Top PDF Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica.

Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica.

Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica.

Os doentes em primeira consulta, ou seja, sem acompanhamento ambulatorial definido até a entre- vista, apresentaram uma pior qualidade de vida. No DLQI, as diferenças foram significativas tanto no “Escore total” (p=0,004) quanto nos domínios “Sintomas e sentimentos” (p=0,001), “Trabalho/esco- la” (p=0,042) e “Relações interpessoais” (p=0,025). O SF-36 mostrou comprometimento significativo ape- nas no domínio “Aspectos físicos” (p=0,036). Metade da casuística deste estudo estava em sua primeira con- sulta no Ambulatório de Urticária. Isto sugere que muitos destes doentes estavam sem o controle e as orientações adequados sobre tratamento e desenca- deamento da urticária crônica, estando alguns até mesmo sem qualquer tratamento. Isto certamente contribuiu para este impacto negativo na qualidade de vida.
Mostrar mais

8 Ler mais

Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica

Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica

Antes de se discutir o resultado demográfico deste estudo, é necessário ressaltar que a casuística aqui apresentada, não reflete completamente o real fluxo de doentes atendidos no Ambulatório de Urticária da UNIFESP. O principal objetivo deste estudo foi avaliar a qualidade de vida dos doentes com urticária crônica, e para isto questionários, como o DLQI, foram utilizados. A urticária crônica comumente apresenta variações semanais dos sintomas, assim, participaram desta casuística apenas os doentes que apresentaram sinais e sintomas da doença nos últimos sete dias referentes à data do atendimento, ou seja, muitos outros doentes do ambulatório foram excluídos do estudo por estarem assintomáticos há mais de sete dias.
Mostrar mais

100 Ler mais

Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica

Estudo da qualidade de vida nos pacientes com urticária crônica

The patients with up to one year of the disease had poorer quality of life scores, with statistically sig- nificant differences in the following domains of the DLQI: leisure (p=0.018), p[r]

8 Ler mais

Estudo da relação entre a gravidade dos sinais, dos sintomas e da qualidade de vida em pacientes portadores de doença venosa crônica.

Estudo da relação entre a gravidade dos sinais, dos sintomas e da qualidade de vida em pacientes portadores de doença venosa crônica.

Nesta amostra de pacientes com DCV, houve uma correlação positiva entre a gravidade dos sinais clínicos e a intensidade dos sintomas, e uma correlação negativa com a qualidade de vida, que é gravemente comprometida, em seus aspectos físicos e emocionais. A vitalidade, a saúde mental e os aspectos sociais podem estar comprometidos já nos estágios iniciais da doença. Estudos de coorte populacionais devem ser realizados para uma melhor compreensão da correlação dos sinais clínicos da DVC e os sintomas e a qualidade de vida.

7 Ler mais

Influência do sistema de fornecimento de oxigênio na qualidade de vida de pacientes com hipoxemia crônica.

Influência do sistema de fornecimento de oxigênio na qualidade de vida de pacientes com hipoxemia crônica.

Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa local. Todos os participantes assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Quarenta e cinco pacientes com DPOC foram recrutados do ambulatório do tórax: vinte e quatro apresentavam hipoxemia crônica (PaO 2 < 55 mmHg), de acordo com os critérios da Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD, Iniciativa Global para a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), (4) e

7 Ler mais

Religiosidade e qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise.

Religiosidade e qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise.

IRC de um hospital da região oeste do esta- do de Santa Catarina que o domínio relações sociais apresentou as maiores médias. Os do- mínios físicos e psicológicos apresentaram os menores percentuais de médias. No domínio físico, o comprometimento se justiica pela cronicidade da doença, que resulta em di- versos comprometimentos osteomioarticu- lares. No domínio psicológico, observou-se uma percepção negativa para QV, manifesta- da por meio das alterações comportamentais. Os pacientes declararam a existência de sen- timentos negativos, alterações de sono e con- centração, insatisfação consigo mesmo (au- toconceito), com a aparência (autoimagem) e com a situação de portador de patologia crônica. Também os aspectos desesperança, ansiedade, depressão e autoconceito resulta- ram em níveis negativos no sentido de piorar seu quadro emocional, naquele estudo.
Mostrar mais

10 Ler mais

Avaliação da qualidade de vida após sinusectomia endoscópica para rinossinusite crônica.

Avaliação da qualidade de vida após sinusectomia endoscópica para rinossinusite crônica.

O nosso estudo apresenta algumas limitações. Uma delas seria a ausência de um grupo controle, que evitaria o viés da melhora clínica ter sido influenciado pela evolução natural da doença em alguns casos ou pelo efeito placebo. Entretanto, todos os pacientes que fizeram cirurgia já haviam realizado tratamento medicamentoso prolongado antes da indicação cirúr- gica e não obtiveram melhora clínica. Outro ponto é a realização em uma unidade terciária de atendimento. A nossa amostra é composta normalmente de casos mais complexos. Uma das formas de reduzirmos este viés foi a inclusão no estudo apenas de pacientes não operados previamente.
Mostrar mais

7 Ler mais

Religiosidade e Qualidade de Vida dos Pacientes com Insuficiência Renal Crônica em Hemodiálise

Religiosidade e Qualidade de Vida dos Pacientes com Insuficiência Renal Crônica em Hemodiálise

Esta pesquisa teve como objetivo estudar a religiosidade e a qualidade de vida (QV) de 100 pacientes com insuficiência renal crônica em hemodiálise, com idades variando entre 18 anos e 90 anos, sendo 50 pacientes do sexo masculino e 50 do feminino. Após os procedimentos éticos, na coleta de dados foram aplicados os seguintes questionários: Dados Sócio-Demográficos, formulário WHOQOL- Abreviado e Escala de Atitude Religiosa. Para as análises estatísticas os dados foram digitados na plataforma do SPSS, sendo realizados cálculos de percentagem, analisados alfa de Cronbach, utilizados o teste T de Student, cálculos de correlação de Pearson, análise de variância, além das médias e desvios padrão para a descrição do perfil dos participantes. Durante todo o processo de coleta de dados foi utilizado um diário de campo para as anotações informais sobre o conteúdo das falas dos pacientes, sendo estas apresentadas em quadros com as interpretações positivas e negativas dos seus discursos, através da análise de Bardin e Léxica. Os resultados encontrados permitiram identificar que os pacientes em estudo tinham o tempo mínimo de 12 meses e tempo máximo de 300 meses da doença renal crônica, com uma variação de 1 mês de tratamento à 144 meses. Quanto às opções religiosas, 60% da amostra se autodenominou católica. Com relação a carga fatorial mínima considerada para interpretação dos componentes, verificou-se que na escala de atitude religiosa, o primeiro componente reuniu 8 itens, com saturação variando de 0,83 a 0,48, apresentou desvio padrão de 8,6 e uma variância de 74,6%, com alfa de Cronbach de 0,87. O segundo componente agrupou 6 itens, com saturação variando de 0,80 a 0,55, desvio padrão de 7,7 e uma variância de 59,1%, alfa de Cronbach de 0,86. O terceiro componente coligou 7 itens, com uma variação de 0,70 a 0,47, desvio padrão foi de 5,8 e a variância de 34,1
Mostrar mais

92 Ler mais

Dor, cinesiofobia e qualidade de Vida em pacientes com lombalgia crônica e depressão.

Dor, cinesiofobia e qualidade de Vida em pacientes com lombalgia crônica e depressão.

Objetivo: Descrever características de dor, cinesiofobia e quali- dade de vida em pacientes com lombalgia crônica associada a depressão. Métodos: Estudo de delineamento transversal em que foram incluídos 193 indivíduos com lombalgia crônica. A presença de depressão foi determinada pelo Inventário de Depressão de Beck, a partir de ponto de corte validado pela Mini International Neuropsychiatric Interview. A intensidade e a qualidade da dor nos grupos com e sem depressão foram avaliadas pelo Questionário McGill. A Escala Tampa para Cinesiofobia foi aplicada para avaliar medo do movimento. Com relação à qualidade de vida, utilizou-se o Medical Outcomes Study 36. O nível de significância estatístico estabelecido foi p< 0,05. Resultados: A prevalência de depres- são foi de 32,1%. O grupo com depressão teve pior pontuação com relação à dor, cinesiofobia e qualidade de vida (capacidade funcional, aspectos físicos, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais, aspectos emocionais e saúde mental). Conclu- são: Pacientes com lombalgia e depressão apresentaram maior intensidade de dor, maior medo de movimento e pior qualidade de vida. Nível de Evidência III, Corte Transversal.
Mostrar mais

3 Ler mais

Relação Diádica e Qualidade de Vida de Pacientes com Doença Renal Crônica.

Relação Diádica e Qualidade de Vida de Pacientes com Doença Renal Crônica.

Introdução: A Insuficiência Renal Crônica (IRC) e o tratamento dialítico provocam uma sucessão de situações para o doente renal crônico, que compromete o seu aspecto, não só físico como psicológico, com repercussões pessoais, familiares e sociais. Objetivo: (1) verificar a existência de diferenças do relacionamento diádico (RD) de acordo com o Tratamento Substitutivo Renal (TSR) e (2) verificar a existência de diferenças da qualidade de vida (QDV) de acordo com o TSR. Métodos: O presente estudo transversal é de carácter descritivo mediante inquéritos, exploratório e correlacional. A amostra é constituída por 125 participantes. Destes, 31 encontravam-se a efectuar TSR por diálise peritoneal automatizada (DPA) e 94 por hemodiálise (HD). Os participantes foram selecionados de três centros renais: (1) Centro Renal da Prelada (Porto); (2) Centrodial (São João da Madeira); e Centro Renal da Misericórdia de Paredes (Paredes). O estudo realizou-se durante 6 meses. Aplicou-se os seguintes instrumentos: Questionário Sociodemográfico e clínico (QSD&C); Dyadic Adjustment Scale (DAS); World Health Organization Quality of Life (WHOQOL-Bref). Resultados: Os resultados demonstram a existência de diferenças estatisticamente significativas entre o tipo de TSR e a maioria dos domínios de QDV, bem como, a existência de diferenças estatisticamente significativas entre as subescalas do Ajuste Diádico avaliadas e o tipo de TSR. Conclusão: O presente estudo demonstra um maior comprometimento ao nível da QDV dos indivíduos submetidos a tratamento por HD quando comparados com os submetidos à DPA. Verifica-se, igualmente, que o AD é mais fortemente percebido pelos pacientes em DPA do que com HD.
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação da qualidade de vida e do tratamento fisioterapêutico em pacientes com cervicalgia crônica.

Avaliação da qualidade de vida e do tratamento fisioterapêutico em pacientes com cervicalgia crônica.

No presente estudo foi constatado que após o tra- tamento com a Tens, a radiação infravermelha, os exercícios e a massagem terapêutica, os pacientes com cervicalgia crônica apresentaram resultados sa- tisfatórios nos domínios de qualidade de vida, com maior destaque para o domínio físico, seguido pelo psicológico, independência e social. Antes do trata- mento fisioterapêutico, os pacientes estavam apáticos e irritados e com uma visão pessimista em relação à própria saúde. Esses dados mostram que a utilização do instrumento de qualidade de vida foi importante, pois forneceu impressões pessoais de cada paciente,
Mostrar mais

9 Ler mais

Comorbidade psiquiátrica diminui a qualidade de vida de pacientes com enxaqueca crônica.

Comorbidade psiquiátrica diminui a qualidade de vida de pacientes com enxaqueca crônica.

oito aspectos da qualidade de vida: capacidade funcional, aspectos físicos, aspectos emocionais, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais e saúde mental. Pacien- tes foram divididos nos seguintes grupos: enxaqueca crô- nica associada a transtornos de ansiedade, transtorno de ansiedade generalizada, transtornos de ansiedade com pe- lo menos um episódio depressivo maior, com episódio de- pressivo maior e comparados a pacientes com enxaqueca crônica sem comorbidade psiquiátrica. Os oito domínios do questionário SF-36 foram analisados. O estudo foi aprova- do pelo Comitê de Ética em Pesquisa e os pacientes assina- ram consentimento informado.
Mostrar mais

5 Ler mais

Rev. paul. pediatr.  vol.35 número1

Rev. paul. pediatr. vol.35 número1

Métodos: Estudo transversal de 51 pacientes juntamente com seus responsáveis, aos quais foram aplicados dois questionários de qualidade de vida, o Escore da Qualidade de Vida na Dermatologia Infantil (CDLQI) e o Impacto da Dermatite Atópica na Família (DFI). Para avaliar a gravidade da doença, os pesquisadores aplicaram o índice de Severity Scoring of Atopic Dermatitis (SCORAD). A correlação linear de Pearson foi aplicada para averiguar a correspondência entre os instrumentos CDLQI, DFI e SCORAD, e o coeiciente de contingência C para avaliar a associação entre as variáveis qualitativas. Considerou-se signiicante p<0,05. Resultados: Dos pacientes, 55% pertenciam ao sexo feminino. A idade média foi de 9.5±3.2 anos, e 41% tinha renda familiar de até um salário-mínimo. A média dos escores foi de 5.4±5.1 para o CDLQI, 6.6±4.5 para o DFI e 28.3±19.8 para o SCORAD. Atestou-se correlação altamente signiicante entre os escores CDLQI, DFI e SCORAD pela correlação linear de Pearson (p<0.001).
Mostrar mais

6 Ler mais

Avaliação da qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em tratamento...

Avaliação da qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal crônica em tratamento...

Instrumentos de avaliação de estado de saúde: foram criados para serem aplicados em diversas patologias por proporcionarem uma avaliação abrangente sobre a QV. Permitem a comparação dos efeitos de uma intervenção terapêutica em diferentes patologias e podem ser utilizados para qualquer população. Sua desvantagem é que não permitem o estudo de alguns aspectos particulares de determinados pacientes, podendo deixar de detectar uma melhora ou piora quando esta acontece. Neste grupo, destacam-se o Sickness Impact Profile (SIP), Nottingham Health Profile, EuroQOL (EQ-5D), Schedule for Evaluation of Individual Quality of Life (SEIQOL), Patient Generated Index (PGI), Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey (SF-36), World Health Organization Quality of Life (WHOQOL-100) e a forma abreviada do mesmo (29, 34, 35)
Mostrar mais

106 Ler mais

Depressão, função cognitiva e qualidade de vida em pacientes com hepatite crônica...

Depressão, função cognitiva e qualidade de vida em pacientes com hepatite crônica...

Nosso estudo constatou quanto à qualidade de vida relacionada à saúde avaliada pelo SF-36 que há uma piora da autopercepção do paciente, ao longo do tratamento antiviral, nos seguintes domínios: capacidade funcional, aspectos físicos, dor, estado geral de saúde, vitalidade, aspectos sociais, aspectos emocionais e saúde mental com exceção do domínio “estado geral de saúde”. Há uma piora no escore geral do SF-36, o que nos leva a afirmar que durante o tratamento antiviral nossa casuística vivenciou prejuízos importantes relacionados à qualidade de vida relacionada à saúde. Trata-se de uma manifestação clínica importante, pois estes pacientes ficam sensíveis; irritados; desanimados; havendo uma piora nas dimensões da saúde, ocorrendo limitações funcionais e que apontam para deficiências. 89
Mostrar mais

119 Ler mais

Qualidade de vida de pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento de hemodiálise.

Qualidade de vida de pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento de hemodiálise.

de vida de pacientes no serviço de hemodiálise os pacientes relataram que esta representa um tratamento que lhes possibilita o bem-estar físico e o prolongamento da vida. Evidencia-se a existência de vários sentimentos relacionados à irreversibilidade da doença renal e a obrigatoriedade de submissão ao tratamento. Na análise dos resultados deste estudo obser vou-se que a hemodiálise tem diferentes significados para cada depoente. Cada um deles revelou a dificuldade em lidar com as restrições que afetam e influenciam a sua qualidade de vida, e articulam expectativas diversificadas em relação ao transplante renal. Os pacientes demonstraram suas esperanças na crença em um ser
Mostrar mais

4 Ler mais

ASSOCIAÇÃO ENTRE ANSIEDADE E DEPRESSÃO E A QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM HEMODIÁLISE.

ASSOCIAÇÃO ENTRE ANSIEDADE E DEPRESSÃO E A QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM HEMODIÁLISE.

RESUMO: O objetivo foi analisar a relação entre a ansiedade e depressão e qualidade de vida de pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico. Estudo correlacional, de corte transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 100 pacientes renais em tratamento em uma Unidade de Terapia Renal Substitutiva do interior do Estado de São Paulo. Os dados foram coletados a partir do questionário para caracterização sociodemográica, Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão e Kidney Disease and Quality of Life Short-Form. Veriicou-se a existência de correlação negativa entre a ansiedade e depressão com os domínios de qualidade de vida. Ademais, a média dos domínios do Kidney Disease and Quality of Life Short-Form foram signiicativamente menores nos pacientes com sintomas ansiosos e depressivos. Conclui-se que existe correlação negativa entre a depressão e ansiedade com a qualidade de vida relacionada à saúde de pacientes com doença renal crônica em tratamento hemodialítico.
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação de qualidade de vida dos pacientes submetidos à cirurgia de amputação abdominoperineal do reto com colostomia abdominal ou colostomia perineal

Avaliação de qualidade de vida dos pacientes submetidos à cirurgia de amputação abdominoperineal do reto com colostomia abdominal ou colostomia perineal

Os pacientes que tinham retornos ambulatoriais programados no período foram entrevistados durante as consultas de enfermagem e depois de orientados sobre os objetivos do estudo, o seu caráter sigiloso, o destino dos resultados descritos no termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE) (Apêndice A), e de terem concordado em participar assinando o mesmo. Para os pacientes que não tinham retornos programados no período, foi realizado um contato telefônico, no qual a explicação sobre os objetivos do estudo, o seu caráter sigiloso, o destino dos resultados descritos no TCLE, foi feita conforme um roteiro pré-estabelecido (Apêndice B). Além disso, a informação de que, posteriormente, duas cópias do TCLE seriam encaminhadas a eles pelo correio também foi dada, sendo que uma cópia deveria ser reencaminhada devidamente assinada para o pesquisador.
Mostrar mais

88 Ler mais

Adesão ao tratamento da urticária crônica.

Adesão ao tratamento da urticária crônica.

Este trabalho apresenta o estudo de caso de uma mulher encaminhada ao serviço de psicologia de um hospital universitário com diagnóstico de urticária crônica. A queixa principal foi de que, apesar da adesão ao tratamento, os sintomas permaneciam. O objetivo foi auxiliar a cliente na instalação de novos repertórios e na generalização de padrões adequados já instalados, buscando melhor controle da urticária. Realizaram-se dez sessões de atendimento ambulatorial utilizando-se o modelo construcional, da abordagem analítico-comportamental, por meio de análises funcionais de episódios relatados pela cliente. Resultados indica- ram multicausalidade no desencadeamento e manutenção dos sintomas. O treino em análise de contingências favoreceu melhor controle dos fatores ambientais. A cliente aderiu adequadamente ao uso do medicamento após estabelecer relações funcionais entre sintomas e estressores ambientais, promovendo redução dos sintomas e melhor controle da doença. Concluiu-se que o atendimento auxiliou na melhora da qualidade de vida da cliente, destacando-se a relevância da adesão ao tratamento. Unitermos: tratamento; modelo construcional; urticária, qualidade de vida.
Mostrar mais

12 Ler mais

3. Avaliação da qualidade de vida de idosos em hemodiálise pelo questionário KDQOL

3. Avaliação da qualidade de vida de idosos em hemodiálise pelo questionário KDQOL

Resumo: Por meio deste artigo objetivou-se avaliar a qualidade de vida através do questionário KDQOL (Kidney Disease Quality of Life) em idosos em hemodiálise, correlacionando os dados desse questionário com idade e condições socioeconômicas. Trata-se de um estudo transversal em pacientes com idade maior que 60 anos, portadores de doença renal crônica em hemodiálise em dois centros da cidade de São Paulo: Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo e Hospital Samaritano. Para mensurar os indicadores o questionário foi aplicado uma hora antes da realização da sessão de hemodiálise. Foram estudados 18 pacientes com média de idade de 71,3 ± 6,8 anos, sendo 61,1% do sexo masculino, 77,7% brancos, com tempo de tratamento hemodialítico de 29,2 ± 27,6 meses, todos realizando três sessões semanais, com duração de 3,8 ± 0,4h por sessão e a grande maioria (61%) realizando sessões por fistula arteriovenosa. Os escores pior avaliados foram saúde geral, função sexual, funcionamento físico e efeitos da doença renal. Foi encontrada correlação negativa de idade com o estímulo por parte da equipe de diálise e com saúde geral, sendo esses efeitos mais perceptíveis nos pacientes com maior escolaridade.
Mostrar mais

11 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados