LIXO ELETRÔNICO: O QUE FAZER?

Download (0)

Full text

(1)

LIXO ELETRÔNICO: O QUE FAZER?

Ivanna Larissa de Lira Bezerra & Joyce Joana da Silva Amorim Helena Sandra Bandeira de Gouveia

Colégio de Aplicação da UFPE

Rua da Arquitetura, s/n – Cidade Universitária – Recife/PE CEP

hsandra_2005@yahoo.com.br

RESUMO

Tudo o que consumimos gera resíduo, e com a tecnologia não é diferente. Lixo Eletrônico é o nome dado aos resíduos resultantes da rápida obsolescência (quando um produto ou serviço deixa de ser útil) de equipamentos eletrônicos como: Televisores, telemóveis, computadores, geladeiras, entre outros. Esses resíduos, que são descartados em lixões, são um sério risco para o meio ambiente, pois possuem em sua composição metais pesados altamente tóxicos, tais como mercúrio, cádmio, berílio e chumbo. Esse estudo justifica-se pelo fato de ser um problema que cresceu muito nas últimas décadas graças à revolução industrial e o aumento do consumismo, deixando o Brasil como o maior produtor desse lixo entre os países emergentes. Porém continua sendo um assunto pouco debatido e também pouco repercutido na mídia. Também é um tema bastante importante para os adolescentes, que conhecem pouco ou quase nada do assunto e que farão o futuro do país, então é importante informá-los sobre isso, para que no futuro isso não possa prejudicar o país. O objetivo desse estudo, portanto, é saber que tipo de informações os adolescentes têm sobre o tema e como eles encaram o problema para o futuro. A pesquisa teve início em março de 2012 e seguiu a metodologia do programa NEPSO (Nossa Escola Pesquisa Sua Opinião), na qual destacamos as etapas seguidas ao longo do estudo: escolha do tema, elaboração do projeto, qualificação do tema, elaboração e aplicação de questionário, coleta de dados, elaboração e interpretação de gráficos, elaboração de plano de ação. Na qualificação do tema, foram realizadas pesquisas na internet, jornais, revistas e outros meios de comunicação, como entrevista a especialistas etc. O questionário foi aplicado aos alunos dos e professores do Colégio de Aplicação do CE da UFPE, num total de 105 entrevistas. Nesse questionário haviam perguntas abertas e fechadas que visaram alcançar os objetivos propostos na pesquisa.

Dentre os entrevistados a grande maioria conhece o que é lixo eletrônico (94 contra 11), e conhecem os perigos que eles trazem para as pessoas, animais e para o meio ambiente, embora na sua maioria desconheçam pontos de coletas e descarte desse lixo. Quando questionados sobre se conhecem ou não os Trapeiros de Emaús, uma importante ONG que coleta diversos produtos inclusive produtos eletrônico, recicla e vende à comunidade a preços mais baratos, a maioria afirmou que não conhece. Contudo, vemos que as pessoas quando questionadas passam a pensar sobre o assunto com mais empenho. A partir dos resultados obtidos, nos propomos a realizar uma divulgação de instituições de coleta e reciclagem de materiais eletrônicos para que as pessoas possam entender a importância de dar um destino correto a esse tipo de material.

PALAVRAS-CHAVE: Lixo eletrônico, consumo, opinião, pesquisa.

(2)

2 INTRODUÇÃO

Lixo Eletrônico é o nome dado aos resíduos resultantes da rápida obsolescência (quando um produto ou serviço deixa de ser útil) de equipamentos eletrônicos como:

Televisores, telemóveis, computadores, geladeiras, entre outros. Esses resíduos, que são descartados em lixões, são um sério risco para o meio ambiente, pois possuem em sua composição metais pesados altamente tóxicos, tais como mercúrio, cádmio, berílio e chumbo. Em contato com o solo, estes produtos contaminam o lençol freático. Se queimados, poluem o ar. Além disso, causam doenças graves em catadores que sobrevivem da venda de materiais coletados nos lixões.

