• Nenhum resultado encontrado

FEMM FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MIGUEL MOFARREJ FIO FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "FEMM FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MIGUEL MOFARREJ FIO FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS"

Copied!
17
0
0

Texto

(1)

FEMM – FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MIGUEL MOFARREJ

FIO – FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS

CURSO DE FARMÁCIA

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE FARMACÊUTICOS

COMUNITÁRIOS EM RELAÇÃO AO GLAUCOMA,

JACAREZINHO.

VANESSA KUKA MARTINI

(2)

VANESSA KUKA MARTINI

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE FARMACÊUTICOS

COMUNITÁRIOS EM RELAÇÃO AO GLAUCOMA,

JACAREZINHO.

OURINHOS – 2015

Artigo apresentado como pré-requisito para conclusão do Curso de Farmácia das Faculdades Integradas de Ourinhos – FIO.

Orientador: Prof. Dr. Paulo Roque Obreli Neto.

(3)

FOLHA DE APROVAÇÃO

VANESSA KUKA MARTINI

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE FARMACÊUTICOS

COMUNITÁRIOS EM RELAÇÃO AO GLAUCOMA,

JACAREZINHO.

Avaliador 1: Professor Doutor Paulo Roque Obreli Neto Assinatura: _________ Avaliador 2: Professor Mestre Maurício Massayuki Nambu Assinatura: _______ Avaliador 3: Professor Mestre Cristiane Fátima Guarido Assinatura:_________

(4)

AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus por me dar forças para continuar diante de tantos obstáculos e mudanças em minha vida no decorrer da graduação.

Aos meu pais, César e principalmente minha mãe Maria de Fátima, uma guerreira, fez o possível e impossível para dar um bom estudo a mim, e minhas irmãs, que apesar de tantas dificuldades nunca perdeu suas forças, e nos mostrou que sonhar e nunca desistir, é vencer.

Mãe meu exemplo, minha vida, meu amor.

As minhas irmãs Karla, Sandra e Joyce, pela dedicação, união e amor comigo, me incentivando nos meus estudos, e torcendo pela carreira que escolhi seguir.

Aos meus sobrinhos, tia Terezinha e Renato, por estarem presentes na minha vida.

Aos meus colegas de classe e profissão pelos momentos de felicidade que pude desfrutar ao lado deles.

Em especial ao meu orientador Professor Doutor Paulo Roque Obreli, por acreditar e tornar possível a conclusão desta etapa importante em minha vida, por me fazer admirar e honrar nossa profissão. Um exemplo de mestre, profissional de competência inigualável, mostrou que amar o que faz é extremamente recompensador e gratificante.

Sua dedicação e empenho me faz crer que nossa profissão tem a honra de ter este profissional como farmacêutico e também professor.

Agradeço pela oportunidade de ter sido uma aprendiz e orientanda deste professor.

Minha admiração por sua sabedoria será sempre minha fonte de inspiração. Obrigada.

(5)

Epígrafe

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”.

(6)

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE FARMACÊUTICOS COMUNITÁRIOS EM RELAÇÃO AO GLAUCOMA, JACAREZINHO.

EVALUATION OF THE COMMUNITY PHARMACIST’ KNOWLEDGE REGARDING GLAUCOMA, JACAREZINHO.

MARTINI, V.K., OBRELI NETO, P.R.

Departamento de Farmácia –Faculdades Integradas de Ourinhos-FIO/FEMM

RESUMO

Introdução: a maioria dos pacientes com glaucoma utiliza colírio de maneira incorreta; o que

aumenta o risco de redução da efetividade, maior ocorrência de reações adversas, e maior gasto de medicamento. O farmacêutico comunitário está em um local estratégico para melhorar a técnica de uso de colírios; podendo orientar os pacientes. Objetivo: o objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento de farmacêuticos comunitários em relação ao glaucoma.

Metodologia: foi realizado estudo transversal, no período de maio a junho de 2015, em

farmácias comunitárias do município de Jacarezinho, Paraná. Para avaliação do conhecimento dos farmacêuticos em relação ao glaucoma foi utilizado questionário estruturado desenvolvido pelo pesquisador. Resultados: um total de 16 farmacêuticos comunitários aceitaram participar do estudo. Todos os farmacêuticos responderam corretamente questões sobre esterilidade dos colírios e quais medicamentos são utilizados no tratamento do glaucoma. Entretanto, para perguntas relacionadas à técnica de uso dos colírios, como posição correta da cabeça durante uso do colírio, número de gotas que devem ser instaladas, local dos olhos onde as gotas devem ser instiladas e compressão do saco lacrimal após uso, o número de acertos foi inferior a 50%. Conclusão: os resultados sugerem que os farmacêuticos comunitários apresentam conhecimento inadequado relacionado à técnica de utilização de colírios.

Palavras-chave: Instilação; Colírio; Glaucoma.

ABSTRACT

Introduction: most patients with glaucoma eye drops used incorrectly; which increases the risk

of reduced effectiveness, greater occurrence of adverse reactions, and increased drug spending. The community pharmacist is in a strategic location to improve the use of eye drops technique; can guide patients. Objective: the objective of this study was to evaluate the knowledge of community pharmacists in relation to glaucoma. Methodology: we carried out a cross-sectional study from May to June 2015 in community pharmacies in the city of Jacarezinho, Paraná. To evaluate the knowledge of pharmacists in relation to glaucoma was

(7)

used structured questionnaire developed by the researcher. Results: a total of 16 community pharmacists took part in the study. All pharmaceutical correctly answered questions about sterility of eye drops, which are drugs used in the treatment of glaucoma. However, to questions related to eye drops used technique, as correct head position during use of eye drops, the number of drops that must be installed, eye where the drops are to be instilled and compression of the lacrimal sac after use, the number of hits was less than 50%. Conclusion: the results suggest that the pharmaceutical community have inadequate knowledge related to the use of eyedrops art.

Keywords: Instillation; Eye drops; Glaucoma.

INTRODUÇÃO

O glaucoma é uma neuropatia óptica com repercussão característica no campo visual, cujo principal fator de risco é aumento da pressão intraocular (PIO) e cujo desfecho principal é cegueira irreversível (BRASIL, 2013). O aumento da PIO compromete a produção e drenagem do humor aquoso desencadeando degenerações oculares devido à pressão na retina e na papila óptica (HANSEL, DINTZIS, 2007).

Após a catarata, o glaucoma é a segunda principal causa de cegueira, e acomete 67 milhões de pessoas no mundo, sendo 10% destas consideradas cegas. (QUIGLEY, 1996; THYLEFORS et al., 1995). Indivíduos que apresentam idade superior a 40 anos, histórico familiar de glaucoma, etnia negra, ametropia (miopia, hipermetropia, astigmatismo), hipertensão arterial sistêmica, e aumento da PIO possuem risco aumentado de desenvolver glaucoma (BRUNTON, LAZO, PARKER, 2010).

O glaucoma não tratado adequadamente pode ocasionar distúrbios oculares como a escavação em forma de taça da papila óptica, abaulamento da córnea ou da esclerótica em pontos fracos, atrofia do nervo óptico, degeneração da camada de células ganglionares da retina associada a comprometimento da visão e também buftalmia (olho excessivamente aumentado) se a pressão elevada ocorrer antes de 3 anos de idade, quando o olho ainda é flexível (HANSEL, DINTZIS, 2007).

O principal objetivo terapêutico no manejo do glaucoma é reduzir a PIO. Os medicamentos utilizados atualmente no tratamento do glaucoma

(8)

podem atuar auxiliando na correção do distúrbio estrutural subjacente, reduzindo a produção do humor aquoso no corpo ciliar, reduzindo a PIO (HANSEL, DINTZIS, 2007). A principal via de administração de medicamentos no tratamento do glaucoma é a ocular; os medicamentos mais usados são, em sua maioria, tópicos, na forma de soluções oftálmicas estéreis, e podem ser classificados em cinco categorias principais: betabloqueadores, parassimpaticomiméticos, agonistas alfa adrenérgicos, inibidores da anidrase carbônica e análogos das prostaglandinas e prostamidas (BRUNTON, LAZO, PARKER, 2010).

A técnica adequada de instilação do colírio é fundamental no tratamento do glaucoma. Entretanto, vários estudos verificaram que a maioria dos pacientes com glaucoma utiliza colírio de forma inadequada; o que pode aumentar as taxas de não alcance do objetivo terapêutico, e aumentar a ocorrência de efeitos adversos sistêmicos (FRAUNFELDER, 1976; KASS et al., 1982).

O profissional farmacêutico está em um local estratégico na cadeia terapêutica do medicamento, sendo o último profissional da saúde a ter contato com o paciente antes deste iniciar o uso de medicamentos, e também é o profissional de saúde que mais vezes entra em contato com os pacientes (CORRER, OTUKI, 2013). Para orientar adequadamente, é necessário que o farmacêutico possua conhecimentos e habilidades específicas relacionadas a condição clínica e medicamento em questão. Assim, este estudo teve como objetivo avaliar o conhecimento dos farmacêuticos comunitários relacionados ao glaucoma e a técnica de instilação de colírios.

METODOLOGIA

Delineamento e localização do estudo

Foi realizado um estudo transversal durante os meses de maio e junho de 2015, em farmácias comunitárias localizadas no município de Jacarezinho, Paraná. O município de Jacarezinho possui 39.121habitantes (IBGE, 2010), e existem 18 farmácias comunitárias nesta cidade.

(9)

Foram incluídos profissionais farmacêuticos que atuam nas farmácias comunitárias do município durante o período das 08h00 às 17h00.

Amostragem

Foi utilizada amostragem de conveniência, sendo incluídos todos os farmacêuticos considerados elegíveis que aceitaram participar do estudo. Coleta de dados

Foram visitadas todas as 18 farmácias comunitárias do município de Jacarezinho - PR. Durante as visitas, foram explicados os objetivos da pesquisa, sobre a participação dos sujeitos. Os farmacêuticos que aceitaram participar foram avaliados quanto aos critérios de elegibilidade, na qual os elegíveis assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido (ANEXO I).

Foram coletadas as seguintes informações gerais dos farmacêuticos: idade, sexo, tempo de formação, modalidade de formação (com habilitação ou generalista), instituição onde se formou (pública ou privada), tempo de atuação em farmácia comunitária, cargo atual, carga horária de trabalho.

Avaliação do conhecimento sobre o Glaucoma

Os farmacêuticos foram entrevistados, utilizando instrumento de avaliação adaptado de Lisboa et al. (2007). O instrumento conta com questões relacionadas a cuidados com higiene durante o uso do colírio, número de gotas aplicadas, uso de mais de um colírio concomitantemente, local de aplicação, cuidados após o uso do colírio, definição de glaucoma e medicamentos utilizados no tratamento do glaucoma (ANEXO II). A técnica correta utilizada como padrão foi a descrita na bula do medicamento Maleato de Timolol 0,5% da marca Neo Química (MALEATO DE TIMOLOL, s/d). Para avaliação dos conhecimentos relacionados à doença e seu tratamento foi utilizado o Protocolo e Diretrizes Terapêuticas de Glaucoma (BRASIL, 2013).

Análise dos dados

Foi utilizada estatística descritiva para análise dos dados de informações gerais dos farmacêuticos, com os resultados apresentados em frequência

(10)

absoluta e relativa, média + desvio padrão (DP), repassados em planilha eletrônica (Microsoft ® Office Excel).

Foi calculada a prevalência de acertos para cada pergunta, e calculado o número médio de questões respondidas corretamente pelos farmacêuticos.

RESULTADOS

Um total de 16 farmacêuticos elegíveis aceitou participar do estudo. A maioria eram do sexo masculino, e formados com matrizes generalistas. Outras características gerais destes farmacêuticos estão descritas na Tabela 1.

Tabela 1. Características gerais dos farmacêuticos comunitários do município de Jacarezinho, Paraná (n= 16).

Variável Resultado

Sexo Masculino, n (%) 11 (68,8) Idade, média + desvio-padrão (anos) 33,25 + 11,29 Local de formação, formado em

universidade privada, n (%)

14 (87,5)

Tempo de formação, média + desvio-padrão (anos)

7,7 + 2,1

Modalidade de formação, generalista, n (%)

9 (56,5)

Tempo de atuação e farmácia comunitária, média + desvio-padrão (meses)

6,8 + 1,5

Carga horária semanal de 44 horas semanais, n (%)

12 (75)

A Tabela 2 mostra as respostas dos farmacêuticos comunitários à perguntas relacionadas à doença, apresentação farmacêutica, tratamento e modo de utilizar os colírios. O pior desempenho dos farmacêuticos comunitários ocorreu em questões relacionadas ao modo de utilizar do colírio; como posição da cabeça do paciente durante uso, número de gotas que podem

(11)

ser aplicadas, local de aplicação, cuidados após uso, cuidados de uso quando utiliza lente de contato, cuidados de armazenamento dos frascos de colírios abertos.

Tabela 2. Questionário aplicado aos farmacêuticos comunitários do município de Jacarezinho, Paraná (n= 16).

Pergunta Respondeu corretamente, n (%)

Os colírios são apresentações: esteréis 16 (100) Cuidados que devem ser tomados antes

de utilizar colírios: lavar as mãos, não deixar a parte interna da tampa entrar em contato com superfícies

15 (92,8)

Em qual posição deve estar a cabeça do paciente para aplicação do colírio: inclinada para trás

5 (31,3)

Quantas gotas do colírio podem ser aplicadas por olho, em cada aplicação: uma

8 (50,0)

Como deve proceder paciente que utiliza mais de um colírio: deve esperar cinco minutos para instilar o outro colírio

14 (87,5)

Em qual local da órbita o colírio deve ser aplicado: saco conjuntival

8 (50,0)

O frasco do colírio pode encostar no olho durante a instilação: não

16 (100)

Após instilar o colírio o paciente deve: permanecer com o olho fechado por dois minutos, comprimindo o canal lacrimal

7 (43,8)

Após aberto o frasco do colírio deve ser descartado: após 30 – 40 dias

7 (43,8)

Como deve proceder paciente que utiliza lentes de contato: remover a lente antes de utilizar o colírio, e recolocá-las 5 – 15 minutos após uso do colírio

10 (62,5)

O glaucoma é uma afecção ocular irreversível do nervo óptico, capaz de causar perda da visão

(12)

São exemplos de colírios utilizados no tratamento do glaucoma: maleato de timolol, tartarato de brimonidina e latanoprosta

16 (100)

DISCUSSÃO

Ao que tudo indica, este foi o primeiro estudo realizado no Brasil que avaliou o conhecimento de farmacêuticos comunitários relacionados ao glaucoma e técnica de uso de colírios. Baseado no fato de que a maioria dos pacientes com glaucoma não utiliza adequadamente colírios, e que esta prática pode reduzir a efetividade do tratamento, aumentar o risco de reações adversas sistêmicas e aumentar o consumo de frascos de colírios (CINTRA et al., 1998; VAIDERGORN et al., 2003), avaliar o conhecimento dos farmacêuticos é importante para identificar a possibilidade destes profissionais orientarem de maneira adequada estes pacientes.

Assim como indicam outros estudos, a maioria dos pacientes possui conhecimento inadequado relacionado à técnica de utilização de colírios (FRAUNFELDER, 1976; KASS et al., 1982). Estes resultados são preocupantes, pois sugere que o paciente não irá receber orientações adequadas relacionadas à técnica de utilização de colírios. Outros estudos realizados no Brasil que avaliaram o conhecimento de farmacêuticos comunitários relacionados à terapia medicamentosa também encontraram resultados não satisfatórios (OBRELI-NETO et al., 2013; REIS et al., 2015). Estas falhas no conhecimento podem estar relacionadas à matriz curricular do curso de farmácia, que ainda não prioriza disciplinas direcionadas para o cuidado de pacientes (CASTRO, CORRER, 2007).

A realização de programas de educação continuada pode ser uma alternativa viável para melhorar o conhecimento dos farmacêuticos (IPF, 2006). Estratégias de educação à distância é uma opção interessante, pois possibilitam que os profissionais tenham oportunidade de continuar trabalhando enquanto participam destes programas de educação, permitindo que participe

(13)

das atividades educativas no seu próprio ritmo e sem afetar demasiadamente sua rotina de trabalho (MEANS et al., 2009).

As características gerais dos farmacêuticos que participaram do estudo são semelhantes ao de estudos publicados anteriormente (OBRELI-NETO et al., 2013; REIS et al., 2015).

CONCLUSÃO

Os resultados do presente estudo mostraram que os farmacêuticos comunitários possuem conhecimento inadequado relacionado à técnica de uso de colírios. Isto pode resultar em orientações incorretas, e o surgimento de consequências clínicas negativas decorrentes do uso incorreto de colírios.

Este estudo utilizou questionário para avaliar o conhecimento dos farmacêuticos. A realização de estudos futuros utilizando a técnica de paciente simulado para avaliar a prática de dispensação de colírios é uma estratégia interessante.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.279, de 19 de novembro de 2013. Aprova o protocolo clínico e diretrizes terapêuticas do glaucoma. Brasília: Diário Oficial da União; 2013. BRUNTON, L. L.; LAZO, J.S., PARKER, K.L. Godman & Gilman: as bases farmacológicas da terapêutica. 11. ed., Porto Alegre: AMGH, 2010. 1821 p.

CASTRO, M. S.; CORRER, C. J. Pharmaceutical care in community pharmacies: practice and research in Brazil. The Annals of Pharmacotherapy, v.41, n.9, p.1486-1493, 2007.

CINTRA, F.A. et al. Avaliação de programa educativo para portadores de glaucoma. Revista de Saúde Pública, v.32, n.2, p.172-177, 1998.

CORRER, C. J.; OTUKI, M. A prática farmacêutica na farmácia comunitária. Porto Alegre: Artmed, 2013. 434 p.

(14)

FRAUNFELDER, F. T. Extraocular fluid dynamics: how best to apply topical ocular medication. Trans Am Ophthalmol Soc. v.74, n.457, p.93, 1976.

HANSEL, D. E.; DINTZIS, R. Z. Fundamentos de Patologia. Rio De Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. 937 p.

IBGE. Disponível em: URL:

http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/painel.php?lang=&codmun=411180&search=parana%7Cj acarezinho%7Cinfograficos:-dados-gerais-do-municipio. Acesso em: 01 jun 2015.

IPF. INTERNATIONAL PHARMACEUTICAL FEDERATION. Appendix 5: Summary of CPD and CE systems by country. Global Pharmacy Workforce and Migration Report; 2006.

KASS, M.A. et al. Patient administration of eyedrops. Ann Ophthalmol. v.14, n.889, p.93, 1982. LISBOA, R.D.R. et al. Avaliação do uso de colírio no paciente portador de glaucoma. Revista Brasileira de Oftalmologia, v.66, n.5, p.327-331, 2007.

MALEATO DE TIMOLOL: solução oftálmica. Florentino de Jesus Krencas. Pouso Alegre: União Química. Bula de Remédio, s/d.

MEANS, B. et al. Evaluation of Evidence-Based Practices in Online Learning: A Meta-Analysis and Review of Online Learning Studies. Washington, WA: U.S. Department of Education, Center for Technology in Learning; 2009.

OBRELI-NETO, P.R. et al. Survey of brazilian community pharmacist knowledge about combined oral contraceptive. African Journal of Pharmacy and Pharmacology, v.7, n.31, p.2214-2219, 2013.

QUIGLEY, H.A. Number of people with glaucoma worldwide. British Journal of Ophthalmology, v.80, n.389-393, 1996.

REIS, T.M. et al. Pharmaceutical care in Brazilian Community Pharmacies: knowledge and practice. African Journal of Pharmacy and Pharmacology, v.9, n.9, p.287-294, 2015.

THYLEFORS, B. et al. Global data on blindes. Bulletin World Health Organization, v.73, p.115-121, 1995.

VAIDERGORN, P.G. et al. Técnica de instilação de colírio em pacientes portadores de glaucoma crônico. Arquivos Brasileiros de Oftalmologia, v.66, p.865-869, 2003.

(15)

ANEXO I

FACULDADE INTEGRADAS DE OURINHOS DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

Convidamos o (a) Sr (a) para participar da Pesquisa intitulada “AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DE FARMACÊUTICOS COMUNITÁRIOS EM RELAÇÃO AO GLAUCOMA, JACAREZINHO”, sob a responsabilidade do pesquisador Vanessa Kuka Martini, a qual pretende utilizar os dados coletados para a realização do Trabalho de Conclusão de Curso.

Sua participação é voluntária e se dará por meio de um instrumento de avaliação, que consta questões sobre cuidados com higiene durante o uso do colírio, número de gotas aplicadas, uso de mais de um colírio concomitantemente, local de aplicação, cuidados após o uso do colírio, definição de glaucoma e medicamentos utilizados no tratamento do glaucoma.

Os riscos decorrentes de sua participação na pesquisa são o desconforto de ser avaliado e ocupação do tempo para responder ao questionário. Se você aceitar participar, estará contribuindo para obtenção de informações importantes na área da Saúde. Se depois de consentir em sua participação o Sr (a) desistir de continuar participando, tem o direito e a liberdade de retirar seu consentimento em qualquer fase da pesquisa, seja antes ou depois da coleta dos dados, independente do motivo e sem nenhum prejuízo a sua pessoa. O (a) Sr (a) não terá nenhuma despesa e também não receberá nenhuma remuneração. Os resultados da pesquisa serão analisados e publicados, mas sua identidade não será divulgada, sendo guardada em sigilo. Para qualquer outra informação, o (a) Sr (a) poderá entrar em contato com o pesquisador no endereço Rua Rocha Pombo, 49, Parque Bela Vista, pelo telefone (43) 3525-6492. Eu,___________________________________________________________, fui informado sobre o que o pesquisador quer fazer e porque precisa da minha colaboração, e entendi a explicação. Por isso, eu concordo em participar do projeto. Este documento é emitido em duas vias que serão ambas assinadas por mim e pelo pesquisador, ficando uma via com cada um de nós. __________________________________ ___________________________________ Assinatura do participante Assinatura do Pesquisador Responsável

