Mulheres com apenas um cromossomo X, ou seja, ela tem apenas 45 cromossomos. A ausência de um cromossomo sexual interfere nas características sexuais secundárias.

- Síndrome de Klinefelter: Só ocorre em homens. Quando há um cromossomo X a mais, ficando XXY. Por isso, ficam com características secundárias mais femininas.

GENÉTICA E BIOTECNOLOGIA

O descobrimento e aperfeiçoamento da genética foram importantes para diversas áreas da ciência. Hoje, é muito utilizada para o desenvolvimento de transgênicos e também estudos sobre clonagem. Porém, o uso desta técnica pode trazer consequências ainda desconhecida e por isso, é necessário que seja utilizada com muito cuidado e de forma ética.

Referências

Documentos relacionados

Realizar levantamento da disposição de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) no bairro São Luís, localizado no município de Canoas/RS , para a partir dos resultados

Grande parte dos processos referentes a conformidade e continuidade, conseqüentemente também de ressarcimento de danos, podem ser tratados previamente através da análise diária

Os sensores externos para navegação podem, por sua vez, ser classificados em sensores baseados em visão e sensores que não são baseados em visão.. Os sensores de visão, em

O Índice APFIPP/ IPD de Fundos de Investimento Imobiliário Portugueses é um índice value-weighted, que tem por base o Net Asset Value ('NAV', ou Valor Líquido do Fundo)

– Pipeline em computadores : cada estágio completa parte de instrução; como antes, diferentes estágios sobre partes de diferentes instruções; Registradores separam estágios;!.

Assim, se consideramos dois pares de alelos ,cada um esta localizado em um par de cromossomos homólogos, de segregação independente.  Num mesmo cromossomos, no entanto,

Tel: 11-2133-2155 www.duplicopy.com.br Nome do produto: DUPLIFIXER - 1218 FISPQ n.º: 1218 Página 9 de 13. Data da última

Prejuízo estético, em grau médio ou máximo, quando atingidos crânios, e/ou face, e/ou pescoço ou perda de dentes quando há também deformação da arcada