Figura 1 – tipos de lixo eletrônico

Em geral, países como EUA e China entre outros são indicados como aqueles que geram grandes quantidades de lixo eletrônico através da produção, consumo e descarte de produtos de tecnologia seja doméstica, industrial e profissional. Porém, segundo dados de 2010, levantados pelo Pnuma (Programa da ONU para o Meio Ambiente), o Brasil é o país, entre os emergentes, que mais gera lixo eletrônico por pessoa a cada ano. O estudo também detectou que a recente expansão de economias emergentes ampliou o consumo de equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos. Segundo esses dados, o Brasil é o país emergente que mais descarta geladeira por pessoa ao ano e está ainda, nas primeiras colocações de descarte de aparelhos celulares, TVs e impressoras. A ONU ainda afirmou, na ocasião, que o país não tem estratégias para lidar com o problema, ou seja, na indústria brasileira, o tema ainda não é prioritário.

Os especialistas estimam que, até 2020, o volume de resíduos procedentes de computadores abandonados crescerá 500% na Índia, e 400% na China e África do Sul, em comparações aos níveis de 2007. Em uma década, a quantidade ainda de telefones celulares abandonados na Índia e na China seria 18 vezes maior que a atual, respectivamente. Já o número de televisões e geladeiras no lixo seria duas vezes maior.

Um dos principais fatores apontados são a estabilidade econômica e a facilidade de obtenção de crédito. Esse quadro propiciou a geração crescente de lixo. A ONU estima que, em

(3)

3 todo planeta, 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico são geradas ao ano. Grande parte desse número é gerado por países ricos. A grande preocupação da ONU é como os países emergentes conseguirão lidar com esse crescente material descartado. Segundo o Pnuma, os países que poderão mais sofrer são México, Índia, China e Brasil, que terão sérios problemas ambientais e de saúde pública se não souberem reaproveitar, reutilizar e reciclar equipamentos e insumos de componentes eletrônicos.

Fonte: http://www.estadao.com.br

Os números publicados pela ONU indicam que o Brasil descarta 96,8 mil toneladas métricas de PCs; a China descarta 300 mil toneladas, mas por pessoa o Brasil supera a China por descartar meio quilo de lixo eletrônico per capita, enquanto que a China, onde a população é bem maior, o descarte per capita de PCs é de 0,23 quilos. Tudo o que consumimos gera resíduo, e com a tecnologia não é diferente.

No dia 5 de Agosto de 2010 foi aprovada a Lei Federal nº 12.30, referente à Política Nacional de Resíduos Sólidos no Brasil, que obriga a dar-se destinação adequada para os resíduos eletroeletrônicos. Para conter os problemas de contaminação, são necessários regulamentações e procedimentos que garantam a segurança tanto dos trabalhadores envolvidos na reciclagem como das pessoas e do meio-ambiente. Para realizar a gestão e reciclagem dos resíduos eletrônicos divide-se o processo em etapas chamadas coleta, desmontagem, pré- processamento e processamento. A coleta consiste em receber os materiais, seja através de sistemas que recolhem nas casas dos consumidores ou através de iniciativas de mutirão de coleta.

Depois de coletados, os materiais passam por um processo de manufatura reversa, onde são desmontados e cada material é classificado. As substâncias tóxicas devem ser neutralizadas, utilizando-se diversos processos físico-químicos. Os materiais que podem ser transformados em matérias-primas são encaminhados para esse fim. Estão incluídos plásticos, ferro, alumínio, fios e cabos, entre outros. Algumas frações como monitores, alguns tipos de baterias, lâmpadas de mercúrio podem apresentar dificuldades ou custos elevados para serem descontaminados. Nesse caso, estes subprodutos devem sofrer disposição adequada.

Já temos também em Pernambuco a Lei Nº 15084 DE 06/09/2013 - Publicada no DOE em 7 setembro de 2013 que dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de coletores de lixo eletrônico pelas empresas que comercializam pilhas, baterias e aparelhos eletrônicos de pequeno porte no Estado de Pernambuco, e dá outras providências.

Esse estudo justifica-se pelo fato de ser um problema que cresceu muito nas ultimas décadas graças à revolução industrial e o aumento do consumismo, deixando o Brasil como o maior produtor desse lixo entre os países emergentes. Porém continua sendo um assunto pouco debatido e também pouco repercutido na mídia. A ONU, por exemplo, tem se prontificado para

(4)

4 solucionar alguns problemas causados pelo lixo eletrônico, principalmente no que se diz respeito à reciclagem desse material, o que mostra quanto o assunto é importante. Também é um tema bastante importante para os adolescentes, que conhecem pouco ou quase nada do assunto e que farão o futuro do país, então é importante informá-los sobre isso, para que no futuro isso não possa prejudicar o país.

OBJETIVOS

 Identificar o conhecimento de alunos e professores do CAp/UFPE sobre o tema;

 Saber a opinião de alunos e professores do CAp/UFPE sobre as questões relacionadas ao tema como, consumo e tecnologia, influência no meio ambiente e soluções;

 Aprofundar através da Pesquisa de Opinião a temática relacionada às questões que envolvem o lixo proveniente do consumo de eletrônicos.

METODOLOGIA

A pesquisa teve início em março de 2012 e seguiu a metodologia do programa NEPSO (Nossa Escola Pesquisa Sua Opinião). O programa NEPSO consiste na disseminação do uso da pesquisa de opinião como instrumento pedagógico em escolas públicas de ensino regular fundamental e médio e em cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA). É fruto da parceria entre o Instituto Paulo Montenegro – instituição sem fins lucrativos vinculada ao IBOPE – e a ONG Ação Educativa.

A metodologia propõe o desenvolvimento de projetos de pesquisa de opinião educativa propiciando aprendizagens significativas, que vêm ao encontro das orientações curriculares atuais para a educação básica. Promove experiências de prática escolar que concretizam os princípios da contextualização de conteúdos, integração de disciplinas, valorização da iniciativa e autonomia dos jovens, cidadania e participação, afirmados nessas orientações, criando possibilidades de inovação do trabalho pedagógico. Essa metodologia prevê as seguintes etapas:

escolha do tema, elaboração do projeto, qualificação do tema, elaboração e aplicação de questionário, coleta de dados, elaboração e interpretação de gráficos, elaboração de plano de ação. A disciplina de Parte Diversificada Meio Ambiente e pesquisa de Opinião conta com 20 estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental. A turma é dividida em grupos e cada um deles desenvolve uma pesquisa com um tema de interesse do grupo.

Na etapa de escolha do tema muitos surgiram trazidos pelos componentes do grupo, mas a argumentação em relação ao tema de lixo eletrônico foi despertou o interesse dos demais para essa pesquisa. Na qualificação do tema, foram realizadas pesquisas na internet, jornais, revistas e qualquer outro meio de comunicação sempre trazendo os resultados para sala de aula, para serem compartilhados, o que nos ajudou a compreender mais sobre o assunto, facilitando assim a elaboração do questionário. A socialização em sala de aula das pesquisas realizadas também possibilitou ao grupo, junto com os demais da turma, um debate bastante rico e uma reflexão ampliada sobre o papel da sociedade em relação ao tema. O questionário foi aplicado no Colégio de Aplicação do CE da UFPE para professores e alunos, num total de 105 entrevistas. Nesse questionário havia perguntas abertas e fechadas que visaram alcançar os objetivos propostos na pesquisa.

Após a aplicação dos questionários, os resultados foram tabulados numa planilha Excel, onde logo em seguida foram confeccionados os gráficos que balizaram as discussões sobre os resultados obtidos. Além disso, foi realizada uma apresentação ao grupo classe desses resultados para avaliação da disciplina. Houve também a elaboração de um plano de ação que consistiu de uma palestra realizada no CAp para a comunidade escolar. Nessa palestra os alunos abordaram os vários aspectos relacionados à temática buscando refletir junto à comunidade os problemas decorrentes na destinação inadequada dos materiais eletrônicos de nossas casas. Uma das formas que descobrimos é a reciclagem dos mesmos através de uma ONG que busca o material nas casas e leva para as oficinas de reforma e conserto para venderam em comunidades carentes a preços simbólicos. Isso mostra que o governo precisa investir mais em programas que reciclem esses materiais para evitar o descarte como forma de lixo.

(5)

5 RESULTADOS E DISCUSSÃO

Conforme podemos observar no gráfico ao

lado, dos 105

entrevistados, 89% sabem ou conhecem o que é lixo eletrônico e 11% afirmam desconhecer o assunto.

Supomos então, que essa parcela dos entrevistados podem ser de pessoas conscientes que sabem também como descartar o materiais de forma adequada.

O gráfico ao lado mostra que a maioria dos entrevistados tem renda familiar entre 4 ou mais salários mínimos. Podemos supor que esse grupo de pessoas pode adquirir produtos eletrônicos e que o fazem mediante a oferta de mercado.

O gráfico ao lado mostra as respostas dos entrevistados quando perguntados sobre se consideravam pessoas consumistas, como podemos ver a maior parte 60%

respondeu que não se consideram pessoas consumistas.

89%

11%

Sim Não

0 10 20 30 40 50 60

10%

2%

7%

28%

58%

Não informaram Menos de 1 salário 1 salário

De 2 a 3 salários Mais de 4 salários

6%

60%

34%

Sim Não

Mais ou menos

(6)

6 No gráfico ao lado fica evidente que

a maioria, 82% das pessoas tem consciência de que esse tipo de material é perigoso às pessoas e também ao meio ambiente quando descartadas de forma inadequada

CONCLUSÕES

Dentre os entrevistados a grande maioria conhece o que é lixo eletrônico (94 contra 11), e conhecem os perigos que eles trazem para as pessoas, animais e para o meio ambiente, embora na sua maioria desconheçam pontos de coletas e descarte desse lixo. Das pessoas entrevistadas, 83%, ou seja, 57 pessoas, não se consideram pessoas consumistas, porém a grande maioria tem mais de 5 aparelhos em casa que são trocados de 2 em 2 anos. O que induz a pensar justo o contrário do que se diz, já que os aparelhos são trocados com frequência. Quando questionados sobre o descarte de lixo eletrônico a maioria das pessoas afirmou que descartam em locais apropriados, localizados em

shoppings, lojas e até na própria UFPE (Universidade Federal de Pernambuco). Quando questionados sobre se conhecem ou não os Trapeiros de Emaú, uma importante ONG que coleta diversos produtos inclusive produtos eletrônico, recicla e vende à comunidade a preços mais baratos, a maioria afirmou que não conhece. Contudo, vimos que as pessoas quando questionadas passam a pensar sobre o assunto com mais empenho. A pesquisa de opinião serviu como subsídio para algumas reflexões sobre a temática. Já existe uma lei desde 2010 que regulamenta a coleta de lixo eletrônico no Brasil pelas empresas. Essas teriam que ter um canal de comunicação com o consumidor para orientá-lo no recolhimento do material, garantindo que os resíduos sejam descartados corretamente ou reaproveitados de alguma forma, contribuindo para a preservação do meio ambiente. Porém, a lei está ainda em processo de regulamentação.

Logo depois da aprovação, foram criados grupos técnicos que trabalham para esclarecer as regras impostas pelo plano. Metas estão sendo definidas e acordos ainda serão apresentados pelos setores responsáveis. Entre as soluções, a ONU pede novas tecnologias de reciclagem, além da criação nos países emergentes de "centros de gestão de lixo eletrônico". Um dos problemas a ser superado ainda seria a resistência de empresários que, na realidade, estão lucrando com o comércio desse lixo eletrônico. Outro problema é a falta de investimentos em infra-estrutura. A ONU ainda propõe como medida a exportação de parte desse lixo de países emergentes aos ricos. Isso deveria ser utilizado principalmente para peças perigosas, como circuitos integrados e pilhas, que seria então processado de forma adequada. O que devemos fazer então? A partir disso, nos propomos a realizar uma palestra na nossa escola para esclarecer sobre os problemas decorrentes desse descarte inadequado e possíveis soluções em nossa cidade. Também foi possível realizar nesse momento a divulgação de instituições de coleta e reciclagem de materiais eletrônicos para que as pessoas possam entender a importância de dar um destino correto a esse tipo de material. De toda nossa pesquisa o que descobrimos é que precisamos urgentemente pensar nessas questões e começar mesmo por nossas ações, ou seja, o que fazemos com a destinação de nossos aparelhos eletrônicos pode afetar negativamente o meio ambiente e por isso precisamos ter a consciência de destiná-lo adequadamente. Procurar saber se na minha cidade existe alguma empresa que recicla os materiais e exigir do governo que haja uma gestão desses resíduos. É uma questão de cidadania e pensar na coletividade e no futuro das gerações que virão. Afinal, se o futuro que queremos para o nosso planeta e para essas gerações é de um planeta limpo e sem problemas precisamos agir agora no presente.

82%

6%

12%

Sim Não Não sei

(7)

7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Montenegro, Fábio e Ribeiro M. Vera. Nossa Escola Pesquisa Sua Opinião: Manual do professor.Editora Global. São Paulo, 2002.

Encontros NEPSO – Aprendizagens em Rede. Ação Educativa e Instituto Paulo Montenegro.

São Paulo, 2011.

Almanaque NEPSO. Ação Educativa e Instituto Paulo Montenegro. São Paulo, 2007.

Caires, Luiza: Lixo eletrônico: o que fazer com ele. Universidade de São Paulo (USP) Editoria: Meio ambiente. Abril de 2011.

http://www.lixoeletronico.org/ acessado em setembro de 2012.

www.wikipedia.org/wiki/Resíduo_eletrônic acessado em setembro de 2012.

www.suapesquisa.com/o_que_e/lixo_eletronico.htm acessado em setembro de 2012.

www.mundoverde.com.br acessado em setembro de 2012.

http://www.infoescola.com/meio-ambiente/lixo-eletronico-no-brasil/ acessado em 28 de setembro de 2013

http://www.portaleducacao.com.br. Acessado em 30 de setembro de 2013

(8)

8 QUESTIONÁRIO SOBRE LIXO ELETRÔNICO Aluna(s): Amanda de Paula, Ivanna Larissa, Joyce Amorim, Lara Albuquerque, Mariana Carvalho

Profª: Helena Sandra Disciplina: PD - Meio Ambiente

Idade:______ Turma:______

Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino 1. Você sabe o que é lixo eletrônico?

( ) Sim – (Pule para a próxima pergunta) ( ) Não – (Finalize o questionário por aqui) 2. Aproximadamente, qual é a sua renda

familiar?

( ) 1 salário mínimo ( ) 2 salários mínimos ( ) 3 salários mínimos

( ) 4 salários míninos ou mais ( ) Não sabe ou não respondeu

3. Quantos aparelhos eletrônicos existem na sua casa?

( ) 1 ( ) 2

( ) 3 ( ) 4

( ) 5 ( ) Mais de 5

4. Quantas vezes no ano costumam trocar os aparelhos eletrônicos da sua casa?

( ) a cada 1 ano ( ) a cada 2 anos ( ) a cada 3 anos ( ) a cada 4 anos

( ) Outro período.

Qual?______________________

( ) Raramente troco os aparelhos eletrônicos da minha casa

( ) Não sabe ou não respondeu

5. Você se considera uma pessoa consumista?

( ) Sim ( ) Não

( ) Não sabe ou não respondeu

6. O quê você costuma fazer com os aparelhos eletrônicos que não tem mais uso em sua casa?

( ) Reaproveito peças ( ) Descarto no lixo comum

( ) Descarto em pontos de descarte apropriados

( ) coloco na rua

( ) Em outro Lugar.

Qual?______________________

( ) Não sabe ou não respondeu.

7. Você conhece algum ponto de coleta/descarte de lixo eletrônico na cidade onde você mora?

( ) Sim. Qual?________________________

( ) Não.

( ) Não sabe ou não respondeu.

8. Você sabe quem são os Trapeiros de Emaú?

( ) Sim ( ) Não

( ) Não sabe ou não respondeu

9. Você sabe quais os perigos do descarte errado do lixo eletrônico?

( ) Sim, Quais são?___________________

( ) Não

( ) Não sabe ou não respondeu

10. Na sua opinião, qual a importância do descarte apropriado do lixo eletrônico?

( ) Para diminuir a grande quantidade de lixo

( ) Para evitar doenças em pessoas e nos animais

( ) Para ajudar na reciclagem desse material ( ) Outro, Qual?______________________

“Hoje em dia o lixo eletrônico cresce três vezes mais que o lixo convencional segundo a Organização das Nações Unidas

(ONU) , e o Brasil está em primeiro lugar na produção desse lixo entre os países

emergentes”

11. O quê você faria para mudar esse cenário?

________________________________

________________________________

________________________________

(9)

9 TABELAS

Sim 93

Não 12

Tabela 1 – Você sabe o que é lixo eletrônico?

1 salário

mínimo 0

2 salários

mínimos 2

3 salários

mínimos 7

4 salários

mínimos 58

Não sabe ou

não respondeu 28

Tabela 2 – Qual a renda familiar?

Sim 32

Não 57

Não sabe/não

respondeu 16

Tabela 3 – Você se considera um consumista?

Figure

Updating...

References

Related subjects : PILHAS E LIXO ELETRÔNICO