Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Paraná

113 

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

Ministério da Educação

Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Instituto Federal do Paraná

BOLETIM INTERNO Nº 16

(2)

Reitoria

Reitor Prof. Irineu Mário Colombo

Pró-reitor de Ensino Prof. Ezequiel Westphal

Pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Bruno Pereira Faraco

Pró-reitor de Administração Gilmar José Ferreira dos Santos

Pró-reitora de Gestão de Pessoas Neide Alves

Pró-reitor de Extensão, Pesquisa e Inovação Prof. Silvestre Labiak Junior

Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação Prof. Eduardo Liquio Takao

Chefe do Gabinete do Reitor Profº. Joelson Juk

Diretores de Câmpus

Câmpus Assis Chateaubriand Prof. Anderson Sanita

Câmpus Campo Largo Prof. João Claudio Bittencourt Madureira

Câmpus Cascavel Prof. Luiz Carlos Eckstein

Câmpus Curitiba Prof. Luiz Gonzaga Alves de Araújo

Câmpus Foz do Iguaçu Profª. Roseli Bernardete Dahlem

Câmpus Irati Prof. Francis Luiz Baranoski

Câmpus Ivaiporã Prof. Onivaldo Flores Júnior

Câmpus Jacarezinho Prof. Gustavo Villani Serra

Câmpus Londrina Profª. Edilomar Leonart

Câmpus Palmas Profª. Ivania Marini Piton

Câmpus Paranaguá Prof. Roberto Teixeira Alves

Câmpus Paranavaí Prof. José Barbosa Dias Junior

Câmpus Telêmaco Borba Karina Mello Bonilaure

Câmpus Umuarama Prof. Vicente Estevam Sandeski

Diretoria Geral de Educação à Distância Marcelo Camilo Pedra

Organizadores

Diretora de Informações Institucionais Luciana Milcarek

Coordenador de Informações Gerenciais José Sikora Neto

(3)

Sumário

PORTARIAS ... 5

Gabinete do Reitor ... 5

Pró-Reitoria de Administração ... 31

Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação ... 38

Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas ... 38

RESOLUÇÕES DO CONSELHO SUPERIOR ... 40

ATOS DE PESSOAL ... 57

Assistência à Saúde Suplementar ... 57

Auxilio Alimentação – Inclusão/Exclusão ... 57

Auxílio Natalidade ... 58

Auxílio Pré-Escolar ... 58

Auxilio Transporte – Inclusão/Exclusão ... 58

Licença Gestante – Prorrogação ... 58

Licença para Tratamento de Saúde ... 59

Licença por motivo de doença em pessoa da família ... 59

Licença motivo casamento ... 59

Licença Paternidade ... 59

Férias ... 59

Substituição de Função ... 60

CONCESSÃO DE DIÁRIAS E PASSAGENS ... 62

EXTRATOS DE CONTRATOS, CONVÊNIOS, TERMOS DE PARCERIA E OUTROS CONGÊNERES ... 113

(4)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 5

PORTARIAS

Gabinete do Reitor

PORTARIA N.º 580 DE 05 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2,

CONSIDERANDO: O Decreto n.º 7.689 de 02 de Março de 2012 que estabelece, no âmbito do Poder Executivo Federal, limites e instâncias de governança para a contratação de bens e serviços e para a realização de gastos com diárias e passagens; e o Art. 7.º do mesmo Decreto, que delega competência aos dirigentes máximos das entidades vinculadas para autorizar despesas com diárias e passagens referentes aos Incisos I a IV do referido Artigo; A estrutura a instituir multicâmpus, necessita de integração e interação entre os dirigentes dos Câmpus;

RESOLVE:

Art. 1.º - Autorizar o deslocamento de até 70 (setenta) colaboradores para participar do I FORPLADI – Fórum de Planejamento e Desenvolvimento Institucional do IFPR que será realizado nos dias 18, 19, e 20 de dezembro de 2012 na cidade de Assis Chateaubriand/PR. As diárias e passagens deverão ser devidamente lançadas e/ou ajustadas no Sistema de Concessão de Diárias e Passagens – SCDP por sua unidade gestora responsável (UGR);

Art. 2.º – Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Irineu Mario Colombo PORTARIA Nº 582 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso dacompetência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2, página 01, considerando o que consta no artigo 9º, inciso I da Lei nº 8.112/90, bem como a autorização para realização de concursos públicos e a autorização para provimentos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e do Ministério da Educação, conforme Portaria Interministerial nº. 056 de 20/04/11, publicada no DOU de 25/04/11 e o que consta no processo nº 23407.000308/2012-20, RESOLVE:

I. Nomear em caráter efetivo, para o quadro de pessoal deste Instituto, no Câmpus Jacarezinho, Márcia Cristina dos Reis, habilitado em concurso público, homologado em 06/09/2012, para o cargo de Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, Classe DI, nível I, no regime de trabalho de Dedicação Exclusiva, na vaga de código 848137.

II. A posse ocorrerá no prazo de 30 (trinta) dias, contados da publicação deste ato, no Diário Oficial da União, nos termos do § 1º do artigo 13 da Lei nº 8.112, de 1990.

III. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Irineu Mario Colombo PORTARIA Nº 583 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2, página 01, considerando o que consta no artigo 9º, inciso I da Lei nº 8.112/90, bem como a autorização para realização de concursos públicos e a autorização para provimentos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e do Ministério da Educação, conforme Portaria Interministerial nº. 056 de 20/04/11, publicada no DOU de 25/04/11 e o que consta no processo nº 23412.000213/2012-37, RESOLVE:

I. Nomear em caráter efetivo, para o quadro de pessoal deste Instituto, no Câmpus Assis Chateaubriand, Humberto Reis dos Santos Souza, habilitado em concurso público, homologado em 20/06/2012, para o cargo de Auxiliar de Biblioteca, no regime de trabalho de 40 (quarenta) horas semanais, na vaga de código 833270.

II. A posse ocorrerá no prazo de 30 (trinta) dias, contados da publicação deste ato, no Diário Oficial da União, nos termos do § 1º do artigo 13 da Lei nº 8.112, de 1990.

III. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Irineu Mario Colombo PORTARIA N.º 584 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2; e considerando o que consta no Processo n.º 63.000032/2010-51,

(5)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 6

Art. 1.º - Designar os integrantes abaixo, na

forma do artigo 11 e parágrafos, da Lei n.º 9.790/1999 e do artigo 20 do Decreto n.º 3.100/1999, para comporem a Comissão Especial de Avaliação, com incumbência de acompanhar e fiscalizar a execução do objeto do Termo de Parceria n.º 001/2010, celebrado entre o IFPR – Instituto Federal do Paraná e IBEPOTEQ – Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas para Otimização da Tecnologia e Qualidade Aplicada:

Membros:

1. Marcelo Camilo Pedra – Siape n.º 1483023; 2. Luana Cristina Medeiros de Lara – Siape n.º 1674576;

3. Vilma Cleia Chechelski – CPF: 404.983.019-15 / Representante da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.

Art. 2.º – Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Irineu Mario Colombo PORTARIA N.º 585 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2; e considerando o que consta no Processo n.º 63.005344/2010-51,

RESOLVE:

Art. 1.º - Designar os integrantes abaixo, na forma do artigo 11 e parágrafos, da Lei n.º 9.790/1999 e do artigo 20 do Decreto n.º 3.100/1999, para comporem a Comissão Especial de Avaliação, com incumbência de acompanhar e fiscalizar a execução do objeto do Termo de Parceria n.º 002/2010, celebrado entre o IFPR – Instituto Federal do Paraná e ABDES – Agência Brasileira de Desenvolvimento Econômico e Social:

Membros:

1. Célio Alves Tibes Junior – Siape n.º 1306718; 2. Luana Cristina Medeiros de Lara – Siape n.º 1674576;

3. Genoíno José Dal Moro – CPF: 347.630.589-91 / Representante da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.

Art. 2.º – Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Irineu Mario Colombo PORTARIA N.º 586 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República,

publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2; e considerando o que consta no Processo n.º 23.411.008658/2010-13,

RESOLVE:

Art. 1.º - Designar os integrantes abaixo, na forma do artigo 11 e parágrafos, da Lei n.º 9.790/1999 e do artigo 20 do Decreto n.º 3.100/1999, para comporem a Comissão Especial de Avaliação, com incumbência de acompanhar e fiscalizar a execução do objeto do Termo de Parceria n.º 003/2010, celebrado entre o IFPR – Instituto Federal do Paraná e IBEPOTEQ – Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas para Otimização da Tecnologia e Qualidade Aplicada:

Membros:

1. Célio Alves Tibes Junior – Siape n.º 1306718; 2. Marcelo Camilo Pedra – Siape n.º 1483023; 3. Vilma Cleia Chechelski – CPF: 404.983.019-15 / Representante da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.

Art. 2.º – Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Irineu Mario Colombo PORTARIA N.º 587 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2; e considerando o que consta no Processo n.º 23.411.002440/2011-26,

RESOLVE:

Art. 1.º - Designar os integrantes abaixo, na forma do artigo 11 e parágrafos, da Lei n.º 9.790/1999 e do artigo 20 do Decreto n.º 3.100/1999, para comporem a Comissão Especial de Avaliação, com incumbência de acompanhar e fiscalizar a execução do objeto do Termo de Parceria n.º 001/2011, celebrado entre o IFPR – Instituto Federal do Paraná e IBEPOTEQ – Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas para Otimização da Tecnologia e Qualidade Aplicada:

Membros:

1. Célio Alves Tibes Junior – Siape n.º 1306718; 2. Marcelo Camilo Pedra – Siape n.º 1483023; 3. Vilma Cleia Chechelski – CPF: 404.983.019-15 / Representante da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público.

Art. 2.º – Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

(6)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 7

PORTARIA N.º 591 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2012

O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2,

RESOLVE:

Art. 1.º Aprovar o regulamento com as condições para o afastamento de servidores do Instituto Federal do Paraná para pós-graduação stricto sensu, nos termos do documento que segue.

Art. 2.° Este Regulamento estabelece critérios para a concessão de afastamento aos servidores do Instituto Federal do Paraná (IFPR) para realização de cursos de Mestrado e Doutorado e estágio de Pós-Doutorado em instituições nacionais ou estrangeiras, observados os dispositivos legais previstos no Decreto n.o 91.800, de 18 de outubro de 1985, que dispõe sobre as viagens ao exterior, a serviço ou com o fim de aperfeiçoamento sem nomeação ou designação; Decreto n.o 94.644, de 23 de julho de 1987, que aprova o Plano Único de Classificação e Retribuição de Cargos e Empregos de que trata a Lei n.o 7.596, de 10 de abril de 1987; Portaria Interministerial MEC/MCT n.o 475, de 26 de agosto de 1987, que expede Normas Complementares para a execução do Decreto n.o 94.664, de 23 de julho de 1987; Lei n.o 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e alterações posteriores, que dispõem sobre o regime jurídico dos servidores públicos federais civis da União; Lei n.o 8.745, de 09 de dezembro de 1993 e alterações posteriores, que dispõem sobre a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público (contratação de professor substituto); Decreto n.o 1.387, de 03 de fevereiro de 1995, que dispõe sobre o afastamento do país de servidores civis da Administração Pública Federal; Lei n.o 11.091, de 12 de janeiro de 2005, que dispõe sobre a estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação; Portaria MEC n.o 1.496, de 04 de maio de 2005, que delega competência aos Reitores, vedada a subdelegação, para autorizar o afastamento de servidores para o exterior; Decreto n.o 5.707, de 23 de fevereiro de 2006, que institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração pública federal direta, autárquica e fundacional; Lei n.o 11.784 de 11 de setembro de 2008, que trata da Carreira do Magistério do ensino básico, técnico e tecnológico; Lei n.º 11.907, de 2 de fevereiro de 2009; Resolução CONSUP/ IFPR n.o 002/2009, que estabelece diretrizes para a gestão das atividades de ensino, pesquisa e extensão no âmbito do IFPR; Orientação Normativa SRH n.o 2, de 23 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre as regras e procedimentos a serem adotados para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento

de férias; Lei n.o 11892. 29/12/2008 e no Estatuto do IFPR.

Art. 3.° O servidor do IFPR poderá afastar-se de suas funções para qualificar-afastar-se em instituições no país e no exterior, sendo assegurados todos os direitos e vantagens a que fizer jus em razão do respectivo cargo, desde que obedecidas às exigências contidas no presente Regulamento e na legislação vigente.

Art. 4.º O afastamento de que trata este Regulamento ocorrerá por solicitação do servidor interessado e sempre com a anuência final do Colégio de Dirigentes do Câmpus, quando esse existir, e não existindo, será de responsabilidade da Direção Geral da unidade onde estiver lotado, nas seguintes formas:

I – com ônus: quando implicar, além do vencimento e demais vantagens legais do cargo ou função, o recebimento de passagens, diárias, bolsa de estudo, taxa de bancada e/ou outra ajuda financeira, pelo IFPR ou órgão governamental;

II – com ônus limitado: quando implicar o recebimento apenas do vencimento e demais vantagens legais do cargo ou função;

III - sem ônus: quando implicar na suspensão total do vencimento e demais vantagens legais do cargo, não acarretando despesas de qualquer espécie para o IFPR.

DOS CRITÉRIOS

Art. 4.° Será concedido afastamento para os servidores do Instituto Federal do Paraná para cursar Mestrado, Doutorado ou Estágio de Pós-Doutorado, desde que cumpridos todos os seguintes critérios:

I - pertencer ao quadro efetivo do Instituto Federal do Paraná há pelo menos três anos para o Mestrado e quatro anos para Doutorado ou Pós-Doutorado, incluído o período de estágio probatório;

II - não ter se afastado por licença para tratar de assuntos particulares ou para gozo de licença capacitação ou pós-graduação stricto sensu nos dois anos anteriores à data de solicitação de afastamento, no caso de Mestrado e Doutorado, e quatro anos no caso de estágio de pós-doutorado; III - não estar respondendo a processo administrativo disciplinar;

IV - não ter nenhuma pendência em relação aos compromissos de ordem administrativa ou pedagógica, especialmente junto à Secretaria Acadêmica e Biblioteca;

V - ter sido aceito, como aluno regular, em um programa de pós-graduação stricto sensu, reconhecido pelos órgãos competentes.

(7)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 8

§1.° Os servidores beneficiados pelos afastamentos

previstos neste regulamento terão que permanecer no exercício de suas funções após o seu retorno por um período igual ao do afastamento concedido. §2.° Não serão considerados os pedidos de afastamento para servidores aceitos na condição de aluno especial.

§3°. Os professores substitutos, temporários, cedidos, ou visitantes não terão direitos à concessão de quaisquer modalidades de afastamento para pós-graduação stricto sensu.

Art. 5.° A concessão de afastamento para Estágio de Pós-doutorado, preferencialmente no exterior, é restrita aos servidores doutores, que tenham reconhecida produção acadêmico-científica e obtido o título de doutor há pelo menos três anos.

Art. 6.° Apenas serão considerados os pedidos de afastamento para cursos de graduação a serem realizados em programas de pós-graduação reconhecidos pelos órgãos competentes. §1.° Os afastamentos para cursos de pós-graduação no exterior somente serão concedidos para programa de pós-graduação, mediante apresentação de documentação que comprove a excelência da instituição e do curso.

§2.° A excelência da instituição e do programa poderá ser comprovada a partir da indicação de concluintes do curso que tenham revalidado seus diplomas em universidades brasileiras ou pelo registro no Sistema de Informação e Comunicação do Setor Educacional do Mercosul (SIC/Mercosul), mediante apresentação de documentação com informações sobre a titulação e a produtividade de seu corpo docente e as interações com outras instituições.

§3.° A documentação prevista nos parágrafos 1.º e 2.º poderá ser dispensada mediante a apresentação de uma declaração de concessão de bolsa pela CAPES ou CNPq.

Art. 7.º O período para a apresentação da proposta para os afastamentos mencionados nos artigos 3.º, 4.º e 5.º será definido através de edital próprio, que disciplinará datas, prazos, informações exigidas, bem como prazos de apresentação dos seguintes documentos:

I - Requerimento do servidor, ao Colegiado do Curso/Área da unidade do IFPR, solicitando o afastamento, justificando a relevância do curso para sua atuação na instituição, bem como as perspectivas de contribuições futuras após a conclusão do curso;

II – Declaração, Atestado, ou Certidão de Matrícula ou Comprovação de Aprovação da instituição referente ao programa de pós-graduação;

III - Calendário do Curso com data de início, previsão do término, disciplinas a serem cursadas com a

respectiva carga horária, expedido pela instituição que oferta o programa;

IV - Declaração de liberação das atividades profissionais exercidas fora do IFPR para o período de licença solicitada;

V - Termo de Compromisso e Ciência do conhecimento dos termos deste regulamento, assinado e datado, conforme modelo próprio. §1.° A Direção Geral ou a Direção de Ensino da unidade do IFPR poderá solicitar ao requerente outros documentos que julgar necessários para a apreciação do pedido.

§2.° Os docentes em regime de dedicação exclusiva não precisam apresentar a declaração referida no inciso IV.

Art. 8.° O número de servidores liberados para pós-graduação stricto sensu estará limitado a: I - dez por cento (10%) do número total de servidores, por categoria (docentes e técnico-administrativos), em efetivo exercício na unidade, condicionado, no caso dos docentes, a saldo do Banco de Professor Equivalente;

II - disponibilidade orçamentária para contratação de docentes substitutos, quando necessário;

III - a liberação final dos servidores será concedida desde que não haja prejuízo ao aluno, à estrutura de ensino ou administrativa.

Art. 9.° Nos casos de solicitações de afastamento de servidores docentes em que houver mais pretendentes que o número de vagas disponíveis, adotar-se-á, na ordem, os seguintes critérios de classificação:

I - Maior tempo de serviço na instituição;

II - Maior média de número de aulas, efetivamente trabalhadas nos últimos 02 (dois) anos;

III - Maior número de orientações de Iniciação Científica, de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e orientação de estágio nos últimos três anos; IV - O projeto de pesquisa para o programa de pós-graduação cadastrado no Comitê de Pesquisa e Extensão (COPE) do Câmpus;

V - Regime de trabalho do docente, obedecendo à seguinte ordem de preferência DE, 40hs e 20hs; Parágrafo Primeiro. Permanecendo o empate, será beneficiado o servidor com maior idade.

Parágrafo Segundo. Para fins de cômputo da média do número de aulas de que trata o inciso II, no caso de servidores no exercício de função gratificada ou cargo de direção constantes no organograma do IFPR, será computado, no período de exercício, o número de 08 (oito) horas semanais além das aulas efetivas.

(8)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 9

Art. 10. A Direção Geral da unidade, em

conjunto com o GT-Pessoas deverá elaborar um Plano Anual de Qualificação dos Servidores Técnico-Administrativos, de forma a incentivar a qualificação do quadro efetivo do Instituto Federal do Paraná, sem, contudo, prejudicar o funcionamento da Instituição.

Art. 11. Nos casos de solicitações de afastamento de servidores técnico-administrativos em que houver mais pretendentes que o número de vagas disponíveis, serão adotados, na ordem, os seguintes critérios de classificação:

I - tempo de serviço na instituição;

II - projeto de pesquisa para o programa de pós-graduação voltado a área de atuação do servidor; III - maior idade.

Art. 12. No interesse da instituição, será concedido regime diferenciado de cumprimento da carga horária docente para a frequência em Programas de Pós-graduação, garantindo-se compatibilidade com o cumprimento integral da carga horária destinada às atividades de ensino, conforme disciplinado em Portaria específica. Parágrafo único. Ao servidor técnico-administrativo, será permitido similar regime diferenciado para a frequência ao Programa em que haja compatibilidade com o cumprimento mínimo de 60% (sessenta por cento) da carga horária de trabalho, sem prejuízo das suas atividades na unidade.

DA DURAÇÃO DO AFASTAMENTO

Art. 13. Os prazos de duração para os afastamentos são os seguintes:

I - até vinte e quatro meses para programa de Mestrado;

II - até trinta e seis meses para programa de Doutorado;

III. até doze meses para estágio de Pós-Doutorado. §1°. O servidor poderá receber autorização para um único afastamento de suas obrigações com a instituição para cada nível da pós-graduação previsto nos incisos deste artigo.

§2°. Qualquer solicitação de alteração no período inicial de afastamento será considerada como prorrogação, e obedecerá aos prazos previstos no artigo 14.

Art. 14. Observado o disposto nestas normas, os prazos estabelecidos nos incisos I e II do Artigo. 13 poderão ser prorrogados até os seguintes limites:

I - em até seis meses para curso de Mestrado; II - em até doze meses para curso de Doutorado.

Parágrafo único. Não haverá concessão de prorrogação para estágio de Pós-Doutorado.

Art. 15. Em nenhuma hipótese, o período de afastamento poderá exceder a quatro anos consecutivos, mesmo nos casos de prorrogação, conforme determina o Decreto Nº 5.707, de 23 de fevereiro de 2006.

Art. 16. Observados os prazos de duração dos afastamentos, previstos nos Artigos 14 e 15, o início e término de afastamentos, e sua prorrogação, coincidirão, respectivamente:

I - com o início do período letivo da instituição em que o curso será realizado;

II. com o início do semestre letivo do IFPR.

Parágrafo único. O período de afastamento para pós-graduação stricto sensu finda com a conclusão do curso, ficando o servidor obrigado a se apresentar em até 15 (quinze) dias na instituição, sob pena de responder a infração disciplinar.

DA SOLICITAÇÃO DE AFASTAMENTO Art. 17. A solicitação de afastamento deverá ser feita a partir da abertura de processo administrativo, protocolado na unidade de lotação do servidor, obedecendo à seguinte tramitação: I - Verificação da documentação pelo GT - Pessoas, após instruir o processo com informações funcionais do servidor, quanto à viabilidade do afastamento do servidor, observando o tempo mínimo de serviço na instituição e a disponibilidade no Banco de Professor Equivalente;

II - análise e parecer do Colegiado de Áreas e/ou Curso de lotação do servidor docente, quanto à relevância da área do curso para a Instituição, a correlação entre a área do curso e a área de atuação do servidor e suas contribuições para o desempenho do mesmo, fazendo referência também à compatibilidade da solicitação com o Plano Anual de Qualificação dos Servidores e a viabilidade de seu afastamento;

III - análise e parecer da chefia imediata - Direção de Ensino e/ou da Direção Administrativa, conforme o caso, quanto à relevância, a compatibilidade com o Plano Anual de Capacitação dos Servidores e a viabilidade do afastamento do servidor, observando o tempo mínimo de serviço na Instituição;

IV - análise e parecer final do Colégio de Dirigentes da unidade quando esse existir, e, não existindo, será de responsabilidade da Direção Geral da unidade a concessão de afastamento para servidores do Instituto Federal do Paraná;

V - O pedido de afastamento será encaminhado para apreciação pela CPPD ou CIS, conforme o caso. Parágrafo Primeiro. Depois de atendidos os itens I, II, III, IV e V, a direção da unidade encaminhará ao

(9)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 10

Reitor, por intermédio da PROGEPE, memorando

solicitando emissão de Portaria de autorização de afastamento do servidor.

Parágrafo Segundo. Caberá a PROGEPE, a verificação do processo, elaboração da Portaria de autorização de afastamento do servidor e supervisão do Banco de Professor Equivalente.

DA SOLICITAÇÃO DE PRORROGAÇÃO DO AFASTAMENTO

Art. 18. A solicitação de prorrogação do afastamento deverá ser protocolada na unidade de lotação com antecedência mínima de 45 dias do final do período de afastamento.

§1.° Solicitações de prorrogação que não obedecerem aos prazos previstos no caput, não serão concedidas.

§2.° Somente será concedida uma única prorrogação ao prazo de afastamento.

Art. 19. O requerimento de prorrogação do afastamento deverá estar anexado ao processo que deu origem ao afastamento, sendo este instruído com a seguinte documentação:

I - requerimento feito pelo servidor, ao Diretor Geral da unidade do IFPR, solicitando a prorrogação do afastamento, com justificativa fundamentada dos motivos da não conclusão do curso no período previsto, bem como o tempo necessário para esta conclusão;

II - formulário próprio para solicitação de prorrogação de afastamento para pós-graduação stricto sensu, devidamente preenchido, no qual deverá constar a data do início e termino da prorrogação pretendida;

III - cronograma das atividades a serem desenvolvidas durante a prorrogação;

IV - documento do orientador, justificando a necessidade da prorrogação, os motivos da não conclusão do curso no período inicialmente previsto e o prazo necessário para a finalização das atividades previstas para a conclusão do curso;

V - plano de trabalho detalhado

VI - declaração de liberação das atividades profissionais exercidas fora do instituto Federal do Paraná, para o período solicitado para a prorrogação;

§1.° A Direção Geral da unidade e/ou Direção de área poderão solicitar ao requerente outros documentos que julgar necessários para a apreciação do pedido.

§2.° Os docentes em regime de dedicação exclusiva não precisam apresentar a declaração referida no inciso VI.

Art. 20. A solicitação de prorrogação do afastamento deverá ser feita a partir da abertura de

processo administrativo, protocolado na Direção Geral da unidade, obedecendo à seguinte tramitação:

I - verificação da documentação pelo GT - Pessoas, após instruir o processo com informações funcionais do servidor quanto à viabilidade da prorrogação do afastamento do servidor, observando o tempo mínimo de serviço na Instituição e a disponibilidade no Banco de Professor Equivalente;

II - análise e parecer do Colegiado de Áreas e/ou Curso de lotação do servidor docente, quanto à relevância da área do curso para a Instituição, a correlação entre a área do curso e a área de atuação do servidor e suas contribuições para o desempenho do mesmo, fazendo referência também à compatibilidade da solicitação com o Plano Anual de Qualificação dos Servidores e a viabilidade da prorrogação do seu afastamento;

III - análise e parecer da chefia imediata - Direção de Ensino e/ou da Direção Administrativa, conforme o caso, quanto à relevância, a compatibilidade com o Plano Anual de Qualificação dos Servidores e à viabilidade da prorrogação do afastamento do servidor, observando o tempo mínimo de serviço na Instituição;

IV - análise e parecer final do Colégio de Dirigentes da unidade quando esse existir, e, não existindo, será de responsabilidade da Direção Geral da unidade a concessão da prorrogação do afastamento para servidores do IFPR;

V - O pedido de prorrogação do afastamento será encaminhado para apreciação pela CPPD ou CIS, conforme o caso.

§1.° Depois de atendidos os itens I, II, III, IV e V, a direção da unidade encaminhará ao Reitor, por intermédio da PROGEPE, memorando solicitando emissão de Portaria, de autorização da prorrogação do afastamento do servidor.

§2.° Caberá a PROGEPE, a verificação do processo, elaboração da Portaria de autorização de afastamento do servidor e supervisão do Banco de Professor Equivalente.

DAS OBRIGAÇÕES E COMPROMISSOS Art. 21. Enquanto afastado, o servidor deverá:

I - dedicar-se em regime integral às atividades de seu programa de formação;

II - prestar, ao IFPR, todas as informações que lhe forem solicitadas;

III - encaminhar ao Colegiado de Curso e/ou Áreas, até o final dos meses de fevereiro e de agosto, relatório semestral das atividades acadêmicas desenvolvidas, contendo a produção acadêmico-científica do período, em formulário próprio, com

(10)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 11

parecer do orientador, devidamente assinado e

datado, e o respectivo comprovante de matrícula; IV - enquanto estiver cursando disciplinas apresentar relatório, semestralmente, ao Colegiado de Curso e/ou Áreas e a Direção de Ensino, para docentes e a Direção Administrativa para técnicos-administrativos o Histórico Escolar.

Parágrafo único. O atraso por mais de 30 dias na apresentação dos relatórios exigidos por esta Portaria será levado ao conhecimento da Direção de Ensino do Câmpus, que comunicara a Direção Geral do Câmpus, que encaminhará ao Reitor para as medidas legais cabíveis.

Art. 22. Durante o período em que estiver afastado, o servidor não poderá alterar o seu regime de trabalho.

Art. 23. Ao final do período de afastamento ou conclusão da pós-graduação, o servidor deverá cumprir o período de permanência na Instituição devendo:

I - reassumir suas funções no IFPR;

II - continuar prestando serviços na unidade de lotação, à época do afastamento, por um período igual ao do afastamento, no mesmo Regime de Trabalho a que pertencia anteriormente.

Parágrafo único. Durante o período de permanência não será concedida ao servidor a licença para capacitação de que trata o Art. 98, da Lei n° 8.112/90.

Art. 24. Caso a pós-graduação seja concluída antes do término da licença, prevista no regulamento de afastamento, o servidor deverá se apresentar ao GT - Pessoas da unidade, até 15 dias após a data da defesa da dissertação ou da tese, sob pena de falta e responsabilização.

Art. 25. Mesmo afastado para realização de pós-graduação em território nacional, o servidor não poderá ausentar-se do País para estudo ou missão oficial, sem a publicação de autorização do Reitor no Diário Oficial da União.

DA TRANSFERÊNCIA OU ABANDONO DO CURSO Art. 26. O servidor afastado que julgar necessário transferir-se de instituição ou de curso ou interromper seus estudos deverá justificar o fato, por meio de processo administrativo, ao Colegiado de Curso ou Área ou Direção Administrativa da unidade de lotação, que, depois de ouvida a Chefia imediata do servidor, apreciará as razões apresentadas e encaminhará o caso ao Diretor da unidade para análise e parecer, para posterior decisão.

Art. 27. O servidor que trancar matrícula ou desligar-se do programa de qualificação terá seu afastamento revogado e deverá voltar

imediatamente às atividades regulares sob pena de falta e responsabilização.

Art. 28. O servidor que não obtiver a titulação pretendida, dentro do prazo previsto, deverá justificar o fato, por meio de processo administrativo, ao Colegiado de Curso e/ou Áreas, e/ou direção administrativas que apreciará as razões apresentadas e encaminhará o caso a direção da unidade, para análise, o qual deverá emitir parecer da decisão final ao Reitor do Instituto Federal do Paraná.

DO ACOMPANHAMENTO

Art. 29. O GT-Pessoas da unidade manterá atualizada a pasta relativa às atividades do servidor afastado, contendo as informações previstas neste regulamento.

Art. 30. A cópia impressa e eletrônica da dissertação ou tese será encaminhada para a Biblioteca, no prazo máximo de três meses após a conclusão do curso, e ficará disponível para consulta da comunidade.

DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 31. O servidor deverá aguardar em exercício a publicação da Portaria de afastamento, sob pena de incorrer em abandono de cargo. Parágrafo único. Em nenhuma hipótese será emitida Portaria de afastamento, ou prorrogação do período de afastamento, com data retroativa.

Art. 32. Os servidores matriculados em Mestrado ou Doutorado Interinstitucional (MINTER/DINTER) terão direito à concessão de horário especial na forma do artigo 98 da Lei 8112/90.

Parágrafo único. Durante o período de estágio obrigatório na instituição proponente, previsto nos programas de pós-graduação interinstitucionais, o servidor fará jus à concessão de afastamento, segundo critérios estabelecidos neste Regulamento.

Art. 33. O servidor que não atender a quaisquer das obrigações constantes deste Regulamento incorrerá em falta grave, terá suspensa a autorização do afastamento e, sem prejuízo de outras penalidades previstas em Lei, será obrigado a devolver ao Instituto Federal do Paraná os salários, ajudas e auxílios pecuniários recebidos durante o seu afastamento, a ser calculados pela PROGEPE. Parágrafo Único. Caso o servidor não obtenha o título ou grau que justificou seu afastamento no período previsto, aplica-se o disposto no § 5º do artigo 318, da Lei 11907, de 02/02/2009, salvo na hipótese comprovada de força maior ou de caso fortuito, a critério do dirigente máximo do órgão ou entidade.

Art. 34. Caso o servidor venha a solicitar exoneração do cargo ou aposentadoria, antes de

(11)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 12

cumprido o período de permanência previsto no

artigo 23, inciso II, deverá ressarcir o Instituto Federal do Paraná, na forma do artigo 47 da Lei 8.112, de 11 de dezembro de 1990, dos gastos com seu aperfeiçoamento.

Art. 35. O servidor afastado somente fará jus às férias relativas ao exercício em que se der seu retorno.

Art. 36. Toda a autorização de afastamento de servidores do Instituto Federal do Paraná para pós-graduação stricto sensu será de responsabilidade do Colégio de Dirigentes da unidade, quando existir. No caso da não existência de um Colégio de Dirigentes, será de responsabilidade da Direção Geral da unidade, condicionada às responsabilidades da instâncias anteriores de análise.

Art. 37. Para os servidores lotados na reitoria, no encaminhamento dos procedimentos deste regulamento, a Coordenadoria será equivalente a Coordenação de Cursos, a Diretoria será equivalente a Diretoria dos Câmpus e a Pró-reitoria equivalente a Direção Geral.

Art. 38. Serão analisados com prioridade e preferência, em caráter de transição, os pedidos de afastamentos, por ordem cronológica, protocolados até o dia 31 de dezembro de 2012.

Parágrafo 1.º Os casos tratados na fase de transição deverão adequar-se às condições estabelecidas por este regulamento.

Parágrafo 2.º A partir dia 02 de Janeiro 2013, os pedidos de afastamento e suas respectivas análises seguirão Editais específicos conforme artigo 7º.

Art. 39. Os servidores ocupantes de cargos de direção - CD, terão direito a flexibilização no cumprimento da Dedicação Integral exigida para o cargo, mediante aprovação expressa do Reitor, desde que cumpram 40 horas semanais em suas atividades, devidamente comprovadas em formulário próprio.

Art. 40. Os servidores ocupantes de Função Gratificada - FG terão direito a flexibilização no cumprimento da Dedicação Integral exigida para o cargo, mediante aprovação expressa do Diretor Geral ou Pró-Reitor, desde que cumpram 40 horas semanais em suas atividades, devidamente comprovadas em formulário próprio.

Art. 41. Os casos omissos, não previstos neste Regulamento, serão submetidos ao Colégio de Dirigentes da unidade, quando esse existir, e não existindo, será submentido a Direção Geral da unidade, para posterior decisão.

Art. 42. Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Irineu Mario Colombo

ANEXO I

REQUERIMENTO PARA A SOLICITAÇÃO DE AFASTAMENTO

Eu _______________________________________, matrícula SIAPE nº _____________, lotado(a) na unidade____________________________, no município de _____________ telefones ________________, e-mail: ___________________, venho respeitosamente requerer afastamento para participar de Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu:

( ) Mestrado ( ) Doutorado

( ) Estágio do Pós-Doutorado

Área de Concentração do Programa: __________________________________________ ___________________________________________

Subárea de Concentração do

Programa:__________________________________ ___________________________________________

Linha de Pesquisa do Curso:

___________________________________________ ___________________________________________ Período do afastamento: _____/_____/________ a _____/_____/________ (Informar o período realmente necessário para realização e conclusão do curso em questão, incluindo o tempo necessário para deslocamento/trânsito de ida e volta de acordo com a Legislação da Instituição de curso).

Conforme regulamenta a Portaria nº 591/2012: ( ) COM ÔNUS – quando a autorização abranger direito a passagem além do vencimento ou salário e demais vantagens do cargo, função ou emprego; ( ) COM ÔNUS LIMITADO – Quando autorizado apenas o vencimento ou salário e demais vantagens do cargo, função ou emprego;

( ) SEM ÔNUS – Quando ocorrer a suspensão total do vencimento ou salário e das demais vantagens do cargo, função ou emprego, e não acarretar qualquer despesa para a Administração. Nestes termos, peço deferimento.

Cidade, _____ de __________________ de ______.

____________________________________ Assinatura do(a) Requerente ORIENTAÇÕES:

Na abertura do processo administrativo (protocolado na Unidade de Lotação) o servidor deve anexar a documentação abaixo relacionada:

(12)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 13

I – Declaração, Atestado, Certidão de Matrícula ou

Comprovação de Aprovação da instituição referente ao curso em estudo (cópia autenticada ou cópia com carimbo de “CONFERE COM A ORIGINAL”, pela unidade de lotação do (a) requerente);

II - Calendário do Curso com data de início e previsão do término; disciplinas a serem cursadas com a respectiva e carga horária, em documento expedido pela instituição que oferta o programa, cópia original, expedido pela instituição ou cópia autenticada ou cópia impressa eletronicamente, contendo o código de validação do curso, no rodapé da página, com carimbo de “CONFERE COM A ORIGINAL” pela unidade de lotação do requerente; III - Declaração de não ter se afastado por licença para tratar de assuntos particulares ou para o gozo de licença capacitação ou pós-graduação stricto sensu de acordo com o artigo 4º, inciso II da Portaria nº 591/2012 (Anexo II da Portaria nº 591/2012); IV – Declaração de não estar respondendo a processo administrativo disciplinar, de acordo com inciso III do artigo 4ºa Portaria nº 591/12 (Anexo III da Portaria nº 591/2012);

V - Declaração de não ter nenhuma pendência em relação aos compromissos de ordem administrativa e/ou pedagógica de acordo com a Portaria nº 591/2012 (Anexo IV da Portaria nº 591/2012); VI – Declaração de liberação das atividades profissionais exercidas fora o Instituto Federal do Paraná, referente ao período de licença solicitada (Anexo V da Portaria nº 591/2012);

IV – Termo de Compromisso e Ciência do conhecimento dos termos da Portaria nº 591/2012; V. Comprovante da disponibilidade e reserva no Banco de Professor Equivalente, na unidade, para a Substituição, no caso de docentes (documento emitido pelo GT - Pessoas).

OBSERVAÇÕES:

1. A falta de comprovação e anexação dos documentos exigidos para a abertura do processo administrativo pode causar o indeferimento da solicitação, conforme determina a Portaria nº 591/2012;

2. A entrada do processo administrativo (protocolo) na unidade de lotação do servidor fora do prazo estipulado no edital específico pode causar o indeferimento da solicitação;

A Unidade de lotação do servidor pode solicitar outros documentos que se façam necessários para apreciação da solicitação de afastamento de acordo com o artigo 7º parágrafo primeiro da Portaria nº 591/2012. ANEXO II DECLARAÇÃO Eu,________________________________________ ______________________, matrícula SIAPE No_______, cargo__________________________, classe______, nível_____, lotado(a) na unidade ______________________, declaro que nos últimos ________ não gozei de licença para tratar de assuntos particulares, capacitação ou para pós-graduação stricto sensu.

Por ser verdade, firmo o presente. Cidade, __ de ____________de _____.

_______________________________________ Assinatura do (a) Requerente

ANEXO III DECLARAÇÃO

Eu,________________________________________ _______________________, matrícula SIAPE n°___________, cargo________________________, classe____, nível_____, lotado (a) na Unidade ______________________ declaro não estar respondendo a processo administrativo disciplinar.

Por ser verdade, firmo o presente. Cidade, __ de ____________de ____.

_________________________________ Assinatura do(a) Requerente

ANEXO IV DECLARAÇÃO

Eu,________________________________________ _______________________, matricula SIAPE n°_____________, cargo______________________, classe____, nível,_______, lotado(a) na unidade ______________________, declaro não ter nenhuma pendência com relação aos compromissos de ordem administrativa e/ou pedagógica, especialmente junto à Secretaria Acadêmica e Biblioteca.

Por ser verdade, firmo o presente. Cidade, __ de ____________de ____.

___________________________________ Assinatura do(a) Requerente

(13)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 14

ANEXO V DECLARAÇÃO Eu,________________________________________ ______________________, matricula SIAPE n°, _______________, cargo _____________________, classe____, nível,_______, lotado(a) na unidade ______________________, declaro para fins de afastamento para realização de curso de ___________________, na Instituição____________ que no período de __/__/____ a __/__/____ que estou liberado de minhas atividades profissionais exercidas fora do Instituto Federal do Paraná.

Por ser verdade, firmo o presente. Cidade, __ de ____________de _____.

____________________________________ Assinatura do (a) Requerente

ANEXO VI

TERMO DE COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE PARA AFASTAMENTO PARA PÓS-GRADUAÇÃO

STRICTO SENSU

Pelo presente TERMO DE COMPROMISSO E RESPONSABILIDADE,

eu,_______________________________________, matrícula SIAPE nº ____________ , ocupante do cargo de___________________________________,

lotado(a) na Unidade

__________________________, do Instituto Federal do Paraná, ao solicitar, voluntariamente, afastamento da Instituição sem prejuízos de meus vencimentos, com a finalidade de frequentar o Curso de Pós-Graduação, Stricto Sensu, em nível de________________________, área de Concentração____________________, subárea de Concentração________________________________ ______, no(a) instituição _____________________, localizado(a) na cidade de__ ___________________, no período de __/__/_____ a __/__/_____ declaro ter ciência do Regulamento para Autorização de Afastamento de Servidores do IFPR para pós-graduação stricto sensu, aprovado pela Portaria Nº 519/2012 e assumo os seguintes compromissos, no caso do afastamento ser concedido:

1. indicar o Instituto Federal do Paraná como minha Instituição de vínculo profissional em todas as minhas produções acadêmico-científicas;

2. não solicitar suspensão contratual, demissão do cargo ou aposentadoria, após meu retorno ao Instituto Federal do Paraná, antes de decorrido prazo igual ao período de meu afastamento, incluídas as prorrogações;

3. continuar, durante esse prazo referido acima, a prestar serviços ao Câmpus de minha lotação, utilizando os conhecimentos adquiridos durante o Curso de Pós-Graduação, e permanecendo vinculado

ao regime de trabalho a que estive submetido durante meu afastamento;

4. remeter a unidade de origem relatórios semestrais de atividades no curso e atender às normas do regulamento para autorização de afastamento de servidores do IFPR para pós-graduação stricto sensu, implicando, o não cumprimento, no direito da Instituto Federal do Paraná de suspender a Portaria de Afastamento;

5. remeter à unidade de origem cópia de qualquer trabalho que publicar durante o período de afastamento;

6. disponibilizar em meio eletrônico e impresso a dissertação, tese ou relatório final do estágio de pós-doutorado), à Biblioteca do Instituto Federal do Paraná;

7. possuir um seguro que cubra, no mínimo, os riscos de vida e saúde para si e para os membros de sua família e se o afastamento for no exterior, providenciar inscrição no seguro social do respectivo país.

Declaro ainda estar ciente de que:

1. a suspensão contratual, a dispensa, a transferência e a aposentadoria antes do prazo autorizado não me serão concedidos, sem o prévio reembolso ao Instituto Federal do Paraná, das despesas havidas no período de afastamento que o Instituto que me concede. Dentre as despesas incluem-se a remuneração percebida durante meu afastamento ou em razão dele;

2. na hipótese de retorno do Curso, sem que tenha obtido o título ou seu reconhecimento em território nacional (no caso do curso realizado no exterior), e a Juízo das Instâncias acadêmicas, poderei estar sujeito a Processo Administrativo Disciplinar para apuração das causas (Artigo 143 do RJU); e

3. no caso da conclusão do curso antes do término do prazo de licença, deverei me apresentar ao GT- Pessoas do Campus no prazo máximo de 15 (quinze) dias, para assumir as minhas atividades funcionais. Cidade,___ de______________ de ____.

_________________________________ Assinatura do(a) Requerente TESTEMUNHAS: 1. _____________________________ Nome: CPF: SIAPE: 2) ____________________________ Nome: CPF: SIAPE:

(14)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 15

ANEXO VII

PARECER DA GESTAO DE PESSOAS - GT Assunto:

Interessado:

1. HISTÓRICO (histórico do parecer):

2. FUNDAMENTOS DO PEDIDO (razão do pedido):

3. CONSIDERAÇÕES:

4. PARECER CONCLUSIVO:

Cidade, __ de____________ de ____.

__________________________________ Assinatura e Carimbo do Responsável

pelo GT Pessoas da Unidade

ANEXO VIII

PARECER GESTAO DE COORDENACAO/AREA Coordenação:

Assunto: Interessado:

1. HISTÓRICO (histórico do pedido):

2. FUNDAMENTOS DO PEDIDO (razão do pedido):

3. CONSIDERAÇÕES:

4. PARECER CONCLUSIVO:

5. SUGESTÕES E OBSERVAÇÕES:

Cidade, __ de________ de ____.

____________________________________ Assinatura e Carimbo Coordenador

(15)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 16

ANEXO IX

PARECER DIREÇÃO DE ENSINO e/ou ADMINISTRATIVA Coordenação:

Assunto: Interessado:

1. HISTÓRICO (histórico do pedido):

2. FUNDAMENTOS DO PEDIDO (razão do pedido):

3. CONSIDERAÇÕES:

4. PARECER CONCLUSIVO:

5. SUGESTÕES E OBSERVAÇÕES:

Cidade, __ de________ de ____.

____________________________________ Assinatura e Carimbo Coordenador

ANEXO X

REQUERIMENTO PARA A SOLICITAÇÃO DE PRORROGAÇÃO DO AFASTAMENTO Eu _______________________________________, matrícula SIAPE nº _____________, lotado (a) na unidade____________________________, no município de _____________telefones: _______________, ______________________e-mail:________________venho respeitosamente requerer a prorrogação do afastamento para participar de Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu autorizado pela Portaria Nº _________publica no Diário Oficial da União do dia__/__/201_ e mantenho todos o compromisso assumidos no anexo VI, na época de solicitação do primeiro afastamento

( ) Mestrado ( ) Doutorado

( ) Estágio de Pós-Doutorado

Área de Concentração do Programa: __________________________________________ ___________________________________________ Subárea de Concentração do Programa: __________________________________________ ___________________________________________

Linha de Pesquisa do Curso:

___________________________________________ ___________________________________________

Período do afastamento: _____/_____/________ a _____/_____/________ (Informar o período realmente necessário para a conclusão do curso em questão, incluindo o tempo necessário para deslocamento/trânsito de ida e volta de acordo com a Legislação da Instituição de curso).

Conforme regulamenta a Portaria nº 591/2012: ( ) COM ÔNUS – quando a autorização abranger direito a passagem além do vencimento ou salário e demais vantagens do cargo, função ou emprego; ( ) COM ÔNUS LIMITADO – Quando autorizado apenas o vencimento ou salário e demais vantagens do cargo, função ou emprego;

( ) SEM ÔNUS – Quando ocorrer a suspensão total do vencimento ou salário e das demais vantagens do cargo, função ou emprego, e não acarretar qualquer despesa para a Administração. Nestes termos, peço deferimento.

Cidade, _____ de __________________ de ______.

____________________________________ Assinatura do(a) Requerente

(16)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 17

ANEXO XI

RELATÓRIO SEMESTRAL DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

SENSU 1. IDENTIFICAÇÃO

NOME DO ALUNO: PERÍODO A QUE SE REFERE: 2. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Citar as atividades desenvolvidas no referido período tais como:

1. elaboração do projeto de pesquisa;

2. disciplinas cursadas e seu respectivos conceitos; 3. realização do teste de suficiência em língua estrangeira moderna;

4. realização do estágio de docência; 5. realização do exame de qualificação;

6. cursos/palestras/seminários proferidos (título, local e data);

7. participação em congressos, simpósios e reuniões (nome do evento, local e data);

8. artigos publicados (autores, ano, título do trabalho, nome do Congresso/Simpósio/Revista, página: inicial/final, local);

9. atividades administrativas (Associações, Conselho e outras);

10. outras atividades (cursos e estágios realizados). 3. RELATÓRIO DE PROGRESSO DA DISSERTAÇÃO OU TESE

3.1. Desenvolvimento e Estágio Atual

Apresentar, resumidamente, uma descrição do desenvolvimento e do estágio atual da dissertação ou tese.

3.2. Etapas Realizadas e a Realizar

Apresentar as etapas realizadas e a realizar do Cronograma atual e as alterações do mesmo, se houver.

3.3. Dificuldades Encontradas

Apresentar as dificuldades de ordem científica, metodológica ou técnica surgidas durante o desenvolvimento do trabalho.

3.4. Previsão do Término do Projeto

Apresentar a data (mês/ano) prevista para a defesa da dissertação.

4. PARECER DO ORIENTADOR

O orientador deverá apresentar um breve parecer sobre o andamento do projeto e sobre o desempenho acadêmico do aluno.

Cidade, __ de ____________de _____.

_______________________________ Assinatura do(a) Servidor

_______________________________ Assinatura do(a) Orientador(a)

Nome:

ANEXO XII

REQUERIMENTO PARA A SOLICITAÇÃO DE FLEXIBILIZAÇÃO DE HORÁRIO PARA OCUPANTES DE

CD E FG

Eu __________________________________, matrícula SIAPE nº_________________, lotado(a) na unidade________________, no município de________________________, telefones ___________________________, e-mail ______________________________, venho respeitosamente requerer a flexibilização do cumprimento da Dedicação Integral da carga horária exigida para o desenvolvimento das atividades da função ________________________________ que ocupo no âmbito do Instituto Federal do Paraná e me comprometo a compensar ____ horas semanais fora do meu horário normal de trabalho, de acordo com o plano de compensação de horário abaixo, de tal forma que possa me dedicar ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu sem prejuízo do cumprimento 40 (quarenta) horas semanais de trabalho, de acordo com os artigos 39 e 40 da Portaria nº 591/2012 e artigo 98 da lei 8.112/90.

DIA DA SEMANA HORÁRIO

Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado

Nestes termos, peço deferimento.

Cidade, _____ de __________________ de ____.

________________________________________ Assinatura do (a) Requerente

PORTARIA N.º 592 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2012 O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República, publicado no Diário Oficial da União do dia 14 de junho de 2011, seção 2,

CONSIDERANDO:

A Lei n.° 11.892, de 29 de dezembro de 2008, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia.

A Resolução n.º 002/2009 do Conselho Superior do Instituto Federal do Paraná (IFPR), que estabelece diretrizes para a gestão das atividades de ensino, pesquisa e extensão no âmbito do IFPR.

O Estatuto do IFPR, publicado no Diário Oficial da União de 10 de outubro de 2011, que, em seu Art. 11, incisos V e VI, estabelece as competências do Colégio de Dirigentes.

(17)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 18

A apreciação da proposta desta portaria no VI

Encontro de Formação sobre a Organização do Trabalho Pedagógico no IFPR, realizado em Jacarezinho no dia 30 de outubro de 2012, e aprovação desta proposta apresentada ao Colégio de Dirigentes em reunião realizada em 12 de novembro de 2012, contidas no Processo n.º 23411.002492/2012-83.

RESOLVE:

Art. 1.º Regulamentar, no âmbito dos Câmpus do IFPR, as normas para cumprimento do regime de trabalho de servidores docentes efetivos do quadro permanente, em consonância com a Resolução n.º 002/2009 do Conselho Superior (CONSUP) do IFPR.

Art. 2.º O regime de trabalho dos servidores docentes dos câmpus será cumprido de acordo com a legislação pertinente, em consonância com o cargo de provimento do servidor, autorizado pela Direção Geral do Câmpus e registrado em planilhas próprias, em conformidade com o Plano de Trabalho Docente (Anexo I), com ampla publicidade. Art. 3.º A distribuição da carga horária, de acordo com o regime de trabalho do servidor, terá como objetivo o interesse do serviço público e as atividades finalísticas institucionais e competências da formação.

§ 1.º Os servidores docentes, com Regime de Trabalho de 40 horas semanais e de Dedicação Exclusiva, cumprirão sua jornada em dois turnos diários completos, observados os limites obrigatórios de intervalo previstos na legislação pertinente. § 2.º Considera-se “turno diário completo” o prestado em expediente(s) de acordo com os horários de funcionamento do Câmpus ou dos demais órgãos do IFPR em que o docente tenha exercício, com uma duração mínima de três horas e máxima de cinco horas, desde que os dois turnos não ultrapassem oito horas diárias.

§ 3.º As atividades de ensino devem ser cumpridas de segunda a sábado, admitindo-se para cada docente, conforme o Plano de Cursos, que até um turno diário seja deslocado para o fim de semana, exclusivamente destinado às aulas.

§ 4.º No caso de docentes que atuam em cursos cuja organização curricular atende o regime de alternância, previsto no Artigo 23 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), a distribuição da carga horária poderá ser adequada a esta forma de organização através da compensação entre os períodos de alternância (tempo escola e tempo comunidade), desde que não ultrapasse 40 horas semanais.

Art. 4.º A carga horária semanal do docente será constituída pelo tempo destinado às atividades de ensino, pesquisa e extensão, conforme Artigo 9.º da Resolução n.º 02/09 do CONSUP.

Art. 5.º As atividades de ensino da carga horária docente serão cumpridas integralmente no Câmpus ou na Unidade Educacional (UNED), conforme distribuição prevista no Artigo 11 da Resolução n.º 02/09 do CONSUP.

§ 1.º Para atendimento do proposto no caput deste artigo, os docentes de regime de trabalho de 40 horas ou Dedicação Exclusiva cumprirão, no mínimo, 24 horas e os docentes de regime de trabalho de 20 horas, no mínimo, 16 horas.

§ 2.º No caso de docentes que atuam em cursos cuja organização curricular atende ao regime de alternância, serão consideradas, para fins de cumprimento do caput deste artigo, as atividades de acompanhamento e supervisão do tempo comunidade.

§ 3.° Fica isento, excepcionalmente, do cumprimento no Câmpus ou na UNED o horário destinado a orientação ou supervisão de estágio curricular obrigatório realizado nas dependências do IFPR.

Art. 6.º As atividades de pesquisa e de extensão serão cumpridas pelos servidores docentes em consonância com os Artigos 7.º, 8.º e 12 da Resolução n.º 02/09 do CONSUP.

§ 1.º As atividades previstas no caput serão realizadas no Câmpus, podendo ser em outros locais, de acordo com as características e/ou necessidades previstas nos respectivos projetos a serem apresentados e aprovados pelo COPE de cada Câmpus.

§ 2.º A carga horária prevista para a Formação Pedagógica dos docentes será computada dentro da carga horária das atividades de pesquisa ou atividades de extensão.

§ 3.º No interesse da instituição e com autorização da Direção Geral do Câmpus, o docente regularmente matriculado em Programas de Pós-Graduação poderá utilizar a carga horária prevista para as atividades de pesquisa ou extensão, conforme regulamentação própria.

Art. 7.º Os docentes detentores de cargos de direção, função de coordenação ou chefia de seção terão sua carga horária destinada às atividades de ensino, pesquisa e extensão redimensionada, a fim de cumprimento da função administrativa e de assessoramento, em consonância ao Artigo 14 da Resolução n.º 02/09 do CONSUP.

§ 1.º Os docentes que exercem a função de Coordenação de Curso cumprirão carga horária mínima de 16 horas semanais nesta atividade, ficando estas contabilizadas, para fins de atendimento ao previsto no artigo 11 da Resolução n.º 02/09 do CONSUP, ao equivalente de oito horas na atividade de ensino.

§ 2.º Os demais docentes que exerçam função administrativa e de assessoramento terão a

(18)

BOLETIM INTERNO Nº 16 – DEZEMBRO DE 2012 – PAGINA 19

distribuição das atividades de ensino, pesquisa e

extensão de sua carga horária reduzidas, no interesse da instituição.

Art. 8.º O acompanhamento da carga horária das atividades docentes, para fins de cumprimento do regime do Plano de Trabalho Docente nos Câmpus, ficará sob responsabilidade da Direção de Ensino, Pesquisa e Extensão, em consonância com as diretrizes estabelecidas pela Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEPE) e respectiva legislação em vigor.

Art. 9.º O descumprimento do contido nesta portaria implica no desconto proporcional das horas não trabalhadas e demais implicações disciplinares e funcionais, segundo a Lei 8.112/90, a serem comunicados pela chefia imediata ou pela Direção de Ensino, Pesquisa e Extensão à PROGEPE.

Art. 10. Os casos omissos serão resolvidos pela Direção Geral dos Câmpus.

Art. 11. Esta portaria entre em vigor na data de sua assinatura, com efeitos a partir da sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Irineu Mario Colombo ANEXO I

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

1. IDENTIFICAÇÃO DO DOCENTE DOCENTE: SIAPE: REGIME DE TRABALHO: ( ) Dedicação Exclusiva ( )40 h ( ) 20 h CONTRATO: ( ) EFETIVO

( ) TEMPORÁRIO

DATA DA CONTRATAÇÃO :

Art. 2º - O Regime de Trabalho dos docentes efetivos do quadro permanente do IFPR, ou dos docentes com contrato de trabalho na qualidade de substitutos, é definido segundo critérios de contratação previstos na Legislação Federal – Lei nº 7.596/87, de 10/04/87, Decreto Federal 94.664, de 23/07/87, Portaria nº 475, de 26/08/87 e Lei 11.784, de 22/09/08, compreendendo os seguintes regimes de trabalho:

I. Tempo parcial de 20 horas semanais de trabalho; II. Tempo integral de 40 horas semanais de trabalho, em dois turnos diários completos;

III. Dedicação exclusiva, 40 horas semanais, em dois turnos diários completos e impedimento do exercício de outra atividade remunerada, pública ou privada; e

IV. Contrato administrativo de prestação de serviços, de acordo com a Lei n º 8.745, de 09/12/93 e Lei n º9.849, de 26/10/99.

Art. 11 A carga horária destinada as atividades de ensino terá a seguinte distribuição:

I. Docentes com regime de tempo parcial de 20 horas semanais de trabalho destinarão: no mínimo 08 e no máximo 12 horas para aula, 04 horas para manutenção de ensino e 04 para apoio ao ensino; e

II. Docentes com regime de tempo integral de 40 horas semanais de trabalho ou Dedicação Exclusiva destinarão: no mínimo 12 e no máximo 16 horas semanais para aula,

04 horas para manutenção de ensino e 04 para apoio ao ensino.

Art. 12 Os docentes em regime de tempo integral de 40

horas e dedicação exclusiva, exceto os docentes afastados na forma da lei, estão obrigados ao cumprimento de 16 horas em atividades de pesquisa e/ou extensão.

Parágrafo Único. Os docentes em regime de tempo integral de 40 (quarenta) horas e dedicação exclusiva que não desenvolvem atividades de pesquisa e/ou extensão terão a carga horária automaticamente destinada às atividades de apoio ao ensino e para aula.

Art. 14 O docente que exerça função administrativa e de assessoramento, previstas no Regimento do IFPR, poderá ter reduzida sua carga horária destinada às atividades de ensino, pesquisa e extensão, mediante autorização das instâncias superiores a que esteja vinculado.

2. ATIVIDADES DE ENSINO 2.1. AULAS

Art. 4.º As aulas, além das presenciais, poderão ser ministradas na modalidade de Ensino a Distância (EAD), desde que previstas no Projeto Pedagógico do Curso, aprovado pelo Conselho Superior, nos limites e condições estabelecidas pela legislação vigente específica e sem remuneração adicional. CURSO COMPONENTE CURRICULAR CARGA HORÁRIA TOTAL ORGANIZAÇÃO (ASSINALAR) SEM. ANUAL

2.2. ATIVIDADES DE MANUTENÇÃO AO ENSINO

Art. 5.º Serão consideradas Atividades de Manutenção de Ensino as ações didáticas do docente relacionadas ao estudo, planejamento, preparação, desenvolvimento e avaliação das aulas ministradas nos cursos e programas regulares do IFPR, com base no artigo 112 da Lei 11.784, de 22/09/08.

TIPO DE ATIVIDADE DIA DA SEMANA CARGA HORÁRIA SEMANAL HORÁRIO INÍCIO TÉRMINO

Imagem

Referências

temas relacionados :