Professores de ensino primario -- Formacao profissional -- Rio de Janeiro

Top PDF Professores de ensino primario -- Formacao profissional -- Rio de Janeiro:

VANDERLEA BARRETO DO AMARAL OS LIMITES DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO REFORÇO ESCOLAR NAS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DA REGIONAL METROPOLITANA VII DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

VANDERLEA BARRETO DO AMARAL OS LIMITES DA IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO REFORÇO ESCOLAR NAS ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DA REGIONAL METROPOLITANA VII DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Oficina II: Estudará a adequação do material utilizado nas dinâmicas e sua adequação diante do grau de dificuldade dos discentes. Eles terão acesso ao relatório de desempenho dos alunos, de uma escola fictícia o que ajudaria bastante aos professores do Projeto a realizarem um trabalho mais eficiente com seus alunos. Tal relatório deve ser elaborado pela gestão pedagógica junto aos professores das turmas regulares das quais os estudantes fazem parte. Será aberto um espaço de aproximadamente uma hora com atividades que estimulem a reflexão sobre a prática docente. Nesse ponto, está o objetivo da formação continuada com vistas a não exigir dos dinamizadores que sejam apenas aplicadores de dinâmicas, mas que juntos possam pensar estratégias de trabalho para a promoção do aprendizado do aluno e para aprimorarem de forma consciente a sua prática cotidiana.
Mostrar mais

129 Ler mais

A GIDE NO CONTEXTO DE UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO REGULAR NOTURNO NO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS GESTORAS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A GIDE NO CONTEXTO DE UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO REGULAR NOTURNO NO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE DAS PRÁTICAS GESTORAS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

alunos que chegam à escola, mas que nela não permanecem. Esta pesquisa situacional deverá ocorrer através do controle diário de frequência mais efetivo das turmas pelos professores e também por meio da aplicação de questionário, trinta dias após o início das aulas para identificação das possíveis ou futuras causas para o abandono escolar. Se por ventura, nesse período de tempo, o aluno já tiver abandonado a escola, é necessário que ocorra uma comunicação com esse aluno que poderá acontecer, por exemplo: via contato telefônico ou solicitando o seu comparecimento através do apoio de amigos e vizinhos estudantes na escola para solicitar a presença do aluno na escola para um contato pessoal e desta forma saber as causas e verificar possíveis soluções para proporcionar o seu retorno. Esta responsabilidade deverá ser executada e compartilhada entre os professores, direção e o GTT.
Mostrar mais

123 Ler mais

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

SIMONE MARIA MELO DA SILVA PROCESSO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: CASO DA REGIONAL METROPOLITANA V

6 O projeto Conexão Educação é uma iniciativa da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro que tem como objetivo de aperfeiçoar processos, permitindo que diretores, professores e funcionários das unidades escolares tenham mais tempo disponível para a garantia de uma educação de melhor qualidade. A Resolução SEEDUC N. 4784 de 20 de março de 2012 atribui as responsabilidades pelas informações lançadas neste Sistema. O Conexão é justificado, pois a falta de manutenção adequada dos sistemas que conduz a erros, na medida em que superestima ou subestima as matrículas efetivadas, compromete a eficácia e a eficiência das informações que subsidiam o planejamento de ações, programas e projetos da Secretaria de Estado de Educação, dependentes de dados estatísticos confiáveis e precisos. Todas as informações referentes ao Censo Escolar, aquisição de material didático e escolar, programas de avaliação externa (SERJ) Congêneres pautam-se nos dados extraídos no sistema Conexão Educação. O armazenamento doa dados neste sistema torna lançamento dos registros de informações preciso, o que conduz ao correto dimensionamento das necessidades e alocação adequada de recursos públicos conforme as reais necessidades da rede escolar; Além disso, objetiva instrumentalizar a ação de controle, melhorando os mecanismos gerenciais da informação.
Mostrar mais

120 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

escolar, que traçam as mesmas de acordo com os problemas já detectados com os sinais amarelos e vermelhos do simulador do IFC/RS. Variáveis passíveis de tratamento, nos planos de ações: Pedagógico e Ambiental. (IGT, entrevista concedida, fev. 2013). O SAERJ foi destacado pela IGT como a ação que mais beneficiou o estado do Rio de Janeiro. Ela afirma que por ser uma avaliação que retrata o desempenho dos alunos, através de suas habilidades e competências, inseridas nos descritores dos ite ns da avaliação, “cabe aos professores despertar essas habilidades e competências, mediando à aprendizagem dos alunos” (IGT, em 02/2013). A IGT defende ainda que “ao final, os resultados da proficiência em Matemática e Língua Portuguesa do SAERJ auxiliam, segundo um parâmetro internacional, localizar o aluno em um determinado nível/ano de escolaridade”. Além disso, a IGT reconhece que essa avaliação tem como objetivo, também, a meritocracia, pois os alunos com os melhores resultados ganham um laptop, “Uma conquista para os bons professores que recebem a Remuneração Variável – RV”. A IGT trabalha com cinco escolas, dentre as quais, em 2011, três atingiram todas as metas e receberam a Remuneração Variável e duas não atingiram as metas no Ensino Fundamental I - EFI, não recebendo a RV.
Mostrar mais

103 Ler mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA AVALIAÇÃO EM PERSPECTIVA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA AVALIAÇÃO EM PERSPECTIVA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O CE Geraldino Silva realiza muitos projetos que envolvem professores, alunos, equipe pedagógica e direção. Um deles, o “Literarte”, foi desenvolvido com todas as turmas que representaram peças teatrais com os conteúdos do Currículo Mínimo. As apresentações foram filmadas e, após as férias, exibidas em um filme para os alunos. A professora responsável fala sobre o Literarte: “na verdade, eles foram os atores. Muitos nunca foram ao cinema, então nós fizemos o cinema aqui, com direito a pipoca e guaraná. Convidamos a comunidade e os pais gostaram muito! ”. Os professores acreditam que o envolvimento dos alunos, professores e direção foi fundamental para o maior desempenho e que as medidas implementadas pelo Programa de Educação nortearam as ações da escola. Os alunos concordam com os professores: “todos começaram a caminhar juntos. Quem falaria que essa escola do interior teria um dos índices mais altos do estado? Ninguém dava nada por ela. Foi essa mudança que melhorou nossos resultados ” concluiu o aluno do segundo ano do Ensino Médio.
Mostrar mais

92 Ler mais

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IDEB: O CASO DE SUCESSO DE UMA ESCOLA DO INTERIOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

desenvolvido a partir dos conteúdos, competências e habilidades propostos no Currículo Mínimo. As provas de Língua Portuguesa terão foco em leitura e as de Matemática, na solução de problemas. O Saerjinho será realizado em todas as escolas da rede, nos três turnos, no horário das aulas, sendo o professor que estiver em classe o responsável pela aplicação das provas. As escolas têm autonomia para decidir o melhor horário para a realização das avaliações e fiscais acompanharão todo o processo. As provas ficarão nas escolas para correção e os professores podem usá-las como parte das avaliações em cada bimestre, atribuindo peso específico a elas. Os resultados, que serão disponibilizados online, vão apontar a eficiência e a qualidade do trabalho desenvolvido em cada unidade escolar e serão aproveitados nas diversas instâncias do sistema de ensino. Com este retrato será possível fortalecer as práticas pedagógicas e realizar intervenções tanto de reforço na aprendizagem como de capacitação dos docentes. O Saerjinho é mais uma ação do Programa de Educação do Estado, que pretende melhorar a educação da rede e colocar o Rio de Janeiro em uma das cinco primeiras posições no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) até 2014. (RIO DE JANEIRO, 2011b) 2 .
Mostrar mais

101 Ler mais

MÔNICA FIGUEIREDO DE MORAES A INFLUÊNCIA DA INFRAESTRUTURA NO DESEMPENHO ESCOLAR: ESTUDO DE CASO DE TRÊS COLÉGIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

MÔNICA FIGUEIREDO DE MORAES A INFLUÊNCIA DA INFRAESTRUTURA NO DESEMPENHO ESCOLAR: ESTUDO DE CASO DE TRÊS COLÉGIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

O presente trabalho problematiza o modo como a esfera administrativa, especificamente em suas questões relacionadas à gestão da infraestrutura, pode influenciar o desempenho dos alunos. Para tanto, foram selecionados três colégios da Regional Serrana II, pertencentes à rede estadual de ensino do Estado do Rio de Janeiro, com o objetivo de identificar os possíveis problemas na infraestrutura escolar, em seus aspectos físico, material e humano e referenciar as ações que a Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC/RJ)podeagregar às suaspráticas administrativas escolares para oferecer condições mais adequadas ao melhor desempenho educacional. Com este objetivo, descreveu-se e analisou-se a dimensão da gestão da SEEDUC/RJ, e, mais detalhadamente a Regional Serrana II, discorrendo sobre a infraestrutura e desempenho educacional das três unidades escolares selecionadas para análise.Além disso, traçou-se o perfil das comunidades escolares em que estão inseridasestes colégios, com o intuito de diagnosticar o grau de conhecimento, envolvimento e apropriação da gestão de cada unidade escolar. Posteriormente, definiu-se como campo de estudo, três unidades de ensino com a mesma classificação utilizada pela SEEDUC/RJ, no que diz respeito a quantidade de alunos e estabeleceu-se como critério, colégios sediados em municípios diferentes, para comparar o desempenho de cada unidade escolar nas avaliações IDEB e IDERJ com a infraestrutura disponível. A metodologia utilizada foi a pesquisa de campo associada à aplicação de cem questionários entre os gestores, professores, alunos e profissionais terceirizados. Para embasar a pesquisa amparou-se nos instrumentos legais que garantem a educação de qualidade como direito fundamental para proteger a dignidade do indivíduo, tal como a LBD 9394/96, bem como o Parecer CNENo. 08/2009
Mostrar mais

137 Ler mais

SILVANA MARIA CAIXÊTA A FORMAÇÃO DE GESTORES DE ESCOLA E O DESENVOLVIMENTO DO PERFIL DA GESTÃO PEDAGÓGICA: O CASO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UNAÍMG

SILVANA MARIA CAIXÊTA A FORMAÇÃO DE GESTORES DE ESCOLA E O DESENVOLVIMENTO DO PERFIL DA GESTÃO PEDAGÓGICA: O CASO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UNAÍMG

Esta dissertação objetiva investigar de que forma o Progestão contribui para o desenvolvimento do perfil dos gestores a partir da formação oferecida pela Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais, além de verificar as possíveis lacunas frente às exigências de um modelo de gestão pedagógica estratégica. O interesse pelo universo da gestão escolar e a consequente motivação para esse estudo surgiu em meu ambiente de trabalho, atuando como analista educacional e no contato in loco com gestores e profissionais das escolas públicas. O estudo aborda a formação de gestores na SRE Unaí e a dimensão da gestão pedagógica, por meio de um estudo de caso de abordagem qualitativa que envolveu levantamento e análise documental, pesquisa bibliográfica, aplicação de questionário para os gestores das escolas jurisdicionadas à SRE Unaí. Os resultados da pesquisa demonstraram que 50% dos gestores não tinham experiência em gestão antes da nomeação para o cargo de diretor e que 79% avaliaram ser o seu grau de conhecimento sobre as tarefas pedagógicas suficiente. Detectou-se, ainda, que os gestores adquiriram conhecimento e prática intermediária em ensino e aprendizagem, trabalho pedagógico, prática pedagógica e avaliação. Isto posto, a proposta de intervenção desta dissertação foi criar um Programa de Formação Continuada em Gestão Pedagógica para Gestores Escolares com o propósito de buscar o aprofundamento nas temáticas voltadas para a gestão pedagógica.
Mostrar mais

111 Ler mais

O PNBE DO PROFESSOR: UMA POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO ESTUDO DE CASO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE GOVERNADOR VALADARES – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O PNBE DO PROFESSOR: UMA POSSIBILIDADE DE FORMAÇÃO ESTUDO DE CASO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE GOVERNADOR VALADARES – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Ao perguntar aos professores e a equipe gestora se tinham conhecimento de quantos acervos as escolas receberam, na esco la “A” cinco responderam que a escola recebeu de um a cinco títulos enviados, ficando o restante com a resposta de que não podem informar por não conhecer os acervos.Na escola “B” sete responderam que a escola recebeu de um a cinco títulos, três responderam de cinco a 10 títulos, dois responderam que acima de 10 títulos e três não souberam informar. A observação realizada nas respostas é de que as duas escolas não conhecem o quantitativo de livros e /ou confundiram títulos com quantitativo de acervos. Em uma pesquisa no sítio do FNDE (BRASIL, c2012) foi possível verificar quantos acervos e títulos cada uma das escolas receberam. De acordo com o FNDE, para os anos iniciais, foram organizados quatro acervos, com até 30 obras em cada acervo. As duas escolas receberam os quatro acervos, no total de 120 livros direcionados à formação dos profissionais que atuam nos anos iniciais. De acordo com o Edital do PNBE do professor 2010, em 27 de julho de 2009, a composição dos acervos foi formada:
Mostrar mais

134 Ler mais

O CURSO DE PEDAGOGIA DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (Parfor) NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DE OLIVENÇA (AM)

O CURSO DE PEDAGOGIA DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (Parfor) NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DE OLIVENÇA (AM)

O interesse por analisar o Parfor em São Paulo de Olivença está associado à minha trajetória profissional, que começou em 1984, quando concluí o antigo magistério, o qual me habilitou para exercer a docência de 1ª a 4ª séries. No ano seguinte, fui aprovado em concurso público da Secretaria de Estado da Educação do Amazonas para exercer o cargo de professor de 1ª a 4ª séries. Em 1987, fui convidado para ser gestor da Escola Estadual Duque de Caxias, em um pelotão de fronteira do exército denominado de Vila Bittencourt, no qual permaneci até 1995. Somente em 1996, ou seja, após 11 anos de docência, tive a oportunidade de realizar um curso de nível superior por meio do Programa Especial de Formação Docente da Universidade Federal do Amazonas (PEFD). Após a conclusão do curso, fiz uma especialização em Tecnologia Educacional e, no ano de 2005, fui convidado para exercer o cargo de Secretário Municipal de Educação do Município de Tabatinga. Minha experiência com formação superior de professores deu-se, a partir do ano de 2010, quando fui aprovado, em concurso público, para o cargo de docente do Centro de Estudos Superiores de Tabatinga, da Universidade Estadual do Amazonas. No ano de 2011, fui aprovado em Processo Seletivo para ministrar aulas no Curso de Pedagogia ofertado pelo Parfor no Município de São Paulo de Olivença. Nesse contexto, fui eleito pelos docentes do Centro de Estudos Superiores de Tabatinga (CESTB/UEA), em 2012, para exercer a função de Coordenador Local do Curso de Pedagogia oferecido pelo Parfor no município de São Paulo de Olivença. O referido curso é coordenado e executado pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), com sede em Manaus.
Mostrar mais

170 Ler mais

JUARINA ANA DA SILVEIRA SOUZA PERMANÊNCIA E EVASÃO ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO PROFISSIONAL

JUARINA ANA DA SILVEIRA SOUZA PERMANÊNCIA E EVASÃO ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO PROFISSIONAL

Acredita-se que isso ocorreu porque o câmpus era novo na cidade e a comunidade em geral não tinha conhecimento de sua existência. De forma que o público que concorreu praticamente foi selecionado para compor as duas primeiras turmas, ou seja, não houve uma seleção acirrada dos candidatos e teve acesso alunos com diferentes níveis de desempenho educacional. A gestão e alguns professores entendem que uma das causas para o número significativo de alunos não terem permanecido no curso deveu-se, provavelmente, ao baixo nível de exigência da seleção realizada. Posteriormente, em conversas com alguns professores, muitos desses alunos afirmaram que objetivavam entrar na instituição por ser de qualidade, mas que não tinham muita clareza ou aptidão pelo curso. Diante desses depoimentos dos alunos e dos profissionais da escola, nos perguntamos: será que a falta de clareza ou aptidão pelo curso foi um dos motivos de tantos alunos não terem permanecido no curso? Que outras causas teriam? E, mesmo havendo todos estes possíveis motivos, o que leva, então, o aluno a permanecer no referido curso?
Mostrar mais

152 Ler mais

O CURSO EXTRAPOLANDO - DISCUTINDO A AÇÃO DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA OS PROFESSORES DOS LABORATÓRIOS DE APRENDIZAGEM DE JUIZ DE FORA

O CURSO EXTRAPOLANDO - DISCUTINDO A AÇÃO DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA OS PROFESSORES DOS LABORATÓRIOS DE APRENDIZAGEM DE JUIZ DE FORA

Mais recentemente, assistiu-se um movimento de reconceitualização da formação continuada em decorrência de pesquisas destinadas a investigar questões relativas à identidade profissional do professor. As propostas inspiradas no conceito de capacitação cedem lugar a um novo paradigma, mais centrado no potencial de autocrescimento do professor, no reconhecimento de uma base de conhecimentos já existente no seu cabedal de recursos profissionais, como suporte sobre o qual trabalhar novos conceitos e opções. As representações, atitudes, motivação dos professores passam a ser vistas como fatores de capital importância a se considerar na implementação de mudanças e na produção de inovações na prática educativa. O protagonismo do professor passa a ser valorizado e a ocupar o centro das atenções intenções nos projetos de formação continuadas. Novos modelos procuram superar a lógica de processos formativos que ignoram a trajetória percorrida pelo professor em seu exercício profissional (GATTI, 2009, p.202 - 203).
Mostrar mais

120 Ler mais

A IMPLEMENTAÇAO DA POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE GESTORES ESCOLARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE A PARTIR DA REGIONAL METROPOLITANA II

A IMPLEMENTAÇAO DA POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE GESTORES ESCOLARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE A PARTIR DA REGIONAL METROPOLITANA II

This research aimed to identify and analyze the demands of training of school managers in SEEDUC / RJ, in order to contribute to the proposition of actions that can fill the existing gaps. This is a qualitative research using the case study. Therefore, it was necessary to analyze the formation of policy and development of people of the State Department of Education of Rio de Janeiro, performed from 2010, from the perspective of actions taken to school directors, taking into account also the perception these managers, about this policy. The research was cut three analysis of the offered courses for school managers between the years 2011 to 2013; they are: Internal Selection Process Training Course (PSI), MBA in Entrepreneurial Management in Education and the School Management and Leadership Forum. Data were collected through documentary and bibliographical research, participant observation and field research with questionnaire. The questionnaire was administered in school directors of the Metropolitan Regional II. In the analysis, the following elements were investigated: educational profile manager, analysis of the three courses and suggestions of shapes and subjects for the development of new proposals for training. This study was developed from the author's contribution as: Fleury (2001), Freitas (2009), Lück (2000, 2009, 2010), Pacheco at al. (2009), Mintzberg (2010), Machado (2010, 2012), Kuenzer (2013), Polon (2013), among others. The diagnosis made was instrumental in the development of an Educational Action Plan aimed at the enhancement of training and development policy for school managers, implemented in the state.
Mostrar mais

212 Ler mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO 3º CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BELO HORIZONTE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO 3º CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BELO HORIZONTE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

As ações de formação continuada promovidas pela Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte (SMED/BH) vêm contribuindo para o trabalho docente em alguns aspectos. Como exemplo, há o curso de pós-graduação especialização lato sensu em Docência da Educação Básica, que aborda áreas e disciplinas relacionadas ao trabalho Docente, como Educação e Relações Étnico-raciais, Educação Matemática e Juventude e Escola. Ademais, é um curso realizado por meio de parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o que proporciona maior controle da qualidade da pós- graduação cursada pelos professores da RME/BH. Apesar das contribuições, o curso de pós-graduação tem restrições quanto ao acesso dos professores e não são todos que fazem adesão. Além disso, é um curso que, embora tenha a intenção de promover a integração com o trabalho docente, tem limitações devido ao seu viés acadêmico.
Mostrar mais

132 Ler mais

Remoções de favelas na cidade do Rio de Janeiro: uma história do tempo presente — Outubro Revista

Remoções de favelas na cidade do Rio de Janeiro: uma história do tempo presente — Outubro Revista

Escusado dizer que parte considerável deste descrédito está rela- cionada à percepção, pela população carioca, do forte pendor imo- biliário por trás dos megaeventos. Estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostram que o custo do imóvel é irrealis- ta e insustentável em capitais como o Rio de Janeiro, onde houve um aumento de 165% nos preços das habitações entre janeiro de 2008 e fevereiro de 2012, contra uma inflação de 25% no mesmo período. Além de ter o metro quadrado mais caro país, comparado a outras cidades brasileiras que também sediarão a Copa do mundo de 2014, o Rio de Janeiro obteve a maior valorização desde 2010. Não custa lembrar que existem 220 mil imóveis vazios, enquanto a estimativa é de um déficit habitacional de 149.200 moradias. O problema é que au- toridades e órgãos públicos não procuram um caminho para a regu- larização fundiária das ocupações nesses imóveis, o que está previsto na Constituição Estadual, no Estatuto da Cidade e na Lei orgânica do município, dentre outras leis. “Todo o encaminhamento pela via do interesse social, cultural e de memória da cidade tem sido descartado (...). Ou seja: o direito humano à moradia não vem sendo respeitado” (Fornazin; Mascarenhas; Medeiros, 2012, p. 3).
Mostrar mais

20 Ler mais

GEYSA DE FRANÇA FORMAÇÃO DE PROFESSORES TUTORES PARA A DOCÊNCIA ONLINE: A UFJF EM PERSPECTIVA

GEYSA DE FRANÇA FORMAÇÃO DE PROFESSORES TUTORES PARA A DOCÊNCIA ONLINE: A UFJF EM PERSPECTIVA

A proposta da Universidade Aberta do Brasil (UAB) indica que “as Instituições Públicas de Ensino Superior (IPES) participantes do Sistema UAB 3 são as responsáveis pela seleção dos tutores de seus cursos, tendo autonomia para disporem de critérios diferentes de seleção” (BRASIL, 2005,s.p.). Esta colocação demonstra que pode não haver um critério padrão definido (uma política nacional única) para a atuação do tutor, ficando sob responsabilidade das instituições, em acordo com seus projetos políticos pedagógicos, tais processos seletivos. Esse cenário implica considerar que a UFJF tem autonomia para implementar uma política de formação docente (utilizando a cultura digital e em rede) para os profissionais atuantes nos cursos a distância, sendo o tutor um dos principais agentes neste processo. A Resolução nº 8, de 30 de abril de 2010 em seu art. 9º define
Mostrar mais

159 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Esta pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos da política de bonificação, instituída pela Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC/RJ), a partir do ano de 2011, nas ações gestoras de oito escolas estaduais localizadas no município de Valença. As escolas foram selecionadas de acordo com o perfil dos gestores, sendo escolhidos aqueles que estão no cargo há mais de cinco anos. Esses, portanto, já ocupavam o cargo antes da execução da política, sendo possível, deste modo, verificar a mudança nas ações gestoras. As políticas públicas de avaliação e bonificação pelos resultados obtidos começaram a despontar no setor público a partir da década de 1980, modificando também as formas de gestão pública. Na década seguinte, as bases das reformas educacionais tiveram como foco a mensuração de resultados para uma posterior bonificação. O Estado do Rio de Janeiro criou, no ano de 2000, a primeira política de avaliação com objetivo de bonificar os servidores, o Programa Nova Escola. Em 2010, com uma nova gestão frente à Secretaria de Estado de Educação, findou-se o Programa Nova Escola e em 2011 foi criado o sistema de bonificação por resultados, o qual foi um dos enfoques da pesquisa. Os recursos metodológicos utilizados nesta pesquisa foram: entrevista com os gestores, aplicação de questionários aos docentes, pesquisa na internet e análise documental das atas de reuniões das escolas. Depois de realizadas as análises, detectou-se a necessidade de formação continuada para os gestores e modificação no desenho da política de bonificação, diante disso foi elaborado um Plano de Intervenção Educacional, com o objetivo de aperfeiçoar a prática gestora das escolas estaduais localizadas no âmbito da Regional Centro Sul, assim como aprimorar o Sistema de Bonificação no Estado do Rio de Janeiro.
Mostrar mais

99 Ler mais

Show all 10000 documents...