Controle estatístico do processo

Top PDF Controle estatístico do processo:

Proposta de método de priorização de processos a serem monitorados no controle estatístico de processo: uma aplicação em trocador de calor

Proposta de método de priorização de processos a serem monitorados no controle estatístico de processo: uma aplicação em trocador de calor

Resumo: As empresas visam se solidificar no mercado, para tanto é primordial aumentar a qualidade de seus produtos e serviços. A implementação do controle estatístico do processo tem sido utilizada para atingir este objetivo, porém para obter eficiência é necessário priorizar os processos a serem monitorados. A fim de determinar quais as características do processo devem ser monitoradas buscou-se suporte na função de desdobramento da qualidade, de onde se obtém índices para determinar a prioridade de ação. Após aplicou-se estes índices na Janela de Johari que indicou quais a características fáceis de implementar e que são de alta prioridade. Para elucidar este procedimento foi realizada uma aplicação na fabricação de trocador de calor, de onde se observaram características tais como: comprimento da bengala, acabamento da brasagem, altura do pescoço, que devem ser priorizadas no monitoramento do controle estatístico do processo.
Mostrar mais

20 Ler mais

A utilização do controle estatístico do processo para o monitoramento do sangue: estudo de caso no Memonorte-RN

A utilização do controle estatístico do processo para o monitoramento do sangue: estudo de caso no Memonorte-RN

qualidade insatisfatória, melhorando e assegurando a qualidade da produção para satisfazer os consumidores. Esse tipo de controle reduz os custos evitando desperdícios e retrabalho. Além disso, maximiza a produtividade, identificando e eliminando as causas de variação do processo e reduz a necessidade de inspeção de produtos. Essas metodologias e técnicas estatísticas são conhecidas há décadas, mas sua aplicação era limitada até os anos 80, e, ao longo dos anos, vêm se tornando cada vez mais amplamente utilizadas e aceitas. Os gráficos de controle analisam o comportamento do processo de fabricação, permitindo que se possa atuar no processo de forma preventiva efetuando ações corretivas no momento em que ocorrerem desvios e assim permitam manter o processo dentro de condições preestabelecidas. Os gráficos de controle também podem ter um papel importante na aceitação do produto, pois o controle estatístico verifica a estabilidade do processo e a homogeneidade do produto (GALUCH, 2002).
Mostrar mais

150 Ler mais

Open Detecção de outlier como suporte para o controle estatístico do processo multivariado: um estudo de caso em uma empresa do setor plástico.

Open Detecção de outlier como suporte para o controle estatístico do processo multivariado: um estudo de caso em uma empresa do setor plástico.

sucessiva para o auxílio à tomada de decisão no controle estatístico do processo multivariado, na fabricação de garrafeiras em uma empresa de produtos plásticos. Além disso, a utilização das técnicas de análise de componentes principais (ACP) e da carta T² de Hotelling pode sumarizar parte das informações relevantes desse processo. Produziram-se então dois resultados de considerável importância: os escores dos componentes principais e um gráfico T² de Hotelling adaptado, evidenciando a relação entre as dez variáveis analisadas. O algoritmo de busca sucessiva detecta pontos discordantes do restante do agrupamento de dados que, quando se encontram muito distantes ou têm características muito diferentes, são denominados outliers. O algoritmo BACON foi utilizado para a detecção de tais ocorrências, o qual parte de um pequeno subconjunto, comprovadamente livre de outliers, dos dados originais e vai adicionando novas informações, que também não são outliers, a esse subconjunto inicial até que nenhuma informação possa mais ser absorvida. Uma das vantagens da utilização desse algoritmo é que ele combate os fenômenos do mascaramento e do esmagamento que alteram as estimativas da média e da covariância. Os resultados da pesquisa mostraram que, para a o conjunto de dados estudados, o algoritmo BACON não detectou nenhum ponto discordante. Uma simulação foi então desenvolvida, utilizando uma distribuição uniforme através da obtenção de números aleatórios dentro de um intervalo para a modificação dos valores da média e do desvio-padrão, a fim de mostrar que tal método é eficaz na detecção desses pontos aberrantes. Para essa simulação, foram alterados aleatoriamente os valores da média e do desvio-padrão de 5% dos dados originais. O resultado dessa simulação mostrou que o algoritmo BACON é perfeitamente aplicável ao caso estudado, sendo indicada a sua utilização em outros processos produtivos que dependam simultaneamente de diversas variáveis.
Mostrar mais

