Top PDF Contribuição ao estudo da durabilidade de concretos produzidos com a incorporação de resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais

Contribuição ao estudo da durabilidade de concretos produzidos com a incorporação de resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais

Contribuição ao estudo da durabilidade de concretos produzidos com a incorporação de resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais

A construção civil é uma indústria que consome volume significativo de recursos naturais, no entanto, possui potencial expressivo de aproveitamento de resíduos para a produção de materiais de construção. A utilização de subprodutos industriais apresenta-se como uma contribuição para a otimização de insumos e consequentemente para o desenvolvimento sustentável. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de rochas ornamentais, sendo o Espírito Santo o estado brasileiro com maior representatividade no setor. Para produzir as chapas, os blocos de rocha são serrados em teares, transformando aproximadamente 25% do bloco em resíduo. Este consiste em uma lama que passa por filtros e precisa ser descartada. Devido ao montante de resíduo gerado e aos custos e dificuldades para destinação, este material tem sido alvo de estudos para sua utilização na construção civil há vários anos. Diante disso, este trabalho teve como objetivo investigar a influência da incorporação de resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais (RBRO) sobre propriedades ligadas à durabilidade do concreto, em especial aquelas relacionadas com a resistência à agentes agressivos externos do tipo íons sulfato. Para isso, os concretos foram produzidos com três diferentes relações água/cimento (0,45; 0,55 e 0,65) e adição do RBRO em relação à massa de cimento em teores de 5%, 10% e 15%, além do concreto de referência. Foram analisadas propriedades no estado fresco, trabalhabilidade e massa específica, e no estado endurecido, resistência à compressão axial, absorção de água por capilaridade e por imersão além das análises microestrutural. Para o ensaio de degradação acelerada foi utilizado o sulfato de magnésio. Os concretos foram submetidos a ciclos de imersão e secagem e, ao final, sua resistência à compressão foi medida. Os concretos com 5% de resíduo apresentaram os melhores resultados quanto ao desempenho mecânico, com valores acima dos concretos de referência, para todas as relações a/c. Nos concretos agredidos verificou-se uma microfissuração superficial típica do ataque por sulfatos, além da constatação do consumo de hidróxido de cálcio e possível presença de etringita, através do EDS. No entanto, os resultados indicam o efeito positivo do uso do RBRO na resistência ao ataque de sulfatos em teores de 5% de adição.
Mostrar mais

163 Ler mais

Contribuição ao estudo do comportamento de concretos produzidos com resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais tratado termicamente em relação aos aspectos mecânicos e de durabilidade.

Contribuição ao estudo do comportamento de concretos produzidos com resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais tratado termicamente em relação aos aspectos mecânicos e de durabilidade.

O Brasil é um grande produtor de rochas ornamentais, tendo como principal estado produtor o Espírito Santo. No processo de beneficiamento das rochas cerca de 30% do volume total do bloco se transforma em resíduo. Muitos trabalhos já utilizaram esse resíduo em matrizes cimentícias, aplicando-o como um material capaz de preencher parcialmente os poros da matriz cimentícia (efeito fíler). Porém, esses estudos vêm sendo desenvolvidos há duas décadas e até o presente momento a indústria da construção civil não absorveu o resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais (RBRO), que continua a ser um passivo ambiental. Visando melhorar as propriedades desse material, o presente estudo tratou-o termicamente a 1200°C. O resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais tratado termicamente (RBROTT) foi submetido a diversos ensaios de caracterização, dentre eles foram realizados ensaios para determinação da atividade pozolânica segundo a NBR 12653 (ABNT, 2015). Foram confeccionados concretos com 0%, 5% e 10% de adição do RBROTT com o objetivo de avaliar a influência dessa adição sobre a resistência mecânica dos concretos e também avaliar a durabilidade dos mesmos, tendo como foco a penetração de íons cloreto.
Mostrar mais

168 Ler mais

Contribution to the rheological study of cementitious pastes with addition of residues from the processing of ornamental rocks Contribuição ao estudo reológico de pastas cimentícias com adição de resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais

Contribution to the rheological study of cementitious pastes with addition of residues from the processing of ornamental rocks Contribuição ao estudo reológico de pastas cimentícias com adição de resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais

Os resíduos sólidos provenientes desse processo de beneficiamen- to primário de rochas ornamentais geralmente são descartados em lagoas de decantação ou aterros e, muitas vezes, sem um processo de tratamento para eliminar ou reduzir os constituintes presentes. Pela grande quantidade produzida, ambientalistas acusam as in- dústrias desse setor como fontes de contaminação e/ou poluição do meio ambiente tornando esses rejeitos um problema ambiental [2]. Constata-se, portanto, a necessidade de aproveitar o resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais (RBRO) no Brasil e, prin- cipalmente, no estado do Espírito Santo. Em vista disso, é de ex- trema importância a preocupação com estudos que tornem o setor de rochas mais sustentável do ponto de vista ambiental, dando um destino mais nobre aos rejeitos produzidos por este setor e que também viabilize a utilização do resíduo do ponto de vista técnico, garantindo a qualidade e a durabilidade do produto que venha a incorporar estes rejeitos.
Mostrar mais

12 Ler mais

Avaliação de desempenho mecânico e de durabilidade em concretos produzidos com resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais tratado termicamente (RBROTT)

Avaliação de desempenho mecânico e de durabilidade em concretos produzidos com resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais tratado termicamente (RBROTT)

Pontes e Stellin Júnior (2005) testaram o desempenho do resíduo em blocos de cerâmica vermelha e constataram que sua utilização em teores de até 30% atende aos requisitos, obtendo resultados promissores. Os autores testaram, também, a separação do ferro contido no resíduo por dois métodos, a separação magnética e a separação por ciclone, constatando que a separação magnética é mais eficiente. Lameiras et al. (2005) no estudo de avaliação do potencial de utilização do resíduo do beneficiamento de chapas de granito em concretos, observaram maiores ganhos de resistência quando se substituiu parte do agregado pelo resíduo e maiores perdas quando se incorporou o resíduo em substituição ao cimento para os concretos com maior relação água/cimento. Com relação à influência da adição do resíduo sobre a trabalhabilidade, os concretos produzidos com substituições tanto de agregado quanto de cimento Portland pelo resíduo apresentaram uma perda de trabalhabilidade significativa, indicando que devido a sua elevada área específica, aumenta a demanda de água para se manter a consistência constante.
Mostrar mais

125 Ler mais

Investigação de potencialidade pozolânica do resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais após tratamento térmico para produção de pasta cimentícia

Investigação de potencialidade pozolânica do resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais após tratamento térmico para produção de pasta cimentícia

Essa grande quantidade de resíduos, gerada apenas na fase de beneficiamento das rochas ornamentais, encorajou vários autores a estudar a possibilidade de benefícios desse resíduo em vários tipos de produtos, incluindo concretos, argamassas e placas cerâmicas, entre outros. Entre esses autores citem-se Calmon et al. (1997a), com o estudo da substituição de diferentes percentuais da cal em argamassa de assentamento pelo resíduo seco destorroado do corte de granito; Torres et al. (2004), que apresentam uma seleção de proporção ótima de substituição do feldspato pela lama do corte de rochas ornamentais para a fabricação de placas cerâmicas, visando à máxima incorporação da lama que atenda aos requisitos normativos e comerciais de placas cerâmicas; Segadães, Carvalho e Acchar (2005), que avaliam o efeito do uso do resíduo do corte de mármore e granito como adição na produção de massa cerâmica vermelha, e Bacarji et al. (2013), que analisam propriedades físicas e mecânicas de concretos produzidos com substituição do cimento pelo resíduo do corte de mármore e granito e avaliam a possibilidade ou não de haver atividade pozolânica nos concretos produzidos.
Mostrar mais

147 Ler mais

Avaliação do ciclo de vida da utilização do resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais em materiais de construção civil à base de cimento.

Avaliação do ciclo de vida da utilização do resíduo do beneficiamento de rochas ornamentais em materiais de construção civil à base de cimento.

reação álcali-sílica, abrasão e corrosão ainda não têm sido investigados por muitos autores (RANA et al., 2016). Na revisão bibliográfica de Galetakis e Soultana (2016), cerca de um terço dos estudos apresentaram resultados de ensaios de durabilidade. Para concretos de alto desempenho, Almeida et al. (2007) analisaram diferentes teores de substituição da areia (5 a 100%), e constataram que o teor de 5% foi o mais adequado devido às melhoras nas propriedades mecânicas e de durabilidade, e que em até 20% de substituição, não são observados efeitos negativos significantes. Quanto ao concreto autoadensável, Calmon et al. (2005) analisaram mistura contendo cimento com alto teor de escória (CP III) combinado com 31% de RBRO (teor equivalente de substituição do cimento), atingindo aproximadamente 20% da massa total do concreto com resíduos e subprodutos. Os autores obtiveram concreto de alta resistência (Aproximadamente 70 MPa a 28 dias) e com propriedades reológicas adequadas, indicando o RBRO como um substituto para o comumente utilizado fíler calcário. Em estudo mais recente, Sadek, El-Attar e Ali (2016) avaliaram teores de até 50% de adição de RBRO à massa de cimento, e notaram que o teor ótimo foi de 50%, com ganhos expressivos de resistência à compressão axial, sem prejudicar as propriedades reológicas.
Mostrar mais

161 Ler mais

Aproveitamento do resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais e de escória moída de aciaria como fíler em pavimentos de concreto asfáltico.

Aproveitamento do resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais e de escória moída de aciaria como fíler em pavimentos de concreto asfáltico.

O Estado do Espírito Santo tem o maior complexo de pelotização de minério de ferro do mundo e é o maior produtor nacional de placas de aço. É, além disso, o maior exportador de mármore e granito da América Latina. O estado lidera a extração nacional de mármore e granito ornamentais, sendo responsável por 39% das exportações brasileiras de rochas ornamentais e por 50% de placas de mármore beneficiadas. Em contrapartida, o estado produz um grande volume de rejeitos industrial tais como escória de aciaria e resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais. Muitos trabalhos científicos têm estudado formas de empregar estes rejeitos na pavimentação. Diante do exposto, este trabalho visa contribuir nesta temática avaliando o comportamento mecânico e as propriedades de adesividade dos concretos asfálticos produzidos com a incorporação de Resíduos de Beneficiamento de Rochas Ornamentais (RBRO) e de Escória Moída de Aciaria (EMA) como fíler. Um total de 11 misturas foram estudadas, variando-se entre elas o percentual e o tipo de resíduo adicionado. Por meio da metodologia Marshall, determinou-se o teor de ligante de projeto das misturas em estudo. Para caracterização mecânica das misturas foram realizados ensaios de estabilidade e fluência Marshall e resistência à tração por compressão diametral. As propriedades de adesividade das misturas asfálticas foram avaliadas pelos ensaios de desgaste Cântabro e dano por umidade (Ensaio de Lottman Modificado). Os resultados mostram que a adição dos resíduos como fíler em concreto asfáltico mantem tanto os parâmetros volumétricos como o comportamento mecânico das misturas com utilização dos resíduos industriais praticamente inalterados quando comparados à mistura de referência e que atendem aos requisitos das especificações vigentes do DNIT. Conclui-se, portanto, que a utilização de resíduos industriais em misturas asfálticas se apresenta como uma alternativa promissora para reaproveitamento dos rejeitos estudados.
Mostrar mais

134 Ler mais

Durabilidade de concretos produzidos com adição de resíduos provenientes de rochas ornamentais frente à ação de íons cloreto

Durabilidade de concretos produzidos com adição de resíduos provenientes de rochas ornamentais frente à ação de íons cloreto

Os íons cloreto são considerados responsáveis por iniciar o processo de corrosão do aço e ainda por acelerar as reações de oxirredução envolvidas. A durabilidade das estruturas de concreto armado frente ao ataque químico depende da espessura e da qualidade do concreto de cobrimento. Neste trabalho é avaliado o processo de corrosão das armaduras induzido pela ação de íons cloreto, em concretos produzidos com adição do Resíduo do Beneficiamento de Rochas Ornamentais (RBRO), resíduo abundante no Espírito Santo. Foram produzidos concretos com três níveis de relação água/cimento - 0,45; 0,55 e 0,65 – e quatro níveis de adição de RBRO - 0%, 5%, 10% e 15%- em relação à massa de cimento. Foram avaliados no estado fresco os índices de consistência e as massas específicas dos concretos. No estado endurecido foram avaliadas resistência à compressão axial, absorção de água por imersão e capilar. 216 corpos de prova cilíndricos de concreto foram moldados. Foram produzidos 36 prismas de concreto, com 2 corpos de prova de aço CA-50 cada, submetidos a ciclos de imersão parcial em solução com 5% de NaCl, por 48 horas, e secagem em estufa ventilada, a 50ºC, por 5 dias. O potencial de corrosão das armaduras foi medido após imersão e após secagem dos corpos de prova, até a despassivação das armaduras. Por último, foi feito o ensaio colorimétrico por aspersão do indicador AgNO 3 a 0,1 mol/L para exame da altura de
Mostrar mais

179 Ler mais

Tratamento térmico da lama do beneficiamento de rochas ornamentais: aplicação como pozolana em matrizes cimentícias

Tratamento térmico da lama do beneficiamento de rochas ornamentais: aplicação como pozolana em matrizes cimentícias

No Espírito Santo, as indústrias que atuam no beneficiamento de rochas ornamentais necessitam estar em conformidade com os requisitos estabelecidos na instrução normativa nº 019/2005 do IEMA (ESPÍRITO SANTO, 2005) para obter a licença ambiental de funcionamento, visando o controle preventivo da degradação potencial e efetiva desta atividade. Esta instrução estabelece que fica vedada a disposição indiscriminada dos resíduos gerados e é preciso haver uma comprovação da destinação final por meio de recibos e notas fiscais. Sendo assim, em geral, as serrarias transportam as toneladas de lama gerada no processo para aterros regulamentados de empresas de gerenciamento de resíduos. A instrução normativa ainda define no artigo 6º: “compete aos estabelecimentos de beneficiamento de rochas ornamentais a responsabilidade e os custos relativos ao sistema de gerenciamento dos resíduos sólidos e efluentes líquidos desde sua geração até a destinação final” (ESPÍRITO SANTO, 2005).
Mostrar mais

214 Ler mais

Tratamento térmico da lama do beneficiamento de rochas ornamentais: aplicação como pozolana em matrizes cimentícias.

Tratamento térmico da lama do beneficiamento de rochas ornamentais: aplicação como pozolana em matrizes cimentícias.

Quanto à resistência à compressão axial, como pode ser visualizado no gráico da Figura 4, analisando em termos de valores absolutos, as argamassas com substituição de cimento por resíduo obtiveram resultados inferiores aos da AREF. As ALGf e ALDf apresentaram valores de resistência mais próximos à AREF. Veriicou-se, anali- sando somente a idade de 91 dias, que os equivalentes percentu- ais em relação à AREF variaram de 74,4 % a 95,7 %, sendo que as argamassa com valores mais próximos a AREF foram ALG 5, ALGf 5 e ALGf 10. Isto pode ser explicado pelo efeito fíler com o baixo percentual de substituição na ALG 5, e nas ALGfs pode-se atribuir o desempenho à atividade pozolânica com o cimento dos resíduos que receberam tratamento térmico. Ainda que não se pos- sa comprovar neste trabalho, espera-se uma tendência de aumento de resistência à compressão axial nas argamassas que utilizaram resíduos com tratamento térmico, de tal forma que se seja possível alcançar resistências muito próximas ou iguais às da AREF, prin- cipalmente com menores teores de substituição, considerando o efeito tardio das reações pozolânicas, consequência da produção de silicato de cálcio hidratado (C-S-H) nestas fases [1].
Mostrar mais

12 Ler mais

Estudo dos efluentes e resíduos sólidos inorgânicos de uma Indústria de Beneficiamento de Rochas Ornamentais em Santo Antônio de Pádua – RJ

Estudo dos efluentes e resíduos sólidos inorgânicos de uma Indústria de Beneficiamento de Rochas Ornamentais em Santo Antônio de Pádua – RJ

A PNRS (2010) tem por definição que a destinação final ambientalmente adequada inclui a reutilização, reciclagem, compostagem, recuperação e aproveitamento energético, além de outras destinações aprovadas pelos órgãos competentes, Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA), Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) e Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA). Além disso, a gestão integrada de resíduos sólidos deve integrar os âmbitos político, econômico, ambiental, cultural e social, para que haja o desenvolvimento sustentável. Um resíduo só passa a ser considerados rejeito após passar por todos os processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis.
Mostrar mais

18 Ler mais

Metodologia de avaliação das práticas de gerenciamento ambiental dos resíduos de empresas de beneficiamento de rochas ornamentais.

Metodologia de avaliação das práticas de gerenciamento ambiental dos resíduos de empresas de beneficiamento de rochas ornamentais.

Uma constatação interesante é a existência de projetos sociais e ambientais por parte das empresas e das associações, como a união de cerca de vinte empresas da Serra para formulação de um plano de manejo para recuperação da Lagoa Jacunem, assim como seu uso sustentável. Esse planejamento faz parte do termo de ajuste de conduta (TAC) dessas empresas. Outro projeto também interessante é o projeto Social Oficina Escola realizado pela Cetemag que tem como objetivo resgatar socialmente crianças carentes por meio de cursos de artesanato com rochas ornamentais.
Mostrar mais

122 Ler mais

Efeitos do resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais e escória de aciaria como fíleres na rigidez viscoelástica linear e características de fratura da matriz de agregados finos

Efeitos do resíduo de beneficiamento de rochas ornamentais e escória de aciaria como fíleres na rigidez viscoelástica linear e características de fratura da matriz de agregados finos

Com o objetivo de fazer a avaliação reológica, em uma menor escala, da adição dos resíduos RBRO e EMA em misturas asfálticas, Cosme (2015) analisou o desempenho dos mástiques com estes resíduos, realizando ensaios de RTFOT, PAV, Viscosímetro Brookfield, varredura de frequência, varredura de deformação e o ensaio oscilatório de fluência e recuperação. Fixando o teor de ligante e variando a percentagem de fíler adicionado, o autor avaliou a influência destes resíduos nos teores fíler/betume de 0,36, 0,54 e 0,72 e comparou com o desempenho do ligante puro (CAP 50/70). Concluiu-se, no geral, que a utilização dos resíduos melhorou o comportamento reológico do CAP, onde o resíduo de EMA proporcionou um aumento da rigidez e apresentou uma maior elasticidade quando comparado ao ligante puro ou ao mástique com RBRO, contribuindo para um ligante menos suscetível à deformação permanente e à fadiga. Fazendo uma análise dos resultados para a relação f/b=0,36, observou-se para mástiques com adição de RBRO+EMA (50% de cada resíduo), melhores resultados de recuperação (R) e compilâncias não-recuperáveis (Jnr), concluindo-se que este mástique apresenta menor suscetibilidade a deformação permanente e maior recuperação elástica. Estes resultados corroboram com o resultado obtido para o G*, visto que, o mástique RBRO+EMA apresentou maior rigidez.
Mostrar mais

122 Ler mais

Estudo da viabilidade da produção de blocos com utilização de resíduo de serragem de rochas ornamentais para alvenaria de vedação.

Estudo da viabilidade da produção de blocos com utilização de resíduo de serragem de rochas ornamentais para alvenaria de vedação.

O segmento de rochas ornamentais é bastante significativo na economia brasileira. Abriga todas as atividades da cadeia produtiva principal: jazidas dos mais diferentes tipos de mármores e granitos, empresas para beneiciamento primário (desdobramento) e secundário (polimento e produtos acabados), além de todas as atividades da cadeia de apoio, que incluem fabricantes de máquinas e equipamentos, fabricantes de insumos in- dustriais, prestadores de serviços técnicos e administrativos, centro de tecnologia (CETEMAG), sindicatos e associações.
Mostrar mais

8 Ler mais

Durabilidade de concretos com resíduo de marmoraria sob a ação combinada de carbonatação e cloretos

Durabilidade de concretos com resíduo de marmoraria sob a ação combinada de carbonatação e cloretos

O processo de beneficiamento de rochas ornamentais, que supre as demandas do mercado da construção civil, gera enorme quantidade de resíduo de marmoraria. Logo, este tema tem a importância social de dar uma destinação nobre a este resíduo. A elevada finura do resíduo de marmoraria é capaz de proporcionar um melhor preenchimento dos vazios dos concretos e melhorar o empacotamento granulométrico. Portanto, esta pesquisa tem como objetivo avaliar a durabilidade dos concretos convencionais com diferentes teores de substituição de cimento Portland por resíduo de marmoraria (0, 5, 10, 15, 20 e 25%). Para isso, foram verificadas as propriedades no estado fresco: massa específica e consistência pelo abatimento do tronco de cone. Também foram verificadas as propriedades no estado endurecido, como as propriedades mecânicas de resistência à compressão simples, resistência à tração por compressão diametral e módulo de elasticidade à compressão. Para avaliação da durabilidade, foram realizados os ensaios de porosimetria por intrusão de mercúrio, análise termogravimétrica, absorção de água por imersão, absorção de água por capilaridade, velocidade de onda ultrassônica, resistividade elétrica superficial, migração de cloretos no estado não estacionário, carbonatação acelerada e carbonatação combinada com cloretos. Como se trabalhou com resíduo de marmoraria em substituição ao cimento Portland, foi observada, em geral, uma redução muito pequena nas propriedades do estado fresco e estado endurecido, atendendo aos requisitos exigidos para concretos submetidos a ambientes de forte agressividade, sujeitos à ação combinada de carbonatação e cloretos. Vale destacar que o teor de 5% de substituição cimentícia obteve qualidade equivalente ao traço de controle em todos os ensaios.
Mostrar mais

145 Ler mais

Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil.

Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil.

Os procedimentos utilizados para a realização da pesquisa experimental estão divididos em quatro etapas principais. A primeira é a fase preparatória, em que foi coletada e preparada a amostra utilizada na pesquisa. A segunda etapa corresponde à caracterização do agregado natural, reciclado e aglomerante, utilizados para a preparação do concreto, por meio de ensaios laboratoriais. Na terceira, realizou-se a dosagem experimental do concreto convencional e reciclado, com teores de substituição de 0%, 50% e 100% em massa, e moldados corpos de prova cilíndricos para o estudo das características do concreto produzido com agregado natural e reciclado. E, por fim, após a realização dos ensaios do concreto no estado fresco e endurecido, foram montados diagramas de dosagens e modelos matemáticos que possibilitaram conhecer as correlações entre as propriedades mecânicas dos concretos e as variáveis que influenciam esses parâmetros.
Mostrar mais

13 Ler mais

Comportamento mecânico de um solo da formação Guabirotuba com adição de resíduo de rochas ornamentais

Comportamento mecânico de um solo da formação Guabirotuba com adição de resíduo de rochas ornamentais

A cidade de Curitiba e região metropolitana situam-se sobre uma bacia sedimentar caracterizada pela unidade geológica denominada Formação Guabirotuba. Predomi- nando em sua composição argilas siltosas e siltes argilosos, sendo possível, a ocor- rência de materiais granulares. Devido suas propriedades físico-mecânicas, sua baixa capacidade de suporte, alta compressibilidade e erodibilidade, os solos sedimentares muitas vezes não podem ser empregados como material de base e sub-base de pa- vimentos, em estabilização de encostas e taludes ou mesmo para suportar fundações superficiais. Diante da problemática de ocorrência de solos com propriedades impró- prias para obras de engenharia duas opções se apresentam, a primeira é a remoção parcial ou total do material e a segunda busca o melhoramento de suas propriedades com a finalidade de torna-lo apto para a aplicação que esteja submetido. Em diversas situações o melhoramento do solo é realizado com a adição de resíduo, por meio de técnicas de estabilização de solo. Neste trabalho será utilizado resíduo de rochas or- namentais (RRO) principalmente porque o Brasil ocupa a quarta posição no ranking dos maiores produtores de rochas ornamentais do mundo. Diante de tal perspectiva, esta pesquisa buscou realizar um estudo do comportamento mecânico de um solo da formação Geológica Guabirotuba em seu estado puro e posteriormente com adição de resíduo de rochas ornamentais, em quatro teores diferentes (3%, 5%, 7% e 9%) e em três tempos de cura (30, 60 e 90 dias), visando analisar a influência do resíduo com o decorrer do tempo. Os principais ensaios mecânicos realizados foram: com- pactação Proctor nas três energias (normal, intermediária e modificada), índice de su- porte Califórnia (ISC), resistência à compressão simples (q u ), resistência à tração por
Mostrar mais

127 Ler mais

Rochas Ornamentais de Timor Leste

Rochas Ornamentais de Timor Leste

Relativamente aos mármores, estes ocorrem em lentículas e intercalados em rochas básicas, apresentam-se dobrados e estirados e com espessuras muito variáveis ao longo dos afloramentos. Até agora foi possível identificar duas sequências principais, uma textural e cromaticamente mais homogénea, a mais interessante como rocha ornamental, corresponde a mármores claros, por vezes brancos, com textura fina. A outra sequência corresponde uma fácies bandada com intercalações finas de filossilicatados, epidoto, vesuvianite e granadas (mármores impuros), de um modo geral são mais escuros e apresentam texturas mais grosseiras. As variações laterais de fácies são frequentes e embora alguns façam lembrar, por exemplo, os mármores de Viana do Alentejo. A reduzida possança destes níveis torna difícil, no imediato, a sua exploração para fins ornamentais.
Mostrar mais

8 Ler mais

Estudo da durabilidade de betão estrutural com incorporação de cinzas do electrofiltro

Estudo da durabilidade de betão estrutural com incorporação de cinzas do electrofiltro

Neste trabalho apresenta-se um programa experimental que visa estudar a incorporação de cinzas do electrofiltro, um dos resíduos da indústria da pasta de papel como substituição parcial do cimento. Para determinar as potencialidades deste material este estudo descreve-se a sua caracterização com recurso a análises químicas, mineralógicas, granulometria laser, análise por microscopia electrónica de varrimento. A sua avaliação como substituição parcial do cimento é efectuada por comparação de parâmetros de resistência e durabilidade entre provetes de argamassa com diferentes percentagens de substituição e provetes de controlo (nos quais não se efectuou qualquer substituição do cimento).
Mostrar mais

74 Ler mais

Geoambiente e indústria das rochas ornamentais

Geoambiente e indústria das rochas ornamentais

Como critérios prioritários que devem aplicar-se para a identificação dos factores do meio susceptíveis de receber impactos, podem citar-se:A representatividade da extensão do terreno af[r]

8 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados