Top PDF A gestão democrática e a administração dos recursos nas escolas públicas da rede estadual de ensino no município de Sousa-Pb

A gestão democrática e a administração dos recursos nas escolas públicas da rede estadual de ensino no município de Sousa-Pb

A gestão democrática e a administração dos recursos nas escolas públicas da rede estadual de ensino no município de Sousa-Pb

Este artigo apresenta um estudo das políticas democráticas e a gestão financeira dos recursos destinados às escolas públicas estaduais do município de Sousa-PB, desde o envio dos recursos, planejamento, execução e controle afim de que haja uma gestão eficiente para garantir educação de qualidade. O desenvolvimento da pesquisa se dá através de um referencial teórico e levantamento de quais programas que o Governo federal utiliza como ponte para envio dos recursos financeiros às instituições de ensino. Entre os resultados observados nota-se que o maior desafio em gerir esses recursos, é a forma pré- determinada pelo Governo Federal que não condiz com a realidade de cada unidade escolar. Conclui-se que apesar das dificuldades é possível gerir com responsabilidade e aplicar de forma correta todos os recursos percebidos nas unidades escolares, porém, não se pode deixar de frisar que os investimentos na educação básica ainda não são suficientes para colocar o Brasil numa posição privilegiada no ranking mundial.
Mostrar mais

23 Ler mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA: SUAS REPERCUSSÕES NA QUALIDADE DO ENSINO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIOMA

GESTÃO DEMOCRÁTICA: SUAS REPERCUSSÕES NA QUALIDADE DO ENSINO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DO MUNICÍPIO DE ROSÁRIOMA

públicas educacionais de Lauro de Freitas (BA)”. Foi apresentada ao Curso de Mestrado em Administração do programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Salvador - UNIFACS, em 2012, cujo foco principal é expor as principais características encontradas e as que estão ausentes no desenvolvimento de verdadeiras competências da qualidade de ensino na gestão das escolas públicas municipais de Lauro de Freitas. Este estudo foi norteado pelos seguintes questionamentos: Qual a percepção do conceito de competência educacional pelos gestores de instituições educacionais de Lauro de Freitas? Esse conceito quando aplicado estaria colaborando na feitura de questões mais eficazes nas escolas públicas municipais? Quais competências necessárias para a realização do papel do gestor estão presentes na gestão escolar pública no município de Lauro de Freitas e quais as que estão ausentes? Esta pesquisa foi grandemente notável na efetuação do presente estudo, visto que possibilitou saberes significativos no que se refere à importância e aplicabilidade da gestão de qualidade no âmbito educacional, apontando-a como um instrumento imprescindível na condução exitosa dos processos que se realizam na escola. No trabalho referido foram utilizados os pressupostos da pesquisa qualitativa, adotando como mecanismo de coleta de informações a utilização de questionários com indagações objetivas e subjetivas. A autora concluiu com a sua pesquisa que não há aplicação concreta da concepção de competência em gestão escolar pública no Município de Lauro de Freitas, por várias razões, cita-se a mais evidenciada: o papel do gestor competente esteve excessivamente atrelado à gestão administrativa, sobretudo, no que tange os recursos financeiros e materiais, apresentando uma lacuna expressiva no trato da função gestora pedagógica, como também de recursos humanos. Este estudo, também, depreendeu que a obtenção da competência do gestor escolar para sua ação de gestar está extremamente condicionada a redimensionar seu olhar, de modo a transcender os limites dos muros da escola e municiar-se de saberes extrínsecos e trazê-los para o seu interior.
Mostrar mais

124 Ler mais

Gestão democrática: suas repercussões na qualidade do ensino nas escolas estaduais do Município de Rosário/MA

Gestão democrática: suas repercussões na qualidade do ensino nas escolas estaduais do Município de Rosário/MA

públicas educacionais de Lauro de Freitas (BA)”. Foi apresentada ao Curso de Mestrado em Administração do programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Salvador - UNIFACS, em 2012, cujo foco principal é expor as principais características encontradas e as que estão ausentes no desenvolvimento de verdadeiras competências da qualidade de ensino na gestão das escolas públicas municipais de Lauro de Freitas. Este estudo foi norteado pelos seguintes questionamentos: Qual a percepção do conceito de competência educacional pelos gestores de instituições educacionais de Lauro de Freitas? Esse conceito quando aplicado estaria colaborando na feitura de questões mais eficazes nas escolas públicas municipais? Quais competências necessárias para a realização do papel do gestor estão presentes na gestão escolar pública no município de Lauro de Freitas e quais as que estão ausentes? Esta pesquisa foi grandemente notável na efetuação do presente estudo, visto que possibilitou saberes significativos no que se refere à importância e aplicabilidade da gestão de qualidade no âmbito educacional, apontando-a como um instrumento imprescindível na condução exitosa dos processos que se realizam na escola. No trabalho referido foram utilizados os pressupostos da pesquisa qualitativa, adotando como mecanismo de coleta de informações a utilização de questionários com indagações objetivas e subjetivas. A autora concluiu com a sua pesquisa que não há aplicação concreta da concepção de competência em gestão escolar pública no Município de Lauro de Freitas, por várias razões, cita-se a mais evidenciada: o papel do gestor competente esteve excessivamente atrelado à gestão administrativa, sobretudo, no que tange os recursos financeiros e materiais, apresentando uma lacuna expressiva no trato da função gestora pedagógica, como também de recursos humanos. Este estudo, também, depreendeu que a obtenção da competência do gestor escolar para sua ação de gestar está extremamente condicionada a redimensionar seu olhar, de modo a transcender os limites dos muros da escola e municiar-se de saberes extrínsecos e trazê-los para o seu interior.
Mostrar mais

211 Ler mais

A gestão democrática participativa nas escolas e a formação dos profissionais de ensino da rede estadual de Santa Catarina

A gestão democrática participativa nas escolas e a formação dos profissionais de ensino da rede estadual de Santa Catarina

Este trabalho teve por objetivo a verificação da gestão democrática participativa e a formação continuada dos professores das escolas públicas do município de Jaguaruna/SC. A metodologia discorrida foi uma pesquisa qualitativa, realizando um levantamento sobre a forma de como os gestores e professores vêm se preparando em termos de formação para que a gestão democrática participava nas escolas seja uma realidade efetiva. Esta pesquisa foi realizada junto a equipe gestora e professores de todas as escolas públicas do município de Jaguaruna/SC sobre “gestão democrática participativa nas escolas e formação continuada dos profissionais de ensino da rede pública estadual de Santa Catarina”, para entender como estão sendo capacitados estes profissionais para vivenciar a gestão democrática nestas instituições. A partir da análise dos dados verificou-se que capacitações sobre gestão escolar são oferecidas apenas aos diretores de escola e que há pouco envolvimento da equipe gestora, aos professores e aos colaboradores na gestão democrática destas escolas observadas.
Mostrar mais

21 Ler mais

Gestão escolar e democrática de recursos financeiros, em um colégio da rede pública estadual de ensino

Gestão escolar e democrática de recursos financeiros, em um colégio da rede pública estadual de ensino

Esta pesquisa tem como objetivo realizar um estudo a respeito das políticas públicas da educação e de que forma a gestão democrática e a participação estão sendo praticadas nas escolas, seguindo as premissas dos fundamentos educacionais e os princípios da gestão democrática e participativa, para o ensino público, de acordo com a Constituição Federal, e suporte da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Dentro da gestão democrática e participativa, temos como apoio as decisões administrativas e financeiras dentro da rede de ensino publico a distribuição, utilização e prestação de contas, dos recursos recebidos, porém todavia é necessário a participação da comunidade envolvida no processo, estes agentes são criados a partir de Conselhos, estes por sua vez tem são os auxiliadores do corpo diretivo da escola, os mesmos tem uma contribuição de que irá fazer valer a autonomia para as escolas públicas no que se refere a gestão financeira. O conselho deve obter conhecimento através de formação adequada, assim torna-se cientes de seus objetivos dentro da organização escolar. O desenvolvimento da pesquisa se utilizou-se de um referencial teórico e levantamento dos valores recebidos da instituição, bem como a leitura de atas dos conselhos da escola. Mesmo com todo suporte aos autores e a legislação, fica claro que esta pesquisa deve-ser aprofundada com mais ênfase, dentro da participação social da comunidade
Mostrar mais

53 Ler mais

Gestão de recursos financeiros no setor educacional: uma análise das escolas da rede estadual de Pernambuco

Gestão de recursos financeiros no setor educacional: uma análise das escolas da rede estadual de Pernambuco

O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (SAEB) foi a primeira iniciativa, em escala nacional, para se conhecer profundamente o sistema educacional brasileiro. Ele começou a ser desenvolvido no final dos anos 80 e foi aplicado pela primeira vez em 1990. Em 1995, o SAEB passou por uma reestruturação metodológica que possibilita a comparação dos desempenhos ao longo dos anos. Desde a sua primeira avaliação, fornece dados sobre a qualidade dos sistemas educacionais do Brasil como um todo, das regiões geográficas e das unidades federadas (estados e Distrito Federal). Sua ocorrência se dá a cada dois anos e avalia uma amostra representativa dos alunos regularmente matriculados nas 4ª e 8ª séries do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio, de escolas públicas e privadas, localizadas em área urbana ou rural. É um sistema de avaliação amostral, ou seja, nem todas as turmas e estudantes das séries avaliadas participam da prova. A amostra de turmas e escolas sorteadas para participar do SAEB é representativa das redes estadual, municipal e particular no âmbito do País, das regiões e dos estados. Dessa forma, não há resultado por escola e por município. Participam alunos de 4ª e 8ª séries do ensino fundamental e os da 3ª série do ensino médio regular, tanto da rede pública quanto da rede privada, em área urbana e rural (neste último caso, apenas para a 4ª série, no nível das regiões geográficas) As duas avaliações têm a mesma metodologia. Por isto, desde 2007, passaram a ser operacionalizadas em conjunto. Como são avaliações complementares, uma não implica extinção da outra (Fernandes, 2007).
Mostrar mais

80 Ler mais

Gestão democrática e qualidade de ensino em escolas de educação básica

Gestão democrática e qualidade de ensino em escolas de educação básica

Outra estratégia adotada para viabilizar a participação nas escolas foram os Con- selhos de Classes organizados por turmas, séries ou ciclos escolares. Tais Conselhos foram considerados importantes nas escolas em que estavam implantados. Em geral, não foram muito enfatizados pelos entrevistados, mesmo porque alguns funciona- vam exclusivamente no período de fechamento de notas (bimestrais e semestrais), talvez secundarizando seu potencial como espaço de discussão pedagógica. Poucas escolas envolveram a presença de pais no Conselho de Classe. A exclusão dos pais, na maioria das escolas, possivelmente decorre da compreensão do Conselho de Clas- se ser um espaço específico de discussão do trabalho pedagógico, portanto restrito à atuação de docentes, coordenadores e diretores, revelando uma concepção mais restrita da participação dos pais.
Mostrar mais

14 Ler mais

Gestão democrática e a formação do gestor da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Sagrado Coração de Jesus-PB

Gestão democrática e a formação do gestor da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Sagrado Coração de Jesus-PB

Atualmente no contexto da educação brasileira, a Gestão Escolar tem ganhado um espaço importante em meio ao contexto educacional ao qual estamos inseridos. Dessa forma o presente trabalho vem debater as questões quanto a gestão democrática e a formação do Gestor da escola pública, em especial, estará se analisando a situação encontrada na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Sagrado Coração de Jesus – PB. Dessa forma, as práticas reflexivas que levaram a discussão do referente tema, giram em torno da necessidade de responder as questões sobre a formação do gestor bem como a gestão democrática está sendo vivenciada na escola pública.
Mostrar mais

40 Ler mais

Práticas de Gestão do Conhecimento de recursos humanos em escolas públicas

Práticas de Gestão do Conhecimento de recursos humanos em escolas públicas

Atualmente com os novos desafios da era da informação, Sánchez (2011) ressalta que a mudança de mentalidade das organizações sobre o valor do conhecimento evoluiu muito nos últimos tempos, podendo se afirmar que vivemos às portas da Sociedade do Conhecimento e do desenvolvimento qualitativo da Sociedade da Informação. Além disto, a Gestão do Conhecimento (GC) é um campo que permite ser aplicado a contextos educativos, que também busca a melhoria contínua de suas atividades. Estes grupos de "conhecimento" de ambientes educacionais podem ser beneficiados de alguns modelos de GC já existentes em outros tipos de organizações, assim como das pesquisas desenvolvidas neste domínio. Práticas de GC geram benefícios, sobretudo em campos tais como: as competências profissionais; o cooperativismo e satisfação; bem como da obtenção conhecimento e da informação comprovada. Com a mudança a GC passa a ser vista como um objeto importante e necessário para toda instituição, uma vez que já representa, em si, uma inovação. Ademais, as instituições têm buscado possibilidades para se converterem em organizações que apreciem o aprendizado, instituindo ambientes que promovam a criação e o compartilhamento de conhecimentos e ajustando-se ao meio cada vez mais agitado, no sentido de que vantagens competitivas necessitam ser reelaboradas de forma permanente.
Mostrar mais

10 Ler mais

O uso das novas tecnologias nas escolas públicas do município de Gurinhém-PB

O uso das novas tecnologias nas escolas públicas do município de Gurinhém-PB

Com o uso das tecnologias presentes na educação constata-se novas formas de ensino que buscam melhorias imediatas no processo ensino-aprendizagem. No entanto, não é de hoje que estudiosos falam sobre esse assunto em meio à educação. Com o avanço acelerado da globalização as tecnologias passaram a ser inseridas em nosso cotidiano e muitas informações chegam com maior intensidade através das redes conectadas ao computador. Desta forma, o presente estudo teve por objetivo principal identificar o uso que os professores fazem dos recursos tecnológicos em sua prática pedagógica dentro e fora sala de aula. Inicialmente, apresentamos as concepções de alguns teóricos que focam sobre as contribuições das TIC’s presentes na educação, tais como: Moran (2009); Belloni (2005); Almeida (2008); Lévy (2010); Kensky (2006), Sampaio e Leite (2002); dentre outros. Em um segundo momento, caminhamos pela história da educação, buscando identificar como as Tecnologias da Informação e Comunicação, vêm sendo percebida socialmente e culturalmente em meio à educação, tendo como embasamento teórico os autores que tratam da temática já citados a cima. Num terceiro momento, com o intuito de complementar de forma mais consistente este trabalho, foi realizado um estudo de caso seguido de uma abordagem qualitativa nas Escolas Municipais Serafina Ribeiro e Flaviano Ribeiro, ambas localizadas na zona urbana do Município de Gurinhém/PB, onde foram levantados dados sobre a temática através de questionários aplicados aos professores do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental I, das referidas escolas. Dessa forma, ressaltamos que os resultados desta pesquisa, revelaram a necessidade dos professores em ter uma formação específica para o manuseio das TIC’s. Formação esta, que possam contribuir em suas ações pedagógicas no seu cotidiano. Em suma, é necessário explicar que este trabalho não se furtou apenas a enfocar o uso das tecnologias no domínio de disciplinas e conteúdos. Mas, sobretudo, procurou refletir sobre suas reais contribuições para o processo ensino-aprendizagem e na formação de professores, como também na busca de novos paradigmas que possibilitem aos docentes, uma nova releitura de suas práticas em sala de aula.
Mostrar mais

56 Ler mais

O contexto do ensino de geometria nas áreas inicias em escolas da rede estadual do município de São José/SC

O contexto do ensino de geometria nas áreas inicias em escolas da rede estadual do município de São José/SC

Os Parâmetros Curriculares Nacionais propõem, para o ensino da Geometria, que se desenvolva a compreensão do mundo em que se vive, aprendendo a descrevê-lo, representá-lo e localizar-se nele, estimulando ainda a observar, perceber semelhanças e diferenças, a identificar regularidades, compreender conceitos métricos, e permitir o estabelecimento de conexões entre a Matemática e outras áreas do conhecimento. Porém, constata-se que este objetivo não está sendo realizado por diversas razões, tais como: o tema Geometria não estar normalmente em relevância no currículo e a falta de preparo do professor em Geometria, detectada após o movimento da Matemática Moderna no Brasil, onde a Álgebra é mais enfatizada.
Mostrar mais

46 Ler mais

Pensando sobre o uso das tecnologias da informação e comunicação no ensino de matemática em escolas públicas da cidade de Sousa - PB

Pensando sobre o uso das tecnologias da informação e comunicação no ensino de matemática em escolas públicas da cidade de Sousa - PB

[...] o essencial se encontra em um novo estilo de pedagogia, que favorece ao mesmo tempo as aprendizagens personalizadas e a aprendizagem coletiva em rede. Nesse contexto, o professor é incentivado a torna-se um animador da inteligência coletiva de seus grupos de alunos em vez de fornecedor direto de conhecimentos. Moran (2004) defende que o processo ensino-aprendizagem está sendo provocado como nunca, pois há muita informação, diversas fontes e diferentes visões de mundo convivendo na rede mundial de computadores. Educar tornou-se uma ação mais complexa porque as competências necessárias e a sociedade tornaram-se mais complexas. As tecnologias estão mais próximas do professor e do aluno, por isso o processo precisa ser repensado, sendo assim, é necessário reaprender a ensinar.
Mostrar mais

44 Ler mais

O valor atribuído à variação linguística: um olhar sobre o ensino fundamental da rede estadual na cidade de Sousa – PB

O valor atribuído à variação linguística: um olhar sobre o ensino fundamental da rede estadual na cidade de Sousa – PB

Sendo assim, compreendendo que o referido ensino não deva apenas se basear no caráter funcional da língua, mas que também seja capaz de promover uma educação mais democrática e igualitária, que valorize os aprendizes, criando as condições necessárias para que estes se tornem seres críticos e conscientes, que possam atuar de forma satisfatória em diferentes situações de uso da língua, e sabendo que o ensino de Língua Portuguesa tem sido objeto constante de estudos que buscam refletir sobre a forma como o mesmo se configura na prática, observando seus diferentes aspectos, e sugerindo propostas que visem satisfazer a necessidade de se desenvolver uma metodologia de ensino de língua materna que observe a realidade vivida pelo aluno, considerando os conhecimentos prévios apresentados pelo mesmo, o presente trabalho resulta de uma pesquisa que contou com a participação de professores de Língua Portuguesa do segundo segmento do Ensino Fundamental, utilizando como instrumento de coleta de dados um questionário contendo perguntas subjetivas (Apêndice).
Mostrar mais

46 Ler mais

Políticas públicas e administração democrática.

Políticas públicas e administração democrática.

Nesse honroso mister, necessário se fez apreciar os perfis das po- líticas sob a ótica procedimental de sua elaboração, em sentido amplo, aí consideradas as formas compactas e as sequenciais, para, nas últimas, conhecer-lhes as diferentes etapas integrantes. Também a questão da le- galidade, pela submissão à previsão constitucional, legal ou infralegal se fez visitada, aportando em considerações relativas à legitimação estatal e privada para as referidas policies, ponto nodal da abordagem, dada a imperatividade de se afirmar que as políticas, embora tenham sua formu- lação e fases subsequentes intimamente ligadas ao Estado-administração – registrando-se autores que empregam o advérbio “sempre” para qualifi- car-lhes a relação Estado x políticas – indispensável reconhecer que, nos dias atuais, em seu estado d’arte, a importância da ação dos outros autores de políticas, como agentes políticos, agentes públicos, particulares, gru- pos associativos de interesses e pressões, todos a compor a exata noção de participação democrática, dando seu contributo à construção de uma sociedade mais plural e contínua, em que os compromissos da Constitui- ção sejam responsável e lucidamente cumpridos, segundo as noções de dignidade humana e os imperativos de responsabilidade social se vejam conjugados às realidades fáticas e econômico orçamentárias.
Mostrar mais

28 Ler mais

Gestão escolar democrática: implicações na sua organização em escola na rede estadual de ensino na cidade de Quilombo, SC

Gestão escolar democrática: implicações na sua organização em escola na rede estadual de ensino na cidade de Quilombo, SC

O presente trabalho é resultado de pesquisa desenvolvida em escola pública estadual na cidade de Quilombo – SC. Buscou-se através da pesquisa conhecer e trazer à luz algumas das implicações que têm decorrido na organização escolar para a efetivação da gestão escolar democrática. A pesquisa desenvolveu-se pelo método qualitativo de pesquisa por meio de revisão bibliográfica e de estudo de caso, com análise de documentos institucionais, atas e Projetos Político-Pedagógicos (PPPs) dos anos entre 2010 a 2015. Categorizadas a partir dos elementos constitutivos da gestão democrática sendo: participação, pluralismo, autonomia e transparência, as principais implicações constatadas nos dão conta que a gestão escolar democrática tem esbarrado especialmente pelo não comprometimento e criação por parte da equipe diretiva dos meios necessários ao seu desenvolvimento.
Mostrar mais

22 Ler mais

A gestão das escolas públicas em Portugal : a (in)satisfação dos docentes com o actual regime de administração e gestão das escolas públicas portuguesas

A gestão das escolas públicas em Portugal : a (in)satisfação dos docentes com o actual regime de administração e gestão das escolas públicas portuguesas

obrigando a um “procedimento concursal, prévio à eleição” e à criação de uma comissão “especialmente designada para o efeito de elaborar um relatório de avaliação”», estabelecendo ambiguidades e constrangimento sobre a «legitimidade que o Conselho tem para proceder, de pleno direito, à eleição do “director”». Para este investigador e para o CNE (2008:3-ponto 34) já a experiência do DL 172/91, demonstrou as confusões deste “sistema híbrido”, por submeter a lógica democrática à lógica burocrática, e por mostrar a ineficácia dos seus propósitos. Também a FENPROF (2008:2-ponto 4) refere que o relatório final do CAA sobre aquele modelo experimental de gestão considerou este processo de recrutamento como «"uma das zonas de maior ambiguidade do modelo", já que "as duas lógicas (concurso e eleição) são claramente distintas, por vezes opostas, mesmo que, conjunturalmente, possam produzir os mesmos resultados"». Se o motivo que esteve por trás foi o de garantir uma escolha fundamentada e criteriosa do Conselho, na mesma linha do CNE (Ibid.), Barroso (2008:8) salienta que basta a «audição dos candidatos pelo plenário do Conselho, a elaboração de pareceres prévios sobre as candidaturas, por um número determinado de membros, incidindo sobre o “curriculum vitae” e o “projecto de gestão”», e quanto à votação individual e secreta «não pode existir qualquer constrangimento ao direito dos eleitores escolherem livremente o candidato da sua preferência, em função da confiança que têm no seu mérito para exercerem com competência as funções que lhes estão atribuídas».
Mostrar mais

145 Ler mais

Efetividade do PROERD: o caso das escolas públicas do município de Campina Grande-PB

Efetividade do PROERD: o caso das escolas públicas do município de Campina Grande-PB

O modelo do ciclo de políticas públicas vê o processo de formação de uma política como um ciclo formado por vários estágios e constituindo um processo dinâmico e de aprendizado (CONCEIÇÃO; GOMES, 2015), sendo composto das seguintes etapas: definição da agenda, identificação de alternativas, avaliação e seleção das opções, implementação e avaliação. Para Rua (2012) as fases são: formação da agenda, formação das alternativas e tomada de decisão, implementação e avaliação. Já para Frey (2000) a divisão deve ser: percepção e definição de problemas, agenda-setting, elaboração de programas e decisão, implementação de políticas e, finalmente, a avaliação de políticas e a eventual correção da ação. As divisões do ciclo político nas diversas propostas se diferenciam gradativamente, é comum a todas as propostas as fases da formulação, da implementação e do controle dos impactos das políticas.
Mostrar mais

36 Ler mais

O discurso de gestão democrática na administração da educação no município de Santa Cruz do Capibaribe

O discurso de gestão democrática na administração da educação no município de Santa Cruz do Capibaribe

Entrevista realizada com a atual Secretária de Educação no ano de 2001. Nessa época a entrevistada ainda não exercia o cargo de gestora municipal de educação. Deixa claro no decorrer da entrevista que sua “casa sempre foi o Quartel General da campanha” do prefeito José Augusto Maia, eleito no ano de 2001 e reeleito mais uma vez no ano de 2005. No segundo ano de governo deste prefeito a Senhora Maria do Socorro Ferreira Maia, exerceu o cargo de Secretária de Educação da cidade de Santa Cruz do Capibaribe – PE. Esta se encontra no cargo até os dias atuais. Na entrevista a Senhora Socorro Maia fez um relato sobre a vida do seu falecido esposo. Diz que ele foi um dos fundadores do MDB (Movimento Democrático Brasileiro) e que ele foi o responsável por preparar “Zé Augusto para ser o político da família. Ele preparou toda uma conscientização, as idéias, o amor por Santa Cruz e conseguiu passar para José Augusto e para Ernesto (seu filho) consequentemente.” Afirma na entrevista que foi candidata a vereadora por duas vezes e que não conseguiu se eleger porque “acreditava que o povo de Santa Cruz ia prestar atenção na sua trajetória de educação, mas infelizmente as pessoas não perceberam isso.” Fala de sua mãe e da homenagem que fizeram a ela ao colocarem o seu nome em uma das escolas municipais inauguradas na época da entrevista. Diz que no governo de Raimundo Aragão, também apoiado por sua família, a sua mãe foi convidada para exercer o cargo de Secretária de Educação. A entrevistada também responde a uma pergunta sobre as críticas feitas pela oposição de que “a sua família recebe dinheiro por fora”. Ela diz que “nunca visou essa coisa do financeiro”. Diz que foi professora de uma escola e passava tempos sem receber seu salário, foi Diretora Social do Clube Ypiranga e nunca ganhou um centavo. Foi vice-presidente da ASCAP e Secretária de Educação entre os anos de 1993 a 1996 e chegou a pagar do seu bolso para fazer viagens à Brasília. Encerrando a entrevista a Senhora Socorro Maia responde a pergunta sobre as insinuações de que os Maias mandam no governo e determinam certas posições mesmo sem cargos. Ela responde que “(...) quanto a gente influenciar, a gente vai influenciar porque a gente sempre trabalhou assim. (...) Então não vamos mudar agora que chegamos ao poder. Realmente as ações de José Augusto são ações conjuntas, de debates e a família participa ativamente disso aí .”
Mostrar mais

120 Ler mais

Descrição  da  utilização  dos  recursos  digitais  nas  escolas estaduais da 8ª Região de Ensino do Município de Catolé do Rocha- PB

Descrição da utilização dos recursos digitais nas escolas estaduais da 8ª Região de Ensino do Município de Catolé do Rocha- PB

A utilização dos recursos digitais na educação vem sendo incorporada pelas escolas como ferramentas auxiliares no processo de ensino-aprendizagem. Com a chegada das tecnologias de informação e comunicação (TIC) nas escolas, evidencia desafios e problemas relacionados aos espaços e aos tempos que o uso das tecnologias novas e convencionais provoca nas práticas que ocorre no cotidiano da escola. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi fazer um levantamento sobre a utilização dos recursos digitais nas escolas estaduais da 8ª Região de Ensino do Município de Catolé do Rocha-PB. Foi aplicado um formulário contendo duas perguntas objetivas sobre a importância dos recursos tecnológicos na escola e quanto a sua utilização no processo de ensino aprendizagem a um grupo de 50 professores dos 05 municípios (Riacho dos Cavalos, Catolé do Rocha, Mato Grosso, Jericó e Brejo do Cruz) que compõe a 8ª Região de Ensino do Estado da Paraíba. Diante dos resultados, notou-se que 44% dos professores entrevistados apontam a importância do uso das tecnologias educacionais sendo indispensável no processo ensino-aprendizagem enquanto 38% dos professores eventualmente ou raramente utilizam as TIC na sua prática pedagógica e 18% dos professores entrevistados não vêem de forma positiva o uso dessas ferramentas como forma de incluir no processo de formação educacional e profissional dos educandos as novas tecnologias educacionais, uma vez que essas tecnologias de informação e comunicação já fazem parte do cotidiano da qual elas se mostram indispensáveis no processo de formação desses indivíduos.
Mostrar mais

18 Ler mais

Escolas do campo no Município de São Luis do Curu: limites e desafios da gestão democrática

Escolas do campo no Município de São Luis do Curu: limites e desafios da gestão democrática

Trata-se aqui de uma discursão de muita relevância, visto que nossa sociedade, mesmo quando não estava do ponto de vista político na ditadura, ainda assim era muito conservadora, tradicional. Jessé Souza em seu livro “A Elite do Atraso: da escravidão a Bolsonaro” traz um debate muito importante sobre o estudo da sociedade brasileira, destacando as relações de autoritarismo e conservadorismo. Quando paramos para examinar as relações familiares, podemos perceber que essas relações estão fundadas na verticalidade de supremacia da racionalidade masculina sobre a feminina; do rico sobre o pobre; do pai sobre o filho, etc. Essa realidade é vista nas escolas, já são reprodutoras da lógica das relações antidemocráticas de dominação e que por muito tempo não tiveram seus currículos revisados. Tanto as escolas quanto as universidades permaneceram durante muito tempo com disciplinas criadas pelos ditadores, não disputando, na medida em que precisava uma narrativa democrática, o que levou os fascistas a ocuparem nossos espaços e nossos lugares. O que houve foram poucos momentos para que se tivesse uma abertura democrática de fato.
Mostrar mais

109 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados