• Nenhum resultado encontrado

QUESTÃO 46 QUESTÃO o SIMULADÃO 2021

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "QUESTÃO 46 QUESTÃO o SIMULADÃO 2021"

Copied!
16
0
0

Texto

(1)
(2)

HUMANAS

QUESTÃO 46

“Dentre as modificações geradas pela ocupação do espaço urbano, e que são responsáveis por importantes alterações no ciclo hidrológico nessas áreas, destaca-se a impermeabilização do terreno, através das edificações e da pavimentação das vias de circulação.”

MENDES, P. P. M. Anais do VII Congresso Brasileiro de Geógrafos. 2014.

Considerando as alterações que o ser humano realiza no espaço durante o processo de urbanização, em relação ao ambiente não urbanizado esta dinâmica intensifica

A os níveis de infiltração do solo.

B os processos erosivos da região.

C a formação de nuvens na atmosfera.

D o fluxo de água em níveis subterrâneos.

E o nível de abastecimento das reservas hidrológicas.

QUESTÃO 47

O fenômeno apresentado na imagem acima ganha intensidade através A da construção de rodovias em áreas urbanas.

B da chegada de frentes frias imprevistas para a região.

C da sistemática exploração e queima desordenada de recursos.

D das mudanças na dinâmica dos rios por conta do aquecimento global.

E da pesca exploratória de espécies aquáticas responsáveis por filtrar poluentes.

(3)

HUMANAS

QUESTÃO 48

A Teoria da Ação Comunicativa apresenta um paradigma baseado na confiança em que a construção argumentativa de con- sensos, atendidas exigências formais específicas, chega a proposições dotadas de conteúdo de verdade. Como o lugar em que ocorre esta forma de comunicação é mais amplo e importante que os subsistemas econômicos e políticos, a teoria abre espaço para uma leitura otimista e transformadora da realidade social, que não é explorada em seu interior. Reside aí grande parte de seu encanto.

GUTIERREZ, G.; M. ALMEIDA. Teoria da Ação Comunicativa (Habermas): estrutura, fundamentos e implicações do modelo. Veritas, Porto Alegre v. 58 n. 1 jan./abr. 2013 p. 151-173 (Adaptado).

Os princípios que pautam a referida teoria vão ao encontro do(a):

A Ausência de mobilidade social.

B Valorização do mercado internacional.

C Extermínio dos argumentos religiosos.

D Ampliação do debate na esfera pública.

E Isolamento da cúpula do poder político.

QUESTÃO 49

No início do século XX, o Rio de Janeiro era a principal e maior cidade do país. Os constantes fluxos migratórios e imigratórios favoreceram um intenso processo de urbanização, que demandava uma reestruturação espacial daquele que era considerado o cartão postal do país. Reconhecida como indispensável para o processo de remodelação urbana da capital federal, em espe- cial pelos efeitos que teve sobre a circulação pelo Centro e sua ligação com outras zonas da cidade, a operação “bota-abaixo”

ficou marcada pela maneira autoritária com que lidou com as milhares de pessoas prejudicadas pela perda de suas moradias e negócios.

Disponível em: www.atlas.fgv.br. Acesso em 26 ago. 2021.

As transformações urbanas na cidade do Rio de Janeiro citadas no texto evidenciam a

A adoção de uma política higienista.

B exploração de recursos hídricos.

C democratização dos espaços públicos.

D expansão da indústria de base.

E ampliação do mercado interno.

(4)

HUMANAS

QUESTÃO 50

Population Pyramid. Disponível em: https://www.populationpyramid.net/pt/

alemanha/2019/. Acesso em: 06/08/2021.

Com base na distribuição da população apresentada acima, indica-se a necessidade de investimentos em:

A Políticas para a infância.

B Aposentadoria e previdência social.

C Soluções para problemas nas metrópoles.

D Produção de alimentos para consumo interno.

E Educação básica, ensino superior e pesquisas de ponta.

QUESTÃO 51

TEXTO I

Disponível em: www.diariodorio.com. Acesso em 20 ago.2021

TEXTO II

A Pedra do Sal, no Morro da Conceição, faz parte da região conhecida historicamente por Pequena África, que se esten- dia do entorno da Praça Mauá até a Cidade Nova. Nas festas nas casas de escravos e forros tocava-se o choro com flauta, cavaquinho e violão. No quintal, acontecia o samba rural, bati- do na palma da mão, no pandeiro, no prato-e-faca; e dançado com sapateados, peneiradas e umbigadas. Foi ali que nasceu o samba urbano carioca, que surgiram sambistas populares e antigos ranchos carnavalescos. A Pedra do Sal era conside- rada também local sagrado para despachos e oferendas das religiões africanas.

Disponível em: www.visit.rio. Acesso em: 20 ago.2021

O tombamento, em 1984, da Pedra do Sal, localizada no bairro da Saúde, Rio de Janeiro, teve como propósito

A reconhecer o local como portador de referência cultural afro-brasileira.

B combater o preconceito contra os adeptos de religiões de matriz africana.

C impulsionar o potencial turístico voltado ao entreteni- mento local.

D promover a preservação dos ritmos musicais urbanos.

E valorizar as expressões oficiais do período colonial.

QUESTÃO 52

A partir de 2020, o aumento da fome no Brasil foi impactado pela pandemia, como em outros países. Mas não é só o efeito da covid que explica a piora no nível de segurança alimentar dos brasileiros, que já vinha piorando antes do coronavírus. O alastramento da fome no Brasil é reflexo também do fim ou esvaziamento de programas voltados para estimular a agricul- tura familiar e combater a fome, além de defasagem na cober- tura e nos valores do Bolsa Família, segundo especialistas em segurança alimentar, políticas públicas e desigualdade.

BBC BRASIL. Não é só efeito da pandemia: por que 19 milhões de brasileiros pas- sam fome. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-57530224 Acesso em: 06/08/2021.

De acordo com o texto, o fenômeno preponderante no aumen- to da fome no Brasil é causado por:

A Ausência de políticas públicas.

B Imigração e aumento populacional.

C Problemas ambientais causados pela seca.

D Impacto na distribuição de renda causado pela inflação.

E Diminuição de insumos alimentícios por causa da pan- demia.

(5)

HUMANAS

QUESTÃO 53

Em 1939, o DIP passou a difundir propaganda oficial por meio da transmissão radiofônica diária, em cadeia nacional, da Hora do Brasil, através desse programa, popularizou a voz de Vargas, com discursos curtos e simples que pareciam elimi- nar intermediários e falar diretamente ao ouvinte. Em 1942, a agência ampliou o foco, e tratou de associar a mensagem do governo a uma programação humorística e de musicais.

SCHWARCZ, Lilia Moritz; STARLING, Heloisa Maria Murgel. Brasil: uma biografia.

São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

O formato de comunicação com as massas estabelecido pelo Estado Novo pretendia

A conscientizar o povo dos problemas sociais.

B ampliar as instâncias de democracia participativa.

C estimular a liberdade cultural através da radiodifusão.

D associar a imagem do líder com a representação da na- ção.

E valorizar os movimentos sociais e sindicatos autônomos.

QUESTÃO 54

Quanto ao tema da marchinha, vale reforçar que, no Brasil, a temática política sempre esteve presente no cancioneiro po- pular. Os mais diversos temas satíricos e cômicos fizeram par- te das letras de lundus, polcas, maxixes, marchas e cateretês.

Assim, dentre outras tantas formas, a marchinha de Carnaval permite circular, e perdurar, na sociedade o discurso polêmico da crônica social e política.

CARMELINO, A. C.; SIFFERT, M. C. Quanto tempo dura uma polêmica? Nas mar- chinhas de Carnaval, muito. Discurso & Sociedad, Vol. 12(3) 400-411, 2018.

A relação entre Carnaval e política presente no texto permite perceber que a festa popular:

A Promove a extravasão de sentimentos políticos.

B Revela a valorização das pautas elitistas no âmbito so- cial.

C Insere na sociedade um conjunto de polêmicas desneces- sárias.

D Exclui membros da institucionalidade política na crítica musical.

E Protagoniza um fenômeno de disciplina e respeito às per- sonalidades públicas.

QUESTÃO 55

As entidades da realidade extramental são plausivelmente re- gidas por algum tipo de princípio (de contrário não haveria or- dem na nossa experiência delas), isto é, há algumas restrições sobre o tipo de propriedades que certo tipo de entidade pode e não pode ter e, além disso, algumas dessas propriedades são mutuamente excludentes. Por exemplo, uma partícula não pode ter e não ter uma carga ao mesmo tempo, ou um objeto não pode ser todo vermelho e todo verde ao mesmo tempo.

Parece que a realidade é tal que ela se conforma ao princípio da não-contradição. As diferentes formulações de Aristóteles do princípio tentam expressar essa ordem de maneira simples.

TAHKO, T. A lei da não-contradição como princípio metafísico. The Australasian Journal of Logic, Vol. 7 (2009), pp. 32–47.

A ideia central presente no Princípio da Não-Contradição é sustentada por:

A Falta de argumentação metafísica.

B Justificação religiosa ligada à possibilidade de existência divina.

C Impossibilidade da coexistência dos contrários na mes- ma sentença.

D Permanência e imobilidade das cargas presentes em cer- tas partículas.

E Validade de argumentos metafísicos que utilizam a reli- gião como fundamento.

QUESTÃO 56

Delineia-se a partir de então certa reorientação intelectual, uma reação ao iluminismo em sua visão unitária de humanida- de. Tratava-se de uma investida contra os pressupostos igua- litários das revoluções burguesas, cujo novo suporte intelec- tual concentrava-se na ideia de raça, que em tal contexto cada vez mais se aproximava da noção de povo. O discurso racial surgia, dessa maneira, como variante do debate sobre a cida- dania, já que no interior desses novos modelos discorria-se mais sobre as determinações do grupo biológico do que sobre o arbítrio do indivíduo entendido como um resultado, uma rei- ficação dos atributos específicos da sua raça.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil – 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

A edificação das teorias raciais do século XIX se relaciona com o processo de

A utilização ideológica para domínio territorial.

B expansão do conhecimento científico europeu.

C formulação de políticas afirmativas globais.

D valorização do multiculturalismo nas resoluções interna- cionais.

E promoção da miscigenação e enfrentamento ao racismo.

(6)

HUMANAS

QUESTÃO 57

“Ações de fiscalização do defeso da lagosta realizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Natu- rais Renováveis (Ibama) identificaram 417kg do crustáceo (Panulirus argus e Panulirus laevicauda) e 29,5 toneladas de pargo (Lutujanus purpureus) sem origem legal e prontos para comercialização. As apreensões ocorreram em empresas do Ceará e do Rio Grande no Norte, entre os dias 20 e 25 de maio, no âmbito da Operação Panulirus I. [...] Em Rio do Fogo (RN), um depósito clandestino de lagosta foi descoberto e multado em R$18 mil pelo beneficiamento do crustáceo proveniente de pesca em período de defeso. Metade das lagostas encontra- das estavam com tamanho menor que o permitido para pesca.

A carga apreendida foi doada para quatro instituições sociais e assistenciais de Natal (RN).”

IBAMA. Disponível em: https://www.gov.br/ibama/pt-br/assuntos/noti- cias/2021/ibama-apreende-cerca-de-30-toneladas-de-pescado-durante-opera- cao-panulirus-i. Acesso em: 07/08/2021

Tal medida, como a apreensão dos crustáceos do setor pes- queiro, tem como propósito

A diminuir os atrativos populacionais na região.

B regulamentar a concorrência entre empresas pesqueiras.

C estabelecer diretrizes para um menor impacto ecológico na atividade.

D promover estratégias de multiplicação das práticas origi- nárias da região.

E qualificar financeiramente os trabalhadores do setor in- termediário da pesca.

QUESTÃO 58

Historicamente, a raça sempre foi uma forma mais ou menos codificada de divisão e organização das multiplicidades, fixan- do-as dentro de espaços mais ou menos estanques. Foi o que ocorreu sob os regimes de segregação. Na era da segurança, pouco importa que ela seja prontamente apresentada sob o signo da religião, ou da cultura. A raça é o que permite iden- tificar e definir grupos populacionais em função dos riscos diferenciados e mais ou menos aleatórios dos quais cada um deles seria o vetor.

MBEMBE, A. Crítica da razão negra. São Paulo, SP: n-1 edições, 2018.

O conceito de raça foi empregado no texto para explicitar o(a):

A Inconsistência teórica do termo para a sociologia B Discrepância existente entre membros de países distintos.

C Marginalização de certos povos para a garantia de poder.

D Demarcação demográfica com vistas ao avanço cientí- fico.

E Ampliação da igualdade entre as múltiplas nações e etnias.

QUESTÃO 59

Entre 2004 e 2014, o desmatamento na Amazônia foi reduzido em 80%, devido principalmente à criação de áreas protegidas e a ações de controle e repressão ao crime coordenadas pelo Ibama. Esses dados provam que Terras Indígenas e Unidades de Conservação desempenham um papel determinante na contenção do desmatamento e das mudanças climáticas.

Sinal de alerta para os povos da floresta. Disponível em: https://www.greenpea- ce.org. Acesso em 09/08/2021.

A elaboração jurídica apresentada no texto aponta para a

A ampliação dos direitos sociais urbanos.

B relação entre legislação e proteção ambiental e cultural.

C valorização da geração de empregos em áreas de mata amazônica.

D preponderância de interesses econômicos nas discus- sões culturais.

E ponderação dos desejos individuais frente às pautas de povos originários.

QUESTÃO 60

A Federação Brasileira pelo Progresso Feminino (FBPF) foi fundada em 9 de agosto de 1922, no Rio de Janeiro. A conquis- ta do direito feminino ao sufrágio – primeiro com o Código Eleitoral de 1932 e, finalmente, com a Carta Constitucional de 1934 –, a aprovação de mulheres em cargos públicos de rele- vância e a eleição de Berta Lutz como deputada constituinte são exemplos da eficácia dos meios adotados pela FBPF para a consecução de seus objetivos. Várias mulheres, algumas delas membras da Federação, foram eleitas constituintes es- taduais.

Disponível em: www.dibrarq.arquivonacional.gov.br. Acesso em: 25/08/ 2021

No contexto histórico abordado no texto, a FBPF caracteriza- va-se como uma organização

A profissional, voltada à qualificação para a inserção no mercado de trabalho.

B beneficente, dedicada à assistência social para mulheres desamparadas.

C constitucionalista, engajada no levante paulista contra Vargas em 1932.

D em defesa da vida, focada nas denúncias contra a violên- cia de gênero.

E política, empenhada na luta por direitos políticos para as mulheres.

(7)

HUMANAS

QUESTÃO 61

Partindo do significado etimológico do conceito de intuição, intuitio, derivado do verbo latino tueri (ver) e da proposição in (em), o que nos dá o significado da ação de ver diretamente algo, ou seja, trata-se de uma atividade cognoscente de man- ter-se diretamente em contato com a realidade a ser conheci- da. A intuição, por si mesma, exclui qualquer tipo de mediação, mas é ela o principal fator de afecção do sujeito ao objeto.

Tanto em Kant como em Bergson, a intuição é condição neces- sária para adesão ao conhecimento.

VILHENA, A. L. Intuir para a coisa em si ou para os fenômenos? Bergson e Kant:

uma breve incursão sobre o conceito de intuição. In: CORREIA, A. [et. al.]. Filoso- fia francesa contemporânea. São Paulo: ANPOF, 2017.

O conceito de intuição apresentado pode ser definido como:

A Possibilidade invalidada pela filosofia.

B Ação que distancia o objeto do sujeito.

C Fundamento único do racionalismo cartesiano.

D Prática da obtenção da verdade por vias científicas.

E Sinônimo de subjetividade que se afasta dos preceitos teóricos.

QUESTÃO 62

Já de início é preciso contestar o imaginário social do “índio”

- ou indígena brasileiro - e a representação (equivocada) sobre esse sujeito na sociedade brasileira. Essa representação so- cial dos povos indígenas é permeada por um discurso colonial que lhes destina um espaço subalterno, periférico e marginal.

O resultado é uma visão hegemônica estereotipada e distor- cida: povos indígenas são atrasados, primitivos, preguiçosos, entraves ao desenvolvimento social e econômico do país. E o que índios são e podem ser de fato? Advogados, médicos, enfermeiros, cineastas, músicos, políticos, guardiães da flo- resta, mulheres, crianças, homens, líderes, gente comum...

São e podem ser, enfim, tudo o que cabe na diversidade da sociedade brasileira.

GUAJAJARA, S. Educação indígena: esperança de cura para tempos de enfermi- dade. In: CASSIO, F. Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. São Paulo: Boitempo, 2019.

O texto de Sônia Guajajara aborda a questão indígena ao pro- por a seguinte interpretação:

A São necessárias ações afirmativas para os indígenas.

B A religiosidade católica é nociva para a cultura ameríndia.

C Há uma percepção equivocada da cultura indígena no Brasil.

D É urgente a cisão entre o universo indígena e o universo branco.

E Somente com uma revolução o será possível alterar as estruturas atuais.

QUESTÃO 63

É assim, Lucílio: poucos são presos pela servidão, muitos se deixam prender por ela. Contudo, se tens a intenção de deixá- -la, se desejas de boa-fé a liberdade, e para isso esperas um único chamado, para viver sem uma perpétua preocupação, poderás contar com toda a aprovação dos estóicos? Todos, Zenão e Crisipo, te exortam a uma vida moderada e honesta.

SÊNECA, L. Aprendendo a viver. Porto Alegre, RS: L&PM, 2010.

Na leitura de Sêneca, é posição própria dos estóicos a(o)

A arbítrio e exaustão.

B prazer e felicidade.

C ponderação e comedimento.

D ceticismo e negação.

E exposição e eloquência.

QUESTÃO 64

As fundações da prosperidade da década de 1920, eram fra- cas, mesmo nos EUA, onde a agricultura já se achava pratica- mente em depressão, e os salários em dinheiro, ao contrário do mito da grande era do jazz, não estavam subindo, mas na verdade estagnaram nos últimos anos loucos do boom. O que acontecia, como muitas vezes acontece nos booms de merca- dos livres, era que, com salários ficando para trás, os lucros cresceram desproporcionalmente, e os prósperos obtiveram uma maior fatia do bolo nacional. Mas como a demanda da massa não podia acompanhar a produtividade em rápido cres- cimento do sistema industrial, o resultado foi superprodução e especulação.

HOBSBAWM, E. J. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991).São Paulo:

Cia. das Letras, 1995.

Segundo o texto, a Crise de 1929 que colapsou o mundo capi- talista no período entreguerras foi uma consequência da

A expansão industrial sem padrões suficientes de consu- mo.

B implantação de medidas econômicas intervencionistas.

C expansão imperialista após a primeira guerra mundial.

D ascensão dos regimes nazi-fascistas na Europa.

E especulação financeira e desindustrialização.

(8)

HUMANAS

QUESTÃO 65

O reconhecimento do esporte como canal de socialização po- sitiva ou inclusão social é revelado pelo crescente número de projetos esportivos destinados aos jovens das classes popu- lares, financiados por instituições governamentais e privadas.

São exemplares os programas alternativos paralelos à educa- ção formal, de iniciação profissional e educação através do esporte e do trabalho, que surgiram a partir da década de 80, como oposição a socialização exercida pelo crime organizado em favelas. O esporte aparece como a atividade alternativa dominante à rua.

VIANNA, J.A. & LOVISOLO, H.R. A inclusão social através do esporte: a percep- ção dos educadores. Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.25, n.2, p.285-96,

abr./jun. 2011.

A essência da defesa argumentativa presente no texto afirma que

A o esporte cumpre um papel social de inclusão.

B com o esporte é possível intensificar os aparatos de re- pressão.

C ações isoladas são revolucionárias em sociedades orga- nizadas.

D a socialização que acontece com o esporte é superior à primária.

E é com ações deste tipo que as lutas entre estratificações tem fim.

QUESTÃO 66

Em vez de reuniões secretas, como ocorria na maçonaria, que tanto envolveu os políticos do Império, os abolicionistas formavam clubes abertos a quem quisesse participar, lança- vam jornais, assim como organizavam palestras em teatros e comícios nas ruas. Representavam, por assim dizer, uma nova forma de fazer política, uma forma que fugia às rédeas dos oligarcas e poderosos rurais. Foi por esse movimento que surgiram modernas lideranças negras, como André Re- bouças e José do Patrocínio, cuja atuação teve repercussão nacional.

DEL PRIORE, M.; VENANCIO, R. Uma breve história do Brasil. São Paulo: Planeta, 2010 (adaptado).

Segundo o texto, o movimento abolicionista conquistou adep- tos de diferentes setores sociais através de uma atuação mar- cada pela

A inovação dos métodos de atuação política.

B construção de políticas públicas de reparação.

C promoção da violência visando transformação.

D mobilização de ideias pelo viés personalista.

E reprodução das relações políticas tradicionais.

QUESTÃO 67

“Conjunto de processos pelos quais os depósitos detríticos ou outros tipos de rochas venham a ser transformados. As al- terações das rochas são de vários tipos: de contato, regional, geral, etc. Estas alterações não devem ser confundidas com as motivadas pela ação dos agentes erosivos exógenos, isto é, dinâmicos externos.”

GUERRA, A. T.; GUERRA, A. J. T. Novo dicionário geológico-geomorfológico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008, p. 422.

O processo natural de formação do relevo descrito acima ori- gina as chamadas rochas

A ígneas plutônicas.

B magmáticas vulcânicas.

C metamórficas recristalizadas.

D sedimentares detríticas clásticas.

E sedimentares não detríticas ou químicas.

QUESTÃO 68

“Na verdade, com a Aliança do Pacífico os Estados Unidos pro- curam reeditar os princípios da ALCA - Área de livre Comércio das Américas - para integrar o continente americano aos mer- cados globais onde, hoje, a China se constitui no principal cen- tro geográfico de produção industrial global com capitais de todo o mundo. Como se pode ver são complexas as relações desse novo tabuleiro geopolítico onde alinhamentos políticos e econômicos nem sempre caminham no mesmo sentido. Ou seja, é preciso considerar as estratégias territoriais que nem sempre podem ser deduzidas das estratégias da acumulação do capital de modo direto. A China é, nesse sentido, um enig- ma a ser decifrado, como, também, o Brasil.”

Porto-Gonçalves, Carlos Walter. A Integração Regional da América Latina e a Geopolítica da Despossessão. 2012, p. 6.

Em relação ao jogo geopolítico das potências mundiais em território latino-americano, observa-se

A uma hegemonia estadunidense sobre o bloco.

B tentativas de integrar a América Latina ao mercado glo- bal.

C uma histórica estabilidade política interna nos governos latinos.

D a vigência de uma lógica de importação de commodities com origens diversas.

E um alinhamento entre os países latino-americanos em re- lação à política externa.

(9)

HUMANAS

QUESTÃO 69

Outra estratégia de conscientizar a população era destacar situações de preconceito vividas pelo público homossexual em todo o país. O jornal O Lampião da Esquina abordava as difíceis condições de preconceito e vulnerabilidade social que os homosse- xuais enfrentavam cotidianamente e, sempre que possível, convidavam entrevistados a expressar-se com relação ao lugar que a homossexualidade ocupava na sociedade.

RAMOS, J.; MAIOR, P. S. Inventando a dignidade: a emergência da luta homossexual organizada no Paraná. In: PEREIRA, E. M.; DEBIASI, R. E. (orgs). Movimentos Sociais e Resistência no Sul do Brasil. Curitiba, PR: Appris, 2020.

O trabalho realizado pelo jornal citado buscou produzir uma A incitação à criação de movimentos sociais.

B construção institucional de grupos políticos.

C organização trabalhista em prol de melhorias operárias.

D promoção de igualdade baseada nos padrões tradicionais.

E elaboração discursiva favorável em relação à homossexualidade.

QUESTÃO 70

O Sertanejo mistura aspectos da música caipira, do brega e do pop internacional; o Neo-pagode, aspectos da roda de samba e do fundo de quintal com o pop; o Axé mescla o samba baiano com o reggae; o Manguebeat articula elementos dos gêneros populares pernambucanos com a música pop. No entanto, as idéias de cultura brasileira e de identidade cultural aparecem fragmentadas por causa de recortes regionais e de classe. Mesmo assim, são utilizadas como elementos legitimadores de segmentos do mercado fonográfico.

ZAN, J. Música popular brasileira: indústria cultural e identidade. EccoS Rev. Cient., UNINOVE, São Paulo: (n. 1, v. 3): 105-122, 2001.

A relação proposta no texto entrelaça os conceitos de A comunicação e indústria cultural.

B tecnologia e empreendimento.

C globalização e nacionalismo.

D estruturalismo e regionalismo.

E internacionalização e identidade.

QUESTÃO 71

“Eis por que os territórios nacionais se transformam num espaço nacional da economia internacional e os sistemas de engenharia mais modernos, criados em cada país, são mais bem utilizados por firmas transnacionais que pela própria sociedade nacional.”

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço. São Paulo: Edusp, 2014, p. 244.

Para o caso brasileiro, qual um resultado prático do fenômeno apresentado pelo autor?

A A diminuição no tamanho das fábricas.

B Uma maior apropriação dos recursos naturais.

C A opção por metodologias de produção mais exploratórias.

D Uma falta de competitividade das empresas brasileiras dentro do país.

E A diminuição da participação das exportações no Produto Interno Bruto brasileiro.

(10)

HUMANAS

QUESTÃO 72

TEXTO I

Arquivo Senado Federal - Povos indígenas nas galerias do Congresso: luta pela demarcação de terras. Disponível em: www.camara.leg.br. Acesso em:

25/08/2021

TEXTO II

A Constituição de 1988 refletiu o avanço ocorrido no país es- pecialmente na área da extensão de direitos sociais e políticos aos cidadãos em geral e às chamadas minorias. Entre outros avanços, reconheceu-se a existência de direitos e deveres co- letivos, além dos individuais.

Fausto, Boris. História do Brasil, 2009, p. 525.

Os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte de 1987–

1988, que elaborou a Constituição Cidadã, foram marcados pelo(a)

A repressão aos movimentos sociais.

B conservação dos atos institucionais.

C institucionalização do bipartidarismo.

D esquecimento dos povos originários.

E pressão dos diferentes grupos da sociedade.

QUESTÃO 73

TEXTO I

Tendo um cabelo tão bom, cheio de cacho em movimento, cheio de armação, emaranhado, crespura e bom comporta- mento, grito bem alto, sim?

Qual foi o idiota que concluiu que meu cabelo é ruim?

Qual foi o otário equivocado que decidiu estar errado o meu cabelo enrolado? ruim pra quê? ruim pra quem?

Infeliz do povo que não sabe de onde vem

EMICIDA. Milionário do Sonho. Laboratório Fantasma, 2013.

TEXTO II

Excluindo-se algumas sociedades da África, para o sujeito ne- gro, o cabelo é um forte símbolo de estigma, posto que é, na maioria das vezes, visto como característica física inferior. As- sim, as marcas coloniais refletidas nos cabelos crespos lhes atribuem e reservam um lugar subalterno nas escalas de bele- za, que são pré-definidas pelos mesmos critérios eurocêntri- cos que definem o racismo

SANTIAGO, J. ASSIS, W. Estética moderna e subjetividade: o cabelo como símbolo do (auto) reconhecimento da identidade negra. Rondônia: Anais do ENADIS, v. 1, 2017.

O debate que entrelaça os dois textos está amparado na(o)

A enfrentamento à concepção estética eurocentrada.

B valorização da cultura negra no âmbito do exotismo.

C silenciamento do passado colonial como vetor de poder.

D imposição de conceitos decoloniais na formação insti- tucional.

E introdução de práticas segregacionistas para reparação histórica.

(11)

HUMANAS

QUESTÃO 74

“A cidade, enquanto construção humana, é um produto históri- co-social e nesta dimensão aparece como trabalho materiali- zado, acumulado ao longo do processo histórico de uma série de gerações. Expressão e significação da vida humana, obra e produto, processo histórico cumulativo, a cidade contém e revela ações passadas, ao mesmo tempo em que o futuro, que se constrói nas tramas do presente – o que nos coloca diante da impossibilidade de pensar a cidade separada da sociedade e do momento histórico analisado.”

CARLOS, Ana Fani Alessandri. O Espaço Urbano: Novos Escritos sobre a Cidade.

São Paulo: Labur Edições, 2007, p. 11.

A argumentação apresentada pela autora expõe que a cidade deve ser pensada como

A polo de acumulação de capital.

B centro atrator de trabalho e emprego.

C materialização de uma multiplicidade de conexões.

D o lugar da superação de históricas desigualdades do campo.

E a consequência de crises e disputas históricas do capi- talismo.

QUESTÃO 75

Qualquer que tenha sido sua origem, o fato é que a feijoada fi- cou esta belecida como o prato nacional. Mas não são apenas os ingredientes (seja na quantidade, seja na qua lidade) que fazem a diferença. A diferença está situada no significado atri- buído ao prato. Embora possa ter surgido de uma transforma- ção da dupla cotidiana (o que é mais provável), uma feijoada (em especial, a completa) não é apenas um feijão com arroz incrementado. Ela é feijoada, um prato especial que exige mui- to mais tempo para ser feito (e digerido) e que fica, em geral, reservado às ocasiões especiais, com convite aos amigos, im- plicando assim comensalidade.

MACIEL, Maria Eunice. Uma cozinha à brasileira. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro: nº33, 2004.

O hábito alimentar, conforme é abordado no texto, relaciona-se à

A construção simbólica da identidade.

B descaracterização da cultura original.

C difusão de costumes etnocêntricos.

D ampliação de festas tradicionais.

E incorporação de rituais sagrados.

QUESTÃO 76

SUERTEGARAY, D. M. A. (Org.). Terra: feições ilustradas. Porto Alegre: UFRGS, 2008, p. 244.

Formas de relevo como as da figura acima são resultado de diferentes processos, destacando-se entre eles

A as dinâmicas internas da litosfera.

B a fragmentação de falhas geológicas.

C a intensa reprodução da fauna subterrânea

D a intervenção humana sem planejamento ordenado.

E os fluxos de escoamento superficial das águas da chuva.

QUESTÃO 77

Pois bem, estamos diante de um desafio. Afinal, recorrer à his- tória da filosofia não dá conta dos conteúdos estipulados pela Lei 10639/03. Neste sentido, é fundamental ‘reescrever’ a his- tória da filosofia, tal como foi dito anteriormente, ampliando o elenco de filósofas e filósofos do mundo inteiro, incluindo um vasto time africano.

NOGUERA, R. O ensino de Filosofia e a lei 10.639. Rio de Janeiro, RJ: Pallas, 2014.

A proposta de intervenção apontada pelo autor, tende a con- tribuir para:

A Valorização do pensamento europeu.

B Laicização da filosofia e da ciência ocidental.

C Democratização do acesso ao conhecimento.

D Imposição de normas categóricas na formação acadêmica.

E Reestruturação do cânone filosófico com vistas à plura- lidade epistêmica.

(12)

HUMANAS

QUESTÃO 78

“As consequências são as de que os ciclos hidrogeológicos vão aumentar em sua intensidade e frequência, ‘provocando, de um lado, períodos de seca, alternadas com inundação’. Por outro lado, a elevação dos níveis dos mares comprometerá cidades costei- ras, assim como a desertificação de algumas regiões afetará a produção de alimentos.”

Colunista comenta relatório do IPCC sobre mudanças climáticas. Jornal da USP, 2021.

Disponível em: <https://jornal.usp.br/radio-usp/445402/>.

As consequências e previsões apresentadas no texto estão relacionadas com mudanças climáticas observadas A nas células de circulação da atmosfera.

B no aumento da temperatura média global.

C no resfriamento relativo das frentes polares.

D na frequência e intensidade das chuvas orográficas E na direção de circulação das águas oceânicas nos trópicos.

QUESTÃO 79

“Inselberg é o termo utilizado para caracterizar relevos residuais que, podendo ser sedimentares salientam-se em uma planície (pediplano) em paisagem árida ou semi árida. São originados de um intenso processo erosivo típico de ambientes áridos”.

SUERTEGARAY, D. M. A. (Org.). Terra: feições ilustradas. Porto Alegre: UFRGS, 2008, p. 168.

O processo erosivo que ocasiona a forma de relevo descrita acima chama-se A abrasão das geleiras.

B assoreamento dos rios.

C erosão paralela dos ventos.

D escoamento superficial das chuvas.

E retrogradação das águas oceânicas.

QUESTÃO 80

Não nos é possível medir se houve ou não um aumento de sapateiros militantes, mas parece-nos provável que dois desdobramen- tos estimularam a intensificação do radicalismo. O primeiro originou-se do lento declínio do ofício de sapateiro como ocupação essencialmente artesanal e de um consequente período de tensão exacerbada interna à profissão. Os problemas específicos varia- vam de um local para outro (...) mas é inegável que o ofício como um todo era politizado.

HOBSBAWM, E.J. Mundos do Trabalho. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 1987.

O texto aborda uma relação entre ofício e ação política baseada no argumento de que:

A Havia uma predisposição do sapateiro à politização.

B A inexistência de mão de obra qualificada impediu a radicalização.

C Os operários deste ofício nunca se organizaram institucionalmente.

D O ofício dos sapateiros não foi alterado mediante a industrialização.

E A radicalização política não era percebida como vantagem pela categoria.

(13)

HUMANAS

QUESTÃO 81

Note-se a coerência do pensamento de Halbwachs: o que rege, em última instância, a atividade mnêmica é a função social exercida aqui e agora pelo sujeito que lembra. Há um momento em que o homem maduro deixa de ser um membro ativo da sociedade, deixa de ser um propulsor da vida presente do seu grupo: neste momento de velhice social resta-lhe, no entanto, uma função própria: a de lembrar. A de ser a memória da família, do grupo, da instituição, da sociedade.

BOSI, E. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 6a ed. São Paulo, SP:

Companhia das Letras, 1998.

A característica da memória adotada pela autora é empregada no texto como forma de dizer que

A homens tendem a lembrar do passado mais recente.

B a memória é construída de acordo com o papel do sujeito no presente.

C é na velhice que a lembrança se torna mais próxima à realidade vivenciada.

D a faculdade mnemônica é adquirida na saída do indivíduo da produção ativa.

E a função social de lembrar não é compatível com as dinâ- micas da terceira idade.

QUESTÃO 82

Temos um sistema de Justiça que funciona a partir do que chamamos de seletividade. Ele é parte de uma estrutura social que precisa funcionar reproduzindo uma lógica socioeconô- mica de desigualdades, uma lógica de separação que precisa o tempo todo ser alimentada e que vai organizar tanto a eco- nomia como também as próprias instituições políticas. O que a gente já chama de desigualdade racial e de desigualdade econômica é naturalizada e é tecnicamente construída a partir da atuação do sistema de Justiça.

ALMEIDA, S. Quem quer civilizar o Brasil não pode temer o poder (Entrevista) Disponível em: brasil.elpais.com. Acesso em: 13/08/2021.

O filósofo e jurista brasileiro Silvio Almeida aborda as desi- gualdades sociais brasileiras pela seguinte perspectiva:

A Enfraquecimento da legislação constitucional.

B Insuficiência das políticas de proteção a populações vul- neráveis.

C Oficialização de um programa jurídico que fundamenta a segregação.

D Impossibilidade de simetria nas relações políticas em pe- ríodos de pleito.

E Garantia de impunidade a membros da institucionalidade frente a atos ilícitos.

QUESTÃO 83

“Finalmente, dentre os elementos centrais que acompanham e induzem o movimento de transformação nessa região, a ex- pansão da rede viária conjugada à da rede de cidades e vilas constituem, seguramente, a face mais visível das transforma- ções operadas no território amazônico.

Com efeito, a criação de novos povoados, vilas e cidades, isto é, a distribuição das sedes urbanas constituem fator prepon- derante na dinâmica de expansão da fronteira agropecuária nessa imensa região cuja vida econômica era pautada, até há bem pouco tempo, pelo ritmo e acessibilidade ditados pelo traçado dos rios.”

IBGE. Fronteira Agrícola - Amazônia Legal. Disponível em: https://www.ibge.

gov.br/geociencias/cartas-e-mapas/mapas-regionais/15976-fronteira-agricola- -amazonia-legal.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 08/08/2021

O fenômeno do avanço agropecuário sobre a fronteira agríco- la da Amazônia, conforme o texto, acompanha mudanças na vida das pessoas que habitam a região no sentido de

A promover uma maior conexão com o espaço global.

B trazer maior segurança em relação à posse sobre terras.

C incentivar práticas de pesquisa que fortalecem o bioma nativo.

D valorizar o consumo de alimentos orgânicos oriundos da região.

E garantir a estabilidade financeira das famílias de traba- lhadores rurais.

QUESTÃO 84

O texto dos dezessete artigos da Declaração Universal dos Di- reitos do Homem e do Cidadão começa com um preâmbulo que impressiona pelo caráter de solenidade e universalidade, porque é aos homens de todos os tempos e de todos os países que se dirige essa proclamação dos “direitos naturais, inalie- náveis e sagrados do homem”. Eles podem ser classificados em duas categorias: direitos do homem e direitos do cidadão.

Os primeiros visam a liberdade, a igualdade e a propriedade;

os segundos dizem respeito à soberania nacional, ao direito de fazer a lei e ser representado nos poderes públicos, assim como exigir deles uma prestação de contas.

VOVELLE, Michel. A Revolução Francesa 1789-1799. São Paulo: Editora Unesp, 2019.

O documento abordado no texto insere em seus princípios o direito à(ao)

A filiação e atuação nos sindicatos.

B trabalho, habitação e saúde universal.

C previdência social e aposentadoria digna.

D participação política e representação institucional.

E liberdade de expressão e imposição religiosa.

(14)

HUMANAS

QUESTÃO 85

O decreto de criação do SPHAN (Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 1937 definia o patrimônio histórico e artístico nacional como “o conjunto de bens móveis e imóveis existentes no país e cuja conservação seja do interesse público quer por sua vinculação a fatos memoráveis da História do Brasil, quer por seu excepcional valor arqueológico ou etnográfico, bibliográ- fico ou artístico”. Eram também classificados como patrimônio “monumentos naturais, bem como sítios e paisagens que importe conservar e proteger pela feição notável com que tenham sido dotados pela natureza ou agenciados pela indústria humana”.

Disponível em: www.cpdoc.fgv.br. Acesso em: 27/08/2021.

A criação do decreto citado no texto tinha como objetivo a A burocratização do acesso aos espaços de produção cultural.

B valorização das artes brasileiras no mercado internacional.

C conservação e proteção do patrimônio cultural brasileiro.

D construção de museus, bibliotecas, galerias e universidades.

E elaboração de leis de incentivo à construção de monumentos.

QUESTÃO 86

“Após esta crise, o governo estudou diversas medidas a serem tomadas para evitar que os produtores de café ficassem vulnerá- veis a crises internacionais como a de 1929. Assim, a partir do governo de Getúlio Vargas em 1930, o Estado começava a ter papel fundamental na economia do Brasil.”

InfoEscola. Ciclo do Café. Disponível em: https://www.infoescola.com/historia/ciclo-do-cafe/. Acesso em: 07/08/2021

Entende-se que um dos principais motivos para a crise econômica mencionada pelo texto foi A o custo do transporte das sacas no território.

B a grande depressão de 1929 nos Estados Unidos.

C a fraca influência brasileira no mercado internacional.

D a baixa qualificação da mão de obra na produção cafeeira.

E a falta de controle do governo brasileiro sobre a produção de café.

QUESTÃO 87

A conquista da independência marcava o rompimento dos laços políticos com a metrópole e também indicava que complexas ta- refas mostravam-se urgentes. Era necessário construir novos Estados, montar uma estrutura administrativa, delimitar fronteiras, organizar instituições para garantir ordem e controles sociais e, além de tudo isso, encontrar formas de reanimar as combalidas economias. Grupos políticos se formaram para pensar e encaminhar soluções para tais problemas. Interesses econômicos e sociais diversos num quadro de fortes mudanças institucionais formavam o pano de fundo da construção dos Estados Nacionais.

PRADO, Maria Ligia; PELLEGRINO, Gabriela. História da América Latina. São Paulo: Contexto, 2014.

As décadas seguintes após o processo de independência da América Espanhola evidenciaram a A extinção dos privilégios políticos das elites criollas.

B defesa da unidade territorial e política dos antigos vice-reinos.

C disputa em torno da organização institucional unitarista ou federalista.

D supressão das desigualdades a partir das leis de reforma fundiária.

E integração da população autóctone aos cargos administrativos.

(15)

HUMANAS

QUESTÃO 88

“O campo brasileiro vive uma contradição: o país é o segundo maior exportador de alimentos do mundo, segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC), mas três em cada quatro domicílios localizados em áreas rurais (75,2%) estavam em situação de insegurança alimentar entre agosto e dezembro de 2020, conforme estudo da Universidade Livre de Berlim publicado em abril.”

BBC Brasil. Em meio à exportação recorde de alimentos, seca e pandemia agravam fome no campo. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-57296843.

Acesso em: 08/08/2021.

Esse sistema contraditório é posto em questão a partir de estratégias de

A importação de maquinário agrícola.

B valorização da agricultura extensiva.

C estímulo ao uso de técnicas orgânicas

D conservação da lógica de distribuição de terras.

E qualificação da mão de obra agrícola especializada.

QUESTÃO 89

Mundo Educação, a partir de projeções do IBGE. Disponível em: https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/piramide-etaria-populacao-brasileira.htm. Acesso em:

09/08/2021.

Essa projeção de distribuição etária da população traz a necessidade do Estado:

A Atuar pela equidade de gênero.

B Investir em melhorias na infraestrutura escolar.

C Garantir os direitos da população aposentada e pensionista.

D Voltar suas atenções para políticas de controle populacional.

E Fechar as fronteiras e adotar critérios rigorosos na admissão de imigrantes.

(16)

HUMANAS

QUESTÃO 90

Fonte: GeoSensori. Disponível em: https://www.geosensori.com.br/2019/05/20/curvas-de-nivel-ponto-crucial-em-um-projeto/. Acesso em: 09/08/2021.

As curvas de nível apresentadas acima fazem referência à forma de relevo representada pela imagem:

A

B

C

D

E

Referências

Documentos relacionados

17 CORTE IDH. Caso Castañeda Gutman vs.. restrição ao lançamento de uma candidatura a cargo político pode demandar o enfrentamento de temas de ordem histórica, social e política

O enfermeiro, como integrante da equipe multidisciplinar em saúde, possui respaldo ético legal e técnico cientifico para atuar junto ao paciente portador de feridas, da avaliação

*-XXXX-(sobrenome) *-XXXX-MARTINEZ Sobrenome feito por qualquer sucursal a que se tenha acesso.. Uma reserva cancelada ainda possuirá os dados do cliente, porém, não terá

Por isso, quando a quantidade de Oxigênio Dissolvido na água diminui, os peixes não conseguem compensar esta.. Diminuição, ficando prejudicados e,

O Museu Digital dos Ex-votos, projeto acadêmico que objetiva apresentar os ex- votos do Brasil, não terá, evidentemente, a mesma dinâmica da sala de milagres, mas em

nhece a pretensão de Aristóteles de que haja uma ligação direta entre o dictum de omni et nullo e a validade dos silogismos perfeitos, mas a julga improcedente. Um dos

Equipamentos de emergência imediatamente acessíveis, com instruções de utilização. Assegurar-se que os lava- olhos e os chuveiros de segurança estejam próximos ao local de

Tal será possível através do fornecimento de evidências de que a relação entre educação inclusiva e inclusão social é pertinente para a qualidade dos recursos de