RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL - RIMA PROJETO VOLTA GRANDE

68 

Texto

(1)
(2)
(3)

BELO SUN MINERAÇÃO LTDA.

SENADOR JOSÉ PORFÍRIO - PA

RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL - RIMA

PROJETO VOLTA GRANDE

2BSML001-OS-002 2BSML001-TR-0043 JUNHO/2012

(4)
(5)

Sobre o RIMA ... 1

Sobre o Projeto Volta Grande ... 2

O que é o Projeto Volta Grande? ... 2

Por dentro do projeto ... 6

8 Quais são as estruturas do Projeto Volta Grande para a etapa de operação? ... 9

Quais são as estruturas do Volta Grande para a etapa de fechamento? ... 12

Sobre a elaboração dos estudos ambientais ... 14

Avaliação de impactos ... 14

Clima e qualidade do ar ... 15

Relevo, rochas e solos ... 15

Água superficial e subterrânea ... 18

Ruído (barulho) ... 20

Apresentação dos aspectos do meio biótico ... 21

Vegetação ... 21

Mamíferos ... 24

Répteis e anfíbios ... 27

Aves 29 Insetos ... 30

Peixes ... 31

Limnologia ... 33

Apresentação dos aspectos do meio antrópico ... 34

População ... 34

Nível de vida ... 36

Economia ... 37

Patrimônio natural e cultural ... 39

Entendendo melhor os impactos ... 40

Riscos relacionados ao Projeto Volta Grande ... 44

Sobre os principais Programas do Projeto Volta Grande ... 50

Áreas de influência ... 53

Glossário ... 57

(6)
(7)

Sobre o RIMA

Segundo a legislação ambiental vigente (CONAMA 001/86) “o RIMA deve ser apresentado de forma objetiva e adequada a sua compreensão. As informações devem ser traduzidas em linguagem acessível, ilustradas por mapas, cartas, quadros, gráficos e demais técnicas de comunicação visual, de modo que se possam entender as vantagens e desvantagens do projeto, bem como todas as consequências ambientais de sua implementação.”

O relatório de impacto ambiental - RIMA refletirá as conclusões do estudo de impacto ambiental e deverá conter, segundo a legislação, no mínimo:

Os objetivos e justificativas do projeto, sua relação e compatibilidade com as políticas setoriais, planos e programas governamentais;

A descrição do projeto e suas alternativas tecnológicas e locacionais, especificando para cada um deles, nas fases de construção e operação a área de influência, as matérias primas, e mão-de-obra, as fontes de energia, os processos e técnica operacionais, os prováveis efluentes, emissões, resíduos de energia, os empregos diretos e indiretos a serem gerados;

Síntese dos resultados dos estudos de diagnósticos ambiental da área de influência do projeto;

Descrição dos prováveis impactos ambientais da implantação e operação da atividade, considerando o projeto, suas alternativas, os horizontes de tempo de incidência dos impactos e indicando os métodos, técnicas e critérios adotados para sua identificação, quantificação e interpretação;

Caracterização da qualidade ambiental futura da área de influência, comparando as diferentes situações da adoção do projeto e suas alternativas, bem como com a hipótese de sua não realização;

Descrição do efeito esperado das medidas mitigadoras previstas em relação aos impactos negativos, mencionando aqueles que não puderam ser evitados, e o grau de alteração esperado;

(8)

Sobre o Projeto Volta Grande

O que é o Projeto Volta Grande?

O projeto Volta Grande trata-se de uma operação de lavra a céu aberto em bancadas, com uma rota de processo tradicional no beneficiamento do minério de ouro. Em função das características do minério e sua distribuição espacial no jazimento, foi verificada a alternativa de uma lavra subterrânea, porém esta foi descartada devido, principalmente, aos custos associados. A capacidade financeira da empresa em desenvolver o projeto garantirá o uso de tecnologia e equipamentos de ponta, similares a outros projetos no estado do Pará.

Quem é o responsável pelo Projeto Volta Grande?

O Projeto Volta Grande é um empreendimento sob a responsabilidade da Belo Sun Mineração Ltda. que é uma subsidiária brasileira da Belo Sun Mining Corporation pertencente ao grupo Forbes & Manhattan Inc., um banco mercantil de capital privado que desenvolve projetos de mineração em todo o mundo. O grupo é um dos mais ativos e bem sucedidos globalmente, tendo desenvolvido várias empresas de pesquisa mineral até o estágio de importantes produtores de bens minerais. Nos últimos dois anos, o grupo Forbes & Manhattan financiou mais de um bilhão de dólares na pesquisa e desenvolvimento de projetos minerais.

Quais são os objetivos e justificativas para a realização

do Projeto Volta Grande?

A Belo Sun tem como objetivo explorar os recursos minerais resultantes da pesquisa geológica realizada, utilizando tecnologia de ponta e investimento em logística, trazendo benefícios para a população local sob a forma de geração de empregos e renda, geração de impostos para o município e dentre outros.

O empreendimento irá gerar empregos diretos e indiretos na região, tanto na fase de implantação quanto na fase de operação, bem como irá gerar impostos que serão recolhidos no município, no estado e também na esfera federal.

Outro objetivo importante para a instalação do projeto será as recursos tecnológicos e financeiros que a empresa irá dispor para a recuperação dos passivos ambientais do garimpo que atuaram durante décadas na área. Além disto, é previsto também uma melhoria significativa na qualidade de vida, em âmbito local com a geração de empregos, impostos e melhorias de vias e acessos e dentre outras.

Onde o Projeto Volta Grande será instalado?

A área do Projeto Volta Grande está localizada no município de Senador José Porfírio, no estado do Pará. Situa-se cerca de 50 km a sudeste de Altamira. As Figuras abaixo apresentam a localização e acesso.

(9)
(10)

E como foram escolhidas as alternativas tecnológicas

que serão utilizadas durante a operação do Projeto?

Para a escolha das melhores técnicas para o desenvolvimento do Projeto Volta Grande em cada etapa de produção, desde a extração do minério até o seu beneficiamento, foram consideradas os aspectos descritos a seguir

Lavra

Para se definir o método de extração de minério são considerados diversos fatores, dentre os quais se destacam: características físicas e geológicas da jazida de minério; condições sociais e ambientais; condições financeiras (custo); condições técnicas de lavra; tipo e espessura do capeamento1.

No caso do Projeto Volta Grande, considerando, principalmente, que se trata de uma jazida próxima à superfície, com condições geológicas favoráveis, optou-se pela extração a céu aberto. Embora seja um método que interfere nas condições ambientais superficiais, o alto custo de lavra de minério de ouro por meio subterrâneo poderia inviabilizar o projeto.

Área Rocha Fresca (t) (g/t) Teor Saprolito (T) Teor (g/t)

Au Recuperado

(kOz)

Vida Útil (Anos)

Ouro Verde 10.874.605 1,785 1.401.982 0,902 575 5

Grota Seca 23.853.415 1,395 1.665.599 0,964 984 6

Total 34.728.020 1,517 3.067.581 0,935 1.559 (*) 11 (**)

(*) O total de ouro recuperado apresentado desconsidera aquele proveniente da lavra da pilha de saprolito no fim da vida útil do projeto, no ano 12, equivalente a mais 74 KOz.

(**) No ano 5 termina a lavra da área denominada de Ouro Verde e tem início da lavra da área Grota Seca, totalizando 11 anos de operação de lavra.

1 Capeamento: conjunto de solo e rochas que cobrem a jazida de minério.

Disposição de estéril e de rejeitos

Qualquer atividade de mineração de ouro gera tanto estéril2 quanto rejeito3 em suas atividades. Por isso, é necessário ter locais para a disposição dos mesmos, que possibilitem um mínimo possível de interferência no ambiente da região onde se encontrará instalado o empreendimento. Cabe destacar que, em função das quantidades produzidas, as áreas necessárias para disposição de estéril e rejeito são relativamente grandes. Portanto, a escolha da melhor alternativa, deve conciliar critérios econômicos, técnicos e ambientais.

Tratamento de minério

O processo de tratamento de minério de ouro, que será adotado no Projeto Volta Grande, também já é largamente utilizado em todo o mundo e prevê o uso de cianeto, substância que, apesar de perigosa, é essencial para a separação do ouro das outras substâncias não aproveitáveis presentes no minério (e que vão virar rejeito). O uso de cianeto exige rigoroso controle, mas é indispensável, adequado e seguro para esta etapa do empreendimento.

Como irão funcionar as minas do Projeto Volta Grande?

O minério e o estéril do tipo saprolito serão lavrados com desmonte mecânico (com uso de tratores com escarificador) onde for possível. Nos pontos onde a rocha oferecer maior resistência mecânica (rocha muito resistente) para sua remoção por meio de equipamentos, o material deverá ser desmontado com auxílio de explosivos, como é o caso do minério e do estéril do tipo rocha fresca que, em sua totalidade, deverão ser desmontados com o auxílio de explosivos.

Considerando a necessidade do uso de explosivos, uma das atividades preliminares mais importantes é a perfuração. A perfuração será feita com perfuratrizes hidráulicas (máquinas de furar o solo) em malhas, a princípio, similares para minério e estéril.

2 Estéril: rocha sem valor econômico (que não tem ouro), mas que necessita ser removida da mina. 3 Rejeito: Rejeito de mineração é a rocha moída (minério) da qual foi extraído o ouro por processos

(11)

Depois de desmontado, o minério do tipo rocha fresca será carregado com o auxílio de escavadeiras e transportado em caminhões fora-de-estrada (grandes veículos para o transporte de minério) de 146 toneladas, diretamente para o britador primário, o qual estará localizado próximo às cavas. O minério do tipo saprolito será todo estocado para processamento no final da vida útil do projeto.

Todo o estéril gerado será direcionado para as pilhas, as quais estarão estrategicamente localizadas próximo às cavas com o objetivo de otimizar as distâncias de transporte.

Visão geral da mina após 11 anos de operação

Projeto Volta Grande estará de acordo com as leis

ambientais?

O Projeto Volta Grande respeitará as leis municipais, estaduais e federais que a ele se aplicam, durante as etapas de planejamento, implantação, operação e fechamento. Um levantamento dessas leis já foi feito e encontra-se no EIA para consulta.

O Projeto Volta Grande está de acordo com os planos dos

governos para o futuro da região?

Os Planos de Desenvolvimento do Governo Federal e do Governo do Pará, para a região do Projeto Volta Grande, apontam a necessidade de investimentos em infraestrutura, educação básica, saúde e outros aspectos que permitam melhorar os indicadores de desenvolvimento social e econômico da região, e promover a melhoria da qualidade de vida de suas populações, de forma mais igualitária e sustentável.

O Projeto Volta Grande está de acordo com os planos do governo. O investimento será da ordem de US$ 1.076.724.000,00 no projeto de extração e beneficiamento de minério de ouro, estabelecendo parcerias com as autoridades estaduais e municipais e implementando todos os programas de gestão, controle e monitoramento ambiental e social propostos no EIA, a empresa estará oferecendo a sua colaboração para a realização do: desenvolvimento social, econômico e ambiental daquela região.

Quanto irá custar a instalação e operação do Projeto

Volta Grande?

O investimento total (custo do projeto) estimado para o Projeto Volta Grande será de US$ 380.077.000,00, sendo investidos US$ 305.821.000,00 nos três primeiros anos correspondentes à implantação do empreendimento e o restante, US$ 74.256.000,00, nos anos subsequentes.

(12)

Por dentro do projeto

Quais são as estruturas do Projeto Volta Grande para a

etapa de implantação?

Durante as obras do projeto serão necessárias as seguintes estruturas:

Canteiro de obra Terraplenagem Mão de obra Equipamentos Água Energia elétrica Insumos

Está prevista a instalação de um canteiro de obras fixo, distribuído em

duas áreas (área de alojamento da construção e canteiro propriamente

dito) onde estarão localizadas instalações tais como refeitório, almoxarifado, oficina, central de concreto, depósitos de máquinas, equipamentos e materiais, ambulatório,

escritório de projetos e administração, dentre outros.

A terraplenagem envolve os serviços de limpeza, destocamento e preparação

das áreas necessárias à construção, como áreas para

barragem, pilhas e edificações da usina de beneficiamento e área de

apoio administrativo/ operacional.

No pico das obras a mão-de-obra será de aproximadamente 2.100 empregados terceirizados e

próprios, e será composta por profissionais das mais diversas áreas de atuação entre as quais destacam-se:

supervisores, engenheiros, operadores de equipamentos pesados e

leves, motoristas, montadores, soldadores,

topógrafos, mecânicos, eletricistas, técnicos em segurança do trabalho,

técnicos ambientais, pedreiros, entre outros.

- Tratores;

- Escavadeiras;

- Carregadeiras;

- Caminhões

- Betoneiras:

- Geradores de energia;

- Guindastes;

- Gruas;

- Hysters;

- Compactadores; - Entre outros.

Na etapa de implantação do empreendimento, será instalada uma estação de captação e adutora de

pequeno porte que atenderá as demandas iniciais do projeto. A água

industrial será captada diretamente do Rio Xingu.

Esta adutora a ser construída para atendimento da fase de

implantação, com capacidade instalada de 250 m³/hora, será mantida

também em todo período de operação do projeto.

O fornecimento de energia elétrica, a princípio, será feito

por meio de geradores instalados no canteiro de obra,

para atender a demanda necessária para a implantação

do projeto. Serão adquiridos grupos geradores a diesel de 550 KVA e de 250 KVA para suprir toda a demanda inicial

de energia elétrica do empreendimento.

Até que seja instalada a linha de transmissão prevista (derivação da subestação de

Altamira ou da UHE Belo Monte, em 138 kVA), os conjuntos geradores ficarão dispostos próximos às áreas de

demanda, núcleos de alojamentos e áreas administrativas e de apoio

operacional.

Cimento, areia, cal, água, brita, vergalhões de ferro para armação, madeiras para forma, tijolos, madeira e telhas para coberturas, tubos e conexões, vidraçarias,

fiação elétrica, conduites, materiais hidráulicos e elétricos,

(13)

Alojamentos e transporte de

pessoal Supressão vegetal

Áreas de empréstimo (AE’s) e de disposição de material excedente

(ADME)

Sistema de drenagem superficial

Sistema de coleta e disposição de resíduos sólidos

Para a implantação do projeto será necessário a construção de um alojamento em função das distancias entre os grandes centros urbanos na região. Desta forma estão previstas para

a fase de implantação diversas estruturas necessárias tais como:

dormitórios, cozinha, refeitórios, vestiários, áreas de lazer, etc.

O transporte para a obra será realizado em veículos específicos para este fim,

considerando a distância entre os alojamentos e as áreas de construção.

Para implantação dos canteiros de obras, construção das edificações da área

industrial, abertura de acessos e construção da barragem de rejeitos, será

necessário realizar a supressão da vegetação existente nestas áreas.

A supressão vegetal será realizada após a obtenção da “Autorização de Supressão Vegetal” expedida pelo órgão

competente e seguirá as técnicas adequadas para minimizar os impactos

no meio ambiente.

Para a produção de areia, argila e brita necessárias na etapa de construção das instalações do projeto, não está prevista a utilização de áreas de empréstimo na região do projeto devendo, a princípio, todos estes materiais virem de fontes

externas.

O sistema de drenagem superficial das áreas de canteiro foi concebido para que

o escoamento se dê o máximo possível pela superfície, evitando a execução de

galerias.

Será composto basicamente por sarjetas, sarjetões, bocas de lobos, galerias, órgãos acessórios e obras de disposição

final (dissipadores de energia).

Todos os resíduos sólidos, nesta etapa do projeto, deverão ser provenientes dos

canteiros de obras e áreas de vivência dos trabalhadores, constituindo-se nos mais diversos tipos de resíduos (restos

de comida, embalagens, metais, borracha, resíduos plásticos e de madeira provenientes de embalagens,

dentre outros).

Deverá haver uma área onde será feita a disposição temporária dos resíduos para

(14)
(15)

Quais são as estruturas do Projeto Volta Grande para a

etapa de operação?

Para o início da etapa de operação do Projeto Volta Grande foram realizados diversos testes, durantes anos, que serão utilizados para a extração do minério de ouro. Estes testes fazem parte da Pesquisa Mineral, que é realizada através de sondagens4, que permitem verificar a quantidade, a qualidade e a composição do minério que se deseja minerar. A partir dos resultados dessas sondagens são estimados os recursos minerais ali disponíveis e estudada a viabilidade para extração.

A produção média anual prevista nos onze anos de operação da planta de beneficiamento de minério será de 4.684 kg de ouro, resultante do beneficiamento de 34,73 milhões de toneladas (base seca) de rocha fresca (minério diorítico) nos onze primeiros anos (média de 3,16 milhões de toneladas por ano) e do beneficiamento de 3,07 milhões de toneladas (base seca) de minério saprolítico no último ano de vida do empreendimento, totalizando 37,80 milhões de toneladas de minério tratado.

A operação das minas será realizada por meio de perfuração e desmonte das

rochas com explosivos, e usando escavadeiras e caminhões para carga e transporte de minério e de estéril.

O minério será levado para a planta de tratamento, onde ocorrerá a separação do

ouro.

O estéril a ser retirado das minas será disposto em pilhas localizadas nas

proximidades das cavas.

O controle das águas pluviais precipitadas sobre a área das cavas do projeto Volta

Grande tem por objetivo assegurar a normalidade das atividades operacionais e atuar na mitigação de impactos ambientais como processos erosivos e assoreamento dos cursos de água.

As estruturas de drenagem previstas para o empreendimento apresentam, basicamente, a função de coletar, conduzir e dispor em pontos seguros o escoamento superficial incidente na área do projeto

.

4 Sondagens: é um procedimento para amostragem dos solos e coleta de amostras de rochas em

profundidade.

O manejo dos escoamentos superficiais incidentes sobre a região da cava será essencialmente realizado por meio de sistemas de drenagem por gravidade e por bombeamento. A drenagem por gravidade será possível sempre que houver conexão das praças de trabalho com o sistema de drenagem natural do terreno. Em função da evolução da geometria da cava, haverá necessidade de retirada da água por sistema de bombeamento, constituído de “sumps” nos fundos de cava, “sumps” intermediários e conjuntos moto-bombas.

Duas pilhas para disposição de estéril. Importante ressaltar neste momento que

os estudos iniciais para caracterização do estéril apontaram o mesmo como resíduo Classe II A, segundo a NBR 10.004 . Logo, novos estudos deverão ser realizados posteriormente para melhor caracterização do estéril e, mantida a classificação apresentada, estas pilhas, futuramente, no projeto executivo, deverão apresentar sistemas de controle ambiental compatíveis ao armazenamento de resíduos Classe II A, considerados não perigosos, porém, não inertes. Estes sistemas de controle consistirão basicamente na impermeabilização das áreas das pilhas e no controle dos efluentes pluviais das mesmas.

A britagem será efetuada na mina. O minério, em blocos com tamanho máximo de

900 mm e granulometria de 80% menor que 530 mm; será transportado por caminhões tipo “fora-de-estrada” e descarregado em uma moega de 400 m3 dotada de grelha fixa com malha quadrada de 700 mm. O minério grosseiro, com granulometria entre 700 mm e 900 mm, retido pela grelha fixa, será quebrado por meio de um rompedor hidráulico posicionado ao lado da grelha.

O moinho será alimentado por correia transportadora com minério previamente

(16)

Vista geral de uma planta e seus moinhos em destaque

Uma solução de cianeto de sódio será adicionada de forma contínua ao primeiro

tanque de lixiviação. Cada tanque de lixiviação será equipado com agitadores de

polpa e também está prevista a injeção contínua de ar comprimido. O ar comprimido será injetado em todos os tanques com a finalidade de fornecer o oxigênio necessário para a reação de lixiviação do ouro.

Vista geral de um tanque de lixiviação

O tratamento do rejeito é um item de grande importância dentro da descrição do

empreendimento tendo em vista que o cianeto e seus compostos são tóxicos e não podem ser descartados no ambiente sem um tratamento prévio.

Desta forma o rejeito será tratado no tanque de rejeito final, com solução de ácido peroximonosulfúrico (H2SO5), também conhecido como Ácido de Caro, um forte agente oxidante.

Devido à sua instabilidade, o Ácido de Caro deverá ser preparado e usado quase que imediatamente, já que na temperatura ambiente o mesmo se decompõe algumas horas após a sua produção. Uma das vantagens de seu uso reside no fato de que o mesmo é efetivo para tratar polpas e também efluentes líquidos contendo não só cianeto livre, mas também cianato, tiocianato e cianeto complexado com metais.

Ressalta-se que haverá geração de nitrogênio nesse processo, porém o mesmo não necessitará ser tratado uma vez que este é inerte e não tóxico, sendo o principal componente da atmosfera terrestre.

Após o tratamento do rejeito, a polpa será bombeada para a barragem de rejeitos, onde os sólidos serão depositados já tratados. O excesso de água na barragem já estará tratado, atenderá aos padrões de lançamento e será bombeado diretamente para o rio Xingu mediante controle de qualidade.

A tubulação de efluente será equipada com instrumento medidor do teor de cianeto na água. Este instrumento estará intertravado com as bombas de efluente de modo que, ocorrendo qualquer anormalidade, o bombeamento será interrompido e um alarme soará na sala de controle. Assim os operadores tomarão conhecimento imediato de qualquer anormalidade e poderão agir de imediato na identificação e correções das causas do problema.

Uma barragem de rejeitos será construída para comportar os resíduos gerados na

planta de beneficiamento de ouro. Os barramentos são estruturas destinadas à retenção e a acumulação de água ou polpa (rejeito + água), com várias finalidades; no caso específico desta barragem, será destinada à contenção de rejeito proveniente do minério aurífero.

(17)

Vista geral de uma barragem de rejeito

As estruturas de apoio administrativo e operacional deverão ser constituídas

principalmente das seguintes instalações:

Laboratório: destinado à preparação de amostras, testes físico-químicos e

análises químicas.

Escritórios: edificações de um pavimento, onde irá trabalhar todo o pessoal

técnico e administrativo, contendo salas de reunião, de treinamento e demais dependências de apoio;

Almoxarifado: para estocagem de peças de grande porte, chapas, tubos, e

demais materiais;

Restaurante: onde serão preparadas e servidas as refeições;

Ambulatório: para atendimentos aos casos de pequena gravidade e primeiros

socorros;

Vestiário: infraestrutura de sanitários e higiene pessoal;

Paióis de explosivos e de acessórios, separados, conforme regulamentação pelo

Ministério do Exército. Os mesmos serão licenciados perante este Ministério.

Oficinas para manutenção mecânica e elétrica de máquinas e veículos.

Posto de abastecimento de veículos: terá uma área projetada para permitir o

abastecimento simultâneo de equipamentos de grande porte e de veículos utilitários, 8 (oito) tanques de combustíveis com capacidade para 60.000 litros cada.

Portaria e estacionamentos: equipada com uma sala para o fiscal e

seguranças. Junto ao estacionamento será construído um apoio para a espera dos motoristas, equipado com instalações sanitárias ligadas ao sistema de tratamento - ETE.

Alojamento: Como o sistema de mão-de-obra seguirá o modelo 20x10 (vinte dias

de trabalho no site por 10 dias de folga), o alojamento será dotado das acomodações necessárias para a permanência prolongada do colaborador no site do projeto como quartos (dormitórios), banheiros, lavanderia, refeitório, áreas de integração e lazer.

Balança rodoviária: Será necessário implantar um sistema de balanças

rodoviárias para pesagem dos veículos, a ser localizado no pátio da empresa, em local que não interfira com a circulação entre as áreas operacionais.

Para a fase de operação do Projeto Volta Grande estão previstos, no pico máximo, 526 profissionais como mão de obra direta.

Para o acesso às áreas da mina serão utilizadas as estradas já existentes na região ou abertas para essa finalidade.

O fornecimento de energia elétrica considera como alternativa básica uma Linha de Transmissão de 138 kV dedicada exclusivamente ao Projeto Volta Grande, partindo de Altamira e com uma extensão aproximada de 70 km.

Estação de tratamento de esgotos será implantada para tratar todo o esgoto

produzido na área do projeto Volta Grande. Os trabalhadores da área de captação e tratamento de esgotos usarão equipamentos de proteção individual requeridos para o correto e seguro desempenho das suas funções, tais como luvas de segurança, botinas com biqueira de aço, abafadores de ruído, óculos de segurança e capacete.

Na etapa de operação deverão ser gerados diversos tipos de resíduos sólidos relacionados à operação da planta de beneficiamento, das áreas de apoio administrativo e operacional e da mina. Os resíduos sólidos previstos para esta fase do Projeto Volta Grande serão todos aqueles restos sólidos ou semissólidos, resultantes das atividades ligadas à operação do empreendimento.

(18)

Resíduos de processo

Resíduos de sistema de controle Resíduos laboratoriais

O Aterro Sanitário é uma estrutura projetada para receber e tratar o lixo produzido

no projeto, com base em estudos de engenharia, para reduzir ao máximo os impactos causados ao meio ambiente. Atualmente é uma das técnicas mais seguras e de mais baixo custo. Os resíduos orgânicos e inorgânicos não recicláveis e não perigosos, gerados na etapa de operação do empreendimento, terão como destinação final a sua disposição em aterro sanitário.

Desenho esquemático de um aterro sanitário padrão

Tratamento e distribuição de água do Projeto Volta Grande será efetivado através

de estação de bombeamento e uma unidade de tratamento de água bruta, sendo que a captação deverá ser localizada em um trecho do rio Xingu, ainda a ser outorgada junto à SEMA/PA.

Quais são as estruturas do Volta Grande para a etapa de

fechamento?

O fechamento5 é a ultima etapa de um empreendimento mineral. É o momento

onde, de acordo com o uso futuro definido, a área é preparada para sua nova função seja ambiental, industrial ou social.

Contudo, o fechamento deve ser feito de acordo com critérios técnicos e ambientais, uma vez que um determinado empreendimento ou infraestrutura não deverá causar danos ao meio ambiente depois de encerradas as suas atividades. As medidas a serem implementadas visando o fechamento dependem, como comentado, do uso futuro que será dado à área onde se encontra a estrutura em questão. O que se espera é o pleno equilíbrio ambiental da área no que tange aos aspectos físico, químico, biológico e social.

Portanto, visando assegurar a estabilidade das grandes estruturas do projeto Volta Grande tais como as pilhas de estéril, barragem de rejeitos, taludes das cavas, com vistas ao fechamento, juntamente com as demais unidades de infraestrutura do empreendimento Belo Sun, deverão ser implementadas medidas com o objetivo de conferir estabilidade física e ambiental depois de expirada a sua vida útil. Os procedimentos sugeridos visam à segurança das estruturas de forma a permitir a sua incorporação harmônica ao ambiente local, ou mesmo, a utilização da área para outra atividade econômica.

O plano de fechamento de um empreendimento mineiro deve garantir que o encerramento das atividades ocorra de maneira planejada, ordenada, segura, dentro de um prazo preestabelecido.

5

(19)

Obviamente, o plano de fechamento pode e deve ser revisado periodicamente, refletindo as mudanças no status do projeto. Desta forma, o plano deve ser parte integral do planejamento de longo prazo da mina e deve atender aos seguintes requisitos:

Exigências legais para o fechamento; Definição do uso futuro da área;

Estabilidade física das estruturas implantadas; Manutenção dos sistemas de drenagem; Reabilitação/reintegração das áreas trabalhadas.

Todo o processo de encerramento das operações mineiras e o fechamento do empreendimento deverão ser feitos em estrito atendimento à legislação aplicável em vigor, com destaque para a Portaria 237/2001 do Diretor Geral do Departamento Nacional de Produção Mineral - DNPM, que instituiu as Normas Reguladoras de Mineração - NRM.

Uso Futuro da área

As tendências atuais sinalizam para o aproveitamento futuro do projeto focado no turismo alternativo. Considerando-se a vida útil do projeto, estimada em 12 anos pelas reservas minerais atuais, várias ações já vêm sendo testadas para promover esta alternativa.

Parte integrante dos planos de fechamento das minas da Belo Sun Mineração é a reintegração da área ao ecossistema natural. Para tanto, um programa de reabilitação e revegetação adequado a essa finalidade será desenvolvido, acompanhado de um monitoramento de flora e fauna que verifica a eficiência desse programa.

Manutenção dos sistemas de drenagem superficial

Essa manutenção deverá ocorrer ao longo de toda a vida do empreendimento e em sua fase de fechamento. A manutenção da drenagem na fase de fechamento deverá se prolongar até que a área esteja completamente revegetada, de forma que o sistema de drenagem seja autossuficiente.

Reabilitação de áreas mineradas

A reabilitação de áreas mineradas visa à recuperação das áreas trabalhadas para o desenvolvimento das atividades mineiras. Os trabalhos de reabilitação serão conduzidos concomitantes às atividades de lavra.

(20)

Sobre a elaboração dos

estudos ambientais

Meio físico

O subsolo, a geologia e as rochas, destacando os recursos minerais, as águas, o ar e o clima, a topografia, os tipos e aptidões do solo, os corpos de água, os regimes hidrológico e

hidrogeológico

Meio biótico

Os ecossistemas naturais - a fauna e a flora - destacando as espécies indicadoras da qualidade ambiental, de valor científico e econômico, raras e ameaçadas de extinção e as

áreas de preservação permanente.

Meio socioeconômico

O uso e ocupação do solo, os usos da água e a socioeconomia de modo geral, destacando os sítios e

monumentos arqueológicos, históricos e culturais da comunidade, as relações de dependência entre a sociedade

local, os recursos ambientais e o potencial de utilização desses recursos.

Avaliação de impactos

A avaliação de impactos do Projeto Volta Grande foi feita para as etapas de implantação, operação e fechamento, com base nas características do empreendimento e nos aspectos dos meios físico, biótico e antrópico.

A avaliação de impactos ambientais se desenvolveu a partir dos seguintes conceitos:

Intensidade; Abrangência; Significância; Incidência;

Tendência; Reversibilidade; e Efeito.

Esta avaliação completa encontra-se no EIA. Contudo, neste RIMA serão apresentados os impactos reais mais relevantes do Projeto Volta Grande, segundo os critérios Efeito e Significância.

Efeito: é o resultado do impacto sobre o meio avaliado, que pode ser Positivo ou

Negativo.

Significância: pode ser entendida como a importância do impacto, ou seja, se é

Inexpressivo, Pouco Expressivo, Significativo ou Muito Significativo.

(21)

Clima e qualidade do ar

Conforme a classificação do IBGE, a área do empreendimento apresenta um clima Equatorial Úmido, com temperaturas médias mensais entre os 25°C e 27°C e uma estação seca que varia de um a três meses.

O total da quantidade de chuvas ao longo do ano para a região em estudo é de 2300 mm, distribuídas de forma desigual ao longo do ano, com um período extremamente chuvoso (dezembro a maio) e outro com relativamente mais seco (agosto a outubro).

Atualmente, a qualidade do ar na área do empreendimento é considerada boa. Na fase de implantação e operação do empreendimento, haverá movimentação de terra, o que acarretará geração de poeira.

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alterações da qualidade do ar - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva

Fase de operação

Alterações da qualidade do ar - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva

Fase de fechamento

Alterações da qualidade do ar - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo.

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de implantação

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos Programa de Monitoramento da Qualidade do Ar

Utilização de EPI por parte dos empregados; Programa Ambiental da Construção

Fase de operação

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos Programa de Monitoramento da Qualidade do Ar Utilização de EPI por parte dos empregados; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento

Fase de fechamento

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos Programa de Monitoramento da Qualidade do Ar Utilização de EPI por parte dos empregados; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento

Relevo, rochas e solos

A região de estudo do empreendimento apresenta relevo suave ondulado a ondulado.

Na maior parte da área de estudo, ocorre uma superfície de aplanamento extensa, formada por colinas onde as elevações variam entre 62 a 270 m. A rocha mais comum na área é o diorito, com ocorrência de blocos e/ou matacões em encostas de morros suaves.

(22)

Vista geral do relevo plano da Depressão Bacajá

Pequenos morros do Planalto Residual do Sul do Pará

Afloramento de blocos próximo à área de estudo

(23)

Solo argiloso coberto por pasto

Latossolo ao longo da estrada

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alteração das Propriedades do Solo e Subsolo (Físico-Químicas)- Efeito: Negativo / Significância: Pouco Expressiva;

Indução e Aceleração de Processos Erosivos - Efeito: Negativo/ Significância: Pouco expressiva;

Assoreamento de Cursos D´Água - Efeito: Negativo / Significância: Significativa; Alteração Física da Paisagem - Efeito: Negativo / Significância: Significativa;

Fase de operação

Alteração das Propriedades do Solo e Subsolo (Físico-Químicas)- Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Indução e Aceleração de Processos Erosivos - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Assoreamento de Cursos D´Água - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Alteração Física da Paisagem - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Fase de fechamento

Alteração das Propriedades do Solo e Subsolo (Físico-Químicas)- Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de implantação

Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

(24)

Fase de operação

Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa de Controle e Monitoramento de Processos Erosivos; Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento.

Fase de fechamento

Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa de Controle e Monitoramento de Processos Erosivos; Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento.

Água superficial e subterrânea

A área de estudo do empreendimento situa-se na Bacia do rio Xingu que faz parte da bacia hidrográfica do rio Amazonas. A bacia do rio Xingu abrange os municípios de Altamira, São Félix do Xingu, Senador José Porfírio, Vitória do Xingu, Brasil Novo, parte de Medicilândia, Placas e a parte do município de Anapú.

Os principais rios que formam a bacia do rio Xingu e que se encontram próximos da área do empreendimento são: rio Ituna, rio Itatá, rio Bacajaí, rio Iriri e rio Bacajá. O rio Xingu faz o transporte de pessoas, materiais e insumos para vários municípios da região, sendo muito importante para a população. O empreendimento irá utilizar água desse rio.

Rio Xingu

(25)

Rio Itata

Do ponto de vista ambiental, o estudo das águas subterrâneas é uma questão importante para o empreendimento, visto que para a exploração do ouro do Projeto Volta Grande será necessária a implantação de um adequado sistema de drenagem para o controle do fluxo das águas para o interior da cava. Esta adequação é de suma importância para a manutenção do equilíbrio hidrogeológico.

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alteração da Qualidade das Águas Superficiais e Subterrâneas - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Alteração da Dinâmica Hídrica Superficial e Redução da Disponibilidade do Recurso Hídrico- Efeito: Negativo / Significância: Significativa;

Nota: ressalta-se que apesar de significativo este impacto não ocasionará problemas de abastecimento de água para a população nem irá comprometer os seus atuais usos.

Assoreamento de Cursos D´Água - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva;

Fase de operação

Alteração da Qualidade das Águas Superficiais e Subterrâneas - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva

Alteração da Dinâmica Hídrica Superficial e Redução da Disponibilidade do Recurso Hídrico - Efeito: Negativo / Significância: Significativa

Nota: ressalta-se que apesar de significativo este impacto não ocasionará problemas de abastecimento de água para a população nem irá comprometer os seus atuais usos.

Assoreamento dos cursos d’água - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva

Fase de fechamento

(26)

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de implantação

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos;

Programa de Gerenciamento de Recursos Hídricos e de Efluentes Líquidos; Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa Ambiental da Construção.

Fase de operação

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos;

Programa de Gerenciamento de Recursos Hídricos e de Efluentes Líquidos; Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento.

Fase de fechamento

Programa de Gerenciamento de Recursos Hídricos e de Efluentes Líquidos; Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento.

Ruído (barulho)

A geração atual de ruído na área do empreendimento pode ser atribuída aos animais na região monitorada, como: pássaros, grilos, sapos, cigarras e gados. As atividades de implantação e operação do empreendimento, como movimentação de máquinas, equipamentos e veículos, detonação das minas e funcionamento da usina, promoverão a geração de ruídos mais significativos, mas que serão controlados e monitorados.

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alteração dos Níveis de Pressão Sonora - Efeito: Negativo / Significância: Muito Significativa

Fase de operação

Alteração dos Níveis de Pressão Sonora - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressiva

Fase de fechamento

(27)

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de implantação

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos; Programa de Monitoramento e Controle de Ruídos e Vibrações; Utilização de EPI´s por parte dos empregados;

Programa Ambiental da Construção.

Fase de operação

Controle dos procedimentos de detonação das minas; Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos; Programa de Monitoramento e Controle de Ruídos e Vibrações; Utilização de EPI´s por parte dos empregados;

Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento.

Fase de fechamento

Programa de Manutenção de Veículos e Equipamentos; Programa de Monitoramento e Controle de Ruídos e Vibrações; Utilização de EPI´s por parte dos empregados;

Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento.

Apresentação dos

aspectos do meio biótico

Vegetação

O Projeto Volta Grande está inserido na região do bioma Amazônico, onde a vegetação é classificada como Floresta Ombrófila, dividida em três fitofisionomias: Floresta Ombrófila Submontana Dossel Emergente, Floresta Ombrófila Aberta com Cipós e vegetação secundária.

Ainda há boa parte da área de floresta original. Entretanto, observa-se grandes extensões desmatadas ao longo dos últimos anos, como consequência da extração ilegal de madeira e da formação de grandes áreas de pastagens para criação de gado.

A implantação do projeto afetará tanto superfícies agropecuárias e aglomerados populacionais (39%) quanto áreas de florestas naturais e alteradas (61%).

Os estudos realizados sobre a vegetação indicam que há pelo menos 102 espécies da flora, sendo que nenhuma se encontra na lista de espécies ameaçadas de extinção. Na Floresta Ombrófila Submontana Dossel Emergente foram encontradas 67 espécies, enquanto que na Floresta Ombrófila Aberta com Cipós foram identificadas 70. A vegetação secundária foi composta por 31 espécies, todas consideradas espécies de regeneração.

(28)

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de planejamento

Perda de espécimes da flora - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Aumento dos casos de atropelamento de fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Alterações populacionais da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva Geração de conhecimento científico - Efeito: Positivo / Significância: Significativa

Fase de implantação

Aumento da pressão sobre os recursos naturais - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Alteração do metabolismo vegetal pela deposição de material particulado na face superior das folhas - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Perda de parcelas da APP - Efeito: Negativo / Significância: Significativa

Fase de operação

Aumento da pressão sobre recursos naturais- Efeito: Negativo / Significância: Significativo

Alteração do metabolismo vegetal pela deposição de material particulado na face superior das folhas - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Utilização preferencial de trilhas pré-existentes;

Minimização do corte de plantas com menos de 2cm de DAP.Fase de fechamento; Programa de Educação Ambiental;

Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

Programa de Fomento ao Desenvolvimento Econômico local; Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

Programa de Controle e Monitoramento de Processos Erosivos; Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento; Programa de Educação Ambiental.

(29)

Vegetação secundária na parte superior.

Abaixo, culturas permanentes.

Juquira

(30)

Pasto limpo

Mamíferos

Os mamíferos, que são todos os animais que possuem pelo, da região do Projeto Volta Grande são representados por 15 espécies de pequeno porte, 30 espécies de médio e grande porte e 41 espécies de morcegos.

O maior número de espécies ameaçadas está na mastofauna, com 15 espécies. Dentre estas, destacam-se o cachorro-vinagre (Speothos venaticos), a ariranha (Pteronura brasiliensis), as onças (Panther onca e Puma concolor), o macaco-guariba (Alouatta belzebul) e o macaco-cuxiú (Chiropotes utahickae), além da anta (Tapirus terrestris)

As espécies de mamíferos cinegéticas6, mais procuradas por caçadores são: paca (Cuniculus paca), os porcos (Tayassu pecari e Pecari tajacu), tatus (Cabassous unicinctus, Dasypus spp. e Priodontes maximus), veados (Mazama spp.), anta (Tapirus terrestres), dentre outros.

6 Espécies de valor cinegético: espécies que sofrem perseguição e captura com finalidade de

valor comercial, alimentação ou caça.

Parte de um grupo de catetos (

Pecari tajacu

), fotografados pelas

armadilhas fotográficas

(31)

Rato-cachorro (

Monodelphis aff. brevicaudata

),

uma possível espécie nova de marsupial.

Crânio de queixada (

Tayassu pecari

) com furo de tiro,

indicando atividade de caça.

Espinhos de porco-espinho (

Coandu preensilis

).

(32)

Zogue-zogue (

Callicebus moloch

), espécie de

macaco ameaçada de extinção.

Espécie de morcego mais comum na área de

estudo (Glossophaga soricina).

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de planejamento

Afugentamento com perturbações da fauna- Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva;

Fase de implantação

Afugentamento e perturbações da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Perda de conectividade e permeabilidade faunística - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Aumento dos casos de atropelamento de fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Alterações populacionais da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Fase de operação

Aumento dos casos de atropelamento de fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Afugentamento e perturbações da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Programa de Sinalização Ambiental e Segurança de Tráfego; Programa de Monitoramento e Controle de Ruídos e Vibrações; Programa Operacional da Supressão Vegetal;

Programa de Manejo da Fauna e Flora durante a Supressão Vegetal; Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

Programa de Educação Ambiental;

(33)

Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos; Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento;

Répteis e anfíbios

Foi verificada, através dos trabalhos de campo, a ocorrência de 33 espécies de anfíbios e 48 de répteis. A riqueza de espécies é considerada condizente com outras localidades amazônicas.

Alguns répteis registrados na área são de valor cinegético, relacionado a caça: o tracajá (Podocnemis unifilis), os jabutis (Chelonoides spp.), além de várias espécies de cobras.

Jabuti-amarelo (

Chelonoidis denticulata

) espécie

considerada vulnerável de extinção

Cobra-cega (Siphonops annulatus)

(34)

Cobra-da-terra (

Apostolepis longicaudata

), registrada pela

primeira vez na região amazônica.

Lagartinho-de-folhiço (

Cercosaura argulus

)

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de planejamento

Afugentamento com perturbações da fauna- Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva;

Fase de implantação

Afugentamento e perturbações da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Perda de conectividade e permeabilidade faunística - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Aumento dos casos de atropelamento de fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Alterações populacionais da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Alterações na dinâmica ecológica da fauna edáfica - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Fase de operação

Aumento dos casos de atropelamento de fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Afugentamento e perturbações da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Subprograma de Monitoramento da Herpetofauna; Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Monitoramento de Processos Erosivos;

Programa de Gerenciamento dos Recursos Hídricos e de Efluentes Líquidos; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento;

Programa de Gestão Ambiental da Construção;

(35)

Programa de Saúde e Segurança da Mão de Obra; Programa de Educação Ambiental;

Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

Encaminhamento dos animais atropelados para instituições de pesquisa;

Aves

Nos estudos realizados para a área do Projeto Volta Grande foram registradas 148 espécies de aves. Dentre estas, está a ararajuba (Guaruba guarouba), ameaçada de extinção.

Dentre as espécies registradas, destacam-se aquelas de valor cinegético, comumente caçadas pela população: Azulona (Tinamus tao), Inhambu-de-cabeça-vermelha (Tinamus major), Inhambú-preto (Crypturellus cinereus), Turirim (Crypturellus soui),

Cujubim (Aburria cujubi).

Cigana (Opisthocomus hoazin)

Araçari-de-pescoço-vermelho (Pteroglossus bitorquatus reichenowi)

(36)

Maracanã-Guaçu (

Ara severus

)

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de planejamento

Afugentamento com perturbações da fauna- Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva;

Fase de implantação

Afugentamento e perturbações da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Perda de conectividade e permeabilidade faunística - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Alterações populacionais da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Fase de operação

Aumento dos casos de atropelamento de fauna - Efeito: Negativo / Significância: Inexpressiva

Afugentamento e perturbações da fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento; Programa de Gestão Ambiental da Construção; Programa de Educação Ambiental;

Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

Encaminhamento dos animais atropelados para instituições de pesquisa.

Insetos

A entomofauna (insetos) foi estudada tendo como base três grupos: abelhas do grupo das euglossinas, mosquitos e formigas. Estes grupos foram escolhidos por serem bons indicadores biológicos e por serem capazes de responder perguntas específicas, sobre o estado de conservação das matas e sobre potenciais questões de saúde pública.

Registrou-se 21 espécies de abelhas euglossinas, 53 espécies de mosquitos e 85 espécies de formigas. Nenhuma delas figura em listas de espécies ameaçadas.

A variação nas abundâncias de insetos é muito grande. Dentre as formigas, a mais abundante foi Pheidole sp. 10. Eulema bombiformes foi a abelha mais abundantes e para o grupos dos mosquitos, foram três as mais abundantes, Anopheles darlingi,

(37)

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alterações na dinâmica ecológica da fauna edáfica fauna - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Alterações populacionais de espécies vetores - Negativo / Significância: Pouco expressiva

Fase de operação

Alterações na dinâmica ecológica da fauna edáfica fauna - Efeito: - Negativo / Significância: Pouco expressivo

Alterações populacionais de espécies vetores - Negativo / Significância: Inexpressiva

Fase de fechamento

Alterações na dinâmica ecológica da fauna edáfica - Positivo / Significância: Significativa

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Programa de Controle e Monitoramento de Processos Erosivos; Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos;

Programa de Monitoramento da Biodiversidade

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento; Programa de Monitoramento da Biodiversidade; Programa de Educação Ambiental;

Programa de Controle Nosológico;

Programa de Saúde e Segurança da Mão de Obra.

Peixes

Na área de estudo foram identificadas 108 espécies de peixes. Os mais representativos foram os de grande importância comercial. Não foram identificadas espécies ameaçadas de extinção.

As espécies mais abundantes foram um lambari (Astyanax sp.1), uma espécies de lebiste ou guppy (Poecilia sp.), o charuto (Hemiodus unimaculatus), um lambari ou piaba (Aphyocharax sp.), e a traíra (Hoplias malabaricus).

Dentre as espécies registradas, 24 são de interesse comercial. Pode-se citar o tucunaré-azul (Cichla piquiti) e o tucunaré (Cichla vazzoleri), a sardinha (Triportheus

elongatus), o pacú (Metynnis sp.), a branquinha (Curimata inornata).

(38)

O cará (

Aequidens

sp.)

Uma nova espécie de peixe-gato

(

Platydoras s

p.n.)

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alterações na dinâmica ecológica da comunidade aquática e fauna associada - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Perda de habitats aquáticos - Efeito: Negativo / Significância: Significativo

Fase de operação

Alterações na dinâmica ecológica da comunidade aquática e fauna associada - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Fase de fechamento

Alterações na dinâmica ecológica da comunidade aquática e fauna associada - Efeito: Positiva / Significância: Significativa

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Monitoramento de Processos Erosivos; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento; Subprograma de Monitoramento da Ictiofauna;

Programa de Gerenciamento de Recursos Hídricos e de Efluentes Líquidos; Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

(39)

Limnologia

Para avaliar a qualidade ambiental da área pelos parâmetros da limnologia7 biológica (fitoplâncton, zooplâncton, e bentos), foram realizadas amostragens de águas em 13 pontos localizados na área de estudo do empreendimento.

Os resultados apontam para corpos d’água limpos, o que é atestado pela presença de fitoplâncton da ordem Desmidiales. Apesar disso, encontrou-se indícios de que a área sofreu interferência humana. Entretanto, os indicadores zooplanctônicos sugerem que as águas não sejam de boa qualidade, variando de regular a péssima.

O fitoplâncton

Cryptomonas

sp., uma espécie a bundante na

área de estudo

Indivíduo de

Polyarthra

sp., um

dos principais representantes da

assembleia zooplanctônica

7 Limnologia: é a ciência que estuda os principais mecanismos de funcionamento dos ecossistemas

aquáticos, auxiliando na gestão da qualidade da água, em particular na região tropical.

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alterações na dinâmica ecológica da comunidade aquática e fauna associada - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Perda de habitats aquáticos - Efeito: Negativo / Significância: Significativo

Fase de operação

Alterações na dinâmica ecológica da comunidade aquática e fauna associada - Efeito: Negativo / Significância: Pouco expressivo

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Programa de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD); Programa de Monitoramento de Processos Erosivos; Programa de Gestão Ambiental do Empreendimento;

Programa de Gerenciamento de Recursos Hídricos e de Efluentes Líquidos; Programa de Monitoramento da Biodiversidade;

(40)

Apresentação dos aspectos do

meio antrópico

População

O Projeto Volta Grande será instalado na área do município de Senador José Porfírio. Porém, o estudo foi realizado incluindo os municípios de Altamira e Vitória do Xingu, todos localizados no estado do Pará, devido à abrangência regional sobre qual o empreendimento exercerá influência.

A população desses municípios somada atinge, de acordo com os dados do Censo de 2010 do IBGE, o número de 104.279 habitantes. Sendo o município de Altamira responsável por 74,22% desse total. Dos municípios estudados, apenas o município de Altamira possui o grau de urbanização acima de 50%, sendo assim, os demais municípios são considerados rurais. Sobre a taxa de crescimento da população, no último intervalo de contagem populacional, o município de Senador José Porfírio apresentou a taxa de crescimento de (-2,05%), Altamira de 2,85% e Vitória do Xingu 2,08%.

Vista parcial do município de Altamira - PA.

Vista de ocupações irregulares no município de Altamira - PA.

O que pode mudar? (impactos que podem acontecer)

Fase de planejamento

Geração de emprego e renda - Efeito: Positivo/ Significância: Inexpressiva

Fase de implantação

Pressão habitacional - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressivo

Incremento na circulação de veículos e aumento de probabilidade de acidentes - Efeito: Negativo/ Significância: Pouco expressiva

(41)

Exposição dos colaboradores à infecção por doenças tropicais - Feito: Negativo/ Significância: Inexpressiva

Geração de expectativas - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressiva Incremento de fluxo migratório - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressiva Impactos da geração de incômodos decorrentes da implantação do empreendimento - Efeito: Negativo/ Significância: Pouco expressiva

Impactos na alteração do modo de vida da população e dass formas de apropriação e do uso da terra - Efeito: Negativo/ Significância: Significativa

Fase de operação

Incremento de fluxo migratório - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressivo Impactos da geração de incômodos decorrentes da operação do empreendimento - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressivo

Pressão sobre os equipamentos e serviços públicos de saúde, educação, segurança pública e infraestrutura urbana e de saneamento - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressiva

Fase de fechamento

Impactos do fechamento sobre o meio socioeconômico - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressivo

Desmobilização da mão-de-obra - Efeito: Negativo/ Significância: Pouco expressivo

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de planejamento

Priorização de mão-de-obra local

Fase de implantação

Construção de alojamentos;

Disponibilização de transporte gratuito para funcionários; Programa de Comunicação Social;

Programa de Educação Ambiental;

Programa de Sinalização Ambiental e Segurança de Tráfego; Priorização e capacitação de mão-de-obra local;

Priorização de fornecedores locais; Construção de alojamento; Programa de Controle Nosológico;

Programa de Saúde e Segurança da Mão de Obra; Programa de Realocação;

Fase de operação

Programa de comunicação social; Aspersão de vias;

Programa de Sinalização Ambiental e Segurança de Tráfego; Manutenção periódica de veículos e equipamentos;

(42)

Fase de fechamento

Priorização e Capacitação de Mão de Obra local; Priorização de fornecedores locais;

Programa de Fomento ao Desenvolvimento local; Programa de Apoio à Gestão Pública;

Programa de Comunicação Social.

Nível de vida

Para saber o quanto é desenvolvida uma região pode-se olhar o sua classificação no IDH. Esse índice que é dado pela Organização das Nações Unidas- ONU que mede, avaliando diversos fatores, o quão é desenvolvido o município estudado. Esse valor vai de 0 até 1 e possui três classificações: De 0 a 0,499 o desenvolvimento é baixo, de 0,500 a 0,799 é médio e igual ou acima de 0,800 é alto. Os municípios que estão envolvidos no projeto da Belo Sun possuem o desenvolvimento humano que é considerado médio.

Pois todos os municípios estudados possuem o IDH que é considerado como médio. O município de Altamira é o que possui a melhor classificação entre os três municípios estudados (0,737) seguido do município de Vitória do Xingu (0,664) e Senador José Porfírio (0,638).

Uso da água na Vila da Ressaca

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de implantação

Alteração do cotidiano comunitário - Incômodos gerados com a implantação do empreendimento - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressivo

(43)

Fase de operação

Alteração do cotidiano comunitário - Efeito: Negativo/ Significância: Inexpressivo Exposição dos colaboradores à infecção por doenças tropicais - Feito: Negativo/ Significância: Inexpressiva

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de implantação

Programa de comunicação social Programa de educação ambiental Programa de gestão ambiental das obras Programa de monitoramento de ruídos

Fase de operação

Programa de priorização e capacitação de mão-de-obra local; Programa de fomento ao desenvolvimento local.

Programa de comunicação social Programa de controle ambiental Programa de educação ambiental Programa de gerenciamento de riscos Programa de controle nosológico

Economia

Os municípios que estão sendo estudados possuem uma economia que está ligada ao formato da ocupação se deu na região Amazônica. Durante a análise do Produto Interno Bruto - PIB que é a soma dos das riquezas produzidas na região, percebe-se que há uma grande participação do que seria o primeiro setor. Esse primeiro setor engloba a agricultura e a extração mineral rudimentar que, no caso dos municípios estudados, ocorre com muita frequência.

A soma das riquezas produzidas pelos municípios estudados é de 726,553 milhões, sendo que o município de Altamira é o que maior contribui, com cerca de 83,73%, Vitória do Xingu contribui com 9,36% e Senador José Porfírio com 6,89%. A agricultura é o que mais produz a maior riqueza nos municípios de Vitória do Xingu e em Senador José Porfirio. Já em Altamira, a indústria é que responde pela maior geração de riqueza.

Em relação à posição dos municípios no ranking estadual do PIB, dos cento e quarenta e três municípios. Altamira encontra-se em melhor posição entre os municípios analisados, sendo o décimo segundo município mais produtivo do estado do Pará. O município de Vitória do Xingu é o centésimo terceiro, e Senador José Porfírio é o centésimo décimo nono.

(44)

A forma da economia extrativa, que integra o primeiro setor da economia merece destaque na região analisada, os garimpos, a criação e venda de peixes ornamentais entre outros. Esses elementos, além de gerar riqueza, empregam grande número de pessoas da região.

O que pode mudar? (impactos prováveis)

Fase de planejamento

Geração de emprego e renda - Efeito: Positivo/ Significância: Inexpressivo

Fase de implantação

Aumento da arrecadação de impostos - Efeito: Positivo/ Significância: Muito significativo

Incremento no nível de emprego e renda - Efeito: Positivo/ Significância: Muito Significativo

Fase de operação

Diversificação das bases econômicas locais- Efeito: Positivo/ Significância: Significativo

Aumento da arrecadação de impostos - Efeito: Positivo/ Significância: Muito significativo

Alteração do perfil de empregos - Efeito: Positivo/ Significância: Pouco expressivo Incremento no nível de emprego e renda - Efeito: Positivo/ Significância: Muito Significativo

Fase de fechamento

Retração das atividades econômicas - Efeito: Negativo/ Significância: Significativo

Desmobilização da mão-de-obra - Efeito: Positivo/ Significância: Pouco expressivo

Para isso, o que deverá ser feito? (Programas e medidas)

Fase de planejamento

Contratação de mão de obra, serviços e pessoas da ADA, AID e AII.

Fase de implantação

Programa de Fomento ao Desenvolvimento local; Programa de Apoio à Gestão Pública;

Programa de Priorização e Capacitação da Mão de Obra local; Programa de Comunicação Social.

Fase de operação

Programa de Fomento ao Desenvolvimento local; Programa de Apoio à Gestão Pública;

Programa de Priorização e Capacitação da Mão de Obra local; Programa de Comunicação Social.

Fase de fechamento

Potencialização das vocações econômicas locais;

Promoção e qualificação da mão-de-obra local ao longo da operação do empreendimento

Incentivo às empresas sediadas no município; Programa de Fomento ao Desenvolvimento local; Programa de Apoio à Gestão Pública;

Imagem

Referências