Parágrafo Único: Tal benefício, a partir da assinatura deste Acordo Coletivo, se condicionará aos seguintes critérios:

Texto

(1)

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO QUE FAZ O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM INSTITUIÇÕES BENEFICENTES, RELIGIOSAS E FILANTRÓPICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, CNPJ Nº 27.641.935/0001-03 E A LEGIÃO DA BOA VONTADE LBV, CNPJ Nº 33.915.604/0001-17, MEDIANTE CLÁUSULAS ABAIXO:

CLÁUSULA 1ª ATUALIZAÇÃO SALARIAL

A Instituição concederá aos empregados, a partir de 01/04/2008 um reajuste salarial de 5,5% (cinco e meio por cento), correspondente ao período de abril/2008 a março/2009, tomando por base o último acordo salarial.

CLÁUSULA 2ª PISO SALARIAL

Fica fixado o Piso Salarial de R$ 496,59 (quatrocentos e noventa e seis reais e cin-qüenta e nove centavos) para os empregados com jornada de 220 horas, admitidos a partir de 01/04/2008.

CLÁUSULA 3ª TRIÊNIO

A partir da vigência deste Acordo fica extinta a verba de natureza salarial, denominada triênio. Fica assegurado o direito a perceber tal verba aos empregados que foram ad-mitidos até 31.03.08, desde que completem 3 anos de trabalho.

Os valores pagos a título de triênio a partir do dia 01.04.08, serão pagos, para todos os efeitos contratuais e rescisórios sob o título de “Triênio Adquirido”.

Parágrafo Único: Tal benefício, a partir da assinatura deste Acordo Coletivo, se condi-cionará aos seguintes critérios:

a) Aos empregados admitidos até 31 de março de 2008 quando completarem 03 (três) anos de trabalho ininterruptos na Instituição;

b) Os empregados que já conquistaram o triênio, continuarão recebendo o

benefício, sob o título de “Triênio Adquirido”, no mesmo percentual já adquirido por antiguidade, não terão aumentos em seu percentual sobre o salário base, mas será reajustado quando dos reajustes legais ao salário base;

c) Os empregados admitidos a partir de 01 de abril de 2008 não terão direito ao benefício.

(2)

Aos empregados admitidos para função de outro dispensado sem justa causa será ga-rantido salário igual ao do dispensado, na forma do disposto na Instrução Normativa 01/82 do colendo do T.S.T.

CLÁUSULA 5ª CONDIÇÕES DE HIGIENE/SEGURANÇA

A Instituição se obrigará a cumprir as determinações contidas na legislação, o que diz respeito às condições sanitárias, de higiene, de conforto e de segurança dos locais de trabalho, devendo fornecer aos seus empregados água filtrada, instalações sanitárias adequadas e local para refeição.

CLÁUSULA 6ª HORAS EXTRAS

As horas extraordinárias trabalhadas após a jornada normal e diária de trabalho, terão um acréscimo de 55% (cinqüenta e cinco por cento) sobre o valor normal.

CLÁUSULA 7ª ANOTAÇÃO DE FUNÇÃO

A Instituição se obriga a anotar na CTPS dos empregados a função efetivamente exer-cida por estes, exceto os casos de substituição eventual.

CLÁUSULA 8ª UNIFORMES E EQUIPAMENTOS DE SERVIÇOS

A Instituição fornecerá gratuitamente e semestralmente aos empregados 04 (quatro) uniformes completos e necessários ao desempenho das atividades laborativas, deven-do ser fornecideven-dos no primeiro mês de cada semestre, sob pena de pagamento em es-pécie, ficando os empregados obrigados a obedecer a padronização da Instituição.

Parágrafo Único: O disposto nesta cláusula aplicar-se-á apenas aos empregados que necessitam de uniforme para desempenho nas funções.

