• Nenhum resultado encontrado

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso"

Copied!
22
0
0

Texto

(1)

Pró-Reitoria de Graduação

Curso de Educação Física

Trabalho de Conclusão de Curso

ASSOCIAÇÃO ENTRE O ESTILO DE VIDA SEDENTÁRIO E

FATORES DE RISCO À SAÚDE EM ADOLESCENTES

Autor: Isadora Ferreira de Almeida

Orientadora: Profª. Dra. Nanci Maria de França

Brasília – DF

2013

(2)

ISADORA FERREIRA DE ALMEIDA ASSOCIAÇÃO ENTRE O ESTILO DE VIDA SEDENTÁRIO E FATORES DE RISCO

À SAÚDE EM ADOLESCENTES Artigo apresentado ao curso de Graduação em Educação Física da Universidade Católica de Brasília, como requisito parcial para obtenção do título de Licenciatura em Educação Física. Orientadora: Professora Dra. Nanci Maria de França

Brasília 2013

(3)

SUMÁRIO 1. Introdução...3 2. Objetivo ...5 2.1. Objetivo Geral ...5 2.2. Objetivos Específicos ...5 3. Metodologia ...6 3.1. População e Amostra ...6 3.2. Critérios de inclusão/exclusão ...6 3.3. Instrumentos de Medida ...6 3.4. Procedimentos ...7 3.5. Analise Estatística ...7 4. Resultados e Discussões ...8 5. Conclusão ...15 6. Referencias Bibliográficas ...16 7. Anexos ...17

7.1. Questionário de hábitos de vida e saúde ...17

(4)

ISADORA FERREIRA DE ALMEIDA

ASSOCIAÇÃO ENTRE O ESTILO DE VIDA SEDENTÁRIO E FATORES DE RISCO À SAÚDE EM ADOLESCENTES

Resumo

O sedentarismo é atualmente um dos grandes problemas da modernidade e também atinge diretamente os adolescentes. Objetivo: desse trabalho é associar o nível de atividade física e os fatores de risco para as doenças peculiares ao adolescente. Material e Método: A amostra dessa pesquisa foi composta por 51 alunos, de 16 a 19 anos, estudantes do Centro de Ensino Médio nº03 de Taguatinga. A coleta de dados foi feita a partir de dois questionários, sendo um o IPAQ, Questionário Internacional de Atividade Física, na sua versão curta e um questionário sobre Hábitos de Vida e Saúde. Resultados: na analise dos resultados pode-se perceber que os adolescentes estão irregularmente ativos e que alguns fatores influenciam para que esses jovens se tornem cada vez mais inativos. Conclusão: os dados desse grupo mostram uma associação significativa (r= -0,35 para uso de estimulantes; r= 0,38 para suor frio p<0,05) entre NAF e fatores de risco para a saúde. A analise de regressão mostrou que estes fatores de risco explicam 24,0 % nível de atividade física destes adolescentes.

Palavras chaves: Adolescência, Atividades Físicas, Fatores de Riscos a Saúde.

1. Introdução

A prática adequada de atividade física na adolescência traz vários benefícios para saúde física e mental, seja por meio de uma influência direta sobre a morbidade na própria adolescência ou por uma influência mediada pelo nível de atividade física na idade adulta.1

Estima-se que no futuro grande parte dos adultos poderão apresentar disfunções orgânicas, decorrentes da aquisição de hábitos alimentares inadequados e a falta de atividades físicas. Embora a maioria das doenças associadas ao sedentarismo somente se manifestem na vida adulta, é cada vez mais evidente que seu desenvolvimento se inicia na infância e na adolescência. Sendo assim, o estímulo à prática de atividade física desde a juventude deve ser uma prioridade em saúde pública.2 Os benefícios de uma vida ativa fisicamente são diversos, desde a melhora do humor, das funções cognitivas, até a prevenção de doenças

(5)

crônico-degenerativas como: cardiopatias coronarianas; artrites; diabetes; câncer; osteoporose; doenças pulmonares crônicas; acidente vascular cerebral (AVC); e obesidade.

Por outro lado, o sedentarismo, então, poderia ser considerado, de imediato, como a não realização de atividades físicas. O conceito de sedentarismo, de fato, parece problemático. Por ser um conceito vulgar, comum e não científico, os pesquisadores têm encontrado uma dificuldade decisiva em determinar o que seria sedentarismo, vez que os critérios de análise são grosseiramente dessemelhantes e, assim, encontram valores bastante díspares para sua determinação, de acordo com os critérios utilizados. Desta forma, qualquer tentativa de definir o que seja um “comportamento sedentário” tem esbarrado em sérios problemas.3

O sedentarismo é atualmente um dos grandes problemas da modernidade e também atinge diretamente os adolescentes. O avanço tecnológico que atinge a sociedade contemporânea trouxe consigo várias facilidades, diminuindo a necessidade das pessoas se locomoverem, tornando as atividades do cotidiano, que necessitariam de um esforço físico, em atividades meramente domésticas.

Com a vida moderna a incidência do sedentarismo aumentou. Embora não seja uma novidade há muitos anos, esse problema atinge atualmente diversas faixas etárias, inclusive crianças e adolescentes, fato esse que não ocorria antigamente. Nos dias atuais o sedentarismo é comum em grande parte do mundo, responsável por dois milhões de mortes ao ano e por setenta e cinco por cento das mortes nas Américas, sendo considerado o inimigo número um da saúde pública, de acordo com Organização Mundial da Saúde.4 No Brasil, essa realidade é perceptível quando nos deparamos com um número elevado de pessoas que não praticam qualquer tipo de atividade física e/ou exercício físico, principalmente na fase da adolescência.5

O presente estudo buscará demonstrar a importância da atividade física para os adolescentes, diminuindo o índice de sedentarismo nessa faixa etária, trazendo assim a promoção de uma vida futura saudável, prevenindo o surgimento de doenças crônico-degenerativas. Assim, buscaremos responder as seguintes perguntas: quais são os fatores que levam os jovens de 16 a 19 anos ao sedentarismo e quais os benefícios que a atividade física pode trazer a pessoas dessa faixa etária?

(6)

2. Objetivos

2.1. Objetivo Geral

- Associar o nível de atividade física, na adolescência, e os fatores de risco para as doenças peculiares ao adolescente.

2.2. Objetivos Específicos

- Relacionar o sedentarismo dos adolescentes com fatores de risco à saúde;

- Estabelecer a relação entre a prática da atividade física, na adolescência, e qualidade de vida.

(7)

3. Metodologia

3.1. População e Amostra

Este trabalho foi realizado em Taguatinga, Distrito Federal, tendo como população estudantes do ensino público, regularmente matriculados nos Rede de Ensino Pública de Taguatinga. Participaram da amostra 51 alunos do Centro de Ensino Médio de nº 03 de Taguatinga.

3.2. Critérios de inclusão/ exclusão

Participaram desse estudo os estudantes devidamente matriculados no Centro de Ensino Médio de nº 03 de Taguatinga. Alunos que não são aptos a pratica de atividade física por doenças crônicas ou por outras causas não poderão participar da pesquisa. A amostra foi constituída de alunos de 16 a 19 anos.

3.3 Instrumentos de Medida

Foi utilizado o Questionário Internacional de Atividade Física (International Physical Activity Questionnaire – IPAQ), que foi validado em 12 países e 14 centros de pesquisa. O IPAQ é um questionário que permite estimar o tempo semanal gasto em atividades físicas de intensidades: moderada e vigorosa, em diversas atividades do cotidiano.

Esse questionário foi publicado na versão curta e na longa. A versão curta é composta por sete questões abertas e suas informações permitem estimar o tempo despendido, por semana, em atividade física e em inatividade física. A versão longa apresenta vinte e sete questões relacionadas com as atividades físicas, realizadas em uma semana normal, com intensidades: vigorosa, moderada e leve, com a duração mínima de 10 minutos contínuos, distribuídas em quatro dimensões de atividade física (trabalho, transporte, atividades domésticas e lazer) e do tempo despendido por semana na posição sentada.

Quando comparadas as versões curta e longa do IPAQ, os resultados são diferentes.6 O tempo semanal despendido em atividades físicas moderadas e vigorosas tem sido menor na versão curta comparado com a longa.

Foi também utilizado um questionário de hábitos de vida e saúde, anexado a esse trabalho.

(8)

3.4 Procedimentos

Os alunos responderam a esse questionário durante as aulas de Educação Física, em que a professora disponibilizou um tempo para que fosse aplicado o questionário aos alunos, de forma que a pesquisadora apresentou e explicou como deveria ser feito e também tirou eventuais dúvidas.

3.5 Análise estatística

Os dados foram tratados através da estatística descritiva e para a análise inferencial foi utilizado à correlação linear múltipla.

(9)

4. Resultados e Discussões

A amostra foi composta por 51 indivíduos, sendo 19 do sexo masculino e 32 do sexo feminino, com idade de 16-19 anos, sendo a idade média± DP (17,6 ± 0,8).

O questionário utilizado para determinar o nível de atividade física (NAF) foi à versão curta do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), para analisar os dados do nível de atividade física foi utilizado o consenso realizado entre o CELAFISCS e o Center for Disease Control (CDC) de Atlanta em 2002, considerando os critérios de frequência e duração, que classifica os indivíduos em cinco categorias, são elas: Muito ativo, Ativo, Irregularmente ativo A, Irregularmente ativo B e Sedentário.7

No gráfico 1 abaixo podemos ver os resultados obtidos, não entrando no gráfico a categoria Sedentária, pois nenhum dos indivíduos foi classificado como tal.

Os alunos classificados como Muito ativo e Ativo, praticavam as aulas de Educação Física da escola e outras atividades (academia e/ou escolhinhas de esporte), além de utilizar a atividade física como meio de transporte. Os classificados como Irregularmente ativos A e B apenas utilizavam a atividade física como meio de transporte e pouco participavam das aulas de Educação Física.

(10)

O outro questionário utilizado foi o de Hábitos de Vida e Saúde, o mesmo avaliava fatores de saúde, de comportamento e dos hábitos alimentares; a partir desses dois questionários foram feitas as analises estatísticas, uma dessas analises foi à correlação parcial, realizada entre o nível de atividade física (NAF) e os itens do questionário de Hábitos de Vida e Saúde, os resultados encontrados mostraram que apenas dois itens mantinham correlação significativa com o NAF. Esses itens foram o Suor Frio e o uso de Estimulantes. O suor frio apresentou uma correlação positiva e o uso de estimulantes uma correlação negativa, de acordo com a tabela 1 apresentada a seguir:

TABELA 1 - Correlaçõesa

NAF S.FRIO ESTIMULA

NTE Correlação de Pearson NAF 1,000 ,381 -,354 S.FRIO ,381 1,000 -,126 ESTIMULANTE -,354 -,126 1,000 Sig. (1 extremidade) NAF . ,003 ,005 S.FRIO ,003 . ,190 ESTIMULANTE ,005 ,190 . N NAF 51 51 51 S.FRIO 51 51 51 ESTIMULANTE 51 51 51

a. Regressão dos mínimos quadrados ponderados - ponderados por SEXO

Os estimulantes mencionados nos resultados acima que são utilizados pelos indivíduos pesquisados são suplementos alimentares e também remédios utilizados no tratamento de TDAH (Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade).

Já na tabela 2 abaixo podemos ver o resumo do modelo que mostra a força da correlação entre os itens por meio do R2 veja:

TABELA 2 - Resumo do modelob,c

Modelo R R quadrado R quadrado

ajustado

Sig. Alteração F

1 ,490a ,240 ,209 ,001

a. Preditores: (Constante), ESTIMULANTE, S.FRIO b. Variável dependente: NAF

(11)

Na tabela 3 pode-se apresentar as correlações dos demais itens do questionário, no entanto, não demonstrando correlações significativas com o NAF:

TABELA 3 - Correlações Variáveis de controle NAF

NAF Correlação 1 Significância (2 extremidades) . DF 0 CEFALEIA Correlação 0,186 Significância (2 extremidades) 0,201 DF 47 PALPITAÇ Correlação 0,086 Significância (2 extremidades) 0,559 DF 47 PA.A Correlação -0,149 Significância (2 extremidades) 0,308 DF 47 PA.B Correlação 0,077 Significância (2 extremidades) 0,598 DF 47 DOR Correlação -0,031 Significância (2 extremidades) 0,834 DF 47 TONTURA Correlação 0,178 Significância (2 extremidades) 0,221 DF 47 *S.FRIO Correlação 0,315 Significância (2 extremidades) 0,027 DF 47 R.RAPIDA Correlação -0,001 Significância (2 extremidades) 0,994 DF 47 TREMORES Correlação -0,047 Significância (2 extremidades) 0,75 DF 47 F.APETITE Correlação -0,081 Significância (2 extremidades) 0,581 DF 47 E.APETITE Correlação -0,059

(12)

Significância (2 extremidades) 0,685 DF 47 NAUSEAS Correlação 0,267 Significância (2 extremidades) 0,063 DF 47 D.ESTOMAGO Correlação -0,132 Significância (2 extremidades) 0,366 DF 47 DIARREIA Correlação 0,149 Significância (2 extremidades) 0,308 DF 47 CONSTIPAÇ Correlação 0,058 Significância (2 extremidades) 0,692 DF 47 TOSSE Correlação 0,175 Significância (2 extremidades) 0,228 DF 47 INSONIA Correlação 0,2 Significância (2 extremidades) 0,169 DF 47 D.ARTICULAÇ Correlação -0,026 Significância (2 extremidades) 0,861 DF 47 CAIMBRAS Correlação 0,18 Significância (2 extremidades) 0,217 DF 47 D.CERVICAL Correlação 0,193 Significância (2 extremidades) 0,184 DF 47 D.LOMBAR Correlação 0,151 Significância (2 extremidades) 0,299 DF 47 GRIPE Correlação 0,223 Significância (2 extremidades) 0,123 DF 47 E.INFECCIOSAS Correlação -0,028 Significância (2 extremidades) 0,848 DF 47

(13)

FALTA.AR Correlação 0,047 Significância (2 extremidades) 0,746 DF 47 R.PEQ.PROBLE Correlação 0,194 Significância (2 extremidades) 0,182 DF 47 D.TOM.DECISAO Correlação -0,049 Significância (2 extremidades) 0,737 DF 47 D.CONCENTRAÇ Correlação 0,11 Significância (2 extremidades) 0,453 DF 47 NECESS.APOIO Correlação -0,06 Significância (2 extremidades) 0,683 DF 47 FRUTAS Correlação -0,112 Significância (2 extremidades) 0,443 DF 47 LEGUMES Correlação -0,152 Significância (2 extremidades) 0,299 DF 47 CARBOIDRATOS Correlação -0,031 Significância (2 extremidades) 0,835 DF 47 GORDURA Correlação 0,204 Significância (2 extremidades) 0,16 DF 47 ADOÇANTE Correlação -0,209 Significância (2 extremidades) 0,149 DF 47 ALCCOL Correlação 0,153 Significância (2 extremidades) 0,294 DF 47 CIGARRO Correlação . Significância (2 extremidades) . DF 47 VIT.COMPLEM Correlação -0,062 Significância (2 extremidades) 0,672

(14)

