• Nenhum resultado encontrado

LEVANTAMENTO HERPETOFAUNÍSTICO DE UMA ÁREA DE CERRADO EM ALTO ARAGUAIA, MATO GROSSO, BRASIL

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "LEVANTAMENTO HERPETOFAUNÍSTICO DE UMA ÁREA DE CERRADO EM ALTO ARAGUAIA, MATO GROSSO, BRASIL"

Copied!
9
0
0

Texto

(1)

LEVANTAMENTO HERPETOFAUNÍSTICO DE UMA ÁREA DE CERRADO EM ALTO ARAGUAIA, MATO GROSSO, BRASIL

Telêmaco Jason Mendes-Pinto 1& Ílimo Melo Miranda2

RESUMO - Apresentamos aqui uma lista das espécies de anfíbios e répteis de uma área de Cerrado no município de Alto Araguaia, Mato Grosso, Brasil. Este estudo é dos resultados obtidos durante a preparação de um estudo de impactos ambientais para a instalação de uma linha de transmissão de energia na região estudada. O trabalho foi realizado entre os dias 02 e 11 de dezembro de 2009. Utilizamos cinco métodos de amostragem frequentemente utilizados neste tipo de estudo: procura limitada por tempo, armadilhas de interceptação e queda, coletas por terceiros, encontros ocasionais e covos. Foram registradas 29 espécies entre anfíbios e répteis, incluídas nas ordens Anura (16), Testudine (01) e Squamata (12; sendo 08 lagartos e 04 serpentes). Inventários herpetofaunísticos demandam um logo período de amostragem, e certamente apresentamos aqui uma sub-amostragem da diversidade real que esta área comporta. Entretanto, a área pode ser considerada importante para a manutenção de populações da herpetofauna do Cerrado brasileiro, já que guarda uma amostra significativa das espécies com ocorrência para este Bioma.

Unitermos: anfíbios, répteis, Cerrado, Mato Grosso, Brasil.

HERPETOFAUNISTIC SURVEY OF AN AREA IN THE CERRADO VEGETATION IN ALTO ARAGUAIA, MATO GROSSO, BRAZIL

ABSTRACT - We present here a list of species of amphibians and reptiles in an area of Cerrado vegetation in the municipality from Alto Araguaia, Mato Grosso, Brazil. This study is the results obtained during the preparation of an environmental impact study for the installation of a power transmission line in the region studied. The study was conducted between 02 and 11 December 2009. We use five sampling methods commonly used in this type of study: time-constrained search, pitfall traps and fall collections made by others, occasional collections and pots. We recorded 29 species of amphibians and reptiles, including the orders Anura (16), Testudine (01) and Squamata (12, 08 lizards and 04 snakes). Herpetofaunistic surveys require a long period of sampling, and certainly present here a sub-sample of the real diversity that this area holds. However, the area may be important for maintaining populations of the amphibians and reptiles from Brazilian Cerrado, as it saves a significant sample of species occurrence for this biome.

Uniterms: amphibians, reptiles, Cerrado vegetation, Mato Grosso, Brazil. INTRODUÇÃO

O Brasil abriga uma diversidade biológica considerada como uma das maiores do mundo (Mittermeier et al., 1992), ao mesmo tempo em que o país carece de informações básicas sobre a distribuição desses recursos ao longo de suas diferentes regiões e biomas (Conservation International et al., 1993).

1

Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais, Universidade Federal do Amazonas – UFAM. Av. Gen. Rodrigo Otávio Jordão Ramos, 3000, Setor Sul - Coroado I, CEP

69.077-000, Manaus-AM, Brasil. biojason2005@hotmail.com

2

Biodinâmica Engenharia e Meio Ambiente, Av. Marechal Câmara, 186, 3º andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ, CEP: 20020-080, Brasil.

