Jovens - Educação - Belém (PA)

Top PDF Jovens - Educação - Belém (PA):

O ENSINO DE CIÊNCIAS E A PROPOSTA DE TOTALIDADE DO CONHECIMENTO: as concepções docentes na Educação de Jovens e Adultos do Município de Belém

O ENSINO DE CIÊNCIAS E A PROPOSTA DE TOTALIDADE DO CONHECIMENTO: as concepções docentes na Educação de Jovens e Adultos do Município de Belém

A proposta da Educação de Jovens e Adultos da Rede Municipal de Ensino de Belém se assenta no princípio de que para ensinar é preciso considerar os conhecimentos e as experiências de vida dos alunos, visando à educação para a cidadania e a convicção de que não existe ninguém plenamente educado. Nesse contexto, o ensino de Ciências tem um sentido social e o professor, para desenvolver sua função, precisa cultivar em si as características que deseja organizar com base na concepção de conhecimento como totalidade. A análise dos relatos das professoras foi feita segundo quatro eixos focais ou temáticos. Cada um empresta o título às seções deste capítulo. No primeiro, apresento falas sobre as trajetórias de formação das professoras que foram os sujeitos da pesquisa. São recortes de suas histórias de vida e de formação profissional que contêm elementos constitutivos de suas identidades como docentes da EJA. No segundo, organizei os relatos com os entendimentos que têm acerca de totalidade e da própria Proposta de Totalidade do Conhecimento. No terceiro, discuto as dificuldades e as tensões sentidas pelas professoras, dadas as condições de implantação e permanência da Proposta, causadas pela falta de formação para ensinar Ciências, melhor apoio pedagógico e até apoio da própria administração superior. No quarto, identifico as concepções de ensino de Ciências das professoras, confrontando-as com a Proposta de Totalidade de Conhecimento. Aqui destaco as experiências que me permitiram compreender as concepções que sustentam suas práticas docentes.
Mostrar mais

159 Ler mais

Formação e condições de trabalho dos Professores da Educação de Jovens e Adultos  PROEJA: um estudo de caso realizado no IFPA, Campus Belém

Formação e condições de trabalho dos Professores da Educação de Jovens e Adultos PROEJA: um estudo de caso realizado no IFPA, Campus Belém

O presente estudo trata da formação e condições de trabalho dos docentes que atuam na Educação de Jovens e Adultos, no Campus de Belém, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – IFPA. Objetiva-se analisar a formação articulada ao trabalho docente no contexto do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA – no IFPA, Campus de Belém, considerando o percurso da formação e as mudanças ocorridas no trabalho docente. O tema foi desenvolvido por meio de uma abordagem qualitativa em vista da possibilidade de descrever os aspectos subjetivos que se inserem no objeto de estudo, os quais não conseguem ser explicados em sua forma objetiva. Os principais referenciais teóricos que ancoraram esse estudo, entre tantos, encontram-se Minayo (2009), Frigotto (2005; 2007), Kuenzer (1999), Oliveira (2010), Gadotti (2007; 2008) e Pimenta (2002). O percurso metodológico constou de pesquisa bibliográfica, seguida de um estudo de caso, adotando-se como técnica de coleta de dados a entrevista estruturada, por meio de um roteiro de perguntas que serviu de base para estabelecer o diálogo com dez sujeitos participantes da pesquisa. Verificou-se que o PROEJA, ao disponibilizar a formação em nível médio profissional para a população de jovens e adultos, operacionalizou-se no âmbito do IFPA, Campus de Belém, com limitações significativas na formação do professor para atuar numa realidade diferenciada da qual estavam habituados, uma vez que se trata de um público com percurso de escolarização, em geral, descontínuo, história, anseios e projetos de vida diferentes dos alunos com faixa etária/escolarização ―regular‖, além da própria maturidade psicológica e atuação social que necessitam ser levados em consideração
Mostrar mais

115 Ler mais

ELEMENTOS QUE CONSTITUEM O TRABALHO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA REDE MUNICIPAL DE BELÉM-PARÁ: DESAFIOS E RESISTÊNCIAS

ELEMENTOS QUE CONSTITUEM O TRABALHO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA REDE MUNICIPAL DE BELÉM-PARÁ: DESAFIOS E RESISTÊNCIAS

Compreendemos a Educação Física como componente curricular/área de conhecimento que deve incluir os sujeitos da EJA no acesso aos conteúdos da cultura corporal (SOARES et al., 1992), por sua vez um direito histórico a ser materializado no trabalho docente na Educação Fí- sica da EJA e também uma bandeira de luta a ser travada nos espaços de formação, tanto inicial quanto conti nuada, com os docentes de Educação Física. A EJA na escola pública é o caminho para o acesso dos jovens e adultos no processo de resistência para a formação omnilateral, para a construção de uma sociedade autodeterminada, justa e igualitária, na qual todos te- nham direito à educação, à Educação Física e às suas práti cas de lazer, de esporte nos contextos escolares e não escolares, estendendo-se a todos os sujeitos históricos da sociedade.
Mostrar mais

14 Ler mais

OS PROFESSORES, UMA PROPOSTA VISANDO À TRANSDISCIPLINARIDADE E OS ATUAIS ALUNOS DE MATEMÁTICA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL DE JOVENS E ADULTOS DE BELÉM, PARÁ

OS PROFESSORES, UMA PROPOSTA VISANDO À TRANSDISCIPLINARIDADE E OS ATUAIS ALUNOS DE MATEMÁTICA DA EDUCAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL DE JOVENS E ADULTOS DE BELÉM, PARÁ

A teoria da complexidade, mormente o ideário do francês Edgar Morin, proclama a interligação das particularidades que se integram ao (ou “a um”) todo. “Distinção” e “união” são, assim, os pilares das manifestações naturais, acrescentando-se a esse binômio o fenômeno da “incerteza”, haja vista as associações implicarem desdobramentos indeterminados. A elevação quantitativa da cultura humana vem sendo acompanhada de uma progressiva especialização, e, não apregoando, em absoluto, a extinção das disciplinas/distinções/partes, o pensamento transdisciplinar moriniano defende a construção de ligações entre tais elementos, o que se mostra concordante com a díade natural união-distinção. Tomando por base a seguinte máxima transdisciplinar: “do todo em direção às partes e das partes rumo ao todo”, propõem-se nesta obra (em especial no que se refere ao segundo trecho da citação em foco) ações educacionais dirigidas pelas chamadas “duplas heterogêneas de professores” (DHP) - imaginadas pelo autor da dissertação -, que integram docentes com formação (cada um deles) em disciplinas (partes) diferentes, os quais, trabalhando em conjunto (inclusive com os alunos), no mesmo espaço-tempo pedagógico, buscam/buscariam construir ligações entre os conteúdos pertencentes aos (dois) campos de conhecimento em questão, efetivando-se um caminhar das partes e de suas mútuas (e múltiplas) conexões em direção ao todo. O público escolhido foi o da Educação de Jovens e Adultos - EJA (no ambiente da escola pública municipal), pois se acredita que as informações extra-escolares acumuladas pelo estudante jovem/adulto, apesar de sua educação formal deficitária, possam contribuir para que ele estabeleça, se corretamente orientado, relações/ligações intelectuais diversas. Ademais, a procura de soluções para a problemática da EJA, cuja clientela é formada por indivíduos marcados pela exclusão sócio-econômica, constitui-se em dever moral extensivo a todos os “verdadeiros” cidadãos. Apesar (ou além) das pesquisas exploratórias, em campo, que culminaram com resultados constantes em 5 (cinco) tabelas, predominam, quanto à metodologia adotada nesta investigação, o exame bibliográfico (de um lado) e (de outro lado) a análise - que é o seu cerne - de uma proposição (a DHP engendrada pelo mestrando) à luz dos conceitos abordados. Trata-se/tratou-se de demonstrar, em nível teórico, que a idéia de DHP harmoniza- se com as aspirações/esperanças/necessidades do alunado da EJA, com a “incerteza prigoginiana”, com a transdisciplinaridade moriniana, com a Psicologia Vygotskyana e com a modelagem matemática.
Mostrar mais

139 Ler mais

Educação de Jovens e Adultos

Educação de Jovens e Adultos

tério da Educação, através da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secadi), dirigido por Bebeto Abrantes. As imagens e depoimentos registrados demonstra a imensa capacidade e sensibilidade para “escutar” as potencialidades de uma história e cap- turá-las. As histórias contam o impacto da escolarização tardia na vida de pessoas, em dife- rentes cantos do Brasil, com realidades muito distintas. Todas elas nos fazem reletir sobre as condições de vida desse enorme grupo de pessoas que tiveram seu direito à educação negado. É o caso do peão e canavieiro Edigenilson, do interior de Pernambuco que encontra sentido e alegria para frequentar as aulas, num curso noturno, depois de sua extenuante jornada de tra- balho. Em Belém do Pará, Vanuzia é uma dona de casa que não só se alfabetizou tarde como trouxe o marido para a escola e com ajuda dos ilhos conquista o domínio da língua escrita. Ou ainda as diiculdades e desejos de das duas jovens cariocas que vivem no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, cujo acesso à escola é atravessado pela violência cotidiana do local. Há também depoimentos de professoras que, mesmo em condições precárias, tentam reencon- trar seus educandos nas comunidades e nas realidades em que vivem.
Mostrar mais

79 Ler mais

Entre saberes e práticas :a alfabetização de jovens e adultos no MOVA Belém

Entre saberes e práticas :a alfabetização de jovens e adultos no MOVA Belém

O que nos seduz no processo educativo, principalmente com jovens e adultos, é a possibilidade de produzir encontros com pessoas, fatos, leituras e paradigmas. Essa sedução, que não é espontânea nem ingênua, é compartilhada com a leitura de autores e autoras contemporâneos que nos ajudam a pensar a educação brasileira por trilhas e travessias novas, até desconhecidas, mas que nos desafiam à exploração e ao aprofundamento de uma epistemologia coerente com seu tempo e seus protagonistas. Trata-se de uma pesquisa e de uma (re)leitura que envolve Freire (1979; 1987; 1992), Sousa Santos (1995; 2000), Ribeiro (1999, 2003), Gadotti (1998; 2000), Brandão (2003), Soares (1985; 1998; 2003) e outros que se apresentam nos demais capítulos. O que fazem juntos neste texto? Vão desvelando idéias e princípios que podem promover a conexão (algumas vezes, tênue) entre eles e as práticas pedagógicas de alfabetizadores e alfabetizadoras populares do MOVA Belém, desvendando as políticas públicas de alfabetização de jovens e adultos e reinventando novos saberes.
Mostrar mais

165 Ler mais

A VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO E A CARREIRA DOCENTE: A EXPERIÊNCIA DO GOVERNO DE FRENTE POPULAR EM BELÉM DO PARÁ

A VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO E A CARREIRA DOCENTE: A EXPERIÊNCIA DO GOVERNO DE FRENTE POPULAR EM BELÉM DO PARÁ

Um plano de carreira, segundo a ANFOPE (2007), precisa, entre outros aspectos, considerar a fixação dos profissionais em uma escola, e não fragmentar sua jornada em escolas diferentes, a fim de assegurar maior compromisso desse docente com o seu local de trabalho. Um outro elemento é a manutenção do turno intermediário (11h até 14h45), na rede. São poucas as escolas municipais, em Belém, que possuem três horários de aula; a maioria trabalha em quatro turnos, e o turno intermediário é desgastante para professores e alunos, na medida em que a falta de regularidade na alimentação normal do almoço e o calor intenso, típico do horário, podem contribuir para o desgaste físico e mental dos envolvidos, comprometendo o desempenho escolar.
Mostrar mais

249 Ler mais

Diagnóstico de Policonsumos e Intervenção Breve em Adolescentes e Jovens – Normas de Orientação Clínica

Diagnóstico de Policonsumos e Intervenção Breve em Adolescentes e Jovens – Normas de Orientação Clínica

(ii). A intervenção terapêutica para a síndrome de privação de heroína consiste no uso de agonistas alfa2 adrenérgico (clonidina), benzodiazepinas, antipsicóticos quando houver necessidade de induzir sedação e controlo dos impulsos, nomeadamente olanzapina. Os tratamentos de manutenção com metadona ou buprenorfina devem ser monitorizados pelas unidades especializadas em comportamentos aditivos. De salientar que a buprenorfina não está recomendada para jovens com menos de 15 anos.

36 Ler mais

Panorama dos cursos de Graduação em Enfermagem no Brasil na década das Diretrizes Curriculares Nacionais.

Panorama dos cursos de Graduação em Enfermagem no Brasil na década das Diretrizes Curriculares Nacionais.

A expansão da educação superior vem se dando, funda- mentalmente, através do crescimento quantitativo do número de instituições de ensino e, conseqüentemente, de cursos e vagas por elas oferecidos. Essa expansão apresenta relação direta com o desenvolvimento econômico e social do país, uma vez que o Brasil apresenta baixa proporção de alunos, na faixa etária relevante, matriculados no ensino superior, não só em relação aos países mais desenvolvidos, mas também em relação aos países vizinhos da América Latina (1) .

9 Ler mais

Percepção dos profissionais da educação e saúde sobre o programa saúde na escola

Percepção dos profissionais da educação e saúde sobre o programa saúde na escola

DSC A - O PSE é um excelente programa, acho interessante e importante. O Programa Saúde na Escola vem contribuir para prevenção e educação em saúde, é um programa novo e importante porque trabalha a prevenção e educação, mas infelizmente por ainda ser novo no município ainda é pouco estruturado. Não há determinação das prioridades e nem planejamento estruturado das atividades. Falta de recursos humanos para realizar atividades. Hoje quem realiza as atividades são as agentes comunitárias de saúde. Se bem estruturado e sem mudanças de percurso irá somar para a formação de visão melhorada da saúde coletiva e atingir todas as escolas se a saúde tivesse equipes para atender falta articulação, ou melhor, formação, divulgação e planejamento. Para melhora da qualidade de vida da população e se for organizada e desenvolvida de forma clara e objetiva terá bons resultados. Ainda há uma desorganização, principalmente no bairro onde está situado o colégio, tem relação com a falta de clareza dos objetivos propostos pela unidade de saúde e escola na realização do projeto.
Mostrar mais

16 Ler mais

I – Breve Histórico da Educação de Jovens e Adultos no Brasil

I – Breve Histórico da Educação de Jovens e Adultos no Brasil

Com o fim da ditadura estado-novista, era importante desenvolver a produção econômica, como também aumentar as bases eleitorais dos partidos políticos e integrar ao setor urbano às levas migratórias vindas do campo. Foi neste período que a educação assumiu dimensão de campanha. Em 1947 foi lançada a Campanha de Educação de Adolescentes e Adultos (CEAA), dirigida, principalmente, para o meio rural, sob a orientação de Lourenço Filho. A CEAA previa a alfabetização em apenas três meses condensando o curso primário em dois períodos de sete meses, tendo procurado adotar uma perspectiva mais ampla de educação, oferecendo noções de cálculo elementar, higiene, saúde, puericultura, geografia, história e cidadania. Para as mulheres eram, ainda, incluídos conteúdos de economia doméstica.
Mostrar mais

55 Ler mais

ZAIRA VALESKA DANTAS DA FONSECA A ESCOLA CABANA E A CONCEPÇÃO DE QUALIDADE SOCIAL DE EDUCAÇÃO COMO POLÍTICA PÚBLICA EDUCACIONAL PARA BELÉMPA (1997-2004)

ZAIRA VALESKA DANTAS DA FONSECA A ESCOLA CABANA E A CONCEPÇÃO DE QUALIDADE SOCIAL DE EDUCAÇÃO COMO POLÍTICA PÚBLICA EDUCACIONAL PARA BELÉMPA (1997-2004)

Tomando-se como referência as condições políticas e pedagógicas em que se realizam as políticas educacionais para a educação básica, este estudo analisou a concepção de qualidade social da educação, assumida pela Escola Cabana, no município de Belém/PA, no período de 1997 a 2004. Explicita os fatores e elementos necessários à educação de qualidade, bem como, analisa as contribuições e limites do Projeto Escola Cabana para construção do conceito de Qualidade Social da Educação como política pública. Realizou-se por meio de análise documental, assumindo a abordagem crítico-dialética como referencial teórico- metodológico. A pesquisa desenvolveu-se, inicialmente, com um levantamento na produção bibliográfica existente das concepções de qualidade evidenciadas nas políticas educacionais, assim como das investigações realizadas sobre a Escola Cabana. A análise documental incidiu sobre os documentos oficiais produzidos pela Secretaria Municipal de Educação – SEMEC, sendo considerados como fontes primárias do estudo os planos de governo, os cadernos dos fóruns e conferências, os cadernos de educação e a proposta preliminar e final do Plano Municipal de Educação. Ao analisar tal política é possível apontar algumas considerações que indicam a referência da Qualidade Social da Educação, em um primeiro momento, como uma estratégia pela qual se alcançaria a inclusão social na escola, com sua ação centrada no processo de reorientação curricular, o qual envolve a organização do trabalho pedagógico por meio da resignificação do tempo para aprendizagem, da formação voltada para a cidadania e democracia, da instituição de processos democráticos de avaliação da aprendizagem, assim como, da organização do ensino por meio do trabalho coletivo e interdisciplinar com vistas à permanência com sucesso do aluno na escola. Em um segundo momento observa-se uma elaboração mais ampla e avançada para formulação da Qualidade Social da Educação como política pública, tendo em vista, o importante vínculo construído entre a organização educativa escolar e a garantia de condições estruturais e financeiras como responsabilidade do poder público na oferta da educação como direito público subjetivo.
Mostrar mais

137 Ler mais

Educação de jovens e adultos mediada por tecnologia: uma prática inovadora no Estado do Amazonas

Educação de jovens e adultos mediada por tecnologia: uma prática inovadora no Estado do Amazonas

Quando uma pessoa adulta regressa aos bancos escolares, seu desejo maior é o de se preparar para o trabalho, de ter autonomia para poder se dar bem profissionalmente. Não se instrui um adulto com a mesma metodologia voltada para a educação de crianças. Um aluno na faixa etária para a EJA, por exemplo, retomando aos bancos escolares correspondente ao 4º ano do ensino fundamental, dificilmente se interessará por uma atividade caracterizadamente infantil, sem contextualização com a realidade de uma vida adulta. Daí a necessidade de abordar conteúdos equivalentes, mas com uma linguagem amadurecida e que possibilite o encontro daquilo que esse público almeja, trabalhar conteúdos com uma metodologia favorecedora de aprendizagem significativa.
Mostrar mais

12 Ler mais

4 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

4 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

Este estudo versa sobre a temática da Educação de Jovens e Adultos (EJA) Integrada à Educação Profissional desenvolvida no campo. Considera o pressuposto de que a educação de adultos, bem como, a Educação Profissional, ao longo da história, experimentou mudanças de cunho político- filosófico, passando por um processo de re-conceitualização, afastando-se do caráter de suplência para reafirmar-se como um direito e como uma modalidade da educação básica. Assim, elegemos como protagonistas deste estudo os sujeitos da EJA e, para tanto, nos aproximamos da base epistemológica construída por Freire e por Gramsci, pois compreendemos que o trabalho faz parte do movimento da vida e que, neste sentido, os processos formativos que constituem a relação entre a educação básica e a educação profissional não se fazem de forma abstrata e/ou fragmentada, mas considera a materialidade da vida e, portanto, o saber e a cultura do sujeito. Elegemos como objeto de estudo o Programa Nacional de Integração Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (PROEJA), desenvolvido no Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), no período de 2009-2012. O problema central visa investigar: qual(is) concepção(ões) de práticas educativas moveram o desenvolvimento do Curso Técnico Agropecuário do PROEJA/IFPA-Castanhal (2009-2012)? Quanto ao objetivo central buscamos: Analisar, considerando a visão dos diferentes sujeitos envolvidos no processo educativo, as práticas educativas que moveram o desenvolvimento do Curso Técnico Agropecuário do PROEJA/IFPA-Castanhal (2009-2012). O estudo foi desenvolvido considerando a perspectiva da pesquisa qualitativa e, para coletarmos as informações, realizamos entrevistas narrativas com a coordenação pedagógica, educadores - considerando as diferentes áreas do conhecimento - e educandos
Mostrar mais

211 Ler mais

AS DIFICULDADES DE INTERPRETAÇÃO DE ENUNCIADOS POR ALUNOS DA EJA: REFLEXÃO E DESAFIOS PARA O PROFESSOR

AS DIFICULDADES DE INTERPRETAÇÃO DE ENUNCIADOS POR ALUNOS DA EJA: REFLEXÃO E DESAFIOS PARA O PROFESSOR

A realidade que encontramos no atual cenário educacional é que, não obstante a Educação de Jovens e Adultos obteve avanços ao longo de sua história e apesar de ter conquistado garantias instituídas por lei, o seu cumprimento não ocorre efetivamente, pois, as instituições não têm oferecido um ambiente propício para a aprendizagem e permanência desses alunos, os recursos didáticos utilizados na aula são escassos, não há materiais específicos para esse público e os conteúdos trabalhados não são contextualizados com a realidade dos alunos. Com isso, as dificuldades encontradas são muitas –não só com relação à leitura e interpretação de dados e enunciados, mas em todo o processo de ensino e aprendizagem – e acabam por provocar um alto índice de evasão, e o desenvolvimento desses sujeitos fica aquém das suas expectativas e da proposta da EJA.
Mostrar mais

6 Ler mais

Filipa Isabel Loureiro Alves Machado

Filipa Isabel Loureiro Alves Machado

Se é verdade que a dominação cultural e o funcionamento do sistema educativo e seus agentes são factores que contribuem para o fenómeno do insucesso e abandono escolar, não é menos verdade que a relação entre os alunos e suas famílias, a escola e o mercado de trabalho constituem igualmente factores propiciadores de trajectórias de insucesso. Isto porque muitas empresas, em todos os sectores de actividade e de todas as dimensões, funcionavam e continuam a funcionar como alternativa a percursos escolares e formativos mais prolongados, absorvendo os jovens com baixas qualificações, os quais vêm no prosseguimento de estudos superiores uma possibilidade muito limitada, optando pela aceitação de postos de trabalho que, apesar de pouco qualificados, lhes permitem obter algum aumento nos precários orçamentos familiares. Esta opção – muitas das vezes apoiada pela própria família – tem por base a ideia de que quem estuda não é para ser trabalhador, pois para que isso aconteça não é preciso estudar, desvalorizando-se, desta forma os diplomas escolares.
Mostrar mais

106 Ler mais

O aluno do PROEJA no município de Muriaé: Escola Municipal “Professora Odaléia Morais de Azevedo”

O aluno do PROEJA no município de Muriaé: Escola Municipal “Professora Odaléia Morais de Azevedo”

Para atingir os objetivos propostos, op- tou-se por uma revisão de literatura sobre o processo da educação de jovens e adul- tos, mediante utilização de livros, artigos, periódicos, entre outras publicações, que tratam do tema, como também a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96), nos artigos 37 e 38. Para tanto, foram feitos fichamentos, resumos, resenhas e análise de todo o material bibli- ográfico selecionado (ANDRADE, 2004; CARMO et al., 2008; FRIGOTTO, 2015; HADDAD; DI PIERRO, 2000; PAIVA, SOARES, BARCELOS, 2014). E valeu-se de questioná- rio, também como instrumento de pesqui- sa, constituído de 10 questões objetivas, aplicado a quatro turmas da EJA, duas tur- mas do 6º ano e duas do 8º, da Escola Mu- nicipal “Professora Odaléia Morais de Aze- vedo”, no município de Muriaé – MG. A amostra foi constituída por 55 alunos, sen- do 46 do sexo feminino e 09 do masculino. Utilizou-se estatística simples para análise dos dados, visto que fornece métodos para coleta, organização, descrição, análise e interpretação deles.
Mostrar mais

10 Ler mais

Saúde e números: uma parceria de sucesso.

Saúde e números: uma parceria de sucesso.

A aplicação das atividades mostrou-se como uma potencialidade além das expectativas da pesquisa. Das três atividades aplicadas para mais de cinquenta estudantes, apenas uma dupla não esteve favorável à proposta, isto porque, independentemente da modalidade, existe a preocupação com o vestibular, tornando necessária essa discussão nas salas de aula de PROEJA. Nesse sentido, foram reformuladas unidades para estudo de temas como o plano cartesiano, funções, análise combinatória, geometria espacial e geometria analítica. Em seguida foram revisadas as fichas de orientação ao professor, de forma a flexibilizar o tempo para a utilização do Caderno Saúde e Números, possibilitando, sempre que possível, o enriquecimento das aulas de Matemática para a formação emancipatória e crítica dos jovens e adultos.
Mostrar mais

18 Ler mais

Ensino noturno: desconhecimento do trabalho e novos desafios

Ensino noturno: desconhecimento do trabalho e novos desafios

Esse enorme contingente de indivíduos aos quais o direito à instrução foi sistematicamente negado, ao longo de toda a história, tem reivindicado o pleno exercício da cidadania, exercitando-a de forma cada vez mais ativa, através da crescente participação nos movimentos sociais e políticos. Este é talvez o maior testemunho de que a educação é um processo social mais amplo e que muitas das experiências educativas de vastos setores das classes trabalhadoras passam ao largo das experiências propiciadas na instituição escolar, isto é, desenvolvem- se no próprio processo de trabalho, nos movimentos sociais, nas demais instituições da sociedade (associações, sindicatos, partidos etc.) (Manfredi, Sguissardi e Siqueira, 1989, p.3).
Mostrar mais

33 Ler mais

Repositório Institucional da UFPA: As relações intergovernamentais e as políticas educacionais

Repositório Institucional da UFPA: As relações intergovernamentais e as políticas educacionais

O financiamento da educação no Brasil, no período de 1983 a 1990 e, em especial, o financiamento da escola pública do ensino fundamental do Estado do Pará e Município de Belém, será an[r]

450 Ler mais

Show all 10000 documents...