DF 47 CALMANTES Correlação 0,016 Significância (2 extremidades) 0,915 DF 47 REL.MUSCULAR Correlação 0,084 Significância (2 extremidades) 0,567 DF 47 *ESTIMULANTE Correlação -0,324 Significância (2 extremidades) 0,023 DF 47 EMAGRECEDORES Correlação . Significância (2 extremidades) . DF 47 ALG.MEDICAMENTO Correlação 0,022 Significância (2 extremidades) 0,879 DF 47 RADIAÇÃO Correlação 0,028 Significância (2 extremidades) 0,85 DF 47 EXAM.ROTINA.PREV Correlação 0,092 Significância (2 extremidades) 0,53 DF 47

Com tais resultados pode-se entender que o uso de estimulantes mencionados anteriormente tem uma influência negativa no NAF desses adolescentes, de forma que são utilizados para uma transformação no corpo (suplementos alimentares), porém não sendo utilizado por indivíduos ativos fisicamente podendo gerar complicações para a saúde.

Essa dificuldade dos adolescentes aderirem à atividade física como um fator que gera saúde pode ser explicado pelos pesquisadores como fatores culturais, comportamentais, psicológicos e, ate mesmo maturacionais que afetam esta faixa etária.8

Assim pode-se perceber a falta de interesse desses adolescentes nas aulas de Educação Física, por mais que as aulas sejam interessantes e chamativas, esses jovens não se interessam, às vezes por vergonha do próprio corpo ou por falta de interesse na prática.

Alem de baixos níveis de atividade física, a literatura também evidencia a adoção de outros comportamentos de risco à saúde com o passar da idade, como por exemplo, baixo consumo de frutas e verduras, consumo de tabaco e álcool e comportamento sexual inseguro.

(15)

Desta forma a investigação sobre NAF em escolares é uma das partes para o entendimento do estilo de vida dos jovens.9

Podendo assim ser aderidas as aulas de Educação Física dessa escola, palestras sobre os benefícios da atividade física e também aulas práticas avaliativas durante todo o ano escolar, fazendo com que os adolescentes participem das aulas ativamente, mesmo que alguns por obrigação, podendo depois entender que essa prática irá gerar saúde para suas vidas.

(16)

5. Conclusão

Ao considerar os resultados do presente estudo, pode-se concluir que a relação do NAF com os itens sobre fatores de saúde, comportamentos e hábitos alimentares se correlacionam de forma positiva e negativa de acordo com os itens que mantiveram correlação. Mostrando assim que o sedentarismo na adolescência pode gerar comportamentos que levem esses jovens ao uso de estimulantes em busca do corpo perfeito.

A respeito do quantitativo de jovens que se apresentaram Irregularmente ativo A, no gráfico do NAF, que são aqueles que atingem pelo menos um dos critérios da recomendação quanto à frequência ou quanto à duração da atividade (5 dias / semana ou 150 minutos / semana), foi a maior porcentagem apresentada mostrando que os jovens pouco praticam exercício físico, muitas vezes apenas praticado como meio de transporte no caso a caminhada.

Relacionando o sedentarismo dos adolescentes com fatores de risco à saúde, podemos ver com os resultados que cada vez mais os adolescentes deixam a atividade física de lado, não a praticando, podendo gerar futuramente doenças crônico-degenerativas, mostrando assim que essa prática gera uma melhor na qualidade de vida para esses adolescentes em suas vidas adultas.

Esses resultados sugerem que ocorra uma ação efetiva em relação à orientação para esses adolescentes para aderirem um estilo de vida mais ativo e reforça que a escola é importante nessa orientação, visto que os adolescentes passam a maior parte do seu tempo na escola, mostrando assim que a mesma deve orientar esses adolescentes nessa mudança de comportamento, podendo nas aulas de Educação Física ser atribuídas notas para os alunos que participarem das aulas práticas e também serem feitas palestras mostrando o beneficio da atividade física e da alimentação saudável para a saúde, aprendendo assim comportamentos mais saudáveis para toda a vida desses jovens.

(17)

6. Referencias Bibliográficas

1. HALLAL, Pedro Curi et al. Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes de 10-12 anos de idade Prevalence of sedentary lifestyle and associated factors in adolescents 10 to 12 years of age. Cad. Saúde Pública, v. 22, n. 6, p. 1277, 2006.

2. HALLAL, Pedro Curi et al. Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes de 10-12 anos de idade Prevalence of sedentary lifestyle and associated factors in adolescents 10 to 12 years of age. Cad. Saúde Pública, v. 22, n. 6, p. 1277, 2006.

3. PALMA, Alexandre. Exercício Físico e Saúde: Sedentarismo e Doença: Epidemia,. 2009. 15 v. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação Física, Ufrj, Rio de Janeiro, 2009.

4. ANDRADE, Ercília de Souza et al. Percepção de sedentarismo e fatores associados em adolescentes grávidas no Município de Coari, Estado do Amazonas, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 1, n. 4, p. 35-41, 2010.

5. ANDRADE, Ercília de Souza et al. Percepção de sedentarismo e fatores associados em adolescentes grávidas no Município de Coari, Estado do Amazonas, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 1, n. 4, p. 35-41, 2010.

6. Reprodutibilidade e validade do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) em homens idosos – Rev Bras Med Esporte vol.13 no.1 Niterói Jan./Feb. 2007.

7. MATSUDO, Sandra Mahecha et al. Nível de atividade física da população do Estado de São Paulo: análise de acordo com o gênero, idade, nível socioeconômico, distribuição geográfica e de conhecimento: Physical activity level of São Paulo State population: an analysis based on gender, age, socio-economic status, demographics and knowledge. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasilia, v. 10, n. 4, p.41-50, out. 2002.

8. SILVA, Diego Augusto Santos et al. Nível de atividade física e comportamento sedentário em escolares.: Physical activity level and sedentary behavior among students..Rev. Bras. Cineantropom Desempenho Hum., Aracaju, v. 11, n. 3, p.299-306, 2009.

9. SILVA, Diego Augusto Santos et al. Nível de atividade física e comportamento sedentário em escolares.: Physical activity level and sedentary behavior among students..Rev. Bras. Cineantropom Desempenho Hum., Aracaju, v. 11, n. 3, p.299-306, 2009.

(18)

7. Anexos

7.1. Questionário de hábitos de vida e saúde.

Protocolo no (_____________/2008)

INVENTÁRIO DE HABITOS DE VIDA E SAÚDE

Instruções para responder:

As questões nesta escala perguntam sobre sentimentos e pensamentos durante o último mês, seu consumo alimentar, uso de medicamentos e seus dados pessoais. Em cada pergunta, você deverá indicar o quão frequentemente tem sido cada um dos itens abaixo relacionados. Embora algumas das perguntas sejam similares, há diferença entre elas e você deve analisar cada uma como uma pergunta separada. A melhor abordagem é indicar a alternativa que lhe pareça como uma estimativa razoável. Para cada pergunta, escolha uma das seguintes alternativas:

0= Nunca

1= Raramente (uma vez no mês) 2= Algumas Vezes (3 vezes no mês) 3= Quase Sempre (3 vezes na semana) 4= Sempre (diariamente)

Neste último mês, com que frequência você teve as sintomas abaixo....

1 Cefaléia (dor de cabeça) 0 1 2 3 4

2 Palpitações 0 1 2 3 4

3 Pressão alta (hipertensão) 0 1 2 3 4

4 Pressão baixa (hipotensão) 0 1 2 3 4

5 Sensação de dor ou pressão no peito 0 1 2 3 4

6 Tontura(s) 0 1 2 3 4

7 Suor Frio 0 1 2 3 4

8 Respiração rápida 0 1 2 3 4

9 Tremores 0 1 2 3 4

(19)

11 Excesso de Apetite 0 1 2 3 4 12 Náuseas / Vômitos 0 1 2 3 4 13 Dores no Estomago 0 1 2 3 4 14 Diarreia 0 1 2 3 4 15 Constipação 0 1 2 3 4 16 Tosse 0 1 2 3 4 17 Insônia 0 1 2 3 4

