Top PDF Gestão democrática da escola: construção e contradições

Gestão democrática da escola: construção e contradições

Gestão democrática da escola: construção e contradições

Esse trabalho apresenta uma reflexão acerca de gestão democrática como possibilidade de construção na escola pública. Componentes curriculares e o conhecimento produzido por autores possibilitou a elaboração da fundamentação teórica sobre o tema. As experiências de Estágio Supervisionado contribuíram para a relação teórica e prática, bem como determinar dados a serem obtidos, tendo como foco a gestão da escola frente a essa perspectiva. As questões do formulário orientaram a pesquisadora no registro e obtenção dos dados. A observação participante também nortearam nosso olhar com relação a gestão, e as possibilidades suscitas implicitamente no decorrer da escrita. Ao intitularmos este trabalho de pesquisa com o enunciado Gestão democrática da escola pública: uma construção e muitas contradições, objetivamos delimitar, a partir das experiências de Estágio Supervisionado, o processo local de construção da gestão democrática dentro de uma escola pública e, por outro lado, evidenciar, com base nos dados coletados e analisados, as contradições entre o conteúdo das falas e as práticas efetivadas de gestão.
Mostrar mais

33 Ler mais

Gestão democrática na escola: uma construção coletiva

Gestão democrática na escola: uma construção coletiva

Partindo desses pressupostos, devemos enfatizar então que a democracia na escola por si só não tem significado. Ele só faz sentido se estiver vinculada a uma percepção de democratização da sociedade. Na gestão democrática deve haver a compreensão da reunião de esforços coletivos para o implemento dos fins da educação, para tanto, exige a definição clara dos conceitos de autonomia, democratização, descentralização, qualidade e participação, que devem ser debatidos no interior das escolas. Assim como a compreensão e aceitação do princípio de que a educação é um processo de emancipação humana, que o Projeto Político- Pedagógico (PPP) e o Regimento Escolar devem ser elaborados através de construção coletiva e que além da formação deve haver o fortalecimento dos Conselhos Escolares.
Mostrar mais

31 Ler mais

Conselho de escola: espaço de limites e possibilidades na construção da gestão democrática

Conselho de escola: espaço de limites e possibilidades na construção da gestão democrática

Este estudo centra-se no Conselho de Escola, com foco no processo de construção da gestão democrática nas escolas públicas, com o objetivo de verificar os possíveis obstáculos, conflitos, limites e possibilidades que permeiam as ações desse colegiado. Analisa a construção histórica deste espaço, em meio às significações das “palavras sagradas”: democracia, autonomia e participação, o contexto de um Estado Patrimonialista e uma sociedade de ranço autoritário, e o recrudescimento destas características sociais a partir da implementação do Estado Neoliberal. Foi realizado um estudo de caso por meio de uma pesquisa empírica de abordagem qualitativa, tendo como objeto de estudo um Conselho de Escola da Diretoria de Ensino de Bauru/SP. A escola objeto de estudo foi escolhida em função de seu histórico de resistência à reorganização da rede de ensino, imposta pela Secretaria Estadual de Educação. Os dados foram coletados por meio de análise documental; de atas desse colegiado e da Associação de Pais e Mestres, artigos de jornal e legislação referente ao tema, planos de gestão, aplicação de questionário junto aos representantes dos diversos segmentos do Conselho de Escola e entrevistas realizadas com pessoas envolvidas na resistência da escola à implementação da reorganização da rede de ensino paulista. Concluímos que o pertencer às leis, não é suficiente para que a gestão democrática se efetive, e que o Conselho de Escola não se consolidou ainda como espaço público de participação legítima, mas é um processo a ser coletiva e continuamente construído.
Mostrar mais

254 Ler mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA E GESTÃO DO ENSINO: A CONTRIBUIÇÃO DOCENTE À CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA NA ESCOLA.

GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA E GESTÃO DO ENSINO: A CONTRIBUIÇÃO DOCENTE À CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA NA ESCOLA.

A tendência crescente, sobretudo a partir da década de oitenta, de se falar em escola democrática, lançou para a comunidade social, escolar e acadêmica o de- safio de se pensar em projetos educativos alternativos, contrários à centralização de poder, geralmente, promovida pelas políticas públicas de cunho neoliberal capitalis- ta, através do controle dos recursos para a educação, da fiscalização das propostas pedagógicas das escolas e do trabalho docente, e também pelo boicote material das condições de trabalho dos/as profissionais da educação. Nessa perspectiva, buscar a autonomia da escola por meio da partilha de ideias, com oportunidade de deli- beração; através da construção de um Projeto Político Pedagógico autêntico, com personalidade própria; e também por meio de grupos colegiados, constituídos por representantes de todos os segmentos da comunidade escolar, são caminhos pensa- dos e trilhados atualmente pelas escolas que perseguem a gestão democrática.
Mostrar mais

13 Ler mais

A auto-organização dos estudantes na construção da gestão democrática na escola Valmir Motta de Oliveira

A auto-organização dos estudantes na construção da gestão democrática na escola Valmir Motta de Oliveira

El presente trabajo retrata cómo ocurre el proceso de autoorganización de los estudiantes en la Escuela Itinerante Valmir Motta de Oliveira, por lo tanto, tenemos como objetivos comprender cómo esa auto-organización contribuye e influye para que la gestión escolar sea democrática, conceptuar la autoorganización de los auto- estudiantes, así como la gestión escolar democrática y sistematizar el proceso y las experiencias de auto-organización de los estudiantes en la Escuela Itinerante Valmir Motta de Oliveira. En el primer buscamos analizar cómo es la escuela en la sociedad capitalista y cuál es el contrapunto de la educación en el ámbito del Movimiento de los trabajadores Rurales Sin Tierra, realizando un rescate histórico de la educación en este movimiento, teniendo en vista la concepción de educación por él defendida y la propuesta pedagógica de las Escuelas Itinerantes, así retratamos cómo se dio la conquista de la Escuela Itinerante en los campamentos del MST y como actualmente está organizada. En el segundo capítulo conceptuamos la autoorganización y la gestión escolar democrática, relacionando las mismas, estas consideraciones se dio mediante la revisión bibliográfica, por fin realizamos un estudio de caso, analizando cómo ocurre en la escuela citada arriba, buscando verificar cuál el potencial de la misma en su gestión escolar a partir de entrevistas con los educandos, educadores y comunidad, las entrevistas ocurrieron hora individual y hora colectiva, presentando la visión de esos sujetos en la autoorganización y en la gestión escolar, enfatizando de este modo cuáles los momentos perceptibles de democratización de la gestión y auto-organización de los estudiantes. La investigación ha señalado algunas problemáticas presentes en lo que se refiere al tema estudiando, quedando visible la necesidad de potenciar este espacio en la escuela a fin de garantizar una mayor democratización de la gestión en el ámbito escolar.
Mostrar mais

67 Ler mais

Gestão democrática na escola : um estudo de caso

Gestão democrática na escola : um estudo de caso

Apesar da superficialidade com que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) trata da questão da gestão da educação, ao determinar os princípios que devem reger o ensino, indica que um deles é a gestão democrática. Mais adiante (art. 14), a referida lei define que os sistemas de ensino devem estabelecer normas para o desenvolvimento da gestão democrática nas escolas públicas de educação básica e que essas normas devem, primeiro, estar de acordo com as peculiaridades de cada sistema e, segundo, garantir a “participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola”, além da “participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes”. Nesse sentido, a gestão democrática da educação requer mais do que simples mudanças nas estruturas organizacionais; requer mudança de paradigmas que fundamentem a construção de uma proposta educacional e o desenvolvimento de uma gestão diferente da que hoje é vivenciada. Ela precisa estar para além dos padrões vigentes, comumente desenvolvidos pelas organizações burocráticas. Essa nova forma de administrar a educação constitui-se num fazer coletivo, permanentemente em processo, processo que é mudança contínua e continuada, mudança que está baseada nos paradigmas emergentes da nova sociedade do conhecimento, os quais, por sua vez, fundamentam a concepção de qualidade na educação e definem, também, a finalidade da escola.
Mostrar mais

73 Ler mais

O enfoque da Gestão Democrática da Escola no canal educativo TV Escola

O enfoque da Gestão Democrática da Escola no canal educativo TV Escola

Porém, a construção de uma educação democrática até hoje esbarra no modelo centralizador que ultrapassa os muros das escolas e permeia toda a vida política e social do país. O que dizer do modelo intervencionista do Estado Brasileiro nas questões programáticas da educação? - Em período mais recente o Estado interferiu, e.g., na legislação educacional e exerce um amplo controle sobre os conteúdos, metodologias e aplicação de recursos, por meio dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) e outros mecanismos. No entanto, mesmo unificando o discurso sobre conteúdos de formação, que pode tornar os contextos sociais parecidos, cabe ressaltar que cada escola é também um reflexo de seus administradores, gestores, professores, alunos e comunidade. A proposta pedagógica governamental, especialmente a partir dos anos 90 do século passado, implantada nas escolas públicas, em inúmeros lugares do país, muitas vezes nem sempre levou em conta as características histórico-culturais de regiões, estados e municípios. Essa intervenção abrupta do governo federal configura um processo de centralização de decisões, com o predomínio de soluções uniformes e padronizadas em detrimento da diversidade e das reais necessidades dos sistemas educativos, que têm sua história e suas vivências culturalmente construídas.
Mostrar mais

134 Ler mais

Regimento e projeto político da escola como instrumentos de gestão democrática

Regimento e projeto político da escola como instrumentos de gestão democrática

O presente artigo é resultante do projeto de intervenção realizado no Estágio em Gestão Escolar do Curso de Pedagogia. Teve como objetivo geral – Institucionalizar, através da elaboração, apresentação, discussão, apreciação, votação e publicação, o Regimento Escolar da Escola Municipal de Ensino Fundamental Tenente Titico Gomes do Município de São José de Espinharas PB. E os específicos, discutir sobre mecanismos e marcos legais da gestão escolar democrática e identificar a rotina de atividades da gestão escolar na escola pesquisada. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que relata a experiência vivenciada na escola-campo de Estágio. As contribuições com a institucionalização do Regimento Escolar foram marco significativo para a instituição, cumprindo destacar a riqueza dialógica do processo, obedecendo os trâmites legais e com a efetiva participação da comunidade escolar. Dos marcos legais versando sobre a gestão escolar, a CF e a LDB destacam o princípio da gestão democrática dos sistemas de ensino, com vistas a garantir a participação, visando a construção coletiva da educação com qualidade como direito de todos. Constatamos ainda que, na realidade da escola pesquisada, há um acúmulo de obrigações dificultando ações coordenadas de planejamento e efetivação das funções de gestão escolar.
Mostrar mais

17 Ler mais

RELAÇÃO FAMILIA E ESCOLA: CONSTRUÍNDO A GESTÃO DEMOCRÁTICA PARTICIPATIVA

RELAÇÃO FAMILIA E ESCOLA: CONSTRUÍNDO A GESTÃO DEMOCRÁTICA PARTICIPATIVA

Escola é o espaço formal e sistematizado no qual se desenvolvem atividades voltadas para a construção e assimilação do conhecimento e Família é um grupo social que tem residência comum que coopera economicamente e que se produz. Assim torna-se relevante pensar que as ações concretas que poderão se realizar a partir dessa integração promoverá a participação qualitativa que, conforme nos esclarece Abranches (2003, p. 24), ocorre

6 Ler mais

GESTÃO ESCOLAR NA ESCOLA PÚBLICA: interfaces entre gerencialismo e gestão democrática

GESTÃO ESCOLAR NA ESCOLA PÚBLICA: interfaces entre gerencialismo e gestão democrática

Os incisos de I a VI dispõem sobre a organização do espaço educacional brasileiro, especificamente as escolas. Nesse sentido, destaca-se que as condições gerais da escola pública na atualidade evidenciam ocorrências a serem superadas como as destacadas nos incisos mencionados e se desconhece conectada nessa estrutura em questão. E, embora o desejo de superar uma objetividade implícita no individualismo e no ensino burocratizado seja um desejo subjetivo dos sujeitos que constituem a escola como um todo, essa prática da ética cidadã, de superação dos processos e procedimentos burocráticos de construção de relações interpessoais solidárias, de instauração de relações mais solidárias entre os estudantes, proporcionando-lhes espaços de convivência e situações de aprendizagem e a presença articuladora e mobilizadora do gestor no cotidiano da escola e nos espaços com os quais a escola interage, ainda não é uma realidade presente na escola; esses sujeitos continuam sendo alvos de ideologias massacrantes e alienadoras.
Mostrar mais

178 Ler mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA E O PAPEL DO GESTOR ESCOLAR

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA E O PAPEL DO GESTOR ESCOLAR

O objetivo deste artigo é apresentar uma revisão bibliográfica sobre Gestão Democrática na escola e o papel do gestor escolar nesse contexto no ambiente educacional. Faz-se necessário conhecer e compreender os princípios da gestão democrática sob a visão de renomados estudiosos da área. O Projeto Político Pedagógico e o Regimento Escolar sob o acompanhamento e orientação do conselho de classe e do gestor escolar têm um papel importante nesse processo por conciliar todas as ações e propostas da escola junto à comunidade educativa sob as orientações e determinações das leis vigentes. Concluiu-se que a gestão democrática é tarefa de todos, nota- se também que, o gestor escolar tem um cargo de muitas responsabilidades, pois é ele quem organiza, coordena, lidera os demais funcionários. Este artigo apresenta elementos significativos que aprofunda a reflexão para à construção de uma escola construtora e uma importante reflexão aos profissionais da área e futuros acadêmicos.
Mostrar mais

11 Ler mais

A gestão democrática e o uso das TIC’s na escola

A gestão democrática e o uso das TIC’s na escola

Contudo, o espaço escolar torna-se um lugar aberto a muitas parcerias, no entanto, há um grande desafio para os gestores pela própria exigência de atenção, conhecimento e habilidades. No entanto, a escola deve preparar os alunos e ensiná- los a compreender e analisar de forma critica os problemas da vida, de si próprio e da sociedade que o permeia, tornando-os cidadãos participativos. Assim, a participação tenta alcançar democraticamente os objetivos da escola, numa visão de espaço educativo aberto a interação dos profissionais da educação, alunos, pais e comunidade que caminham juntos a tornar a instituição escolar um espaço de aprendizado, de conhecimento e desenvolvimento de capacidades intelectuais, sociais, afetivas, estéticas. Bem como, de formação de competência para a participação na vida social, econômica e cultural que são os propósitos, dando significado aos objetivos dos princípios e características da gestão escolar democrático-participativa, sendo que é a prática que possibilita o alargamento dessa consciência e o sentido da participação na construção de uma nova cultura organizacional participativa.
Mostrar mais

28 Ler mais

Gestão Democrática para uma Educação de Qualidade na escola Pública

Gestão Democrática para uma Educação de Qualidade na escola Pública

O Programa de Expansão da Educação Profissional (PROEP) visa à implantação da reforma da educação profissional determinada pela LDB. Abrange tanto o financiamento de construção ou reforma e ampliação, aquisição de equipamentos de laboratórios e material pedagógico, como ações voltadas para o desenvolvimento técnico-pedagógico e de gestão das escolas, como capacitação de docentes e de pessoal técnico, implantação de laboratórios, de currículos e de metodologias de ensino e de avaliação inovadoras, flexibilização curricular, adoção de modernos sistemas de gestão que contemplem a autonomia, flexibilidade, captação de recursos e parcerias.
Mostrar mais

14 Ler mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA E GESTÃO AUTORITÁRIA E SEUS REFLEXOS NA FUNÇÃO EDUCACIONAL DA ESCOLA

GESTÃO DEMOCRÁTICA E GESTÃO AUTORITÁRIA E SEUS REFLEXOS NA FUNÇÃO EDUCACIONAL DA ESCOLA

educacional em São Paulo. Um foi o projeto desenvolvido pelo educador Anísio Teixeira – década de 50 – que criou um espaço com o conceito de “praça de equipamentos” / Escola Parque, onde previa a construção de centros populares de educação em todo o Estado de SP para crianças e jovens de até 18 anos; tinha como intenção alternar atividades intelectuais e práticas durante o dia do aluno na escola. O outro, desenvolvido na década de 30 pelo poeta Mário de Andrade, fez a criação do Departamento de Cultura e criou Parques com os mesmo objetivos que Anísio Teixeira usaria posteriormente, porém, direcionou a sua utilização aos filhos da classe operária e aos moradores de bairros periféricos.
Mostrar mais

120 Ler mais

A importância dos conselhos escolares para a construção da gestão democrática

A importância dos conselhos escolares para a construção da gestão democrática

Albino (2003) afirma que “os mecanismos de reflexão e decisão com a ampliação da democracia participativa superando a democracia representativa” são necessários. Embora se saiba que é necessário que cada organismo colegiado da escola (Conselho Escolar, Conselho de pais, Grêmio estudantil) e seus entes constituintes conheçam e busquem sua efetivação, pois de nada adiantará a constituição desses organismos se ele não for efetivo e atuante. E, quanto mais democrática, maior a possibilidade de obter sua meta maior, que é o sucesso da gestão escolar e o sucesso da aprendizagem do aluno.
Mostrar mais

6 Ler mais

Políticas públicas da educação e gestão democrática e participativa na escola

Políticas públicas da educação e gestão democrática e participativa na escola

Esta pesquisa tem como objetivo realizar um estudo a respeito das políticas públicas da educação e de que forma a gestão democrática e a participação estão consolidadas na Escola, tomando como base os fundamentos e os princípios da gestão democrática do ensino público presentes na Constituição Federal e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Vários são os mecanismos, instrumentos, elementos e estratégias da gestão democrática e o mais importante é a criação de Conselhos como espaços democráticos de participação, contribuindo para a autonomia das instituições de ensino e para o avanço das políticas públicas na educação. É imprescindível também, a formação dos conselheiros para que estes sejam capazes de cumprir com suas atribuições e contribuir para o processo de democratização do ensino. Para a realização da pesquisa utilizou-se de referencial teórico e pesquisa documental da legislação do município de Telêmaco Borba, pertinente ao assunto. Entretanto, mesmo com toda a legislação vigente, ficou evidenciado na pesquisa que ainda há muito a avançar em busca de uma escola realmente democrática. Somente, a partir do momento em que a escola abrir as portas para a participação da comunidade na construção, acompanhamento e avaliação do seu projeto político pedagógico, comprometido com a formação do cidadão participativo, crítico, responsável e criativo, a gestão democrática estará realmente consolidada e a escola cumprido com sua função social.
Mostrar mais

62 Ler mais

Gestão democrática: um caminho para uma escola melhor

Gestão democrática: um caminho para uma escola melhor

A partir do tema gestão democrática- Estágio Supervisionado I, refletimos a cerca de participação e integração de uma escola melhor, que busca a formação de cidadãos críticos e conscientes de seus direitos e deveres. Valorizando a importância do trabalho coletivo no processo de construção de uma sociedade mais justa e igualitária que atenda aos anseios da comunidade escolar e equivalentes. Partindo de um planejamento coletivo das ações e partilhamento das atividades e responsabilidades, compreender a necessidade da organização das atividades conforme os objetivos pretendidos e desenvolver estratégias que viabilizem a realização e a perspectiva de conquistas. Para tanto, elaborar um projeto colaborativo com embasamento teórico na área, a partir de um problema na instituição, mediante discussão com os profissionais, e apresentar atividades aos alunos e comunidade escolar que possam contribuir para minimizar com a indisciplina escolar em questão, foi um requisito destacado.
Mostrar mais

46 Ler mais

Gestão democrática: uma construção coletiva

Gestão democrática: uma construção coletiva

A construção do Projeto Político Pedagógico surge a partir da necessidade de organizar e planejar a vida escolar, quando o improviso, as ações espontâneas e casuais acabam por desperdiçar tempo e recursos, os quais já são irrisórios. Sendo o Projeto Político Pedagógico a marca original da escola, ele pode propor oferta de uma educação de qualidade, definindo ou aprimorando seu modelo de avaliação levando em consideração os principais problemas que interferem no bom desempenho dos alunos; estabelecer e aperfeiçoar o currículo voltado para o contexto sociocultural dos educandos; apontar metas de trabalho referentes à situação pedagógica, principalmente no que se refere às experiências com metodologias criativas e alternativas. Em função disso, é que se considera importante estruturar os princípios que norteiam as práticas educacionais.
Mostrar mais

55 Ler mais

Gestão democrática na escola

Gestão democrática na escola

Para classificar uma administração como uma administração democrática, um mecanismo eficaz seria realmente a construção do Projeto Político Pedagógico, que trabalha com a gestão dos processos educativos e garante a melhoria do ensino. Dessa forma, elaborar esse projeto estimula toda a comunidade escolar, onde estes profissionais irão equiparar as condições reais da escola e encontrar idéias melhores possíveis de se trabalhar, buscando expandir e explorar, dando consistência e coerência na formulação do projeto, devendo estar no contexto da Gestão Democrática, vinculando o significado da escola no processo educativo, o currículo e seu sentido crítico e criativo, do contrário, não seria possível realizar uma atuação democrática.
Mostrar mais

26 Ler mais

Diretores e gestão democrática: participação da comunidade na escola

Diretores e gestão democrática: participação da comunidade na escola

Por fim, as análises sobre o efetivo trabalho dos diretores em relação à gestão democrática mostraram que os pais participavam pouco e que o tema já estava bem difundido nas escolas, com diversos entendimentos sobre seu significado. Tal difusão, no entanto, estava mais consolidada no discurso entre esses profissionais, do que na concretização das realizações escolares (GARCIA et al., 2016). De fato, a GD ainda está longe de ocorrer da forma em que foi concebida e idealizada pela legislação ou pelas referências de pesquisadores, ou seja, como um instrumento para melhorar a educação brasileira (FERNANDES; PEREIRA, 2016). Autores sinalizam ainda que entre os muitos motivos para que a GD não se efetive estão as estruturas de poder hierárquicas (CAVALCANTI, 2O11; PEREIRA, 2012) e as estruturas e princípios neoliberais (SCALABRIN, 2012).
Mostrar mais

13 Ler mais

Show all 10000 documents...