Prefeitura Municipal de Mirangaba publica:

Texto

(1)

Esta edição encontra-se no site: www.mirangaba.ba.io.org.br em servidor certificado ICP-BRASIL

Prefeitura Municipal de

Mirangaba publica:

• Decreto Nº 049 de 02 de janeiro de 2017 - Declara em Situação

Anormal, caracterizada como situação de emergência, a área do

Município de Mirangaba-BA pela ocorrência de prejuízo a segurança de

pessoas, obras, serviços e equipamentos, e dá outras providências.

 

 

(2)

CNPJ: 13.913.371/0001-06.

DECRETO Nº 049 de 02 de janeiro de 2017.

DECLARA EM SITUAÇÃO ANORMAL, CARACTERIZADA COMO SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA, A ÁREA DO MUNICÍPIO DE MIRANGABA-BA PELA OCORRÊNCIA DE PREJUÍZO A SEGURANÇA DE PESSOAS, OBRAS, SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

CONSIDERANDO que, em decorrência de não ter havido a transição de

gestão, os contratos administrativos visando o fornecimento de bens e serviços foram todos encerrados em 31 de dezembro de 2016, sem que fosse propiciado ao atual gestor qualquer informação e segurança a respeito de suas continuidades, e que em decorrência disso instalou-se uma situação de emergência no âmbito da Administração Pública Municipal;

CONSIDERANDO, a situação de instabilidade administrativa vivenciada pelo

Município de Mirangaba – Bahia, decorrente da ausência de dados inerentes a real condição da situação financeira da administração municipal oriunda da falta de informações que foram omitidas pela gestão anterior;

CONSIDERANDO, a situação de caos que se encontra a administração municipal, com a paralisação de alguns serviços públicos ininterruptos e essências pela gestão anterior;

CONSIDERANDO a situação precária dos bens móveis e imóveis, como

também dos serviços públicos, e que a falta de coleta do lixo e do entulho na cidade oferecem sérios riscos à saúde humana e ao meio ambiente;

CONSIDERANDO a necessidade de realização de atos de gestão

administrativa de natureza urgente, visando à continuidade dos serviços essenciais à população, tais como prestação de serviços médicos, de limpeza, educação, infraestrutura básica e de funcionamento da máquina administrativa;

CONSIDERANDO que a submissão dos serviços e das utilidades públicas à

descontinuidade, à paralisação ou qualquer tipo de ineficiência é impor injusta punição à sociedade, o que pode ser caracterização, até mesmo, como improbidade administrativa do atual gestor público;

(3)

ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MIRANGABA

PODER EXECUTIVO

CNPJ: 13.913.371/0001-06.

2 Avenida Jonas Carvalho, n° 125 – centro – CEP. 44745-000 Mirangaba – BA Tel. (0xx74) 3630-2125 email:pm.mirangaba@prefeiturademirangaba.com.br

CONSIDERANDO que a continuidade das atividades administrativas que se

materializam – sob o ponto de vista comunitário – na boa prestação de serviços públicos e na efetivação do atendimento das demandas da população;

CONSIDERANDO que os serviços essenciais da Administração Municipal

foram diretamente afetados;

CONSIDERANDO, que a atual administração teve início no dia 1° de Janeiro

de 2017, e tão logo instalado foi constatado que inexistem procedimentos licitatórios regulares consumados,assim como contratos de prestação de serviços firmados, suficientes para ensejar a aquisição de bens e serviços destinados a suprir às necessidades administrativas, no tocante a prestação de serviços públicos essenciais, tais como: transporte, limpeza pública; aquisição de: combustíveis, medicamentos, materiais de expediente, gêneros alimentícios, e materiais de limpeza; contratação de pessoal, profissionais da saúde e mão de obras necessárias a realização dos serviços básicos da administração, serviços esse de significativa relevância para o Município e para a população;

CONSIDERANDO, que o Município de Mirangaba/BA não possui no momento,

qualquer condição de dar continuidade a estas ações sem a contratação imediata e direta desses serviços, ou da aquisição desses materiais e/ou bens, ante a inexistência, no mundo jurídico, dos procedimentos que antecedem as despesas públicas, Licitações e contratos, termos de referência ou projetos básicos, estimativas e preços e planilhas de custos, etc.;

CONSIDERANDO , que no Município de Mirangaba/BA, não ocorreu transição

de Governo adequada, prejudicado sensível mente o andamento dos primeiros atos de governo, na questão administrativa, pois não fizeram a prorrogação dos contratos, após as suas finalizações 31 de dezembro de 2016, não repassaram as informações indispensáveis na transição, sendo impossível fazer os aditivos dos contratos, até aguardar desfecho de processos licitatórios;

CONSIDERANDO, que a responsabilidade pela inexistência desses atos

administrativos que precedem as despesas públicas não podem ser imputadas a atual administração, dado se a ela impossível tê-los adotado, face ter sido instalada somente a partir de 1° de Janeiro de 2017;

CONSIDERANDO, que as hipóteses elencadas caracterizam a saciedade,

situação emergencial que não pode ser atendida pelo procedimento regular de licitação, e que se não contornada, colocará em risco a saúde e a segurança de pessoas e bens, enquadrando-se perfeitamente no disposto no art. 24, inciso IV, da Lei n° 8.666, de 21 de junho de 1993.

CONSIDERANDO a necessidade de cumprimento das normas emanadas do

art. 196 da C.F e do art. 2ª da Lei nº 8.080/90 que visa a garantia do acesso à Saúde pela população;

CONSIDERANDO a concretização das disposições constantes na LOAS, Lei

(4)

(PNAS), de 1998, e das Normas Operacionais Básicas – NOB/97 e NOB/98, que asseguram os direitos à cidadania mediante a continuidade dos serviços sócio assistenciais de Proteção Social Básica e Especial.

CONSIDERANDO que o risco da ocorrência de prejuízo ou comprometimento

no atendimento dos serviços públicos, obras e serviços é evidente no Município de Mirangaba/BA;

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MIRANGABA, no uso das atribuições legais

conferidas pela Lei Orgânica do Município, e pelo art. 24, IV da Lei nº 8.666/93.

DECRETA:

Art. 1°- Fica decretada situação de emergência no município, a partir da data de 02/01/2017, em face de inexistência de instrumentos regulares de realização de gastos públicos, devidamente empenhados, indispensáveis para acudir os serviços essenciais que devem ser prestados aos cidadãos.

Art. 2°- Tendo em vista a necessidade urgente e emergente de enfrentamento da situação emergencial, fica autorizada a contratação direta, independentemente da realização de procedimento licitatórios para as compras e serviços a seguir discriminados:

I - LIMPEZA PÚBLICA - compreendendo:

1) Varrição manual de vias e logradouros públicos e respectiva coleta; 2) Capinação manual de vias e logradouros públicos;

3) Limpeza de canais e córregos;

4) Poda, desbaste e arranque de árvores, matos e capim de ruas e avenidas; 5) Locação de mão de obra de trabalhadores braçais para serviços complementares de limpeza;

6) Locação de máquinas, equipamentos e veículos para o atendimento dos serviços essenciais na área da limpeza pública.

II - SERVIÇOS DE LIMPEZA E MANUNTENÇÃO INTERNAS - compreendendo a contratação de mão de obra necessária e indispensável à execução dos serviços de limpeza e manutenção dos prédios públicos;

III - PROFISSIONAIS NA ÁREA DE SAÚDE E ASSISTÊNCIA SOCIAL, compreendendo a contratação de médicos, dentistas, enfermeiros, técnicos, assistente social, e outros profissionais das referidas áreas;

IV - AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS para as unidades de saúde do Município e para a Assistência Social;

(5)

ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE MIRANGABA

PODER EXECUTIVO

CNPJ: 13.913.371/0001-06.

4 Avenida Jonas Carvalho, n° 125 – centro – CEP. 44745-000 Mirangaba – BA Tel. (0xx74) 3630-2125 email:pm.mirangaba@prefeiturademirangaba.com.br VI- AQUISIÇÃO DE PEÇAS DEREPOSIÇÃO E DE SERVIÇOS MECÂNICOS DIVERSOS;

VII - AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTICIOS para abastecimento das secretarias de Educação, Saúde e Assistências Social;

VIII - AQUISIÇÃO DE MATERIAS DE EXPEDIENTE para possibilitar o desempenho das atividades nos departamentos da administração pública;

IX - AQUISIÇÃO DE MATERIAIS MANUTENÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA; Art. 3°- O Departamento de Compras, através da comissão permanente de licitação, está autorizado a proceder às contratações e ou aquisições, diretamente, dispensada de licitação nos termos do Artigo 24, inciso IV, da Lei 8666/93 e suas alterações, observando as formalidades legais e as demais exigências da Lei 8666/93 e suas alterações e os critérios de melhor proposta, mediante levantamento de preços por intermédio de três orçamentos prévios.

Art. 4°- Todas as vezes que o menor preço não for o eleito para a escolha do fornecedor, deverá ser feita justificativa comprovada das razões da decisão, sob pena de responsabilização.

Art. 5° - As aquisições e contratações previstas no artigo 2° do presente Decreto estão autorizadas pelo prazo inicial de 90 dias, sendo que, em caso de necessidade de prorrogação, a motivação deverá ser suficientemente indicada.

Parágrafo Primeiro- Decorrido esse prazo, cessa imediatamente a situação de emergência, devendo o Departamento de Compras do Município seguir as exigências da Lei 8.666/93 e suas alterações.

Parágrafo Segundo – A Comissão Permanente de Licitação conjuntamente com o Pregoeiro(a) deverá deflagrar os Procedimentos Licitatórios necessários à aquisição de Bens e Serviços do Município em um prazo máximo de 25 dias.

Art. 6° - A contratação direta não dispensa a exigência de apresentação da comprovação de regularidade da empresa ou profissional, nos casos em que a lei assim o exige, tampouco o atendimento das exigências previstas no artigo 26 da Lei de Licitações e Contratos.

Art. 8° - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Gabinete do Prefeito, 02 de janeiro de 2017

ADILSON ALMEIDA DO NASCIMENTO Prefeito Municipal

Imagem

Referências

temas relacionados :