Ângulo aberto

Top PDF Ângulo aberto:

Estresse em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto.

Estresse em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto.

RESUMO - Glaucoma Primário de Ângulo Aberto (GPAA) é uma importante causa de cegueira no mundo. O presente trabalho teve como objetivo investigar: (1) presença e tipo de estresse; (2) relação do número de colírios e estresse; (3) percepção do glaucoma e tratamento. Um estudo transversal e quantitativo foi realizado com 102 pacientes do Ambulatório de Oftalmologia do HC-FMUSP, com roteiro temático e Inventário de Sintomas de Estresse de Lipp. A maioria dos pacientes apresentou estresse (65,7%) e não houve correlação entre estresse e número de colírios. “Tempo de tratamento”, “diiculdades na vida diária” e “diiculdades em pingar o colírio” foram variáveis independentemente associadas ao estresse. Conclui-se que o estresse pode interferir negativamente no enfrentamento da doença em pacientes com GPAA.
Mostrar mais

8 Ler mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM GENÉTICA ASSOCIAÇÃO DO POLIMORFISMO G894T DO GENE eNOS COM GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM GENÉTICA ASSOCIAÇÃO DO POLIMORFISMO G894T DO GENE eNOS COM GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO

Entretanto Magalhães e colaboradores (2012) realizou um estudo de caso-controle no Brasil com 90 pacientes portadores de GPAA e 127 controles saudáveis cujas amostras de sangue foram genotipadas para os polimorfismos funcionais T786C e G894T do gene eNOS. O polimorfismo T786C foi significativamente associado como fator de risco para o GPAA entre mulheres e de forma limítrofe nos pacientes que tiveram o diagnostico de glaucoma com idade igual ou superior a 52 anos.O polimorfismo G894T mostrou uma associação limítrofe com risco de GPAA na análise global e entre mulheres. Assim estes autores sugerem que o polimorfismo T786C e G894T da eNOS podem interagir com gênero e idade na modulação do risco de GPAA (MAGALHAES DA SILVA et al., 2012). Diferente do nosso estudo pois nâo identificamos associação genotípica ou alélica estatisticamente significativa entre o polimorfismo G894T da eNOS com glaucoma primário de ângulo aberto mesmo após estratificação por gênero. De forma semelhante nâo identificamos associação estatisticamente significativa após estratificação por etnia. Assim, acreditamos que no Brasil também não exista associação entre o polimorfismo G894T da eNOS com glaucoma primário de ângulo aberto como demonstrado em trabalhos internacionais (EMAM et al., 2014)(KANG et al., 2011).
Mostrar mais

59 Ler mais

Relação entre a espessura corneana e a gravidade de defeito de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto.

Relação entre a espessura corneana e a gravidade de defeito de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto.

Os pacientes incluídos no estudo tinham idade maior que 35 anos, eram portadores de glaucoma primário de ângulo aberto e apresentavam pressão intra-ocular menor que 19 mmHg nas últimas três medidas realizadas no ambulatório, durante o intervalo de 18 meses com medições da pressão intra-ocular a cada 6 meses. Todos apresentavam alterações características de glaucoma ao exame do nervo óptico e do campo visual (10-11) . Nenhum dos pacientes poderia ter história

5 Ler mais

XEN 45 Gel Stent: Cirurgia Minimamente Invasiva no Tratamento do Glaucoma de Ângulo Aberto.

XEN 45 Gel Stent: Cirurgia Minimamente Invasiva no Tratamento do Glaucoma de Ângulo Aberto.

Foi realizado um estudo prospetivo, não randomizado em doentes com glaucoma de ângulo aberto (GAA) resistente a TH, submetidos a implante de XEN45 Gel Stent. Todas as cirurgias foram realizadas pela mesma cirurgiã do departamento de Glaucoma do Centro Hospitalar de Lisboa Central. Foram excluídos doentes que apresentassem pelo menos uma das contraindicações mencionados anteriormente e aqueles a quem se perdeu o seguimento. Todos os doentes assinaram consentimento informado para o ato cirúrgico, previamente à intervenção.

7 Ler mais

Correlação e correspondência topográfica entre espessura da camada de fibras nervosas da retina e campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto.

Correlação e correspondência topográfica entre espessura da camada de fibras nervosas da retina e campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto.

SYM +0,07 NS -0,04 NS +0,12 NS -0,16 NS SR +0,18 NS +0,07 NS -0,08 NS -0,04 NS IR +0,24 NS +0,04 NS -0,20 NS +0,03 NS SN +0,23 NS -0,15 NS +0,12 NS -0,24 NS MM +0,27 NS -0,15 NS -0,03 NS -0,24 NS EM -0,08 NS -0,01 NS +0,06 NS -0,07 NS NU -0,25 NS +0,06 NS +0,18 NS +0,12 NS AT -0,24 NS +0,28 NS +0,25 NS +0,17 NS EA -0,21 NS +0,23 NS +0,17 NS +0,14 NS SA -0,12 NS +0,17 NS -0,20 NS +0,04 NS IA +0,01 NS +0,19 NS +0,04 NS +0,13 NS SI -0,19 NS +0,33 NS +0,43 * +0,16 NS SYM: “symmetry”; SR: “superior ratio”; IR: “inferior ratio”; SN: “superior/nasal”; M: “modulation”; EM: “ellipse modulation”; N: “number”; AT: “average thickness”; EA: “ellipse average”; SA: “superior average”; IA: “inferior average”; SI: “superior integral”; *: significância estatística; NS: estatisticamente não significante; GPAA: glaucoma primário de ângulo aberto; MD:” mean deviation”; PSD: “pattern standard deviation”; SF: “short-term fluctuation”; CPSD: “corrected pattern standard deviation
Mostrar mais

7 Ler mais

Análise discriminante dos pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto através do exame de Doppler colorido e do campo visual.

Análise discriminante dos pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto através do exame de Doppler colorido e do campo visual.

Métodos: Foram avaliados prospectivamente 36 pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto em uso de medicação antiglaucomatosa (grupo glaucoma) e 20 voluntários normais (grupo controle). Analisou-se a distri- buição dos grupos quanto ao sexo, idade, espessura corneana central, pressão intraocular, índices globais da perimetria computadorizada Octopus (“mean defect” e “loss variance”) e os parâmetros do Doppler colorido (velocidade sistólica máxi- ma e índice de resistência).

4 Ler mais

Avaliação do comportamento da pressão intraocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto assimétrico submetidos ao teste provocativo da ibopamina.

Avaliação do comportamento da pressão intraocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto assimétrico submetidos ao teste provocativo da ibopamina.

O glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA) é definido como uma neuropatia óptica crôni- ca progressiva, geralmente bilateral, não neces- sariamente simétrica, caracterizada por um típico dano à cabeça do nervo óptico, com defeitos característicos no campo visual, cursando geralmente com aumento da pres- são intraocular (PIO), sem uma causa aparente (1) .

5 Ler mais

Concentração de proteínas no humor aquoso de pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto em tratamento clínico.

Concentração de proteínas no humor aquoso de pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto em tratamento clínico.

Objetivos: Comparar a concentração total de proteínas no humor aquoso entre pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e sem glaucoma. Métodos: Foram coletadas amostras de humor aquoso de 22 pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto (grupo GPAA) no momento da trabeculectomia. Na coleta, 0,1 mL de humor aquoso foi aspirado da câmara anterior através de uma agulha de calibre 26, no início do procedimento cirúrgico. Coleta semelhante foi realizada em 22 pacientes sem glaucoma no início da cirurgia de catarata (grupo controle). A amostra de humor aquoso foi armazenada a -20°C após a coleta. A concentração total de proteínas no humor aquoso foi determinada por meio de um teste colorimétrico. Resultados: A média geométrica da concentração total de proteínas no humor aquoso foi de 32 mg/dL (amplitude: 8–137 mg/dL) no grupo glaucoma primário de ângulo aberto e de 16 mg/dL (amplitude: 2–85 mg/dL) no grupo controle. A razão da concentração total de proteínas no humor aquoso entre estes dois grupos foi de 2,0 (intervalo de confiança de 95%: 1,3 a 3,2; p=0,003). Conclusões: A concentração total de proteínas no humor aquoso de pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto foi aproximadamente duas vezes maior quando comparada aos pacientes sem glaucoma.
Mostrar mais

4 Ler mais

Estudo morfométrico comparativo entre olhos com configuração daíris em platô e olhos com glaucoma primário de ângulo aberto e seiocamerular estreito

Estudo morfométrico comparativo entre olhos com configuração daíris em platô e olhos com glaucoma primário de ângulo aberto e seiocamerular estreito

A presença do fechamento angular primário não relacionado ao bloqueio pupilar vem sendo relatada como um achado bem mais comum do que se esperava, particularmente o mecanismo da íris em platô. Assim, uma comparação morfométrica entre olhos portadores da configuração da íris em platô e olhos portadores de glaucoma primário de ângulo aberto e seio camerular estreito foi feita através de estudo prospectivo de uma série de casos. Vinte olhos de 11 pacientes portadores da configuração da íris em platô (Grupo 1) e 45 olhos de 27 pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto e seio camerular estreito (Grupo 2) foram analisados. As medidas dos parâmetros biométricos oculares foram realizadas utilizando um ceratômetro, um paquímetro ultrassônico, um ecobiômetro e um biomicroscópio ultrassônico. Como resultado, os olhos do Grupo 1 apresentaram maior espessura central da córnea com diferença estatisticamente significativa quando comparados aos olhos do Grupo 2. Os olhos do Grupo 1 apresentaram menor comprimento axial do que os olhos do Grupo 2, com diferença estatisticamente significativa. Os olhos do Grupo 1 apresentaram câmara anterior mais rasa do que os olhos do Grupo 2. A distância da faixa trabecular ao processo ciliar, a distância da íris ao processo ciliar, a distância íris-zônula e a espessura iriana máxima junto à borda pupilar foram estatisticamente menores no Grupo 1. Em conclusão, além de apresentarem menor comprimento axial, os olhos de pacientes com configuração da íris em platô possuem o segmento anterior significativamente diferente do segmento anterior dos olhos de pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e seio camerular estreito.
Mostrar mais

93 Ler mais

Influência da postura na pressão intra-ocular e nos defeitos de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto e glaucoma de pressão normal.

Influência da postura na pressão intra-ocular e nos defeitos de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto e glaucoma de pressão normal.

encontrou maiores variações da PIO com a mudança de posição em olhos de pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto que apresenta- vam maiores defeitos de campo visual, comparados aos olhos contra-laterais. Foi encontrado também, em outro trabalho, correlação entre a progressão de defeitos de campo visual e o aumento da PIO provocada pela alte- ração da postura em pacientes portadores de GPN 10

6 Ler mais

Eficácia da combinação fixa de timolol 0,5% e brinzolamida 1% no tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto e na hipertensão ocular.

Eficácia da combinação fixa de timolol 0,5% e brinzolamida 1% no tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto e na hipertensão ocular.

Objetivo: Avaliar a eficácia e conforto dos pacientes portadores de glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA) ou hipertensão ocular (HO) em uso da combinação fixa de timolol 0,5% e brinzolamida 1%. Métodos: Foram acompanhados prospectivamente 26 pacientes portadores de GPAA ou HO, num total de 50 olhos que foram instituídos a utilizarem a combinação fixa de timolol 0,5% e brinzolamida 1%. As avaliações foram feitas por um único examinador por tonometria de aplanação (Goldman) em 7 e 30 dias. Os possíveis efeitos colaterais e intole- rância foram descritos pelos próprios pacientes através da pergunta: “Você sentiu alguma alteração ao pingar a medicação prescrita?” Os dados foram coletados e analisados estatisticamente. Resultados: Os valores de pressão intraocular (PIO) foram significativamente menores nas avaliações de 7 e 30 dias (p<0,001). A média da redução da PIO foi de 38%, variando de uma média inicial de 23,8 mmHg para 14,6 e 14,4 mmHg nos dias 7 e 30, respecti- vamente. Dos 26 pacientes incluídos apenas 4 relataram alguma queixa ao pingar o colírio, sendo que as queixas variaram de ardência, leve queimação e embaçamento. Conclusão: A combinação fixa de timolol 0,5% e brinzolamida 1% mostrou-se eficaz no tratamento de pacientes com GPAA e HO com eficácia semelhante a da literatura e apresentou um baixo índice de efeitos desconfortáveis relatados pelos usuários da medicação.
Mostrar mais

4 Ler mais

Análise da camada de fibras nervosas da retina com GDx™ : validade diagnóstica em glaucoma primário de ângulo aberto e suspeitos de glaucoma.

Análise da camada de fibras nervosas da retina com GDx™ : validade diagnóstica em glaucoma primário de ângulo aberto e suspeitos de glaucoma.

Objetivo: Analisar a validade diagnóstica do GDx™ Scanning Laser System em portadores de glaucoma primário de ângulo aberto, bem como, avaliar o seus resultados em pacientes suspeitos de glaucoma. Métodos: Foram submetidos ao exame com o GDx™ Scanning Laser System, 77 glaucomatosos (142 olhos) portadores de defeito característico do cam- po visual, 40 indivíduos normais (80 olhos) e 36 suspeitos de glaucoma com pressão intra-ocular (Po) acima de 20 e abaixo de 25 mmHg com campo visual normal. Analisou-se a sensibilidade, especificidade, razão de probabilidade e as probabilidades pré e pós-teste. Resultados: Considerando como exame anormal a presença de pelo menos um índice alterado, entre glaucomatosos e normais, observou-se uma especificidade de 82,5% e sensibilidade de 90,1%. A razão de probabilidade encontrada foi de 5,1 e as probabilidades pré e pós-teste de 63,9% e 90% respecti- vamente. Entre suspeitos e normais, observou-se uma especificidade de 82,5% e sensibilidade de 33,3%. A razão de probabilidade encontrada foi de 1,9 e as probabilidades pré e pós-teste de 8,5% e 15% respectivamente. Conclusão: O GDx™ Scanning Laser System apresenta validade diagnóstica significativa em diferenciar olhos glaucomatosos de nor- mais. Em suspeitos de glaucoma o exame mostrou pouca capacidade na diferenciação dos normais.
Mostrar mais

4 Ler mais

Mutações no gene MYOCTIGR em uma população brasi­ leira com glaucoma juvenil e glaucoma primário de ângulo aberto

Mutações no gene MYOCTIGR em uma população brasi­ leira com glaucoma juvenil e glaucoma primário de ângulo aberto

Stone e cols 9 conseguiram identificar o gene "trabecular meshwork-induced glucocorticoid response protein" (TIGR) como um dos genes responsáveis pelo GJAA, e ainda observa­ ram a incidência de 3,94 % de mutações no gene TIGR entre pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto (GP AA). Os autores descreveram três tipos diferentes de mutação que não foram encontradas em voluntários normais.

5 Ler mais

Abordagem Terapêutica Farmacológica do Glaucoma Primário de Ângulo Aberto/ Hipertensão Ocular – Normas de Orientação Clínica

Abordagem Terapêutica Farmacológica do Glaucoma Primário de Ângulo Aberto/ Hipertensão Ocular – Normas de Orientação Clínica

Existe evidência de que o tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto de primeira linha é um fármaco anti-hipertensor tópico, exceto nos casos de glaucoma avançado ou HTO muito elevada Existe evidência de que no diagnóstico e tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto, cada olho é considerado individualmente

11 Ler mais

Variabilidade em locos associados ao glaucoma primário de ângulo aberto

Variabilidade em locos associados ao glaucoma primário de ângulo aberto

O segundo gene associado ao GPAA é o OPTN (optineurina). Originalmente o gene OPTN foi identificado como FIP-2 e sabe-se que sua expressão é variada. A proteína opineurina é encontrada na retina, estrutura trabecular e em tecidos do globo ocular além de outros tecidos (Rezaie, Child et al., 2002; Hauser, Sena et al., 2006; Lopez-Martinez, Lopez-Garrido et al., 2007). A proteína optineurina é caracterizada pela indução de neuropatias. Alterações alélicas no gene OPTN causam atrofia do nervo óptico além de degeneração das células ganglionares da retina (Alexander, Samples et al., 1991; Yao, Cheng et al., 2006). Variações em seqüências do gene OPTN evidenciam uma forte correlação com o GPAA (Hauser, Sena et al., 2006; Liu, Schmidt et al., 2007). O gene mais recente descoberto associado ao glaucoma primário de ângulo aberto é o WDR36. Este gene está localizado no loco GLC1G. Embora a função protéica ainda seja desconhecida, estudos sugerem que mutações no gene WDR36 causam mudanças severas no desenvolvimento da doença. Em indivíduos afetados mutações na região promotora do gene WRD36 podem ocasionar o GPAA (Kramer, Samples et al., 2006; Wiggs, 2007).
Mostrar mais

116 Ler mais

Avaliação da eficácia do bimatoprosta 0,03% (Glamigan, Germed, Brasil) na redução da pressão intraocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão ocular.

Avaliação da eficácia do bimatoprosta 0,03% (Glamigan, Germed, Brasil) na redução da pressão intraocular em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto e hipertensão ocular.

O glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA) é uma neuropatia óptica crônica, progressiva, caracterizada por alterações típicas do disco óptico (DO) e da camada de fibras nervosas da retina (CFNR), com repercussões características no campo vi- sual (CV). É acompanhado, na maioria das vezes, de medidas de PIO acima de níveis considerados estatisti- camente normais. Indivíduos com ângulo aberto, DO normal, sem defeito de CV e níveis pressóricos acima de 21mmHg são considerados HO (1) . Dentre as medicações

4 Ler mais

Localização e freqüência das alterações de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto na estratégia SITA (Swedish Interactive Threshold Algorithm).

Localização e freqüência das alterações de campo visual no glaucoma primário de ângulo aberto na estratégia SITA (Swedish Interactive Threshold Algorithm).

Threshold Algorithm – segundo sua freqüência e localização em pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA). Métodos: Realizamos análise retrospectiva de 6.200 prontuários. Avaliamos o exame de campo visual dos pacientes que preenchiam os critérios de inclusão e os dividi- mos em glaucoma leve, moderado e grave de acordo com a classificação de Hodapp. Definimos os seguintes defeitos glaucomatosos: degrau nasal, escotoma paracentral, escotoma arqueado, escotoma Seidel, defeito temporal em cunha, diminuição generalizada de sensibilidade, escotoma anular e campo tubular. Utilizamos diagrama que correlaciona os pontos do campo visual com as regiões do disco óptico e avaliamos as regiões mais acometidas de acordo com a densidade de pontos comprometidos. A análise estatística foi realizada aplicando-se o teste t de Student. Resultados: Selecionamos 152 pacientes com idade média de 66,5±9,6%, sendo 59,9% do sexo feminino. No glaucoma leve o defeito campimétrico mais freqüente foi o degrau nasal superior, seguido respectivamente pelo escotoma paracentral e degrau nasal inferior. A diminuição generalizada de sensibi- lidade, apesar de rara, ocorreu em 7,8% desses pacientes. A região superior foi mais acometida que a inferior. Conclusão: O degrau nasal superior e o escotoma paracentral foram os defeitos mais freqüentemente observados no glaucoma primário de ângulo aberto em fase inicial pela estratégia SITA, e o hemicampo superior foi a região mais acometida. A diminuição gene- ralizada de sensibilidade foi defeito glaucomatoso precoce.
Mostrar mais

5 Ler mais

Custo-utilidade do tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto no Brasil.

Custo-utilidade do tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto no Brasil.

Objetivo: Determinar a estratégia mais custo-efetiva para o tratamento do glaucoma primário de ângulo aberto em fase inicial, comparando-se as seguintes alternativas: observação, tratamento clínico ou tratamento com laser. Métodos: Por meio de um modelo de Markov, sob a perspectiva do Sistema Único de Saúde (SUS) e um horizonte da expectativa de vida média da população brasileira. Comparou-se a razão de custo-utilidade incremental (ICUR) entre 3 alternativas de tratamento, assim como seus custos e o ganho em qualidade de vida, medido em QALY (Quality-adjusted life years). Resultados: A ICUR do tratamento inicial com laser e do tratamento inicial com colírios, em relação a não tratar foi de R$ 2.811,39/QALY e R$ 3.450,47/QALY, respectivamente. Ambas as estratégias foram custo-efetivas, com uma discreta vantagem para o tratamento a laser. Esta diferença diminui ainda mais quando se aumenta a idade de entrada no modelo. As duas alternativas propiciaram ganhos significativos de qualidade de vida (em torno de 2,5 QALYs para o tratamento com laser e de 5,0 QALYs para o tratamento com colírios). Conclusão: Tanto o tratamento primário com trabeculoplastia a laser quanto com medicações foram custo-efetivos e proporcionaram ganhos reais de qualidade de vida quando comparados com o não tratamento do GPAA.
Mostrar mais

7 Ler mais

Progressão atípica de perda visual em paciente com glaucoma primário de ângulo aberto.

Progressão atípica de perda visual em paciente com glaucoma primário de ângulo aberto.

A dolicoectasia da artéria carótida interna (ACI) é uma condição rara que pode ser acompanhada de manifestações neuro- oftalmológicas, como perda da acuidade e alteração do campo visual decorrente da compressão do nervo óptico (NO). O objetivo é relatar um caso de paciente do sexo masculino, 67 anos, portador de glaucoma primário de ângulo aberto (GPAA) com evolução atípica, assimetria de escavação, palidez da rima do NO à esquerda, devido à neuropatia óptica compressiva à esquerda, por seg- mento dolicoectásico da ACI. O diagnóstico foi baseado na história clínica, aspecto do NO e exames de neuroimagem.
Mostrar mais

4 Ler mais

Nível de conhecimento sobre glaucoma primário de ângulo aberto entre os estudantes de medicina.

Nível de conhecimento sobre glaucoma primário de ângulo aberto entre os estudantes de medicina.

Objetivo: Avaliar o conhecimento dos alunos de graduação do curso de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora em relação ao glaucoma primário de ângulo aberto. Métodos: Neste estudo transversal, aplicou-se aos alunos dos 5º e 6º ano um questionário contendo 11 questões referentes a epidemiologia, fatores de risco, sintomas, diagnóstico, tratamento, consequências do glaucoma e por último se consideram os conhecimentos adquiridos na universidade como suficientes. Características dos alunos (idade, sexo, especialidade pretendida) foram identificadas. Resultados: Entre os estudantes, 52,9% eram mulheres. A origem genética da doença foi identificada por 22,5%. Quase a metade (46,1%) não sabia que o glaucoma na maioria das vezes é assintomático. Aproximada- mente 1 em cada 3 alunos não sabia que a cegueira do glaucoma era irreversível. A grande maioria (91,2%) identificou corretamente que a tonometria era um exame importante na avaliação do glaucoma e que o tratamento poderia ser clínico (70,6%) ou cirúrgico (71,6%). Porém, poucos alunos deram a real importância para os exames de fundoscopia (35,3%) e campimetria (28,7%). Quase a totalidade (95,1%) dos entrevistados considerou o próprio conhecimento como insuficiente. Conclusão: A maioria dos entrevista- dos acha que o conhecimento sobre glaucoma primário de ângulo aberto adquirido na graduação é insuficiente. Tal desconhecimen- to pode levar a oportunidades de diagnóstico perdidas e gerar consequências graves tanto do ponto de vista individual (cegueira) quanto do ponto de vista coletivo (impacto para o sistema de saúde e sociedade).
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 1886 documents...

temas relacionados