MUNICÍPIO DE OURÉM Câmara Municipal (REUNIÃO PÚBLICA)

70 

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Loading....

Texto

(1)

A

A

C

C

T

T

A

A

N

N

.

.

º

º

1

1

2

2

(REUNIÃO PÚBLICA)

---- Aos sete dias do mês de Junho do ano de dois mil e onze, na Cidade de Ourém, no edifício dos Paços do Concelho e na Sala de Reuniões, à hora designada, reuniu, ordinariamente, a Câmara Municipal, estando presentes, além do Ex.mo Presidente, Senhor PAULO ALEXANDRE HOMEM DE OLIVEIRA FONSECA, os Senhores Vereadores: NAZARENO JOSÉ MENITRA DO CARMO, LUÍS MIGUEL MARQUES GROSSINHO COUTINHO DE ALBUQUERQUE, MARIA LUCÍLIA MARTINS VIEIRA, MARIA AGRIPINA FERREIRA CARRIÇO LOPES VIEIRA e JOSÉ MANUEL PEREIRA ALHO, comigo Vítor Manuel de Sousa Dias, Director do Departamento Administrativo e do Planeamento.---

ooxxxoo ooo

ABERTURA DA REUNIÃO

---

--- O SENHOR PRESIDENTE DECLAROU ABERTA A REUNIÃO E FORAM SEGUIDAMENTE TRATADOS OS ASSUNTOS CONSTANTES DA ORDEM DO DIA (ANEXO I), ELABORADA NOS TERMOS DO ARTIGO 87.º DA LEI N.º 169/99, DE 18 DE SETEMBRO, NA REDACÇÃO DADA PELA LEI N.º 5-A/2002, DE 11 DE JANEIRO.---

---ooxxxoo ooo

FALTAS DE MEMBROS DA CÂMARA

--- ---- O Senhor Presidente informou os presentes de que, ao abrigo da Delegação de Competências efectuada na reunião de 02 de Novembro de 2009, considerou justificada a falta do Senhor Vereador VÍTOR MANUEL DE JESUS FRAZÃO, por motivos de ordem pessoal. --- --- A CÂMARA FICOU INTEIRADA. ---

ooxxxoo ooo

(2)

---- Nos termos do artigo 86.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, o Senhor Presidente deu seguidamente a palavra aos Senhores Vereadores para tratamento de assuntos gerais para a autarquia. --- ---- Tomaram a palavra os Vereadores Luís Miguel Marques Grossinho Coutinho

de Albuquerque e Maria Agripina Ferreira Carriço Lopes Vieira, que

apresentaram os seguintes documentos: --- 1. “Ao lermos o Jornal Noticias de Ourém do passado dia 20 de Maio do corrente ano, ficámos muito surpreendidos, com o teor do Editorial dessa mesma edição. ---- Pelo que lemos ficamos a saber que o Deputado António Gameiro se manifestou contra a orientação do jornal, junto do director do referido semanário.--- ---- Tendo em conta que o Sr. Deputado António Gameiro nada tem a ver com este Município, o assunto do dito editorial, nada teria a ver com esta reunião; No entanto, e segundo o director do jornal, o Sr. Deputado fez algumas ameaças veladas, como sejam o castigo ao jornal em termos de eventuais benefícios a atribuir pela Câmara, caso não lhe façam a vontade ou satisfaçam os caprichos.--- --- Se bem pensarmos permitiu-se condicionar o pluralismo e a liberdade de informação de um órgão de comunicação social. --- ---- Porque se trata de pessoa que não desempenha qualquer função no executivo municipal, julgamos que em nome da verdade e da transparência, o Sr. Presidente da Câmara já deveria ter tomado uma posição em relação ao que foi dito no referido editorial. --- --- ---- Uma vez que o não fez, os Vereadores do P.S.D. sentem-se no dever de solicitar os necessários esclarecimentos, pois entendem que atitudes deste tipo não são toleráveis por parte de quem não dispõe de qualquer autoridade ou legitimidade para o fazer.” --- --- O Senhor Presidente propôs que o processo fosse remetido ao Departamento Administrativo e do Planeamento (Serviço Jurídico) para análise e tratamento jurídico adequado.---

2. “Mais uma vez trazemos para este reunião preocupações decorrentes das obras do IC9. - --- ---- A primeira situação prende-se com a Rua da Feira, em Casal dos Matos. Não nos parece de todo aceitável que após as obras a referida estrada não permite uma circulação segura, ficando com um eixo de via inferior ao necessário para que dois carros se cruzem. Apelamos para que as diligências que foram feitas com sucesso para solucionar os problemas na freguesia de Gondemaria sejam envidadas também aqui. --

(3)

---- A segunda questão relaciona-se com o transporte e depósitos de terras. Tem sido colocada uma quantidade impressionante de terras no areeiro no Carregal vindas, ao que tudo parece, dos desaterros das obras do IC9. Esta situação é do conhecimento da Câmara? Está previsto num qualquer contrato? Estão previstas obras de requalificação da estrada de acesso a essa zona que resolvam os estragos provocados pela passagem intensa e contínua de camiões? Qual o destino desse espaço às portas da cidade depois de sofrer uma tão completa desfiguração?” --- --- O Vereador José Manuel Alho informou de que, relativamente à primeira questão, estão a ser tomadas as diligências necessárias e que, quanto à deposição de terras no areeiro, a situação é do conhecimento da Câmara Municipal. ---

3. “Na última reunião do executivo o Sr. Presidente da Câmara Municipal referiu-se a uma factura respeitante à elaboração do projecto de reabilitação da Estrada Regional 356 que liga a Rotunda do Pinheiro a Alvaiázere e que atravessa o norte do nosso concelho. --- ---- Serviu-se da apresentação dessa Factura para deixar a ideia de compromissos sem o devido enquadramento, e para mais uma vez, prometer uma via rápida às pessoas do norte do concelho. --- ---- Como fomos apanhados de surpresa com esta situação, tivemos que averiguar o que realmente se passou, tendo chegado às seguintes conclusões: --- 1º - Os executivos do P.S.D. na Câmara Municipal sempre entenderam que a melhoria das acessibilidades passava pela construção do IC9 e pela melhoria da rede viária regional. A acção da Câmara Municipal resolveria as acessibilidades locais. --- 2º - Neste sentido o IC9 já está em construção e vai seguramente ser uma via de grande importância para todo o concelho e em especial para a zona norte, embora tenhamos que lamentar os deficientes acessos que esta via tem à sede do concelho e a Fátima. --- 3º - Foi nesta lógica que a ER 349 que liga a sede do concelho a Espite foi requalificada, tendo por base o projecto fornecido pela Câmara Municipal. Recorde-se que esta obra foi incluída no PIDDAC no tempo do Dr. Santana Lopes. --- 4º - Foi também por isso que a Câmara Municipal mandou executar o projecto para a EN 113-1, estrada de Seiça, agora a ser requalificada. Em 06 de Março de 2006, mediante deliberação da Câmara Municipal, e na qual participaram, à época, os Vereadores José Alho e José Fernandes, foi deliberado por unanimidade abrir concurso para execução da projecto da beneficiação da ER 356. --- 5º - O projecto base foi aprovado em 26 de Novembro de 2007 pela Câmara, tendo o projecto de execução sido entregue pelo projectista em 20 de Junho de 2008. ---

(4)

6º - A factura de 14.500,00 Euros acrescida de Iva refere-se ao último pagamento desse projecto.- --- 7º - Este projecto, realista, foi feito nas mesmas condições do projecto da ER 349 que liga a cidade de Ourém a Espite.--- 8º - Lamentamos que o Sr. Presidente da Câmara não procure inteirar-se dos assuntos antes de os abordar.--- 9º - O Sr. Presidente da Câmara que constantemente apregoa que não tem dinheiro, diz que o projecto não serve e continua a prometer uma via rápida para o norte do concelho. --- --- ---- Era bom deixar de uma vez por todas a demagogia, e seguir o caminho iniciado pelos executivos do P.S.D., que era a beneficiação da actual ER 356, com algumas correcções de traçado, que a tornariam uma mais valia assinalável para todos os habitantes do norte do concelho.--- ---- Aí sim, valeria a pena fazer uma grande festa pois estaríamos todos a contribuir para o bem-estar das nossas populações.”--- --- O Senhor Presidente reafirmou o que havia dito na reunião de 17 de Maio findo, quando apresentou a referida factura. --- ---- Seguidamente, o Senhor Presidente tomou a palavra e apresentou a informação que a seguir se transcreve: “Como é do conhecimento público, demitiu-se recentemente a Direcção da Entidade Regional de Turismo Leiria-Fátima, integrada pelo Município de Ourém.--- ---- Como é também conhecido, os Estatutos daquela entidade impõem que o Município de Ourém terá obrigatoriamente, em qualquer circunstância, um representante na sua Direcção. --- ---- É também conhecida a situação financeira difícil daquele organismo, aliás invocada também nas declarações de demissão referidas. --- ---- Todos temos, igualmente, consciência da importância que a temática do Turismo tem para o nosso concelho, não só por Fátima, mas também pela Vila Medieval de Ourém, pela Monumento natural das Pegadas de Dinossauro, pelo Agroal, Património, pelas referências culturais, pela História, etc.--- ---- Nesse sentido, enquanto representante do Município de Ourém naquela Entidade, propus que se organizasse uma lista somente composta por Presidentes de Câmara Municipal, dos Municípios que integram a região. --- ---- Tal proposta, que foi aceite por todos os Presidentes de Câmara, visa: ---

(5)

1. Poupar recursos, uma vez que a lista candidata propôs à Assembleia Geral que se alterassem os estatutos no sentido de nenhum dos membros da Direcção ser remunerado em qualquer valor pecuniário, nem salário, nem senhas de presença, ajudas de custo ou qualquer outro valor, num sinal compatível com os tempos vividos a imporem contenção, rigor e poupança. 2. Assumir o empenhamento público dos Municípios nos destinos da ERTLF.- 3. Garantir uma gestão articulada e próxima dos Municípios que, naturalmente, gerará mais eficácia e escala. --- ---- Na aceitação desta proposta, os Presidentes de Câmara de Leiria, Batalha, Pombal, Porto de Mós e Marinha Grande, colocaram uma condição que me orgulha: ser eu próprio o Presidente da ERTLF. --- ---- Nesse sentido, o Presidente da Assembleia Geral convocou as reuniões necessárias à formalização desta proposta e foi ontem realizado o acto eleitoral que designou a lista nos termos da Lei e dos Estatutos já corrigidos. --- ---- Desempenharei, pois, as funções de Presidente da ERTLF em nome da Câmara e do Município de Ourém, sem qualquer retribuição, salário ou afim, com base nos princípios enunciados e assente numa estratégia resumida a três objectivos orientadores: --- --- a) Arrumar a situação económica e financeira; --- b) Promover uma relação forte com a ATL, entidade que tem a atribuição legal de promoção externa em matéria de Turismo.--- c) Promover a região de uma forma concertada, solidária e forte, nos múltiplos potenciais que são detidos por todos os concelhos, em particular pelo concelho de Ourém. --- ---- Nota: informo ainda que, no caso particular de Fátima e da sua promoção externa, o Município tem em curso um objectivo de concertação com a ERTLF, a ACISO, o Santuário de Fátima e os empresários com vista á definição de um caminho autónomo e ambicioso de valorização internacional de Fátima, estratégia que se situa num patamar diferente da intervenção objectiva da ERTLF, tendo já ocorrido diversas reuniões neste sentido. --- --- A Câmara tomou conhecimento.--- ---- De seguida o Senhor Presidente tomou de novo a palavra e informou de que ontem, dia 06 de Junho, teve início uma inspecção ordinária ao Município de Ourém, da IGAL - Inspecção-Geral da Administração Local, que incidirá sobre vários serviços municipais.--- ---

(6)

--- A Câmara tomou conhecimento. --- ooxxxoo

ooo

INTERVENÇÃO DO PÚBLICO PRESENTE

--- ---- De acordo com o que foi deliberado na reunião de 02 de Novembro de 2009, a Câmara começou por ouvir os munícipes presentes, mediante a seguinte ordem:--- ---- 1 – Serafim Gonçalves, residente na localidade de Lagoa do Furadouro, da Freguesia de Nossa senhora das Misericórdias, deste Concelho, em representação da Associação de Pais e Encarregados de Educação dos alunos da Escola Básica n.º 1 e Jardim-de-infância de Lagoa do Furadouro, a solicitar esclarecimentos sobre o encerramento daquele estabelecimento de ensino. --- --- O Senhor Vereador José Manuel Alho informou o munícipe de que o encerramento da escola se deve à reorganização da rede escolar no Concelho e de que os alunos irão ter aulas em melhores condições no Centro Escolar de Nossa Senhora das Misericórdias, tendo tudo sido preparado com a devida antecedência. ---

ooxxxoo ooo

INFORMAÇÃO

À

CÂMARA

DAS

DECISÕES

DO

SENHOR

PRESIDENTE

EM

CONSEQUÊNCIA

DA

DELEGAÇÃO

DE

COMPETÊNCIAS EFECTUADA EM REUNIÃO DE 02 DE NOVEMBRO

DE 2009

---

---= 1. CONCESSÃO DE LICENÇAS PARA CONSTRUÇÃO, REEDIFICAÇÃO OU CONSERVAÇÃO, BEM COMO APROVAÇÃO DOS RESPECTIVOS PROJECTOS, NOS TERMOS DA LEI: ---

---- Nos termos do n.º 3, do artigo 65.º, da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro, o Senhor Presidente informou a Câmara de que, no período que decorreu entre a última reunião camarária e a de hoje, foram deferidos os pedidos de licenças a que se reporta o Anexo II da presente acta.--- --- A CÂMARA FICOU INTEIRADA.---

= 2. CONCESSÃO DE LICENÇAS EM PROCESSOS COM COMPETÊNCIA DELEGADA AO ABRIGO DO N.º 1 DO ARTIGO 65. º DA LEI N.º 169/99, DE 18 DE SETEMBRO, ALTERADA PELA LEI N.º 5-A/2002, DE 11 DE JANEIRO: ---- ---

(7)

---- O Senhor Presidente informou a Câmara de que, no período que decorreu entre a última reunião camarária e a de hoje, foram deferidos os pedidos de licenças a que se reporta o Anexo III da presente acta.--- --- A CÂMARA FICOU INTEIRADA. ---

ooxxxoo ooo

PAGAMENTOS

--- ---- O Senhor Presidente informou a Câmara de que, no período que decorreu entre 16 de Maio findo e 03 de Junho em curso, foram efectuados os pagamentos, a que se reportam as autorizações a seguir indicadas, que colocou à disposição de todos, para efeitos de consulta e confirmação, no valor de 3.522.054,39€: 391, 1048, 1059, 1242, 1268, 1270, 1296, 1297, 1301, 1307, 1308, 1345, 1346, 1356, 1377, 1398 a 1407, 1410 a 1427, 1429 a 1436, 1438 a 1456, 1458 a 1469, 1473 a 1577, 1579 a 1653, 1655, 1656, 1658, 1659, 1661 a 1671, 1675 a 1678, 1680, 1682, 1683, 1686, 1693 a 1701, 1704, 1706 a 1720, 1721/1, 1722/1, 1722/2, 1722/3, 1722/4, 1722/5, 1722/6, 1722/7, 1722/8, 1723/1, 1724/1, 1724/2, 1725/1, 1725/2, 1725/3, 1725/4, 1725/5, 1725/6, 1725/7, 1726/1, 1726/2, 1727/1, 1727/2, 1728/1, 1728/2, 1728/3, 1728/4, 1728/5, 1728/6, 1729/1, 1729/2, 1729/3, 1729/4, 1729/5, 1730/1, 1730/2, 1730/3, 1731/1, 1731/2, 1731/3, 1731/4, 1731/5, 1731/6, 1732/1, 1732/2, 1732/3, 1733/1, 1733/2, 1733/3, 1733/4, 1734/1, 1734/2, 1735/1, 1735/2, 1735/3, 1735/4, 1735/5, 1735/6, 1736/1, 1736/2, 1736/3, 1737/1, 1737/2, 1737/3, 1737/4, 1737/5, 1737/6, 1737/7, 1737/8, 1738/1, 1738/2, 1738/3, 1738/4, 1738/5, 1739/1, 1739/2, 1739/3, 1739/4, 1739/5, 1739/6, 1739/7, 1740/1, 1740/2, 1740/3, 1740/4, 1740/5, 1741/1, 1741/2, 1741/3, 1742/1, 1742/2, 1742/3, 1742/4, 1743/1, 1743/2, 1743/3, 1743/4, 1744/1, 1744/2, 1745/1, 1745/2, 1745/3, 1745/4, 1745/5, 1746/1, 1746/2, 1747/1, 1747/2, 1747/3, 1747/4, 1748/1, 1748/2, 1749/1, 1749/2, 1749/3, 1749/4, 1749/5, 1749/6, 1750/1, 1750/2, 1750/3, 1751/1, 1751/2, 1751/3, 1752, 1754 a 1758, 1760 a 1769, 1775 a 1787, 1789 a 1793, 1796 a 1798, 1800 a 1833, 1837, 1843, 1845 a 1863, 1865, 1870, 1871 e 1874. ---

--- A CÂMARA FICOU INTEIRADA. ---

ooxxxoo ooo

PEDIDOS DE DESTAQUE

--- ---- 1. Foi apresentado o requerimento registado sob o n.º 517/2011, de TOMÉ DE

JESUS PEREIRA, residente na Quinta das Margaridas, em Olaia, da Freguesia de

(8)

descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 216 e inscrito na matriz daquela freguesia sob os artigos n.º 11664 e n.º 1674, seja destacada uma parcela de terreno com a área de 3.853 m2, ficando a confrontar a norte com Tomé de Jesus Pereira, a sul com Herdeiros de Francisco Miguel, a nascente com José Lopes e a poente com Estrada. --- ---- Ouvida sobre a pretensão, a Divisão de Obras Particulares prestou a informação n.º 166/2011, de 23 de Maio findo, que se passa a transcrever: “(…)1. Atendendo que a operação de destaque se enquadra no nº 4 e nº 10 do artigo 6º do RJUE, não se vê inconveniente no pedido nas seguintes condições.--- a) Na área correspondente ao prédio originário, não seja efectuado novo destaque no prazo de dez anos; --- b) O ónus do não fraccionamento referido na alínea a), seja inscrito no registo predial sobre as parcelas resultantes do destaque, sem o que não pode ser licenciada ou comunicada qualquer obra de construção nessas parcelas. --- 2. De referir que as condicionantes da parcela originaria, indicadas na informação do gabinete SIG, constituem condicionantes à edificação nos termos do PDM de Ourém e demais legislação especifica.--- ---- Considerando as normas regulamentares aplicáveis, emite-se informação favorável ao solicitado. -- --- ---- Levar à consideração superior.” ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DEFERIR A PRETENSÃO. - ---

---- 2. Foi apresentado o requerimento registado sob o n.º 699/2011, de VÍTOR DA

SILVA PEREIRA, residente na Rua da Capela, n.º 3, na localidade de Matos, da

Freguesia de Cercal, deste Concelho, a solicitar que, do prédio rústico sito na Rua Padre Sousa, da referida localidade, descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 692 e inscrito na matriz rústica daquela freguesia sob o artigo n.º 12230, seja destacada uma parcela de terreno com a área de 1950 m2, ficando a confrontar a norte com José da Silva Pereira, a sul e a poente com Vítor da Silva Pereira e a nascente com Rua Padre Sousa. --- ---- Ouvida sobre a pretensão, a Divisão de Obras Particulares prestou a informação n.º 153/2011, de 13 de Maio findo, que se passa a transcrever: “O pedido é relativo a um destaque situado em perímetro urbano e fora de perímetro urbano, do qual resultam duas parcelas:-- --- ---- Parcela a destacar: 1950 m2 ---

(9)

---- Parcela sobrante: 5050 m2 --- ---- Analisada a pretensão, informa-se ---

1. Da Localização: ---

1.1. De acordo com as plantas entregues pelo requerente e a informação prestada pelo Gabinete SIG, nos termos do PDMO, a parcela originária localiza-se em espaço urbano de nível 3 (linha de água 10K e 25k), espaço florestal (linha de água 25k). ---

2. Do DL 555/99, de 16 de Dezembro (RJUE): ---

2.1. A operação de destaque enquadra-se no nº 4 e nº 10 do artigo 6º do DL 555/99 de 16 de Dezembro com as alterações introduzidas pela DL 26/2010 de 30 de Março.--- ---- É condição da mesma que:--- a) As duas parcelas resultantes do destaque, confrontem com arruamentos públicos; --- b) Na área correspondente ao prédio originário, não seja efectuado novo destaque no prazo de dez anos; --- c) O ónus do não fraccionamento referido na alínea b), seja inscrito no registo predial sobre as parcelas resultantes do destaque, sem o que não pode ser licenciada qualquer obra de construção nessas parcelas. ---

3. Do Plano Director Municipal de Ourém:---

3.1. Face ao PDM, não se vê inconveniente na pretensão. ---

4. Outros:--- ---

4.1. Em deslocação ao local, a fiscalização verificou que não existe nenhuma construção na parcela.---

5. Conclusão: - ---

---- Nos termos do n.º 8 do art.6º do RJUE, emite-se informação favorável condicionada ao cumprimento do referido no ponto 2.1. --- ---- Levar à consideração superior.”---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DEFERIR A PRETENSÃO, NOS TERMOS DA INFORMAÇÃO SUPRA TRANSCRITA. ---

ooxxxoo ooo

LICENCIAMENTO DE OBRAS PARTICULARES

--- ---- 1. Por despacho de 26 de Março de 2009, do então Presidente da Câmara, foi notificado ADRIANO FERREIRA FRANCISCO, residente na Rua do Barroco, em Cumieira, da Freguesia de Espite, deste Concelho, de que se tencionava declarar a caducidade do processo registado sob o n.º 2122/2006 (construção de uma moradia e muro de vedação, em Peras Ruivas - Seiça), em virtude de não ter sido requerida a emissão do respectivo alvará de licença dentro do prazo legal e ainda de que poderia

(10)

no prazo máximo de 10 dias, nos termos dos artigos 100.º e seguintes do Código do Procedimento Administrativo, pronunciar-se sobre a eventualidade de tal decisão. --- ---- O requerente ao tomar conhecimento daquele despacho, apresentou uma exposição registada sob o n.º 9620/2009, a solicitar, pelos motivos que especifica, a prorrogação do prazo por mais seis meses, para requerer a emissão do alvará. --- ---- Nesta reunião foi apresentado todo o processo, instruído com os seguintes documentos: --- --- • Informação n.º 364/2011, de 11 de Abril último, da Divisão de Ordenamento do

Território, a dar conta de que a prorrogação solicitada expirou em 12 de Julho de

2009, sem que o requerente tenha procedido ao pedido de emissão do alvará e a colocar à consideração superior a decisão a tomar, nomeadamente a declaração de caducidade, nos termos do n.º 5, do artigo 71.º do Regime Jurídico de Urbanização e Edificação;--- • Relatório de reunião, datado de 15 de Maio findo, da Vereadora Lucília Vieira com o munícipe Adriano Ferreira Francisco, que conclui conforme se passa a transcrever: “(…) CONCLUSÃO DA REUNIÃO: A moradia não foi construída. Todos os prazos possíveis para a renovação da licença foram esgotados, pelo que se deve declarar a caducidade da licença.”---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DECLARAR, NOS TERMOS DO N.º 5, DO ARTIGO 71.º, DO DECRETO-LEI N.º 555/99, DE 16 DE DEZEMBRO, NA REDACÇÃO DADA PELO DECRETO-LEI N.º 26/2010, DE 30 DE MARÇO, A CADUCIDADE DO PROCESSO REGISTADO SOB O N.º 2122/2006. ---

---- 2. Por despacho de 27 de Abril último, do Vereador Nazareno do Carmo, foi notificada a FÁBRICA DA IGREJA PAROQUIAL DE FÁTIMA, com sede na Rua Padre Manuel António Henriques, da Freguesia de Fátima, deste Concelho, de que se tencionava declarar a caducidade da licença a que se refere o processo registado sob o n.º 3985/2006 (legalização de dois telheiros e uma laje), com base na informação n.º 43/2011, de 06 também de Abril último, prestada pela Divisão de Obras Particulares e ainda de que poderia, no prazo máximo de 10 dias, nos termos dos artigos 100.º e seguintes do Código do Procedimento Administrativo, pronunciar-se sobre a eventualidade de tal decisão. --- ---- O requerente, ao tomar conhecimento do teor daquele despacho, apresentou uma exposição registada sob o n.º 11.078/2011, a solicitar, pelos motivos que especifica autorização para requer a emissão do alvará de licença e a atribuição da isenção do pagamento das taxas respectivas. ---

(11)

---- A Divisão de Obras Particulares, ouvida sobre o pedido, prestou a informação n.º 497/2011, de 30 de Maio findo, que a seguir se transcreve: “Em resposta ao nosso ofício, dando conta da intenção de caducidade do processo, a Fábrica da Igreja, vem solicitar que lhe seja autorizado o levantamento do alvará de licença, uma vez que por razões de ordem administrativa e financeira, não lhes foi possível proceder ao seu levantamento.-- --- ---- Solicita igualmente, que seja atribuída a isenção do pagamento de taxas. --- ---- Nos termos da alínea d) do nº 1 do art.º. 9º do RMUETCUCO, as associações religiosas, legalmente constituídas, pelas actividades que se destinem, directamente à realização dos seus fins, estão isentas de taxas. --- ---- A isenção de taxas enquadra-se nos nºs. 1 e 2 do art.º. 34º. do Regulamento e Tabela de Taxas do Município de Ourém. --- ---- O valor das taxas a liquidar é de 2.621,82€.--- ---- À consideração superior.” ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DEFERIR A PRETENSÃO NOS TERMOS DOS NÚMEROS 1 E 2 DO ARTIGO 34.º DO REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS E OUTRAS RECEITAS DO MUNICÍPIO DE OURÉM. ---

---- 3. Por despacho de 08 de Fevereiro de 2011, do Vereador Nazareno do Carmo, foi notificada LUÍSA MARIA SANTOS MARTO BUCCINO, residente na Avenida Beato Nuno, n.º 276–A, r/c, em Cova da Iria, da Freguesia de Fátima, deste Concelho, de que se tencionava declarar a caducidade do processo registado sob o n.º 3304/2006 (alteração de uma moradia em Fazarga - Fátima), em virtude de não ter solicitado a emissão do alvará de construção e ainda de que poderia, no prazo máximo de 10 dias, nos termos dos artigos 100.º e seguintes do Código do Procedimento Administrativo, pronunciar-se sobre a eventualidade de tal decisão. --- ---- A requerente, ao tomar conhecimento do teor daquele despacho, apresentou uma exposição registada sob o n.º 833/2011, a informar de que não pretende requerer a emissão do alvará de construção e a esclarecer de que o desaterro foi executado no âmbito do alvará de obras de construção n.º 233/2006 (processo n.º 807/2003). --- ---- Ouvida sobre a pretensão, a Divisão de Obras Particulares prestou a informação n.º 467/2011, de 19 de Maio findo, que se encontra anexa ao processo.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DECLARAR, NOS TERMOS DO N.º 5, DO ARTIGO 71.º, DO DECRETO-LEI N.º 555/99, DE 16 DE

(12)

DEZEMBRO, NA REDACÇÃO DADA PELO DECRETO-LEI N.º 26/2010, DE 30 DE MARÇO, A CADUCIDADE DO PROCESSO REGISTADO SOB O N.º 3304/2006. ---

---- 4. Por despacho de 19 de Junho de 2009, do então Presidente da Câmara, foi informado CARLOS VICENTE MAJOR, residente na Rua Vale do Freixo, em Rosmaninhal, da Freguesia de Olival, deste Concelho, da aprovação do projecto de arquitectura referente à ampliação de uma moradia, sita na referida localidade, correspondente ao processo registado sob o n.º 910/2009, de que é titular. --- ---- A Divisão de Obras Particulares, ouvida sobre o pedido, prestou a informação n.º 480/2011, de 23 de Maio findo, a ar conta de que foi apresentado novo processo (1804/2010) que se encontra em fase de emissão de alvará de licença, devendo o requerente esclarecer se pretende ou não desistir do anterior processo (910/2009). --- ---- A 24 de Maio findo, a Vereadora Lucília Vieira exarou no processo o seguinte despacho: “Uma vez que entrou novo processo, já em fase de emissão de alvará de licença, deve dar-se a caducidade ao presente processo. Remeta-se superiormente para ser presente em reunião de câmara.” ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DECLARAR, NOS TERMOS DO N.º 5, DO ARTIGO 71.º, DO DECRETO-LEI N.º 555/99, DE 16 DE DEZEMBRO, NA REDACÇÃO DADA PELO DECRETO-LEI N.º 26/2010, DE 30 DE MARÇO, A CADUCIDADE DO PROCESSO REGISTADO SOB O N.º 910/2009. ---

ooxxxoo ooo

LOTEAMENTO URBANO

--- ---- Foi apresentado o processo registado sob o n.º 1374/2008, de PURIFICAÇÃO

DA SILVA, residente na Rua Prof. Álvaro Pedro Estevinha, n.º 5, da Freguesia de

Freixianda, deste Concelho, referente à alteração do alvará de loteamento n.º 2/2005, sito na Rua Dr. Pinto, da referida freguesia, (aprovada por deliberação camarária de 30 de Junho de 2010), acompanhado do despacho, datado de 24 de Maio findo, da

Vereadora Lucília Vieira, que a seguir se reproduz na íntegra: “Para que o processo

seja concluído legalmente, deverá ser remetido a reunião de câmara para isentar de taxas a alteração ao loteamento, e a CMO proceder a este registo na conservatória, pois é a CMO a primeira interessada. À Consideração Superior.” ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, CONCORDAR COM A ISENÇÃO PROPOSTA, UMA VEZ QUE É UMA INICIATIVA E INTERESSE DA PRÓPRIA CÂMARA PARA CONSTRUIR O NOVO CENTRO ESCOLAR DE FREIXIANDA E SUBMETER A ISENÇÃO DE TAXAS À APRECIAÇÃO DA

(13)

ASSEMBLEIA MUNICIPAL AO ABRIGO DO DISPOSTO NOS NÚMEROS 2 E 3, DO ARTIGO 12.º, DA LEI N.º 2/2007, DE 15 DE JANEIRO. ---

ooxxxoo ooo

EMPRESAS DO SECTOR EMPRESARIAL LOCAL

--- = COBERTURA DE PREJUÍZOS DO EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 = --- ---- No âmbito do assunto supra referido, foi apreciada a informação n.º 46/2011, de 01 de Junho corrente, do Chefe da Divisão de Gestão Financeira, que a seguir se reproduz na íntegra: “Nos termos do n.º 2 do artigo 31º da Lei n.º 53-F/2006, de 29 de Dezembro, “caso o resultado de exploração anual operacional acrescido dos

encargos financeiros se apresentar negativo, é obrigatória a realização de uma transferência financeira a cargos dos sócios, na proporção respectiva da participação social com vista a equilibrar os resultados de exploração operacional do exercício em causa”. --- ---

---- Complementarmente, o n.º 5 do citado artigo refere que “no caso do orçamento

anual do ano em causa não conter verba suficiente para a cobertura dos prejuízos referidos no número anterior, deve ser inserida uma verba suplementar no orçamento do exercício subsequente, efectuando-se a transferência no mês seguinte à data de encerramento das contas”. ---

---- Deste modo, em observância ao Anexo – A, o Município deverá efectuar uma transferência financeira de 252.882,40 euros, no ano económico de 2010, repartidos conforme o quadro seguinte, salientando que, actualmente, existe adequado enquadramento orçamental para fazer face a esta despesa: ---

Quadro – Transferência financeira para as empresas do sector empresarial local 45.712,96€ Verourém (denominação actual: OURÉMVIVA

207.169,44€ SRU – Fátima 252.882,40€ Total

---- À consideração superior,”.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, CONCORDAR COM O PROPOSTO.--- ---- Aquando da discussão e votação do presente processo, os Vereadores José Manuel Alho e Nazareno do Carmo ausentaram-se da sala, por serem Presidentes dos Conselhos de Administração da Ourémviva - Gestão de Eventos, Serviços e Equipamentos, EEM. e da SRUFÁTIMA – Sociedade de Reabilitação Urbana de Fátima, E.E.M., respectivamente. -

(14)

ooo

MANUAL DE CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS - MUNICÍPIO DE

OURÉM

--- --- ---- Foi apreciada a informação n.º 37/2011, de 16 de Maio findo, do Chefe da

Divisão de Gestão Financeira, que a seguir se reproduz na íntegra: “A Lei das

Finanças Locais (Lei n.º 2/2007, de 15 de Janeiro), prevê no artigo 46.º, a obrigatoriedade dos Municípios que detenham serviços municipalizados ou a totalidade do capital de entidades do sector empresarial local, de procederem à elaboração de contas consolidadas, referindo que os procedimentos contabilísticos para a consolidação são os definidos no Plano Oficial de Contabilidade das Autarquias Locais (POCAL), documento que, até ao momento, não abrange esta matéria. --- ---- Consequentemente, surgiu a orientação n.º 1/2010, aprovada pela Portaria n.º 474/2010, de 15 de Junho, intitulada de “Orientação genérica relativa à consolidação

de contas no âmbito do sector público administrativo”, cujo âmbito de aplicação inclui

os Municípios. De salientar que, em adenda à referida Portaria, o SATAPOCAL (subgrupo de apoio técnico na aplicação do POCAL), atento à especificidade inerente ao plano contabilístico sectorial aplicado pelas autarquias locais, elaborou, em 28 de Abril de 2011, um conjunto de instruções, a observar pelos municípios, designadamente, no âmbito do exercício de 2010. --- ---- De facto, torna-se evidente que a crescente utilização pelos municípios de formas organizacionais de diversa natureza (nomeadamente empresarial), que detêm ou controlam, para a prossecução das suas atribuições e competências, numa lógica de grupo municipal, tornam manifestamente insuficiente a simples prestação de contas individualizada por cada uma das entidades, circunstância que impede uma visão global da situação financeira do grupo municipal, o que dificulta, por um lado, a tomada de decisão dos gestores municipais e, por outro, não permite uma avaliação integrada do conjunto de actividades desenvolvidas por aquelas entidades. --- ---- Face ao disposto, a consolidação de contas surge como uma acção fundamental, tendo como primordial objectivo incrementar a qualidade da informação contabilística prestada pela administração local, os quais se podem traduzir em ganhos obtidos ao nível da gestão municipal, da apreciação e mensuração do peso económico e financeiro da autarquia local, o que permitirá a realização de comparações fiáveis quer em termos evolutivos quer com outras entidades.--- ---- Esta ferramenta de gestão tem como objectivo a elaboração das demonstrações económicas e financeiras de um conjunto de entidades ligadas entre si,

(15)

configurando-as como uma única, almejando uma imagem verdadeira e apropriada da situação financeira e dos resultados do grupo municipal. --- ---- Consequentemente, além das contas individuais que os municípios são obrigados a apresentar, acresce ainda a apresentação de contas consolidadas do grupo municipal em que a autarquia se enquadra. --- Em observância ao exposto deverão ser dispostas demonstrações financeiras consolidadas, as quais constituem um todo do grupo municipal e serão complemento às demonstrações financeiras de cada entidade, compreendendo obrigatoriamente os seguintes documentos: --- • Balanço Consolidado;--- • Demonstração de Resultados Consolidada, por natureza; --- • Anexo ao Balanço Consolidado e à Demonstração de Resultados Consolidado, incluindo, nomeadamente, os saldos e fluxos financeiros entre as entidades incluídas no perímetro de consolidação e o mapa de endividamento consolidado de médio e longo prazos. --- ---- Complementarmente, deverá ser elaborado um Relatório de Gestão Consolidado, descrevendo o estado e a evolução da actividade do conjunto das entidades compreendidas na consolidação, devendo seguir a estrutura prevista no ponto 13 do POCAL, dando especial relevo aos seguintes aspectos:--- • Evolução da gestão do conjunto das entidades compreendidas na consolidação; • Actividades do conjunto em matérias que estão directamente ligadas à

actividade autárquica;--- • Previsão da evolução futura do conjunto das entidades que compõem o perímetro de consolidação;--- • Factos relevantes ocorridos após o encerramento do exercício. --- ---- Desde modo, remete-se, em anexo, um documento designado por Manual de Consolidação de Contas, o qual constitui um guia prático de consolidação contendo as normas, os princípios e os procedimentos preconizados para o Grupo Municipal de Consolidação do Município de Ourém, a aprovar superiormente pelo Órgão Executivo. ---- Posteriormente, e caso este mereça aprovação, será elaborada a consolidação de contas do Grupo Público Municipal Consolidado do Município de Ourém, a qual será submetida à apreciação do Órgão Executivo e do Órgão Deliberativo desta autarquia, no decurso do próximo mês de Junho, a título excepcional, conforme recomendações da DGAL (Direcção Geral das Autarquias Locais). ---

(16)

---- Importa referir que o manual agora proposto deverá ser remetido às entidades incluídas no perímetro de consolidação e a outras entidades participadas para que estas possam cumprir o disposto. --- ---- À consideração superior,”.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, O MANUAL DE CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS APRESENTADO E INCUMBIR A DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA DE DAR ANDAMENTO AO PROCESSO. ---

ooxxxoo ooo

CONTAS CONSOLIDADAS DO GRUPO PÚBLICO MUNICIPAL -

MUNICÍPIO DE OURÉM - ANO ECONÓMICO DE 2010

--- ---- O Senhor Presidente apresentou as Contas consolidadas do Grupo Público Municipal, referentes ao ano económico de 2010. --- ---A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, APROVAR OS DOCUMENTOS APRESENTADOS E REMETÊ-LOS À ASSEMBLEIA MUNICIPAL PARA EFEITOS DO DISPOSTO NO N.º 2, DO ARTIGO 47.º, DA LEI N.º 2/2007, DE 15 DE JANEIRO (LEI DAS FINANÇAS LOCAIS). ---

ooxxxoo ooo

“P042 - PRESTAÇÃO DE SERVIÇO - HONORÁRIOS RELATIVOS AO

PROCESSO - IC9 - TRAÇADO REFERENTE AO CONCELHO DE

OURÉM - APOIO JUDICIAL”

--- ---- Foram apresentados o Convite e o Caderno de Encargos para a prestação de serviços de apoio jurídico no âmbito do IC9 (Itinerário Complementar nove) – Traçado referente a Concelho de Ourém, com custos estimados em 15.100,00€, acrescidos de IVA à taxa legal em vigor, instruídos com a informação n.º 152/2011, de 12 de Maio findo, da Contratação Pública e Aprovisionamento a propor a escolha do procedimento de ajuste directo.

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE: --- PRIMEIRO – EMITIR PARECER PRÉVIO VINCULATIVO À CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS EM CAUSA, PARA EFEITOS DO DISPOSTO NOS N.OS 2 A 4, DO ARTIGO 22.º, DA LEI N.º 55-A/2010, DE 31 DE DEZEMBRO; --- SEGUNDO – AUTORIZAR A DESPESA E ESCOLHER O PROCEDIMENTO DE AJUSTE DIRECTO, NOS TERMOS DA ALÍNEA A), DO ARTIGO 19.º, DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS (CCP);---

(17)

TERCEIRO – APROVAR O CONVITE E O CADERNO DE ENCARGOS APRESENTADOS; --- QUARTO – CONVIDAR A SOCIEDADE DE ADVOGADOS - ABALADA MATOS,

LORENA DE SÈVES, CUNHAL SENDIM, SEDEADA NA RUA NOVA DO ALMADA, N.º 95, 4.º C, EM LISBOA, A APRESENTAR PROPOSTA, NOS TERMOS DOS ARTIGOS 113.º E 114.º DO CCP; --- QUINTO – NOMEAR COMO GESTORES/SECRETÁRIOS DO PROCEDIMENTO (NA PLATAFORMA ELECTRÓNICA DE COMPRAS PÚBLICAS) O RESPONSÁVEL DA CONTRATAÇÃO PÚBLICA E APROVISIONAMENTO, BRUNO MARTINHO FREIRE RIBEIRO, A COORDENADORA TÉCNICA, MARIA NATÁLIA ALMEIDA SANTOS E O TÉCNICO SUPERIOR PAULO SÉRGIO DIAS DE OLIVEIRA, SENDO-LHES AINDA DELEGADAS COMPETÊNCIAS PARA EFECTUAR TODO O EXPEDIENTE QUE A PLATAFORMA ELECTRÓNICA DE COMPRAS PÚBLICAS POSSIBILITA REALIZAR.--- ---

ooxxxoo ooo

ESCOLA BÁSICA 2.º E 3.º CICLOS D. AFONSO, IV CONDE DE

OURÉM

--- --- = RECUPERAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO E DO TELHEIRO CENTRAL= ---- Foi apresentado o projecto de execução da empreitada indicada em epígrafe, com custos estimados em 157.522,56€ (IVA incluído).---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, APROVAR O PROJECTO E LANÇAR A OBRA POR AJUSTE DIRECTO, NOS TERMOS DA ALÍNEA A) DO ARTIGO 19.º DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS. ---

ooxxxoo ooo

MERCADO MUNICIPAL DE OURÉM

--- = CONCURSO PÚBLICO PARA ARRENDAMENTO DE DUAS LOJA DO PISO -1 = -

---- Foi apreciada a acta, datada de 16 de Maio findo, do Júri nomeado para o concurso mencionado em subtítulo, que a seguir se transcreve: “Aos dezasseis dias do mês de Maio do ano de 2011, pelas catorze horas e trinta minutos, na sala de reuniões do piso 0 do Edifício dos Paços do Concelho, reuniu o Júri designado para o concurso indicado, nomeado na reunião camarária de 05 de Abril de 2011, constituído pelo Director do Departamento Administrativo e do Planeamento, Dr. Vítor Manuel de Sousa Dias, que presidiu, o Técnico Superior Dr. Bruno Martinho Freire Ribeiro e a

(18)

Coordenadora Técnica Adélia Vieira da Graça Antunes Carriço, a fim de procederem à abertura das propostas ao concurso mencionado. --- ---- O Júri procedeu à abertura da única proposta apresentada a concurso, pela empresa

SERMASIL, de Sérgio Manuel dos Reis Henriques da Silva, com sede na Rua Dr.

Joaquim Francisco Alves, n.º 100 – r/c, na Cidade de Ourém, tendo verificado que numa única proposta apresenta candidatura às duas lojas colocadas a concurso: as lojas com as letras L-J e G-F, sendo a proposta para a loja com as letras L-J apresentada em primeiro lugar. --- ---- O valor da renda mensal, apresentado pela referida firma é de 100,00€, ao qual acresce o IVA à taxa legal em vigor; --- ---- Junto com a proposta foi apresentada documentação solicitada, com excepção do documento comprovativo de que tem a situação contributiva regularizada perante a Segurança Social, juntou o recibo da entrega do pedido de documentos e uma declaração, a comprometer-se a entregar a certidão logo que a tenha na sua posse. --- ---- Nestes termos, o júri propõe a adjudicação da loja com as letras L-J, sita no piso -1 do Mercado Municipal de Ourém, à empresa SERMASIL, de Sérgio Manuel dos

Reis Henriques da Silva, com sede na Rua Dr. Joaquim Francisco Alves, n.º 100 –

r/c, na Cidade de Ourém. --- ---- Nada mais havendo a tratar, aprova-se a presente acta, a qual vai ser assinada por todos os membros do Júri.”---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, ADJUDICAR A LOJA DESIGNADA PELAS LETRAS “LJ”, SITA NO PISO -1 DO MERCADO MUNICIPAL DE OURÉM, À EMPRESA “SERMASIL, DE SÉRGIO MANUEL DOS REIS HENRIQUES DA SILVA, SEDEADA NA RUA DR. JOAQUIM FRANCISCO ALVES, N.º 100, RÉS-DO-CHÃO, NESTA CIDADE, PELO VALOR DE 100,00 EUROS MENSAIS. --- ---

ooxxxoo ooo

PEDIDOS DE ISENÇÃO DE TAXAS

--- = 1. FESTA POPULAR = --- Foi apresentado uma carta registada sob o n.º 10.729/2011, da Associação

Cultural e Recreativa de Alburitel, sedeada na Rua dos Moinhos, em Alburitel,

deste Concelho, a informar de que vai realizar nos dias 09, 18 e 19 de Junho em curso, a sua “Festa Popular” e a solicitar a isenção do pagamento das taxas correspondentes à licença de realização de arraial ao ar livre e à licença especial de ruído. ---

(19)

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, SUBMETER O PEDIDO DE ISENÇÃO DE TAXAS À APRECIAÇÃO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL AO ABRIGO DO DISPOSTO NOS NÚMEROS 2 E 3, DO ARTIGO 12.º, DA LEI N.º 2/2007, DE 15 DE JANEIRO. ---

= 2. LICENCIAMENTO DE PUBLICIDADE = --- ---- Foi apresentada uma carta registada sob o n.º 8953/2011, da Fundação Batalha de

Aljubarrota, sedeada na Rua D. Nuno Álvares Pereira, n.º 45, 2.º direito, em Calvaria

de Cima - Porto de Mós, a solicitar autorização para distribuir em Fátima, pelo período de 5 meses, com início a 13 de Maio de 2011, “flyers” divulgativos do Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota. Mais solicita a concessão da isenção do pagamento das respectivas taxas. ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, AUTORIZAR E SUBMETER O PEDIDO DE ISENÇÃO DE TAXAS À APRECIAÇÃO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL AO ABRIGO DO DISPOSTO NOS NÚMEROS 2 E 3, DO ARTIGO 12.º, DA LEI N.º 2/2007, DE 15 DE JANEIRO.--- --- MAIS DELIBEROU, TAMBÉM POR UNANIMIDADE, INFORMAR DE QUE A DISTRIBUIÇÃO DEVERÁ SER EFECTUADA SOMENTE AOS SÁBADOS E AOS DOMINGOS.---

ooxxxoo ooo

= MERCADO MUNICIPAL DE OURÉM

--- = OCUPAÇÃO DO LUGAR DE TERRADO N.º 53 = --- ---- Foi apresentado o requerimento registado sob o n.º 9630/2011, de Elisabete

Piedade Brunho, residente na Rua dos Combatentes, em Praia do Ribatejo - Vila

Nova da Barquinha, vendedora ambulante, detentora do lugar de terrado n.º 53, no Mercado Municipal de Ourém, a solicitar autorização para proceder ao pagamento da importância de 823,68€, correspondente aos 2.º, 3.º e 4.º trimestres de 2009, a 2010 e ao 1.º trimestre de 2011, em 12 prestações mensais.--- ---- Solicita ainda a anulação do direito de ocupação do referido espaço. ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE: --- PRIMEIRO – AUTORIZAR O PAGAMENTO DA IMPORTÂNCIA DE 823,68€, EM 12 PRESTAÇÕES MENSAIS, NOS TERMOS DO DISPOSTO NA ALÍNEA A), DO N.º 4, DO ARTIGO 13.º DO REGULAMENTO E TABELA GERAL DE TAXAS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS DE OURÉM; ---

(20)

SEGUNDO – CONSIDERAR VAGO O LUGAR DE TERRADO N.º 53, NO MERCADO MUNICIPAL; --- --- TERCEIRO – INFORMAR ELISABETE PIEDADE BRUNHO DO TEOR DA PRESENTE DELIBERAÇÃO.---

ooxxxoo ooo

DIREITOS DE PREFERÊNCIA NA TRANSMISSÃO DE IMÓVEIS

--- ---- 1. Na reunião de 03 de Maio findo, na presença do requerimento registado sob o n.º 7717/2011, da Conservatória do Registo Predial e Comercial de Ourém, com sede nesta cidade, a participar, para efeitos do disposto no Decreto-Lei n.º 794/76, de 05 de Novembro, no Decreto n.º 862/76, de 22 de Dezembro e no Decreto n.º 17/2003, de 22 de Abril, que, no âmbito do procedimento “Casa Pronta” se pretende vender o imóvel a seguir identificado, pelo valor de 145.000,00€, a Câmara deliberou recolher informação sobre o prédio, para posterior análise: --- • Prédio urbano composto por casa de habitação com cave, rés-do-chão, 1.º andar e logradouro, com a área total de 800 m2, sito na Rua Santa Teresa de Ourém, da Freguesia de Nossa Senhora da Piedade, deste Concelho, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 2133 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 2239. --- ---- Nesta reunião foi apresentado, de novo, todo o processo instruído com a informação n.º 18/2011, de 06 desse mesmos mês, do Responsável do Património e

Inventário. ---- --- --- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, APRECIAR EM REUNIÃO POSTERIOR. ---

---- 2. Na reunião de 05 de Abril último, na presença do requerimento registado sob o n.º 6469/2011, da Conservatória do Registo Predial e Comercial de Ourém, com sede nesta cidade, a participar, para efeitos do disposto no Decreto-Lei n.º 794/76, de 05 de Novembro, no Decreto n.º 862/76, de 22 de Dezembro e no Decreto n.º 17/2003, de 22 de Abril, que, no âmbito do procedimento “Casa Pronta” se pretende vender o imóvel a seguir identificado, pelo valor de 5.000,00€, Câmara deliberou incumbir o Serviço de Património e Inventário de apreciar melhor a transacção em causa: --- • Prédio rústico composto por terra de semeadura, com oliveiras e mato, atravessado por estrada, sito em Montelo, da Freguesia de Fátima, deste Concelho, a confrontar a norte e a sul com Herdeiros de Laura das Neves, a nascente com caminho público e a poente com Herdeiros de Agostinho Mendes,

(21)

inscrito na respectiva matriz sob o artigo 14997 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 840. --- ---- Nesta reunião foi apresentado, de novo, todo o processo, instruído com a informação n.º 15/2011, de 18 também de Abril último, do Responsável do

Património e Inventário. --- --- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, MANIFESTAR A INTENÇÃO DE EXERCER O DIREITO DE PREFERÊNCIA, PELO VALOR INDICADO.

---- 3. Foi apresentado o requerimento registado sob o n.º 9295/2011, da

Conservatória do Registo Predial e Comercial de Ourém, com sede nesta cidade, a

participar, para efeitos do disposto no Decreto-Lei n.º 794/76, de 05 de Novembro, no Decreto n.º 862/76, de 22 de Dezembro e no Decreto n.º 17/2003, de 22 de Abril, que, no âmbito do procedimento “Casa Pronta” se pretende vender o imóvel a seguir identificado, pelo valor de 500,00€:--- • Prédio rústico composto por terra de semeadura com 5 oliveiras e mato, sito em Mosqueiro, da Freguesia de Cercal, do Concelho de Ourém, inscrito na matriz predial rústica da Freguesia de Gondemaria sob o artigo 1577 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 1012/Gondemaria. --- ---- O processo encontra-se instruído com as informações que se passam a especificar:

 Sem data, do Responsável do Património e Inventário, a dar conta de que, nos termos do Decreto-Lei n.º 287/2003, de 12 de Novembro, a Câmara poderá exercer o direito de preferência, quando haja indicação inexacta do preço ou simulação do mesmo; ---

 Datada de 09 de Maio findo, do Director do Departamento Administrativo e

do Planeamento. --- --- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, INFORMAR DE QUE PRETENDE EXERCER O DIREITO DE PREFERÊNCIA, PELO VALOR DE 500,00 EUROS.--- ---

---- 4. Foi apresentado o requerimento registado sob o n.º 11.204/2011, de Manuel

Alves Lopes, na qualidade de sócio-gerente, da firma S.M.A.B - Sociedade de Móveis Alves e Batista, Limitada, com sede na Estrada Principal, na localidade de

Marta, da Freguesia de Rio de Couros, deste Concelho, a participar, para efeitos do disposto no Decreto-Lei n.º 794/76, de 05 de Novembro, no Decreto n.º 862/76, de 22 de Dezembro e no Decreto n.º 17/2003, de 22 de Abril, que pretende vender o imóvel a seguir identificado, pelo valor também indicado: ---

(22)

• Pavilhão industrial com logradouro, implantado no lote 57 da Zona Industrial de Ourém, sita em Casal dos Frades, da Freguesia de Seiça, deste Concelho, descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 2341 e inscrito na matriz urbana daquela freguesia sob o artigo 2150 – 100.000,00€.--- ---- O processo encontra-se instruído com uma informação, datada de 03 do corrente mês, do Responsável do Património e Inventário. ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, INFORMAR DE QUE NÃO PRETENDE EXERCER O DIREITO DE PREFERÊNCIA, PELO VALOR DE 100.000,00 EUROS. ---

ooxxxoo ooo

REQUALIFICAÇÃO DA FAZARGA - FÁTIMA

--- = DECLARAÇÃO DE INTERESSE PÚBLICO MUNICIPAL =--- ---- Foi apresentado o ofício n.º 230, de 05 de Maio findo, da Senhora Presidente da

Assembleia Municipal, a informar esta Autarquia de que aquele órgão deliberativo,

em sua sessão ordinária realizada a 27 de Abril último, emitiu parecer favorável ao pedido de declaração de interesse público municipal do projecto de requalificação da Fazarga – Fátima (denominado “Preservação da Zona Natural do Cabeço da

Fazarga”), efectuado pela Junta de Freguesia de Fátima. --- --- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, EMITIR A DECLARAÇÃO DE INTERESSE PÚBLICO MUNICIPAL SOLICITADA. ---

ooxxxoo ooo

SRUFÁTIMA - SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA DE

FÁTIMA, EEM

--- = ALTERAÇÃO DE ESTATUTOS =--- ---A CÂMARA TOMOU CONHECIMENTO DO OFÍCIO N.º 238, DE 10 DE MAIO FINDO, DA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL, A INFORMAR DE QUE AQUELE ÓRGÃO DELIBERATIVO, EM SUA SESSÃO REALIZADA A 27 DE ABRIL ÚLTIMO, REJEITOU, COM VINTE E DOIS VOTOS CONTRA, UMA ABSTENÇÃO E DEZASSEIS VOTOS A FAVOR, A PROPOSTA CAMARÁRIA DE 12 TAMBÉM DE ABRIL TRANSACTO, DE ALTERAÇÃO DOS ESTATUTOS DA SRUFÁTIMA – SOCIEDADE DE REABILITAÇÃO URBANA DE FÁTIMA, EEM. ---

---- Aquando da discussão da presente deliberação, o Vereador Nazareno do Carmo ausentou-se da sala, por ser Presidente do Conselho de Administração da entidade empresarial municipal em apreço. ---

(23)

ooxxxoo ooo

AMPLIAÇÃO DO NÚMERO DE COMPARTES (LEI N.º 91/95, DE 02 DE

SETEMBRO)

--- ---- Foi apresentado o requerimento registado sob o n.º 11.201/2011, de José Carlos

Marques de Abreu e Nathalie Pierrette Marth Lignie Abreu, residentes em França,

a solicitarem parecer favorável, nos termos do artigo 54.º, da Lei n.º 91/95, de 02 de Setembro, com a redacção dada pelo artigo 1.º da Lei n.º 64/03, de 23 de Agosto, para celebração de escritura de venda do seguinte prédio, por daí vir a resultar a constituição de compropriedade: ---  Prédio rústico composto por terra de pousio, com a área de 1.500 m2, situado em Arneiros - Arieiro, da Freguesia de Espite, do Concelho de Ourém, a confrontar a norte com estrada, a sul com Adelina dos Anjos, a nascente com Clementina dos Anjos Marques e a poente com Adelina dos Anjos Marques, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 11484, da Freguesia de Espite e descrito na Conservatória do Registo Predial de Ourém sob o n.º 2045, da mesma freguesia.

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, EMITIR PARECER FAVORÁVEL. - ---

ooxxxoo ooo

MAPA DE TURNOS DAS FARMÁCIAS DO CONCELHO PARA O 2.º

SEMESTRE DE 2011

--- ---- Foi apresentado o ofício-circular de referência 10054/DEP FARM/2011, datado de 17 de Maio findo, da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo,

I.P., com sede na Av. Estados Unidos da América, n.º 77, em Lisboa, a remeter para

conhecimento, os mapas de turnos das farmácias do Concelho de Ourém, que foram aprovados pela Administração Regional de Saúde (ARS) para o 2.º semestre de 2011, em cumprimento do disposto no n.º 4, do artigo 11.º, do Decreto-Lei n.º 53/2007, de 08 de Março.--- ---

--- A CÂMARA FICOU INTEIRADA. ---

ooxxxoo ooo

RELATÓRIO DE GESTÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DO

MUNICÍPIO REFERENTES AO ANO ECONÓMICO DE 2010

--- ---- Na reunião de 12 de Abril último, na presença do Relatório de Gestão e da Prestação de Contas do Município, referentes ao exercício de 01 de Janeiro a 31 de

(24)

Dezembro de 2010, então apresentados pelo Senhor Presidente, a Câmara deliberou aprovar os documentos em apreço e remetê-los à Assembleia Municipal, para efeitos do disposto na alínea c), do n.º 2, do artigo 53.º, da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, na redacção dada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro. --- ---- Nesta reunião foi apresentado, de novo, todo o processo, instruído com o ofício n.º 237, de 10 de Maio findo, da Presidente da Assembleia Municipal, a remeter cópia de parte da acta da sessão daquele órgão deliberativo, realizada a 27 de Abril último, que aprovou por maioria, com oito votos contra e doze abstenções, os referidos documentos. --- ---

--- A CÂMARA FICOU INTEIRADA. ---

ooxxxoo ooo

COMEMORAÇÕES DOS 800 ANOS DA FREGUESIA DE ESPITE

--- = PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO = --- ---- Através da informação n.º 42/2011, datada de 01 de Junho em curso, o Chefe da

Divisão de Gestão Financeira, colocou à consideração superior o texto de protocolo

de colaboração a celebrar com a Junta de Freguesia de Espite, com o objectivo de apoiar financeiramente, até ao montante de 10.000,00€, os encargos decorrentes da execução de duas obras de arte comemorativas da História de Espite, designadamente um monumento ao Povo de Espite e um monumento ao Emigrante, de acordo com o seguinte plano de pagamentos:---

 5.000,00€ - No decurso do mês de Agosto; ---

 5.000,00€ - No decurso do mês de Outubro.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, APROVAR OS TERMOS DO PROTOCOLO PROPOSTO, QUE AQUI SE DÁ COMO REPRODUZIDO.---

ooxxxoo ooo

AMPLIAÇÃO DA CASA MORTUÁRIA DE CAXARIAS

--- = PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO A CELEBRAR COM A JUNTA DE FREGUESIA DE CAXARIAS =--- ---- O Chefe da Divisão de Gestão Financeira, através da sua informação n.º 43/2011, de 01 do corrente mês, colocou à consideração superior proposta de texto de protocolo de colaboração a celebrar com a Junta de Freguesia de Caxarias, com o objectivo de financiar, até ao montante de 114.583,90€, os encargos decorrentes da execução dos trabalhos de “Ampliação da Casa Mortuária de Caxarias”, cujo plano de pagamentos decorrerá de Dezembro de 2011 a Junho de 2013. ---

(25)

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, APROVAR OS TERMOS DO PROTOCOLO PROPOSTO, QUE AQUI SE DÁ COMO REPRODUZIDO.---

ooxxxoo ooo

PRÁTICA DE ACTOS DA COMPETÊNCIA DA CÂMARA POR PARTE

DE JUNTAS DE FREGUESIA

--- = 1. REPARTIÇÃO DE ENCARGOS = --- ---- Na reunião de 12 de Abril último, a Câmara deliberou solicitar à Assembleia Municipal autorização, nos termos da alínea b), do n.º 22, do Decreto-Lei n.º 197/99, de 08 de Junho, para repartir pelos anos económicos de 2011 a 2013, os encargos decorrentes da execução dos trabalhos de “Beneficiação de caminhos - Pavimentação

da Estrada Real - Freixianda” (156.595,81€) e de “Beneficiação de caminhos na Freguesia de Freixianda (Diversos)” (154.796,02€). ---

---- Nesta reunião foi apresentado, de novo, todo o processo, instruído com os projectos das obras em apreço e com o ofício n.º 231, de 05 de Maio findo, da

Presidente da Assembleia Municipal, a informar de que aquele órgão deliberativo,

em sua sessão ordinária realizada a 27 também de Abril último, deliberou, por maioria, com uma abstenção, aprovar a autorização solicitada; ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, DELEGAR NA JUNTA DE FREGUESIA DE FREIXIANDA A OBRAS DE “BENEFICIAÇÃO DE CAMINHOS - PAVIMENTAÇÃO DA ESTRADA REAL - FREIXIANDA” E

“BENEFICIAÇÃO DE CAMINHOS NA FREGUESIA DE FREIXIANDA

(DIVERSOS)”, TRANSFERIR PARA O EFEITO, PARA AQUELA AUTARQUIA AS VERBAS DE 156.595,81 € E DE 154.796,02€, RESPECTIVAMENTE (ACRESCIDOS

DE IVA À TAXA LEGAL EM VIGOR) PREVISTA EM ORÇAMENTO E NAS GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA O ANO ECONÓMICO DE 2011, MEDIANTE A CELEBRAÇÃO DE PROTOCOLO, NA SEQUÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO CONCEDIDA PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL EM SESSÃO DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010; ---

= 2. PROPOSTA DE PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO A CELEBRAR COM A JUNTA DE FREGUESIA DE CAXARIAS =--- ---- O Chefe da Divisão de Gestão Financeira, através da sua informação n.º 44/2011, de 01 do corrente mês, colocou à consideração superior a proposta de texto de protocolo a celebrar com a Junta de Freguesia de Caxarias, com o objectivo de delegar naquela junta de freguesia, na sequência de autorização concedida pela Assembleia Municipal em sessão de 22 de Dezembro de 2010, a execução dos

(26)

trabalhos de “Beneficiação de diversas estradas em Chã - Caxarias”, transferindo para o efeito para aquela Autarquia, o apoio financeiro até ao montante de 74.200,00€, cujo plano de pagamentos decorrerá de Dezembro de 2011 a Junho de 2013.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE: --- PRIMEIRO - DELEGAR NA JUNTA DE FREGUESIA DE CAXARIAS A EXECUÇÃO DA OBRA DE “BENEFICIAÇÃO DE DIVERSAS ESTRADAS EM CHÃ - CAXARIAS” E TRANSFERIR PARA O EFEITO, PARA AQUELA AUTARQUIA A VERBA DE 74.200,00€ (ACRESCIDOS DE IVA À TAXA LEGAL EM VIGOR) PREVISTA EM ORÇAMENTO E NAS GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA O ANO ECONÓMICO DE 2011, MEDIANTE A CELEBRAÇÃO DE PROTOCOLO, NA SEQUÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO CONCEDIDA PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL EM SESSÃO DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010;--- SEGUNDO - APROVAR OS TERMOS DO PROTOCOLO PROPOSTO, QUE AQUI SE DÁ COMO REPRODUZIDO; --- TERCEIRO - DETERMINAR QUE A ACEITAÇÃO DE EXECUÇÃO DA REFERIDA OBRA, FICA SUJEITA À APRESENTAÇÃO DAS ACTAS DA JUNTA E ASSEMBLEIA DE FREGUESIA RESPECTIVA. ---

= 3. PROPOSTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM A JUNTA DE FREGUESIA DE NOSSA SENHORA DAS MISERICÓRDIAS = --- ---- Foi apresentada a informação n.º 45/2011, de 01 de Junho corrente, do Chefe da

Divisão de Gestão Financeira, a colocar à consideração superior o texto de protocolo

a celebrar com a Junta de Freguesia de Nossa Senhora das Misericórdias, com o objectivo de delegar naquela junta de freguesia, na sequência de autorização concedida pela Assembleia Municipal em sessão de 22 de Dezembro de 2010, a execução dos trabalhos de “Beneficiação de Cruzamento em Caneiro” e de “Arranjo urbanístico

em Santo Amaro”, transferindo para o efeito para aquela Autarquia, os apoios

financeiros até aos montantes de 19.949,15€ e de 95.511,38€, respectivamente, cujo plano de pagamentos decorrerá de Dezembro de 2011 a Junho de 2013.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE: --- PRIMEIRO - APROVAR OS PROJECTOS APRESENTADOS E REMETER CÓPIA DOS MESMOS À JUNTA DE FREGUESIA DE NOSSA SENHORA DAS MISERICÓRDIAS;--- SEGUNDO - DELEGAR NA JUNTA DE FREGUESIA DE NOSSA SENHORA DAS MISERICÓRDIAS A EXECUÇÃO DAS OBRAS DE “BENEFICIAÇÃO DE CRUZAMENTO EM CANEIRO” E “ARRANJO URBANÍSTICO EM SANTO AMARO” E

(27)

19.949,15€ E DE 95.511,38€, RESPECTIVAMENTE (ACRESCIDOS DE IVA À TAXA

LEGAL EM VIGOR) PREVISTA EM ORÇAMENTO E NAS GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA O ANO ECONÓMICO DE 2011, MEDIANTE A CELEBRAÇÃO DE PROTOCOLO, NA SEQUÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO CONCEDIDA PELA ASSEMBLEIA MUNICIPAL EM SESSÃO DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010; --- TERCEIRO - APROVAR OS TERMOS DO PROTOCOLO PROPOSTO, QUE AQUI SE DÁ COMO REPRODUZIDO; --- QUARTO - DETERMINAR QUE A ACEITAÇÃO DE EXECUÇÃO DA REFERIDA OBRA, FICA SUJEITA À APRESENTAÇÃO DAS ACTAS DA JUNTA E ASSEMBLEIA DE FREGUESIA RESPECTIVA. ---

ooxxxoo ooo

RELATÓRIOS DE GESTÃO E CONTAS DE 2010

--- ---- Foi apresentada a informação n.º 08/2011, de 01 de Junho corrente, do Senhor

Vice-Presidente, que a seguir se transcreve: “No âmbito da deliberação de Câmara de

17 de Novembro de 2009, em que fui designado representante do município em algumas entidades, participei durante o ano passado numa série de reuniões onde representei o município e defendi os seus interesses.--- ---- Apresento, em anexo e para conhecimento, CD com os relatórios e contas referentes a 2010. --- ---- Saliento que algumas dessas entidades não reúnem há algum tempo, não sendo por isso possível apresentar os respectivos documentos. --- ---- À Consideração de Vª Exª.” ---

--- A CÂMARA TOMOU CONHECIMENTO E DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, REMETER À ASSEMBLEIA MUNICIPAL, OS RELATÓRIOS DE GESTÃO DE CONTAS DE 2010, DAS ENTIDADES POR SI REPRESENTADAS BEM COMO DAS RESTANTES EM QUE O MUNICÍPIO TEM REPRESENTAÇÃO, PARA EFEITOS DO DISPOSTO NA ALÍNEA C), DO N.º 1, DO ARTIGO 53.º, DA LEI N.º 169/99, DE 18 DE SETEMBRO, ALTERADA PELA LEI N.º 5-A/2002, DE 11 DE JANEIRO. --- --- ---- Aquando da discussão e votação da presente deliberação, o Vereador José Manuel Alho ausentou-se da sala, por pertencer aos órgãos sociais das entidades referidas ---

ooxxxoo ooo

PROPOSTA DE ESTRUTURA ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE

OURÉM --- ---

(28)

---- Foi apresentado o ofício n.º 240, de 10 de Maio findo, da Presidente da

Assembleia Municipal, a remeter cópia de parte da acta da sessão daquele órgão

deliberativo, realizada a 27 de Abril último, que aprovou por maioria, com nove abstenções a estrutura orgânica do Município. ---

--- A CÂMARA TOMOU CONHECIMENTO E DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, REMETER À SUBUNIDADE ORGÂNICA RECURSOS HUMANOS E FORMAÇÃO, PARA PUBLICITAR NOS TERMOS DO N.º 6, DO ARTIGO 10.º, DO DECRETO-LEI N.º 305/2009, DE 23 DE OUTUBRO, EM DIÁRIO DA REPÚBLICA. ---

ooxxxoo ooo

PROCESSO JUDICIAL N.º 809/110.0TBVNO

--- = ANTÓNIO GONÇALVES DAS NEVES =--- ---- Relativamente ao processo judicial supra identificado, foram apresentadas as informações que se passam a especificar: ---

 Número 71/2011, de 25 de Maio findo, da Chefe da Divisão de Apoio

Jurídico;---

 Datada de 26 desse mesmo mês, do Director do Departamento

Administrativo e do Planeamento, a dar conta de que, o Sr. Presidente deverá

emitir parecer prévio favorável à contratação de advogado a designar, nos termos do artigo 22.º da Lei 55-A/2010 e submeter o despacho a reunião para efeitos do disposto no n.º 3, do artigo 68.º da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei n.º 5-A/2002, de 11 de Janeiro. --- ---- O Senhor Presidente exarou no processo, datado também de 26 de Maio transacto, o seguinte despacho: “Dada a urgência no cumprimento de prazos e nos termos da lei, nomeio o Dr. Sérgio Frias como advogado do Município neste processo. ---- À reunião para ratificar”.---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, RATIFICAR O DESPACHO DO SENHOR PRESIDENTE SUPRA TRANSCRITO, NOS TERMOS DO N.º 3, DO ARTIGO 68.º DA LEI N.º 169/99, DE 18 DE SETEMBRO, ALTERADA PELA LEI N.º 5-A/2002, DE 11 DE JANEIRO, CONSIDERANDO A URGÊNCIA DA CONTRATAÇÃO. ---

ooxxxoo ooo

SISTEMA DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DO CONCELHO

DE OURÉM

-

(29)

---= PEDIDO DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TARIFA DE LIGAÇÃO AO SISTEMA = --- --- ---- Foi apresentado o processo registado sob o n.º 13.089/2005, de Manuel dos

Santos Lopes, residente na Rua E, Lote 27, no Bairro Nossa Senhora da Conceição,

em Lomba d’Égua, da Freguesia de Fátima, deste Concelho, instruído com a informação n.º 40/2011, de 20 de Janeiro último, da Divisão de Ambiente, a dar conta de que Maria da Purificação Sousa Reis Lopes, (esposa do requerente) solicitou, mais uma vez, a isenção do pagamento da taxa no valor de 406,00€, correspondente à ligação da sua habitação ao sistema de drenagem de águas residuais, em virtude de ter autorizado a passagem do colector da rede de saneamento público, pela sua propriedade. --- --- ---- Ouvida sobre o assunto, a Chefe da Divisão de Ambiente, exarou no processo uma informação, datada de 03 de Abril transacto, a referir que, pelos motivos expostos, deve isentar-se a requerente do pagamento da taxa em apreço. ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, SUBMETER O PEDIDO DE ISENÇÃO À APRECIAÇÃO DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL AO ABRIGO DO DISPOSTO NOS NÚMEROS 2 E 3, DO ARTIGO 12.º, DA LEI N.º 2/2007, DE 15 DE JANEIRO.---

ooxxxoo ooo

RAMAIS E SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA -

AMPLIAÇÃO DA REDE PÚBLICA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

-- = 1. RUA DA CAIXA DE CRÉDITO AGRÍCOLA MUTUO - URQUEIRA - OURÉM = --- --- ---- Foi apresentada a informação n.º 383/2011, datada de 11 de Maio findo, da

Divisão de Ambiente, a anexar o projecto de execução da empreitada indicada em

epígrafe e o respectivo plano de prevenção e gestão de resíduos de construção e demolição, com custos estimados em 2.803,40€ e bem assim o parecer da Compagnie Générale des Eaux (Portugal), S.A., a dar conta de que o projecto se encontra em condições de ser aprovado. ---

--- A CÂMARA DELIBEROU, POR UNANIMIDADE, APROVAR O PROJECTO DE EXECUÇÃO APRESENTADO A INCLUIR NO PLANO DE INVESTIMENTOS DA COMPAGNIE GÉNÉRALE DES EAUX (PORTUGAL), S.A.. ---

= 2. RUA DO POCINHO – MATAS – NOSSA SENHORA DAS MISERICÓRDIAS – OURÉM = --- ---

Imagem

Referências

temas relacionados :