• Nenhum resultado encontrado

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados"

Copied!
74
0
0

Texto

(1)

Secção I

(2)

2

Aplicações empresariais cruzadas

ƒ Combinações integradas de subsistemas de

informação, que partilham recursos

informativos e apoiam processos de negócio de várias unidades funcionais.

ƒ Uma forma estratégica de utilizar as TI para

partilhar recursos informativos e melhorar a eficiência e a eficácia.

(3)

Aplicações empresariais cruzadas (continuação)

ƒ Exemplo: processo moderno para desenvolver

produtos numa empresa industrial

Opiniões dos clientes Pesquisas de mercado Testes de mercado Conceber compo-nentes Testes do produto Lançar o produto Conceber o processo de fabrico Conceber equipa-mentos Iniciar a produção

(4)

4

Aplicações empresariais cruzadas (continuação)

Opiniões dos clientes Pesquisas de mercado Testes de mercado Conceber compo-nentes Testes do produto Lançar o produto Conceber o processo de fabrico Conceber equipa-mentos Iniciar a produção Marketing Investigação, desenvolvimento e engenharia

Fabrico

(5)

Aplicações empresariais cruzadas (continuação)

ƒ Arquitectura de uma aplicação empresarial

F u n ci o n á ri o s P a rce ir o s G e s tã o d o c o n h e c im e n to C o la b o ra ç ã o / A p o io à d e c is ã o G e s tã o d e r e la ç õ e s c o m o s p a rc e ir o s V e n d a s / D is tr ib u iç ã o Clientes Fornecedores Planeamento de recursos empresariais

Processos de negócio internos

Gestão da relação com os clientes Marketing / Vendas / Assistência Gestão da cadeia de abastecimento

(6)

6

Sistemas empresariais cruzados (continuação)

ƒ Centrados em cumprir processos

empresariais fundamentais, combinando-se com os parceiros: clientes, fornecedores,

funcionários, etc. F u n ci o n á ri o s P a rce ir o s K M P R M Clientes Fornecedores ERP CRM SCM

(7)

Sistemas empresariais cruzados (continuação)

(8)

8

Enterprise Application Integration – EAI

(integração de aplicações empresariais)

Aplicações administrativas (back-office): ERP Distribuição Fabrico Calendarização Finanças Aplicações “de balcão” (front-office): CRM Serviço a clientes Serviço no terreno Configuração de produtos Registo de vendas

(9)

Integração das aplicações empresariais (continuação)

ƒ Software que permite aos utilizadores modelar

os processos de negócio ligados às interacções que devem ocorrer entre aplicações

empresariais.

ƒ Também pode incluir middleware que:

ƒ efectua conversão e coordenação dos dados; ƒ disponibiliza serviços de mensagens e

comunicação entre aplicações;

ƒ disponibiliza acesso às interfaces das

(10)

10

Integração das aplicações empresariais (continuação)

ƒ Valor para o negócio

ƒ Integra aplicações de atendimento

(front-office) e de gestão (back-(front-office), para

conseguir uma resposta mais rápida e eficaz aos acontecimentos empresariais e às

necessidades dos clientes.

ƒ Melhora a experiência de contacto dos

clientes e dos fornecedores com a empresa, graças à maior capacidade de resposta.

(11)

Integração das aplicações empresariais (continuação)

Exemplo de funcionamento de um EAI

Chega uma encomenda

Os dados do cliente são entregues a um processo

específico, que os distribui a várias aplicações e bases de dados.

Após validação da encomenda, os dados relevantes

são fornecidos ao sector de encomendas (stocks, fabrico, etc.)

Conclui-se a encomenda, actualizando todas as

bases de dados relevantes.

O centro de atendimento a clientes tem de ser

(12)

12

Call center

Integração das aplicações empresariais (continuação)

EAI

Facturação Finanças Transportes Fabrico Despacho Processamento de encomendas 1 2 3 4 5

(13)
(14)

14

(15)
(16)

16

(17)
(18)

18

(19)
(20)
(21)

Sistemas de processamento de transacções

ƒ Sistemas de informação cruzados, que

processam dados resultantes da ocorrência de transacções de negócio.

ƒ Transacção – acontecimento que ocorre como parte

integrante da actividade da empresa nos negócios.

ƒ Vendas ƒ Compras ƒ Depósitos ƒ Levantamentos ƒ Reembolsos ƒ Vencimentos

(22)

22

Sistemas de processamento de transacções (continuação)

ƒ Sistemas on-line de processamento de

transacções

ƒ Sistemas em tempo real, que capturam e processam imediatamente as transacções

ƒ Acrescentam valor ao produto ou ao

serviço, por permitirem prestar melhor atendimento ao cliente.

(23)
(24)

24

(25)
(26)

26

(27)

Sistemas de processamento de transacções (continuação)

ƒ Ciclo de processamento de transacções ƒ Entrada de dados

ƒ Captura de dados de negócio ƒ Processamento de transacções

ƒ Duas formas básicas:

ƒ Processamento por lotes: os dados das

transacções são acumulados, sendo processados periodicamente.

ƒ Processamento em tempo real: os dados são

processados imediatamente, quando ocorre uma transacção.

(28)

28

Sistemas de processamento de transacções (continuação)

ƒ Manutenção de bases de dados

ƒ As bases de dados empresariais são actualizadas, para que reflictam as

transacções de negócio do dia anterior ou do próprio dia.

ƒ Geração de documentos e relatórios

ƒ É produzida uma grande variedade de documentos e relatórios.

(29)

Sistemas de processamento de transacções (continuação)

ƒ Processamento de inquéritos

ƒ Consultas (e as respectivas respostas), relativas aos resultados da actividade de processamento de transacções.

(30)

30

Sistemas de processamento de transacções (continuação)

(31)

Sistemas de colaboração empresarial

ƒ Sistemas cruzados de e-business, que

melhoram a comunicação, a coordenação e a colaboração.

ƒ Comunicar – partilhar informações uns com

os outros

ƒ Coordenar – coordenar esforços individuais

e combinar o uso de recursos.

ƒ Colaborar – trabalhar em conjunto, em

colaboração, em projectos e tarefas comuns.

(32)

32

Sistemas de colaboração empresarial (continuação)

ƒ Ferramentas para colaboração empresarial

ƒ Comunicação electrónica

ƒ correio electrónico (e-mail)

ƒ voice mail (atendimento de chamadas) ƒ faxe

ƒ publicação na Web ƒ pagers

(33)

Sistemas de colaboração empresarial (continuação)

ƒ Reuniões electrónicas

ƒ Conferência de dados e voz ƒ Videoconferência

ƒ Sistemas de conversação (chat) ƒ Fóruns de debate

ƒ Sistemas de reunião electrónica

ƒ Síncronos. Os membros da equipa

podem reunir ao mesmo tempo e no

mesmo local, num ambiente de “sala de decisões”.

(34)

34

Sistemas de colaboração empresarial (continuação)

ƒ Gestão do trabalho em colaboração

ƒ Agendas e calendários

ƒ Gestão de tarefas e projectos ƒ Sistemas de workflow

(35)

ƒ Demonstração de ferramentas de colaboração

e coordenação.

ƒ Microsoft Outlook ƒ Lotus Notes

(36)
(37)
(38)
(39)
(40)
(41)
(42)
(43)
(44)
(45)
(46)
(47)

ƒ Demonstração de ferramentas de gestão de

(48)
(49)
(50)

50

Perguntas de debate

ƒ Consulte o caso real deste capítulo, relativo

aos hotéis Hilton. Indique alguns dos motivos que originam o elevado custo das aplicações CRM. Porque é que parecem ser de

implementação tão demorada?

ƒ Porque é que há uma tendência para a

utilização de sistemas empresariais cruzados, integrados numa empresa?

(51)

Perguntas de debate (continuação)

ƒ Quais das 13 ferramentas de colaboração

empresarial, resumidas na figura 7.18, considera essenciais a qualquer empresa

actual? Quais considera opcionais, face ao tipo de negócio ou outros factores? Explique.

ƒ Relativamente ao exemplo da Dell Computer,

que outras soluções poderia haver para o

problema da incompatibilidade de sistemas de informação nas empresas, além dos sistemas de EAI?

(52)

52

Perguntas de debate (continuação)

ƒ Relativamente ao exemplo da Charles Schwab

& Co., quais são as aplicações mais

importantes de RH que uma empresa pode oferecer aos seus funcionários, através de um sistema baseado na Web? Porquê?

ƒ Como acha que a automação da equipa de

vendas afecta a produtividade dos comerciais, a gestão do marketing e a vantagem

(53)

Perguntas de debate (continuação)

ƒ Como é que as tecnologias da Internet podem

ser envolvidas na melhoria de um processo, numa das funções da empresa?

ƒ Consulte o caso real relativo à GE Power e à

Corporate Express, neste capítulo. Porque é que são necessários nas empresas os sistemas de integração de aplicações empresariais? Será que de futuro assim continuará a ser?

(54)

54

Perguntas de debate (continuação)

ƒ Quais são as aplicações de e-business que

recomendaria a uma pequena empresa, para a ajudar a sobreviver e ter êxito, no actual

ambiente económico cheio de desafios?

ƒ Relativamente ao exemplo da General

Electric, como é que os sistemas de

colaboração empresarial contribuem para os lucros líquidos de uma empresa?

(55)

Casos reais

(56)

56

Caso real 1 – Hilton Hotels Corp.: Hospitalidade determinada pelos dados

1.Quais são os benefícios e os defeitos do sistema OnQ, na Hilton Hotels Corporation?

2.O que é que a Hilton em de fazer para criar uma vantagem competitiva a partir do OnQ? Indique alguns exemplos concretos.

3.Será possível chegar-se à situação de se ter

demasiadas informações acerca de um cliente? Explique a sua resposta.

(57)

Caso real 2 – GE Power Systems e Corporate Express: O argumento empresarial para uso de EAI

1.Porque é que a EAI, recentemente, “se tornou uma peça essencial da estratégia de TI de

muitas organizações”, sendo igualmente um projecto muito bem visto pelos executivos de topo em TI? Utilize a GE Power Systems e a Corporate Express como exemplo.

2.Qual é a principal diferença em termos de valor de negócio, entre os projectos da GE Power Systems e da Corporate Express?

(58)

58

Caso real 2 (continuação)

1.Indique alguns dos desafios associados ao

desenvolvimento e implementação dos sistemas de EAI. Como é que as empresas podem

(59)

Caso real 3 – Brunswick Corporation: A melhoria dos resultados da logística

1.Qual é o valor de negócio dos sistemas SCM, no caso da Brunswick?

2.O valor de negócio do SCM depende do tipo de actividade a que se dedica uma empresa? Explique a sua resposta.

3.Como é que a abordagem da Brunswick aos SCM se distingue da utilizada pelas outras empresas apresentadas neste capítulo? Será que uma das abordagens é melhor que as

(60)

60

Caso real 4 – Lowe e HP: O argumento empresarial a favor da colaboração em enxames.

1.Que benefícios empresariais são originados pela colaboração em enxame? Utilize a Lowe Worldwide e a HP como exemplos.

2.Indique algumas potenciais limitações do trabalho em enxame.

3.Visite o sítio Web da Groove Networks e experimente a demonstração que facultam, relativa ao trabalho num espaço partilhado. Será que esta ferramenta pode apoiar a

colaboração dentro de um grupo de trabalho? E colaboração em enxame? Justifique.

(61)

Casos reais

(62)

62

Caso real 1 – Cypress Semiconductor & FleetBoston

ƒ De que forma é que a utilização das

tecnologias da Internet, no apoio às operações de marketing da Cypress Semiconductor,

melhoraram o valor para os negócios e para os clientes?

ƒ Quais são os benefícios e desafios potenciais da

FleetBoston, no uso que faz das TI para apoiar os programas de marketing dirigido?

(63)

Caso real 1 (continuação)

ƒ Porque é que os programas de marketing

dirigido com base em TI obtêm, por vezes, resultados comerciais negaticos?

ƒ Como podem esses resultados negativos ser

(64)

64

Caso real 1 (continuação)

ƒ Como é que os programas de segmentação de

clientes e marketing dirigido, que se centram na rentabilidade dos clientes, podem evitar

“ignorar os clientes com pouco retorno actual, mas grande potencial”?

(65)

Caso real 2 – Johnson Controls

ƒ Porque é que o intercâmbio de “conhecimento

tribal” é importante na concepção de produtos?

ƒ Como é que os sistemas baseados na Web

(66)

66

Caso real 2 (continuação)

ƒ Porque é que é importante disponibilizar

visibilidade ao longo de um cadeia de abastecimento?

ƒ Como é que a JCI está a tentar disponibilizar

(67)

Caso real 2 (continuação)

ƒ Qual é o valor para os negócios do portal B2B

da JCI?

ƒ Será que os sistemas de colaboração podem

melhorar a qualidade de concepção dos

produtos, além de reduzir o custo e o tempo do processo de concepção?

(68)

68 Caso real 3 – Union Pacific, Corporate Express, & Best Buy

ƒ Como é que um sistema de integração de

aplicações empresariais pode ajudar uma firma a servir melhor os clientes?

ƒ Como é que os sistemas de aplicações

empresariais poderiam melhorar as interacções de uma empresa com os fornecedores?

(69)

Caso real 3 (continuação)

ƒ Quais são os maiores desafios enfrentados

pelas empresas que implementam iniciativas EAI?

ƒ Como é que as empresas podem estar à altura

(70)

70

Caso real 4 – Baxter International

ƒ Quais são as aplicações-chave de RH

fornecidas pelo sistema Web de RD da Baxter?

ƒ Que outras aplicações de RH baseadas na Web

(71)

Caso real 4 (continuação)

ƒ Que valor para os negócios extrai a Baxter da

abordagem que adoptou para os RH, baseada na Web?

ƒ Qual o valor para os funcionários, quanto à

(72)

72

Caso real 4 (continuação)

ƒ Em que medida é que encarar os funcionários

como clientes altera a forma de prestação dos serviços de RH aos funcionários, nos serviços de RH baseados na Web?

(73)

Caso real 5 – IBM Corporation

ƒ Porque é que tantas empresas têm relutância

em apoiar o uso de mensagens instantâneas no ambiente de trabalho?

ƒ Quais são as vantagens das mensagens

instantâneas relativamente ao correio

electrónico e aos atendedores de chamadas, na colaboração empresarial?

(74)

74

Caso real 5 (continuação)

ƒ O que considera serem as maiores

desvantagens da utilização de sistemas de mensagens instantâneas, em vez do correio electrónico ou dos atendedores de chamadas?

ƒ Recomendaria as empresas a incentivarem e

apoiarem o uso de ferramentas de mensagens instantâneas, para colaboração empresarial?

Referências

Documentos relacionados

Nesse sentido, as SE possibilitam a contextualização dos conteúdos escolares, tornando-os mais significativos para os estudantes, pois “[...] busca a articulação

1850-1871 ROBSON PEDROSA COSTA RECIFE 7,77 Aprovado com bolsa QTkTXzcslH. PATERNALISMO E FAMÍLIA ESCRAVA NAS PROPRIEDADES BENEDITINAS: UM ESTUDO SOBRE O

Apresenta-se neste trabalho uma sinopse das espécies de Bromeliaceae da região do curso médio do rio Toropi (Rio Grande do Sul, Brasil), sendo também fornecida uma chave

O Código Civil acrescentou para os cônjuges, além desses deveres, os de fidelidade recíproca e de vida em comum, no domicílio conjugal (art. 1.566), que não

Também poderemos deliciar-nos com a Banda de Música da Casa do Povo de Moreira do Lima, no coreto da Praça da República e, da Banda de Música Pardilhoense, no coreto do

Tita – 1 Eu realmente, achava assim, eu não gostava de mandar problema, porque, às vezes, a gente escutava eles gestão falando que não tinha jeito deles trabalharem também,

U TILIZEI PARA ESTE PROCESSO PAPEL ILFORD DE TAMANHO 18 X 24, O CONTRASTE UTILIZADO FOI BASTANTE ALTO PARA TODAS AS FOTOGRAFIAS POR OPÇÃO ESTÉTICA , POIS PARA ALÉM DE QUERER QUE

O artigo possui o objetivo de comparar a estrutura e organização do processo de desenvolvimento de produto (PDP) em duas empresas do setor de alimentos, analisado o grau