(16)

ANEXO II

IDADE: SEXO:

TEMPO DE FORMAÇÃO (ANOS): LOCAL DE FORMAÇÃO (PÚBLICO OU PRIVADO):

MODALIDADE DE FORMAÇÃO: TEMPO DE ATUAÇÃO EM FARMÁCIA COMUNITÁRIA:

CARGO: CARGA HORÁRIA SEMANAL:

Questão 1. Os colírios são apresentações.

( ) estéreis ( ) não estéreis

Questão 2. Quais cuidados devem ser tomados antes de utilizar colírios (anotar quantas alternativas desejar).

( ) lavar as mãos ( ) lavar a ponta do frasco

( ) não deixar a parte da tampa de encaixa no frasco encostar em superfícies

Questão 3. Em qual posição o paciente deve estar durante a instilação do colírio?

( ) deitado ( ) sentado ( ) em pé ( ) em qualquer posição

Questão 4. Quantas gotas devem ser aplicadas em cada olho? ( ) uma ( ) duas ( ) três ( ) não existe um número exato

Questão 5. Alguns pacientes utilizam mais de um colírio. Como proceder nestes casos?

( ) mais de um colírio pode ser instilado no mesmo instante

( ) o paciente deve esperar cinco minutos para instilar outro colírio ( ) o paciente deve esperar mais de uma hora para instilar outro colírio ( ) não é recomendado utilizar mais de um colírio

Questão 6. Em qual local da órbita o colírio deve ser aplicado?

( ) saco conjuntival ( ) globo ocular ( ) pálpebras ( ) canto medial ou lateral

(17)

Questão 7. O frasco do colírio pode encostar no olho durante a instilação? ( ) sim ( ) não

Questão 8. Quais cuidados devem ser tomados após utilizar colírios (anotar quantas alternativas desejar).

( ) permanecer com o olho fechado por 2 minutos ( ) descarte o colírio após 40 dias de abertura do frasco

( ) caso o médico tenha prescrito mais de um colírio procure dar um intervalo de pelo menos 10 minutos entre as aplicações

( ) lentes de contato devem ser removidas antes da administração de colírios e recolocadas após pelo menos 15 minutos

Questão 9. O Glaucoma é uma afecção ocular caracterizada pelo aumento da pressão intraocular capaz de causar perda da visão, sendo uma lesão do tipo:

( ) reversível do nervo óptico ( ) irreversível do nervo óptico

Questão 10. Sabe-se que o tratamento do Glaucoma baseia-se e reduzir a pressão intraocular, alguns medicamentos mais comumentes utilizados para o tratamento são:

( ) Maleato de Timolol, Brimonidina e Latanoprosta

( ) Hipromelose, carboximetilcelulose sódica e ciprofloxacino

Referências

Documentos relacionados

MACROPROCESSOS de atenção às condições crônicas: condições crônicas não agudizadas; enfermidades; pessoas hiperutilizadoras; gerenciamento das condições crônicas

Convidamos o (a) senhor (a) para participar da pesquisa ‘ Avaliação da técnica do uso de colírios e pacientes com glaucoma’, sob a responsabilidade do

Sendo assim, o presente trabalho tem como objetivo avaliar e comparar os métodos quantitativo e qualitativo utilizados para análise de carne bovina, a prova de

1 - É proibida a circulação e o estacionamento de veículos motorizados, nomeadamente automóveis, motociclos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos, nas praias, dunas e arribas,

Continuando no princípio da justiça, mesmo tendo 68% dos respondentes afirmando que todos são tratados da mesma forma, ainda se pode observar certo nível de preconceito e

(2008) aduzem que no caso do TDABC, primeiro se calcula o custo do fornecimento da capacidade de recursos para, então, estimar a demanda de capacidade para cada objeto de

O uso da Crotalfina por via endovenosa em equinos hígidos não alterará os parâmetros fisiológicos dos animais e possui uma atividade sedativa significativa para

As dívidas de terceiros ascendem a um montante ligeiramente superior a 6,2 milhões de euros, dos quais um montante na ordem de 1,4 milhões de euros se reporta a dívidas de curto