18 Rigidez e / ou dor nas articulações 0 1 2 3 4

19 Câimbras e espasmos musculares 0 1 2 3 4

20 Dores na região cervical (pescoço) 0 1 2 3 4

21 Dores na região lombar (nas costas) 0 1 2 3 4

22 Resfriado comum ou gripe 0 1 2 3 4

23 Enfermidades infecciosas em geral 0 1 2 3 4

24 Obstrução nasal/ falta de ar 0 1 2 3 4

25 Reações a pequenos problemas com raiva, mágoa e/ou ataque de choro 0 1 2 3 4

26 Dificuldades de tomar decisões 0 1 2 3 4

27 Dificuldades de se concentrar nas atividades 0 1 2 3 4

28 Necessidade de apoio familiar, amigos e/ou ajuda profissional 0 1 2 3 4 Neste último mês, com que frequência você consumiu os alimentos/produtos abaixo.

29 Consumo de frutas (consumo igual ou > 3 frutas / dia ) 0 1 2 3 4 30 Consumo de verduras e legumes (consumo igual ou > 3 pratos/dia ) 0 1 2 3 4 31 Consumo de carboidratos (massas, batatas) (consumo igual ou > 3

pratos/dia )

0 1 2 3 4

32 Consumo de gordura/colesterol (frituras, derivados do leite, carnes com gordura...) (consumo igual ou > 3 pratos/dia )

0 1 2 3 4

33 Consumo de adoçante e outros produtos diet ou light:(consumo igual ou > 3 vezes ao dia )

(20)

34 Consumo de bebidas alcoólicas: (regularmente 1 a 2 copos/dia) 0 1 2 3 4

35 Consumo de cigarros (6 a 10 cigarros / dia) 0 1 2 3 4

36 Uso de vitaminas e/ou complementos vitamínicos (consumo maior que 2 vezes / semana )

0 1 2 3 4

37 Uso de sonífero e/ou calmante 0 1 2 3 4

38 Uso de relaxante muscular 0 1 2 3 4

39 Uso de estimulante 0 1 2 3 4

40 Uso de produtos emagrecedores 0 1 2 3 4

41 Faz uso de algum outro medicamento 0 1 2 3 4

42 Exposição à radiofármacos ou aparelhos que emitem radiação 0 1 2 3 4

43 Realizou algum exame de rotina ou preventivo 0 1 2 3 4

Data Nascimento__________ Idade (anos)__________

Sexo: Feminino ( ); Masculino ( )

Profissão: Especificar: ___________________________ Estado Civil:_________________________ Escolaridade:_________________________ Jornada de trabalho 4 horas / dia ( ) 6 horas / dia ( ) 8 horas / dia ( ) 12 horas / dia ( )

(21)

7.2. Questionário IPAQ (Versão curta)

QUESTIONÁRIO INTERNACIONAL DE ATIVIDADE FÍSICA

NOME COMPLETO SEM ABREVIAÇÕES E EM LETRA DE FORMA:

IDADE: __________ SEXO: _____ DATA DE NASCIMENTO: ____/_____/_____

As perguntas estão relacionadas ao tempo que você gasta fazendo atividade física na ÚLTIMA semana. As perguntas incluem as atividades que você faz no trabalho, para ir de um lugar a outro, por lazer, por esporte, por exercício ou como parte das suas atividades em casa ou no jardim. Suas respostas são MUITO importantes. Por favor responda cada questão mesmo que considere que não seja ativo. Obrigado pela sua participação !

Para responder as questões lembre que:

 atividades físicas VIGOROSAS são aquelas que precisam de um grande esforço físico e que fazem respirar MUITO mais forte que o normal

 atividades físicas MODERADAS são aquelas que precisam de algum esforço físico e que fazem respirar UM POUCO mais forte que o normal

Para responder as perguntas pense somente nas atividades que você realiza por pelo menos 10 minutos contínuos de cada vez:

1a Em quantos dias da última semana você caminhou por pelo menos 10 minutos contínuos em casa ou no trabalho, como forma de transporte para ir de um lugar para outro, por lazer, por prazer ou como forma de exercício?

dias _____ por SEMANA ( ) Nenhum

1b Nos dias em que você caminhou por pelo menos 10 minutos contínuos quanto tempo no total você gastou caminhando por dia? horas: ______ Minutos: _____

2a. Em quantos dias da última semana, você realizou atividades MODERADAS por pelo menos 10 minutos contínuos, como por exemplo pedalar leve na bicicleta, nadar, dançar, fazer

(22)

ginástica aeróbica leve, jogar vôlei recreativo, carregar pesos leves, fazer serviços domésticos na casa, no quintal ou no jardim como varrer, aspirar, cuidar do jardim, ou qualquer atividade que fez aumentar moderadamente sua respiração ou batimentos do coração (POR FAVOR NÃO INCLUA CAMINHADA): dias _____ por SEMANA ( ) Nenhum

2b. Nos dias em que você fez essas atividades moderadas por pelo menos 10 minutos contínuos, quanto tempo no total você gastou fazendo essas atividades por dia? horas: ______ Minutos: _____

3a Em quantos dias da última semana, você realizou atividades VIGOROSAS por pelo menos 10 minutos contínuos, como por exemplo correr, fazer ginástica aeróbica, jogar futebol, pedalar rápido na bicicleta, jogar basquete, fazer serviços domésticos pesados em casa, no quintal ou cavoucar no jardim, carregar pesos elevados ou qualquer atividade que fez aumentar MUITO sua respiração ou batimentos do coração. Dias _____ por SEMANA ( ) Nenhum

3b Nos dias em que você fez essas atividades vigorosas por pelo menos 10 minutos contínuos quanto tempo no total você gastou fazendo essas atividades por dia? horas: ______ Minutos: _____

Estas últimas questões são sobre o tempo que você permanece sentado todo dia, no trabalho, na escola ou faculdade, em casa e durante seu tempo livre (deixa livre ou lazer. Isto inclui o tempo sentado estudando, sentado enquanto descansa, fazendo lição de casa visitando um amigo, lendo, sentado ou deitado assistindo TV, jogando vídeo game, bate-papo na internet e uso do computador para jogar e estudar. Não inclua o tempo gasto sentando durante o transporte em ônibus, trem, metrô ou carro.

4a. Quanto tempo no total você gasta sentado durante um dia de semana? ______horas _______ minutos

4b. Quanto tempo no total você gasta sentado durante em um dia de final de semana? ______ horas _______ minutos

Referências

Documentos relacionados

A utilização da cinesioterapia na reabilitação precoce de pacientes que sofreram fratura de fêmur com uso de haste intramedular tem um papel importante pelo fato desses

Local de realização da avaliação: Centro de Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação - EAPE , endereço : SGAS 907 - Brasília/DF. Estamos à disposição

Se você tiver, no mínimo, três anos de vinculação ao Plano, terá direito ao Benefício Proporcional Diferido (BPD), que consiste em manter o saldo de Conta de

O presente estudo tem como objetivo avaliar se o uso de um munhão personalizado é capaz de facilitar a remoção do excesso de cimento após a cimentação de

Não só o crack, mas também as drogas de modo geral, e incluem-se aqui também as chamadas drogas lícitas tais como álcool e tabaco, são considerados um

Nos Estados Unidos da América EUA, elas representam cerca de 133 milhões, as quais contribuem para 7 a 10% da mortalidade a cada ano, resultam num gasto dispendido para a saúde de

Para modelação e ajuste do viés arbitral foi usado regressão logística binária sendo “audiência” (público no estádio) e taxa de ocupação, posse de

A operacionalização da implantação do apoio matricial às equipes de Saúde da Família, segundo Relatório do Planejamento da Gestão atual da Saúde Mental se deu