Comunidades rurais

Top PDF Comunidades rurais:

Open Cisternas domiciliares: qualidade da água para consumo humano em comunidades rurais do semiárido Sergipano

Open Cisternas domiciliares: qualidade da água para consumo humano em comunidades rurais do semiárido Sergipano

As tecnologias de captação e armazenamento de água da chuva têm melhorado o acesso a água e consequentemente a vida de comunidades rurais no semiárido do Brasil. Em regiões com chuvas escassas, estes sistemas têm auxiliado no suprimento para o consumo humano, em especial nos meses de estiagem, entretanto o acompanhamento e controle da qualidade da água devem ser realizados para diminuir os riscos à saúde das populações beneficiadas. Este trabalho teve como objetivo avaliar as formas de manejo e qualidade da água armazenada em cisternas domiciliares para o consumo humano em comunidades rurais nos municípios de Simão Dias e Tobias Barreto, em Sergipe. A metodologia adotada foi quali-quantitativa, desenvolvida com a aplicação de 44 formulários para o diagnóstico socioambiental das famílias e coleta de 44 amostras de água armazenada em cisternas para análise em laboratório. Os parâmetros condutividade elétrica, turbidez, salinidade, sólidos dissolvidos totais, cor, cloreto, fluoreto, alcalinidade, dureza, coliformes totais e Escherichia coli foram adotados para análise e avaliação da qualidade da água. Como a água da chuva armazenada na maioria das vezes não atende às demandas das famílias, o uso de água de outras fontes, chamada de mista, e trazida por carro-pipa é depositada nas cisternas, o que altera a qualidade da água. Os resultados da análise físico-química das 44 amostras revelaram que a qualidade da água da chuva atende aos padrões de potabilidade estabelecidos pela Portaria 2.914/11, entretanto os níveis de fluoreto encontrados nas águas da chuva e mista estavam abaixo do recomendado pela referida norma e não garantem a prevenção de cáries dentárias dos usuários das cisternas. A avaliação microbiológica da água apresentou contaminação por coliformes totais em todas as cisternas de ambos os municípios e por E. coli em 100% dos domicílios de Tobias Barreto e 75% dos de Simão Dias, tornando a água imprópria para o consumo humano sem tratamento prévio. O comprometimento sanitário da água possivelmente está relacionado às deficiências na manutenção e conservação do sistema de captação e armazenamento de água como telhados, calhas, dutos e cisterna; e ao manejo dos usuários na retirada da água das cisternas, no qual predomina o uso de baldes presos em cordas. A capacitação e mobilização dos beneficiários das cisternas são aspectos centrais para melhor qualidade da água, para minimizar possíveis riscos à saúde e garantir o correto funcionamento destes sistemas.
Mostrar mais

87 Ler mais

para unisalização e  do abastecimento d’água para pequenas comunidades rurais difusas no semiárido brasileiro

para unisalização e do abastecimento d’água para pequenas comunidades rurais difusas no semiárido brasileiro

A seleção destes três municípios dentro de um universo de 33 municípios situados no sertão central do Ceará obedeceu a um conjunto de critérios climatológicos (inserção no semiárido e elevado índice de aridez), socioeconômicos (baixo IDH, elevada percentagem de população vivendo no meio rural, baixa renda per capita) e logísticos para consecução da pesquisa (Souza Filho e Silva,2011). Um dos principais fatores considerados para seleção era a presença massiva de comunidades rurais do município nas rotas de abastecimento emergencial com carro pipa – Operação Pipa – realizada pelo Exército Brasileiro entre os anos de 2007 e 2008 (Exército Brasileiro, 2008). A tabela 1 apresenta os dados populacionais dos municípios selecionados.
Mostrar mais

8 Ler mais

Análise de custo de dessalinização de água em comunidades rurais cearenses

Análise de custo de dessalinização de água em comunidades rurais cearenses

Assim sendo, o presente estudo procura anali- sar a viabilidade de suprimento de água dessaliniza- da para consumo humano em comunidades rurais cearenses. Para tanto, inicialmente, devem-se iden- tificar o montante de investimento e os custos de manutenção requeridos por um sistema de abaste- cimento de água dessalinizada; analisar a viabilida- de financeira e econômica de cada sistema de des- salinização por osmose reversa; determinar o custo do metro cúbico de água dessalinizada para consu- mo humano; estimar o número mínimo de famílias para o qual o sistema é vantajoso; calcular a capa- cidade de pagamento, por água dessalinizada, das famílias, distribuídas por grupos de nível de renda. Enfim, contribuir com o poder público, com funda- mentação econômica, para a política de gestão dos
Mostrar mais

22 Ler mais

Caça, comunidades rurais e conservação da biodiversidade em São Tomé e Príncipe

Caça, comunidades rurais e conservação da biodiversidade em São Tomé e Príncipe

Na ilha de São Tomé existem cerca de 45 comunidades rurais que vivem na zona tam- pão ou na periferia da área protegida do Parque do Ôbo, maioritariamente em situação de pobreza e relativo isolamento, e que estão de alguma forma dependentes dos recursos animais fl orestais. O preço da carne e a difi culdade de acesso às comunidades, que condi- cionam a disponibilidade de peixe e outros produtos não produzidos localmente, condu- zem a uma maior pressão sobre o próprio parque. Neste estudo pretendeu-se analisar os padrões de consumo de carne, peixe e búzio na população de Claudino Faro, e quantifi car a importância dos recursos animais fl orestais na alimentação das famílias. Pretendeu-se ainda analisar o tipo de caça praticada e os perfi s socioeconómicos dos caçadores, assim como quantifi car o número de animais abatidos durante o período de estudo. O objectivo principal foi a integração da informação de forma a analisar as implicações da situação ob- servada, por um lado, no desenvolvimento rural e na segurança alimentar da população, e por outro lado, na conservação e gestão das populações animais na área protegida.
Mostrar mais

7 Ler mais

Percepções ambientais de comunidades rurais e indicadores de sustentabilidade como subsídios à conservação de áreas de caatinga no Rio Grande do Norte

Percepções ambientais de comunidades rurais e indicadores de sustentabilidade como subsídios à conservação de áreas de caatinga no Rio Grande do Norte

ESEC Seridó é de proteção integral e, portanto, é bastante restritiva e a RPPN, por ser de uso sustentável, mais inclusiva. Já a área de Caatinga do município de Tenente Laurentino Cruz, não constitui área protegida, mas por estar amplamente distribuída sobre parte da Serra de Santana, contendo assentamentos rurais, é fiscalizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). O conjunto desses fatores torna relevante esta comparação quanto à conservação, a partir das percepções das comunidades rurais que mantêm relação direta com essas áreas, no intuito de identificar possíveis interesses pela conservação da Caatinga, inclusive como integrantes desse processo. Isto porque, conforme os trabalhos efetuados por MENDES (2005); SANTOS et al. (2000); SILVA (2006); PINHEIRO et al. (2011); HOEFFEL et al. (2008); SILVA (2009); e LERMEN e FISHER (2010), estudos que visam avaliar as relações entre o homem e o ambiente no qual está inserido são relevantes no processo de conservação.
Mostrar mais

114 Ler mais

Metodologia inovadora de disseminação do conhecimento científico e tecnológico: criação de núcleo itinerante de apoio educacional informal para a modernização da agricultura familiar de comunidades rurais do Estado do Amazonas

Metodologia inovadora de disseminação do conhecimento científico e tecnológico: criação de núcleo itinerante de apoio educacional informal para a modernização da agricultura familiar de comunidades rurais do Estado do Amazonas

O presente artigo como proposta de projeto, analisa um conjunto de atividades para a inclusão social, na tentativa de capacitar recursos humanos nas comunidades rurais da Amazônia de forma itinerante, por meio da divulgação científica e tecnológica para jovens e adultos nos municípios que compõem o Estado do Amazonas. Considerando que a Amazônia está geopoliticamente dentro de um conjunto de preocupações de atores dos poderes público e privado, de organizações não governamentais e da opinião pública, a perspectiva de encontrar soluções baseadas nos espaços heterogêneos, como condições naturais complexas da floresta amazônica e dos rios, história, religião e diversidade étnica, requer um estudo organizacional baseado nas demandas e necessidades das comunidades rurais. A partir das inter-relações entre a comunidade acadêmica e rural, é possível estabelecer uma dinâmica centrada na difusão do conhecimento por meio de unidades demonstrativas e na interface com os meios de comunicação, como rádios comunitárias, internet, aplicativos, oficinas, cursos e palestras, capacitando jovens e adultos para articulações entre as dimensões ambientais e o aproveitamento sustentável de produtos e subprodutos. No futuro essas ações poderão favorecer a implementação de redes entre as comunidades, como modo de organização social, propiciando possibilidades de forma participativa e inclusão produtiva aos serviços socioambientais de maneira sustentável.
Mostrar mais

6 Ler mais

DIVERSIDADE DE VARIEDADES DE FEIJÃO-CAUPI E DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIO DE COMUNIDADES RURAIS DO SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DO CEARÁ FORTALEZA 2017

DIVERSIDADE DE VARIEDADES DE FEIJÃO-CAUPI E DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO AGROPECUÁRIO DE COMUNIDADES RURAIS DO SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DO CEARÁ FORTALEZA 2017

O conhecimento não somente das variedades crioulas, mas também da percepção do sistema agrícola, dificuldades e anseios dos agricultores que cultivam estas variedades, pode levar a um conhecimento mais abrangente sobre a melhor forma de desenvolver novas cultivares que atendam a estes produtores. Nesse sentido, pesquisas, cujo objetivo é conhecer melhor as demandas e problemas das comunidades rurais, principalmente em estados do Nordeste brasileiro, são realizadas por meio da avaliação de um diagnóstico rural (ALENDE, 2006; QUEIROGA et al. 2011).
Mostrar mais

60 Ler mais

Conhecimento sobre uso de plantas repelentes e inseticidas em duas comunidades rurais do Complexo Vegetacional de Campo Maior, nordeste do Brasil

Conhecimento sobre uso de plantas repelentes e inseticidas em duas comunidades rurais do Complexo Vegetacional de Campo Maior, nordeste do Brasil

cultural de plantas repelentes e inseticidas, bem como verificar o consenso cultural e as formas de uso dessas plantas por moradores de duas comunidades rurais do Complexo Vegetacional de Campo Maior, Nordeste do Brasil. Todas as residências das duas comunidades foram visitas e 30 pessoas foram entrevistadas para a elaboração de uma lista livre. Foram utilizados: índice de saliência de Smith (IS), análise de consenso cultural (CC) e escalonamento multidimensional (MDS). A lista evidenciou que o domínio cultural foi representado por 18 espécies, distribuídas em 14 famílias e o IS apontou cinco rupturas neste conhecimento. Tal domínio é definido pelo critério de uso. A análise do CC permitiu verificar que houve consenso e o MDS correspondente ao agrupamento dos entrevistados, mostrou à formação de dois grupos, um com 29 informantes e outro com apenas um e sobre as plantas, mostrou cinco agrupamentos. O uso de plantas como inimigas naturais de insetos é alternativa viável para a substituição de inseticidas químicos e assim, diminuição dos impactos ambientais no campo, portanto tais conhecimentos devem fazer parte de um resgate cultural do uso dessas plantas.
Mostrar mais

15 Ler mais

Apresentação Técnica de Diferentes Tipos de Cisternas, Construídas em Comunidades Rurais do Semi-árido Brasileiro

Apresentação Técnica de Diferentes Tipos de Cisternas, Construídas em Comunidades Rurais do Semi-árido Brasileiro

Nesta palestra vamos dar uma breve descrição dos aspectos técnicos de uns tipos de cisternas que atualmente estão sendo construídas sobretudo nas comunidades rurais pelo Nordeste com sucesso, nós vamos falar sobre vantagens e desvantagens de construir ou ter um certo tipo de cisterna. Ficam registradas sobretudo as observações feitas no acompanhamento da construção e no uso durante vários anos. Uma lista de materiais e custos de vários tipos de cisternas está anexada.

11 Ler mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE COMUNIDADES RURAIS DO SEMIÁRIDO POTIGUAR SOB A ÓTICA DA MITIGAÇÃO DE EFEITOS DA DESERTIFICAÇÃO

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DE COMUNIDADES RURAIS DO SEMIÁRIDO POTIGUAR SOB A ÓTICA DA MITIGAÇÃO DE EFEITOS DA DESERTIFICAÇÃO

Os resultados analíticos obtidos com as análises de solos das três comunidades rurais evidenciam que o pH em água quando cruzados com os resultados adquiridos, que trata sobre a classificação química e agronômica, indicam que os solos das comunidades rurais de Currais Novos e Zangarelhas apresentam acidez média, sendo considerados bons para o cultivo de alimentos. Na comunidade Recanto, os dados apontaram que o pH em água apresentou acidez fraca, cuja classificação agronômica indica a necessidade de correção do pH, devido os níveis serem considerados altos. Assim, podemos afirmar que “o pH representa o quanto o solo está ácido, demonstrando a necessidade da aplicação de corretivos (calcário), para que a acidez do solo diminua e ocorra um adequado desenvolvimento da cultura” (Serrat, et al., 2002, p. 16).
Mostrar mais

14 Ler mais

REPERCUSSÕES DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS EM COMUNIDADES RURAIS E QUILOMBOLAS

REPERCUSSÕES DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS EM COMUNIDADES RURAIS E QUILOMBOLAS

A presente tese é resultado de investigação que teve como objetivo realizar pesquisa avaliativa sobre o processo de implantação do Programa Mais Médicos (PMM) em comunidades rurais e quilombolas e suas repercussões. Na realização da investigação, empregou-se as abordagens quantitativa e qualitativa a partir de duas fases: uma exploratória e outra de campo que foram realizadas em duas comunidades quilombolas do Rio Grande do Norte e uma comunidade quilombola do Pará, além de quatro áreas rurais também do Pará. Foram realizadas um total de 82 entrevistas semiestruturadas com os seguintes atores chaves: usuários e lideranças das áreas rurais e comunidades quilombolas, gestores, médicos do PMM, profissionais de saúde, que compõem as equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) e representantes do Conselho Municipal da Saúde. Além disso, foram realizados 3 grupos focais e anotações no diário de campo, a partir de observação. Destaca-se como principais alterações após a implantação do PMM nas áreas rurais e quilombolas: presença mais constante do profissional médico na UBS permitindo um melhor acompanhamento das doenças crônicas e maior continuidade da atenção, melhorias no acolhimento aos usuários e criação de vínculo, atuação mais resolutiva buscando resolver os problemas de saúde apresentados, aumento de atividades de educação em saúde e de realização de visitas domiciliares. Além disso, as narrativas apontam uma escuta mais atenta às queixas dos usuários, uma maior participação dos usuários nas atividades da Estratégia Saúde da Família, um melhor planejamento das atividades e uma maior organização do fluxo de demanda. No entanto, observou-se a necessidade de superar alguns desafios como a necessidade de um maior alinhamento com o modelo de atenção primária à saúde, preconizado pelo Sistema
Mostrar mais

250 Ler mais

Trabalho familiar ou assalariamento? Dilema de jovens em comunidades rurais

Trabalho familiar ou assalariamento? Dilema de jovens em comunidades rurais

De acordo com Malagodi e Marques (2007, p. 198), na agricultura familiar, o ato de “fi car ou sair”, de “ir e vir” dos jovens são estratégias complementares pautadas por condições objetivas e subjetivas das famílias, marcadas por fatores de exclusão – como a falta de acesso a terras, a impossibilidade de herança da propriedade familiar, a posse de áreas com tamanho insufi ciente para o desenvolvimento do trabalho de todos os membros da família em uma mesma unidade de exploração agrícola – ou por projetos individuais elaborados pelos jovens, na perspectiva de alcançar melhores condições de vida. Para esses autores, “fi car ou sair” são opções que ocultam, de um lado, “valores que se formam na mente dos jovens a partir das condições de que dispõem suas famílias” e de seus meios de produção e, de outro, alternativas de desenvolvimento de atividades nos espaços rurais ou fora deles (MALAGODI; MARQUES, 2007, p. 198).
Mostrar mais

18 Ler mais

Aplicações de energia para o desenvolvimento de comunidades rurais

Aplicações de energia para o desenvolvimento de comunidades rurais

Para o modelo de módulo solar fotovoltaico escolhido os cabos já possuem as características desejáveis (consultar capitulo 4.1 Painéis Fotovoltaicos). Os cabos de fileira efetuam [r]

101 Ler mais

OS DILEMAS E AS PROPOSIÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA TRANSAMAZÔNICA (BR-230): DO ATENDIMENTO AS NORMAS PARA O LICENCIAMENTO AO ENCONTRO DAS EXPECTATIVAS DAS COMUNIDADES DA RODOVIA

OS DILEMAS E AS PROPOSIÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA TRANSAMAZÔNICA (BR-230): DO ATENDIMENTO AS NORMAS PARA O LICENCIAMENTO AO ENCONTRO DAS EXPECTATIVAS DAS COMUNIDADES DA RODOVIA

O presente texto apresentará um estudo realizado nas comunidades rurais, do município de Altamira no estado do Pará. Objetiva analisar se os resultados das ações de Educação Ambiental implementadas pelo programa da BR- 230 através do PEA no município de Altamira-PA no ano de 2010 a 2011 contribuíram para a inserção da prática da Educação Ambiental nas comunidades, assim como para a formação de uma consciência ambiental. O referencial teórico metodológico amparou-se em base qualitativa em uma perspectiva da educação ambiental crítica; esta contou com a análise de documentos relacionados ao programa, bem como documentos oriundos da prefeitura e revisão de literatura. A pesquisa foi realizada com a utilização das entrevistas com perguntas abertas direcionadas aos facilitadores do programa, estagiários e com alguns moradores das comunidades em questão. Dentre os autores que auxiliaram para a compreensão do contexto estudado destacam-se: Frederico Loureiro (2004, 2005, 2007,2009 2012), Marilena Loureiro (2007),Violeta Loureiro (2009, 2011), Bertha Becker (2009, 2011), dentre outros. A pesquisa possibilitou entender as relações estabelecidas entre as ações de educação ambiental pensada para a região a partir da retomada do asfaltamento da BR-230, mas conhecida como transamazônica. Esse novo cenário se apresenta com múltiplos olhares pelas comunidades afetadas diretamente por esta rodovia configurando-se como um lugar propício para debates acercas dos impactos socioambientais.
Mostrar mais

131 Ler mais

Fitoterapia Familiar no Assentamento Madre Cristina (Ariquemes, Rondônia) / Family Phytotherapy at Madre Cristina Settlement (Ariquemes, Rondônia)

Fitoterapia Familiar no Assentamento Madre Cristina (Ariquemes, Rondônia) / Family Phytotherapy at Madre Cristina Settlement (Ariquemes, Rondônia)

Em comunidades rurais, geralmente as plantas medicinais são utilizadas como o primeiro recurso para o tratamento de doenças pela maioria dos moradores (OLIVEIRA, 2008) e, frequentemente, os membros mais idosos detêm mais saber sobre suas aplicações (AMOROZO, 2002; LIPORACCI e SIMÃO, 2013), conforme observado nesta pesquisa (Tabela 1). Diante dessa realidade, a transferência dos conhecimentos ao longo das gerações se torna imprescindível como forma de preservá-los e de proteger a cultura e a identidade dessas comunidades, como ressaltado pelos próprios entrevistados neste e em outros estudos sobre o assunto (BOTSARIS, 1999; GONZALEZ, 2006).
Mostrar mais

19 Ler mais

EDUCAÇÃO E VALORIZAÇÃO DO TRABALHO NO CAMPO: UMA PESQUISA-AÇÃO COM OS ESTUDANTES DA EEEFM JOSÉ ROCHA SOBRINHO EM BANANEIRAS/PARAÍBA/BRASIL

EDUCAÇÃO E VALORIZAÇÃO DO TRABALHO NO CAMPO: UMA PESQUISA-AÇÃO COM OS ESTUDANTES DA EEEFM JOSÉ ROCHA SOBRINHO EM BANANEIRAS/PARAÍBA/BRASIL

A pesquisa tem como objetivo valorizar a importância das atividades agrícolas e pecuárias realizadas em algumas comunidades rurais de Bananeiras, um município localizado na microrregião do Brejo Paraibano, no Planalto da Borborema, estado da Paraíba/Brasil, através de uma pesquisa-ação realizada pelos alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) José Rocha Sobrinho. Os alunos foram divididos em 14 equipes, orientados pela professora de Geografia, e aplicaram questionários em duas quitandas e treze comunidades rurais, para identificar as principais características das lavouras e dos agricultores, bem como a origem dos produtos agrícolas que são vendidos. A pesquisa-ação confirmou os aspectos positivos dos trabalhos em forma de projetos. Os alunos participantes gostaram da condição de sujeitos da pesquisa e não somente simples ouvintes em uma sala de aula; e conseguiram se identificar com o tema abordado e passaram a valorizar mais as pessoas que vivem no campo e suas atividades, incluindo os colegas oriundos do campo e seus familiares. As atividades propostas conseguiram revelar aos alunos participantes uma visão do campo como espaço de trajetórias sofridas, mas também de realizações e de sonhos muito felizes onde vivem pessoas que produzem o nosso alimento e que merecem ser respeitadas e valorizadas.
Mostrar mais

16 Ler mais

Ecoaldeias: práticas de cuidado a nível global e local

Ecoaldeias: práticas de cuidado a nível global e local

As ecoaldeias são comunidades rurais ou urbanas de pessoas que lutam para integrar um ambiente social de apoio com um estilo de vida de baixo impacto.. Para conseguir isto, [r]

11 Ler mais

Entre trânsitos permanentes e permanências transitórias: estudo sobre a reprodução social de famílias rurais pobres em Itinga, Minas Gerais, Brasil

Entre trânsitos permanentes e permanências transitórias: estudo sobre a reprodução social de famílias rurais pobres em Itinga, Minas Gerais, Brasil

Por seu intermédio, informei-me sobre as diversas comunidades existentes no munícipio e entrei em contato com a comunidade situada mais próxima à sede urbana municipal: a comunidade rural dos Hermógenes. Uma de suas características peculiares consiste no fato que, diferentemente do que ocorre na maioria das comunidades rurais locais, as pessoas ali residentes tendiam a migrar menos que as das demais. Com um carro de passeio, e após uma curta viagem por uma estrada vicinal, cheguei ao local. Seus habitantes eram pequenos proprietários de terra, descendentes de quilombolas, espremidos entre grandes fazendas de gado (pecuária extensiva) e o rio Jequitinhonha. Homens e mulheres, jovens e crianças residiam em pequenas casas de pau a pique autoconstruídas. Ali seria realizada a primeira entrevista do doutorado. Era o primeiro contato com as pessoas residentes no meio rural que já foi um dos piores IDHs do Estado de Minas Gerais. Em uma residência muito simples, a entrevistada, matriarca da família, uma senhora que viveu grande parte de sua vida na pobreza e em permanente condição material de precariedade. Descendente de escravos, viu, ao longo de sua trajetória, a tomada progressiva de suas terras por grandes fazendeiros locais. A entrevista giraria em torno da existência no lugar, da pobreza, da perda das terras, da expropriação e da melhoria de vida com a chegada do ―dinheiro que o governo manda‖, ou seja, do Programa Bolsa Família.
Mostrar mais

373 Ler mais

Territorialidade e proteção social : um estudo acerca dos avanços e desafios na implantação do SUAS no meio rural

Territorialidade e proteção social : um estudo acerca dos avanços e desafios na implantação do SUAS no meio rural

Com relação às questões respondidas pelos sujeitos de pesquisa, também surgem indícios desta desigualdade no acesso ao SUAS. Das 26 pessoas entrevistadas, embora 70% dizem conhecer o CRAS, ao passo que 30% afirmaram que não, muitas referem que apenas sabem “onde fica”, ou que “passaram em frente”, inferindo-se pela fala dos sujeitos, um vínculo frágil com o serviço. Ainda, destas 26, onze relatam ter sido atendidas ou ter alguém da família participando de algum dos serviços ofertados no âmbito do SUAS no município, nos últimos dois meses, enquanto que quinze não tiveram nenhum contato. Destas onze pessoas atendidas, seis receberam atendimento individual (atualização cadastral, orientações e encaminhamentos), quase todas através de visita domiciliar; as demais, cinco pessoas, estão inseridas nos serviços de convivência e fortalecimento de vínculos realizados nas comunidades, duas delas afirmando que também se encontram em acompanhamento individual. Embora dezenove pessoas tenham recebido algum tipo de atendimento para ela ou alguém da família nos últimos dois anos, quando questionadas sobre o tipo de atividade de que participavam, a metade não soube informar, algumas dizendo que “já fazia muito tempo”. Das nove pessoas que apontaram quais os serviços, a maioria diz que recebeu concomitantemente, acompanhamento individualizado através de visita domiciliar ou no CRAS (encaminhamento para documentação, BPC, encaminhamento para outras políticas, revisão cadastral, informações para acesso a programas sociais, etc.) como também participaram de grupos e oficinas de artesanato, confecção de edredom, corte e costura, entre outros. Duas pessoas referiram atendimentos sistemáticos quando moravam na área metropolitana de Porto Alegre, uma delas citando que seria bom se o município ofertasse regularmente atividades para as comunidades rurais.
Mostrar mais

209 Ler mais

Potencial de uso da Moringa oleifera Lamarck na clarificação de água para abastecimento em comunidades difusas de áreas semiáridas

Potencial de uso da Moringa oleifera Lamarck na clarificação de água para abastecimento em comunidades difusas de áreas semiáridas

O abastecimento de água potável é um dos aspectos mais fundamentais do saneamento básico, com repercussões profundas sobre a saúde da comunidade. Mas, mesmo em centros urbanos de médio e grande portes de áreas em desenvolvimento do mundo a operação de sistemas públicos de abastecimento de água ainda é marcada pela falta de uma abordagem mais científica, sofrendo, frequentemente, de precariedade e ineficiência com graves reflexos sobre a qualidade da água e sobre a saúde da população (WHO, 2011). Nas comunidades rurais difusas dessas áreas a situação é ainda pior, sendo o abastecimento provido por águas transportadas em carros-pipa e por águas provenientes de barreiros, cisternas, poços e pequenos açudes. Nas áreas urbanas do Brasil, praticamente todos os domicílios são abastecidos com águas tratadas em estações de tratamento (ETA) as quais, na maioria das cidades (70%, principalmente nas regiões Sul e Sudeste), operam em ciclo completo, constituídas pelas operações unitárias de coagulação, floculação, decantação, filtração, desinfecção e fluoretação (IBGE, 2002 apud DI BERNARDO & PAZ, 2009).
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 3725 documents...