Corpos hídricos

Top PDF Corpos hídricos:

Avaliação da qualidade ambiental de corpos hídricos urbanos utilizando análise multivariada

Avaliação da qualidade ambiental de corpos hídricos urbanos utilizando análise multivariada

A Tabela 2 apresenta as correlações entre os indicadores limnológicos estudados, onde se verificou que os coliformes termotolerantes apresentam correlação positiva com o fósforo total (r=0.97) e clorofila-a (r=0.59), indicando que a eutrofização dos corpos hídricos é acompanhada com o aumento de coliformes. O oxigênio dissolvido decresce com a presença de coliformes termotolerantes (r=-0.53), fósforo total (r=-0.55) e moderadamente com a turbidez (r=-0.21), indicando que visualmente uma maior turbidez e deposição de nutrientes nos corpos hídricos resulte em menor disponibilidade de oxigênio na água. O nitrogênio total tem impacto negativo na DBO 5 (r=-0.52). O pH cresce acompanhando a turbidez (r=-0.75). Como a clorofila-a decresce moderadamente com o resíduo total (r=-0.27), entende-se que o material residual é, em sua maioria, mineral ou artificial e não vegetal.
Mostrar mais

12 Ler mais

Monitoramento químico e do potencial genotóxico para o diagnóstico da qualidade de corpos hídricos

Monitoramento químico e do potencial genotóxico para o diagnóstico da qualidade de corpos hídricos

classificado em mesotrófico, hipereutrófico e eutrófico na nascente e na foz do arroio, e no rio, respectivamente, corroborando com os resultados obtidos por Cunha et al. (2013). O índice de estado trófico calculado para cada um dos pontos pode ser devido à eutrofização natural, que é o resultado da descarga de nitrogênio e fósforo nos ecossistemas aquáticos ou pode ocorrer em função dos despejos de esgotos domésticos e industriais e de fertilizantes aplicados na agricultura, o que acelera o processo de enriquecimento de algas e macrófitas nas águas superficiais (ALMEIDA et al., 2009). Na região da Bacia do Rio dos Sinos, o tratamento do esgoto, na maioria dos municípios, ainda é baixo, o que pode estar contribuindo para a eutrofização dos corpos hídricos (OLIVEIRA et al., 2012). Segundo Fia et al. (2009), o índice de estado trófico avalia o impacto relacionado às atividades antrópicas nas bacias hidrográficas, auxiliando na formulação de planos de manejo e gestão de ecossistemas aquáticos, por meio de estratégias que visam à sustentabilidade dos recursos hídricos.
Mostrar mais

10 Ler mais

Prospecção do molusco invasor Limnoperna fortunei (Dunker, 1857) nos principais corpos hídricos do estado do Paraná, Brasil.

Prospecção do molusco invasor Limnoperna fortunei (Dunker, 1857) nos principais corpos hídricos do estado do Paraná, Brasil.

Foram realizadas coletas nos principais corpos hídricos do Paraná objetivando a prospecção de larvas do mexilhão dourado, Limnoperna fortunei (Dunker, 1857). Essa es[r]

8 Ler mais

Impacto na saúde humana de disruptores endócrinos presentes em corpos hídricos: existe associação com a obesidade?.

Impacto na saúde humana de disruptores endócrinos presentes em corpos hídricos: existe associação com a obesidade?.

Os estrogênios foram amplamente estudados com relação a distúrbios reprodutivos associa- dos à exposição durante o período gestacional e, atualmente, têm demonstrado desempenhar um importante papel como obesogênicos. Nessa classe estão incluídos o estrógeno natural 17 es- tradiol (E 2 ), e os sintéticos etiniestradiol (EE 2 ) e DES como principais representantes. Através da excreção humana e de animais atingem os corpos hídricos conferindo poder estrogênico na água capaz de alterar o sistema reprodutivo e indu- zir a síntese da proteína vitelogenina nos peixes e causar efeitos à saúde humana, como redução na produção de espermatozoides, anomalias do sis- tema reprodutor masculino e feminino, aumento da incidência de câncer de mama, na vagina e na próstata, disfunção da tireoide, distúrbios meta- bólicos, entre outros efeitos 9,14,20 .
Mostrar mais

14 Ler mais

ENQUADRAMENTO DOS CORPOS HÍDRICOS SUBTERRÂNEOS DO DISTRITO FEDERAL: PARÂMETROS HIDROGEOQUÍMICOS E AMBIENTAIS Daniella Castanheira

ENQUADRAMENTO DOS CORPOS HÍDRICOS SUBTERRÂNEOS DO DISTRITO FEDERAL: PARÂMETROS HIDROGEOQUÍMICOS E AMBIENTAIS Daniella Castanheira

xii Figura 2.10 - Mapa de Potencial de Recarga do Distrito Federal. Disponibilizado no Portal Eletrônico da ADASA. Fonte ZEE-DF (2010). ................................................................................................................ 30 Figura 3.1 - Fluxograma da metodologia para a operacionalização do Enquadramento de Corpos Hídricos Subterrâneos. .............................................................................................................................................. 33 Figura 3.2 - Esquema Simplificado de Classificação das Águas Subterrâneas - Resolução CONAMA nº 396/2008. 'X' representa a concentração de um ou vários (Xn) parâmetros analisados na água, atendendo a condição X> Limite Quantificação Praticado (LQP). Fonte: Mestrinho (2012). ....................................... 42 Figura 3.3 - Gráficos de distribuição das concentrações dos parâmetros químicos e físicos escolhidos para Classificação da Qualidade das Águas dos Aquíferos ou Porções de Aquíferos, resultados dos valores da Média da Série Histórica de análises de água dos poços da ADASA-CAESB (2006-2015). ................... 62 Mapa 3.1 – Distribuição dos poços que compõe a série histórica de análises de água do Distrito Federal e respectivas classes conformes valores da Média das concentrações dos parâmetros químicos e físicos analisados. .................................................................................................................................................. 55 Mapa 3.2 - Mapa Diagnóstico da Classificação da Qualidade das Águas dos Aquíferos ou Porções dos Aquíferos do Distrito Federal. ................................................................................................................... 76 Mapa 3.4 - Mapa de Enquadramento dos Aquíferos ou Porções dos Aquíferos do Distrito Federal (Metas). .................................................................................................................................................................... 78 Mapa 3.5 - Mapa de distribuição dos poços ADASA Outorgados em 2010 .............................................. 80
Mostrar mais

105 Ler mais

DIEGO HENRIQUE NASCIMENTO DA ROCHA AVALIAÇÃO DA DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO (DQO) EM CORPOS HÍDRICOS CEARENSES

DIEGO HENRIQUE NASCIMENTO DA ROCHA AVALIAÇÃO DA DEMANDA QUÍMICA DE OXIGÊNIO (DQO) EM CORPOS HÍDRICOS CEARENSES

Os corpos hídricos cearenses são monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará (COGERH) aonde a mesma, com o intuito de avaliar a qualidade destas águas, faz uso de vários parâmetros, como a Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) e a Demanda Química de Oxigênio (DQO). Ambos os métodos estimam, de forma indireta, o teor de matéria orgânica através do consumo do oxigênio nas amostras, porém, na DBO, o tempo reacional é de aproximadamente 5 dias, enquanto que na DQO o resultado é obtido na hora. Outra vantagem do DQO é que, através dele, pode-se prever as diluições das amostras na análise de DBO.
Mostrar mais

24 Ler mais

SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO PARA GESTÃO DE ÁREAS VERDES DE DOMÍNIO PÚBLICO EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DE CORPOS HÍDRICOS URBANOS

SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO PARA GESTÃO DE ÁREAS VERDES DE DOMÍNIO PÚBLICO EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DE CORPOS HÍDRICOS URBANOS

Conforme proposto por Barros e Lehfeld (2007), quanto a sua finalidade a presente pesquisa pode ser definida como aplicada, pois visa alcançar resultados que contribuam para resolução de um problema pré-definido e, quanto à forma de estudo, pode ser classificada como descritiva, ao discutir as características de determinado fenômeno ou processo, neste caso, referente às funções que desempenham as APP ao longo de corpos hídricos urbanos, estabelecendo relações entre suas variáveis, isto é, dos fatores que regem tal desempenho, englobando pesquisa documental e bibliográfica.
Mostrar mais

128 Ler mais

A UTILIZAÇÃO DOS MÉTODOS DE MEDIÇÃO ACÚSTICO DOPPLER E FLUTUADOR COMO FERRAMENTA PARA MEDIÇÃO DE VAZÃO E VELOCIDADE EM CORPOS HÍDRICOS – NOTAS DE UMA EXPERIÊNCIA DE CAMPO

A UTILIZAÇÃO DOS MÉTODOS DE MEDIÇÃO ACÚSTICO DOPPLER E FLUTUADOR COMO FERRAMENTA PARA MEDIÇÃO DE VAZÃO E VELOCIDADE EM CORPOS HÍDRICOS – NOTAS DE UMA EXPERIÊNCIA DE CAMPO

O presente trabalho trata-se de uma visita de campo datada do dia 23 e 24 de setembro de 2017, realizada em dois locais, município de Manacapuru no balneário do Miriti na estrada Manoel Urbano e o outro no Sitio Girassol localizado no ramal Uga-Uga, Km 28 da rodovia AM-352 no município de Novo Airão. O trabalho de campo teve como objetivo realizar a medição de vazão e velocidade dos corpos hídricos (Balneário do Miriti e Igarapé Acajituba), abordados no estudo utilizando dois diferentes métodos de medição de vazão que são: Método Acústico Doppler e Método do flutuador, visando descrever os dois métodos e suas aplicações.
Mostrar mais

8 Ler mais

SISTEMA DE APOIO À GESTÃO DE ÁREAS VERDES NA PRESERVAÇÃO PERMANENTE DE CORPOS HÍDRICOS URBANOS.

SISTEMA DE APOIO À GESTÃO DE ÁREAS VERDES NA PRESERVAÇÃO PERMANENTE DE CORPOS HÍDRICOS URBANOS.

A conservação de áreas verdes urbanas está entre as principais estratégias para o alcance de cidades saudáveis e sustentáveis. Entretanto, a multiplicidade de critérios envolvidos requer uma análise integrada por meio de um procedimento lógico e estruturado. Portanto, este artigo tem como objetivo apresentar a proposta de um sistema de suporte à decisão para gestão de áreas verdes de domínio público em áreas de preservação permanente de corpos hídricos urbanos. Para o seu desenvolvimento foram adotadas as diretrizes do método de planejamento por cenários, mediante o qual foram analisados aspectos correlatos ao problema e encaminhamento de soluções. Os principais materiais utilizados corresponderam às obras da literatura técnica e a legislação aplicada, levantados através de termos de busca junto aos acervos bibliográficos e bancos normativos. A partir da análise destes materiais foram estudadas as efetivas funções das referidas áreas de preservação permanente e os fatores intervenientes ao seu desempenho e proteção. Como resultado, obteve-se um modelo estruturado em chaves de decisão para seleção de alternativas locacionais e de sua aptidão espaço-funcional.
Mostrar mais

13 Ler mais

Estudo do impacto da variação dos parâmetros no cálculo final do índice de qualidade da água (IQA) como critério de classificação dos corpos hídricos superficiais

Estudo do impacto da variação dos parâmetros no cálculo final do índice de qualidade da água (IQA) como critério de classificação dos corpos hídricos superficiais

Benvenuti et al. (2013) afirmam que o monitoramento de corpos hídricos proporciona informações importantes para o gerenciamento da bacia hidrográfica, e com isso, permite o diagnóstico e previsões de cenários com o objetivo de promover o desenvolvimento sustentável da região. O monitoramento efetivo envolve análises químicas, físicas e bacteriológicas, que permitem diagnosticar a qualidade da água em cada ponto avaliado. O uso de indicadores de qualidade de água consiste no emprego de variáveis que se correlacionam com as alterações ocorridas na microbacia, sejam estas de origens antrópica ou natural. Cada sistema lótico possui características próprias, o que torna difícil estabelecer uma única variável como um indicador padrão para qualquer sistema hídrico.
Mostrar mais

122 Ler mais

PROTEÇÃO DAS ÁGUAS: BREVE ANÁLISE SOBRE O LANÇAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS NOS CORPOS HÍDRICOS

PROTEÇÃO DAS ÁGUAS: BREVE ANÁLISE SOBRE O LANÇAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS NOS CORPOS HÍDRICOS

A água é imprescindível na vida das pessoas, não sendo distribuída uniformemente no Planeta. Usos da água como o lançamento de esgotos domésticos carreando fezes e outros poluentes, podem estar contribuindo para que as águas se tornem impróprias para consumo e prejudiciais aos ecossistemas e à saúde. A lei protege as águas e não autoriza a poluição, mas as comunidades ainda não estão efetivamente envolvidas na proteção dela. O mercado dispõe de tecnologias capazes de diminuir impactos do lançamento de esgotos domésticos. Resta ao cidadão querer não poluir as águas e atuar efetivamente na proteção delas, instalando simplificados sistemas de tratamento de esgotos em residências e em casas comerciais, somando forças com os governos que, em atenção ao ordenamento jurídico de proteção das águas, buscam conter a poluição hídrica. Para esta pesquisa foram selecionados documentos informativos, artigos científicos e normas jurídicas disponíveis em sites oficiais das Casas Legislativas federal e estadual (Minas Gerais), para subsidiar breve análise sobre o lançamento de esgotos domésticos nos corpos hídricos, analisando, também, as atribuições do Estado e da sociedade civil na proteção das águas, objetivando contribuir para a reflexão e para a conscientização das pessoas sobre o papel dos governos e do cidadão na proteção dos recursos hídricos.
Mostrar mais

103 Ler mais

Proposta de um índice para avaliação de conformidade da qualidade dos corpos hídricos...

Proposta de um índice para avaliação de conformidade da qualidade dos corpos hídricos...

O Brasil é um dos países mais ricos em água doce, mas também repleto de problemas relacionados à qualidade de suas águas, prejudicando a disponibilidade necessária para os seus múltiplos usos. O quadro de degradação da qualidade dos corpos hídricos brasileiros gerou a necessidade do estabelecimento de medidas que assegurassem a sustentabilidade destes usos e o enquadramento é considerado uma das ferramentas estratégicas para esta garantia, porque por meio desta é possível o estabelecimento de metas de qualidade da água, as quais devem ser alcançadas ou mantidas no corpo hídrico ao longo do tempo. A Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei n. 9.433/1997) define o enquadramento como um de seus instrumentos para a gestão integrada da qualidade e quantidade da água e a Resolução CONAMA n.357/2005 classifica os corpos hídricos brasileiros segundo os seus usos preponderantes e define padrões de qualidade que devem ser obedecidos para a garantia da sustentabilidade hídrica. O acompanhamento da situação de enquadramento precisa ser encarado como uma atividade essencial para o planejamento de uma bacia hidrográfica e para auxiliar os gestores de recursos hídricos nos processos decisórios. Este trabalho apresenta o estudo de um índice capaz de informar de forma clara e objetiva a situação do corpo hídrico em relação à meta de qualidade da água proposta. O índice está baseado no IQA desenvolvido pelo Canadian Council of Ministers of the Environmental no Canadá, é um método fundamentado na excedência de padrões de qualidade da água previamente definidos, apropriado para o caso brasileiro, pois permite além da avaliação, a inclusão de novas variáveis e padrões de qualidade da água para os diversos usos hídricos. Os resultados obtidos são capazes de mostrar o comportamento dos rios estudados ao longo do tempo em relação a sua condição hídrica, permitindo a localização dos pontos da bacia que precisam de medidas para atender aos padrões estabelecidos pela Resolução CONAMA n.357.
Mostrar mais

224 Ler mais

Contaminação por herbicidas em corpos hídricos da microbacia do Córrego Rico (SP) e aspectos toxicológicos de atrazine a juvenis de Piaractus mesopotamicus

Contaminação por herbicidas em corpos hídricos da microbacia do Córrego Rico (SP) e aspectos toxicológicos de atrazine a juvenis de Piaractus mesopotamicus

Na avaliação da detecção de herbicidas, utilizados em cana-de-açúcar, verificou-se que 87,6% das amostras de água da microbacia hidrográfica do Córrego Rico possuem pelo [r]

96 Ler mais

Avaliação do processo de biocorrosão de ligas metálicas em diferentes corpos hídricos

Avaliação do processo de biocorrosão de ligas metálicas em diferentes corpos hídricos

Biocorrosão é uma palavra utilizada para expressar a participação de diferentes tipos de micro- organismos nos fenômenos de corrosão, podendo ocorrer em aerobiose e/ou anaerobiose. Vários micro-organismos produzem metabólitos que influenciam no processo de corrosão, interferindo em diversas atividades industriais, suas instalações e equipamentos. O presente trabalho teve como objetivo analisar a contaminação de ligas de aço carbono por micro- organismos responsáveis pela biocorrosão expostos à água potável estéril e água da Laguna dos Patos na cidade de Pelotas, RS. As amostras (cupons ou corpos de prova) foram submersas nas amostras de águas em biorreatores estáticos durante 42 dias. Foram pesquisados micro- organismos como bactérias produtoras de ácidos e bactérias heterotróficas totais, sendo estas incubadas tanto em meios aeróbios quanto em meios anaeróbios, além da contagem de fungos. Constatou-se que o tempo de exposição dos corpos de prova foi a variável de maior importância (p<0,05) no crescimento microbiano, independente do metabolismo (aeróbio ou anaeróbio) ou grupo de micro-organismo.
Mostrar mais

9 Ler mais

Controle do processo da transferência de oxigênio em corpos hídricos

Controle do processo da transferência de oxigênio em corpos hídricos

A inter-relação entre uso da água e qualidade para ela requerida, é direta. Pode-se considerar que o uso mais nobre da água seja representado pelo abastecimento de água doméstico, o qual requer a satisfação de diversos critérios e padrões de qualidade. De forma oposta, pode-se considerar que o uso menos nobre seja a simples diluição de despejos, uma vez que a água não precisa satisfazer requisito algum de qualidade para este fim. No entanto, VON SPERLING (2003) lembra que os diversos corpos de água devem atender a usos múltiplos, conforme a classe a qual pertencem, decorrendo daí a necessidade da satisfação simultânea de diversos critérios de qualidade. Por exemplo, um rio utilizado apenas para diluição de despejos industriais e domésticos de uma cidade, pode ser utilizado por outra para abastecimento público.
Mostrar mais

97 Ler mais

Processos erosivos urbanos e a qualidade dos corpos hídricos em Buriticupu, Maranhão

Processos erosivos urbanos e a qualidade dos corpos hídricos em Buriticupu, Maranhão

La erosión del suelo y la polución hídrica son serios problemas ambientales deben ser objeto de preocupación de la sociedad en general. En las áreas propensas a esos sucesos, como en el caso de Buriticupu-MA, se necesita controlar los factores sociales para que los daños originados de ellos sean reducidos. El objetivo de este artículo fue el de analizar la dinámica de los procesos erosivos de la ciudad señalada y el consecuente acarreo de sedimentos para los cuerpos hídricos. Se ha utilizado como abordaje metodológica la Teoría Geosistémica, adoptándose la investigación bibliográfica, la delimitación y caracterización del área de estudio, el mapeo de los principales canales, la realización de visitas técnicas con entrevistas informales con los habitantes, recolectas y muestras de suelos, registros fotográficos como procedimientos. Se ha constatado que la ciudad está asentada sobre suelos de alta erodibilidad originada de los elevados niveles de silte y arena en su composición granulométrica y los bajos niveles de Al que dificultan la formación de estructura en los suelos, relieve ondulado y con promedios pluviométricos anuales por encima de 2000 mm, constituyendo factores naturales determinantes en la instabilidad del área. La ocupación desordenada y las deficiencias de infraestructura son catalizadores de los procesos erosivos, teniendo en cuenta que permiten su rápida intensificación. Los cuerpos hídricos presentan tramos que ya están eutrofizados, están soterrados por sedimentos y/o que ya no poseen agua corriente, dada la presencia abundante de sedimentos y colonización por vegetación típica de ambiente eutrofizado.
Mostrar mais

13 Ler mais

Classificação dos a afluentes Ribeirão do Esmeril, Ribeirão do Ouro, Ribeirão Fumal e Ribeirão Grande inseridos no reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes (MG), situado na bacia hidrográfica do médio Rio Grande

Classificação dos a afluentes Ribeirão do Esmeril, Ribeirão do Ouro, Ribeirão Fumal e Ribeirão Grande inseridos no reservatório da UHE Marechal Mascarenhas de Moraes (MG), situado na bacia hidrográfica do médio Rio Grande

de Classe 4. Os resultados obtidos para o índice BMWP, através de análises de composição e diversidade de macroinvertebrados bentônicos classificam os corpos hídricos dos afluentes Ribeirão do Esmeril (Nascente), Ribeirão Grande (Foz) e Ribeirão Fumal (Nascente e Foz) como possuindo qualidade “muito poluída” e os afluentes Ribeirão do Esmeril (Foz), Ribeirão Grande (Nascente) e Ribeirão do Ouro (Nascente e Foz) como “fortemente poluída”. Pôde-se obter uma boa classificação da maioria dos afluentes para os parâmetros físicos, químicos e bacterio- lógicos, com exceção do Ribeirão Fumal. A classificação através do índice biológico demonstrou ser um fator limitante, levando os afluentes em maior e menor grau para um estado de qualidade poluído. Por ser esta uma classificação baseada nos resultados das amostras de uma pri- meira coleta, os parâmetros obtidos ainda não são relevantes para a classificação de um corpo hídrico, sendo necessária, para confirmação, a realização de seis coletas, segundo a legislação vigente.
Mostrar mais

8 Ler mais

Monitoring and modeling of water quality in a semiarid watershed

Monitoring and modeling of water quality in a semiarid watershed

O artigo teve como objetivo apresentar uma metodologia para caracterização da qualidade de água na Bacia Hidrográfica do Açude Acarape do Meio, no semiárido brasileiro. O mapeamento do uso do solo e o monitoramento de parâmetros de qualidade de água possibilitaram a identificação de fontes poluidoras e a construção do diagnóstico da bacia. A partir da modelagem da qualidade de água, 37 km do Rio Pacoti foram classificados como classe 4, exceto sua nascente, que ficou na classe 2. As principais fontes poluidoras para a degradação dos corpos hídricos foram as deficitárias Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs), a falta de saneamento básico na zona rural, a pecuária e a atividade agrícola. O modelo QUAL-UFMG estimou a carga de entrada de fósforo no açude em 13,7 ton.ano -1 para uma concentração de 0,56 mg.L -1 e vazão média em
Mostrar mais

11 Ler mais

Variabilidade genética e sensibilidade de acessos de Pistia stratiotes ao herbicida glyphosate.

Variabilidade genética e sensibilidade de acessos de Pistia stratiotes ao herbicida glyphosate.

Plantas de alface-d’água foram coletadas em oito incursões em corpos hídricos dos Esta- dos de São Paulo (Americana, Cambaratiba, Itapura, Jaboticabal, Rio Grande, Rubinéia, Sal- to Grande e Santa Gertrudes), Paraná (Curiti- ba), Goiás (Lagoa Santa), Mato Grosso do Sul (Três Lagoas) e Rio de Janeiro (Piraí), perfazen- do uma coleta total de 12 acessos. Todos os pontos foram georreferenciados por meio de um aparelho GPS Garmin 12S (Tabela 1). Após a coleta, as plantas foram transportadas para área experimental do Núcleo de Estudos e Pes- quisas Ambientais em Matologia (Nepeam) da Faculdade de Ciências Agrárias e Veteri ná- rias, UNESP, campus de Jaboticabal-SP.
Mostrar mais

9 Ler mais

GESTÃO ÁGUAS PLUVIAIS URBANAS: POTENCIALIDADES DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS PARA O FIRST FLUSH

GESTÃO ÁGUAS PLUVIAIS URBANAS: POTENCIALIDADES DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS PARA O FIRST FLUSH

Sendo assim, este trabalho justifica-se pela necessidade de estudar alternativas para disposição e tratamento do first flush, já que este apresenta um potencial poluidor para os corpos hídricos e um problema para a gestão das águas pluviais urbanas, o que gera impactos negativos para a qualidade de vida da sociedade. Portanto, é necessário conhecer as técnicas de reservação, tratamento e disposição destas águas, visando à diminuição de seus potenciais impactos poluidores.

17 Ler mais

Show all 2282 documents...

temas relacionados