Top PDF Aprendizagem sobre artefatos tecnológicos

Aprendizagem sobre artefatos tecnológicos

Aprendizagem sobre artefatos tecnológicos

Todos os ambientes de aprendizagem refletem, explicita ou implicitamente, as crenças de seus idealizadores sobre como os indivíduos adquirem, organizam e utilizam novos conhecimentos. De certa maneira, os ambientes operacionalizam estas bases através das estratégias de desenho e programação que são implementadas. A pesquisa cognitiva, desde então, influenciou de forma acentuada os sistemas construídos. Nas décadas de 70 e 80, esta pesquisa e os ambientes focalizam questões como as limitações e capacidades de seleção e processamento, forneciam estímulos para a organização dos tópicos em unidades que faziam sentido e para a integração do novo conhecimento com o conhecimento existente. A teoria do processamento da informação mudava o foco das condições externas para a aprendizagem para os processos internos de selecionar, codificar e recuperar informações. Conceitos como memória de curto e de longo prazo passaram a fazer parte do vocabulário dos projetistas e desenvolvedores de ambientes de aprendizagem baseados em computador, bem como nossas limitações quanto à capacidade de processamento. Datam também desse período conceitos como elaboração (Anderson & Reder, 1979), significância e relevância (Mayer, 1984; 1989), e conceitos relacionados a variáveis individuais, como metacognição e auto-eficiência percebida (Salomon, 1986). Não que estes conceitos não fossem usados antes, mas passaram a ser usados de formas diferentes, na medida em que a metáfora da mente do individuo como com computador, ganhou predominância nesta época. A ciência cognitiva foi instrumental concebendo a aprendizagem como um processo mediado internamente pela arquitetura neural e psicológica do indivíduo. Tratava-se de uma teoria de fácil extensão e que podia ser compreendida sem muitas dificuldades por especialistas de diferentes áreas.
Mostrar mais

236 Ler mais

Uma investigação sobre paradigmas tecnológicos e abordagens pedagógicas dos tutores inteligentes nos sistemas de ensino-aprendizagem

Uma investigação sobre paradigmas tecnológicos e abordagens pedagógicas dos tutores inteligentes nos sistemas de ensino-aprendizagem

Quando procuramos decidir quanto a uma seqüência de exercícios para executar a estratégia acima, vemo-nos imediatamente diante de uma tarefa quase impossível. Estudantes destrímanos e canhotos acharão difíceis letras diferentes. Estudantes com predominância da mesma mão diferirão entre si quanto ao que acham difícil. Não só isso, mas o mesmo estudante em pontos diferentes do treinamento tem probabilidade de achar que precisa mudar os itens que exigem mais exercício. Parece, portanto, tratar-se de um caso para desenvolvimento de um sistema capaz de estruturar sua seqüência de exercícios durante o curso real de treinamento. Esse sistema precisaria ser continuamente informado sobre o estado de habilidade do aprendiz para lidar com cada uma das letras, de modo que pudesse distribuir apropriadamente os exercícios. (...) As letras são apresentadas uma de cada vez em uma tela e permanecem até que seja feita a reação correta, ocasião em que se apresenta imediatamente uma nova letra. A mudança de letra, é portanto, para o aprendiz, uma indicação imediata de que sua reação foi correta. Cada vez que surge uma reação correta, a máquina anota o tempo gasto pelo aprendiz. Com base nos sucessivos tempos de reação, deduz-se um tempo médio para todas as reações, e esse tempo médio é continuamente atualizado à medida que prossegue o treinamento. A máquina compara o tempo de reação de cada indivíduo com o tempo médio e, com base nisso, decide se o aprendiz está ou não tendo dificuldade com determinada letra. (Kay et al, 1970, p.35-36)
Mostrar mais

203 Ler mais

As contribuições dos recursos tecnológicos para a aprendizagem de pessoas com déficit intelectual

As contribuições dos recursos tecnológicos para a aprendizagem de pessoas com déficit intelectual

Ainda, segundo o autor, o computador não deve ser o foco de um novo processo, mas um instrumento que permita a complementação, aperfeiçoamento e possível transformação e mudança para a qualidade do ensino. Isto porque o computador sozinho não promove aprendizado, cabe ao professor à tarefa de instigar, provocar, questionar o aprendiz para que ele possa observar e refletir sobre as informações que recebe e elaborar conhecimento. Esse conjunto de informações, se devidamente trabalhadas, poderá possibilitar sua construção de conhecimento.

11 Ler mais

Objetos de aprendizagem: um panorama da produção acadêmica nacional

Objetos de aprendizagem: um panorama da produção acadêmica nacional

A categoria temática Formação de Professores agregou apenas três produções acadêmicas; entretanto, considera-se esta temática de suma importância para que possamos progredir na utilização dos recursos tecnológicos no contexto educacional. Segundo Aguiar e Flôres (2014) cabe ao professor selecionar, avaliar e atribuir intencionalidade pedagógica aos OA que serão utilizados no contexto da sala de aula. Para tanto, é necessário que o professor tenha conhecimentos básicos sobre tecnologia e reconheça a necessidade e a importância de utilizar as TDIC no contexto educacional, uma vez que, quando estes recursos são selecionados e utilizados de maneira adequada, proporcionam motivação e enriquecem o processo de ensino-aprendizagem dos estudantes (BARROS; BRIGHENTI, 2004; SANTAROSA; CONFORTO, 2012). Nessa perspectiva, consideramos de suma importância oferecer formação específica para os professores, para que estes se tornem competentes digitalmente e utilizem os recursos tecnológicos de maneira criativa e produtiva em sala de aula. Autores como Almeida (2000), Altoé e Fugimoto (2009) apontam que a formação de professores em relação aos recursos tecnológicos é imprescindível frente ao avanço digital dos últimos anos. Sendo assim, consideramos condição sine qua non, para aqueles que pretendem ser ou manterem-se professores, formação específica na área e superação das barreiras atitudinais em relação à utilização das TDIC.
Mostrar mais

20 Ler mais

E-conteúdos : o e-learning na Universidade Estadual da Paraíba, Brasil

E-conteúdos : o e-learning na Universidade Estadual da Paraíba, Brasil

Segundo Hanna (2000) entre outros autores, um professor em EAD deverá orientar-se por determinados princípios básicos e na elaboração de um curso a distância deverá conhecer a sua fundamentação pedagógica; determinar a sua filosofia de ensino e aprendizagem; aprender novas habilidades para o ensino on-line; conhecer os seus formandos; conhecer o ambiente on-line; aprender sobre tecnologias; aprender sobre os recursos tecnológicos; reconhecer a ausência da presença física; criar múltiplos espaços de trabalho, interacção e socialização; incluir múltiplos tipos de interacção; estabelecer o tamanho da classe desejável; criar relacionamentos pessoais on-line; desenvolver comunidades de aprendizagem, aprender por meio do diálogo; estar preparado e ser flexível; definir as suas regras para as aulas on-line; esclarecer as suas expectativas sobre os papéis dos aprendizes.
Mostrar mais

104 Ler mais

XVII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (XVII ENANCIB) GT 6 – Informação, Educação e Trabalho AÇÕES FORMATIVAS PARA MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO ACTIONS FORMATION FOR MEDIATION OF INFORMATION

XVII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (XVII ENANCIB) GT 6 – Informação, Educação e Trabalho AÇÕES FORMATIVAS PARA MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO ACTIONS FORMATION FOR MEDIATION OF INFORMATION

Resumo: Apresenta resultados de ações de informação em desenvolvimento no regime de informação do Projeto Laboratório de Tecnologias Intelectuais LT ‒ i integradas a atividades de pesquisa, ensino e extensão na Universidade Federal da Paraíba visando promover competências em tecnologias intelectuais para produção e compartilhamento de artefatos de informação na Internet. Descreve a pesquisa, caracterizada como exploratória e descritiva, adotando-se a metodologia da pesquisa-ação. Aponta a emergência de novas propostas no cenário da educação universitária, destacando os objetos digitais de aprendizagem, reconhecidos como artefatos tecnológicos que buscam atender à diversidade de estratégias e propostas pedagógicas contemporâneas. Relata que artefatos de informação compreendidos como objetos de aprendizagem são produzidos no regime de informação do LTi mediante ações formativas no âmbito do ensino da disciplina Metodologia do Trabalho Científico e compartilhadas na Internet através de ações de mediação de interesse para a comunidade acadêmica. Considera-se que, no âmbito das ações formativas e de mediação em curso no regime de informação do Projeto LTi, a informação mostra-se como fundamento material do conhecimento no processo de ensino-aprendizagem, contribuindo para o desenvolvimento de competências informacionais nos participantes.
Mostrar mais

18 Ler mais

Aprendizagem da matemática com recurso a materiais tecnológicos

Aprendizagem da matemática com recurso a materiais tecnológicos

O desenvolvimento curricular realiza-se assim nos diversos níveis curriculares e as investigações sobre a sua prática mostram-no como um processo interpessoal que reúne vários actores com diferentes pontos de vista sobre o ensino e aprendizagem e com poderes, explícitos ou implícitos, de decisão curricular; um processo político que se traduz na tomada de decisões a nível nacional, regional e local e que conta com a influência de vários grupos que dispõem de poder de negociação curricular; um empreendimento social envolvendo pessoas no desempenho de papéis — com as potencialidades, disponibilidades e obstáculos inerentes — de acordo com diferentes interesses, valores e ideologias; um processo de colaboração e cooperação entre os diversos intervenientes que tomam decisões curriculares; e finalmente, como um sistema desarticulado de tomada de decisões, que não é puramente racional e cientificamente objectivo nem nitidamente sequenciado e sistemático e que depende de um método prático e simples (as decisões curriculares são tomadas através de movimentos pequenos e progressivos ou sobre problemas específicos e não através de reformas globais) (Pacheco, 2001).
Mostrar mais

7 Ler mais

JOSÉ ANTONIO MARUYAMA O USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS VISITAS ESCOLARES DO CENTRO DE CIÊNCIAS DE ARARAQUARA: ANÁLISE SOBRE A GINCANA TECNOLÓGICA E INVESTIGATIVA DE QUÍMICA

JOSÉ ANTONIO MARUYAMA O USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NAS VISITAS ESCOLARES DO CENTRO DE CIÊNCIAS DE ARARAQUARA: ANÁLISE SOBRE A GINCANA TECNOLÓGICA E INVESTIGATIVA DE QUÍMICA

O presente trabalho aborda o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) na Gincana Tecnológica e Investigativa de Química, atividade do Centro de Ciências de Araraquara, museu de ciências da Unesp. Os objetivos do trabalho foram investigar a utilização desses recursos na atividade, a concepção desses participantes sobre tal utilização e as contribuições para o Ensino de Química. Os sujeitos de pesquisa foram os alunos visitantes do museu e a coleta de dados se deu através da aplicação de questionário ao término das visitas. Os dados indicaram a participação de alunos da rede pública, particular e do sistema SESI durante o período de análise. Observou-se que o computador se materializa como uma ferramenta cultural e que é utilizada pelos visitantes, durante a GTIQ, para realizar a ação de resolução da atividade proposta. Fazendo uso também da internet para a busca de informações, os visitantes indicaram se apropriar desse recurso como mediador da ação. Assim podemos sinalizar que a utilização dos recursos tecnológicos muda a relação dos alunos com os conteúdos químicos, uma vez que eles se demonstraram mais interessados ao utilizarem equipamentos com o qual possuem grande afinidade (celulares e computadores). Outro fator importante a se ressaltar é que o uso das TICs faz com que a busca por informações se tornasse mais dinâmica, o que, na visão dos visitantes, facilitou as pesquisas e as tornou mais motivadoras. As TICs utilizadas durante a GTIQ desempenharam papel motivacional, despertando o interesse dos visitantes pelos assuntos e chamando a atenção dos mesmos para os temas abordados. As TICs, sendo utilizadas em uma abordagem investigativa, estimularam uma participação ativa dos visitantes. Os recursos tecnológicos utilizados durante as atividades da Gincana tiveram suas potencialidades exploradas, ajudando os visitantes na resolução dos problemas apresentados e estimulando a utilização da internet como ambiente de aprendizagem.
Mostrar mais

107 Ler mais

Aprendizagem on-line na implementação de recursos tecnológicos como apoio à disciplina...

Aprendizagem on-line na implementação de recursos tecnológicos como apoio à disciplina...