87 Ler mais

Utilização do controle estatístico do processo para monitoramento do peso médio de cápsulas de Tuberculostáticos: estudo de caso no NUPLAM- RN

Utilização do controle estatístico do processo para monitoramento do peso médio de cápsulas de Tuberculostáticos: estudo de caso no NUPLAM- RN

Na visão de Montgomery (2004) o objetivo primário do Controle Estatístico do Processo é a redução sistemática da variabilidade nas características-chave do produto, fornecendo as ferramentas necessárias para avaliação e melhoria de processos, produtos e serviços de forma robusta e abrangente. Esta visão do CEP tem sintonia com os requisitos de qualidade contidos nas Boas Práticas de Fabricação (BPF), que devem ser obrigatoriamente seguidos pelas indústrias farmacêuticas. Esta sintonia foi enfatizada com a publicação, nos Estados Unidos, de um novo modelo de boas práticas de fabricação para a indústria farmacêutica recentemente instituída pelo FDA (Food and Drug Administration) que segundo Cobertt & Pan (2002) e Srikaeo, Frust e Ashton (2005), prevê o monitoramento contínuo da variabilidade dos processos sugerindo o emprego de técnicas de acompanhamento baseadas em critérios estatísticos.
Mostrar mais

118 Ler mais

Controle estatístico de processo aplicado na etapa de embutimento de apresuntado de uma agroindústria do oeste catarinense

Controle estatístico de processo aplicado na etapa de embutimento de apresuntado de uma agroindústria do oeste catarinense

A globalização e a concorrência acirrada fazem com que as organizações busquem reduzir custos em todas as áreas e, devido ao impacto que a área de produção tem nos custos e na qualidade do produto final, o controle e gerenciamento dos processos produtivos estão cada vez mais evidentes e necessários. A preocupação das indústrias na fase de embalagem dos seus produtos situa-se, muitas vezes, somente com o peso mínimo estabelecidos legalmente, e muitas vezes acima dele, para evitar conflitos com orgãos fiscalizadores e de proteção ao consumidor. Por isso, muitas delas não se preocupam em medir, analisar e controlar o processo para que o limite superior também seja ajustado evitando excesso desnecessário de peso e, consequente, prejuízo. Esta pesquisa aborda a aplicação de uma ferramenta de controle de variá- veis de processo denominada de Controle Estatístico do Processo (CEP) para medir a variação de peso do produto embalado na etapa de embutimento de apresuntados e visa determinar os limites superiores e inferiores ideais. Com a aplicação do CEP será possível quantificar os desvios e o desperdício e, a par- tir destes, tomar ações corretivas sobre as causas-raízes dos problemas, propiciando a partir da solução destes, uma produção com menos variabilidade, maior produtividade e consequentemente um melhor resultado de capacidade de processo (Cp) e financeiro da organização.
Mostrar mais

12 Ler mais

Variabilidade espacial e controle estatístico do processo de perdas na colheita mecanizada do algodoeiro.

Variabilidade espacial e controle estatístico do processo de perdas na colheita mecanizada do algodoeiro.

RESUMO: Dentro do processo produtivo, a colheita, se mal conduzida, poderá causar prejuízos quali-quantitativos no produto final. Dessa forma, esse trabalho teve o objetivo de avaliar as perdas quantitativas, no solo e na planta, na colheita mecanizada de algodão, no ano agrícola de 2006, em Ipameri-GO, em um talhão de 1,4 ha, sendo georreferenciados 41 pontos, distanciados de 50 m no sentido da curva de nível e 9 m entre fileiras. As amostras foram coletadas colocando-se uma armação de 4,5 m 2 sobre o solo, coletando todo o algodão caído no solo e, em seguida, fez-se a coleta do algodão que permaneceu na planta após a passagem da colhedora. Além das perdas quantitativas determinaram-se o teor médio de água do algodão e o Rendimento Potencial Máximo (RPM). Foram construídas cartas de controle para verificar a qualidade da operação de colheita. Observou-se que as perdas na colheita do algodão foram altas, principalmente as perdas no solo (PS), indicando que a colhedora não apresentou boa eficiência de colheita. As perdas no solo não apresentaram dependência espacial, enquanto as perdas na planta e totais apresentaram dependência moderada e forte, respectivamente. O processo de colheita de algodão não se encontra dentro dos padrões de qualidade, sob o ponto de vista de controle estatístico de processo, devendo ser revistas as condições de colheita.
Mostrar mais

11 Ler mais

Controle estatístico aplicado ao processo de colheita mecanizada de cana-de-açúcar.

Controle estatístico aplicado ao processo de colheita mecanizada de cana-de-açúcar.

RESUMO: O avanço da mecanização na colheita da cana-de-açúcar (Saccharum spp.) proporcionou o uso de novas tecnologias e ganho em produtividade para a cultura. O controle da qualidade do processo de colheita da cana-de-açúcar é fundamental para reduzir as perdas. Este trabalho teve o objetivo de avaliar as perdas na colheita mecanizada de cana-de-açúcar, utilizando- as como indicadores de qualidade do processo de colheita. Os dados foram coletados em duas propriedades próximas a Jaboticabal - SP, com a variedade SP80-3280, em 3 o e 4 o cortes. Caracterizou-se o porte do canavial e, após a colheita, demarcou-se área de 1,5 ha, sendo demarcados 25 pontos, espaçados de 12 x 50 m, quantificando-se as perdas visíveis. Posteriormente, foi aplicado o controle estatístico do processo pela média, que consta de três vezes o desvio-padrão para mais ou para menos, sendo esses os limites superior e inferior de controle, respectivamente. A média das perdas de pedaço solto foi estatisticamente maior do que as médias de perdas em pedaço fixo, cana inteira, cana-ponta e toco. A ocorrência de perdas em rebolo estilhaçado foi menor para o 4 o corte em relação ao 3 o corte, enquanto as perdas em pedaço fixo e toco foram menores no 3 o corte, comparadas às perdas no 4 o corte. Em cada corte, as médias para as perdas totais estiveram próximas dos valores encontrados na bibliografia. Pedaço solto foi a variável de perdas visíveis com maior percentagem de ocorrência. As perdas demonstraram que a colheita mecanizada não se encontra sob controle estatístico de processo.
Mostrar mais

13 Ler mais

Qualidade das operações de preparo de solo por controle estatístico de processo.

Qualidade das operações de preparo de solo por controle estatístico de processo.

Analisando-se a carta de controle para a área A1, verifica-se que a média encontrada foi 0,23 m para os pontos amostrados (Figura 4). Do total de 15 grupos, os quais variaram de 0,19 a 0,26 m, 4 estão fora dos padrões especificados para a operação. Apesar disso, o processo encontra-se dentro de controle estatístico, o que significa não haver a existência de causas externas (especiais) ao processo interferindo no mesmo como por exemplo a mudança de operador, trator, tipo de solo ou métodos durante a operação.

6 Ler mais

Análise da aplicação do controle estatístico de processo segundo as percepções dos usuários do setor de autopeças

Análise da aplicação do controle estatístico de processo segundo as percepções dos usuários do setor de autopeças

O Controle Estatístico de Processo (CEP) é reconhecido na literatura como uma das principais ferramentas para o controle e melhoria da qualidade e da produtividade. Constata-se que as cartas ou gráficos de controle é um elemento central do CEP; sendo essas, ferramentas estatísticas cujo uso eficiente depende de determinadas habilidades e comportamentos organizacional. No que se refere aos resultados para a organização, observa-se que o uso das cartas de controle pode ser dividido em dois grupos: aqueles que podem ser diretamente atribuídos à redução da variabilidade, denominado de hard; e aqueles associados aos aspectos motivacionais, ou orgânicos, denominados de Soft. Apesar dos argumentos favoráveis ao CEP, pesquisa realizada no setor automotivo aponta que cerca de 70% das empresas apresentam alguma dificuldade na condução das suas atividades relacionadas ao CEP. Sobre isso, a literatura indica que fatores relacionados aos aspectos metodológicos, estatísticos e gerenciais do processo de implantação das cartas de controle são condicionantes para o sucesso de um plano estruturado de implantação do CEP. Diante deste quadro, é objetivo desta tese contribuir para um efetivo uso das cartas de controlo pelas empresas nacionais, e também para avanços no campo da pesquisa. Para tal, optou-se por uma pesquisa de campo para captar e descrever as percepções de especialistas que usam gráficos de controle estatístico e que atuam na indústria automotiva. A pesquisa de campo foi estruturada em três dimensões básicas - a estatística, a metodológica e a gerencial, e nos resultados alcançados pelo uso do CEP, subdivididos em Soft e Hard. O método utilizado baseou-se em uma pesquisa de campo por amostragem, cuja população de interesse foi os gestores dos programas CEP que utilizam as cartas de controle
Mostrar mais

172 Ler mais

Estudo de caso de controle estatístico de processo: levantamento estatístico de defeitos em molduras

Estudo de caso de controle estatístico de processo: levantamento estatístico de defeitos em molduras

Este trabalho de graduação aborda o estudo do Controle Estatístico de Processo – CEP, em uma das etapas de produção de uma indústria de molduras, tendo como objetivo utilizar a ferramenta de controle estatístico de processo (CEP) para avaliar a capacidade do processo. Onde o processo necessita de melhorias já que não atendem bem as especificações. Avaliando as necessidades que a empresa necessita para a melhoria da gestão da qualidade, bem como as dificuldades que apresentam durante a implantação do CEP. O presente estudo tem como método a utilização do estudo de caso. Os resultados são apresentados através do estudo do nível de defeitos utilizando os diagramas de Pareto e gráfico de controle por - (p) fração defeituosa, e verificando a capacidade e estabilidade do processo utilizando os gráficos de controle XbarraR e histogramas. O processo demonstrou a necessidade de melhorias no processo e na gestão da qualidade. Ao final do trabalho sugestões são apresentadas para melhorar o sistema de qualidade da empresa.
Mostrar mais

132 Ler mais

O CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO NA MANUFATURA DE AUTOPEÇAS DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i1.2681

O CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO NA MANUFATURA DE AUTOPEÇAS DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i1.2681

RESUMO: Além de investimento em novas tecnologias e modernização do parque industrial, a competitividade dos produtos brasileiros está ligada ao aumento de produtividade. Os gráficos de controle, principal ferramenta do Controle Estatístico de Processo (CEP), inserem-se nesse contexto no que diz respeito ao controle das características-chave de produtos e processos, em tempo real, garantindo níveis de qualidade desejados, a um custo exigido pelo mercado. Foi realizado um estudo aprofundado da aplicação de gráficos de controle na manufatura de autopeças. Concluiu-se que as características da qualidade avaliadas e os processos em estudo estavam fora de controle estatístico devido a interpretações e uso incorreto das técnicas estatísticas, sugerindo a necessidade de treinamento periódico dos funcionários quanto a filosofia do CEP, em especial padrões de não-aleatoriedade.
Mostrar mais

16 Ler mais

Aplicação dos conceitos de Controle Estatístico de Processo (CEP) em uma indústria de fundição do Norte Catarinense

Aplicação dos conceitos de Controle Estatístico de Processo (CEP) em uma indústria de fundição do Norte Catarinense

O objetivo desse artigo é realizar um estudo de caso em uma indústria de fundição, localizada no Estado de Santa Catarina, aplicando conceitos básicos de Controle Estatístico de Processo (CEP). Mais precisamente, nosso objetivo consiste em analisar a qualidade e a capacidade de produção da indústria, visando identificar particularidades e características do processo, assim como oportunidades de melhorias úteis aos operadores e responsáveis pelo monitoramento do processo na empresa, ou mesmo para outras pessoas que trabalhem e lidem com processos similares. Nesse estudo, utilizamos alguns dos principais tipos de gráficos de controle já consagrados na literatura, tais como o gráfico de controle para observações individuais; o gráfico da amplitude móvel; o gráfico da média móvel exponencialmente ponderada e o gráfico da soma cumulativa. O trabalho limita-se apenas a realizar análises estatísticas sobre os dados fornecidos para estudo e possivelmente construir conjecturas baseadas nas informações transmitidas pela empresa, esperando e acreditando na fidedignidade e veracidade das mesmas, sem, no entanto desprezar toda e qualquer informação e/ou inferência adquirida a partir de um olhar mais técnico científico e não tanto empírico dos dados. Nesse artigo, nós não temos a pretensão de desenvolver métodos e modelos estatísticos mais robustos para realizar tal estudo.
Mostrar mais

21 Ler mais

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO NO RESFRIAMENTO DE AVES: UM ESTUDO DE CASO http://dx.doi.org/10.5892/ruvrv.2011.92.119128

CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSO NO RESFRIAMENTO DE AVES: UM ESTUDO DE CASO http://dx.doi.org/10.5892/ruvrv.2011.92.119128

As cartas de controle são gráficos temporais que apresentam os valores de medição da variável de interesse no eixo das ordenadas e os pontos no tempo nos quais as medições são efetuadas no eixo das abcissas. Os pontos plotados nos gráficos de controle são unidos por segmentos de reta, que são interpretados em função de linhas horizontais, chamados de limite superior de controle (LSC), linha média (LM) e limite inferior de controle (LIC). Nas pesquisas, realizadas por Shewhart (1931), foi demonstrado que os limites são calculados por meios de recursos matemáticos e são fundamentados na teoria estatística. Quando se encontra um ponto do gráfico acima do LSC ou abaixo do LIC a conclusão é a de que, possivelmente, existe uma causa especial de variação, proporcionando instabilidade ao processo, e caso tal causa seja encontrada, na maioria dos casos, é possível agir pontualmente para eliminá-la. Quando todos os pontos se encontram dentro dos limites de controle, outros padrões de não-aleatoriedade devem ser investigados. Caso nenhum padrão de não- aleatoriedade seja detectado, a conclusão é de que o processo esta sob a ação de causas comuns, ou seja, está sob controle estatístico.
Mostrar mais

10 Ler mais

Aplicação do controle estatístico de processo na indústria farmacêutica

Aplicação do controle estatístico de processo na indústria farmacêutica

No controle estatístico de processo clássico, cada variável ou característica de qualidade é plotada em gráficos de controle separados, não levando em consideração a relação entre cada uma das variáveis, isto é, assume-se que tais variáveis do processo são independentes e normalmente distribuídas. Segundo Montgomery (2004), quando existem múltiplos parâmetros do processo e que são monitorados simultaneamente, os gráficos de controle também conhecidos como univariados não mais devem ser utilizados, pois, as várias características de qualidade podem apresentar correlações entre si, o que prejudica o desempenho destes para sinalizar uma falta de controle do processo. Nos gráficos de controle multivariados, a estabilidade do processo é obtida quando o vetor das médias, variâncias e covariâncias das variáveis do processo permanecem estáveis ao longo das observações. O tipo mais comum de gráfico de controle multivariado é o T 2 de Hotelling.
Mostrar mais

12 Ler mais

Controle estatístico aplicado ao processo de colheita mecanizada de sementes de amendoim

Controle estatístico aplicado ao processo de colheita mecanizada de sementes de amendoim

O amendoim é uma cultura que possui o seu fruto sob a superfície do solo, exigindo que sua colheita seja realizada em duas etapas denominadas arranquio e recolhimento. Neste processo ocorrem perdas de grau variado, as quais variam espacialmente e temporalmente, com influência direta sobre a qualidade da semente produzida. Pressupondo que as perdas na colheita mecanizada de amendoim apresentem variabilidade temporal e que, portanto, o local de amostragem possa interferir na determinação dos valores obtidos, este trabalho teve como objetivo avaliar, por meio do controle estatístico de processo, as perdas quantitativas no arranquio e recolhimento do amendoim, bem como, avaliar estatisticamente a qualidade das sementes após a colheita. Para a coleta dos dados foi montada uma malha de 42 pontos amostrais, nos quais foram avaliadas as perdas visíveis, invisíveis e totais no arranquio, as perdas na plataforma, as perdas visíveis totais e perdas totais na colheita. Também foram determinados parâmetros de caracterização da colheita do amendoim, tais como teor de água do solo e das vagens, matéria seca, dimensões da leira, cobertura vegetal, fluxo de material colhido, bem como foram realizadas avaliações da qualidade fisiológica das sementes. O teor de água das vagens e do solo foi adequado à operação de arranquio. As perdas visíveis, invisíveis e totais no arranquio apresentaram distribuição assimétrica e instabilidade segundo o controle estatístico. Somente as perdas totais na colheita de amendoim tiveram distribuição normal no recolhimento. Todas as variáveis de caracterização do material recolhido (exceto impurezas minerais) e o índice da velocidade de germinação para a qualidade fisiológica das sementes apresentaram distribuição normal.
Mostrar mais

100 Ler mais

Utilização de controle estatístico do processo para a análise de qualidade da água em um município adjacente ao Parque Nacional do Iguaçu

Utilização de controle estatístico do processo para a análise de qualidade da água em um município adjacente ao Parque Nacional do Iguaçu

A água é um dos elementos fundamentais à vida na terra e essencial para a humanidade, sua constante verifcaaço e controle da qualidade da água sço de extrema importância para a sua potabilidade. O presente trabalho tem como objetvo avaliar três parâmetros fsico-químicos da água: cloro residual livre, pH e turbidez. O estudo foi realizado com amostras coletadas entre os anos de 2009 e 2014 em determinados pontos de distribuiaço, após passarem por todo o processo de tratamento e adequaaço para o consumo humano. Para as análises estatstcas dos dados foram utlizadas as cartas de controle de média e amplitude. Os resultados obtdos foram avaliados individualmente e comparados com os limites estabelecidos pela Portaria no 2.914/2011 de BRASIL-Ministério da Saúde (MS), utlizando como referência água potável para consumo humano. Os resultados apresentaram conformidade em relaaço à Portaria contrariando, porém, com os limites estatstcos verifcados pelo Controle Estatstco de processo (CEP). Apesar disso, essa variaaço nço indica que a água seja imprópria para consumo humano, já que esta variabilidade nço extrapola os limites de especifcaaço impostos pelo sistema de distribuiaço de água do município e nem com os da Portaria 2.914/2011. Dessa forma, as análises dos parâmetros indicam tendências e padrões de variaaões em pequenas escalas que permitram identfcar tais causas de variabilidade. Entretanto, é possível afrmar que a água distribuída pelo sistema de abastecimento da sede do município é considerada potável e adequada para o consumo humano, nço sendo prejudicial à saúde da populaaço.
Mostrar mais

23 Ler mais

CONTROLE ESTATÍSTICO DO PROCESSO

CONTROLE ESTATÍSTICO DO PROCESSO

CÁLCULO DOS PARÂMETROS DA CARTA “c” (pág. Calcular os limites de controle.. a) Quais os limites de controle. 2- Na produção de geladeiras a empresa necessita conhecer o número de defei[r]

17 Ler mais

Utilização de controle estatístico de processo na avaliação do desempenho acadêmico

Utilização de controle estatístico de processo na avaliação do desempenho acadêmico

Concordando com Stuart, Mulins e Drew (1996), considera-se que os gráficos de controle são ferramentas muito importantes para o CEP, que se fundamentam em uma ideia surpreendentemente simples: se você acompanhar o seu processo de fabricação regularmente, você vai saber como ele deve e não deve se comportar. Concordando com Woodall (2000), considera-se que essas ideias extremamente simples, envolvidas nas atividades de monitoramento e controle, talvez tenham sido um dos fatores determinantes do sucesso do controle de qualidade. Embora tenham sido desenvolvidas muitas técnicas sofisticadas, o uso de procedimentos simples parece ter resultado satisfatório.
Mostrar mais

20 Ler mais

Discussão da utilização do controle estatístico de processo: análise bibliométrica e estudo de caso em uma empresa do setor alimentício

Discussão da utilização do controle estatístico de processo: análise bibliométrica e estudo de caso em uma empresa do setor alimentício

Sendo assim, cabe ao líder identificar e conhecer o processo, como também os fatores dominantes relacionados à motivação e ao comprometimento da equipe com a empresa, pois eles podem i[r]

136 Ler mais

Controle estatístico de processo aplicado ao monitoramento de perdas na colheita mecanizada de cana-de-açúcar

Controle estatístico de processo aplicado ao monitoramento de perdas na colheita mecanizada de cana-de-açúcar

As perdas em pedaço solto e fixo (Figuras 17 e 18) constituem o tipo de perdas da colheita que merecem maior atenção devido à maior quantidade matéria- prima perdida, neste estudo esta perda também se encontra fora de controle para as Frentes analisadas ao longo das duas safras. Ocorrem, na sua maioria, quando as canas foram cortadas pelo corte de base e que não conseguem ser “alimentadas” para dentro das máquinas. Normalmente estão associadas à habilidade do operador, altas velocidades de deslocamento das colhedoras, terrenos acidentados, canaviais de portes acamado e deitado, portes esses comumente encontrados em canaviais de alta produtividade ou que acamaram devido a ação do vento.
Mostrar mais

75 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados