Top PDF Atividade alelopática de extratos de diferentes partes de juazeiro (Ziziphus joazeiro Mart. - Rhamnaceae).

Atividade alelopática de extratos de diferentes partes de juazeiro (Ziziphus joazeiro Mart. - Rhamnaceae).

Atividade alelopática de extratos de diferentes partes de juazeiro (Ziziphus joazeiro Mart. - Rhamnaceae).

(Atividade alelopática de extratos de diferentes partes de juazeiro (Ziziphus joazeiro Mart. – Rhamnaceae). O objetivo neste trabalho foi avaliar o potencial alelopático do extrato de cascas e de folhas juazeiro (Ziziphus joazeiro Mart.) sobre as sementes de alface (Lactuca sativa L.). Foram conduzidos dois experimentos, em ambos foi usado o deline- amento inteiramente casualizado. No primeiro foram realizadas quatro repetições e cinco tratamentos (EF - extrato de folhas a 100 °C, EF - extrato de folhas a 25 °C, EC - extrato de cascas a 100 °C, EC - extrato de cascas a 25 °C, e água destilada). No segundo foram realizados cinco tratamentos (0%, 25%, 50%, 75% e 100% de concentração do extrato bruto) e quatro repetições com 20 sementes de alface. O extrato bruto foi obtido após a agitação das cascas e das folhas com água em liquidificador utilizando-se 50 g de material para 500 ml de água. Os resultados mostraram efeito do extrato dependendo da concentração. Os extratos brutos e diluídos de Z. joazeiro não afetaram a germinação, mas nas maiores concentrações causaram elevada porcentagem de plântulas anormais e o extrato de folhas e de cascas extraído a 100 °C reduziram o crescimento da raiz e parte aérea. Extratos aquosos de cascas e de folhas de Z. juazeiro apresentam efeito fitotóxico na germinação de sementes de L. sativa.
Mostrar mais

6 Ler mais

Atividade alelopática de extrato de sementes de juazeiro.

Atividade alelopática de extrato de sementes de juazeiro.

Aires et al. (2005) também observa- ram que os extratos aquosos dos frutos de lobeira (Solanum lycocarpum) causa- ram redução da germinação de sementes de gergelim (Sesamum indicum) e na plântula houve inibição do crescimento radicular e necrose nas raízes. Jacobi & Ferreira (1991) verificaram que os extra- tos de frutos verdes e maduros de maricá (Mimosa bimucronata) não inibiram a germinação, porém os verdes inibiram o crescimento da raiz primária de alface, arroz, cenoura, chicória, couve, pepino, repolho e tomate. A raiz primária de al- face mostrou-se, portanto, mais sensível aos compostos secundários presentes nos extratos.
Mostrar mais

4 Ler mais

Sementes como fonte alternativa de substâncias químicas com atividade alelopática.

Sementes como fonte alternativa de substâncias químicas com atividade alelopática.

Muito dessa tendência se deve ao fato de que os testes envolvendo análises com- parativas de diferentes frações das plantas (folhas, raízes, colmos, etc.) fornecem, em alguma medida, resultados mais intensos promovidos por extratos preparados a partir das folhas (Chon & Kim, 2002; Tefera, 2002; Gatti et al., 2004; Rashid et al., 2010). Adicionalmente a essas informa- ções, Tawaha & Turk (2003) mos- tram que, para a espécie Brassica nigra, a intensidade dos efeitos alelopáticos varia na seguinte ordem decrescente de inten- sidade: folhas>flores>mistura da planta inteira>colmos>raízes, enquanto para Conyza albida a grandeza das inibições variou, de forma decrescente, na seguinte ordem: folhas>inflorescência>colmo (Economou et al., 2002).
Mostrar mais

8 Ler mais

Atividade alelopática de extratos de diferentes orgãos de Caesalpinia ferrea na germinação de alface.

Atividade alelopática de extratos de diferentes orgãos de Caesalpinia ferrea na germinação de alface.

Alguns autores já comprovaram o potencial alelopático de espécies da caatinga (CENTENARO et al., 2009; COELHO et al., 2011; RÊGO JUNIOR et al., 2011; SILVEIRA et al., 2012) e Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. var. ferrea (jucá) merece estudos nesse sentido por ser de ampla ocorrência na caatinga arbórea e arbustiva do nordeste brasileiro. Além disso, estudo fitoquímico preliminar do extrato hidroalcóolico da casca e das folhas de C. ferrea demonstrou a presença de flavonoides, saponinas, taninos, cumarinas, esteroides e compostos fenólicos (LORENZI & MATOS, 2008), que são reconhecidos por apresentarem atividade alelopática (RICE, 1984).
Mostrar mais

7 Ler mais

Atividade potencialmente alelopática de extratos brutos e hidroalcoólicos de feijão-de-porco (Canavalia ensiformis).

Atividade potencialmente alelopática de extratos brutos e hidroalcoólicos de feijão-de-porco (Canavalia ensiformis).

tura e fotoperíodo de 12 horas, para o bioensaio de germinação, e 24 horas, para o de alongamento da radícula. Os efeitos foram aquilatados tendo por contraste (testemunha) a água destilada. Os resultados variaram em função da espécie receptora, da concentração e da parte da planta utilizada no preparo dos extratos. A inibição da germinação das sementes e do alongamento da radícula foi diretamente proporcional à concentração do extrato, com as mais intensas inibições observadas na concentração de 4%. Independentemente da espécie receptora, as sementes, seguidas das raízes, foram as principais fontes de substâncias químicas com atividades potencialmente alelopáticas no feijão-de-porco. A análise dos diferentes extratos brutos revelou que as substâncias químicas com atividades potencialmente alelopáticas presentes nas sementes do feijão-de-porco têm polaridade compreendida entre o acetato de etila e o metanol. Para o extrato bruto metanólico, concentrações a partir de 0,4% inibiram completamente a germinação das espécies receptoras, enquanto para M. pudica e S. occidentalis concentrações de 0,6 e 0,8% proporcionaram inibições da ordem de 100% para a germinação das sementes dessas espécies. A sensibilidade das espécies aos efeitos potencialmente alelopáticos variou na seguinte ordem decrescente: M. pudica > S. occidentalis > S. obtusifolia > U. lobata.
Mostrar mais

8 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E RECURSOS NATURAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E RECURSOS NATURAIS

O efeito alelopático é diretamente influenciado pelos fatores ambientais e genéticos. Em situação de estresse, a produção dos aleloquímicos pode ser alterada. O estágio de desenvolvimento da planta doadora também afeta esse efeito. Bioensaio é uma ferramenta importante no estudo da alelopatia e serve de orientação no isolamento dos produtos fitotóxicos presentes em extratos de planta. O gênero Solanum apresenta 22 espécies descritas no Distrito Federal e muitas dessas apresentam propriedades medicinais e alelopáticas conhecidas. Com isso, esse trabalho objetivou-se em analisar a atividade alelopática de extrato aquoso de folhas de três espécies de Solanum (S. lycocarpum, S. subumbellatum e S. granuloso-leprosum) coletadas em duas estações, seca e chuvosa de 10 diferentes matrizes além de estudos fitotóxicos a partir de isolamento biodirigido de extratos orgânicos de folhas de S.granuloso-leprosum e S. lycocarpum. Os bioensaios para avaliação do efeito da sazonalidade e da idade das folhas (jovens e adultas) foram realizados na germinação e crescimento do gergelim em condições de laboratório. Já os bioensaios para os testes de isolamento biodirigido foram realizados com coleóptilo estiolado de trigo e com sementes de espécies cultivadas como agrião, cebola, alface e tomate. Dentro dos parâmetros avaliados, a germinação sofreu maior influência no tempo médio, causada por extratos de folhas adultas, e a germinabilidade, causada por extratos de folhas jovens, e o período chuvoso mostrou maior efeito. Já no crescimento, a parte radicular foi a mais afetada pela presença dos extratos de folhas jovens coletadas na época da seca. A época de seca foi onde, na maioria dos casos, observou-se maior efeito inibitório e as folhas jovens mostrando uma maior produção de compostos secundários. Os extratos das folhas de S. granuloso-leprosum e S. lycocarpum foi fracionado em coluna cromatográfica de sílica gel e purificados em CLAE e seus produtos identificados em RMN 1 H e 13 C. Foram isolados o carotenóide luteína e também uma lactona sequiterpênica chamada loliolida das folhas de S. granuloso-leprosum e 6 compostos dos extratos das folhas de S. lycocarpum sendo estes: estigmasterol, β-sitosterol, α-amirina, oleato glicerol, ácido octadecanóico e ácido hexadecanóico. A atividade alelopática desses compostos foi discutida conforme dados da literatura e ainda não haviam sido descritos a presença desses produtos nessas espécies.
Mostrar mais

180 Ler mais

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

Os depoimentos e encaminhamentos dados na reunião estavam naturalmente direcionados à constatação dos avanços e às vantagens da política, com discretos registros dos entraves, dificuldades e críticas ao processo. Mesmo compreendendo que a presença dos secretários estaduais de educação e planejamento podem, de uma certa forma, afetar a avaliação e inibir as falas dos participantes, consideramos a observação desse momento necessária para compreender os direcionamentos e orientações das instâncias central e regional, assim como as dificuldades e particularidades das diferentes Gerências Regionais, no processo de implementação da política de monitoramento. Desse modo, percebe-se que a prática de acompanhamento pedagógico dos indicadores está sendo incorporada pelos profissionais, com análise e propostas para a solução de problemas, como pode-se perceber na fala de outra gestora regional: “Não concebo gestão pública hoje sem análise de resultados ” (GESTORA DA GRE 5, 2013).
Mostrar mais

129 Ler mais

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

O teor das informações transmitidas nos formulários RP1/GO compreende todo e qualquer tipo de alteração na vida funcional dos servidores escolares. O registro dessas informações ocorre pelo processo de codificação de dados. Se não houver precisão no processo de codificação das informações, essas deixarão de ser estratégicas. Informação estratégica é aquela que tem valor, que enriquece o conhecimento institucional, que amadurece a cultura informacional e agrega eficiência à gestão informacional. Para Sordi (2008), essas informações, para tanto, precisam estar explícitas e ser relevantes, úteis, claras, objetivas e contextualizadas. O estudo demonstrou a necessidade de se aprimorar a produção dessas informações estratégicas para o fluxo SISAP. Os erros de codificações no RP1/GO prejudicam a precisão informacional, podendo causar prejuízos às partes. Os resultados dos instrumentos empregados evidenciaram a necessidade de parametrização destas informações codificadas segundo dois princípios: legalidade e exatidão. O princípio da legalidade visa a aferir a legitimidade do registro, ou seja, se o mesmo está em consonância com as normas vigentes. Já a exatidão visa a conferir a correta transmissão desse dado, ou seja, se a sua codificação foi precisa.
Mostrar mais

157 Ler mais

GERÊNCIA DE PÓS-COMPRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: uma proposta de reestruturação

GERÊNCIA DE PÓS-COMPRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: uma proposta de reestruturação

Tanto a aplicação de multas moratórias e compensatórias aos fornecedores quanto a inscrição no CADIN e Dívida Ativa que compõem a ação 03 do Quadro 8 advêm de determinações legais e devem ser cumpridas. As multas aplicáveis aos licitantes, geralmente, estão previstas no edital de licitação e no contrato firmado entre as partes. O Pós-compra deve informar ao fornecedor que ele será multado pelo atraso na entrega, multa moratória ou pela falta de entrega, multa compensatória, com prazo de cinco dias úteis, contados a partir do recebimento dessa comunicação, para interposição de recurso contra a decisão da Administração. Em seguida, o setor deve calcular a multa, gerar a GRU e enviá-la ao fornecedor. Como, atualmente, essa penalidade não é aplicada, o Anexo 2 traz um modelo de notificação à empresa sobre decisão de aplicação – Prazo recursal. Já o Anexo 3 traz um modelo de ofício de aplicação de sanção-correspondência à empresa que devem ser adotados na aplicação da sanção.
Mostrar mais

120 Ler mais

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

Mesmo proposto no documento orientador do programa, atualmente as escolas que têm turmas do Projeto Avançar não receberam os livros para subsidiarem os professores e alunos, o que torna mais dificultoso o trabalho do professor que atua em sala de aceleração. Na intenção de suprir o livro específico do projeto, os livros didáticos do PNLD são utilizados pelos professores, que promovem a seleção dos conteúdos de várias séries do Ensino Fundamental, buscando priorizar os conteúdos mais relevantes, para atender às particularidades de cada turma. Não é uma tarefa fácil, para quem lida com outras turmas diferenciadas do Projeto e que não tem mais tempo disponível para essa atividade. O Horário de Tempo Pedagógico (HTP) disponível ao professor não é de exclusividade à preparação de material de aula, são realizadas outras atividades, como, atualização do diário digital, atendimento aos pais e formação continuada.
Mostrar mais

117 Ler mais

Atividade alelopática de extratos brutos de três espécies de Copaifera (Leguminosae-Caesalpinioideae).

Atividade alelopática de extratos brutos de três espécies de Copaifera (Leguminosae-Caesalpinioideae).

Tendo por base o valor de 50% de inibição como um padrão satisfatório para aquilatar as potencialidades alelopáticas de um extrato (Dudai et al., 1999), verifica-se, no bioensaio de germinação, que apenas os extratos de folhas e galhos de C. martii e C. reticulata (Tabela 1) e o extrato etanólico de folhas e galhos (Tabelas 2 e 3) atenderam a esse valor, em relação à espécie malícia. Para os efeitos sobre o desenvolvimento da raiz, apenas o extrato etanólico de folhas de C. reticulata atendeu a esse requisito, e somente para a espécie receptora malícia. Considerando apenas esse aspecto, pode-se inferir que C. reticulata apresentou maior atividade alelopática e que as folhas são a principal fonte de substâncias polares com atividade alelo- pática. Considerando-se apenas a germinação das sementes, C. martii apresentou grande potencialidade, merecendo destaque o extrato etanólico das folhas e galhos.
Mostrar mais

9 Ler mais

Abordagem de casos de dengue – Normas de Orientação Clínica

Abordagem de casos de dengue – Normas de Orientação Clínica

c) Deve haver um particular cuidado, de acordo com o anexo IV, na avaliação de todos os potenciais dadores de órgãos, tecidos, células e sangue, em especial os dadores qu[r]

21 Ler mais

O PROGRAMA DE BIBLIOTECAS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: CAMINHOS PARA UMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

O PROGRAMA DE BIBLIOTECAS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: CAMINHOS PARA UMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

No período de 1983 a 1999, as ações do PNBE se voltaram para o atendimento às bibliotecas escolares baseadas no número de matrículas dos estudantes em cada escola distribuindo, em 2000, obras que visavam à formação dos docentes de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental. Entre 2001 a 2003, por meio de um novo formato para o atendimento às escolas, intitulado “Programa Nacional Biblioteca da Escola - Literatura em Minha Casa e Palavra da Gente”, o MEC distribuiu livros literários sob critérios específicos, atendendo a alunos do ensino fundamental e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do último segmento de EJA. As bibliotecas das escolas que ofereciam esses segmentos também foram contempladas com as obras distribuídas aos estudantes. Por outro lado, o novo critério de distribuição acarretou uma perda em relação aos acervos das bibliotecas, que ficaram sem receber exemplares diversificados (periódicos, mapas) nesse período. Esse quadro foi contornado a partir de 2005, quando o MEC voltou a distribuir para todas as escolas acervos de diferentes gêneros.
Mostrar mais

208 Ler mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CAMPUS MARECHAL DEODORO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CAMPUS MARECHAL DEODORO

Art. 7º - No tocante ao professor-orientador, a atividade de orientação de monografia corresponderá a carga horária semanal de uma (1) hora para cada trabalho de conclusão de curso orientado no período letivo, não excedendo o limite máximo de quatro (4) horas a ser acrescida à carga horária do docente.

5 Ler mais

Plano de Gestão de Resíduos Hospitalares em Centros de Saúde – Normas de Orientação Clínica

Plano de Gestão de Resíduos Hospitalares em Centros de Saúde – Normas de Orientação Clínica

ß Os resíduos líquidos químicos perigosos de diferentes composições devem ser contentorizados separadamente, de forma a evitar reacções químicas e ser encaminhados para tratamento por empresas devidamente licenciadas. Os recipientes de deposição devem ter uma capacidade limitada, para que possam ser manipulados em segurança, devendo ser resistentes e herméticos. A identifi cação dos recipientes com resíduos líquidos perigosos é fundamental para que todas as operações consequentes sejam as mais adequadas e as normas de segurança respectivas sejam cumpridas. Estes resíduos químicos não devem ser descarregados no sistema de drenagem de águas residuais. Sempre que possível, estes resíduos devem ser reciclados ou substituídos por outros menos tóxicos e, fi nalmente os que fi cam, devem ser separados em tóxicos e não tóxicos. Os perigosos ou tóxicos, que não são recicláveis, devem ser depositados de acordo com o tipo de risco e o tipo de tratamento a que vão ser sujeitos. Os químicos potencialmente explosivos ou infl amáveis devem ser armazenados em local próprio e adequado, separado dos restantes. Como exemplos de reutilização ou reciclagem tem-se:
Mostrar mais

116 Ler mais

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

Para as amostras mais compactas a quantidade de material seco necessário para o preenchimento do molde foi calculada pela Equação 4.7. A massa de material seco obtida foi dividida em quatro partes iguais para a confecção das camadas. O primeiro quarto de material seco foi lançado dentro do molde, através de um tubo com 1,5 cm de diâmetro, procedendo-se em seguida a compactação dinâmica. Como o valor do índice de vazios mínimo foi obtido com o uso de material úmido (Item 4.4.4), no processo de moldagem dos corpos de prova densos uma metodologia semelhante foi adotada. Assim depois de lançada a primeira camada de material seco a linha de drenagem da base da câmara era aberta para proceder à saturação da primeira camada. A saturação da camada era realizada através da percolação de água deaerada a baixa pressão (1 kPa), até aflorar na superfície da camada (Figura 4.6). Depois de formada a lâmina de água sobre a camada fechava-se a linha de drenagem e liberava-se a saída de água também a baixa pressão (Figura 4.7). Após decorridos 10 minutos procedia-se a compactação da camada com o uso de um soquete, com 2,5cm de diâmetro ainda com a linha de drenagem aberta. Este mesmo procedimento era repetido nas camadas seguintes sendo realizada uma ligeira escarificação da camada subjacente antes da deposição do material.
Mostrar mais

173 Ler mais

A APROPRIAÇÃO DOS RESULTADOS DO PROEB: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DE JUIZ DE FORAMG

A APROPRIAÇÃO DOS RESULTADOS DO PROEB: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA ESTADUAL DE JUIZ DE FORAMG

Se houve uma política que avançou no Brasil, nos últimos quinze anos, foi a política de Avaliação Educacional. Neste período, inúmeras iniciativas deram forma a um robusto e eficiente sistema de avaliação em todos os níveis e modalidades de ensino, que consolidaram uma efetiva política de Avaliação Educacional. Considerada hoje uma das mais abrangentes e eficientes do mundo, a política de avaliação abrange diferentes programas, como: o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica/SAEB, o Exame Nacional do Ensino Médio/ENEM, o Exame Nacional de Cursos/ENC, conhecido como Provão e, posteriormente, substituído pelo Exame Nacional de Desempenho do Ensino Superior/ENADE, o Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos/ENCCEJA, o Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior/SINAES, a Prova Brasil e o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica/IDEB. Em conjunto, estes sistemas, ao lado da Avaliação da Pós-Graduação da CAPES - o mais antigo sistema de avaliação do país no Setor Educação-configuram um macro sistema de avaliação da qualidade da educação brasileira (CASTRO, 2014, p. 3).
Mostrar mais

127 Ler mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES Programa de Pós-Graduação em Administração Mestrado Cláudia Caixeta Gomes

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES Programa de Pós-Graduação em Administração Mestrado Cláudia Caixeta Gomes

A cadeia de reciclagem de resíduos sólidos urbanos envolve vários atores e empresas. O primeiro do elo são os catadores individuais, que coletam os resíduos nas vias públicas, lixões ou aterros e o revendem. As associações ou cooperativas de recicláveis, busca regularizar a atividade dos catadores de rua, de forma que tenham local adequado para triagem e armazenamento de materiais. Estes projetos estão em conformidade com o que preconiza a PNRS (Lei 12.305/10), que prevê a inclusão desses trabalhadores nas propostas de soluções do RSU. Depois disso, tem os atravessadores, que compram os materiais a um preço mais baixo dos catadores ou dos centros de triagem e vendem para as indústrias de transformações. Essas, executam o processo de beneficiamento e, posteriormente, vendem a matéria prima para a indústria produzir novos produtos (SANTOS, 2013).
Mostrar mais

166 Ler mais

PROJETO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

PROJETO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

O objetivo das regulamentações modernas de segurança contra incêndio é pro- teger a vida e evitar que os incêndios, caso se iniciem, se propaguem para fora de um compartimento do edifíc[r]

20 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados