Top PDF Avaliação dos métodos diagnósticos para onicomicose.

Avaliação dos métodos diagnósticos para onicomicose.

Avaliação dos métodos diagnósticos para onicomicose.

Na tabela 1 é apresentada a freqüência e a por- centagem de pacientes com o resultado positivo para cada um dos três métodos diagnósticos usados para os 40 pacientes. Notou-se que o teste EMD foi o que clas- sificou maior quantidade de pacientes com onicomico- se, 72,5%. Em contrapartida, o exame histopatológico classificou apenas 35% dos pacientes com onicomicose. Para verificar o grau de concordância entre dois testes de diagnóstico foi utilizado o coeficiente de Kappa. De acordo com o critério de Landis & Koch, 16

6 Ler mais

Avaliação de métodos diagnósticos para a infecção por Clostridium difficile em potros e seres humanos

Avaliação de métodos diagnósticos para a infecção por Clostridium difficile em potros e seres humanos

especificidade. Crobach et al. (2009) realizaram uma sistemática revisão de estudos publicados entre 1991 e 2008 com o objetivo de determinar a sensibilidade e a especificidade de métodos diagnósticos para infecção por C. difficile, comparando-se com um teste padrão de referência (ensaio de citotoxicidade celular ou cultura toxigênica) formularam recomendações para otimizar o diagnóstico da CDI. Treze testes imunoenzimáticos comerciais capazes de detectar somente toxina A ou ambas as toxinas A e B que foram incluídos nesta revisão, apresentaram sensibilidade entre 31% e 99%, e especificidade entre 65% e 100%. Até o presente momento, nenhum dos kits de ELISA disponíveis no mercado brasileiro foi avaliado quanto à sensibilidade e especificidade em amostras de fezes de equinos no país. Tendo em vista a confirmação da infecção em equinos, se torna necessário um estudo que identifique dentre os kits disponíveis, o mais adequado para uso no diagnóstico de CDI nesta espécie, bem como o que apresenta melhor acurácia para seres humanos. Este estudo irá contribuir para a avaliação epidemiológica e para a implementação de medidas de controle e tratamento mais efetivos tanto em equinos quanto em seres humanos.
Mostrar mais

36 Ler mais

Avaliação da eficácia do laser erbium-doped yttrium aluminium garnet (Er:YAG) associado ao esmalte  de amorolfina no tratamento da onicomicose : estudo pareado e randomizado

Avaliação da eficácia do laser erbium-doped yttrium aluminium garnet (Er:YAG) associado ao esmalte de amorolfina no tratamento da onicomicose : estudo pareado e randomizado

Por conseguinte, devido à inconsistência de sensibilidade destes exames, atrelado à demora na obtenção dos resultados da cultura, vários autores têm proposto o uso de outras técnicas para o diagnóstico definitivo da onicomicose. Dentre os mesmos, encontra-se a avaliação histopatológica de fragmento da lâmina ungueal (clipping), com coloração pelo PAS, o qual em geral mostra-se mais sensível ao diagnóstico da doença na maioria dos estudos (84-100%) (67,69,71). Contudo, deve ser ressaltado que, tanto quanto no exame direto com KOH, o encontro de hifas durante avaliação pelo PAS, muito embora seja um forte indício de infecção, não adiciona dados sobre a viabilidade dos espécimes fúngicos, apresentando assim, semelhante limitação de uso na investigação de controle de cura. Além disso, tal técnica apresenta uma pior relação de custo-efetividade quando comparado aos outros testes, dado seu alto custo operacional, o que pode dificultar seu amplo uso (31).
Mostrar mais

90 Ler mais

Aspectos epidemiológicos, clínicos e avaliação dos métodos diagnósticos nas fases de evolução da brucelose em ovinos inoculados experimentalmente com Brucella ovis

Aspectos epidemiológicos, clínicos e avaliação dos métodos diagnósticos nas fases de evolução da brucelose em ovinos inoculados experimentalmente com Brucella ovis

O objetivo do presente estudo foi determinar o perfil sorológico de ovinos após inoculação experimental com B.ovis, utilizando Imunodifusão em gel de ágar (IDGA) e Soroaglutinação rápida (SAR) e associá-lo aos sinais clínicos. Foram utilizados 31 carneiros com 1-2 anos de idade, submetidos, simultaneamente, à inoculação via conjuntival e via intraprepucial de uma solução contendo 2x10 9 UFC/mL de B. ovis REO 198. Após a inoculação, os animais foram submetidos, semanalmente, à colheita de sangue, para diagnóstico sorológico e avaliação clínica. Na SAR o percentual de positivos decresceu de 80% a 11% da segunda à sétima semana após a inoculação. Na IDGA o percentual aumentou de 45% a 63%, da primeira a terceira semana e depois decaiu para 4% na 11ª semana. Flutuações de títulos foram observadas nos animais em ambas as provas avaliadas. Alterações clínicas se iniciaram a partir da 1ª semana pós-inoculação estando associada à sorologia positiva na fase aguda da enfermidade. A IDGA apresentou sensibilidade variável ao longo dos períodos, detectando animais positivos na fase crônica da doença, sendo a mais favorável no uso como diagnóstico de rotina. O uso associado da IDGA e exame clínico são indicados no diagnóstico da enfermidade e o achado de animais positivos em um ou outro método poderia ser considerado indicativo de infecção por B. ovis.
Mostrar mais

109 Ler mais

Avaliação dos métodos diagnósticos e dos parâmetros hematológicos nas hemoparasitoses caninas no estado de Minas Gerais

Avaliação dos métodos diagnósticos e dos parâmetros hematológicos nas hemoparasitoses caninas no estado de Minas Gerais

O diagnóstico definitivo desses patógenos geralmente é realizado pela observação de alterações clínicas e hematológicas encontradas, em associação com a pesquisa parasitológica direta, detecção de anticorpos nos exames sorológicos e testes moleculares (Dagnone et al., 2003; Ferreira et al., 2008; Solano-Gallego e Baneth, 2011; Faria e Andrade, 2012). Com o advento da Reação em Cadeia da Polimerase (PCR), houve uma melhoria no diagnóstico das hemoparasitoses, obtendo-se resultados com alta sensibilidade e especificidade. Porém, o seu alto custo e a necessidade de mão de obra qualificada, restringem o uso dessa técnica na rotina clínica veterinária (Dantas- Torres e Figueiredo, 2006; Gomes et al., 2007; Mylonakis et al., 2009). As pesquisas parasitológicas diretas e os testes sorológicos são mais simples e comumente utilizados, entretanto, o elevado número de animais com resultados falsos negativos pela baixa parasitemia, a presença de reações cruzadas com outros patógenos, a dificuldade de diferenciar a exposição prévia de infecção presente, entre outras, são limitações frequentes encontradas nesses métodos, fazendo com que a confiabilidade de seus resultados seja questionada (Shaw et al., 2001; Dantas-Torres e Figueiredo, 2006; Ferreira et al., 2007; Harrus e Waner, 2011). Diante do exposto e da importância das hemoparasitoses de cães na Medicina Veterinária, objetivou-se nesse trabalho, correlacionar as alterações hematológicas encontradas e sua ocorrência em animais positivos para os agentes dos gêneros Ehrlichia, Anaplasma, Babesia e Leishmania, e comparar métodos moleculares, sorológicos e parasitológicos
Mostrar mais

58 Ler mais

Avaliação clínica e micológica de onicomicose em pacientes brasileiros com HIV/AIDS.

Avaliação clínica e micológica de onicomicose em pacientes brasileiros com HIV/AIDS.

As apresentações clínicas das onicomicoses são classificadas de acordo com a localização, extensão e coloração das lesões. A mais comum é a onicomicose subungueal distal e lateral (OSDL) na qual predominam os dermatóitos com envolvimento ocasional por outro fungo ilamentoso. A onicomicose supericial branca (OSB) é causada principalmente por T. mentagrophytes e, algumas vezes, por espécies de Acremonium ocorrendo comumente em pacientes com AIDS . A forma clínica distróica total (ODT) é causada principalmente por dermatóitos e a onicomicose subungueal proximal (OSP) predomina nas unhas das mãos e é causada por espécies de Candida. Entretanto, em paciente portadores de AIDS essa forma clínica pode estar associada à dermatóitos 5,6 .
Mostrar mais

3 Ler mais

Avaliação de métodos diagnósticos, morfológicos e biomolecularesem mulheres encaminhadas com citologia alterada

Avaliação de métodos diagnósticos, morfológicos e biomolecularesem mulheres encaminhadas com citologia alterada

No presente estudo, prospectivo, comparativo e descritivo, entre novembro de 2002 e dezembro de 2003, 167 mulheres, provenientes do Sistema Único de Saúde, com idade entre 17 e 73 anos, submeteram-se à avaliação no ambulatório de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia do Serviço de Ginecologia da Universidade Federal de Juiz de Fora - Hospital Universitário (HU -UFJF). Essas mulheres eram provenientes dos postos de saúde do município de Juiz de Fora, que somam 59, sendo 15 situados na zona rural, 35 na urbana e de duas policlínicas (situadas em zona urbana). Cada caso incluído na pesquisa recebeu um número seqüencial, anotado em caderno próprio, cujo manuseio e conhecimento foi exclusivo da pesquisadora.
Mostrar mais

80 Ler mais

Avaliação da função renal em idosos hospitalizados: comparação entre métodos diagnósticos

Avaliação da função renal em idosos hospitalizados: comparação entre métodos diagnósticos

A determinação correta da função renal do paciente idoso internado é imprescindível para a adequada adaptação dos meios diagnósticos e terapêuticos empregados, pois vimos que além dos ajustes posológicos dos medicamentos administrados, a própria escolha das drogas mais apropria das depende da capacidade de eliminação renal do paciente. Por isso, certos autores recomendam o uso sistemático em pacientes idosos da FCG antes de prescrever drogas como diuréticos poupadores de potássio, inibidores da enzima de conversão da angiotensina, cloreto de potássio, digoxina e anti-inflamatórios não esteróides (21) .
Mostrar mais

106 Ler mais

Métodos diagnósticos para avaliação da força muscular inspiratória e expiratória.

Métodos diagnósticos para avaliação da força muscular inspiratória e expiratória.

O acometimento da musculatura ventilatória (inspiratória e expiratória) é um achado clínico frequente, não somente nos pacientes com doenças neuromusculares, mas também nos pacientes com doenças primárias do parênquima pulmonar ou das vias aéreas. Embora esse acometimento seja frequente, seu reconhecimento costuma ser demorado porque seus sinais e sintomas são inespecíficos e tardios. Esse reconhecimento tardio, ou mesmo a falta de reconhecimento, é acentuado porque os exames diagnósticos usados para a avaliação da musculatura respiratória não são plenamente conhecidos e disponíveis. Usando diferentes métodos, a avaliação da força muscular ventilatória é feita para a fase inspiratória e expiratória. Os métodos usados dividem-se em volitivos (que exigem compreensão e colaboração do paciente) e não volitivos. Os volitivos, como a medida da pressão inspiratória e expiratória máximas, são os mais empregados por serem facilmente disponíveis. Os não volitivos dependem da estimulação magnética do nervo frênico associada a medida da pressão inspiratória na boca, no esôfago ou transdiafragmática. Finalmente, outro método que vem se tornando frequente é a ultrassonografia diafragmática. Acreditamos que o pneumologista envolvido nos cuidados a pacientes com doenças respiratórias deve conhecer os exames usados na avaliação da musculatura ventilatória. Por isso, o objetivo do presente artigo é descrever as vantagens, desvantagens, procedimentos de mensuração e aplicabilidade clínica dos principais exames utilizados para avaliação da força muscular ventilatória.
Mostrar mais

14 Ler mais

Métodos diagnósticos nos distúrbios do sono.

Métodos diagnósticos nos distúrbios do sono.

O objetivo deste artigo é o de descrever os procedimentos, as recomendações, os achados e o valor dos métodos diagnósticos utilizados em transtornos do sono, incluindo questionários, actigrafia, polissonografia e teste múltiplo de latência do sono. Questionários específicos incluindo avaliação da qualidade do sono, hipersonolência, transtornos respiratórios do sono e ritmo sono-vigília são utilizados, em geral, para triar transtornos do sono e como indicação para estudos sobre o sono. A polissonografia e o teste múltiplo de latência do sono são considerados como métodos padrão-ouro na maioria dos transtornos do sono e narcolepsia, respectivamente. Os critérios para tais transtornos são relatados abaixo.
Mostrar mais

8 Ler mais

Atresia biliar extra-hepática: métodos diagnósticos.

Atresia biliar extra-hepática: métodos diagnósticos.

Embora não exista um aspecto patognomônico na aná- lise histológica do material hepático colhido através de biópsia percutânea ou em cunha, a somatória dos achados fornece importantes subsídios para formulação diagnóstica definitiva. Através da avaliação histopatológica de biópsias hepáticas, efetuadas em 78 crianças com colestase, Zerbini procurou identificar parâmetros que pudessem diferenciar a colestase extra-hepática da intra-hepática. Como dados sugestivos de colestase extra-hepática foram descritos: proliferação ductal portal, colestase em ductos neoforma- dos, pronunciada colestase canalicular, trombo biliar em área portal e acentuada fibrose portal e peritubular. A ausência ou discreta proliferação ductal e a não existência de fibrose portal descartariam a possibilidade de colestase extra-hepática 31 . É importante frisar que a biópsia hepática
Mostrar mais

8 Ler mais

Helicobacter pylori e doença péptica: estudo comparativo de métodos diagnósticos.

Helicobacter pylori e doença péptica: estudo comparativo de métodos diagnósticos.

RESUMO - Foram estudados, prospectivamente, 150 pacientes. Estudo endoscópico revelou gastrite crônica em 109 pacientes (72,6%), úlcera gástrica em 6 (4%), duodenite crônica em 9 (6%) e úlcera duodenal em 26 (17,4%). Quanto à avaliação metodológica para pesquisa do Helicobacter pylori, 103 (68,67%) apresentaram teste da urease positivo, 104 (69,33%), positividade histopatológica e 98 (65,33%), positividade sorológica. Não houve diferença estatística entre os métodos. Pela facilidade de realização, o teste da urease credencia-se como o de melhor indicação nos pacientes que também se beneficiarão com o diagnóstico endoscópico. Caso a endoscopia digestiva alta não possa ou não deva ser realizada, está recomendado o teste sorológico.
Mostrar mais

3 Ler mais

Arq. Bras. Cardiol.  vol.98 número5

Arq. Bras. Cardiol. vol.98 número5

cardiomyopathy – a current view” [Cardiomiopatia não compactada – uma visão atual] foi lido com muito interesse. A análise buscou demonstrar que a ressonância magnética, a tomografia computadorizada e a ventriculografia esquerda surgiram como métodos diagnósticos suplantando o ecocardiograma convencional na avaliação da cardiomiopatia não compactada (CMNC). Este quadro impressiona, porém sentimos falta de comentários adicionais sobre métodos ecocardiográficos modernos.

1 Ler mais

Prevalência de síndrome metabólica em idosos de uma comunidade : comparação entre três métodos diagnósticos

Prevalência de síndrome metabólica em idosos de uma comunidade : comparação entre três métodos diagnósticos

O Hoorn Study, estudo de coorte com base populacional, envolveu 615 homens e 749 mulheres com idades entre 50 e 75 anos, sem história de diabetes ou doença cardiovascular. O objetivo foi avaliar o risco cardiovascular em 10 anos nos pacientes com SM a partir dos critérios do NCEP ATPIII, OMS, EGIR e American College of Endocrinology (ACE). A presença da SM pelo critério do NCEP ATPIII elevou em cerca de duas vezes o risco ajustado para a idade de eventos fatais de DAC em homens e não fatais em mulheres. Para as definições da OMS, EGIR, e ACE, o aumento de risco foi um pouco menor. Os autores concluem que embora a definição da presença de SM seja um bom preditor de risco cardiovascular, não permite uma melhor avaliação do que o conhecimento da presença de fatores de risco cardiovascular individualmente.(59)
Mostrar mais

69 Ler mais

Métodos diagnósticos nos distúrbios do sono

Métodos diagnósticos nos distúrbios do sono

O objetivo deste artigo é o de descrever os procedimentos, as recomendações, os achados e o valor dos métodos diagnósticos utilizados em transtornos do sono, incluindo questionários, actigrafia, polissonografia e teste múltiplo de latência do sono. Questionários específicos incluindo avaliação da qualidade do sono, hipersonolência, transtornos respiratórios do sono e ritmo sono-vigília são utilizados, em geral, para triar transtornos do sono e como indicação para estudos sobre o sono. A polissonografia e o teste múltiplo de latência do sono são considerados como métodos padrão-ouro na maioria dos transtornos do sono e narcolepsia, respectivamente. Os critérios para tais transtornos são relatados abaixo.
Mostrar mais

8 Ler mais

Desafios diagnósticos na doença de Hirschsprung: aplicabilidade de novos métodos imunohistoquímicos e endoscópicos

Desafios diagnósticos na doença de Hirschsprung: aplicabilidade de novos métodos imunohistoquímicos e endoscópicos

Kapur et al. (2009) publicaram estudo retrospectivo testando o uso da calretinina em comparação com o método histoquímico da acetilcolinesterase na avaliação de biópsias retais para o diagnóstico da doença de Hirschsprung. Os autores observaram expressão da calretinina em segmentos gangliônicos na lâmina própria, muscular da mucosa e nos plexos submucosos e mioentéricos. Muitas vezes as células ganglionares não eram reconhecidas, mas havia a identificação da imuno-reatividade em filetes nervosos da submucosa superficial e da muscular da mucosa, apresentando padrão granular ou “em contas”. Os autores concluíram que a identificação da expressão da calretinina nestas fibras nervosas intrínsecas seria a chave para a interpretação imunohistoquímica deste marcador na investigação diagnóstica da doença de Hirschsprung. Além disso, observaram que este novo método possuía acurácia diagnóstica equivalente ou superior à reação da acetilcolinesterase e apresentava um papel informativo na avaliação de biópsias antes consideradas inadequadas, superficiais ou muito distais, próximas da transição ano-retal (Kapur et al., 2009).
Mostrar mais

126 Ler mais

Avaliação de métodos estatísticos aplicados ao estudo de testes diagnósticos na presença...

Avaliação de métodos estatísticos aplicados ao estudo de testes diagnósticos na presença...

Considerando essa situa¸c˜ao (indiv´ıduos verificados e n˜ao verificados), algumas simu- la¸c˜oes foram feitas, afim de se verificar a eficiˆencia da metodologia bayesiana, introduzida, [r]

116 Ler mais

Tuberculose pleural no estado de Roraima no período de 2005-2013: qualidade diagnóstica.

Tuberculose pleural no estado de Roraima no período de 2005-2013: qualidade diagnóstica.

Com o presente estudo, conclui-se que a qualidade inadequada dos diagnósticos e a dificuldade de acesso dos pacientes aos métodos adequados para tal diag- nóstico expõem cronicamente a população de Roraima, que possui uma elevada prevalência de indivíduos mais suscetíveis a adoecer por tuberculose, entre os quais se destacam as populações indígenas e carcerárias. Essas populações estão expostas à possibilidade de serem submetidas a longos tratamentos e suas potenciais complicações sem um diagnóstico confiável. Além disso, de forma mais desastrosa, outros indivíduos também são passíveis de adquirir graves sequelas pulmonares e pleurais, definitivas e limitantes do ponto de vista laboral, levando mesmo até a morte, por terem seu tratamento retardado ou não realizado por falta de diagnóstico, assim como esses fatos perpetuam, muitas vezes, a cadeia de transmissão da doença, implicando importantes consequências para a saúde pública e a biossegurança de profissionais de saúde.
Mostrar mais

8 Ler mais

Enfermeiros atuantes em hemodiálise indicam diagnósticos de enfermagem relevantes na prática clínica.

Enfermeiros atuantes em hemodiálise indicam diagnósticos de enfermagem relevantes na prática clínica.

nósticos de enfermagem julgados como relevantes para a prática clínica em hemodiálise evidenciam os fenômenos valorizados pelos profissionais e po- dem servir como marco de referência para o conhe- cimento de enfermagem na área. Também podem direcionar a elaboração de instrumentos de coleta de dados nos serviços de hemodiálise, atividades de educação continuada para aumentar as competên- cias dos profissionais para identificar e tratar estas condições, guiar ações dos gestores de enfermagem desses serviços para dimensionar recursos humanos necessários e elaborar estratégias de avaliação da qualidade do atendimento prestado.
Mostrar mais

6 Ler mais

Comparação dos métodos de palpação retal, citologia, histologia e imunoistoquímica para o diagnóstico da hiperplasia prostática benigna no cão

Comparação dos métodos de palpação retal, citologia, histologia e imunoistoquímica para o diagnóstico da hiperplasia prostática benigna no cão

Na avaliação imunoistoquímica, de acordo com Wernet e Seitz (1987); Grieco et al. (2003), o anticorpo CK AE1/AE3 marcou o epitélio secretório, células basais de glândulas e ductos prostáticos normais. Neste trabalho, a avaliação imunoistoquímica utilizando este mesmo imunomarcador foi positiva em 100% das glândulas, marcando predominantemente, com classificação de escore 1, células epiteliais luminais cúbicas que revestiam a maioria dos ácinos dilatados (Figura 4), indicando que estas células sofrem alterações morfológicas e metabólicas importantes nesta afecção. Não houve imunomarcação de células basais sem alterações morfológicas presentes ou hiperplásicas e foi rara a marcação do epitélio colunar normal, contrariando os relatos dos autores Wernet e Seitz (1987); Grieco et al. (2003). Não houve marcação de células estromais, concordando com Wernet e Seitz (1987); Grieco et al. (2003).
Mostrar mais

68 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados