• Nenhum resultado encontrado

Disciplina: COMINUIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Disciplina: COMINUIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO"

Copied!
5
0
0

Texto

(1)

Disciplina: COMINUIÇÃO E CLASSIFICAÇÃO

Modalidade: Integrado

Período Letivo: 2º Ano

Carga-Horária: 60h (80h/a) 2 aulas semanais

1. INTRODUÇÃO

A mineração é uma das atividades mais antigas da humanidade, fornecendo à sociedade elementos para sua manutenção e evolução social. Atualmente as etapas da mineração estende-se desde à busca pelos bens minerais até o processamento do minério até o ponto de uso pela indústria de transformação ou mesmo uso direto pela sociedade.

As etapas de obtenção de bens minerais, de uma maneira bem geral, compreende a pesquisa mineral como identificação de jazidas, lavra de minério (a céu aberto ou subterrâneo), beneficiamento e purificação de minério e manutenção das condições ambientais. Esta disciplina compreende uma das etapas do beneficiamento de minérios.

O beneficiamento de minérios é a etapa da mineração que adiciona valor econômico ao bem mineral, pois os fragmentos de rocha por si só não possui valor comercial, salvo em algum poucos casos onde o recurso mineral tem valor comercial sem nenhuma etapa de processamento, a Figura 1 resume as etapas de processamento mineral e ressalta as etapas abordadas nesta disciplina.

Minério Fragmen tação Classificação Concentração por métodos físicos Concentração por métodos químicos Concentração por métodos físico-químicos

Purificação metalúrgicosProcessos

Figura 1 – Etapas do processamento mineral.

Esta disciplina irá estudar as tecnologias e métodos de fragmentação (cominuição) e classificação de minérios bem como as etapas acessórias de armazenamento e transporte de sólidos. Estará voltada à apresentar as tecnologias mais recentes e informações de relevância para prática operacional de usinas de tratamento de minérios demonstrando de maneira teórica e práticas cada etapa da cominuição e classificação de minérios.

1.1. METODOLOGIA

Esta disciplina exibe um caráter muito prático, visto que todos os processos de tratamento de minério começam na fragmentação com posterior classificação. Desta forma esta disciplina deverá conter aulas teóricas, aulas práticas e visitas técnicas. A Tabela 1 mostras as metodologias para cada fase da disciplina.

(2)

Tabela 1- Metodologias de aulas.

Aulas Teóricas Aulas Práticas Visita técnica

Conteúdo Amostragem; Estocagem de minérios; Alimentadores, Britagem, Moagem, Classificação, Modelagem de processos.

Amostragem; Britagem; Moagem, Classificação hidráulica, Peneiramento e Simulação de processos.

Unidade de produção de brita para construção civil.

Forma de abordagem

Aulas expositivas; Questões e problemas teóricos; Seminários; Confecção de artigos;

• A turma será dividia em blocos (entre 3 e 6 blocos), cada bloco receberá um minério problema.

• Cada bloco deverá realizar todas as etapas práticas ao longo do ano letivo (amostragem, britagem, moagem e classificação. Ao fim de cada etapa haverá um relatório parcial. • Na 4ª unidade todos os dados construídos ao longo do ano deverá compor um único relatório final o qual deverá ser apresentado na forma de seminário. • O minério utilizado servirá para as próximas disciplinas de tratamento de minérios.

Fazer relatório de vista onde deve ser observado o caráter prático das aulas. Deverá está presente professores de geologia, segurança do trabalho e métodos de lavra.

2. OBJETIVOS

O objetivo da disciplina de cominuição de classificação é apresentar as tecnologias de fragmentação de minérios, ensinado os princípios físicos de fragmentação e modelos de equipamentos. É objetivo também ensinar as técnicas de classificação por tamanho associadas aos processos de fragmentação exemplificando com as tecnologias de classificação.

2.1. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Identificar e operar os equipamentos de cominuição e classificação por tamanho.  Identificar os princípios técnicos da cominuição e classificação por tamanho.

 Operar equipamentos de cominuição e classificação, controlar suas várias operações.  Auxiliar na manutenção de equipamentos de cominuição e classificação.

 Auxiliar na realização de ensaios de processo químicos e físicos.

 Estudar modelos matemáticos dos processos de fragmentação e classificação  Elaborar relatórios.

3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O conteúdo programático será dividido em quatro unidades ao longo do ano letivo, onde serão distribuídas aulas teóricas, aulas práticas e visitas técnicas.

Será abordado na disciplina conteúdos relacionado a princípios de operações unitárias, metodologias de estocagem de minérios, técnicas de adução de minério em equipamentos de processamento mineral, teoria da fragmentação, britagem e moagem de minério, teoria da classificação, peneiramento, ciclonagem e uso de modelagem de processo.

(3)

1ª UNIDADE

Aulas teóricas Aulas práticas

Introdução a tratamento de minério Amostragem Plantas de tratamento de minério

Amostragem

Estocagem de minérios Alimentadores

2ª UNIDADE

Aulas teóricas Aulas práticas

Teoria da fragmentação Britagem de minérios em britador de

mandíbula e

classificação. Visita técnica a uma pedreira.

Britagem

Modelos de equipamento de britagem Variáveis de processo em britagem Manutenção de britador

Noções de dimensionamento

3ª UNIDADE

Aulas teóricas Aulas práticas

Moinhos Moagem em moinho de

bolas e classificação a seco e a úmido Modelos de moinhos

Projeto de construção de moinhos

Peças de desgastes Simulação de processo Operação de moinhos

Acionamento de moinhos

Operação de controle em moagem Simulação de processo

4ª UNIDADE

Aulas teóricas Aulas práticas

Teoria da classificação Sedimentação em proveta.

Peneiramento a seco e a úmido Peneiramento. Classificação hidráulica

Ciclonagem

Eficiência de peneiramento 4. CRONOGRAMA

Unidade Mês Semanas Aulas Atividades

Unidade Abril

1 1 Introdução a tratamento de minério 2 2 Plantas de tratamento de minério 3 3 Amostragem 4 4 Avaliação Individual Maio

5 5 Estocagem de minérios / Laboratório: Amostragem 6 6 Estocagem de minérios / Laboratório: Amostragem 7 7 Avaliação equipe

8 8 Enterga de relaórios

Junho 9 9 Recuperação

(4)

Unidade 11 11 Britagem

12 12 Variáveis de processo em britagem

Agosto 13 13 Avaliação em equipe

14 14 Manutenção de britador / Laboratório: Britagem 15 15 Manutenção de britador / Laboratório: Britagem 16 16 Simulador de britagem (sala de computação) 17 17 Avaliação Individual / Entrega de relatórios Setembro 18 18 Recuperação 19 19 Entrega de resultados Unidade Setembro 20 20 Moagem

21 21 Projeto de construção de moinhos

Outubro 22 22 Operação de moinhos 23 23 Avaliação Individual

24 24 Dimencionamento de moinhos / Laboratório:

Moagem

25 25 Dimencionamento de moinhos / Laboratório:

Moagem

26 26 Operação de controle em moagem

Novembro

27 27 Simulador de moagem (sala de computação) 28 28 Avaliação Individual / Entrega de relatórios

29 29 Recuperação 30 30 Entrega de resultados Unidade Dezembro 31 31 Teoria da classificação 32 32 Classificação hidráulica 33 33 Ciclonagem 34 34 Avaliação Individual Janeiro 35 35 Peneiramento

36 36 Eficiência de peneiramento / Laboratório:

Sedimentação em proveta

37 37 Eficiência de peneiramento / Laboratório:

Sedimentação em proveta

38 38 Filtragem

39 39 Avaliação Individual / Entrega de relatórios Fevereiro

40 40 Recuperação

41 41 Entrega de resultados

5. BIBLIOGRAFIA BÁSICA

ARTHUR, Rotênio Pinto Chaves. Teoria e Pratica do Tratamento de Minérios - Vol. 1 (Bombeamento de Polpa e Classificação). Oficina de Texto, 2012.

ARTHUR, Rotênio Pinto Chaves; PERES, Antônio Eduardo C. Teoria e Pratica do Tratamento de Minérios - Vol. 3 (Britagem, Peneiramento e Moagem). Oficina de Texto, 2013.

ARTHUR, Rotênio Pinto Chaves. Teoria e Pratica do Tratamento de Minérios - Vol. 5 (Manuseio de Sólidos Granulados). Oficina de Texto, 2013.

LUZ, Adão B.; POSSA, Mário Valente. Tratamento de Minérios. CETEM, 2004.

Salvador Luiz Matos de Almeida; LUZ, Adão Benvindo da. MANUAL DE AGREGADOS PARA CONSTRUÇÃO CIVIL. CETEM, 2009.

(5)

BERALDO, José Luiz. Moagem de minério em moinhos tubulares. Edgard Blücher, 1987.

5.1. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

GUTIERREZ, Leonel; SEPULVEDA, Jaime. Dimensionamiento y optimizacion de plantas concentradoras mediante técnicas de modelacion matemática. CIMIM.

MULAR, Andrew L.; BARRATT, Derek J.; HALBE, Doug N. Mineral Processing Plant: Design, Practice, and Control. SMME, 2002.

Referências

Documentos relacionados

Inspecção Visual Há inspeccionar não só os aspectos construtivos do colector como observar e controlar a comutação (em

A gestão do processo de projeto, por sua vez, exige: controlar e adequar os prazos planejados para desenvolvimento das diversas etapas e especialidades de projeto – gestão de

amicalis used in this study yielded two types of SACs (Type I and II) with different activities, one which reduced the surface tension of water and produced O/W

Este trabalho se propõe a identificar de que forma cursos da área da saúde pertencentes ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde CCBS, além dos cursos de Psicologia e

O importante, quando do ensino da gramática, é ter a consciência de que os diversos tipos de exercícios são efetivos, necessitando-se um preparo do professor de

A ingestão de ração que continha monensina por frangos que receberam tiamulin na água ou por via intramuscular causou sinais de intoxicação pelos ionóforos, caracterizados por

Além disso, é relevante informar que os cenários das médias das taxas de captura em função das bandeiras para cada fase de vida são similares, pois as bandeiras que configuram entre