CLÁUSULA 9ª HORÁRIO DA SAÍDA/EMPREGADO ESTUDANTE

Os empregados estudantes terão abonadas suas faltas, quando decorrente do compa-recimento a exames escolares de estabelecimentos de ensino, quando conflitante com a jornada de trabalho, sem prejuízo de seus direitos e vantagens, desde que haja co-municação ao empregador com 48(quarenta e oito) horas de antecedência à realização dos mesmos.

(3)

CLÁUSULA 10ª ATUALIZAÇÃO DE GRATIFICAÇÃO

Fica estabelecido que todas as gratificações e demais parcelas fixas percebidas pelos empregados devem ser atualizadas nas mesmas épocas, do reajuste dos salários, mantida a mesma proporcionalidade entre a gratificação e o salário.

CLÁUSULA 11ª COMPROVANTE DE SALÁRIO

Será obrigatório o uso de comprovante de salário onde se leia claramente o salário percebido, adicionais, horas extras e demais parcelas remuneratórias, bem como des-contos previstos em Lei e depósitos do FGTS, na hipótese de empregado optante, e ainda os extratos decorrentes, desde que sejam fornecidos pela rede bancária.

CLÁUSULA 12ª AVISO PRÉVIO PROPORCIONAL

Fica estabelecido o prazo de aviso prévio para os empregados com idade superior a 50 anos será de 60 (sessenta) dias, desde que os mesmos tenham prestado 02 (dois) a-nos de serviço à mesma Instituição.

CLÁUSULA 13ª HOMOLOGAÇÕES DE RESCISÕES CONTRATUAIS A Instituição homologará, preferencialmente as rescisões contratuais no Sindicato, so-mente dos empregados demitidos com mais de 01 (um) ano de serviço, quando no ato das homologações das rescisões contratuais de trabalho de seus empregados apre-sentará os documentos necessários ao cumprimento das exigências estipuladas por Lei.

CLÁUSULA 14ª RESCISÃO APOSENTÁVEL

A Instituição obriga-se a não promover dispensa dos empregados que estejam para requerer aposentadoria, desde que faltem apenas 12 (doze) meses para atingir tal be-nefício, e estejam a mais de 05 (cinco) anos na Instituição, devendo o empregado co-municar o seu tempo de serviço para fazer uso da cláusula.

CLÁUSULA 15ª RESCISÃO DE CONTRATO

Fica firmado que, pedidos de demissão e recibos de quitação da rescisão de contrato de trabalho dos empregados superior a 01(um) ano de trabalho, serão realizados com a assistência do Sindicato da Categoria Profissional, ou Órgão especializado do Minis-tério do Trabalho.

(4)

CLÁUSULA 16ª QUEBRA DE CAIXA

Todo empregado que lidar com numerário na Instituição na função de caixa ou similar, será paga uma gratificação de “quebra de caixa”, a razão de 10%(dez por cento) do valor de seu salário base, excluídos do cálculo adicional, acréscimo e vantagens pes-soais.

CLÁUSULA 17ª CÓPIAS DE CONTRATOS

A Instituição firmará contrato de trabalho por escrito com seus empregados, além da assinatura da CTPS, ficando obrigada ao fornecimento de cópia do mesmo, contra re-cibo, sob pena de nulidade das cláusulas adversas aos interesses dos empregados.

CLÁUSULA 18ª CRECHE

A instituição compromete-se a permitir que seus empregados utilizem creche por ela mantida ou com a qual mantenha convênio, durante o período de amamentação.

CLÁUSULA 19ª FÉRIAS

Fica mantido que a Instituição se obriga ao pagamento das férias, e se for o caso do correlato abono referido no Art. 143 da CLT, até 02 (dois) dias úteis antes do início do respectivo período de gozo, sob pena de pagamento de multa por atraso, correspon-dente ao salário devido.

Parágrafo Único; O início das férias, coletivas ou individuais, não poderá coincidir com Sábados, Domingos, Feriados ou dias de compensação de repouso semanal.

CLÁUSULA 20ª ABONO DE FALTAS JUSTIFICADAS

Os empregados da Instituição podem deixar de comparecer ao trabalho nas seguintes hipóteses e períodos nos seguintes eventos, sem prejuízo em suas remunerações des-de que documentalmente comprovados:

A) falecimento do cônjuge, ascendentes, descendentes, irmão ou dependente declara-da em CTPS - 03 (três) dias;

B) casamento - 05 (cinco) dias consecutivos;

C) nascimento de filho (a) - 05 (cinco) dias consecutivos.

(5)

Parágrafo Segundo: A Instituição abonará os atrasos ou horas não trabalhadas dos empregados que necessitarem assistir seus ascendentes ou descendentes em médicos ou estabelecimentos hospitalares, desde que comprovem por atestado ou declaração médica previdenciária.

CLÁUSULA 21ª ACESSO AOS DIRIGENTES SINDICAIS

A Instituição não criará qualquer dificuldade para o acesso dos representantes do Sin-dicato, devidamente credenciados, nos locais de trabalhos a fim de verificar as condi-ções de higiene e promoção de sindicalização, inclusive palestras de direitos trabalhis-tas.

CLÁUSULA 22ª LICENÇA DOS DIRIGENTES SINDICAIS

É garantido aos empregados eleitos para os cargos efetivos de diretores do sindicato profissional o afastamento de suas atividades de funções laborais junto á respectiva Instituição empregadora, sem prejuízo dos seus vencimentos e vantagens, a partir do início e até o término do prazo assegurado á correlata estabilidade sindical.

CLÁUSULA 23ª RELAÇÃO DA RAIS

Obriga-se a Instituição a remeter ao sindicato profissional, uma vez por ano, a relação dos empregados pertencentes a categoria, considerando-se cumprida esta exigência com o fornecimento de cópia da RAIS.

CLÁUSULA 24ª QUADRO DE AVISOS

A Instituição cederá espaços em locais pré-determinados de sua unidade a serem es-colhidos de comum acordo, e de fácil acesso aos empregados para colocação de qua-dros de avisos a serem utilizados pelo Sindicato, sob responsabilidade de sua Diretori-a, para divulgação de assuntos de interesses sindical, e sujeito à autorização da dire-ção da Instituidire-ção.

CLÁUSULA 25ª RESCISÃO JUSTIFICADA/SUSPENSÃO/ADVERTÊNCIA

Nas rescisões motivadas do contrato, nas suspensões e advertências aplicadas ao empregado, haverá obrigatoriedade de se fazer consignar por escrito os respectivos motivos, sob pena de nulidade.

(6)

CLÁUSULA 26ª RELAÇÃO DOS EMPREGADOS CONTRIBUINTES

A Instituição fornecerá à entidade sindical no prazo de 30(trinta) dias, contados da data do recolhimento das contribuições, mediante recibo, uma relação contendo nomes, números das CTPS, salários e os valores das referidas contribuições dos seus empre-gados, excluídos os pertencentes às categorias profissionais diferenciadas, acompa-nhada da cópia da guia de recolhimento.

Parágrafo Único: A entidade sindical compromete-se a não utilizar esta relação e in-formação dela consoante para outro fim que não seja o de comprovação e conferência de recolhimento das contribuições.

CLÁUSULA 27ª LANCHE NOTURNO

Aos empregados da Instituição, de qualquer categoria com prestação de serviços no horário noturno, será fornecido no meio da noite, lanche substancial sem que lhes se-jam cobrado qualquer importância a este título.

CLÁUSULA 28ª DIVULGAÇÃO DO ACORDO

A Instituição fará chegar até 30(trinta) dias a contar da assinatura deste acordo e por época da admissão de seus empregados através de seus canais de circulação de cor-respondência interna, o resumo da norma coletiva em vigor.

CLÁUSULA 29ª RECEBIMENTO DO PIS

Será concedido o abono das horas necessárias ao empregado que se ausentar para o recebimento do PIS.

CLÁUSULA 30ª ATESTADO MÉDICO/ODONTOLÓGICO

A Instituição para fins de abono de faltas ao serviço, reconhece os atestados médicos e odontológicos fornecidos por profissionais conveniados com o Sindicato.

CLÁUSULA 31ª PERÍODO DE ALMOÇO

Todos os empregados da Instituição ficam desobrigados a registrar mecanicamente os seus cartões de ponto, em período de almoço (entrada e saída) sem prejuízo de marca-rem seus cartões de ponto na entrada e saída da jornada diária de trabalho. Mesmo que os empregados terminem as refeições antes do horário regulamentar, somente

(7)

de-CLÁUSULA 32ª CAFÉ DA MANHA

A Instituição fornecerá, obrigatoriamente, a todos os seus empregados, o café da ma-nhã e um lanche à tarde.

CLÁUSULA 33ª RECICLAGEM E TREINAMENTO

A Instituição poderá realizar, curso de reciclagem e treinamento dos empregados ou-vindo sugestões que forem apresentadas pelo Sindicato nesse sentido.

CLÁUSULA 34ª ACOMPANHAMENTO DE ACORDO

A Instituição realizará reuniões semestrais ordinárias com representantes da entidade signatária para acompanhamento do presente acordo.

CLÁUSULA 35ª DISTRIBUIÇÃO DE CORRESPONDÊNCIA

A Instituição permitirá que as correspondências e comunicações do Sindicato cheguem aos empregados através de seus canais próprios de circulação de correspondência interna.

CLÁUSULA 36ª RECRUTAMENTO DE EMPREGADOS

No recrutamento de empregados, recomenda-se à Instituição que dê preferência ao trabalhador sindicalizado, encaminhado pelo Banco de Empregos mantido pelo sindica-to profissional.

CLÁUSULA 37ª LICENÇA MÉDICA/ESTABILIDADE

Será concedida a estabilidade provisória de 30 (trinta) dias ao empregado que retornar de licença médica previdenciária, (auxilio doença) desde que a mesma tenha sido por prazo superior a 15(quinze) dias consecutivos.

CLÁUSULA 38ª ESCALAS DE REVEZAMENTOS

Em face das peculiaridades da atividade profissional a Instituição manterá o regime da escala de serviço de 12x36 e 24x72 horas, observadas a seguinte condição:

A) Garantia de mais 01(uma) folga a título de prêmio assiduidade e pontualidade dentro do mês, além daquela já praticada na utilização da escala mensal.

(8)

CLÁUSULA 39ª MULTA

A Instituição pagará multa de 2% (dois por cento) do salário mínimo em caso de des-cumprimento de qualquer CLÁUSULA contida na presente Norma Coletiva que reverte-rá em favor do sindicato suscitante, por empregado lesado e CLÁUSULA descumprida, desde que devidamente reconhecido o descumprimento pela Justiça do Trabalho.

CLÁUSULA 40ª ELEIÇÃO DE FORO

As partes envolvidas reconhecem a competência da Justiça do Trabalho do Rio de Ja-neiro para dirimir quaisquer controvérsias correspondentes aos descontos e recolhi-mentos de mensalidades e demais contribuições devidas à Entidade Sindical Profissio-nal, bem como das demais condições laborativas e econômicas previstas na presente Norma Coletiva a teor da Lei.

CLÁUSULA 41ª ABRANGÊNCIA

O presente aumento e demais condições normativas abrangem a todos os contratos de trabalho dos integrantes da Categoria Profissional em exercício no Estado do Rio de Janeiro.

CLÁUSULA 42ª ASSEMBLÉIA SINDICAL

É assegurada a freqüência livre dos empregados sindicalizados da Categoria Profis-sional para participarem das Assembléias e reuniões Sindicais, devidamente convoca-das e comprovaconvoca-das, após o cumprimento da jornada de trabalho.

CLÁUSULA 43ª GARANTIA DE EMPREGO GESTANTE

As empregadas gestantes gozarão da licença de 120 (cento e vinte) dias prevista no Art. 7º, XVIII, estabilidade no emprego desde a confirmação da gravidez até cinco me-ses após o parto, conforme expressamente previsto no Art. 10, II, b, do Ato das Dispo-sições Constitucionais Transitórias.

CLÁUSULA 44ª TOLERÂNCIA DE ATRASOS

A Instituição tolerará, sem efetuar desconto, ou aplicar sanções, os atrasos até (10) dez minutos por dia e não superior à uma hora mensal. Caso ocorram atrasos superio-res a (10) dez minutos diários ou ao limite mensal de uma hora, somente poderão ser descontados os minutos que ultrapassarem o tempo de tolerância.

(9)

CLÁUSULA 45ª DESCONTO DE MATERIAL DE SERVIÇO

É vedado o desconto de material de serviço perdido ou danificado no exercício da fun-ção sem ocorrência de culpa por parte do respectivo empregado.

CLÁUSULA 46ª CONTRIBUIÇÕES SINDICAIS

Fica estabelecido que a Instituição descontará em folha de pagamento as mensalida-des dos sindicalizados, mensalida-desde que, autorizadas pelos empregados, sob pena de, não o fazendo, incorrer no pagamento de uma multa de 2% (dois por cento) do total de des-conto, até o 10º (décimo) dias subseqüente, aos cofres da Entidade Sindical Profissio-nal ou através de ficha de compensação bancária enviada pelo Sindicato ProfissioProfissio-nal.

CLÁSULA 47ª ALEITAMENTO

As empregadas que trabalham mais de 06 (seis) horas por dia e estiverem amamen-tando terão direito a 02 (dois) descansos de 30 (trinta) minutos cada, até que comple-tem 06 (seis) meses de idade, que poderá exceder quando o exigir a saúde do filho. A critério da autoridade competente da Instituição ou órgão competente, contendo nele por extenso e numericamente o diagnóstico codificado (CID) e assinatura do médico sob o carimbo do qual conste o nome completo e registro no CRM, em papéis timbrado do Órgão Público Federal, Estadual ou Municipal, inclusive as Instituições Médicas conveniadas com o Sindicato dos Empregados em Instituições Beneficentes Religiosas e Filantrópicas do Estado do Rio de Janeiro, somente válidas para os empregados vin-culados ao referido plano.

CLÁUSULA 48ª DESVIO DE FUNÇÃO

A Instituição compromete-se a examinar as situações de desvios de funções apresen-tados pelo Sindicato, obrigando-se a regulariza-los no prazo de 90 (noventa) dias, se constatadas efetivamente.

CLÁUSULA 49ª REPRESENTAÇÃO/SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL

A Instituição reconhece a legitimidade do Sindicato Profissional para ajuizar ações de cumprimento do presente Acordo Coletivo, independentemente de outorga de poderes dos empregados, bem como da juntada de relação dos mesmos.

CLÁUSULA 50ª INSTALAÇÃO DA COMISSÃO DE CONCILIAÇÃO PRÉVIA Nos termos estatuído no Artigo 625-A e seguintes da CLT, com redação dada pela Lei 9.958 de 12 de janeiro de 2000, foi instalada a CCP no âmbito da Instituição.

(10)

CLÁUSULA 51ª VIGÊNCIA

Vigência de um ano a partir de presente data-base de 01 de abril de 2008 a 31 de mar-ço de 2009.

Rio de Janeiro,

SINDICATO DOS EMPREGADOS EM INSTITUIÇÕES BENEFICENTES, RELIGIOSAS E FILANTRÓPICAS DO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO CARLOS ALBERTO MEDEIROS ALVES

Presidente CPF Nº 401.168.837-15

LEGIÃO DA BOA VONTADE – LBV JOÃO PORTILHO DA SILVA ASSESSOR ADMINISTRATIVO

Imagem

Referências

temas relacionados :