• Nenhum resultado encontrado

Arq. Bras. Cardiol. vol.88 número1

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2018

Share "Arq. Bras. Cardiol. vol.88 número1"

Copied!
2
0
0

Texto

(1)

Imagem

Severa Compressão Sistólica Coronariana Associada à

Cardiomiopatia Hipertrófica Obstrutiva

Severe Coronary Milking in Obstructive Hypertrophic Cardiomyopathy

Jorge Humberto Guardado, Hélder Pereira, Carlos Catarino, Hugo Vinhas, Jorge Marques, Manuel Carrageta

Hospital Garcia de Orta - Riachos, Portugal

Correspondência: Jorge Humberto Guardado •

Serviço de Cardiologia – Hospital Garcia de Orta - 2800 Almada – Portugal E-mail: jobeguardado@netcabo.pt

Recebido em 28/05/06; revisado recebido em 12/06/06; aceito em 12/06/06.

Palavras-chave

Cardiomiopatia hipertrófica, coronariopatia.

Paciente do sexo feminino, com 65 anos de idade,

recentemente acometida por angina foi hospitalizada

com síndrome coronariana aguda, sem elevação de ST. O

eletrocardiograma mostrou profunda inversão da onda T nas

derivações anterior e lateral.

A angiografia não revelou estenose coronariana, mas foi

observado “milking” (compressão sistólica) da parte média

da artéria coronária descendente anterior esquerda, um

estreitamento sistólico de até 100% desta artéria (figs. 1,2,3 e 4).

O gradiente intraventricular pôde ser determinado em

repouso por meio de um cateter “multipurpose” durante a

retirada deste do ventrículo esquerdo (fig 5).

A ecocardiografia bidimensional (transversal) revelou

hipertrofia septal assimétrica (septo anterior 22 mm, parede

posterior 10 mm) com comprometimento severo e difuso

de todo o septo interventricular e da parede anterolateral,

com confirmação do gradiente intraventricular esquerdo

em repouso.

Fig. 1 -Angiograma da artéria coronária esquerda ao final da diástole (LAO/ projeção oblíqua anterior esquerda 45; CRAN 25). A seta branca indica um segmento médio da LAD/ descendente anterior esquerda normal.

Fig. 2 -Angiograma da artéria coronária esquerda ao final da sístole (LAO/ projeção oblíqua anterior esquerda 45; CRAN 25). A seta branca indica um estreitamento sistólico de 100% do segmento médio da LAD/ descendente anterior esquerda por severa compressão sistólica (“milking”).

(2)

Imagem

Guardado e cols. SEVERA COMPRESSÃO SISTÓLICA CORONÁRIA ASSOCIADA À CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA OBSTRUTIVA

Arq Bras Cardiol 2007; 88(1) : e24-e25

Fig. 3 -Angiograma da artéria coronária esquerda ao final da diástole. (RAO/projeção oblíqua anterior direita 10; CRAN 40). A seta branca indica um segmento médio da LAD/descendente anterior esquerda angiograficamente normal.

Fig. 4 -Angiograma da artéria coronária esquerda ao final da sístole. (RAO/ projeção oblíqua anterior direita 10; CRAN 40). A seta branca indica um estreitamento sistólico de 100% do segmento médio da LAD/ descendente anterior esquerda por severa compressão sistólica (“milking”).

Fig. 5 -Onda de pressão no ventrículo esquerdo durante a retirada do cateter. Foi registrado um gradiente intraventricular de 80mmHg por um cateter “multipurpose”.

VENTRÍCULO ESQUERDO (SUB-AÓRTICO)

AORTA

VENTRÍCULO ESQUERDO (ÁPICE)

GRADIENTE INTRAVENTRICULAR ESQUERDO

Imagem

Fig. 1 - Angiograma da artéria coronária esquerda ao final da diástole (LAO/
Fig. 4 - Angiograma da artéria coronária esquerda ao final da sístole. (RAO/

Referências

Documentos relacionados

Na Correlação Anatomoclínica publicada em Arq Bras Cardiol, vol 80 (nº 6), 643-8, 2003, as figuras dos eletrocardiogramas foram trocadas. Eis

Caso de paciente do sexo feminino, com 69 anos de idade, portadora de estenose da valva mitral de etiologia reumática associada a fibrilação atrial crônica.. Foi submetida

Criança de 3 anos, do sexo feminino e de cor branca, tinha diagnóstico prévio ecocardiográfico de tetralogia de Fallot com comunicação interventricular perimembranosa e

Por exemplo, a probabilidade de portadores de DRCT receberem medicamentos cardioprotetores, como aspirina, heparina, betabloqueadores e inibidores da enzima conversora

com o pânico quanto ao inesperado da manifestação de sintomas, acha que o diagnóstico prejudicou a sua vida familiar. Os sintomas desencadeiam um pressentimento de morte

Algumas podem produzir isquemia persistente (coronária esquerda anômala originada no tronco da artéria pulmonar; atresia ostial coronariana; ou estenose crítica, devido à

A angiografia revelou dominância direita, grande quantidade de trombos na artéria coronária direita, artéria descendente anterior, relacionada ao IAM, ocluída com fluxo TIMI 0,

À angiografia foram observadas oclusão da coronária direita em sua porção proximal e estenose grave no terço medial da artéria descendente anterior seguida de aneurisma (Figura