Top PDF Protocolo de controle glicêmico hospitalar

Protocolo de controle glicêmico hospitalar

Protocolo de controle glicêmico hospitalar

O Hospital Universitário Walter Cantídio é uma unidade de assistência terciária, voltada para o ensino de Graduação e Pós-Graduação em saúde, com diversos cursos de Residência Médica nas áreas clínicas e cirúrgicas, incluindo Residência em Endocrinologia e Metabologia e cursos de Residência Multidisciplinar em diabetes. Até o presente momento, nenhum protocolo de cuidado à hiperglicemia no paciente internado foi aplicado no HUWC/UFC. O objetivo desse trabalho é instituir um protocolo de controle glicêmico hospitalar, mudando essa realidade e melhorando a segurança do paciente. Visa também definir padrões de conduta, numa perspectiva multi/interdisciplinar, frente ao paciente internado com hiperglicemia com a finalidade de melhorar os desfechos clínicos hospitalares. Dessa forma, esperamos aprimorar os processos de diagnóstico, monitorização, nutrição, cuidados de enfermagem, tratamento medicamentoso, intensificação de educação em diabetes e registros em prontuário médico dos pacientes com hiperglicemias.
Mostrar mais

15 Ler mais

Herdabilidade da velocidade de onda de pulso e associação do controle glicêmico e...

Herdabilidade da velocidade de onda de pulso e associação do controle glicêmico e...

Corações de Baependi é um estudo genético, epidemiológico e longitudinal, que investiga os fatores de risco para doenças cardiovasculares. O protocolo teve início entre dezembro de 2005 e janeiro de 2006, quando 1.695 indivíduos, distribuídos em 95 famílias residentes no município de Baependi foram selecionados para participar do estudo. Grupos familiares foram identificados, em várias etapas, a partir da população geral. Onze distritos censitários (de um total de doze) foram selecionados para o estudo e os endereços residenciais dentro de cada distrito foram selecionados aleatoriamente (primeiro sorteio de uma rua e, em seguida, um agregado familiar). Apenas indivíduos a partir de 18 anos de idade, que viviam no domicílio sorteado, foram convidados a participar do estudo.
Mostrar mais

95 Ler mais

Controle glicêmico e suas evidências para prevenção de infecção de sítio cirúrgico em cirurgias de coluna

Controle glicêmico e suas evidências para prevenção de infecção de sítio cirúrgico em cirurgias de coluna

As ISC têm importância no cenário hospitalar tanto a nível mundial quanto nacional, com incidência variável a depender das ações preventivas de cada serviço de saúde. Mundialmente, é a causa mais frequente de IRAS sendo que, no Brasil, a prevalência varia em torno de 14-16% das infecções hospitalares (FUSCO SFB, et al., 2016). Esse destaque deve-se ao prejuízo socioeconômico, causando aumento da mortalidade, atraso das atividades laborais com impacto financeiro, instabilidade nas relações familiares além do déficit econômico aos serviços de saúde devido ao aumento dos gastos com hospitalização (CARVALHO RLR, et al.,2017).
Mostrar mais

9 Ler mais

Estratégias de controle glicêmico e a ocorrência de infecção do sítio cirúrgico: revisão sistemática.

Estratégias de controle glicêmico e a ocorrência de infecção do sítio cirúrgico: revisão sistemática.

Aspecto que relete um avanço comparado à revisão siste- mática publicada em 2009, que incluiu apenas cinco estudos e procurou veriicar a relação entre o controle glicêmico e a incidência de infecções do sítio cirúrgico, mortalidade e tempo de permanência hospitalar, concluindo que há carência de evi- dências demonstrando que o controle glicêmico seja suiciente para a prevenção de ISC, especialmente devido a amostragens deicientes dos estudos incluídos e inconsistências nas deini- ções dos desfechos e da qualidade metodológica (24) . Ressalta-
Mostrar mais

7 Ler mais

Efeitos do controle glicêmico obtido em curto prazo sobre a microalbuminúria e a filtração glomerular em pacientes diabéticos do tipo 2 com controle glicêmico precário.

Efeitos do controle glicêmico obtido em curto prazo sobre a microalbuminúria e a filtração glomerular em pacientes diabéticos do tipo 2 com controle glicêmico precário.

Esse grupo (n = 28) foi destinado ao tratamento inten- sivo para a obtenção do controle glicêmico. Após uma semana da visita menos 1 (-1), considerada como vi- sita zero, após a avaliação dos resultados dos exames colhidos na semana precedente (resultados basais), os pacientes do GI iniciaram seguimento por equipe mul- tidisciplinar, composta por profissionais médicos, das áreas de enfermagem, nutrição, psicologia e educação física, por meio de visitas semanais, por um período de seis semanas, completando um protocolo de estu- do de sete semanas. Os pacientes foram submetidos a intervenções médicas e educacionais, com orientações individuais e em grupo, sobre o tratamento farmaco- lógico, nutrição, prática de atividade física, orienta- ções para o autocuidado, e foram feitas alterações no tratamento com base nas medidas de glicemia capilar,
Mostrar mais

9 Ler mais

Letramento em saúde de diabéticos tipo 2: fatores associados e controle glicêmico.

Letramento em saúde de diabéticos tipo 2: fatores associados e controle glicêmico.

analisando o desempenho de um grupo popula- cional brasileiro atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em âmbito hospitalar, terem con- cluído ser o instrumento adequado para avaliar o letramento funcional em saúde no Brasil. Este instrumento, em sua versão breve, engloba o ins- trumento em sua versão curta (s-TOFHLA), que vê apenas habilidade de leitura, como já citado, através de 36 itens, e inclui quatro itens de nume- ramento, avaliando também esta habilidade. A pontuação total é de 100 pontos, sendo 72 pontos referentes à leitura (peso 2 para cada item) e 28 pontos referentes ao numeramento (peso 7 para cada item), permitindo categorizar o responden- te em três níveis de letramento funcional em saú- de: inadequado (0 a 53 pontos), marginal (54 a 66 pontos) e adequado (67 a 100 pontos) 2 .
Mostrar mais

10 Ler mais

Hipoglicemia e fatores de risco em pacientes críticos com controle glicêmico: estudo...

Hipoglicemia e fatores de risco em pacientes críticos com controle glicêmico: estudo...

respostas a glicose em queda, incluindo os limites para manifestação de sinais e sintomas são dinâmicos. Assim, não é possível afirmar que uma única concentração de glicose defina hipoglicemia (7) . A “verdadeira hipoglicemia” pode ser definida quando mecanismos de contra-regulação ocorrem (8) . Como resposta à queda da glicemia, geralmente abaixo de 70 mg/dl, são liberados inicialmente adrenalina e glucagon, seguidos de cortisol, quando a glicose sanguínea está abaixo de 60 mg/dl (9) . O aparecimento de sintomas autonômicos requer níveis ainda menores de glicemia, frequentemente, abaixo de 50 mg/dl. Tais valores, muitas vezes, são utilizados para caracterizar hipoglicemia grave (9) . No ambiente hospitalar, e em especial em unidades de terapia intensiva (UTI), devido à dificuldade de detecção dos sinais e sintomas, valores numéricos, ainda que distintos, são adotados para caracterizar hipoglicemias capazes de causar danos (8-11) .
Mostrar mais

83 Ler mais

Controle glicêmico em terapia intensiva 2009: sem sustos e sem surpresas.

Controle glicêmico em terapia intensiva 2009: sem sustos e sem surpresas.

no estudo anterior (mais de 10.000 pacientes), esclarecer se haveria um efeito proporcional reduzindo os níveis de hemoglobina glicosilada para 6% em comparação ao gru- po controle (7,0% a 7,9%).Os resultados do ACCORD foram decepcionantes, especialmente sobre a elevada mor- talidade em 3 anos (mais eventos adversos relacionados principalmente com hipoglicemia). Esse estudo foi impor- tante por trazer à tona a discussão sobre as vantagens da implementação de um protocolo rigoroso no atendimento a longo prazo dos pacientes diabéticos, principalmente em relação aos riscos, custos e segurança da intervenção.
Mostrar mais

5 Ler mais

Controle glicêmico intensivo versus controle glicêmico convencional em pacientes portadores de diabetes melito tipo II: revisão sistemática e meta-análise de ensaios clínicos randomizados.

Controle glicêmico intensivo versus controle glicêmico convencional em pacientes portadores de diabetes melito tipo II: revisão sistemática e meta-análise de ensaios clínicos randomizados.

que, na análise primária, inclui e analisa os dados de todos os pacientes do estudo no braço para o qual eles foram originalmente alocados, independente se eles completaram todos os procedimentos estabelecidos no protocolo ou não. É um princípio que permite analisar os resultados de acordo com o tratamento designado e não de acordo com o tratamento recebido. Assim, os fatores prognósticos, sabidos ou não, serão, na média, distribuídos igualmente entre os grupos e todos os dados dos pacientes recrutados serão analisados, independentemente do paciente ter sido seguido até o final do estudo. Se os dados de pacientes que não foram complacentes forem excluídos, podemos comprometer o efeito da randomização, já que estes pacientes podem ter fatores prognósticos piores e características mais graves, que acarretarão em desbalanço entre o grupo intervenção e controle em relação as suas características de base.
Mostrar mais

180 Ler mais

Rede de controle em ambiente hospitalar: um protocolo multiciclos para automação hospitalar sobre IEEE 802.3 com IGMP Snooping

Rede de controle em ambiente hospitalar: um protocolo multiciclos para automação hospitalar sobre IEEE 802.3 com IGMP Snooping

Ainda na Figura 1 (cenário de transmissão de dados no leito 03) é observado o envio de dados através de endereçamento multicast, permitindo que o dado seja enviado uma única vez para todo o grupo. Essa característica do protocolo contribui para redução no custo de comunicação. A opção no PM-AH pela tecnologia Ethernet ocorre em função do seu alto desempenho, baixo custo, e expressiva interoperabilidade (Dolejs et. al., 2004). Outra característica que motiva adoção do padrão Ethernet no PM-AH é que a maioria dos ambientes hospitalares tem a sua rede dados baseado neste padrão. Desta forma, o custo para implantação será reduzido devido à utilização da infra- estrutura de rede já existente.
Mostrar mais

15 Ler mais

Controle glicêmico no perioperatório: evidências para a prevenção de infecção de sítio cirúrgico

Controle glicêmico no perioperatório: evidências para a prevenção de infecção de sítio cirúrgico

O presente estudo teve como objetivo analisar as evidências disponíveis na literatura sobre o controle glicêmico para a prevenção de infecção de sítio cirúrgico no perioperatório. A revisão integrativa da literatura foi o método de revisão adotado. Para a busca dos estudos primários, as seguintes bases de dados foram selecionadas: Medline, CINAHL, EMBASE e LILACS. Dos 26 estudos primários incluídos na revisão, 12 foram conduzidos com amostra de pacientes com diabetes e 14 pesquisas realizadas com pacientes com e sem diabetes. Os resultados evidenciaram redução na taxa de infecção de sítio cirúrgico, mortalidade e tempo de internação hospitalar quando realizado o controle glicêmico. Entretanto, devido aos diferentes delineamentos de pesquisa dos estudos incluídos, amostra investigada, tipo de cirurgia, parâmetros e métodos para o controle glicêmico, conclui-se que ainda não há evidências suficientes para delimitar o melhor nível de glicose alvo e o regime ideal para o controle glicêmico no perioperatório.
Mostrar mais

10 Ler mais

Efeito do índice glicêmico no controle da obesidade

Efeito do índice glicêmico no controle da obesidade

A composição corporal foi estimada pelo método de bioimpedância elétrica de freqüência simples 50kHz (BIA - Biodynamics, modelo 310, TBW). As medidas foram determinadas no hemicorpo direito, com os voluntários deitados em decúbito dorsal sobre uma superfície isolante, sem calçados, meias e acessórios. Realizou-se limpeza da pele do voluntário com álcool antes da colocação dos eletrodos à mão, pulso, pé e tornozelo. Como parte do protocolo, os voluntários foram orientados a manterem, no dia anterior, atividade física leve; a realizarem jejum hídrico de 4 horas e a esvaziarem a bexiga pelo menos 30 minutos antes do teste (Heyward & Stolarczyk, 2000).
Mostrar mais

58 Ler mais

Avaliação da efetividade e segurança do protocolo de infusão de insulina de Yale para o controle glicêmico intensivo.

Avaliação da efetividade e segurança do protocolo de infusão de insulina de Yale para o controle glicêmico intensivo.

Neste estudo o protocolo utilizado pode ser considera- do seguro pois, embora tenha se observado um aumen- to estatisticamente signiicativo na taxa de hipoglicemia total no GP, não houve aumento signiicativo na taxa de hipoglicemia grave comparativamente ao período ante- rior. Os episódios de hipoglicemia foram prontamente detectados e corrigidos pela administração venosa de glicose a 50% de acordo com as instruções do protoco- lo. Também não se observou manifestações clínicas ad- versas ou complicações relacionadas aos eventos hipo- glicêmicos. O percentual de pacientes que apresentou hipoglicemia grave é comparável com aqueles encon- trados por zimmerman e col. 19 em UTI cardiotorácica e
Mostrar mais

8 Ler mais

O uso da tecnologia na educação médica como ferramenta de orientação, no controle Glicêmico, no paciente diabético em ambiente hospitalar

O uso da tecnologia na educação médica como ferramenta de orientação, no controle Glicêmico, no paciente diabético em ambiente hospitalar

Vários estudos confirmam que a hiperglicemia hospitalar,está associada a um aumento na taxa de infecção, tempo de permanência hospitalar e mortalidade, independente do paciente ser diabético. Apesar disso, o controle glicêmico intensivo também está associado ao aumento de hipoglicemia, a qual acarreta uma maior morbidade e mortalidade. A preocupação com a hipoglicemia resultou em vários estudos e mudanças de metas de glicemia alvo pelas sociedades médicas( 6,7).

27 Ler mais

O controle da infecção na administração hospitalar

O controle da infecção na administração hospitalar

A administração de hospitais é tão complexa quanto a medicina, devido aos recursos empregados, às tecnologias utilizadas e à responsabilidade social. Utiliza-se métodos já desenvolvidos em empresas, escolas, bancos, mercadistas, isto é, trabalha-se improvisando conhecimentos adquiridos com o tempo e não com a especialização de recursos humanos a fim de gerenciar. No Brasil, isto ocorre de maneira precária, muito aquém de outros países. Hoje em dia já ocorre intercâmbio entre países com o objetivo de especializar-se em gestão hospitalar. Na França, por exemplo, os administradores trabalham com dedicação exclusiva e são especializados para esta área.
Mostrar mais

53 Ler mais

Ética e Controle de Infecção Hospitalar

Ética e Controle de Infecção Hospitalar

Minimiza o contraste entre interesses e os legítimos valores humanos. A base do conflito está em que a medicina existe para manter a saúde e acabar com as doenças, e após alcançar tal objetivo poderia ser extinta. Mas, na verdade, a sobrevivência dos profissionais a ela dedicados depende da doença. Muitos conflitos estão relacionados à interferência na autonomia do profissional. Certamente para aqueles que trabalham no controle de infecção hospitalar, um exemplo está relacionado ao contraste entre a racionalização do uso de antimicrobianos, considerando a adequação da droga quanto à indicação, espectro, posologia e riscos de interação com outras drogas e conseqüente toxicidade para o paciente em relação à liberdade de prescrição do médico e seu compromisso com o mesmo.
Mostrar mais

7 Ler mais

Controle de temperatura utilizando o protocolo Foundation Fieldbus

Controle de temperatura utilizando o protocolo Foundation Fieldbus

Nesta monografia foi desenvolvido o controle de temperatura de uma câmara térmica utilizando o protocolo digital Foundation Fieldbus. Os equipamentos utilizados com esse protocolo foram um transmissor de temperatura e um conversor de Fieldbus para 4 a 20 mA. Foi realizada a configuração do protocolo Foundation Fieldbus e foi desenvolvido um sistema de supervisão para o processo. Após, foi realizada a sintonia dos parâmetros do controlador PID utilizando o método do modelo interno (IMC). Por último, foram realizados testes e verificou-se que a comunicação, controle e supervisão do processo funcionaram corretamente.
Mostrar mais

48 Ler mais

Influência da qualidade de vida no controle glicêmico em pacientes com diabetes mellitus...

Influência da qualidade de vida no controle glicêmico em pacientes com diabetes mellitus...

Ter o diagnóstico de DM significa aprender a viver com certas limitações e com situações que exigem domínio físico e psicológico de si mesmo, lidar com as recomendações do seu dia-a-dia, estruturado por hábitos estabelecidos em sua rotina nas relações familiares e sociais. Nessa situação, o sujeito com DM irá se defrontar com problemas novos, que vão lhe requerer o desenvolvimento de revistas pelo saber médico e outras tantas não previstas pelo saber médico e outras tantas não previstas por esse saber (CYRINO, 2005). Poucas doenças crônicas requerem do paciente um grau elevado de atenção e auto-monitorização quanto o diabetes. A pessoa deve manter sempre um bom controle do nível glicêmico, uma dieta equilibrada, injeções de insulina quando necessário e o controle do estresse e das atividades físicas (BAPTISTA, 1992).
Mostrar mais

102 Ler mais

Perfil das mães de neonatos com controle glicêmico nas primeiras horas de vida.

Perfil das mães de neonatos com controle glicêmico nas primeiras horas de vida.

Alguns fatores maternos associados ao qua- dro de hipoglicemia neonatal indicam a monitoração dos níveis glicêmicos nas pri- meiras 24 horas de vida. O estudo objetivou descrever as características sócio-demográ- ficas e obstétricas de mães de neonatos com controle de glicemia capilar nas primeiras 24 horas de vida, internadas em Alojamento Conjunto de um Hospital Amigo da Criança. Estudo descritivo-exploratório que analisou dados de 380 prontuários médicos de mães internadas entre julho e dezembro de 2006, na unidade de Alojamento Conjunto do Hos- pital Universitário da Universidade de São Paulo. Diabetes gestacional foi verificado em 18 (5,6%) mães; nenhuma tratou com hipo- glicemiante oral; 53 (16,2%) tiveram hiper- tensão arterial na gestação, e 17 (32,1%) fi- zeram uso de anti-hipertensivo; 215 (56,6%) receberam soro glicosado, 5% no trabalho de parto e parto. Estudos correlacionais ana- lisando variáveis maternas e ocorrência de hipoglicemia neonatal devem ser realizados, objetivando identificar os fatores preditores desta morbidade neonatal.
Mostrar mais

6 Ler mais

Implementação de um protocolo de controle de sessão para aplicações

Implementação de um protocolo de controle de sessão para aplicações

Antes de se descrever os serviços da camada de sessão, deve-se fazer algumas considerações gerais definindo alguns conceitos utilizados por esta. a) Token: é um atributo dinâmico de um[r]

130 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados