Top PDF Avaliação do estado nutricional de universitários

Avaliação do estado nutricional de universitários

Avaliação do estado nutricional de universitários

O Brasil tem apresentado profundas modificações no perfil nutricional de sua população, fruto da transição nutricional – que direciona para uma dieta ocidental e que, aliada à diminuição da atividade física, leva ao aumento de casos de obesidade. O estado nutricional de universitários foi avaliado por meio de antropometria, bioimpedância, inquéritos alimentares e exames bioquímicos e correlacionados com dados de atividade física e sócio-econômicos. De acordo com os resultados obtidos, a maioria dos jovens era eutrófica, segundo o índice de massa corporal, embora se exercitasse uma vez ou menos por semana. Apesar da distribuição de macronutrientes na dieta estar adequada, o consumo de energia, fibras, vitaminas e minerais era deficiente e a ingestão de colesterol elevada. Estes dados foram confirmados nos questionários de freqüência alimentar. Baixos níveis de hemoglobina – sugestivo de anemia – foram encontrados em 22,5% da população e de albumina – indicativo de desnutrição protéica – em 10,9%. A renda mensal per capita correlacionou-se apenas com as circunferências da cintura e do quadril. Em conclusão, embora mantendo peso ideal, a partir das análises alimentares detectou-se hábitos alimentares incorretos nesta população. Este padrão alimentar, embora não associado a alterações na saúde no momento do estudo, está relacionado com risco futuro de doenças, não só nutricionais como também com doenças cardiovasculares e cânceres.
Mostrar mais

109 Ler mais

Insatisfação com a imagem corporal: avaliação comparativa da associação com estado nutricional em universitários.

Insatisfação com a imagem corporal: avaliação comparativa da associação com estado nutricional em universitários.

Física Curricular (oferecida como disciplina optativa para os alunos de todos os cursos) de uma universidade pública da região de Florianópolis, estado de Santa Catarina, Brasil. Primeiramente, todos os professores foram convidados a colocar as suas turmas à disposição da pesquisa e liberar os seus respectivos horários para a coleta dos dados. Em seguida, os alunos das turmas em que os professores concordaram em participar do estudo foram informados com antecedência sobre os propósitos do estudo e datas da coleta dos dados. Dentro de cada turma participante, todos os alunos interessados foram incluídos na amostra e submetidos à avaliação. Conforme informações da secretaria acadêmica, 1.034 alunos estavam regularmente matriculados na disciplina. Aceitaram participar do estudo 263 (25,4%) universitários, sendo 133 do sexo masculino e 130 do sexo feminino. Após serem excluídos os indivíduos que não prestaram informações sobre a imagem corporal (cinco homens e duas mulheres), foram analisados dados de 256 participantes, distribuídos em proporções iguais entre os sexos. Todos os participantes foram convidados a preencher um questionário que incluía informações específicas sobre sexo, idade e percepção da imagem corporal.
Mostrar mais

8 Ler mais

Repositório Institucional UFC: Estado nutricional, prática de exercício físico e comportamento sedentário em universitários do curso de educação física

Repositório Institucional UFC: Estado nutricional, prática de exercício físico e comportamento sedentário em universitários do curso de educação física

As Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) são caracterizadas por serem de longa duração e progressão geralmente lenta além de não serem transmitidas de pessoa para pessoa. Alguns fatores de risco, tais sedentarismo e alimentação inadequada podem aumentar a probabilidade das pessoas desenvolverem tais doenças. Portanto, os profissionais de Educação Física têm o papel de promover uma vida ativa, contribuir para adoção de hábitos saudáveis e, assim, colaborar com a prevenção das DCNTs em seus alunos. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo analisar o estado nutricional, prática de exercício físico e comportamento sedentário em universitários do curso de Educação Física da Universidade Federal do Ceará. O estado nutricional dos alunos foi determinado por meio do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) da aplicação de questionário de frequência alimentar. A prática de exercício físico e comportamento sedentário foram avaliados por meio dos questionários sobre prática de atividade física habitual e da análise da versão curta do questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), respectivamente. Foram avaliados 51 universitários do curso de Educação Física da UFC, do primeiro ao oitavo semestre, sendo 35,3 % do sexo feminino, e 64,7 % do sexo masculino. Ao avaliar o estado nutricional dos universitários do curso de educação física da UFC, de acordo com o IMC, observou-se que 58,8 % encontravam- se em eutrofia, em quanto que 41,2 % foram classificados com sobrepeso e nenhum dos alunos encontravam-se no estado de obesidade. Quanto a prática de exercício físico, mais da metade dos estudantes praticavam pelo menos dois tipos de exercícios físicos, entretanto, em relação a prática de um terceiro tipo de exercício físico, essa porcentagem representava menos da metade. Apesar da grande maioria dos alunos praticarem um ou mais tipos de exercícios físicos, o tempo gasto por eles em atividades sedentárias foi elevado, principalmente durante o final de semana. Com a obtenção desses dados foi possível avaliar fatores de risco cardiometabólicos dos futuros professores de Educação Física. Espera-se que este trabalho forneça informações importantes para a implementação de ações e projetos na área de saúde e nutrição.
Mostrar mais

49 Ler mais

Avaliação do estado nutricional da soja.

Avaliação do estado nutricional da soja.

A hipótese de normalidade da distribuição de freqüências foi aceita para 58,2% dos quocientes, entre teores de nutrientes, na subpopulação de alta produtividade. Por sua vez, a transformação logarítmica neperiana possibilitou a aceitação da hipótese testada em 94,5% dos quocientes na subpopulação de alta produtividade, razão pela qual, após esta transformação, a média aritmética e o desvio-padrão de todos os quocientes das relações diretas e inversas, conforme sugerido por Alvarez Venegas & Leite (1999), entre os teores de nutrientes na população de alta produtividade, constituíram as normas ou valores-padrão, em função dos quais se procedeu à avaliação do estado nutricional pelo método DRIS (Tabela 1).
Mostrar mais

8 Ler mais

ASSOCIAÇÃO ENTRE O HÁBITO DE CONSUMO DE CAFÉ DA MANHÃ E ESTADO NUTRICIONAL DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

ASSOCIAÇÃO ENTRE O HÁBITO DE CONSUMO DE CAFÉ DA MANHÃ E ESTADO NUTRICIONAL DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

Resumo: O objetivo do estudo foi avaliar o hábito e a composição do café da manhã de jovens universitários, os fatores que influenciam na realização dessa refeição e sua associação com o estado nutricional. Como metodologia foi aplicado um questionário “online” disponibilizado em uma plataforma virtual de criação de formulários, contendo dados sociodemográficos (nome, idade, gênero, curso e o exercício de atividade remunerada); dados antropométricos (peso e estatura); questões específicas relacionadas ao consumo de café da manhã, como composição, frequência, horário e local de consumo e companhia; e fatores que influenciam na adoção dessa refeição. Foram analisados 143 universitários. Destes, 67,8% possuem consumo regular de café da manhã, sendo mais consumidos alimentos in natura e minimamente processados. Observou-se que alunos da área biológica realizam o café da manhã com maior frequência do que os universitários das áreas de humanas e exatas. Dos participantes, 23,7% possuíam excesso de peso. O estudo concluiu que apenas o ato de realizar ou não o café da manhã não está associado ao estado nutricional. O estado nutricional referente ao peso adequado se relacionou positivamente com o sexo feminino, não exercer atividade remunerada, satisfação corporal e realizar essa refeição sozinho, assim como a maior preocupação com excesso de peso foi relacionada às mulheres e o maior peso aos universitários que exerciam atividades remuneradas.
Mostrar mais

10 Ler mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DO SEXO FEMININO.

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DO SEXO FEMININO.

da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, no ano de 1988. AVALIAÇÃO ANTROPOMÉTRICA - Verificou-se a estatura e o peso corporal de cada estudante utilizando-se balança antropométrica Filizola, (com capacidade para 150 kg e escala de 100 g). As medidas foram tomadas durante o período de inquérito alimentar, sem calçados e com roupa leve, e em horário anterior à refeição (almoço). O peso ideal foi determinado através do método proposto por WEST 2 2 utilizando a relação: PI = altura ( m ) 2 x fator

11 Ler mais

Estado nutricional, consumo alimentar e risco cardiovascular: um estudo em universitários.

Estado nutricional, consumo alimentar e risco cardiovascular: um estudo em universitários.

Estudo do tipo transversal, com base no modelo epidemiológico descritivo, em estudantes regularmente matriculados nos cursos da área de saúde de uma universidade pública da cidade do Rec[r]

10 Ler mais

Avaliação e recomendações nutricionais para crianças e adolescentes com fibrose cística.

Avaliação e recomendações nutricionais para crianças e adolescentes com fibrose cística.

to de risco nutricional baseando-se no percentil de IMC, ganho ponderal por dia e estatura anual (Tabela 3). Como muitas crianças são diagnosticadas após apresentarem alte- ração no desenvolvimento pôndero-estatural, os ganhos de peso e estatura acompanhados longitudinalmente são mais indicativos de alteração do estado nutricional do que o per- centil absoluto de peso e estatura para idade. Considera-se o crescimento como normal quando o peso e a estatura estão entre o percentil 10 e 50. O ganho de peso esperado deverá ser maior quando o percentil for menor (no percentil 10, deverá ser maior do que para o percentil 50). Para validar seu instrumento, McDonald (38) comparou-o com a recomendação
Mostrar mais

8 Ler mais

Rev. paul. pediatr.  vol.35 número3

Rev. paul. pediatr. vol.35 número3

Objetivo: Veriicar associação entre indicadores antropométricos e as escalas Avaliação Nutricional Subjetiva Global (ANSG) e Triagem de Risco para Estado Nutricional e Crescimento (STRONGkids). Métodos: Estudo transversal com pacientes de 0 a 18 anos, internados no Hospital das Clínicas, Goiânia (GO), entre agosto e novembro de 2015. Foram incluídas crianças e adolescentes admitidos em até 48 horas. Excluíram‑se pacientes que requeriam instrumentos específicos para avaliar o estado nutricional e os internados em Terapia Intensiva. Coletaram‑se dados de identiicação, antropométricos e foram aplicadas a ANSG e a STRONGkids. Feita análise de comparação de proporções e avaliação de concordância, sendo signiicante p<0,05.
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação nutricional subjetiva: Parte 1 - Revisão de sua validade após duas décadas de uso.

Avaliação nutricional subjetiva: Parte 1 - Revisão de sua validade após duas décadas de uso.

Foi encontrado aumento progressivo da mortalidade em 3 e 12 meses de acordo com o estado nutricional definido pela ANS. Em pacientes considerados desnutridos graves, mesmo após ajuste para variáveis como características demográficas, gravidade da doença, condições de co-morbidade, e número de atividades diárias dependentes, foram encontrados valores de RO = 3,26 (IC: 1,52 a 6,96) para mortalidade em 3 meses pós-alta hospitalar (tendência linear com P = 0,003), e RO = 2,83 (IC: 1,47 a 5,45) para mortalidade em 1 ano após alta hospitalar (tendência linear com P = 0,003). A associação do estado nutricional com a dependência em pelo menos uma das atividades diárias foi significativa na avaliação nos primeiros 3 meses pós-alta (RO = 2,81, IC: 1,06 a 7,46) mesmo após a análise ajustada pelas variáveis citadas acima, porém não foi mantida esta associação na análise de 1 ano após alta. Também os pacientes considerados desnutridos graves pela ANS tinham maior probabilidade de encontrar- se em clínicas de repouso 1 ano após a alta hospitalar (RO = 3,22, IC: 1,05 a 9,87 após análise ajustada).
Mostrar mais

7 Ler mais

Estado nutricional como fator prognóstico em crianças portadoras de Leucemia Linfocítica Aguda.

Estado nutricional como fator prognóstico em crianças portadoras de Leucemia Linfocítica Aguda.

A presença de desnutrição proteico-calórica ao diagnóstico nas crianças portadoras de LLA parece ser comum em determinados países, por exemplo, no México e Brasil, quando os critérios estabelecidos são os índices de peso para a idade (P/ I) ou estatura para idade (E/ I), 20% a 50%, neste grupo de crianças, são desnutridas (4, 5, 6). Já, em outros países, como Inglaterra, França e Estados Unidos, há diferentes resultados na avaliação do estado nutricional nestas crianças, ao diagnóstico (7, 8, 9, 10, 11, 12).

7 Ler mais

Evolução do estado nutricional de escolares de 1ª a 4ª série da rede pública de Piracicaba/SP no período de 2003 a 2006

Evolução do estado nutricional de escolares de 1ª a 4ª série da rede pública de Piracicaba/SP no período de 2003 a 2006

O estado nutricional da população infantil é um indicador relevante de saúde e qualidade de vida da população. Entretanto, faltam estudos longitudinais que dêem conta de avaliar a evolução do estado nutricional num mesmo grupo populacional, que confiram maior confiabilidade aos resultados. Assim, o objetivo desta pesquisa é, a partir de quatro estudos transversais e um longitudinal, avaliar a evolução do estado nutricional de escolares de 1 a a 4 a séries da rede pública do ensino fundamental da área urbana do município de Piracicaba/SP, de 2003 a 2006. Nesse período foram realizadas 16068 avaliações, sempre no segundo semestre de cada ano, em 9683 escolares de 12 unidades de ensino situadas nas 5 regiões administrativas da cidade de Piracicaba. Esses grupos de escolares avaliados anualmente foram chamados de levantamentos transversais. Ao grupo de escolares (n=347) acompanhado da 1 a a 4 a série, durante o mesmo período dos estudos transversais chamou-se grupo longitudinal. Foram aferidos o peso e a estatura e levantados dados de identificação pessoal (nome completo, sexo, data de nascimento, série e turma na escola). Os dados foram processados pelo programa Epi-info adotando-se a população de referência do NCHS/CDC - National Center Health Statistics/ Centers for Disease control and prevention - 2000 e expressos em escore-Z (Z) e percentil (P) dos indicadores de estatura para idade (E/I), peso para idade (P/I) e índice de massa corporal/idade (IMC/I). Para a classificação do estado nutricional foram adotados três critérios de pontos de corte segundo a curva da população de referência: NCHS/CDC, WHO – World Health Organization - e o adotado pelo Ministério da Saúde do Brasil. Para análise transversal, os escolares foram agrupados por idade, ano de avaliação e região. Já no estudo longitudinal foram agrupados por idade, que coincide com o ano de avaliação. Foi constatado que o estado nutricional destes escolares sofreu alterações caracterizadas pela redução das proporções de crianças com déficit de estatura (<5 o P) de 5,6% a 2,7% no sexo feminino e de 4,4% para 3,6% no masculino. No entanto, ocorreu a manutenção das proporções de crianças nas classes de excesso de peso (≥95 o
Mostrar mais

157 Ler mais

J. Pediatr. (Rio J.)  vol.84 número5

J. Pediatr. (Rio J.) vol.84 número5

sificação nutricional da população, os índices antropométri- cos comumente utilizados para avaliação do estado nutricional preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde do Brasil (MS), ou seja, peso por idade (PI), peso por estatura (PE), estatura por idade (EI) e índice de massa corporal (IMC) 3,4 . Para as crianças (menores de 10

2 Ler mais

Estado nutricional de idosos em um hospital público de Rio Branco, Acre, 2006-20...

Estado nutricional de idosos em um hospital público de Rio Branco, Acre, 2006-20...

Na população estudada, observou-se que o arranjo domiciliar refletiu em fator importante para a manutenção do estado nutricional, não viver com o cônjuge para os idosos refletiu em probabilidade de piora na avaliação nutricional. Estudos sobre consumo alimentar com idosos que sofreram a perda de um cônjuge mostram um efeito adverso no consumo alimentar. Há uma mudança no peso associada a muitos problemas que afetam negativamente a saúde, tais como depressão, alimentação menos eficaz e mudança de comportamento alimentar (QUANDT et al., 2000; SHAHAR et al., 2001), especialmente entre homens acima de 75 anos de idade (CHARLTON, 1999). Apesar da constatação de que idosos que vivem sozinhos, sofram influências negativas na ingestão alimentar diária, principalmente entre homens de 80 anos (DONKIN et al., 1998), existem resultados contraditórios para esta faixa etária especialmente entre as mulheres (LEE et al., 1991).
Mostrar mais

101 Ler mais

Nutritional status of schoolchildren aged 6 to 10 years in the city of Cruzeiro do Oeste - PR

Nutritional status of schoolchildren aged 6 to 10 years in the city of Cruzeiro do Oeste - PR

Objetivo: Avaliar o estado nutricional de escolares. Métodos: Os dados do estudo transversal foram obtidos durante a realização do “Projeto Ações Educativas Relacionadas ao Processo Escolar”, no município de Cruzeiro do Oeste-PR, Brasil. O estudo incluiu crianças de ambos os sexos, matriculadas em todas as seis escolas da rede municipal, no ano letivo de 2010. Realizou-se avaliação antropométrica de 1.074 escolares com faixa etária de 6 a 10 anos, cujas variáveis avaliadas foram peso e estatura para o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), para classificação de acordo com critérios propostos por Cole et al. Resultados: De acordo com o estado nutricional, foram encontrados 5,1% (55) de escolares com baixo peso e uma parcela significativa com sobrepeso e obesidade, 16,6% (178) e 9,8% (105), respectivamente, totalizando 26,4% (283) de escolares com excesso de peso. Não se observou associação entre o estado nutricional dos escolares e os sexos. IMC e idade apresentaram relação direta. Conclusão: A avaliação do estado nutricional dos escolares investigados aponta para a transição nutricional, visto uma parcela significativa das crianças ter sido considerada com sobrepeso e obesa. Destaca-se que a distribuição entre os diferentes estados nutricionais não diferiu entre os sexos, mas apresentou correlação com a idade; à medida que aumenta a idade, o excesso de peso também aumenta.
Mostrar mais

7 Ler mais

Marta Alexandra C Pereira

Marta Alexandra C Pereira

Como tal a circunferência muscular do braço e a prega cutânea tricipital, têm sido de igual forma utilizadas como métodos objetivos para avaliação do estado nutricional de doentes oncológicos (Davies, 2005; Jagoe, Goodship, & Gibson, 2001; Laky et al., 2008). A circunferência muscular do braço permite detetar desnutrição calórico proteica ao estimar as reservas de proteína corporal e ao avaliar a perda de massa muscular (Sarhill et al., 2003). A prega cutânea tricipital reflete a massa gorda subcutânea e a reserva calórica do doente, sendo um método prático e de baixo custo. No entanto a medição das pregas cutâneas requer uma técnica especializada. Considera-se uma depleção leve de massa gorda se os valores se encontram entre o percentil 30-40, depleção moderada entre o percentil 25-30 e depleção grave abaixo do percentil 25 (Sarhill et al., 2003). Um perímetro braquial inferior a 23cm nos homens e a 22cm nas mulheres, é um indicador de desnutrição (Harris & Haboubi, 2005). Em doentes hospitalizados um perímetro braquial inferior ou igual a 25cm prevê um pior desfecho clínico (Powell-Tuck & Hennessy, 2003). Um estudo recente onde se pretendia avaliar a desnutrição pós operatória em doentes com cancro gástrico, encontrou uma redução significativa do perímetro braquial e da prega cutânea tricipital juntamente com uma diminuição do peso e do IMC destes doentes (Ryu & Kim, 2010).
Mostrar mais

80 Ler mais

SARCOPENIA E ESTADO NUTRICIONAL DE IDOSOS: UMA REVISÃO DA LITERATURA

SARCOPENIA E ESTADO NUTRICIONAL DE IDOSOS: UMA REVISÃO DA LITERATURA

Introdução: O envelhecimento populacional tem aumentado a prevalência das doenças crônicas não transmissíveis, síndromes geriátricas e alterações no estado nutricional, comprometendo a qualidade de vida e funcionalidade dos idosos. Objetivo: Levan- tar na literatura científica, estudos relacionados à sarcopenia e sua influência no estado nutricional da população idosa. Material e Métodos: A pesquisa foi realizada a partir das bases de dados PubMed, MEDLINE, LILACS e IBECS. A análise dos estudos envolveu leitura de títulos, resumos e textos completos. Foram incluídos estudos realizados com humanos com idade igual ou superior a 60 anos e publicados entre 2008 e 2012. Foram excluídos artigos de revisão, publicações apresentadas em conferência e simpósios e publicações que relacionavam o estado nutricional e/ou sarcopenia com quedas e com doenças (como câncer, doença pulmonar obstrutiva crônica e/ou doença renal). Resultados: Foi encontrada maior prevalência de sarcopenia em homens. Os idosos institucionalizados apresentaram maior desnutrição do que os que vivem na comunidade. A sarcopenia foi inversamente associada com índice de massa corporal. A sarcopenia foi associada a níveis baixos de vitamina D e à inatividade física. Con- clusão: Estado nutricional adequado mensurado pela mini avaliação nutricional e/ou índice de massa corporal, envolvimento em atividades físicas de lazer diárias por uma hora ou mais, suplementação de vitamina D e de proteínas, parecem prevenir ou tratar os idosos com sarcopenia.
Mostrar mais

5 Ler mais

Estado nutricional e estilo de vida em pacientes com hepatite C crônica

Estado nutricional e estilo de vida em pacientes com hepatite C crônica

para idade e sexo, SM e sedentarismo associaram-se à redução da percentagem da massa magra. No primeiro modelo logístico, aspartato transaminase (AST) to Platelet Ratio Index (APRI) escore (OR = 0,24, CI 95%=0,08-0,72, p = 0,01), gênero feminino (OR = 5,97, CI 95%=2,14- 16,61, p = 0,001), SM (OR = 5,97, CI 95%=1,40-20,19, p = 0,008) e grau de atividade física (OR = 0,51, CI 95%=0,26-0,99, p = 0,05) permaneceram significativamente associados com excesso de gordura corporal, avaliada pela BIA. No segundo modelo logístico, ajustado para idade e sexo, cirrose associou-se com SM (OR = 2,85, CI 95%=1,09-7,44, p = 0,03) e menor grau de atividade física (OR = 0,33, CI 95%=0,13-0,81, p = 0,02). O Homeostatic Model Assessment (HOMA) ≥ 2,7 correlacionou-se com cirrose e APRI escore. Conclusão: Os resultados desse estudo demonstram que, simultaneamente, redução da massa muscular e excesso de gordura corporal podem estar presentes em pacientes com HCC. Neste contexto, a avaliação do estado nutricional de pacientes cronicamente infectados pelo VHC torna-se imprescindível. Abordagem integrada (médica/nutricional/orientação e educação para atividade física) deve ser vislumbrada no cuidado diário de pacientes com HCC.
Mostrar mais

113 Ler mais

Avaliação tardia de pacientes com megaesôfago chagásico operados pela técnica de thal-hatafuku modificada

Avaliação tardia de pacientes com megaesôfago chagásico operados pela técnica de thal-hatafuku modificada

Uma grande preocupação de todos que tratam o megaesôfago chagásico é a incidência aumentada de neoplasia esofágica. Em nossa série foram encontrados 3 pacientes já falecidos por carcinoma epidermóide de esôfago, segundo dados dos prontuários, e um foi diagnosticado durante o estudo. Como a causa da carcinogênese é a estase de alimentos, as técnicas que preservam o órgão persistiriam parcialmente com o fator de risco por manter um órgão atônico, com lentidão de esvaziamento, apesar de os pacientes melhorarem da disfagia e apresentarem melhora do estado nutricional. Desse modo, as operações com ressecção da mucosa seriam as mais adequadas na prevenção do carcinoma. Porém, os trabalhos referentes à esofagectomia mostram grande incidência de refluxo de conteúdo gastroduodenal, levando à esofagite e até a epitélio de Barret , que poderia no futuro levar ao carcinoma de coto esofágico 60,61 , além de maiores taxas de morbidade e mortalidade associadas à ressecção do esôfago
Mostrar mais

60 Ler mais

Acolhimento de refugiados: alimentação e necessidades nutricionais em situações de emergência

Acolhimento de refugiados: alimentação e necessidades nutricionais em situações de emergência

O perímetro do braço sem contração (MUAC, Mid Upper Arm Circumference) poderá ser um indicador alternativo para uma avaliação inicial do estado nutricional, quer em crianças, quer em adultos (6, 8) . Para medir este perímetro, o indivíduo deve permanecer relaxado na posição bípede com os membros superiores pendentes ao longo do tronco. A fita deve ser colocada horizontalmente na circunferência do braço ao nível do ponto médio acromial-radial (46) . O MUAC é usado, também, como ferramenta de monitorização para medir o estado de desnutrição em grávidas e decidir sobre a sua entrada num programa de alimentação seletiva. O MUAC reflete o risco de baixo desenvolvimento do feto, sendo severo quando menor que 20,7 cm e moderado se abaixo dos 23 cm. Neste manual, sugere-se um ponto de corte de 22 cm (8) .
Mostrar mais

112 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados