Desenvolvimento de coleções

Top PDF Desenvolvimento de coleções:

BIBLIOTECAS VIRTUAIS E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES: o caso dos repertórios de sites Web

BIBLIOTECAS VIRTUAIS E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES: o caso dos repertórios de sites Web

A maior parte das listas de critérios de avaliação levam em conta os critérios clássicos utilizados para a seleção dos documentos tradicionais e os adaptam aos documentos eletrônicos e aos sites Web (LAJEUNESSE e TABAH, 1998 p. 42; NOËL, 2001, p.100). Critérios como a qualidade da editora e o renome do autor podem facilmente ser transportados aos sites Web, baseando-se no responsável e no autor do site. Evidentemente, os critérios são fixados em função dos objetivos definidos pela política de desenvolvimento de coleções eletrônicas: responder à missão da biblioteca, às necessidades da clientela, etc. Neste sentido, o bibliotecário encarregado do desenvolvimento de uma coleção eletrônica deverá consultar rigorosamente a política de desenvolvimento de coleções de sua biblioteca, de modo à bem identificar a fragilidade da coleção e assim selecionar os recursos eletrônicos que poderão preencher, dentro de um certo limite, as lacunas da coleção física.
Mostrar mais

16 Ler mais

Sistema de informação gerencial para desenvolvimento de coleções

Sistema de informação gerencial para desenvolvimento de coleções

Sob a abordagem sistémica, o todo é maior do que a soma das partes que o constituem, o que significa dizer que a co- leta e o uso dos dados em conjunto, con- siderando suas interrelações, possui uma propriedade emergente bem mais produti- va do que sua utilização isolada. Caso as bibliotecas coletem dados e estatísticas relativos apenas à parte desses elemen- tos, elas não disporão das informações necessárias e relevantes para tomar deci- sões, comprometendo a eficiência e a efi- cácia do objetivo de desenvolvimento de coleções.

9 Ler mais

Desenvolvimento de coleções: origem dos fundamentos contemporâneos.

Desenvolvimento de coleções: origem dos fundamentos contemporâneos.

Este estudo faz parte das pesquisas que vêm sendo realizadas desde 2007 (Weitzel, 2009), as quais possibi- litaram mapear autores do século XIX que trataram do assunto denominado hoje “Desenvolvimento de Cole- ções”, a partir do acervo que apoiou a formação de bi- bliotecários no curso da Biblioteca Nacional. Partiu-se do pressuposto de que as obras da área presentes naquele acervo poderiam ter sido a base teórica mais represen- tativa da época sobre o tema. As coleções, conforme visto, estão desde 1980 na Biblioteca da UNIRIO e fazem parte do setor de Obras Raras da Biblioteca Central. O trabalho de Fonseca (1991) auxiliou na seleção das obras, uma vez que apresenta uma lista dessa coleção. Todos os autores são europeus e muitos são bibliófilos: Peignot (1823), Namur (1834), Hesse (1841), Rouveyre (1878), Richard (1883), Gräsel (1893), Petzholdt (1894) e Maire (1896). As edições das obras europeias citadas nem sempre são as primeiras edições. A obra consultada de Gräsel, por exem- plo, foi a edição italiana (1893) e francesa (1897). A primeira edição original não foi identificada até o presente mo- mento. A leitura dos oito textos selecionados foi orientada pelas três categorias de análise apresentadas acima (desenvolvimento de coleções, seleção e aquisição), pos- sibilitando apresentar os fundamentos estabelecidos por esses autores sob a forma de revisão de literatura.
Mostrar mais

12 Ler mais

Estudo da utilização das mídias sociais no desenvolvimento de coleções de moda

Estudo da utilização das mídias sociais no desenvolvimento de coleções de moda

Ao analisar o macroambiente no setor de moda, pode-se situar esta indústria em um cenário econômico de competição e de eliminação de fronteiras. Em razão da existência de um grande número de empresas de moda e ao intenso trabalho da mídia, o consumidor está em contato com diversas opções de produtos, preços e facilidades, tornando-se cada vez mais desafiador para uma empresa se destacar nesse mercado. O setor de moda tem como característica a necessidade de renovação e, portanto, o contínuo e cíclico desenvolvimento de produtos. Esta particularidade tem como consequência uma grande influência sobre a gestão, produção, logística e atratividade dos artigos no mercado, que, aliadas à obsolescência, intimamente ligadas às estações do ano, estabelecem para esses produtos um ciclo de vida relativamente curto. Os meios de comunicação tornam-se mecanismos fundamentais para a disseminação da moda, que se revela, na maior parte das vezes, em uma trajetória de uma única via, onde as informações são simplesmente transmitidas ou ditadas. Das transformações no cenário da tecnologia digital da comunicação, emergem novas formas de interação, as mídias sociais. Estas novas tecnologias têm tornado viável uma comunicação contínua entre pessoas e empresas por meio da Internet, que ao valorizar a interação, possibilita que grupos com objetivos comuns se encontrem e possam compartir suas visões e objetivos. Neste contexto, surge um novo modelo de participação colaborativa que pode vir a ser uma ferramenta útil às empresas no desenvolvimento de coleções de moda. Este modelo permitiria, através da comunicação de via dupla, a utilização de opiniões e feedbacks de seus consumidores-alvo para estreitar relações e aperfeiçoar estratégias de segmentação e posicionamento. Pretende-se com o presente trabalho elaborar um estudo sobre a utilização das mídias sociais nas etapas do processo de desenvolvimento de coleções de moda em três diferentes segmentos: a moda exclusiva, o varejo tradicional de moda e o fastfashion. Os resultados demonstraram que as empresas com características mais inovadoras utilizam as mídias sociais com a finalidade de aumentar a visibilidade e o alcance de suas marcas e produtos, apropriando-se de seu potencial de comunicação. Enquanto as que oferecem peças com maior apelo comercial e grande grau de aceitação procuram utiliza-las também com foco na interação, a fim de identificar os desejos vigentes dos consumidores e tentar inseri-los em suas coleções.
Mostrar mais

143 Ler mais

Biblionline, João Pessoa, v. 12, n. 2, p. 141 - 155, 2016 DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES NO SISTEMA DE BIBLIOTECA DA UFES: COMPARATIVO ENTRE OS MODELOS TEÓRICOS DE EVANS E BAUGHMAN E PROPOSTA DE ADEQUAÇÃO AO MODELO DE EVANS

Biblionline, João Pessoa, v. 12, n. 2, p. 141 - 155, 2016 DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES NO SISTEMA DE BIBLIOTECA DA UFES: COMPARATIVO ENTRE OS MODELOS TEÓRICOS DE EVANS E BAUGHMAN E PROPOSTA DE ADEQUAÇÃO AO MODELO DE EVANS

As Bibliotecas Universitárias (BUs) constituem unidades de informação, cujo objetivo principal é fornecer materiais informacionais aos diversificados atores que compõem o espaço universitário. No entanto, formar e desenvolver coleções nessas unidades de informação pode representar uma missão instigante e desafiadora. Isso porque, as coleções que formam os acervos das BUs não são estáticas, devendo estar em constante crescimento no intento de atender as propostas pedagógicas da universidade, viabilizando o trabalho de ensino, pesquisa e extensão. Considerando as complexidades existentes no processo de formação e desenvolvimento de coleções, este estudo objetiva comparar as atividades realizadas em prol da formação e desenvolvimento de coleções do SIB/UFES, de acordo com os modelos teóricos de Evans e Baughman, propondo alternativas de melhoria conforme a proposta dos modelos, com vistas a garantir a adequação das coleções às exigências e necessidades dos usuários da coleção. Para tanto, através de pesquisa bibliográfica, documental e diagnóstico, propõe-se uma reflexão teórica acerca do desenvolvimento de coleções e sua relação com o SIB/UFES. Apresenta as características centrais dos modelos teóricos de Evans e Baughman. Compara as características desses modelos com a realidade do SIB/UFES. Por fim, os resultados confirmaram haver necessidade de adequação ao modelo holístico, consolidando uma gestão sistêmica, bem como a construção de uma política de desenvolvimento de coleções, objetivando fundamentar e nortear todas as ações em prol da constante adequação da coleção às necessidades demandadas pela comunidade universitária.
Mostrar mais

15 Ler mais

Desenvolvimento de coleções de fontes de informação eletrônica em bibliotecas universárias

Desenvolvimento de coleções de fontes de informação eletrônica em bibliotecas universárias

Portanto, trata-se de elaborar estratégias relacionadas ao estudo de usuários promovendo mapeamento de necessidade de informação bem como estudando-se o fluxo de acesso aos documentos presentes nos diversos suportes eletrônicos. Todos estes elementos serão necessários para se prever a relação do usuário com a informação, a fim de se fazer um planejamento mais adequado neste sentido. A este respeito, Leroux pondera (2007), evidenciando que o desafio ora expresso o de desenvolver uma coleção pertinente e útil para uma comunidade de usuários em um contexto onde a escolha documentária é consideravelmente importante, embora os recursos financeiros, humanos e tecnológicos sejam limitados. Em último lugar, torna-se necessário um planejamento especifico na área de desenvolvimento de coleções de documentos digitais. Para isso, devem ser aplicadas as regras presentes na área de desenvolvimento de coleções, mas apropriando-se aos meios digitais.
Mostrar mais

14 Ler mais

A CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES: O gerenciamento dos bibliotecários na política de acervo na unama

A CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES: O gerenciamento dos bibliotecários na política de acervo na unama

A política de desenvolvimento de coleções é essencial para o desenvolvimento de forma harmoniosa do acervo de qualquer biblioteca. A pesquisa tem como principal objetivo abordar a importância do processo para viabilização da implantação de políticas de desenvolvimento de coleções às bibliotecas. Enfatizando os principais pontos a evolução das políticas de desenvolvimento na historia da sociedade. O percurso metodológico adotado valeu-se de uma abordagem teórica através de levantamento bibliográfico impresso e eletrônico. Diversas idéias de autores são abordadas para um melhor atendimento acerca do assunto, tais quais Guedes (2007), Vergueiro (1989). Será exposto e analisado ainda um breve exemplo pratico sobre uma pesquisa de campo das quatro unidades no sistema de bibliotecas da Unama (Universidade da Amazônia) abordando sobre a realização do processo de política de desenvolvimento de coleções nos acervos, enfatizando suas estruturas, vantagens e desvantagens. Como conclusão é ressaltada a importância da implantação da política de desenvolvimento de coleções nos acervos nos sistema de bibliotecas da Unama, e das demais bibliotecas, já que hoje a construção de políticas de desenvolvimento se tornou uma ferramenta indispensável para flexibilização de um acervo, já que a mesma se constitui pela tomada de decisão, orientando o processo decisório e ainda por ser um meio de definir critérios em relação à seleção a atualização do acervo, realizando dessa forma a melhor busca de informação para o usuário.
Mostrar mais

16 Ler mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PARA DOCUMENTOS ELETRÔNICOS: TENDÊNCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES PARA DOCUMENTOS ELETRÔNICOS: TENDÊNCIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Na Universidade da Carolina Norte (UNC), em Chapel Hill, o bibliógrafo ocidental europeu John Rutledge (1998) afirmou que o desenvolvimento de coleções está sendo redefinido institucionalmente e em níveis internacionais. Atualmente, é imprescindível informar-se cada vez mais sobre diversos assuntos e fatores, como espaço de servidor, sistemas operacionais, contratos, entre outros. Rutledge (1998) enfatizou que usa critérios de seleção - como qualidade e relevância - de livro impresso para recursos eletrônicos. Afirmou que também aplica critérios adicionais nesta atividade, como o software, por exemplo. (NISONGER, 1998, tradução nossa).
Mostrar mais

15 Ler mais

O PROCESSO DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

O PROCESSO DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES DA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

O desenvolvimento de coleções é um processo que não acontece de forma aleatória, ele ocorre através de seis etapas interdependentes. Elas estão divididas em: Estudo da comunidade, Política de Desenvolvimento de Coleções, Seleção, Aquisição, Desbastamento e Avaliação. São etapas que ocorrem nas atividades rotineiras das bibliotecas, mesmo não acontecendo da mesma forma em todas elas, geralmente está sobre a direção do bibliotecário, onde é o único que possui os conhecimentos de todo o processo do desenvolvimento de coleções em bibliotecas..
Mostrar mais

15 Ler mais

Bases para a implementação de uma política de desenvolvimento de coleções numa biblioteca universitária

Bases para a implementação de uma política de desenvolvimento de coleções numa biblioteca universitária

Se considerarmos a falta de um documento orientador de boas práticas como um problema para a gestão de uma biblioteca, então podemos considerar que a sua solução passa pela existência de políticas documentais como garantia de uniformização da gestão da coleção, isto é, políticas que visem padronizar critérios e procedimentos e hierarquizar prioridades na gestão dos recursos e serviços prestados, contribuindo para o desenvolvimento de uma coleção de qualidade e que responda de forma eficaz às necessidades dos utilizadores, reais e potenciais. Neste contexto, ao elaborar este projeto tivemos como objetivo principal criar mecanismos para tomada de decisões coerentes e concisas relativamente à coleção e assegurar que ela está a ser desenvolvida de forma equilibrada. Pretendemos também estabelecer e cumprir práticas e rotinas no serviço desenvolvido, de modo a assegurar que a coleção está a ser tratada, divulgada e promovida de forma adequada. Assim, será proposto para este trabalho de projeto, a elaboração de um documento escrito que responda ao problema de partida: “criação de uma Política de Desenvolvimento de Coleções, como forma de solucionar o problema do desenvolvimento da coleção da BFMV, no sentido de manter a coleção atualizada e adequada às necessidades dos utilizadores”.
Mostrar mais

156 Ler mais

Desenvolvimento de coleções: uma nova visão para o planejamento de recursos informacionais

Desenvolvimento de coleções: uma nova visão para o planejamento de recursos informacionais

O desenvolvimento de coleções continua em constante evolução. Aos poucos, em seu interior, começam a surgir outras es- pecialidades, demonstrando ter a área atingido um grau de amadurecimento con- siderável para os poucos anos em que está constituída, Da mesma forma, vê-se proliferar cada vez mais a convicção da necessidade de encarar as coleções e seu desenvolvimento como um fator importante da administração dos serviços de informa- ção. Existem, neste campo, variadas ra- zões para otimismo. Embora muito ainda exista a ser feito, tem-se nitidamente a consciência de que o momento atualmente vivido não é de paralisação, mas de evolu- ção. O melhor dessa evolução é que ela não parece restringir-se apenas aos paí- ses mais desenvolvidos, onde as van- guardas tecnológicas se localizam, mas atinge também países periféricos como o Brasil, que, mesma em ritmo mais lento, passam a usufruir seus benefícios e, desta forma, capacitam-se a enfrentar os desa- fios que virão com a virada do século.
Mostrar mais

9 Ler mais

FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES EM BIBLIOTECAS ESPECIALIZADAS

FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES EM BIBLIOTECAS ESPECIALIZADAS

R ESUMO Apresenta uma proposta de formação e desenvolvimento das coleções para bibliotecas especializadas, servindo de base para o planejamento das diretrizes e facilitando o crescimento racional e equilibrado do acervo. Propõe critérios de qualidade para os processos de seleção, aquisição e avaliação das informações. Destaca a velocidade com que a informação é renovada e o correspondente reflexo desse fato na atualização dos acervos. Conclui, sugerindo a elaboração de uma política de desenvolvimento de coleções que funcionará como parâmetro para auxiliar o bibliotecário na tomada de decisões, tanto em relação ao processo de seleção e aquisição do material a ser incorporado ao acervo, como na manutenção da qualidade e atualização das coleções.
Mostrar mais

8 Ler mais

TABELA COMPLEMENTAR: Artigos sobre formação e desenvolvimento de coleções (1998-2008,

TABELA COMPLEMENTAR: Artigos sobre formação e desenvolvimento de coleções (1998-2008,

- Collection development and diversity on CIC academic library web sites - Collection development in an unstable economy: a case study of the University of Lagos Library.. - Faculty o[r]

7 Ler mais

COOPERAÇÃOCOMPARTILHAMENTO DE RECURSOS INFORMACIONAIS: desvendando eixos mobilizadores do desenvolvimento das coleções

COOPERAÇÃOCOMPARTILHAMENTO DE RECURSOS INFORMACIONAIS: desvendando eixos mobilizadores do desenvolvimento das coleções

A Seção de Intercâmbio surgiu em 1976 e faz parte da Divisão de Desenvolvimento de Coleções da Biblioteca Central (BC) da UFPB, responsável pela aquisição de todo material proveniente de doação e permuta.Localiza-se no andar térreo da biblioteca, funcionando, das 07:30 às 17:30h. O seu quadro funcional é composto atualmente por 2 (dois) funcionários, ambos com nível de instrução superior. A implementação da Seção de Intercâmbio surgiu da necessidade de proporcionar o desenvolvimento das coleções, através de doação e permuta, e gerar um espaço aberto e interativo, para pessoas e instituições interessadas em doar material informacional. Essa missão consiste, sobretudo, em fazer parcerias com pessoas, instituições, públicas e privadas, e editoras, buscando manter o intercâmbio de recursos informacionais com os interessados.
Mostrar mais

11 Ler mais

um panorama da mudança terminológica no Brasil :: Brapci ::

um panorama da mudança terminológica no Brasil :: Brapci ::

Surge então uma nova proposta de diretrizes curriculares do Ministério da Educação e Cultura (MEC) como fruto de todas as discussões entre profissionais e formadores da área nos últimos anos da década de 1990. Na proposta, apresentada por Valentim (2000, p.16), o termo utilizado para os estudos sobre coleção foi então reduzido para “Normas para Desenvolvimento de Coleções” e incluído na área Recursos e Serviços de Informação. Contudo, prevaleceu a designação do nome Formação e Desenvolvimento de Coleções, utilizada tanto pelas escolas de Biblioteconomia, quanto na literatura específica da área.
Mostrar mais

13 Ler mais

Criação da cadeia de suprimentos para e-books   Supply chain for creation e-books

Criação da cadeia de suprimentos para e-books Supply chain for creation e-books

A cadeia de suprimentos forma uma integração dos negócios através de fornecedores originais que abastecem produtos, serviços e informações e que agregam valor para os clientes e outras partes interessadas. Nas bibliotecas percebe-se a questão ligada ao processo de aquisição de acervos físicos, eletrônicos e/ou virtuais, de forma isolada ou compartilhada. Nela, uma ou várias instituições realizam a compra de materiais bibliográficos, buscando a redução dos custos e a flexibilização dos processos. Nesse contexto, verifica-se que o uso da gestão da cadeia de suprimentos em conjunto com o desenvolvimento de coleções possa ser desenvolvida e aplicada nas bibliotecas universitárias brasileiras através da criação de uma política pautada nos interesses de todos os integrantes da cadeia.
Mostrar mais

12 Ler mais

: Brapci ::

: Brapci ::

A constituição e gestão do acervo nas bibliotecas jurídicas no Brasil, nomeadamente a importância da elaboração de uma política de desenvolvimento de coleções, é o tema do estudo de Miranda, que incide sobre um aspeto particularmente focado neste tipo de bibliotecas especializadas.

2 Ler mais

A Constituição de coleções especializadas em artes cênicas: do imaterial ao docu...

A Constituição de coleções especializadas em artes cênicas: do imaterial ao docu...

Do mesmo modo, o Département des Arts du Spectacles de la Bibliothèque National de France 15 , em Paris, se propõe a consagrar o patrimônio documental das artes cênicas do país. A coleção se subdivide de acordo com as especialidades das seguintes linguagens cênicas: teatro, ópera, dança e balé, mímica, marionetes, circo, espetáculos de rua, teatro musical e festas. Além da aquisição de fundos privados de artistas, a instituição adquire, cataloga e preserva artefatos de cena. Embora não tenha a encenação como foco, de forma a cobrir esse processo em sua totalidade, a coleção abrange todos os tipos de documentos previstos nas categorias da Tipologia Documental para Desenvolvimento de Coleções Especializadas em Artes Cênicas. Diferentemente dos museus, não se propõe a realizar exposições com os documentos da coleção e não tem como objetivo a produção de registros sistemáticos. Trata-se de um acervo organizado essencialmente para a pesquisa.
Mostrar mais

174 Ler mais

proposta para biblioteca escolar de acordo com a pedagogia Waldorf :: Brapci ::

proposta para biblioteca escolar de acordo com a pedagogia Waldorf :: Brapci ::

Resumo: Apresenta o relato de experiência realizado no ano de 2008 com propósito de conhecer o acervo da Biblioteca da Escola Waldorf Anabá de Florianópolis-SC. Trata do tema desenvolvimento de coleções sob o prisma da Biblioteca Escolar e insere a pedagogia Waldorf neste contexto. Descreve as políticas e culturas desta instituição, principalmente com relação ao ensino-aprendizagem. Caracteriza a situação do acervo por meio de visita in loco bem como entrevista semi-estruturada. Apresenta sugestões de incorporação de novos títulos ao acervo. Identifica o bibliotecário como um diferencial na gestão da Biblioteca Escolar.
Mostrar mais

18 Ler mais

Show all 10000 documents...