Os setores públicos, principalmente nas áreas ambientais, muito se utilizam do Geoprocessamento, especialmente no auxílio à elaboração de planos diretores de municípios, gerenciamento cadastral de imóveis, elaboração de planos de manejo e monitoramento de áreas de preservação, como mananciais, estações, parques ecológicos, etc..Um exemplo é o trabalho de Mazza, Mazza e Santos (2005), sobre a unidade de conservação Floresta Nacional de Irati, no Paraná, que utilizou o Sensoriamento Remoto e o SIG para a realização de um diagnóstico ambiental, como base para a elaboração do zoneamento ecológico e do plano de manejo, os quais auxiliaram na conservação dos recursos naturais desta área de preservação.
Mostrar mais

139 Ler mais

Artefatos ou instrumentos no Métier do professor de língua inglesa da rede pública: recursos tecnológicos e o agir docente nos textos de instrução ao sósia

Artefatos ou instrumentos no Métier do professor de língua inglesa da rede pública: recursos tecnológicos e o agir docente nos textos de instrução ao sósia

; BRONKCART, MACHADO, 2004; MACHADO et al., 2009a, 2009b). Nos discursos produzidos pela IS, vê-se que tanto S1 quanto S2 relatam, em seu agir-linguageiro, o modo como utilizam os instrumentos tecnológicos, em especial o computador e a internet, a partir dos esquemas de uso tanto para preparar o material do conteúdo programático de LI quanto para a prática pedagógica no laboratório de informática. Os elementos linguístico-discursivos detectados nos textos da IS apontam que ambas, S1 e S2, estão instrumentadas, isto é, significa que a apropriação dos artefatos pelas professoras participantes produziu e reproduziu ações, atualizou, reformulou, assimilou e transformou suas tarefas e, assim, potencializou seus esquemas mentais de uso. De acordo com os resultados alcançados, entende-se que as professoras participantes têm uma imagem da tecnologia como uma “fórmula mágica” que auxilia o processo de ensino e aprendizagem de língua inglesa.
Mostrar mais

236 Ler mais

Uso de Blogs no Processo de Aprendizagem de Literatura no Ensino Médio

Uso de Blogs no Processo de Aprendizagem de Literatura no Ensino Médio

Diante de todas essas orientações para o Ensino Médio e da constatação de que é preciso avançar a reflexão sobre o ensino de literatura na escola, surgem alguns questionamentos: Como tornar o ensino da literatura algo que integre análise de texto literário e tendências artísticas, fugindo de um ensino meramente classificatório e esquemático da literatura e usando as mídias como ferramentas para aproximar o aluno dos textos literários? De que forma os recursos tecnológicos podem ser usados no ensino da literatura de forma a promover a aprendizagem dessa arte e, ao mesmo tempo, motivar os alunos para o estudo do texto e prepará-los para os desafios de exames avaliativos necessários para o ingresso no ensino superior? Diante de tais interrogações, entende-se que: i) a formação de professores que atuam nesse nível de ensino merece atenção, pois é necessário, nos cursos de formação docente, discutir metodologias que sejam adequadas ao contexto de alunos familiarizados com as tecnologias; ii) existe a necessidade iminente de a escola estar preparada para acolher alunos que usam as TIC’s diariamente e as consideram ferramentas de comunicação, informação e conhecimento para que esses alunos não se afastem da escola e a vejam como instituição de construção de saberes e ainda de propiciar àqueles que não dominam as TIC’s condições de conhecê-las e explorá-las; iii) as aulas em geral e as de literatura em particular, para atingir o interesse desse grupo discente cada vez maior precisam usufruir dos mesmos recursos usados pelos alunos para se aproximá-los da aprendizagem proposta e assim ressignificar o processo de ensino-aprendizagem, explorando o uso das tecnologias na Educação Básica.
Mostrar mais

18 Ler mais

O ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL SOB A ÓTICA CTS: UMA PROPOSTA DE TRABALHO DIANTE DOS ARTEFATOS TECNOLÓGICOS QUE NORTEIAM O COTIDIANO DOS ALUNOS

O ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL SOB A ÓTICA CTS: UMA PROPOSTA DE TRABALHO DIANTE DOS ARTEFATOS TECNOLÓGICOS QUE NORTEIAM O COTIDIANO DOS ALUNOS

Este artigo apresenta o resultado de um estudo realizado com dezesseis alunos do 2º ano do 2º ciclo dos anos iniciais da rede Municipal de ensino da cidade de Ponta Grossa, PR, Brasil, em relação aos artefatos tecnológicos do seu cotidiano. O objetivo do estudo foi proporcionar aos alunos uma alfabetização científica e tecnológica, numa abordagem CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade), partindo do eixo temático Recursos Tecnológicos proposto pelos Parâmetros Curriculares Nacionais na área de Ciências. A abordagem metodológica foi a qualitativa de natureza interpretativa com observação participante. Dentre as atividades organizadas pode-se citar: a visita a uma cooperativa de reciclagem, entrevista com um cientista, apresentações de miniaulas pelos alunos, confecção de folders, produções escritas, bem como uma Feira Tecnológica onde os alunos realizaram exposições para a comunidade escolar e para os pais. Ao final do estudo, percebeu-se que os alunos já conseguiam fazer reflexões sobre as questões sociais do desenvolvimento científico e tecnológico, porém enfatiza-se a necessidade de essas reflexões continuarem ocorrendo durante a sua vida escolar, pois se acredita que só dessa forma a postura reflexiva acerca da Ciência e da Tecnologia será internalizada. Salienta-se que esses são dados da dissertação de mestrado apresentada por Fabiane Fabri ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa (UTFPR-PG).
Mostrar mais

29 Ler mais

Design da informação para artefatos computacionais: fluxos e interações | Information design for computational artifacts: flows and interations

Design da informação para artefatos computacionais: fluxos e interações | Information design for computational artifacts: flows and interations

Este artigo tem como objetivo produzir subsídios que auxiliem a compreensão de implicações da difusão de tecnologias computacionais embarcadas sobre práticas de design e de design da informação. Para tanto foi conduzida uma revisão bibliográfica e documental visando caracterizar artefatos com computação embarcada (artefatos computacionais) e evidenciar particularidades de projeto e desenvolvimento destes artefatos. A trajetória tecnológica dos sistemas computacionais embarcados é introduzida com ênfase nos aspectos relacionados à sua difusão. Em seguida os artefatos computacionais são caracterizados em termos de sua estrutura e em termos comparativos com artefatos existentes. Particularidades de projeto e desenvolvimento de artefatos computacionais são evidenciadas e formas típicas de aprendizagem são identificadas, incluindo as comunidades de prática que se formaram em torno desta difusão tecnológica. Por fim, discute-se as implicações desta difusão tecnológica para o design. Sugere-se uma ampliação de escopo e de objeto de estudo e projeto para o design da informação a fim de viabilizar contribuições efetivas para o design de artefatos computacionais.
Mostrar mais

14 Ler mais

A percepção dos discentes quanto aos recursos tecnológicos de informação e comunicação que contribuem nos processos de aprendizagem

A percepção dos discentes quanto aos recursos tecnológicos de informação e comunicação que contribuem nos processos de aprendizagem

Esta aula contou com a presença de vinte sujeitos da pesquisa. Mesmo se tratando de aula com filme (colégio Wilson), três sujeitos da pesquisa fizeram o intervalo. Cinco sujeitos da pesquisa acessaram o celular enquanto o filme era apresentado, dos quais, apenas um sujeito da pesquisa assim o fez até o final do filme. O tempo de duração do filme foi de 1h50m. A professora se sentou no final da sala (última fila). A cena que mais chamou a atenção dos sujeitos da pesquisa foi o da audiência. A sala de aula estava disposta em: janela, três classes unidas, corredor, cinco classes unidas, corredor, três classes unidas e janela. O nome do filme era Escritores da Liberdade. Às 21h25m, três sujeitos da pesquisa retornaram do intervalo de posse dos seus alimentos. Dois alunos retornaram do intervalo às 21h40m, um sujeito da pesquisa citou o filme como fantástico. Seis sujeitos da pesquisa afirmaram já terem assistido ao filme, mas quando questionados pela professora qual o nome do filme, um deles não soube responder. Um sujeito da pesquisa diz que iria rever o filme hoje, com olhos de pedagogo, pois foi diferente de quando olhou pela primeira vez, momento que cursava o Ensino Médio, pois trata de um relato importante da construção do perfil docente. A professora menciona que o filme trata de uma história verídica, e, as 21h45m a professora entregou para cada sujeito da pesquisa uma folha com material para discussão sobre a realidade atual das escolas frente ao filme. Um sujeito da pesquisa faz o seguinte relato: o drogado que o filme apresenta o fez se lembrar de uma experiência profissional, assim como a importância do emocional nessas situações, pois na turma em que trabalhou havia um adolescente muito violento, mas que dizia querer ficar na aula o dia inteiro e o abraçava antes de ir embora. Este entende que o papel do professor está além da educação, pois deve contemplar um apoio emocional, já que afirma que os sujeitos da pesquisa dão sinal do que precisam, competindo aos professores a devida interpretação e ação. Um sujeito da pesquisa afirma que a professora do filme fez os alunos verem que podiam ir mais adiante e que a escrita e a leitura fizeram com que a professora atingisse os sujeitos da pesquisa. A docente indica a seguinte leitura: “O Diário de Ane Franke”, a qual, dois sujeitos da pesquisa já leram e outros dois assistiram ao filme. Indica, ainda, “Mentes Perigosas” (narra o cotidiano difícil de uma turma que possui aporte na música e na morte) e “Ao Mestre com Carinho” (um professor negro que é rejeitado pelos sujeitos da pesquisa). Após a exibição do filme, dois sujeitos da pesquisa permaneceram atentos ao celular. Às 22h10m, três sujeitos da pesquisa estavam acessando seus aparelhos de celular.
Mostrar mais

134 Ler mais

O uso dos artefatos tecnológicos virtuais e digitais nas práticas educativas de letramento

O uso dos artefatos tecnológicos virtuais e digitais nas práticas educativas de letramento

Margarida acrescenta: “ Quando falamos em tecnologia sempre fazemos uma relação ao computador ou o que há de mais moderno, pois vivemos num mundo cibernético, mas devemos salientar que tecnologia é tudo que nos leva de uma maneira mais rápida para alcançar um objetivo e quando falamos em letramento e tecnologia é tudo que podemos fazer para que o nosso aluno chegue ao nível mais alto da psicogênese da leitura e da escrita, em outras palavras para nossas crianças do 3º ano do ensino fundamental saiam para o 4º ano lendo fluentemente e escrevendo quase tudo corretamente em pouco tempo. Agora, não podemos deixar de ressaltar a importância dos jogos educativos encontrados na internet, pois é um instrumento indispensável e que interessa as crianças desse novo tempo. Portanto, os recursos tecnológicos que conheço são os jogos pedagógicos que utilizo na minha própria sala de aula e os jogos educativos explorados na sala de Informática da escola”. Demonstra compreender que estamos cercados de tecnologias e que tudo é válido com o intuito de letrar as crianças; também ressalta a importância da aprendizagem lúdica com os jogos proporcionados pelas tecnologias.
Mostrar mais

94 Ler mais

INDICADORES DE DESEMPENHO COMO ARTEFATOS TECNOLÓGICOS NO CONTEXTO DA CIÊNCIA,  TECNOLOGIA E SOCIEDADE

INDICADORES DE DESEMPENHO COMO ARTEFATOS TECNOLÓGICOS NO CONTEXTO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE

Os discentes, o professor e a instituição são os atores de uma rede de interesse e suas relações sociais e organizacionais. Nesse sentido Jackeline Amantino de Andrade (2004) contribui com uma análise relacional sobre a Teoria Ator-Rede (TAR) baseada principalmente nos direcionamentos de Michel Callon e Bruno Latour. Com abordagem das redes interorganizacionais tratando sobre as limitações geradas em se apoiar somente na estrutura não dando a devida importância ao relacional. Apresentando que na perspectiva de análise TAR tem melhor capacidade em integrar relacional e estrutural para se compreender os estudos organizacionais.
Mostrar mais

17 Ler mais

SABERES DOCENTES: VOZES DE PROFESSORES DA INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS

SABERES DOCENTES: VOZES DE PROFESSORES DA INFÂNCIA SOBRE A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS

Favoreçam a imersão das crianças nas diferentes linguagens e o progressivo domínio por elas de vários gêneros e formas expressão: gestual, verbal, plástica, dramática e musical; - Possibilitem às crianças experiências de narrativas, de apreciação e interação com a linguagem oral e escrita, e o convívio com diferentes suportes e gêneros textuais orais e escritos; - Recriem, em contextos significativos para as crianças relações de quantidade, medidas, formas e orientações espaciais; - Ampliem a confiança e a participação das crianças nas atividades individuais e coletivas; - Possibilitem situações de aprendizagem médicas para a elaboração da autonomia das crianças nas ações de cuidado pessoal, auto-organização, saúde e bem-estar; - Possibilitem vivências éticas e estéticas com outras crianças e grupos culturais, que alarguem seus padrões de referência de identidade no diálogo e conhecimento da diversidade; - Incentivem a curiosidade, a exploração, o encantamento, o questionamento, a indagação e o conhecimento das crianças em relação ao mundo físico e social, ao tempo e a natureza; - Promovam o relacionamento e a interação das crianças com diversificadas manifestações de música, artes plásticas e gráficas, cinema, fotografia, dança, teatro, poesia e literatura; - Promovam a interação, o cuidado, a preservação e o conhecimento da biodiversidade e da sustentabilidade da vida na terra, assim como o não desperdício dos recursos naturais; - Propiciem a interação e o conhecimento pelas crianças das manifestações e tradições culturais brasileiras; - Possibilitem a utilização de gravadores, projetores, computadores, máquinas fotográficas, e outros recursos tecnológicos e midiáticos. (BRASIL, 2010, p. 26-28)
Mostrar mais

115 Ler mais

 A Interação com Artefatos Tecnológicos e a Construção do Conhecimento Histórico: Um Estudo com Crianças da 4ª Série do Ensino Fundamental 169p

A Interação com Artefatos Tecnológicos e a Construção do Conhecimento Histórico: Um Estudo com Crianças da 4ª Série do Ensino Fundamental 169p

foram elaboradas com base nas informações dos dados obtidos na internet (o que seria lógico por ser esta a fonte), mas o que chamou atenção foram as cópias que realizaram ou a simples reprodução dos conceitos substantivos. Tal condição nos alerta para a necessidade de se trabalhar de modo mais reflexivo os conteúdos de história, pois os alunos apenas descreveram as informações captadas na rede, e não elaboraram conceitos, críticas, reflexões sobre a temática, notadamente, as fontes históricas. Apesar desta constatação, reconhecemos como limite de nossa metodologia não ter propiciado momentos de discussões sobre a abordagem dos textos, o que poderia ter ampliado nosso entendimento sobre o pensamento histórico dos mesmos e se constitui como questão para estudos posteriores.
Mostrar mais

169 Ler mais

NORMALIZAÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE INGLÊS: UM ESTUDO À LUZ DA COMPLEXIDADE

NORMALIZAÇÃO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE INGLÊS: UM ESTUDO À LUZ DA COMPLEXIDADE

. Acesso, pelo iPad, alguns sites estrangeiros também, no idioma inglês, sejam de notícia ou sobre filmes. Sempre recebo vídeos e textos em inglês pelo WhatsApp e o acesso somente pelo iPhone. No Instagram, sigo um monte de nativos de inglês e interajo com eles por meio de comentários nas fotos. Utilizo mais o iPhone, mas algumas vezes também o iPad. E, pelo iPad, sempre acesso vídeos de yoga em inglês, sigo uma instrutora chamada “kinoyoga” que dá instruções em inglês e eu sempre as ouço, pois não tem legenda. De tanto ouvir, já entendo tudo o que ela fala hoje em dia. Também assisto documentários do NationalGeographic, BBC entre outros, sempre em inglês e sem legenda. Se tiver legenda, eu posiciono o iPad de modo que consiga tampá-las, para forçar minha audição. Muitas vezes não entendo tudo, mas mesmo assim sigo em frente. Assisto bastante clipes também pelo YouTube no iPad. Coloco geralmente no iPad os clipes oficiais e no iPhone a letra em inglês, acessada pelo site Vagalume ou outro. Sigo a letra e, se não entender alguma palavra, pesquiso no dicionário, pois não gosto das traduções porque me atrapalham a refletir a letra em inglês.
Mostrar mais

165 Ler mais

ADOÇÃO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS INOVATIVOS NA EDUCAÇÃO: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DA TEORIA INSTITUCIONAL / Adoption of Innovative Technological Resources in Education: a study from the perspective of institutional theory

ADOÇÃO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS INOVATIVOS NA EDUCAÇÃO: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DA TEORIA INSTITUCIONAL / Adoption of Innovative Technological Resources in Education: a study from the perspective of institutional theory

O isomorfismo coercitivo decorre geralmente do problema da legitimidade e emana de pressões formais ou informais advindas da dependência de uma organização sobre a outra, também pode derivar de questões culturais, como, por exemplo, expectativa da sociedade na qual essas organizações operam. O isomorfismo mimético tem relação direta com a incerteza, gerando, assim, proposta padronizada, e instiga a imitação. O isomorfismo normativo permeia a questão da profissionalização, comumente da luta dos indivíduos pela acepção coletiva da realização de seu trabalho, tentando constituir uma base cognitiva, bem como a legitimação para realizar aquela profissão com autonomia, em que essa profissionalização está instituída; os campos organizacionais serão norteados pela competição por status (DIMAGGIO; POWELL, 1983).
Mostrar mais

18 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados