Top PDF PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM GESTÃO DE OPERAÇÕES NO PERÍODO 2000-2010

PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM GESTÃO DE OPERAÇÕES NO PERÍODO 2000-2010

PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM GESTÃO DE OPERAÇÕES NO PERÍODO 2000-2010

Os estudos de caso chamados de dedutivos por Barrat, Choi e Li (2011) têm por objetivo o teste de te- orias e são muito menos frequentes na área de Gestão de Operações. Apenas 35 artigos foram classificados como estudos de caso dedutivos, contra 169 indutivos na pesquisa feita por Barratt, Choi e Li (2011, p. 335). Os autores identificam duas alternativas básicas para usos de casos dedutivos: teste de teorias alternativas e estudos longitudinais. Entretanto, é possível pensar em outros usos dos estudos de casos dedutivos, combinan- do-os com técnicas quantitativas. Os testes de teorias nas ciências sociais apresentam complexidade eleva- da. Tem-se que enfrentar, por exemplo, características de equifinalidade (múltiplos caminhos causais para o mesmo resultado), multifinalidade (vários resultados possíveis com base no mesmo valor específico de uma variável), efeitos de retroalimentação, dependência de caminho, múltiplas interações, condições apenas necessárias para um resultado satisfatório (GEORGE e BENNET, 2005, p. 9). Como esperar que uma aná- lise quantitativa que mede apenas relações lineares numa amostra que combina esses processos, com um número limitado de controles, nos ofereça um teste adequado? A percepção das limitações dos métodos quantitativos tem sido relatada em obras recentes, que fazem uma reflexão crítica de pesquisadores renoma- dos de uma longa tradição em pesquisa quantitativa. William Starbuck (2006, p. 144), em seu livro The Production of Knowledge, oferece exemplos práticos.
Mostrar mais

11 Ler mais

Produção científica brasileira em gestão de pessoas no período 2000-2010.

Produção científica brasileira em gestão de pessoas no período 2000-2010.

plica integrar e justificar conhecimentos explanatórios ao problema de pesquisa, tornando-se uma espécie de lente pela qual se analisa a problemática (VAN DE VEN, 2007). Diversos editoriais recentes tratam da qua- lidade do referencial teórico. Ashkanasy (2010) sugere que estudos da tradição positivista/quantitativa apre- sentem uma sólida base teórica, e não somente um apanhado de estudos empíricos anteriores e hipóteses. Gephart (2004) discute a importância de os estudos qualitativos estarem bem fundamentados, teórica e metodologicamente, na abordagem de pesquisa ado- tada. Para o editor, estudos qualitativos e quantitativos devem explicitar suas perguntas de pesquisa, definir seus termos e revelar sua perspectiva teórica, crian- do consistência entre teoria, pergunta e metodologia. A construção cuidadosa e criativa do referencial teórico sugere rigor do trabalho científico. Ao enfati- zarem sua natureza explanatória, Sutton e Staw (1995) alegam que referências, dados, listas de variáveis e construtos, hipóteses e diagramas não poderiam ser considerados teoria. Referências fazem menção à teo- ria, dados revelam o que aconteceu, variáveis e cons- trutos não revelam por si o porquê de suas relações, hipóteses presumem o que será observado, enquanto diagramas não substituem uma explicação textual do porquê das relações alegadas. Whetten (2003) descre- ve os blocos constitutivos de uma teoria, incluindo o que ou quais variáveis, construtos ou conceitos devem ser considerados, como esses elementos conceituais estão relacionados, introduzindo causalidade, e o por- quê ou a lógica que justifica as relações propostas e unifica a teoria.
Mostrar mais

11 Ler mais

Produção científica brasileira em comportamento organizacional no período 2000-2010.

Produção científica brasileira em comportamento organizacional no período 2000-2010.

Outra categoria bastante representativa de estu- dos em CO, a aprendizagem organizacional, também concentrou os seus trabalhos em estudos de caso, focando em gestão do conhecimento, inovação e de- sempenho organizacional. Pode-se constatar que esse tema apresenta uma tendência constante em termos de volume de publicações, em virtude da sua crescente importância para as organizações e instituições de en- sino no Brasil (MACEDO, BOTELHO, DUARTE, 2010). A análise temporal evidenciou, ainda, a evolução das categorias durante o período analisado, apontando a diversidade como tema em ascendência. Tal cresci- mento deveu-se a estudos sobre gênero, deficiências e orientação sexual, como verificado em outros tra- balhos (TONETTO e outros, 2008). Tudo indica que se trata de núcleos de pesquisadores emergentes que estão incluindo esses temas na pauta de CO.
Mostrar mais

14 Ler mais

Gestão ambiental: levantamento da produção científica brasileira em periódicos de Engenharia de Produção.

Gestão ambiental: levantamento da produção científica brasileira em periódicos de Engenharia de Produção.

avaliação de periódicos, mantido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), com última atualização em 2012, divulgado no site webqualis (http://qualis.capes.gov.br/webqualis/). Foram consideradas apenas as revistas B2, B3 e B4 publicadas em língua portuguesa, conforme a Tabela 1. O período de busca definido contemplou artigos publicados entre janeiro de 2001 e março de 2012, e as revistas que não possuíam suas edições para consulta web não foram consideradas. A base de dados das revistas Gestão & Produção, Pesquisa Operacional e Produção é a Scielo (Scientific Electronic Library Online, traduzida como Biblioteca Científica Eletrônica em Linha), e das revistas Produção Online, Produto & Produção e Ensino de Engenharia, o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), equivalente ao Open Journal Systems (OJS), que é um sistema de publicação e gerenciamento, desenvolvido pelo Public Knowledge Project. Foram seis revistas analisadas (Tabela 1); (3) Validação com especialistas para seleção das revistas; (4) Busca do termo “gestão ambiental” no título do artigo e/ou resumo e/ou palavra-chave e no corpo do artigo das revistas selecionadas; (5) Leitura dos títulos dos artigos retornados para seleção daqueles que possuíam tendências de pesquisa quanto à gestão ambiental em operações de produção; (6) Leitura e análise dos resumos; (7) Leitura integral dos artigos para formar uma base (portfólio).
Mostrar mais

16 Ler mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM FINANÇAS NO PERÍODO 2000-2010

PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM FINANÇAS NO PERÍODO 2000-2010

Ainda no campo de Finanças no Brasil, Camar- gos, Coutinho e Amaral (2005) analisaram 171 arti- gos publicados nos anais do EnANPAD entre 2000 e 2004. Eles verificaram que a maioria dos artigos tinha dois autores, em contraste com Leal, Oliveira e Soluri (2003), e que a maioria dos autores era do sexo masculino e do Rio de Janeiro e São Paulo. A maior parte dos artigos foi redigida em português, era empírica com emprego de dados secundários, apresentava bibliografia estrangeira dominante e se circunscrevia aos campos de finanças corporativas, derivativos, gestão de riscos e mercado de capitais. Matsumoto e outros (2008) constataram que boa parte dos artigos publicados em Finanças apresenta coautorias e sugerem que isso se deve à crescente complexidade dos trabalhos da área. Souza, Murcia e Borba (2010) indicam que os programas de pós- graduação brasileiros mais atuantes em Finanças são os das principais universidades do Rio de Janeiro e São Paulo, enquanto Iquiapaza, Amaral e Bressan (2009) argumentam que os artigos científicos em Fi- nanças se tornaram mais normativos, quantitativos e próximos às ciências naturais e que a emersão do campo das finanças comportamentais pode ser uma alternativa a essa tendência.
Mostrar mais

10 Ler mais

Produção científica em saúde auditiva no Brasil: análise do período de 2000 a 2010.

Produção científica em saúde auditiva no Brasil: análise do período de 2000 a 2010.

Nota-se que os temas abordados pelos estudos, bem como os anos de publicação, evidenciam os marcos alcançados pela Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva. O foco das primeiras publicações era a satisfação do usuário, o que reletia a importância dada à visão desse sujeito. Com o passar do tempo, outros pontos do Programa foram ganhando destaque, fazendo com que surgissem novos temas, abordando outras visões. Um desses pontos, que pode ser considerado o ponto chave, foi o crescimento do Programa ao longo dos anos, que passou a credenciar maior número de serviços para atender à demanda populacional. Daí surge o interesse pelas questões voltadas para a gestão e a necessidade de constante avaliação dos serviços e da capacitação de proissionais de saúde. Esse último tema reforça o destaque dado pela Política à Atenção Básica.
Mostrar mais

13 Ler mais

Uma análise dos estudos sobre o feminino e as mulheres na área de administração: a produção científica brasileira entre 2000 a 2010.

Uma análise dos estudos sobre o feminino e as mulheres na área de administração: a produção científica brasileira entre 2000 a 2010.

De acordo com Calás e Smircich (1998), ao estudar as mulheres dentro do contexto organizacional e no âmbito da vertente feminista a maioria das pesquisas enfocam as relações de exclusão e desigualdade com uma visão bastante patriarcal. Além de destacar que somente as mulheres mais instruídas, mais competentes e que abdicam de sua vida social, adiando a maternidade e se incorporando a lógica mer- cadológica capitalista, são as que realmente conseguem ascender nas organizações. Para Butler (2003), esta noção de um patriarcado universal para explicar a opressão das mulheres foi amplamente criticada pelas feministas, bem como a apro- priação de culturas orientais que divergem drasticamente das formas de dominação ocidentais. O ponto de partida deve ser o presente histórico ou segundo Butler (1990), um período “pós-feminista”, no qual se deve repensar radicalmente em formular uma política representacional capaz de renovar o feminismo e não limitar apenas as mulheres como sujeitos do feminismo, mas estender essa representação a todos os sujeitos considerados excluídos pela sociedade.
Mostrar mais

19 Ler mais

Administração pública e gestão social: a produção científica brasileira entre 2000 e 2005.

Administração pública e gestão social: a produção científica brasileira entre 2000 e 2005.

No período de 2000-2001, os trabalhos de natureza qualitativa domina- ram 82,9% do total de artigos publicados no evento. De acordo com Bertero, Vasconcelos e Binder (2003) e Hoppen e Meirelles (2005), a ampla utilização de métodos qualitativos expressa a fragilidade e a imaturidade do campo de pesquisa em administração, não diferindo na área de administração pública e gestão social. Muitos dos estudos realizados na área de administração pública e gestão social provavelmente ficam somente na fase exploratória, não evo- luindo para a construção de estudos de natureza explicativa, o que provoca, conseqüentemente, a descontinuidade dos temas que são desenvolvidos nos estudos da área. Contudo, como em outras áreas da administração, o número de artigos teórico-empíricos que utilizam métodos quantitativos e multiméto- dos vem crescendo significativamente no período analisado, demonstrando, pelo menos aparentemente, que a área está amadurecendo.
Mostrar mais

26 Ler mais

Vínculos dos Indivíduos com a Organização: Análise da Produção Científica Brasileira 2000-2010.

Vínculos dos Indivíduos com a Organização: Análise da Produção Científica Brasileira 2000-2010.

No Brasil, duas instituições participam de uma rede que ocupa mais da metade de todo esse empreendimento produtivo, fora das regiões sul e sudeste, que detêm o maior desenvolvimento econômico, onde está localizada a maioria das instituições de ensino e a maioria das organizações do setor produtivo. Esses dois núcleos que se destacam como mais voltados para o domínio são a UnB e a UFBA. De alguma forma, mesmo que não concretizada em termos de artigos produzidos no período 2000-2010, esses dois núcleos mantêm laços com outros núcleos tais como as Universidades Federais de Uberlândia, de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e o Serviço Federal de Processamento de Dados. O aprofundamento de laços entre esses núcleos para o desenvolvimento de projetos de maior escopo pode se constituir em um item importante da agenda futura da área. Permitirá, via esforço coletivo, realizar estudos que possam enfrentar os dilemas conceituais e os desaios empíricos que estão postos.
Mostrar mais

10 Ler mais

RAM, Rev. Adm. Mackenzie  vol.15 número5

RAM, Rev. Adm. Mackenzie vol.15 número5

A pesquisa relatada no oitavo artigo, produzido por Jurandir Peinado e Alexandre Reis Graeml, teve como objetivo analisar a produção científica em Gestão de Operações em periódicos científicos nacionais, no período de 2001 a 2010, procurando identificar as temáticas de maior interesse dos pesquisadores e os grupos de pesquisa mais atuantes a partir de uma amostra de 3.224 artigos publicados em 13 periódicos científicos nacionais, no período de 2001 a 2010.

3 Ler mais

A produção científica em gestão de operações no Brasil: uma análise de temas, autores e instituições de pesquisa no período entre 2001 e 2010.

A produção científica em gestão de operações no Brasil: uma análise de temas, autores e instituições de pesquisa no período entre 2001 e 2010.

No levantamento das instituições mais prolíficas na publicação de artigos sobre o tema Gestão de Operações e Logística (GOL) no EnAnpad entre 2002 e 2006, Wood Jr. e Chuke (2008) constataram que a USP-FEA, universidades estrangeiras, Ufscar, Mackenzie, UFRJ, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), UFRGS, UFBA, Universidade de Brasília (UnB) e Ufla foram as dez IES com mais artigos. A pesquisa aqui apresentada corroborou seis dessas IES como estando entre as mais prolíficas. Anteriormente, o levantamento de Arka- der (2003) para o período entre 1980 e 2002 também destacara o vínculo dos autores mais prolíficos com as seguintes IES: UFGRS, Unisinos, UFRJ, USP, Ufscar, FGV-Eaesp e Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep). O alinha- mento ocorrido entre as instituições que mais publicam nos anais de congresso e aquelas que se destacam nos periódicos científicos já podia ser esperado. Afi- nal, os congressos são “laboratórios” em que conceitos e ideias são testados, em versões preliminares de artigos que depois evoluem para publicação definitiva em revistas.
Mostrar mais

32 Ler mais

Agricultura familiar e as teses de doutorado no Brasil.

Agricultura familiar e as teses de doutorado no Brasil.

Os estudos voltados para a gestão da agricultura familiar sustentam-se na premissa de que técnicas geren- ciais apropriadas para esse segmento contribuem para promover a sustentabilidade econômica dos empreen- dimentos. A gestão torna-se um importante processo na medida em que a agricultura familiar é um segmento que assume papel socioeconômico de grande impor- tância no agronegócio brasileiro, além de contribuir para a inclusão social, razão pela qual o desenvolvimento desses empreendimentos é entendido como uma forma de tornar a sociedade mais justa social e economica- mente. Nessa subcategoria Gestão na agricultura familiar, foram identificadas 10 teses voltadas para questões ge- renciais relacionadas à agricultura familiar, incluindo desde as que criam modelos de gestão (T30-T31), as que avaliam as formas gerenciais e a eficiência da agricultura familiar (T32-T34), as que tratam da racionalidade adminis- trativa nas propriedades (T35-T36), as que abordam a viabilidade econômica dos empreendimentos (T37-T38) até a que investiga o sistema de certificação de produtos orgânicos no Brasil (T39).
Mostrar mais

16 Ler mais

A história da gestão de produção e operações

A história da gestão de produção e operações

Os primeiros anos da computação trouxeram grande esperança também para a área de planejamento e controle de produção, já que mesmo com os desenvolvimentos de teorias como de gestão de estoques nos anos ’30, os problemas complexos de programação de atividades em fábricas já tremendamente complexas esbarrava fortemente na limitação da capacidade de tratamento de informações. Com os primeiros computadores, surgiram as primeiras aplicações, que eram voltadas a registrar os estoques de produtos e componentes usando o corpo de conhecimentos recém desenvolvido sobre controle e gestão de estoques, agora já considerada uma área do conhecimento (sob nomes como Gestão científica de estoques ou gestão estatística de estoques), inclusive contando com suas associações como a APICS http://www.apics.org , fundada em 1957. Os sistemas iniciais procuravam auxiliar a tomada de decisão sobre disparo de ordens de compra e produção de forma “otimizada” (utilizando as teorias previamente desenvolvidas), entretanto tratando todos os itens, fossem eles de demanda dependente (componentes) ou independente (produtos acabados) como se fossem todos de demanda independente. Isso resultava em grandes acúmulos de estoques, pois não se estava utilizando a possibilidade de coordenar o planejamento de produção dos produtos acabados com as necessidades correspondentes de componentes. Foi só com o desenvolvimento de sistemas aleatórios magnéticos de armazenagem e recuperação de dados, em torno dos anos ’60 que as perspectivas se abriram tremendamente de se usarem cadastros das chamadas listas de materiais (bill of materials) para se começar a divisar formas de usar a “dependência” existente entre os itens de demanda independente e de demanda dependente (embora Orlicky, 1975 afirma que nos anos ’50 já se havia conseguido fazer as “explosões” de materiais usando cartões perfurados como meio de armazenagem de dados).
Mostrar mais

160 Ler mais

: Brapci ::

: Brapci ::

O artigo apresenta o mapeamento da produção científica em teses de doutorado sobre agricultura familiar produzidas no período de 2000 a 2009 nos programas de pós-graduação no Brasil. No Banco de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, foram encontradas 153 teses que possuíam como foco principal de abordagem a agricultura familiar. Os resultados das análises realizadas mostram que: a) o desenvolvimento de teses na temática teve crescimento gradual a partir de 2000, atingindo, no ano de 2009, 33 defesas; b) destacam-se como produtoras dessas teses as instituições localizadas nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil; c) nessas 153 teses, foram identificadas 122 teses que tratavam de temas relacionados mais diretamente ao desenvolvimento rural e 21 à produção rural propriamente dita; e 10 teses, por serem abordagens únicas, foram agrupadas em uma categoria denominada outros; d) sobressaíram as abordagens a respeito das ações, das políticas e dos atores voltadas para o desenvolvimento rural, abrangendo 73 teses, nas quais estão incluídos trabalhos que trataram de ações educativas (16 teses); políticas públicas (13 teses), gestão (10 teses), assentamentos (7 teses), associativismo (7 teses), enfoques direcionados a atores específicos (6 teses), trabalho (6 teses), pluriatividade (5 teses) e legislação (3 teses). Conclui-se que o mapeamento realizado possibilitou inventariar a produção realizada no período analisado e mostrar indícios de que as abordagens são influenciadas pelo meio e pelo contexto, visto que os estados com maior número de produção em teses sobre a temática agricultura familiar são os que apresentam a atividade desse segmento da economia mais estruturada e desenvolvida.
Mostrar mais

17 Ler mais

Por dentro da História: o ensino de Administração em Enfermagem.

Por dentro da História: o ensino de Administração em Enfermagem.

Entre os anos de 1873 e 1875, o sistema Nightingale chegou aos Estados Unidos, por iniciativa de um grupo de senhoras que atuavam como voluntárias durante a Guerra Civil americana. Essa referência faz-se necessária porque, a partir da década de 20, a estrutura sanitária americana passa a influenciar a estrutura sanitária brasileira, através da Fundação Rockfeller, que prestava assistência técnica e financeira ao Departamento Nacional de Saúde Pública (DNSP), órgão responsável pela criação da primeira escola de Enfermagem no Brasil, em 1923 (3) .

5 Ler mais

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA SOBRE COOPERAÇÃO: UM LEVANTAMENTO DOS ESTUDOS PUBLICADOS ENTRE 2000 E 2014

A PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA SOBRE COOPERAÇÃO: UM LEVANTAMENTO DOS ESTUDOS PUBLICADOS ENTRE 2000 E 2014

Tendo em vista o avanço da produção científica no Brasil nas mais diversas áreas, houve o intuito de se desenvolver o presente trabalho a fim de evidenciar o direcionamento dos estudos realizados no país na área de administração, em vertentes que permeiam as teorias organizacionais no contexto da cooperação. Dessa forma, busca-se relacionar os estudos desenvolvidos sobre cooperação publicados no Brasil, no período de 2000 a 2014, observando as publicações nos eventos do ENANPAD, 3Es e EnEO, considerados os principais eventos brasileiros relacionados a administração nos níveis de teoria organizacional e estratégia no país; também as publicações nas principais revistas de administração. Escolhidas de acordo com a classificação Qualis-CAPES A2, são elas: Revista de Administração Contemporânea (RAC), Revista de Administração de Empresas (RAE), RAE Eletrônica, Revista de Administração (RAUSP) e, Organizações & Sociedade (O&S). Dispõe-se, assim, uma possível visão do tema pelas diversas lentes das teorias organizacionais, catalogando as premissas utilizadas para definir as diferentes perspectivas e abordagens utilizadas pelos autores brasileiros, que se apresentam com maior frequência, identificando quais as lacunas a serem exploradas. Ademais, levantou-se, também, o quadro de autores e coautores, a metodologia utilizada por cada trabalho e o nível de análise desenvolvido. Não obstante ser comum que, em estudos bibliométricos, tratem como foco de estudos uma determinada área, aqui volta-se para um tema (cooperação) por entender que tal tema possui relevância suficiente para estudos deste tipo. Ademais, se busca, não somente expor dados existentes, mas, também, possibilitar um viés de estudos identificando oportunidades para o desenvolvimento ou redirecionamento do tema em questão.
Mostrar mais

16 Ler mais

Do fracasso à reforma das operações de paz das Nações Unidas (2000-2010)

Do fracasso à reforma das operações de paz das Nações Unidas (2000-2010)

O trabalho analisa o processo de reforma das operações de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) iniciado em 2000 com a publicação do Relatório Brahimi, que apontou novas diretrizes para fortalecer este instrumento de gerenciamento de conflitos após os fracassos em Ruanda, na Bósnia-Herzegovina e na Somália, em meados da década de 1990. O objetivo é compreender as consequências da reforma para a concepção de paz que norteou as missões da ONU e a forma em que esta concepção foi traduzida nos modelos de intervenção autorizados pelo Conselho de Segurança da ONU na década que sucedeu a publicação do Relatório. A hipótese que orientou a pesquisa foi a de que existe um descolamento entre a concepção de paz – a paz sustentável, resultante do trato das causas dos conflitos – e os modelos de intervenção – pautados na noção de operações robustas seguidas de atividades de consolidação da paz (peacebuilding) – porque a paz promovida pela ONU é condicionada por dois fatores principais. O primeiro relaciona-se ao fato de que, no processo de elaboração do modelo de intervenção no panorama político-institucional da ONU, existe o predomínio da perspectiva do interventor, da leitura que este faz do conflito e do papel que atribui às operações de paz; além da aplicação de um modelo padronizado para responder a diferentes tipos de conflitos. O segundo fator, também relacionado à aprovação do modelo de intervenção, é que as operações de paz respondem aos conflitos na medida em que existam recursos para a implementação dos mandatos e dentro de algumas condições determinadas pelos grupos beligerantes, que precisam consentir, mesmo que apenas formalmente, a presença de atores externos no processo de transição do conflito para a paz. A partir da leitura e levantamento de dados qualitativos e quantitativos nos documentos da ONU, relatórios de centros
Mostrar mais

193 Ler mais

A produção científica gaúcha em ciências agrárias representada na Web Of Science (2000-2010)

A produção científica gaúcha em ciências agrárias representada na Web Of Science (2000-2010)

No que se refere aos tipos de documentos, observa-se a predominância do artigo, com 92% do total das publicações indexadas. O resultado mostra que o artigo científico avaliado pelos pares mantém-se como principal forma de comunicação empregada pelos pesquisadores para difundir os resultados de suas pesquisas (MEADOWS, 1999). Conforme Targino e Garcia (2000, p. 103), a preferência dos pesquisadores pela publicação de trabalhos em periódicos ocorre porque sua edição se dá em intervalos regulares, “o que possibilita uma com unicação mais rápida de conhecimentos”. O segundo tipo de documento mais usado foi o resumo de evento, que perfez 3% do total, seguido por anais, com participação de 2,5%. Cartas, material editorial e notas biográficas compuseram, somados, os demais 2,5% do total.
Mostrar mais

7 Ler mais

Tipologias de projetos de pesquisa de métodos mistos: análise classificatória das teses de doutorado dos programas de pós-graduação em geociências no Brasil

Tipologias de projetos de pesquisa de métodos mistos: análise classificatória das teses de doutorado dos programas de pós-graduação em geociências no Brasil

reconhecida como a terceira maior abordagem de investigação ou paradigma de pesquisa, ao lado das pesquisas qualitativa e quantitativa. Os métodos mistos são tradicionalmente definidos por requererem o uso conjunto dos métodos quantitativos e qualitativos, combinando elementos destas duas abordagens de investigação com o objetivo de aprofundar e expandir o entendimento e a corroboração sobre determinado fenômeno. No entanto, a abordagem de métodos mistos ainda é considerada relativamente desconhecida e confusa para muitos pesquisadores, pois continua em fase de amadurecimento. Um dos pontos de controvérsia e discussão refere-se a grande variedade de delineamentos de pesquisa de métodos mistos existentes que o pesquisador pode escolher. Assim, a presente pesquisa teve como objetivo atribuir e propor tipologias de projetos de pesquisa de métodos mistos em Geociências por meio de análise classificatória das estratégias de investigação aplicadas nas teses de doutorado dos Programas de Pós-Graduação em Geociências no Brasil, no período de 2010 a 2012. Buscou- se verificar a seguinte hipótese: É possível a proposição de tipologias de pesquisa de métodos mistos em Geociências por meio de análise classificatória de teses de doutorado dos Programas de Pós-Graduação em Geociências, considerando as dimensões da pesquisa de métodos mistos proposta por Creswell; Plano Clark (2013). Portanto, realizou-se análise classificatória das teses de doutorado em Geociências por meio da aplicação de um protocolo de coleta de dados considerando quatro principais dimensões da pesquisa de métodos mistos e respectivas classes. Realizou-se também a aplicação de um Estudo-piloto e de pré-testes com especialistas. A presente pesquisa enquadrou-se na tipologia de projeto de pesquisa de métodos mistos denominada “projeto sequencial explanatório”, isto é, um estudo composto por duas
Mostrar mais

234 Ler mais

Análise das possibilidades de utilização de sistemas supervisórios no planejamento...

Análise das possibilidades de utilização de sistemas supervisórios no planejamento...

Muito da elevação da função produção ou manufatura, a um papel estratégico na organização, se deveu ao enorme crescimento econômico japonês ocorrido nas décadas de 60, 70 e 80, (PIRES, 1995), tendo sido este desenvolvimento industrial a base sobre a qual se edificou o desenvolvimento econômico japonês, tendo sido assim que segundo um inequívoco espírito exportador, baseado na melhoria contínua da manufatura e adaptação a um estilo de manufatura de menores lotes focados na customização através da máxima diversificação, veio o Japão e os produtos japoneses a lograr enorme penetração nos países do ocidente, em especial nos Estados Unidos (WOMACK & JONES, 1998). Digamos que, mais surpreendente ainda foi a evolução da percepção que o consumidor ocidental tinha dos produtos Japoneses na década de 60, de produtos baratos, desprovidos de conteúdo tecnológico e de baixa qualidade para a visão de produtos sofisticados, de alta sofisticação tecnológica, alcançando reputada qualidade e em diversidade sem precedentes (FLEURY & FLEURY, 1995).
Mostrar mais

143 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados