• Nenhum resultado encontrado

Radiol Bras vol.41 número6

N/A
N/A
Protected

Academic year: 2018

Share "Radiol Bras vol.41 número6"

Copied!
2
0
0

Texto

(1)

VII

Radiol Bras. 2008 Nov/Dez;41(6):VII–VIII

Laércio Castilho Lopes Neto1, Rodrigo Sampaio Chiarantano1, Marcelo Bordalo Rodrigues2

1. Médicos Residentes do Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InRad/HC-FMUSP), São Paulo, SP, Brasil. 2. Médico Radiologista, Diretor do Serviço de Radiologia do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IOT/HC-FMUSP), São Paulo, SP, Brasil. Endereço para correspondência: Dr. Marcelo Bordalo Rodrigues. Avenida Dou-tor Enéas Carvalho de Aguiar, 255, Pinheiros. São Paulo, SP, Brasil, 05403-900. E-mail: mbordalo@uol.com.br

0100-3984 © Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem

Qual o seu diagnóstico?

Which is your diagnosis?

Lopes Neto LC, Chiarantano RS, Bordalo-Rodrigues MB. Qual o seu diagnóstico? Radiol Bras. 2008;41(6):VII–VIII.

Paciente de 34 anos de idade, do sexo feminino, acompanhada no ambulatório de neurologia por quadro de polineuropatia periférica sensitivo-motora de início distal. Procurou o pronto-socorro com quadro de dispnéia súbita, tendo sido encaminhada ao serviço de imagem com suspeita clínica de trom-boembolismo pulmonar. Negava outros anteceden-tes relevananteceden-tes.

Figura 4. Tomografia computadorizada da bacia, imagem axial (“janela óssea”).

Figura 3. Tomografia computadorizada da coluna torácica, reformatação sagital (“janela óssea”).

Figura 1. Tomografia computadorizada do tórax, imagem axial obtida após a administração intravenosa do meio de contraste iodado (fase arterial).

Figura 2. Tomografia computadorizada do abdome superior, imagens axiais obtidas após a administração intravenosa do meio de contraste iodado (fase arterial).

(2)

VIII Radiol Bras. 2008 Nov/Dez;41(6):VII–VIII

Descrição das Imagens

Figura 1. Observam-se cardiomegalia e moderado derrame pleural bilateral. Não há evidências de tromboembolismo pul-monar.

Figura 2. Nota-se a presença de hepa-tomegalia homogênea, líquido livre peri-hepático e perivesicular (ascite) e linfono-domegalias retroperitoneais.

Figura 3. Múltiplas lesões ósseas focais escleróticas esparsas pelos corpos verte-brais torácicos, elementos posteriores e o esterno. Também se observa lesão lítica de margens escleróticas irregulares em T10.

Figura 4. Múltiplas lesões ósseas focais escleróticas nos ilíacos e corpo vertebral lombar.

Diagnóstico: Síndrome POEMS.

COMENTÁRIOS

A síndrome POEMS é uma desordem rara, inicialmente descrita por Bardwick et al.(1) em 1980, caracterizada por: polineu-ropatia (predominantemente sensório-mo-tora), organomegalia (hepatoesplenome-galia, linfonodomegalia), endocrinopatia (principalmente hipotireoidismo), gamopa-tia monoclonal e alterações cutâneas (skin).

O diagnóstico é baseado nas alterações clínicas, sendo que o conhecimento das al-terações radiológicas permite ao radiologista sugerir esta possibilidade diagnóstica.

A paciente apresentava gamopatia mo-noclonal e hipotireoidismo subclínico, per-mitindo o diagnóstico de síndrome POEMS. A síndrome POEMS é uma desordem rara que acomete preferencialmente ho-mens na quinta e sexta décadas de vida. Ca-racteriza-se por uma série de alterações clínicas, sem mecanismo fisiopatológico bem estabelecido. Os pacientes com esta doença apresentam, essencialmente, discra-sia plasmocitária, que pode variar desde uma gamopatia monoclonal até acometi-mento ósseo (mieloma esclerótico)(2).

Todos os pacientes apresentam neuro-patia periférica e gamoneuro-patia monoclonal, sendo estes os critérios maiores. São con-siderados critérios menores: lesões ósseas escleróticas, organomegalia (hepatomega-lia, esplenomega(hepatomega-lia, linfadenomegalias), edemas (derrames pleurais, ascites), endo-crinopatias (adrenais, tireóide, paratireóide, gonadais, hipofisárias e pancreáticas) e al-terações cutâneas (hiperpigmentações, hi-pertricose, hemangiomas)(3).

As principais alterações radiológicas na síndrome POEMS são a presença de orga-nomegalias (principalmente hepatoesple-nomegalia e linfonodomegalias) e lesões ósseas. As lesões são principalmente escle-róticas e, menos comumente, mistas. Le-sões líticas são muito raras. Há acometi-mento preferencial do esqueleto axial, sen-do freqüente a presença de lesões em

ele-mentos do arco posterior das vértebras, tornando difícil o diagnóstico diferencial com lesões secundárias. Pode-se também observar proliferações ósseas anômalas, com lesões em discos intervertebrais e ar-ticulações costovertebrais. Nestes casos, o aparecimento súbito de calcificações de contornos irregulares e espiculados é bas-tante sugestivo desta doença(4).

A doença geralmente apresenta curso crônico, sendo que o seu prognóstico está diretamente relacionado à presença de aco-metimento da medula óssea e ao número e distribuição das lesões ósseas, tornando fundamental o papel do radiologista no estabelecimento do prognóstico destes pa-cientes(3).

REFERÊNCIAS

1. Bardwick PA, Zvaifler NJ, Gill GN, et al. Plasma cell dyscrasia with polyneuropathy, organomegaly, endocrinopathy, M protein, and skin changes: the POEMS syndrome. Report on two cases and a review of the literature. Medicine (Baltimore). 1980;59:311–22.

2. Aggarwal S, Goulatia RK, Sood A, et al. POEMS syndrome: a rare variety of plasma cell dyscrasia. AJR Am J Roentgenol. 1990;155:339–41. 3. Dispenzieri A, Kyle RA, Lacy MQ, et al. POEMS

syndrome: definitions and long-term outcome. Blood. 2003;101:2496–506.

Imagem

Figura 3. Tomografia computadorizada da coluna torácica, reformatação sagital (“janela óssea”).

Referências

Documentos relacionados

Instituto de Ortopedia e Traumatologia, Hospital das Clinicas, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo - São Paulo/SP, B rasil.. E mail:

Referências mencionadas MANUAL DE QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES DE MATÉRIAS-PRIMAS E EMBALAGENS PARA A INDÚSTRIA DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS MANUAL DE DESENVOLVIMENTO

Diretamente relacionados ao estágio do curso de Nutrição da UFJF, temos as Normas para os Estágios Obrigatórios que disciplinam as atividades desta comissão no âmbito dos

Depois de exibido o modelo de distribuição orçamentária utilizado pelo MEC para financiamento das IFES, são discutidas algumas considerações acerca do REUNI para que se

Trabalho realizado no Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) e no Instituto de Radiologia (InRad) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São

Trabalho realizado no Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) e no Instituto de Radio- logia (InRad) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São

MD, Head of Di- vision of Musculoskeletal Radiology, Instituto de Ortopedia e Traumatologia – Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

CONSIDERAÇÕES FINAIS Neste artigo foi possível realizar uma reflexão acerca dos reais desafios dos atores locais no estabelecimento de mecanismos de governança no APL de Quartzito