• Nenhum resultado encontrado

CONTROLE DE ESTOQUE Sua real importância para a empresa

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2021

Share "CONTROLE DE ESTOQUE Sua real importância para a empresa"

Copied!
26
0
0

Texto

(1)

INSTITUTO FEDERAL DE ESDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO - Campus Ituiutaba

CURSO TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

MARIA TERESA FERREIRA COSTA

CONTROLE DE ESTOQUE Sua real importância para a empresa

ITUIUTABA, MG 2018

(2)

MARIA TERESA FERREIRA COSTA

CONTROLE DE ESTOQUE Sua real importância para a empresa

Relatório de estágio apresentado ao Curso Técnico Concomitante de Nível Médio em Administração, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro – Campus Ituiutaba como componente avaliativo.

Orientador: Prof. MSc. Marcelino Franco de Moura

ITUIUTABA, MG 2018

(3)

FOLHA DE APROVAÇÃO

Os abaixo assinados, por meio deste, certificam que leram e recomendam para o IFTM Campus Ituiutaba a aceitação do relatório de estágio como parte dos requisitos exigidos para a obtenção do título de técnico administrativo.

Ituiutaba, 14 de fevereiro de 2019.

Orientador (a): Prof(a). MSc. Marcelino Franco de Moura

Instituto Federal do Triângulo Mineiro

Coordenador(a) de Curso: Prof(a). Rita Akegaua Instituto Federal do Triângulo Mineiro

Aprovado com a nota Em: / /

(4)

FOLHA DE IDENTIFICAÇÃO

NOME DO ALUNO: MARIA TERESA FERREIRA COSTA

EMPRESA: SUPERMERCADO CENTRAL - SMART SUPERMERCADOS SUPERVISOR: ELIANA ANTUNES DE OLIVEIRA

ÁREA: CONTROLE DE ESTOQUE PERÍODO: 03/09/2018 A 28/09/2018

ORIENTADOR: MARCELINO FRANCO DE MOURA CARGA HORÁRIA: 120 HORAS

(5)

DEDICATÓRIA

“Dedico este trabalho а Deus, por sempre me fortalecer nos momentos mais dificeis, e a minha mãe Marisa que merece o mundo e todas as estrelas do céu, meu eterno amor e admiração.”

(6)

AGRADECIMENTOS

Neste momento tão esperado, em primeiro lugar agradeço a Deus por tamanha bondade e companheirismo no decorrer desses dias tão cansativos.

A instituição IFTM – campus Ituiutaba pela grande oportunidade de realizar o curso, que foi de grande importância para meu crescimento profissional.

Aos professores pela paciência e criatividade ao ministrar as aulas, em todos os momentos do curso.

Ao meu orientador Marcelino pelo apoio e por ter se prontificado em me ajudar.

Aos meus amigos Vitor e Laura por terem sido tão únicos e excepcionais e me ajudado nos momentos mais difíceis.

A minha mãe Marisa por me inspirar, pelo apoio e por sempre estar comigo no ato de minhas conquistas, tentando de todas as formas me ajudar e por me ensinar a ser uma pessoa humana e com valores.

A minha avò por todo apoio a mim oferecido e ao meu irmão por ser meu grande incentivo nessa vida

As minhas amigas Nádia e Lêda por todos os lanches.

Ao Supermercado Central - Smart Supermercados por ter concedido a oportunidade de realizar o estágio.

A todas as pessoas que direta ou indiretamente contribuíram para que essa conquista fosse possível, me proporcionando crescimento tanto acadêmico, quanto profissional e pessoal.

(7)

LISTA DE FIGURAS

Figura 1. Caminho do produto estocável da compra à utilização, passando pelo estoque...12

Figura 2. Armazenagem de cafés, fitas adesivas, produtos de limpeza...17

Figura 3. Armazenagem de fraldas descartaveis, sal, tapioca e farinhas...18

Figura 4. Armazenamento de feijão, produtos de limpeza e alimentos para animais...18

Figura 5. Estoque de arroz, açúcar e feijão...19

Figura 6. Estoque de produtos de limpeza...20

Figura 7. Armazenagem de arroz e feijão...20

(8)

SUMÁRIO

LISTA DE FIGURAS ... 7

1 INTRODUÇÃO ... 9

2 FUNDAMENTAÇÃO TEORICA ... 11

2.1 ESTOQUE ... 11

2.2 TIPOS DE CONTROLE DE ESTOQUE ... 13

2.3 IMPORTÂNCIAS DO CONTROLE DE ESTOQUE ... 14

3 METODOLOGIA ... 15

4 ANÁLISE DE RESULTADOS ... 16

4.1 SUPERMERCADO CENTRAL ... 16

4.1.1Visâo ... 16

4.1.2 Missão ... 16

4.1.3 Valores ... 16

4.2 ARMAZENAMENTO DE ESTOQUE ... 17

4.3 IMPACTOS DA INEFICIENCIA DO CONTROLE DE ESTOQUE ... 21

4.4 OTIMIZAÇÃO DO CONTROLE DE ESTOQUE ... 22

4.5 PROCEDIMENTO QUE É ADOTADO PELA EMPRESA ... 23

4.6 ANÁLISES E SUGESTÕES ... 23

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS ... 25

6 REFERÊNCIAS ... 26

(9)

1 INTRODUÇÃO

O presente trabalho ressalta a importância da gestão de estoque, enfatizando o seu uso como ferramenta de prever e evitar possíveis prejuízos. Isso se evidencia pela necessidade das organizações de controlar a oferta e demanda de seus produtos. Segundo Partovi e Anandarajan (2002), em ambientes com centenas de itens de estoque para controle, o gerenciamento se torna mais complexo devido à diversidade. Essa diversidade exige que os produtos sejam listados e armazenados segundo suas especificações de utilização, como por exemplo, produtos para limpeza, massas, biscoitos, laticínios e etc. A escolha desse tipo de cadastramento faz com que a armazenagem e a própria identificação das mercadorias seja facilitado.

O controle de estoque possibilita ao gestor a alternativa de realizar suas compras de acordo com a procura de seus clientes. Quando os custos destes produtos não são compensados com as vendas, implica que deve ser feita uma reavaliação na rotatividade das mercadorias mais vendidas.

É importante que na reposição ou criação de estoque o comprador consiga realizar negociações que beneficiem seu estabelecimento, como por exemplo, o aproveitamento de promoções em mercadorias de grande demanda, sabendo que, não se pode exagerar na quantidade comprada. A redução dos custos no ato da negociação favorece a empresa e também beneficia o consumidor quando esta redução de preço é repassada ao mesmo.

A insegurança dos consumidores com relação ao preço dos produtos tem afetado o habito de consumo, tendo em vista que os mesmos estão sendo induzidos a optar por um item mais barato para que o valor final de suas compras não interfira no orçamento planejado para o mês. Este fator tem provocado ajustes nas operações de varejo dos supermercados.

Segundo Kotler (1998, p. 540), “o varejo caracteriza-se por um conjunto de atividades relacionadas à comercialização de produtos e serviços diretamente ao consumidor final”.

O cenário que foi encontrado no local da pesquisa é a implantação de promoções que incentivem vendas e ao mesmo tempo satisfaça as exigências do consumidor. A formação do estoque é priorizada pelos produtos de alta rotatividade e também pelo preço de custo mais baixo com os fornecedores.

Engel, Blackwell e Miniard (2000), destacam que é de grande importância estar atento as

(10)

necessidades do consumidor e as variáveis que influenciam uma compra.

Para Martins (2006), a gestão de estoques constitui uma sequencia de ações para verificar se os estoques estão sendo bem manuseados e controlados e se são bem localizados e utilizados em relações aos setores que os caracteriza.

Para que se obtenham resultados satisfatórios na aplicação do controle de estoque, é importante que o gestor saiba realizar um controle interno eficaz, onde existam soluções viáveis á realidade da empresa, e também que se tenha a participação dos funcionários no desenvolvimento das atividades de controle.

A divergência de informações pode acarretar transtornos para uma organização, assim como conflitos internos e falta de comprometimento empresarial.

Diante do que foi mencionado e pensando na importância que o estoque representa para uma empresa e analisando os diversos transtornos que sua falta de controle pode causar para uma organização, questiona-se: Qual a real importância que o controle de estoque representa no desenvolvimento de um estabelecimento comercial?

Para ressaltar a relevância do presente estudo Oliveira et al (2003) diz que a grande parte das empresas comerciais o estoque apresenta grande importância no balanço patrimonial e na demonstração de resultados, verificando a relevância desse investimento. Espera-se que as informações do presente trabalho possam contribuir para que os administradores tomem decisões mais coerentes na hora de comprar, estocar e vender seus produtos.

Como objetivo geral a pesquisa deseja verificar a importância do controle de estoque e seus impactos na empresa e como objetivos específicos almeja-se descrever o processo de de estoque; explanar sobre os impactos da ausência do controle de estoque; demonstrar fatores que contribuem para a otimização do controle de estoque e por fim indagar se os métodos adotados para controle de estoque da empresa estão sendo favoráveis ao seu crescimento.

(11)

2 FUNDAMENTAÇÃO TEORICA

Esta seção do trabalho tem o objetivo de demonstrar os conceitos relacionados ao controle de estoque realizado no Supermercado Central. Para melhor exposição e

entendimento do referido assunto, o conteúdo foi dividido em: estoque, tipos de controle de estoque e importância do controle de estoque.

2.1 ESTOQUE

Iudícibus (1997, p. 193), define estoque como sendo o termo:

“utilizado para estabelecer o item de propriedade tangível que: é estocado para a venda dentro dos negócios; estão em andamento de produção para venda ou; para ser corretamente consumidos na produção dos bens e serviços que se estarão disponíveis para venda”.

Desse modo, observa-se que o estoque é um bem, material que supri determinadas demandas, de posse da empresa, possuindo características que designam a que área os itens pertencem, disponibilizados constantemente e renovados de forma sistemática, destinados à venda ou à fabricação de produtos e serviços inerentes à atividade da empresa e com o objetivo de produzir lucros.

Slack, Chambers, Johnston et al. (1997, p.381) definem estoque sendo “a acumulação armazenada de recursos materiais em um sistema de transformação”. Esses três autores vem acrescentar que o estoque também é usado para descrever qualquer recurso que é armazenado enfatizando que o termo estoque deve ser utilizado também para se referir aos recursos de entrada e aos de uso da empresa.

As funções do estoque são varias, algumas delas são: compensar as mudanças no ritmo ou nas taxas entre fornecimento e demandas. Assim, o estoque é uma espécie de seguro da organização, ou seja, reduz o impacto da demora do fornecimento ou do excesso de

demanda; o estoque existe também com a finalidade de garantir os abastecimentos de mercadorias ou matérias-primas, eliminando a demora no fornecimento, no suprimento, e reduzindo risco das dificuldades no fornecimento e, por fim; proporcionar economias de escala, através de compras em lote econômico, flexibilidade ao processo, rapidez e eficiência no atendimento às necessidades.

(12)

Segundo Moreira (2002, p. 463), o conceito de estoque é:

“quaisquer quantidades de bens físicos que sejam conservados, de forma

improdutiva, por algum intervalo de tempo; constituem estoques tanto os produtos acabados que aguardam venda ou despacho, como matérias-prima”.

De acordo com o referido autor, estoque é todo acumulo de mercadoria, matéria-prima ou material de expediente destinado para alguma finalidade. Um dos motivos principais ao qual uma empresa deve manter um estoque esta relacionado ao crescimento financeiro que essa ferramenta representa a organização, contudo para se ter um bom estoque é preciso conhecer a rotatividade de mercadorias, as exigências dos clientes e principalmente seus concorrentes.

A figura mostra o conceito de gestão em diversos estágios.

Fonte: Lamêgo, 2013

FIGURA 01 - CAMINHO DO PRODUTO ESTOCÁVEL DA COMPRA À UTILIZAÇÃO, PASSANDO PELO ESTOQUE

(13)

2.2 TIPOS DE CONTROLE DE ESTOQUE

Uma vez que o estoque existe devido à diferença do ritmo entre o fornecimento de produtos e a demanda dos clientes, as varias razoes para esse desequilíbrio constante levam a diferentes tipos de estoque. Segundo a classificação de Slack, Chambers, Harland et al. (1997, p. 383) há quatro tipos de estoque:

Estoque Isolador ou estoque de segurança tem o propósito de compensar as incertezas de fornecimento e demanda. Um varejo nunca pode prever perfeitamente a demanda de seus consumidores. Sendo assim, para o varejista, o estoque isolador tem a função de proporcionar alguma segurança de que determinada mercadoria não vai faltar se houver um aumento inesperado na demanda ou algum atraso do fornecedor na reposição do produto;

Estoque de ciclo é aquele utilizado para manter o suprimento e demanda quando a produção não consegue produzir os itens de forma simultânea e continuamente. Nesse caso, cada lote de produção deve disponibilizar uma quantidade suficiente para atender à demanda desse item, até que um novo lote seja produzido;

Estoque de antecipação é o estoque formado tendo em mente uma previsão da

demanda e adquirido para estoque até que seja necessário. Esses estoques são muito utilizados nos casos em que a demanda sofre mudanças bruscas de forma previsível ou não, a empresa também pode compra estoques de forma oportunista ou especulativa, ou ainda quando existem ameaças ao fornecimento;

Estoque no canal de distribuição esse tipo de estoque existe quando as mercadorias não podem ser transportadas instantaneamente do fornecedor para o varejista. Desde o

momento em que o fornecedor reserva parte do seu estoque para determinado varejista até que o produto chega na loja ele é classificado como estoque no canal de distribuição. Todo

estoque em trânsito é estoque no canal.

(14)

2.3 IMPORTÂNCIAS DO CONTROLE DE ESTOQUE

O estoque é um item essencial para a composição de qualquer empresa, seja ela comercial ou indústria. A maneira como ele é armazenado e controlado pode aumentar a lucratividade da empresa ou lhe causar vários prejuízos. Para isso, é indispensável que o gestor da empresa participe fielmente no desenvolvimento dessa atividade.

De acordo com Tadeu (2010, p. 26):

“Para que o gestor tome sua decisão de forma eficiente, ele precisa avaliar e ponderar todas as variáveis interferentes possíveis e viáveis de serem calculadas para basear sua escolha em critérios objetivos, evitando-se risco de cair na armadilha do subjetivismo ou empirismo gerencial.”

Um controle eficiente de estoque é importante para a empresa se manter competitiva e cumprir suas atividades de forma adequada, além disso, é essencial que não falte produtos e que não sejam compradas mercadorias desnecessárias evitando assim desperdícios e

prejuízos. O prazo de entrega do produto, época do ano, demanda de procura, são itens que devem ser levados em conta na composição do estoque da empresa.

A importância de planejar o estoque é enfatizada pelo autor Tadeu (2010, p.13):

“O estoque é uma área-chave dentro das organizações, uma vez que se configura como um dos principais elos entre duas outras áreas: produção e planejamento.

Dessa forma, preocupar-se com a questão da manutenção dos níveis adequados de materiais estocados é apenas um dos pontos que devem ser observados para uma gestão eficiente dos estoques”.

Quando existe um planejamento adequado às atividades que a empresa realiza, controlar o estoque acaba sendo uma tarefa fácil de ser exercida por parte do gestor. A organização do espaço acontece de modo a suprir as necessidades apresentadas pela organização, uma vez que as metas estabelecidas apenas serão alcançadas se o gestor mantiver o ritmo de estocagem e o controle.

À medida que o cliente busca por um determinado produto e o gestor percebe o aumento venda desse determinado produto, o mesmo pode se basear neste detalhe para priorizar o armazenamento desta mercadoria para que não falte em seu estabelecimento. Na verdade, a demanda dos clientes torna-se uma boa ferramenta para a composição de um

(15)

estoque adequado, uma vez que o gestor irá priorizar o armazenamento dos produtos de maior rotatividade.

Segundo Pozo (2010, p.27), “A importância da correta administração de materiais pode ser facilmente percebida quando os bens necessários não estão disponíveis no momento exato e correto para atender as necessidades do mercado”.

A análise do gestor deve estar diretamente alinhado às necessidades de sua empresa e também de seus clientes. As informações transmitidas não podem estar em desconforme com a contagem física do estoque. Por este motivo que além de planejar e executar, é importante que se mantenha uma organização adequada.

3 METODOLOGIA

Conforme os objetivos apresentado nesse estudo se trata de uma pesquisa exploratória, pois apresenta a finalidade de se conhecer o problema. Visto que não se tinha conhecimento sobre o assunto aqui exposto.

Para isso, foi realizada uma pesquisa bibliográfica, desenvolvida com base em material já elaborado, constituído principalmente de livros e artigos científicos.

De acordo com Marconi e Lakatos (1990, p.15), “A pesquisa é um procedimento formal, com método de pensamento reflexivo, que requer um trabalho científico e se constitui um caminho para se conhecer a realidade ou para descobrir verdades parciais”.

A pesquisa apresentada é de característica básica, uma vez que o intuito é expandir os conhecimentos adquiridos no decorrer do curso, colaborando na formação de uma gestão mais equilibrada e eficiente, independentemente de sua aplicação no ambiente organizacional da empresa em estudo.

Esse relatório é composto por cinco capítulos. No primeiro capítulo, está inserida a introdução, a problemática, a justificativa e os objetivos: Geral e específicos. No segundo capítulo está inserido o referencial teórico, destacando o que é o estoque, os tipos de estoque e por fim a importância do controle de estoque. No terceiro capítulo é embasada a metodologia do trabalho, expondo o tipo de pesquisa realizada e o objeto em estudo. No quarto capítulo está a análise e discussão dos dados colhidos durante o desenvolvimento do estágio. E, no quinto e último capítulo, por fim, serão expostas as considerações finais acerca do trabalho realizado.

(16)

4 ANÁLISE DE RESULTADOS

4.1 SUPERMERCADO CENTRAL

Criado pelo Sistema Integrado Martins em julho de 2000 para dar condições de igualdade ao pequeno e médio supermercadista competirem em um mercado cada vez mais profissional e acirrado, o Smart Supermercados se consolida como a Maior Rede de

Supermercado por Associação do Brasil (ABRAS 2013).

O conceito do Smart Supermercados está alinhado à missão do Martins de integrar produção e consumo por meio de um sistema de relações de qualidade.

Ao se ingressar no Smart Supermercados, o novo filiado passa a se apresentar para o mercado como integrante de uma grande rede e a contar com uma cesta de produtos e serviços de Operação de Loja, Marketing, Financeiro, Tecnológico e Comercial.

Os fornecedores têm na operação Smart, o acesso coordenado e planejado ao mercado para se desenvolver por meio de relações de qualidade, respeitando sempre os princípios da sustentabilidade.

Os consumidores têm acesso a serviços e produtos por meio de uma marca que respeita o meio ambiente e a comunidade onde atua.

4.1.1Visâo

Até 2022, ter 1.000 supermercados de vizinhança no Brasil, oferecendo para esses, a melhor solução de gestão e competitividade do mercado.

4.1.2 Missão

Preservar e desenvolver o supermercado de vizinhança no Brasil.

4.1.3 Valores

A nossa marca cultiva na sociedade a responsabilidade social, a ética e a transparência.

(17)

4.2 ARMAZENAMENTO DE ESTOQUE

Após as notas fiscais serem lançadas no sistema, a quantidade de cada produto é informada em conformidade com o que foi apresentado na nota. Observou-se que nem sempre o que é informado pelo sistema realmente confere com a quantidade física dos produtos.

O espaço destinado ao armazenamento das mercadorias não apresenta ser dividido por sessões. Existem corredores de acesso com o espaço que não é suficiente para a circulação segura dos repositores, além disso, não apresenta um local apropriado para a conferência das mercadorias. A divisão por categoria de cada produto é perceptível apenas em alguns

produtos, e não se trata de um ambiente organizado, conforme observa-se nas imagens abaixo.

FIGURA 2: ARMAZENAGEM DE CAFÉS, FITAS ADESIVAS, PRODUTOS DE LIMPEZA

(18)

FIGURA 3: ARMAZENAGEM DE FRALDAS DESCARTAVEIS, SAL, TAPIOCA E FARINHAS.

FIGURA 4: ARMAZENAMENTO DE FEIJÃO, PRODUTOS DE LIMPEZA E ALIMENTOS PARA ANIMAIS

(19)

O setor de estocagem não apresenta corredores espaçosos o suficiente para a realização da limpeza, bem como para o acesso seguro por parte do repositor. O estoquista armazena os produtos de acordo com o espaço e tenta colocar os produtos de mesma categoria sempre juntos. Em determinados produtos existe o cuidade de deixá-las suspensas em tabulados para evitar o desgaste do produto embalado nas caixas.

FIGURA 5: ESTOQUE DE ARROZ, AÇÚCAR E FEIJÃO

(20)

FIGURA 6: ESTOQUE DE PRODUTOS DE LIMPEZA

FIGURA 7: ARMAZENAGEM DE ARROZ E FEIJÃO

Pela quantidade de funcionários responsáveis pela parte administrativa ser pequena, apenas duas funcionarias, a empresa não consegue manter um controle de estoque de acordo

(21)

com os relatórios apresentados pelo sistema. Muitas vezes as mercadorias são vendidas com códigos de barras diferentes dos que estão cadastrados ou não são passadas pelo caixa, impedindo assim a saída do produto que foi dado entrada no sistema. Este fator dificulta na identificação da rotatividade e na quantidade exata de produtos que a empresa tem a sua disposição.

No depósito foi possível observar que existem falhas em seu controle, uma vez que qualquer pessoa tem acesso ao estoque, podendo facilmente furtar qualquer produto ou ainda consumi-lo indevidamente.

Foi constatado que, a empresa adota um sistema que causa diversos transtornos na emissão de informações, atualização de preços e ainda dificultava na emissão de notas fiscais.

A troca do sistema traria benefícios para a empresa, tornando o balanço do estoque menos burocrático e sem requerer tanto tempo, assim evitando muitos transtornos, e trazer praticidade no repasse de informações de estoque e emissão de notas fiscais.

4.3 IMPACTOS DA INEFICIENCIA DO CONTROLE DE ESTOQUE

Tadeu (2010) destaca que na maioria das vezes uma empresa não tem consciência que possui uma fortuna guardada em seu estoque. Isso acontece quando uma compra fica estocada e não é convertida em vendas, passando do seu prazo de validade.

Um dos efeitos é que o capital investido fica preso, sem gerar a lucratividade esperada pelo gestor. É por este motivo que é tão importante que o comprador tenha noção dos produtos que tem maior rotatividade, além disso, também torna-se importante que ele compre somente o suficiente para não deixar faltar em seu estabelecimento.

A falta de controle no estoque diminuiu as vendas de determinados produtos, pois os clientes não queriam esperar sua chegada às prateleiras. A empresa tornousse mais vulnerável à prática de desvio de mercadoria e roubos, pois não se tinha um controle confiável do estoque da empresa. O sistema constava uma quantidade muito maior de determinados produtos do que a real quantidade nas prateleiras e no deposito.

A oportunidade de fazer o uso correto de boas negociações e a pesquisa de fornecedores que apresentam maiores vantagens a empresa tem criado um elo de parceria entre a empresa e o mercado consumidor. A empresa busca por fechar negociações com fornecedores que além do preço mais em conta, ofereça a vantagem de pagar pelos produtos que variam de preço.

(22)

4.4 OTIMIZAÇÃO DO CONTROLE DE ESTOQUE

Otimizar as atividades que uma empresa desempenha no âmbito comercial requer um estudo preciso e detalhado das mudanças que devem ser feitas, que neste caso, é referente ao estoque da empresa de realização do estagio.

É preciso que a empresa sofra uma transição, implementando uma nova politica de estocagem das mercadorias adquiridas para venda. A análise de vendas deve tornar-se um diferencial positivo na otimização do estoque da empresa, uma vez que a contagem física dos produtos auxilia nos ajustes da contagem apresentada pelo sistema operacional, diminuindo as irregularidades nas quantidades expostas.

O controle constante do estoque assegura a empresa mediantes as incertezas. Neste caso, será um benefício para a administração quando a mesma for realizar uma compra. O fato de o gestor saber a real quantidade de produtos físicos que a empresa possui livra a mesmo de comprar mercadorias em quantidades desnecessárias, e ao mesmo tempo lhe é permitido atender a demanda dos clientes sem que os prejudique em suas compras.

Tal benfeitoria é comprovada através das palavras de Bowersox e Closs (2001), quando é mencionada a importância que um sistema operacional eficaz pode exercer no momento de uma tomada de decisão.

Diante das inúmeras vantagens expostas aqui de que o controle de estoque permite o gestor ainda pode ter a noção exata do tempo que cada mercadoria pode demorar a chegar à sua empresa. Comparando a rotatividade do produto com o que se tem estocado, ele chegará à quantidade correta que deve ser comprada, mantendo assim um controle sobre a entrada e saída dos produtos vendidos em seu estabelecimento.

Em meio às mudanças ocorridas constantemente no mercado, verificou-se que a empresa ainda precisa aperfeiçoar suas técnicas de controle de estoque, abordando o monitoramento frequente por parte do gestor com relação às transações comerciais e ao controle do estoque, podendo dessa forma, chegar ao objetivo principal de se conseguir a lucratividade ideal, além de, informações precisas e verídicas para desempenhar ordenadamente suas compras.

(23)

4.5 PROCEDIMENTO QUE É ADOTADO PELA EMPRESA

Atualmente as empresas comerciais passam por diversas readaptações no desenvolver de suas atividades com o intuito de conseguir atender a demanda de mercado com eficiência e praticidade, porem, esta não é a realidade da empresa em estudo.

As inovações tecnológicas surgem constantemente para auxiliar o gestor na formação de seu conhecimento e tomada de decisão, mas na empresa em estudo o sistema esta considerado arcaico e bastante burocrático não oferece praticidade para os gestores.

Um dos problemas do procedimento adotado pela empresa são as compras que não são registradas no caixa, pois a venda era realizada informalmente, através da soma feita por calculadoras comuns, prejudicando totalmente o controle do estoque. Ou seja, as mercadorias que foram vendidas informalmente não tiveram a saída no sistema, impossibilitando a elaboração de um estoque confiável.

Tal procedimento fragiliza a contagem correta das mercadorias armazenadas. Além disso, foi observado que existem funcionários que consomem os produtos sem pagar por eles, este é outro fator que também prejudica o estoque da empresa. Pois não haverá uma saída deste produto. A compra de novas mercadorias é feita por modo de observação das prateleiras e do deposito e são anotadas em um caderno a quantidade e quais produtos precisam de reposição.

O modelo de sistema utilizado leva muito tempo pois a única maneira de se encontrar o produto no sistema de estoque é por meio de seu código de barra, sendo assim, burocrático e de difícil verificação. A empresa não consegue fazer um acompanhamento do estoque de forma trimestral.

4.6 ANÁLISES E SUGESTÕES

No desenvolver do estagio foram analisados diversos pontos que a empresa pode melhorar para conseguir obter o sucesso almejado, diante disso, serão feitas algumas sugestões para que o gestor tenha como referência no desempenho de suas atividades e possíveis tomadas de decisão.

a) A empresa deve optar por inserir pelo menos mais um funcionário para auxiliar no decorrer das conferências das mercadorias, tendo em vista que enquanto o conferente recebe,

(24)

o seu auxiliar pode ir guardando as caixas em seus lugares para agilizar o recebimento de outro fornecedor e contribuir para o desenvolvimento das demais etapas que estão relacionadas à venda.

b) É sugerido à administração da empresa que toda e qualquer venda seja efetuada no terminal de caixa. Uma vez que a venda informal não diminuirá os produtos vendidos no estoque, havendo um descontrole contínuo.

c) Para que aconteça um controle de estoque confiável é necessária também a participação dos funcionários no desenvolver desta atividade. Ao retirar um produto sem expor a sua saída, trará consequências de um desfalque no estoque. É sugerido à gestão que compre os itens destinados ao consumo da entidade em notas fiscais separadas dos demais produtos para comercialização. Este procedimento facilita o controle do estoque da empresa, separando o que deve ser vendido do que será consumido, não se esquecendo de também armazenar os itens de consumo em lugares diferentes das mercadorias destinadas à venda. O controle deve ser exercido em todos os departamentos da empresa.

d) Deve-se haver mais compreensão do tempo gasto para cadastrar as mercadorias e atualizar seus preços. O ideal é esperar que cada etapa seja concluída com o mínimo de cuidado possível, pois, o erro no cadastro de um produto pode trazer diversos constrangimentos para a empresa, desde a insatisfação de um cliente, a perda de credibilidade da empresa diante de seus concorrentes até o erro de tributação no seu cadastro, podendo prejudicar também o seu planejamento tributário.

e) A administração da empresa ainda comete erros inadmissíveis relacionados à compra de mercadorias destinadas para venda e para uso da pessoa física. Para que o controle comece a ser executado corretamente, deve-se haver uma distinção dos produtos comprados para venda do supermercado e itens que são comprados para uso da pessoa física. Este tipo de atitude por parte do gestor é ilegal, uma vez que não se pode misturar pessoa física com pessoa jurídica, até mesmo porque não haverá um controle do que será usado para uso próprio ou vendido.

(25)

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com a disputa constante existente entre as empresas comerciais, é possível identificar que as entidades que possuem um planejamento eficaz e execução de planos estratégicos são as que se sobressaem diante de seus concorrentes. Inovar além de aumentaa a credibilidade proporciona maior satisfação ao cliente e também satisfação própria no que se refere ao ganho de capital.

A administração do supermercado em estudo deve perceber que em meio da intensa competitividade vivenciada com o mercado e a crise financeira de seus clientes, controlar o estoque acaba sendo um diferencial que ajuda na credibilidade e no crescimento econômico da empresa. Por meio das diversas pesquisas realizadas em prol desse relatório foi possível identificar que o estoque é um item indispensável para a composição de uma empresa comercial.

Manter um estoque organizado requer atenção por parte do gestor, pois a adequação de sua composição se dar desde o armazenamento das mercadorias por categorias até a quantidade correta dos volumes estocados de cada produto. Foi possível identificar que a referida empresa analisada não desenvolve estratégias favoráveis ao seu desenvolvimento, por esse motivo, precisa reavaliar e aperfeiçoar alguns métodos utilizados em sua atual administração.

É essencial que se tenha uma interação confiável entre a gestão e os demais funcionários com o intuito de juntos, conseguirem implantar um controle de estoque dinâmico e confiável capaz de auxiliar o gestor em alguma tomada de decisão. No decorrer das análises verificou-se que a ausência do controle do estoque causou uma série de transtornos para a empresa, desde a perda de clientes até a redução nas vendas da empresa e a desconfiança entre os funcionários quando a mercadoria física não estava coerente com o sistema.

Através dos dados colhidos, foi possível atingir o objetivo principal desta pesquisa, sendo concebível destacar tamanha importância que o estoque representa para a empresa e o que a ausência do mesmo é capaz de fazer.

Sugere-se que a referida entidade adote as medidas apresentadas no intuito de estabelecer um dinamismo maior no desenvolvimento de suas atividades, adquirindo maior possibilidade de crescimento e credibilidade comercial através do controle contínuo do estoque do supermercado analisado.

(26)

6 REFERÊNCIAS

BOWERSOX, D. J., CLOSS, D. J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo: Atlas, 2001.

DIAS, Marco Aurélio P. Administração de materiais: princípios, conceitos e gestão. 6.

ed. 3.. São Paulo: Atlas, 2010.

ENGEL, James F.; BLACKWELL, Roger D.; MINIARD, Paul W. Comportamento do consumidor. 8. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

IUDÍCIBUS, Sergio de - Teoria da Contabilidade. 5ª. ed. São Paulo: Atlas, 1997.

KOTLER, P. Administração de marketing. São Paulo: Prentice Hall, 1998.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 1991.

MARTINS, P.G.; ALT, P.R.C. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais. 2 ed.

Saraiva, 2006.

NOSSA HISTORIA. SMART. Disponível em: <https://www.smartsupermercados.com/nossa-historia>.

Acesso em: 10 jan. 2019.

OLIVEIRA, Luís Martins... et al. Manual de Contabilidade Tributária. 2ª edição. São Paulo: Atlas 2003.

PARTOVI, F. Y.; ANANDARAJAN, M. Classifying inventory using an artificial neural network approach. Computers & Industrial Engineering, v. 41, p. 389-404, 2002.

SLACK, N.; CHAMBER, S.; JOHNSTON, R. Administração de Produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1997.

TADEU, Hugo Ferreira Braga. Gestão de Estoques: Fundamentos, modelos matemáticos e melhores práticas aplicadas. 1ª edição. São Paulo: CENGAGE, 2010.

POZO, H. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística.

5.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

Referências

Documentos relacionados

Assim, pode-se afirmar que a discrepância posterior influencia o plano oclusal (Sato, 1994), a dimensão vertical dentária (Sato et al., 1988), a adaptação do

Este trabalho buscou, através de pesquisa de campo, estudar o efeito de diferentes alternativas de adubações de cobertura, quanto ao tipo de adubo e época de

Foi apresentada, pelo Ademar, a documentação encaminhada pelo APL ao INMETRO, o qual argumentar sobre a PORTARIA Nº 398, DE 31 DE JULHO DE 2012 E SEU REGULAMENTO TÉCNICO

Neste trabalho avaliamos as respostas de duas espécies de aranhas errantes do gênero Ctenus às pistas químicas de presas e predadores e ao tipo de solo (arenoso ou

O objetivo desse trabalho foi realizar o levantamento e identificação das ordens de cupins arborícolas que ocorrem no Parque Natural Municipal do Curió, colaborando assim

Nas bases de dados SciELO e LILACS foram utilizados os descritores indexados no Descritores em Ciências da Saúde (DeCS terms) e foi realizada a seguinte estratégia: zumbido AND

 c/ Jz jvtawa tæm faivada qzj admpnjfo upmgzidanjitj faivada qzj admpnjfo upmgzidanjitj)) k/ Pjaknjitj bá nzota umkzoìæm vmimpa djitpm da fodadj) k/ Pjaknjitj bá nzota umkzoìæm

Sendo os resultados experimentais (verde) obtidos nas amostras sem desvolatilizacão da Figura 37, fizeram-se a descrição feita acima onde a media final serviu