Aula VII Contrato Individual de Trabalho Parte 2

Texto

(1)

Contrato de Trabalho Parte II

Legislação Social

Profª. Fernanda Vargas Terrazas

(2)

Alteração do Contrato de Trabalho

Art. 468 - Nos contratos individuais de trabalho só é

lícita a alteração das respectivas condições por mútuo consentimento, e ainda assim desde que não resultem,

direta ou indiretamente, prejuízos ao empregado, sob pena de nulidade da cláusula infringente desta

garantia.

 Não se considera alteração unilateral a determinação do empregador para que o respectivo empregado

reverta ao cargo efetivo, anteriormente ocupado, deixando o exercício de função de confiança.

(3)

Alteração do Contrato de Trabalho

O princípio da imodificabilidade do contrato

de trabalho reflete uma forte intervenção do

Estado na relação entre empregado e

empregador, de modo que o primeiro, por ser o pólo mais fraco dessa relação, não venha a ser prejudicado com imposições feitas pelo segundo e

decorrentes do seu poder de direção. Daí a

necessidade de interferência do Estado, evitando que o empregador altere unilateralmente as

regras do pacto laboral. (Sérgio Pinto Martins)

(4)

Alteração do Contrato de Trabalho

Art. 469 - Ao empregador é vedado transferir o empregado, sem a sua

anuência, para localidade diversa da que resultar do contrato, não se considerando transferência a que não acarretar necessariamente a

mudança do seu domicílio .

§ 1º - Não estão compreendidos na proibição deste artigo: os

empregados que exerçam cargo de confiança e aqueles cujos contratos tenham como condição, implícita ou explícita, a transferência, quando

esta decorra de real necessidade de serviço.

§ 2º - É licita a transferência quando ocorrer extinção do estabelecimento em que trabalhar o empregado.

§ 3º - Em caso de necessidade de serviço o empregador poderá transferir o empregado para localidade diversa da que resultar do contrato, não

obstante as restrições do artigo anterior, mas, nesse caso, ficará obrigado a um pagamento suplementar, nunca inferior a 25% (vinte e

cinco por cento) dos salários que o empregado percebia naquela localidade, enquanto durar essa situação

(5)

Alteração do Contrato de Trabalho

Art. 470 - As despesas resultantes

da transferência correrão por conta

do empregador.

(6)

Suspensão do Contrato de Trabalho

É a sustação temporária dos principais

efeitos do contrato de trabalho em

relação às partes, em virtude de um fato

relevante juridicamente, durante a qual

resta preservado o contrato de trabalho.

Esta sustação é ampla, embora não

rompa o vínculo empregatício entre as

(7)

Suspensão do Contrato de Trabalho

Em outros termos, é a cessação provisória

e total dos efeitos do contrato de

trabalho, o que significa que o contrato

continua em pleno vigor, mas não há

contagem de tempo de serviço e não há

(8)

Suspensão do Contrato de Trabalho

Existem dois tipos de suspensão: a

suspensão total, que é a suspensão

propriamente dita, ou seja, quando as

duas obrigações principais (pagar salário

e prestar o serviço), não são exigíveis

reciprocamente; e a suspensão parcial,

que é quando o empregado não trabalha,

(9)

Causas da Suspensão do Contrato de Trabalho

1 - Suspensão por motivo estranho à vontade do empregado

- afastamento previdenciário, por motivo de doença, a partir do 16º dia (auxílio-doença)- art. 476, CLT;

- afastamento previdenciário, por motivo de acidente do trabalho, a partir do 16º dia (auxílio-doença)- art. 476, CLT;

- aposentadoria provisória - art. 475, CLT;

- por motivo de força maior;

- para cumprimento do encargo público obrigatório- art. 483, parágrafo 1º da CLT; art. 472, CLT;

(10)

Causas de Suspensão do Contrato de Trabalho

2- Suspensão por Motivo Lícito Atribuível ao Empregado

-  participação pacífica em greve;

- encargo público não obrigatório- art. 472, c/c art. 483, parágrafo 1º, CLT;

- eleição para cargo de direção sindical – art. 543, parágrafo 2º, CLT;

- licença não remunerada concedida pelo empregador a pedido do empregado, para resolver motivos particulares.

(11)

Causas de Suspensão do Contrato de Trabalho

3- Suspensão por motivo ilícito atribuível

ao empregado

- suspensão disciplinar- art. 474, CLT;

- suspensão de empregado estável ou garantia

especial de emprego, para instauração de

inquérito para apuração de falta grave, sendo

(12)

Efeitos da Suspensão do Contrato de Trabalho

  

O principal efeito da suspensão do

contrato de trabalho é a sustação das

obrigações contratuais (pagar salário

e prestar serviço), durante o período

(13)

Efeitos da Suspensão do Contrato de Trabalho

O empregado, no entanto, possui algumas

garantias ao final da suspensão tais como: a

garantia do salário e dos direitos alcançados

neste período do tempo (art. 471, CLT); a

garantia da impossibilidade do rompimento

do contrato  de trabalho, por ato unilateral do

empregador, ou seja, a dispensa injusta ou

desmotivada no período da suspensão do

(14)

Termino da Suspensão do Contrato de Trabalho

Com o fim da causa suspensiva do

contrato, deve o empregado

retornar ao serviço e dar

continuidade ao contrato de

(15)

Interrupção do Contrato de Trabalho

É a sustação temporária da principal obrigação

do empregado (prestação do serviço e

disponibilidade perante o empregador) no

contrato de trabalho, em virtude de um fato

relevante juridicamente, restando mantidas

todas as cláusulas contratuais. A principal

característica da interrupção é a continuidade

de vigência de todas as obrigações contratuais,

o que significa a manutenção do pagamento do

(16)

Interrupção do Contrato de Trabalho

Art. 473 - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário:

I - até 2 (dois) dias consecutivos, em caso de falecimento do cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa que, declarada em sua carteira de trabalho e previdência social, viva sob sua dependência

econômica;

II - até 3 (três) dias consecutivos, em virtude de casamento;

III - por um dia, em caso de nascimento de filho no decorrer da primeira semana;

    IV - por um dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada;

(17)

Interrupção do Contrato de Trabalho

   

V - até 2 (dois) dias consecutivos ou não, para o fim de se alistar eleitor; VI - no período de tempo em que tiver de cumprir as exigências do

Serviço Militar obrigatório;

     VII - nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de

exame vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior. VIII - pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer

a juízo.

     IX - pelo tempo que se fizer necessário, quando, na qualidade de representante de entidade sindical, estiver participando de reunião

(18)

Interrupção do Contrato de Trabalho

Outras hipóteses de interrupção do contrato de trabalho:

a- encargos públicos específicos, tais como; comparecimento judicial como jurado ou como testemunha (art. 822, CLT), ou como a própria parte 

b- afastamento do trabalho por motivo de doença ou acidente do trabalho (até 15 dias);

c - os chamados descansos trabalhistas, desde que remunerados, tais como; intervalos interjornadas ,

(19)

Interrupção do Contrato de Trabalho

d- licença-maternidade da empregada gestante;

e- aborto (afastamento durante duas semanas - art. 395, CLT);

f- licença remunerada concedida pelo empregador; g- interrupção dos serviços na empresa, resultante

de causas acidentais de força maior (art. 61, parágrafo 3º, CLT);

(20)

Suspensão X Interrupção

"Haverá interrupção quando o empregado deva ser remunerado normalmente, embora não preste serviços, contando-se também  o seu tempo de serviço, mostrando a existência de uma cessação

temporária e parcial dos efeitos do contrato de trabalho. Na suspensão, o empregado fica afastado,

não recebendo salário, nem é contado o seu tempo de serviço, havendo a cessação temporária e total

dos efeitos do contrato de trabalho".

(21)

Suspensão X Interrupção

  “Nossa lei se utiliza de dupla terminologia, suspensão e interrupção, a nosso ver sem caráter substancial porque

diz respeito unicamente aos efeitos e não ao conceito. A figura tem um pressuposto comum, paralisação do

trabalho, sendo diferentes os efeitos que a paralisação

produzirá, especialmente quanto aos salários; haverá interrupção quando devidos os salários, e suspensão quando não devidos. Essa é a linguagem do nosso direito, mas outra poderia ser sem alteração básica, chamando-se

de suspensão remunerada ou não remunerada as duas hipóteses, ou suspensão parcial ou total, como fazem

alguns doutrinadores".

(22)

Cessação do Contrato de Trabalho

A cessação do contrato de trabalho é o

término do vínculo de emprego, com a

extinção das obrigações para os

contratantes.

Em outros termos, é o fim do vínculo

jurídico da relação de emprego, ou seja, a

extinção das obrigações originadas do

(23)

Cessação do Contrato de Trabalho

A cessação do contrato pode se dar por

vários motivos:

Por iniciativa do empregador;

Por iniciativa do empregado;

Pela morte de uma das partes;

(24)

Cessação do Contrato de Trabalho

Por iniciativa do empregador:

Sem justa causa.

Com justa causa;

(25)

Cessação do Contrato de Trabalho

Por iniciativa do empregado:

Pedido de demissão;

Aposentadoria;

Rescisão indireta;

(26)

Justa causa

Art. 482 - Constituem justa causa para rescisão

do contrato de trabalho pelo empregador: a) ato de improbidade;

b) incontinência de conduta ou mau procedimento; c) negociação habitual por conta própria ou alheia

sem permissão do empregador, e quando

constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou for prejudicial ao

(27)

Justa causa

d) condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da

execução da pena;

e) desídia no desempenho das respectivas funções; f) embriaguez habitual ou em serviço;

g) violação de segredo da empresa;

h) ato de indisciplina ou de insubordinação; i) abandono de emprego;

(28)

Justa causa

j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de

legítima defesa, própria ou de outrem;

k) ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e

superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;

(29)

Rescisão Indireta

Art. 483 - O empregado poderá considerar

rescindido o contrato e pleitear a devida indenização quando:

a) forem exigidos serviços superiores às suas forças, defesos por lei, contrários aos bons

costumes, ou alheios ao contrato;

b) for tratado pelo empregador ou por seus superiores hierárquicos com rigor excessivo; c) correr perigo manifesto de mal considerável;

(30)

Rescisão Indireta

d) não cumprir o empregador as obrigações do contrato; e) praticar o empregador ou seus prepostos, contra ele

ou pessoas de sua família, ato lesivo da honra e boa fama;

f) o empregador ou seus prepostos ofenderem-no

fisicamente, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;

g) o empregador reduzir o seu trabalho, sendo este por peça ou tarefa, de forma a afetar sensivelmente a

(31)

Rescisão Indireta

§ 1º - O empregado poderá suspender a prestação dos serviços ou rescindir o contrato, quando tiver de desempenhar obrigações legais, incompatíveis com a

continuação do serviço.

§ 2º - No caso de morte do empregador constituído em empresa individual, é facultado ao empregado rescindir o

contrato de trabalho.

§ 3º - Nas hipóteses das letras "d" e "g", poderá o

empregado pleitear a rescisão de seu contrato de trabalho e o pagamento das respectivas indenizações, permanecendo

(32)

Rescisão Sem Justa Causa

Art. 477 - É assegurado a todo empregado, não

existindo prazo estipulado para a terminação do respectivo contrato, e quando não haja ele dado motivo para cessação das relações de trabalho, o direto de haver do empregador uma indenização,

paga na base da maior remuneração que tenha percebido na mesma empresa

(33)

Rescisão Sem Justa Causa

Art. 478 - A indenização devida pela

rescisão de contrato por prazo

indeterminado será de 1 (um) mês de

remuneração por ano de serviço efetivo,

ou por ano e fração igual ou superior a 6

(34)

Rescisão Contrato Prazo Determinado

Art. 479 - Nos contratos que tenham termo

estipulado, o empregador que, sem justa causa, despedir o empregado será obrigado a pagar-lhe, a titulo de indenização, e por metade, a remuneração a

que teria direito até o termo do contrato. (Vide Lei nº 9.601, de 1998)

Parágrafo único - Para a execução do que dispõe o presente artigo, o cálculo da parte variável ou incerta dos salários será feito de acordo com o prescrito para

o cálculo da indenização referente à rescisão dos contratos por prazo indeterminado.

(35)

Rescisão Contrato Prazo Determinado

Art. 480 - Havendo termo estipulado, o

empregado não se poderá desligar do

contrato, sem justa causa, sob pena de ser

obrigado a indenizar o empregador dos

prejuízos que desse fato lhe resultarem. (

Vide

Lei nº 9.601, de 1998)

§ 1º - A indenização, porém, não poderá

exceder àquela a que teria direito o

(36)

Aviso Prévio

Art. 487 - Não havendo prazo estipulado, a parte que,

sem justo motivo, quiser rescindir o contrato deverá avisar a outra da sua resolução com a antecedência

mínima de:

I - oito dias, se o pagamento for efetuado por semana ou tempo inferior;

II - trinta dias aos que perceberem por quinzena ou mês, ou que tenham mais de 12 (doze) meses de

(37)

Aviso Prévio

lei nº 12.506, de 11 de outubro de 2011.

Art. 1o O aviso prévio, de que trata o Capítulo VI do Título IV da

Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no

5.452, de 1o de maio de 1943, será concedido na proporção de 30 (trinta)

dias aos empregados que contem até 1 (um) ano de serviço na mesma empresa.

Parágrafo único. Ao aviso prévio previsto neste artigo serão acrescidos 3

(três) dias por ano de serviço prestado na mesma empresa, até o máximo de 60 (sessenta) dias, perfazendo um total de até 90 (noventa) dias.

(38)

Aviso Prévio

§ 1º - A falta do aviso prévio por parte do

empregador dá ao empregado o direito aos

salários correspondentes ao prazo do aviso,

garantida sempre a integração desse período

no seu tempo de serviço.

§ 2º - A falta de aviso prévio por parte do

empregado dá ao empregador o direito de

descontar os salários correspondentes ao

prazo respectivo.

(39)

Aviso Prévio

§ 3º - Em se tratando de salário pago na base de tarefa, o cálculo, para os efeitos dos parágrafos anteriores, será feito de acordo com a média dos

últimos 12 (doze) meses de serviço.

§ 4º - É devido o aviso prévio na despedida indireta.

§ 5o O valor das horas extraordinárias habituais

(40)

Aviso Prévio

§ 6

o

O reajustamento salarial coletivo,

determinado no curso do aviso prévio,

beneficia o empregado pré-avisado da

despedida, mesmo que tenha recebido

antecipadamente os salários correspondentes

ao período do aviso, que integra seu tempo de

(41)

Aviso Prévio

Art. 488 - O horário normal de trabalho do empregado,

durante o prazo do aviso, e se a rescisão tiver sido promovida pelo empregador, será reduzido de 2 (duas)

horas diárias, sem prejuízo do salário integral.

Parágrafo único - É facultado ao empregado trabalhar sem a redução das 2 (duas) horas diárias previstas neste artigo, caso em que poderá faltar ao serviço, sem prejuízo do salário integral, por 1 (um) dia, na hipótese do inciso l, e por 7 (sete) dias corridos, na hipótese do

(42)

Aviso Prévio

Art. 489 - Dado o aviso prévio, a rescisão

torna-se efetiva depois de expirado o respectivo prazo, mas, se a parte notificante reconsiderar o ato,

antes de seu termo, à outra parte é facultado aceitar ou não a reconsideração.

Parágrafo único - Caso seja aceita a

reconsideração ou continuando a prestação depois de expirado o prazo, o contrato

continuará a vigorar, como se o aviso prévio não tivesse sido dado.

(43)

Aviso Prévio

Art. 490 - O empregador que, durante o prazo do

aviso prévio dado ao empregado, praticar ato que justifique a rescisão imediata do contrato, sujeita-se ao pagamento da remuneração correspondente

ao prazo do referido aviso, sem prejuízo da indenização que for devida.

Art. 491 - O empregado que, durante o prazo do

aviso prévio, cometer qualquer das faltas

consideradas pela lei como justas para a rescisão, perde o direito ao restante do respectivo prazo.

Imagem

Referências

temas relacionados : Contrato individual de trabalho