(2)

Estudos como inventários faunísticos que permitem identificar as espécies que ocorrem em um ambiente são o primeiro passo para as demais pesquisas que contribuirão para obtenção de uma memória faunística e recomendação das atividades de conservação destes ecossistemas (Milano et al.,1986; Day et al., 1987; Lopes, 2000). Além do que fornecem subsídios para pesquisas em diversas áreas da biologia, tais como a Sistemática, Ecologia e Biogeografia, além do que são fundamentais para a determinação de áreas prioritárias para conservação (Gibbons e Bennett, 1974). Se tratando da fauna de anfíbios e répteis, o Brasil está entro os países com a maior riqueza de espécies (Rodriguez e Duellman, 1994; SBH, 2011). No bioma cerrado diversos estudos têm contribuído com o conhecimento acerca da herpetofuana (e.g. Wiederhecker et al., 2002; Mesquita et al., 2006; Giugliano et al., 2006). Apesar disso, o conhecimento sobre comunidades de répteis e anfíbios permanecem insuficientes e muito possivelmente a diversidade de espécies seja muito maior, já que extensas áreas permanecem não amostradas. À medida que essas áreas são acessadas, espécies são reconhecidas como novas e a distribuição geográfica de espécies conhecidas são ampliadas (Halffter e Ezcurra, 1992).

O presente estudo teve como objetivo realizar o inventário das espécies de anfíbios e répteis que ocorrem em uma área de Cerrado no município de Alto Araguaia, estado do Mato Grosso. MATERIAL E MÉTODOS

O estudo foi realizado em uma área de Cerrado no município de Alto Araguaia (22K0252528 / UTM8073746) no estado do Mato Grosso, Brasil (Figura 1).

Figura 1. Imagem de satélite do município de Alto Araguaia (Mato Grosso) e Santa Rita do Araguaia (Goiás), Brasil. Rodovias estaduais (amarelo), Rio Araguaia (azul). Fonte: Google Earth, 2011.

O clima na região é do tipo tropical chuvoso com temperatura média nos meses menos quentes superando os 18 ºC e o índice pluviométrico anual relativamente elevado (Amaral e Fonzar, 1982). O período chuvoso se estende entre outubro e abril, e o seco ocorre entre os meses de maio a setembro. A precipitação média anual na região é de 1.330 mm (Resende et al., 1994).

A amostragem dos anfíbios e répteis foi realizada em deis dias de coletas de campo durante o período chuvoso na região no mês de dezembro de 2009. Foram utilizados cinco métodos complementares freqüentemente utilizados neste tipo de estudo (armadilhas de interceptação e queda; procura visual limitada por tempo; covos encontros ocasionais; coletas por terceiros).

(3)

Pelo menos dois exemplares de cada espécie foram coletados como testemunhos científicos. Todos os espécimes coletados foram encaminhados para tombo na Coleção de Herpetológica do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MUZUSP).

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Foram registradas 29 espécies entre anfíbios e répteis, incluídas nas ordens Anura (16), Testudine (01) e Squamata (12, sendo 08 lagartos e 04 serpentes) (Tabela 1).

Os anuros estão representados por 16 espécies distribuídas em 09 gêneros e seis famílias. Hylidae foi à família com maior representatividade em número de espécies com 50% dos anfíbios amostrados neste estudo, em geral comuns na região Neotropical (Duellman, 1978), seguida por Bufonidae e Leiuperidae com 18,7%, Leptodactulidae e Microhylidae com respectivos 6,2%. Esse é um resultado esperado, considerando que atualmente no Brasil, Hylidae é a família de anfíbios que abrange o maior número de espécies (Figura 2).

Tabela 1. Anfíbios e répteis registrados em uma área de Cerrado no município de Alto Araguaia, Mato Grosso, com respectivos métodos de registro. Métodos: CT = contribuição por terceiros, EO = encontro ocasional, PLT = procura limitada por tempo, PT = pitfall e CV = covos.

Táxons Métodos

Anfíbios

Família Bufonidae

Rhinella granulosa (Spix, 1824) EO

Rhinella jimi (Stevaux, 2002) PLT

Rhinella schneideri (Werner, 1894) EO

Família Hylidae

Dendropsophus elianeae (Napoli & Caramaschi, 2000) PLT Dendropsophus minutus (Peters, 1872) PLT Dendropsophus rubicundulus (Reinhardt & Lütken,1862"1861") PLT Hypsiboas albopunctatus (Spix, 1824) PLT Hypsiboas punctatus (Schneider, 1799) PLT

Scinax fuscovarius (A. Lutz, 1925) PLT

Scinax ruber (Laurenti, 1768) PLT

Scinax squalirostris PLT

Família Leiuperidae

Eupemphix nattereri Steindachner, 1863 PLT, PT, EO Physalaemus cuvieri Fitzinger, 1826 PLT, PT, EO Pseudopaludicola mystacalis (Cope, 1887) PLT

Família Leptodactylidae

Leptodactylus sp. PLT

Família Microhylidae

Elachistocleis ovalis (Schneider, 1799) PLT

Lagartos

Família Scincidae

(4)

Família Teiidae

Ameiva ameiva (Linnaeus, 1758) PT, PLT, CT

Cnemidophorus ocellifer (Spix, 1825) PT

Kentropyx paulensis Boettger, 1893 PT

Família Gymnophthalmidae

Colobosaura modesta (Reinhardt & Luetken, 1862) PT Vanzosaura rubricauda (Boulenger, 1902) PT

Família Polychrotidae

Anolis meridionalis Boettger, 1885 PT

Família Tropiduridae

Tropidurus oreadicus Rodrigues, 1987 PLT, PT

Serpentes

Família Viperidae

Bothropoides mattogrossensis (Amaral, 1925) PLT

Caudisona durissa (Linnaeus, 1758) EO

Família Dipsadidae

Phalotris lativittatus Ferrarezzi, 1994 EO Oxyrhopus guibei Hoge & Romano, 1978 CT

Quelônio

Família Chelidae

Phrynops geoffroanus (Schweigger, 1812) CV

Figura 2. Algumas espécies de anuros registrados em uma área de Cerrado em Alto Araguaia, Mato Grosso, Brasil. A) Hypsiboas punctatus, B) Hypsiboas albopunctatus (macho vocalizando), C) Dendropsophus rubicundulus (macho vocalizando), D) Eupemphix nattereri, E) Rhinella schneideri e F) Elachistocleis ovalis (casal em cópula). Fotos: F. K. Ubaid (A), T. J. Mendes-Pinto (B, C, D, E, F).

Dentre as 08 espécies de lagartos registradas, a família mais representativa foi Teiidae, com 37,5% do total amostrado. Esse resultado pode ter forte efeito de amostragem, considerando que teídeos são lagartos de grande porte, facilmente avistados enquanto forrageiam ativamente durante

(5)

o dia. A segunda família mais representativa foi Gymnophthalmidae com 25%, resultado obtido graças à instalação de armadilhas de interceptação e queda. Gimnoftalmídeos são lagartos que vivem entre a camada de folhiço no solo, e dificilmente são avistados visualmente e capturados manualmente. Polychrotidae, Tropiduridae e Scincidae representaram 12,5% do total amostrado (Tabela 1 e Figura 3).

Figura 3. Algumas espécies de répteis (lagartos, serpentes e quelônio) registrados em Alto Araguaia, Mato Grosso, Brasil. A) Colobosaura modesta, B) Vanzosaura rubricauda, C) Kentropyx paulensis, D) Anolis meridionalis, E) Ameiva ameiva F) Bothropoides mattogrossensis, G) Phalotris lativittatus, H) Oxyrhopus guibei e I) Phrynops geoffroanus. Fotos: T. J. Mendes-Pinto (A, B, C, D, E, F, G, I), F. K. Ubaid (H).

A taxocenose de serpentes está representada por duas famílias (Dipsadidae e Viperidae), ambas com duas espécies, o que representou 50% do total amostrado para cada família (Figura 3). Serpentes geralmente são sub-amostradas em avaliações rápidas de fauna, o acesso aprofundado de taxocenoses depende de monitoramentos em longo prazo (Fraga et al., 2011). Um quelônio da família Chelidae foi registrado (Phrynops geoffroanus) (Tabela 1 e Figura 3).

Dentre os anfíbios, Physalaemus cuvieri foi à espécie mais abundante neste estudo, seguido por Eupemphix nattereri e Dendropsophus rubicundulus respectivamente. Entre os répteis Tropidurus oreadicus foi à espécie mais abundante seguida por Vanzosaura rubricauda e Ameia ameiva respectivamente. Os dados de abundância de todas as espécies encontram-se compilados a seguir (ver figuras 4 e 5).

(6)

Figura 4. Abundância de espécies de anfíbios coletados em uma área de Cerrado em Alto Araguaia, Mato Grosso, Brasil.

Figura 5. Abundância de espécies de répteis coletados em uma área de Cerrado em Alto Araguaia, Mato Grosso, Brasil.

Algumas espécies foram exclusivamente registradas por um dos métodos utilizados, corroborando com Cechin & Matins (2000), Queiroz Filho et al. (2010), Mendes-Pinto e Tello (2010), Silva et al. (2011), Mendes-Pinto e Souza (no prelo) a importância da utilização de mais de um método de amostragem em inventários como esse.

(7)

Considerando o número de espécies registradas ao fim das amostragens, procura limitada por tempo foi o método mais eficiente já que obteve o maior número de espécies (Figura 6). De fato, esse método tem sido amplamente utilizado para estudos como inventários herpetofaunísticos em várias regiões do mundo, e questões complexas sobre ecologia de espécies já foram respondidas com a aplicação de apenas esse método (ver Fraga, 2009).

Figura 6. Número de espécies registradas por método de amostragem. PLT = procura limitada por tempo, PT = pitfall trap, EO = encontros ocasionais, CT = coletas por terceiros e CV = covos.

Apesar das limitações de amostragem, este estudo propôs objetivos similares aos Rapid Biological Inventories (sensu Hayden, 2007), sendo direcionado a uma área desconhecida do ponto de vista científico até o momento, e com alta relevância biológica, a exemplo daqueles realizados em outras regiões do Brasil como na Amazônia (e.g. Mendes-Pinto et al., 2010; Mendes-Pinto et al., 2011; Silva et al., 2011; Mendes-Pinto e Souza, no prelo).

As espécies registradas são típicas de áreas de Cerrado, algumas com ampla distribuição geográfica, ocorrendo por todo o território brasileiro a exemplo do quelônio Phrynops geoffroanus e o lagarto Ameiva ameiva. Os anuros Hypsiboas punctatus e Elachistocleis ovalis têm sido registrados tanto no Bioma Cerrado quanto na floresta Amazônica. A serpente Caudisona durissa (Viperidae) além do Cerrado no Brasil Central, ocorre também em outras formações abertas no norte do país como nas savanas Amazônicas no oeste do Pará (Frota, 2004; Frota et al., 2005; Mendes-Pinto e Tello, 2010; Mendes-Pinto e Souza, no prelo).

Os resultados obtidos representam uma estimativa pontual da diversidade de espécies que ocorrem nesta região. Este fato é corroborado pelo esforço amostral empregado no estudo, o que pode ser observado na tendência ascendente na curva do coletor. Inventários herpetofaunísticos demandam estudos de longa duração, ainda assim, novos registros são acrescentados continuamente mesmo para regiões melhores amostradas nos diferentes Biomas brasileiros. Contudo, a área pode ser considerada importante para a manutenção de populações da herpetofauna do Cerrado, já que guarda uma amostra importante das espécies com ocorrência neste Bioma.

AGRADECIMENTO

Somos gratos a JGP Consultoria Ambiental pelo apoio logístico durante as atividades de campo. Flávio Kulaif Ubaid, Rodrigo Gusmão, Guilherme Lima e Guilherme Moya pelo auxílio nas coletas de campo. T. J. Mendes-Pinto recebe bolsa de mestrado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

(8)

REFERÊNCIAS

Amaral, D. L. & Fonzar, B. C. (1982). Levantamento de Recursos Naturais. In: RADAMBRASIL – Folha SD 21. Cuiabá – Rio de Janeiro. MME.

Cechin, S. Z. & Martins, M. (2000). Eficiência de armadilhas de queda (pitfall traps) em amostragens de anfíbios e répteis no Brasil. Revista Brasileira de Zoologia 17: 729-740.

Conservation International, Fundação Biodiversidade & Sociedade Nordestina de Ecologia. (1993). Prioridades para a conservação da biodiversidade da Mata Atlântica do Nordeste. Mapa descritivo produzido pela CI, FB e SNE.

Day, G. I.; Schemitz, S. D.; Tarder, R. D. (1987). Captura y marcación de animales silvestres. In Manual de técnicas de gestión de vida silvestres. 4 ed., Wildlife Society. 703p.

Duellman, W. E. (1978). The biology of an equatorial herpetofauna in Amazonian Equador. Univ. Kansas Mus. Nat. Hist. Misc. Publ. 65: 1-352.

Fraga, R. de. (2009). A influência de fatores ambientais sobre padrões de distribuição de comunidades de serpentes em 25 km2 de floresta de terra firme na Amazônia central. Vol. Dissertação (Mestrado em Ecologia). Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 38 p. Fraga, R. de.; Lima, A. P. & Magnusson, W. E. (2011). Mesoscale spatial ecology of a tropical snake assemblage: the width of riparian corridors in central Amazonia. Herpetological Journal 21: 51–57.

Frota, J. G (2004). As serpentes da região de Itaituba, médio Rio Tapajós, Pará, Brasil (Squamata). Comunicações do Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, Ser. Zool., Porto Alegre v. 17, n. 1, p. 9-19.

Frota, J. G.; Santos-Jr., A. P.; Chalkidis, H. M. & Guedes, A. G. (2005). As serpentes do baixo Rio Amazonas, Oeste do estado do Pará, Brasil (Squamata). Biociências, Porto Alegre v. 13, n. 2. p. 211-220.

Gibbons, J. W.; Bennett, D. H. (1974). Determination of Anuran terrestrial activity patterns by a drift fence method. Copeia, 1:237-243.

Giugliano, L. G.; Contel, E. P. B. Colli, G. R. (2006). Genetic variability and phylogenetic relationships of Cnemidophorus parecis (Squamata, Teiidae) from Cerrado isolates in southwestern Amazonia. Biochemical Systematics and Ecology 34: 383-391.

Halffter, G.; Ezcurra, E. (1992). ¿Qué es la biodiversidad? In: G. Halffter (ed.). La diversidad de Iberoamérica I. Acta Zoológica Mexicana, Instituto de Ecología, A.C., México, p. 3- 24.

Hayden, T. (2007). Ground force. News Feature. Nature. 445(1): 222-230.

Lopes, J. A. M. (2000). In: Alho, C. (Ed.). Fauna Silvestre do rio Manso, MT. Brasília, Ministério do Meio Ambiente, 350p.

(9)

Mendes-Pinto & Tello, J. C. R. (2010). Répteis Squamata de uma área de transição Floresta-Savana no Oeste do Estado do Pará, Brasil. Revista de Ciências Ambientais, Canoas, v.4, n.1, p. 19-35. Mendes-Pinto, T. J. & Souza, S. M. Preliminary assessment of amphibians and reptiles from Floresta Nacional do Trairão, with two new records for the Pará state in Brazilian Amazon. Herpetology Notes. (no prelo).

Mendes-Pinto, T. J.; Fraga, R. de. & Tello, J. C. R. (2011). Primeiro registro de Hypsiboas leucocheilus (Caramaschi & Niemeyer, 2003) (Amphibia, Anura, Hylidae) para o estado do Amazonas, Brasil. Revista de Biologia e Farmácia 5(2): 127-130.

Mendes-Pinto, T. J.; Santos Júnior, L. B. & Tello, J. C. R. (2010). Inventário rápido da fauna de vertebrados de um fragmento de floresta de terra firme no município de Manaus, Amazonas, Brasil. Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, 7p.

Mesquita, D. O.; Colli, G. R. França, R. G. R. and Vitt, L. J. (2006). Ecology of a Cerrado Lizard Assemblage in the Jalapa˜o Region of Brazil. Copeia (3), pp. 460–471.

Milano, M. S.; Rizzi, N. E.; Kaniak, V. C. (1986). Princípios básicos de manejo administração de áreas silvestres. Instituto de Terras, Cart. e Florestas, Curitiba, Departamento de Recursos Naturais Renováveis. 56p.

Mittermeier, R. A.; Ayres, J. M.; Werner, T.; Fonseca, G. A. B. (1992). O País da Megadiversidade. Ciência Hoje, 14:20-27.

Queiroz Filho, R. G.; Mendes-Pinto, T. J. & Fragoso, A. C. (2010). Anurofauna da área do Centro Universitário Nilton Lins, Manaus, Amazonas, Brasil (Amphibia; Anura). Revista de Biologia e Farmácia. Vol. 04 (2): 13-21.

Resende, M. S.; Sandanielo, A. & Couto, E. G. (1994). Zoneamento agroecológico do Sudoeste do Estado de Mato Grosso. Documentos 4. EMPAER/EMBRAPA.

Rodriguez, L. O. & Duellman, W. E. (1994). Guide to the frogs of the Iquitos Region, Amazonian Peru. Asociacion de Ecologia y Conservacion, Amazon Center for Environmental Education and Research, and Natural History Museum, the University of Kansas, Lawrence, Kansas. 227 p.

SBH. Sociedade Brasileira de Herpetologia. (2011). (Org.). Brazilian reptiles – Lista de espécies. Disponível em http://www.sbherpetologia.org.br/. Sociedade Brasileira de Herpetologia. Acesso dia 08 de junho de 2011.

Silva, E. P.; Mendes-Pinto, T. J.; Claro Júnior, L. H. & Sales, M. E. (2011). Riqueza de espécies de anfíbios anuros em um fragmento florestal na área urbana de Manaus, Amazonas, Brasil. Revista de Biologia e Farmácia 5(2): 131-144.

Wiederhecker, H. C.; Pinto, A. C. S. and Collin, G. R. (2002). Reproductive Ecology of Tropidurus torquatus (Squamata: Tropiduridae) in the Highly Seasonal Cerrado Biome of Central Brazil. Journal of Herpetology, Vol. 36, No. 1, pp. 82-91.

Referências

Documentos relacionados

De seguida, vamos adaptar a nossa demonstrac¸ ˜ao da f ´ormula de M ¨untz, partindo de outras transformadas aritm ´eticas diferentes da transformada de M ¨obius, para dedu-

Partindo do fato de que as bases teóricas que sustentam as práticas fonoaudiológicas não são homogêneas, o presente artigo teve como objetivo analisar relatos de fonoaudiólogos sobre

I) 1-2: De manhã cedo, todos os chefes dos sacerdotes e os anciãos do povo convocaram um conselho contra Jesus, para o condenarem à morte. Judas jogou as moedas

No presente trabalho é relatada a ocorrência de uma nova espécie de Corazuphium no Brasil, encontrada na Gruta do Gonçalo, no município de Campo Formoso, Bahia.. A nova espécie

A empresa descarta a possibilidade de os acidentes com suas composições terem sido provocados por excesso de carga e afirma que há um “controle rigoroso de peso das composições”

Você pode selecionar a função Wi-Fi para iniciar quando premir [x]. 4 Selecione uma funcionalidade de Wi-Fi.. Inserindo a bateria e o cartão de memória Saiba como inserir a bateria

Os balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2015 e as informações contábeis intermediárias relativas às demonstrações do resultado e do resultado abrangente para os períodos

A SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO em conjunto com a POLÍCIA CIVIL DO ESTADO DO PARÁ torna público o resultado definitivo da 5ª Subfase da 1ª Etapa -