• Nenhum resultado encontrado

Cantinho da Oração em família. 3º ANO Catequese 11. Pelo batismo renascemos do Alto

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "Cantinho da Oração em família. 3º ANO Catequese 11. Pelo batismo renascemos do Alto"

Copied!
8
0
0

Texto

(1)

Cantinho da Oração em família

3

º ANO

| Catequese 11

(2)

A família reúne-se no seu «Cantinho da Oração». Sugere-se a colocação de uma cruz, uma vela acesa e uma imagem de Nossa Senhora. Podem usar-se estatuetas ou estampas. Se a família tiver alguma devoção especial a um santo ou santa em particular, pode também colocar-se a sua imagem. A cruz deve ser sempre central. Convém que haja perto cadeiras para todos se sentarem.

Antes de começar a oração, é preciso combinar tarefas: uma pessoa preside e são necessários 2 leitores. Se a criança já souber ler, sugere-se que seja ela presidir. Se não, preside um adulto, mas procurando envolver a criança o mais possível.

Caso no momento de oração participem apenas duas pessoas, então uma preside e a outra responde e faz as leituras.

Após alguns momentos de silêncio, todos rezam como se segue (o V. marca as intervenções de quem preside e o R. a resposta de todos):

V. Em nome do Pai, (†) do Filho e do Espírito Santo.

R. Ámen.

A seguinte oração é rezada por todos ao mesmo tempo:

Espírito Santo, amor do Pai e do Filho, inspirai-me sempre o que devo pensar, o que devo dizer, como devo dizer, o que devo calar, o que devo escrever, como devo agir, o que devo fazer, para a Vossa glória, o bem do mundo e a minha própria santificação.

Então, a criança explica o sentido da celebração:

A Palavra de Jesus é forte e é capaz de mudar a nossa vida. Ele ama todas as pessoas com todo o Seu coração. No batismo, Ele oferece-nos a Sua vida divina e convida-nos a ser felizes com Ele. Como Deus nos ama! A maior parte de nós já é batizado. Para as pessoas que acreditam e rezam a Deus, o batismo é o momento da entrada na grande família cristã da qual todos podemos fazer parte, pois o Senhor Deus não deixa ninguém de fora: todos temos lugar no Seu Coração. Com esta atitude de acolhimento, Deus

(3)

faz-nos um apelo para que também nós sejamos capazes de acolher a todos sem exceção.

No texto do Evangelho que hoje vamos escutar, Jesus fala a um senhor chamado Nicodemos, que foi ter com Ele durante a noite, sobre a importância de «renascer». Mas, se Nicodemos era um homem já com alguma idade, como poderia ele «renascer»? Escutemos com atenção.

Todos se sentam. Então, todos cantam (repete-se duas vezes):

Cristo Jesus, Tu me chamaste; eu Te respondo: «Estou aqui». Tu me chamaste pelo meu nome; eu Te respondo: «Estou aqui».

O leitor 1 proclama a seguinte leitura (Jo 3, 1-6.16).

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Havia um fariseu chamado Nicodemos, que era um dos principais entre os judeus. Foi ter com Jesus de noite e disse-Lhe: «Rabi, nós sabemos que vens da parte de Deus como mestre, pois ninguém pode realizar os milagres que Tu fazes se Deus não está com ele». Jesus respondeu-lhe: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer de novo não pode ver o reino de Deus». Disse-Lhe Nicodemos: «Como pode um homem nascer, sendo já velho? Pode entrar segunda vez no seio materno e voltar a nascer?». Jesus respondeu: «Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que nasceu da carne é carne e o que nasceu do Espírito é espírito. E Jesus disse ainda: «Deus amou tanto o mundo que entregou o seu Filho Unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna».

(4)

Segue-se o Salmo Responsorial.

O Senhor abençoará o Seu povo na paz.

1| Tributai ao Senhor, filhos de Deus,

tributai ao Senhor glória e poder.

Tributai ao Senhor a glória do seu nome, adorai o Senhor com ornamentos sagrados.

2| A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens,

o Senhor está sobre a vastidão das águas. A voz do Senhor é poderosa,

a voz do Senhor é majestosa.

3| A majestade de Deus faz ecoar o seu trovão

e no seu templo todos clamam: Glória!

Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor, o Senhor senta-Se como rei eterno.

O leitor 2 faz a seguinte leitura.

Pelo Batismo somos feitos filhos de Deus. Além dos nossos pais da terra, que nos dão o necessário para o nosso corpo, precisamos do nosso Pai do Céu. É Ele que ensina e dá força aos nossos pais e a outras pessoas para serem boas. Sem Deus, nem os nossos pais nem nós seríamos capazes de nos portarmos bem, de partilhar os nossos bens, de perdoar aos outros…

Portanto, o Batismo é o nosso segundo nascimento e até é mais importante do que o primeiro. Se nascêssemos só para uma vida em que não fôssemos capazes de fazer o bem, seria bem triste e bem terrível: quanta

(5)

tristeza e infelicidade vêm do mal que se faz! Mas não: Deus, que nos ama, oferece-nos a oportunidade de uma vida boa e feliz, de uma vida a fazer o bem. É que nós somos fracos e, sozinhos, erramos muitas vezes. Com o Batismo, nascemos para uma vida nova, boa, feliz. Por isso é tão importante. No seu diálogo com o fariseu Nicodemos, é do Batismo que Jesus está a falar. Quando o Senhor fala em «nascer de novo», o velho Nicodemos pergunta-se como é possível a alguém já adulto voltar a nascer. Jesus não fala de um renascimento físico, mas espiritual: não se trata de voltar a ser bebé e de voltar a sair da barriga da mãe, mas de renovar a maneira de ser e de agir. O Batismo é o sacramento pelo qual renascemos e nos tornamos capazes de agir bem. Graças a quem? Graças ao Espírito Santo.

Jesus fala em «renascer da água e do Espírito». A água que caiu sobre a nossa cabeça no dia do nosso batismo é um sinal: não é a água que é «mágica» e nos «batiza», mas é o Espírito Santo que, invisivelmente, desce sobre nós no momento em que a água nos toca. Desta forma, enquanto acontece algo que vemos (a água a cair sobre a cabeça de quem é batizado), acontece algo ainda mais profundo e que nós não vemos: o Espírito Santo a entrar na pessoa que é batizada e a consagrá-la. Em silêncio, vamos agradecer a Deus Pai o dom do nosso batismo. Vamos dizer: «Obrigado, Senhor, porque me fizeste teu filho / tua filha».

Todos repetem três vezes, para a criança interiorizar.

Segue-se cerca de 1 minuto de silêncio, durante o qual todos rezam interiormente: «Obrigado, Senhor, porque me fizeste teu filho / tua filha». Pode ser sentados ou de joelhos. O exemplo das outras pessoas é essencial: a criança faz o que vê fazer!

(6)

Observe-se a reacção da criança: quando se perceber que ela já terminou a sua oração, guardem-se mais uns instantes de silêncio e, depois, todos se levantam e cantam:

Tu és fonte de vida, Tu és fogo, Tu és amor: Vem, Espírito Santo. [Bis]

A criança que preside inicia as preces:

O batismo, o nosso renascimento espiritual, torna-nos filhos de Deus e irmãos de Jesus. Como filhos de Deus, façamos chegar até Ele as nossas preces, dizendo:

Escutai, Senhor, a nossa voz.

Os leitores 1 e 2, alternadamente, propõem as preces.

1| Senhor Deus, escutai a voz do Vosso Povo.

2| Abri-nos a fonte das águas vivas.

3| Enviai sobre nós o Vosso Espírito.

4| Tende compaixão de quem Vos procura de coração sincero.

5| Aumentai a nossa fé.

6| Conservai todas as pessoas batizadas unidas no Vosso amor.

7| Fazei de todos os cristãos um bom testemunho para o mundo.

A criança inicia o Pai-nosso, que todos rezam juntos.

No final, conclui com a seguinte oração:

V. Senhor, nosso Deus, reavivai em nós, pelo Espírito Santo, o dom e a

alegria do Batismo, para que Vos chamemos nosso Pai e nos sintamos, de verdade, Vossos filhos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho, que é

(7)

O momento de oração conclui-se do seguinte modo:

V. O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna.

R. Ámen.

E, voltados para a imagem de Nossa Senhora, rezam em conjunto:

Ó Senhora minha, ó minha Mãe, eu me ofereço todo(a) a vós, e em prova da minha devoção para convosco, Vos consagro neste dia e para sempre, os meus olhos, os meus ouvidos, a minha boca, o meu coração e inteiramente todo o meu ser. E porque assim sou vosso(a), ó incomparável Mãe, guardai-me e defendei-me como propriedade vossa. Lembrai-vos que vos pertenço, terna Mãe, Senhora nossa. Ah, guardai-me e defendei-me como coisa própria vossa.

Então, em silêncio, todos se benzem.

Vamos fazer arte!

No batismo, a Santíssima Trindade (o Pai, o Filho e o Espírito Santo) vem habitar em nós: tornamo-nos filhos de Deus, irmãos de Cristo e templos do Espírito Santo. Oferecemos-te este belo e complexo desenho da Santíssima Trindade (Deus Pai: a mão, a palavra «YHWH», que significa «Deus», e a palavra «abba», que significa Pai. Deus Filho: o Cordeiro. Deus Espírito Santo: a pomba). Pinta este desenho e manda-nos uma fotografia.

(8)

Referências

Documentos relacionados

Jornal do Campus - Informativo da Universidade de Fortaleza, da Fundação Edson Queiroz Chanceler Airton Queiroz Reitora Fátima Veras Vice-Reitor de Ensino de Graduação Henrique

II- Mediante avaliação final, necessariamente escrita, o aluno que obtiver nota igual ou superior a 6,0, correspondente à média aritmética simples da nota de

Inicialmente, destacamos a formação de Sven voltada para a contabilidade, o que permitiu-lhe trabalhar como contador, empresário (proprietário de uma microempresa

Tomamos a pesquisa “A Passagem do Ensino Médio ao Ensino Superior: acesso e inclusão de alunos da rede Pública na cultura acadêmica da universidade pública”

Visando o conhecimento detalhado da vegetação do local, foi realizado um levantamento quali-quantitativo das árvores e palmeiras da praça, observando suas principais

Este trabalho teve como objetivos i) avaliar métodos de amostragem destrutiva e não destrutiva, visando à estimativa da densidade básica da árvore; ii) verificar o padrão

É importantíssimo que seja contratada empresa especializada em Medicina do Trabalho para atualização do laudo, já que a RFB receberá os arquivos do eSocial e

Coerente com minhas motivações para ingressar em Letras Libras, o ensino de Libras representa para mim não só o compartilhar de uma nova língua, mas também a