Top PDF COMPORTAMENTO DE LEVEDURAS DO GÊNERO CANDIDA"IN VITRO" A ANTIFÚNGICOS.

COMPORTAMENTO DE LEVEDURAS DO GÊNERO CANDIDA"IN VITRO" A ANTIFÚNGICOS.

COMPORTAMENTO DE LEVEDURAS DO GÊNERO CANDIDA"IN VITRO" A ANTIFÚNGICOS.

Os agentes antifungicos empregados nos testes de sensibilidade foram os derivados imidazólicos: cetoconazol (Johnson & Johnson Indústria e Comércio S/A), miconazol (Johnson &[r]

6 Ler mais

Identificação de espécies de Candida e susceptibilidade antifúngica in vitro: estudo de 100 pacientes com candidíases superficiais.

Identificação de espécies de Candida e susceptibilidade antifúngica in vitro: estudo de 100 pacientes com candidíases superficiais.

Muitas das espécies não albicans mais comumente isoladas são menos susceptíveis aos derivados azólicos, dificultando o tratamento dessas infecções. Embora a sus- ceptibilidade das leveduras do gênero Candida aos antifún- gicos disponíveis seja variável e previsível, nem sempre uma determinada amostra isolada segue o padrão geral. Essa é uma das razões da crescente importância dos testes de susceptibilidade. O esforço para a padronização desses testes culminou na elaboração da metodologia M27-A do National Committee for Clinical Laboratory Standards (NCCLS). 2,6
Mostrar mais

9 Ler mais

Open Citral e geraniol: atividade antifúngica sobre leveduras do gênero Candida de importância hospitalar

Open Citral e geraniol: atividade antifúngica sobre leveduras do gênero Candida de importância hospitalar

A candidíase é uma infecção oportunista causada por leveduras do gênero Candida. No Brasil, a espécie Candida tropicalis é a segunda mais comumente isolada após Candida albicans. O tratamento convencional das infecções fúngicas não é satisfatório em virtude do surgimento de resistência e dos problemas relacionados à segurança e toxicidade dos fármacos antifúngicos comercialmente disponíveis. Assim sendo, torna-se imprescindível o desenvolvimento de novos medicamentos e terapias alternativas para o tratamento de candidíase. Neste contexto, compostos antifúngicos de origem natural, tais como os terpenos, têm recebido grande atenção nos últimos tempos por serem promissoras ferramentas terapêuticas no tratamento de infecções fúngicas. Por isso, investigou-se a atividade antifúngica dos monoterpenos citral e geraniol sobre cepas de C. albicans e C. tropicalis. A Concentração Inibitória Mínima (CIM) e a Concentração Fungicida Mínima (CFM) foram determinadas pela técnica de microdiluição em caldo. Também, foi investigada uma possível ação dos monoterpenos sobre a parede celular fúngica (ensaio com sorbitol 0,8 M), membrana celular (complexação com ergosterol), curva de morte microbiana e atividade biológica sobre a micromorfologia da levedura. Entre os monoterpenos, o geraniol foi o mais potente, pois apresentou menor valor de CIM (16 µg/mL). Já para o citral, a CIM e CFM foi de 64 µg/mL para 15 das 16 cepas testadas. De acordo com os resultados da CIM, duas cepas de C. albicans (ATCC 76485 e LM-70) e C. tropicalis (ATCC 13803 e LM-118) foram escolhidas para os outros testes. O resultado do possível mecanismo de ação, mostrou que não houve envolvimento com a parede celular (CIM idêntica no meio com e sem adição de sorbitol) ou ligação ao ergosterol (CIM idêntica no meio com e sem adição de ergosterol). No ensaio da interferência dos monoterpenos sobre a morfologia da levedura, observou-se que tanto o citral quanto o geraniol inibiram a formação de clamidoconídios e pseudo-hifas. Foi verificado também que os monoterpenos têm atividade antifúngica dependente da concentração. Conclui-se, assim, que os monoterpenos citral e geraniol apresentaram potencial atividade antifúngica in vitro contra as cepas testadas, denotando serem promissores agentes antifúngicos com potencial aplicabilidade no tratamento de infecções causadas por leveduras do gênero Candida, como aquelas que acontecem no ambiente hospitalar.
Mostrar mais

84 Ler mais

Suscetibilidade a antifúngicos in vitro de Candida spp. em pacientes do Hospital Universitário Regional de Maringá-PR.

Suscetibilidade a antifúngicos in vitro de Candida spp. em pacientes do Hospital Universitário Regional de Maringá-PR.

Introdução: No ambiente hospitalar, são frequentes as infecções por leveduras do gênero Candida spp., o que torna esse assunto um importante alvo de estudos. Objetivo: Avaliar o perfil de suscetibilidade aos antifúngicos de espécies de Candida de pacientes internados no Hospital Universitário Regional de Maringá-PR (HURM). Material e métodos: As amostras foram submetidas ao teste de microdiluição em caldo (MD), segundo o documento M27-A3 para determinação da concentração inibitória mínima (CIM), e ao teste de difusão em disco de acordo com o documento M44-A2, ambos do Clinical Laboratory Standarts Institute (CLSI). Resultados e discussão: Foram obtidos 91 isolados provenientes de amostras de urina, hemocultura, ponta de cateter, secreção orotraqueal, entre outros, sendo 38 Candida albicans, 23 C. tropicalis, 16 C. gabrata, 10 C. parapsilosis e quatro C. krusei. Dos antifúngicos testados, anfotericina B, voriconazol e anidulafungina foram os mais eficazes. Conclusão: A comparação entre as metodologias de microdiluição em caldo e disco difusão (DD) mostrou boa correlação para fluconazol para a maioria das espécies de Candida spp., sendo possível destacar que a DD é útil para triagem dos principais antifúngicos usados na prática clínica. No entanto, casos de resistência detectados por DD devem ser confirmados por meio do método de MD, evitando, assim, resultados falsos resistentes, melhorando a eficácia e a segurança do tratamento.
Mostrar mais

7 Ler mais

Open Atividade antifúngica do geraniol sobre leveduras  do gênero candida e perfil farmacológico e toxicológico em estudos in silico

Open Atividade antifúngica do geraniol sobre leveduras do gênero candida e perfil farmacológico e toxicológico em estudos in silico

Atualmente, em todo globo terrestre tem ocorrido o aumento da frequência dos casos de candidíase, infecção oportunista comumente tratada com fluconazol. Com o uso indiscriminado deste e outros antifúngicos tem se emergido casos de candidíase por cepas multirresistentes tornando-se necessário a busca por novos fármacos. Vários produtos naturais a exemplo do monoterpeno geraniol têm demonstrado atividade antimicrobiana frente a diversos micro-organismos. Buscando alternativas para o tratamento da candidíase o presente estudo objetivou-se avaliar a atividade antifúngica do geraniol frente a cepas de Candida albicans, C. glabrata e C. krusei resistentes ao fluconazol por meio de técnicas de microdiluição, avaliando-se a concentração inibitória mínima – CIM, concentração fungicida mínima – CFM, efeito na parede celular (ensaio de sorbitol), ligação ao ergosterol da membrana, efeito de associação deste monoterpeno com antifúngicos fluconazol e anfotericina B pelo técnica de checkeboard e ensaio de modulação. Verificou-se também a os parâmetros farmacológicos, toxicológicos e possíveis espectros de atividade do geraniol por meio de ensaios in silico utilizando-se os softwares Osiris, Molinspiration e Pass online. As análises realizadas revelaram que o geraniol apresentou uma excelente atividade antifúngica frente a todas as cepas multirresistentes com uma CIM 90 512µg/mL, além de um efeito
Mostrar mais

98 Ler mais

Atividade antifúngica in vitro de estatinas sobre espécies de Candida e Cryptococcus

Atividade antifúngica in vitro de estatinas sobre espécies de Candida e Cryptococcus

O aumento nos últimos anos de indivíduos imunocomprometidos, como portadores da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, de doenças malignas, transplantados e outros usuários de terapias imunossupressoras, favorece o surgimento de infecções oportunistas, principalmente as de teor fúngico, como a candidíase e a criptococose. Apesar de a terapia antifúngica atual ser eficiente na maioria dos casos, algumas vezes fazem-se necessárias novas drogas que atuem como alternativa ou como coadjuvantes no tratamento para potencializar o efeito dos antifúngicos utilizados. As estatinas são fármacos hipolipemiantes mais prescritos mundialmente para doenças cardiovasculares. Entretanto, recentemente, tem sido descritos outros efeitos benéficos destas drogas, como, por exemplo, o controle de infecções. Este trabalho teve como objetivo determinar a atividade antifúngica in vitro das estatinas ante 51 cepas de Candida , sendo 16 de C. albicans, 11 de C. krusei, 12 de C. tropicalis e 12 de C. parapsilosis, e 25 cepas de Cryptococcus , sendo 12 de C . gattii e 13 de C . neoformans , por meio de testes de microdiluição em caldo, segundo documento M27-A3 padronizado pelo CLSI. O intervalo de concentração testado para pravastatina foi de 50 a 0,0977 mg/mL, para sinvastatina, 1 a 0,0020 mg/mL e para atorvastatina, 10 a 0,0200 mg/mL. Pravastatina inibiu 37 leveduras do gênero Candida apresentando concentração inibitória mínima (CIM) na faixa de 1,56 a 6,25 mg /mL e as cepas restantes não foram inibidas mesmo na maior concentração testada (50 mg /mL), enquanto que sinvastatina e atorvastatina apresentaram atividade antifúngica sobre todas as 51 cepas avaliadas, apresentando CIMs de 0,02 a 1 mg / mL e 0,04 a 5,00 mg / mL, respectivamente. Para o gênero Cryptococcus , apenas 4 cepas foram inibidas ante a pravastatina (CIM = 25 mg / mL), por outro lado, sinvastatina inibiu todas as 25 cepas (CIM = 0,06 a 1 mg / mL), e atorvastatina apenas 8 cepas (CIM = 0,62 a 2,5 mg / mL), sendo que as 17 restantes não foram inibidas mesmo na maior concentração testada ( ≥ 10 mg / mL). Foi determinada concentração fungicida mínima (CFM) de pravastatina sobre 15 cepas do gênero Candida (CFM = 3,12 a 25 mg / mL), de sinvastatina sobre 34 cepas (CFM = 0,03 a 1 mg / mL), e de atorvastatina sobre 16 cepas (CFM = 0,04 a 0,31 mg / mL). Para o gênero Cryptococcus , das 25 cepas testadas, pravastatina exibiu CFM sobre apenas 3 cepas (CFM = 50 mg / mL), sinvastatina sobre 21 cepas (CFM = 0,12 a 1 mg / mL), e atorvastatina sobre 1 cepa (CFM = 1 mg / mL). Esta atividade inibitória in vitro de estatinas sobre espécies de Candida e Cryptococcus , abre uma perspectiva importante para a investigação do possível uso destas drogas com finalidade antifúngica in vivo .
Mostrar mais

98 Ler mais

Caracterização de leveduras isoladas da vagina e sua associação com candidíase vulvovaginal em duas cidades do sul do Brasil.

Caracterização de leveduras isoladas da vagina e sua associação com candidíase vulvovaginal em duas cidades do sul do Brasil.

Objetivos: avaliar a distribuição de espécies de leveduras isoladas da vagina em duas localidades do sul do Brasil e comparar o perfil de suscetibilidade in vitro destas leveduras a antifúngicos usados na prática clínica. Métodos: todas as mulheres atendidas entre janeiro e junho de 2004 para exames rotineiros de amostras vaginais, independente de serem sintomáticas ou não, foram incluídas neste estudo. Foram excluídas as que apresentavam imunodeficiências como AIDS ou outras infecções genitais. Amostras de conteúdo vaginal dessas mulheres (Jaraguá do Sul - SC (n=130) e Maringá – PR (n=97)) foram cultivadas. As leveduras isoladas foram identificadas e submetidas ao teste de suscetibilidade aos antifúngicos fluconazol, nistatina e anfotericina B. Resultados: a freqüência de cultura positiva para levedura foi semelhante nas duas localidades, aproximadamente 24%. Candida albicans foi a espécie prevalente, mas sua freqüência diferiu: em SC correspondeu a 77,4% das leveduras e foi a mais freqüente tanto nas mulheres sintomáticas quanto nas assintomáticas. Já no PR foi 50,0%, com predomínio mais evidente nos casos sintomáticos. Observamos altos índices de suscetibilidade ao fluconazol e anfotericina B, porém 51,1% das leveduras apresentaram suscetibilidade dependente da dose (S-DD) para nistatina. C. albicans mostrou maior tendência de resistência à nistatina (52,8% de S-DD) do que as espécies não-albicans (44,4%). Conclusões: nossos dados mostram diferenças regionais quanto à espécie de levedura em amostras vaginais. Sugerem que a determinação da espécie pode ter implicação clínica, considerando as diferenças quanto à suscetibilidade, principalmente à nistatina, e que poderiam ter importância no manejo da candidíase vulvovaginal.
Mostrar mais

6 Ler mais

COMPARAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DOS EXTRATOS ETANÓLICO E AQUOSO DE RHAPHIODON ECHINUS (LAMIACEAE) CONTRA CEPAS DE CANDIDA ALBICANS

COMPARAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DOS EXTRATOS ETANÓLICO E AQUOSO DE RHAPHIODON ECHINUS (LAMIACEAE) CONTRA CEPAS DE CANDIDA ALBICANS

oral e uma delas é a Candida albicans, uma das mais patogênicas e de maior importância odontológica. A candidíase é causada por leveduras, essa micose apresenta um espectro clínico bem variável, podendo se comportar como uma lesão branda, aguda ou crônica. O uso indiscriminado de antifúngicos disponíveis é o principal responsável pela resistência fúngica. Dessa forma, houve a necessidade de inovar a área farmacológica através das pesquisas por medicamentos de origem natural ou sintética que vêm sendo uma alternativa eficaz e econômica. Esse trabalho procura analisar a possível atividade antifúngica dos extratos etanólico e aquoso de Rhaphiodon echinus (Lamiaceae), espécie vegetal presente no Nordeste brasileiro, contra cepas de Candida albicans. Desta forma, o presente trabalho objetivou analisar a atividade antifúngica dos extratos etanólico e aquoso de Rhaphiodon echinus sobre cepas de Candida albicans (ATCC 76645, LM 106, LM 108 e LM 111), obtendo a Concentração Inibitória Mínima (CIM) por meio de ensaios in vitro utilizando a técnica de microdiluição em caldo. A CIM 50% do extrato aquoso de Rhaphiodon
Mostrar mais

8 Ler mais

Aspectos micológicos e suscetibilidade in vitro de leveduras do gênero Candida em pacientes HIV-positivos provenientes do Estado de Mato Grosso.

Aspectos micológicos e suscetibilidade in vitro de leveduras do gênero Candida em pacientes HIV-positivos provenientes do Estado de Mato Grosso.

Em indivíduos imunocomprometidos, as infecções oportunistas fúngicas têm representado um importante desaio para o tratamento. Vários trabalhos têm sido realizados com o objetivo de conhecer a distribuição de espécies de leveduras do gênero Candida e peril de suscetibilidade in vitro em pacientes HIV positivos e com AIDS. As espécies de Candida são detectadas em sua maioria na mucosa oral em 40 a 60% da população em geral, principalmente em pacientes infectados pelo HIV. Destas, a C. albicans é a mais comum isolada representando cerca de 80 a 92% dos isolamentos 17-21 .
Mostrar mais

5 Ler mais

Infecções por leveduras do gênero Candida em pacientes imunossuprimidos

Infecções por leveduras do gênero Candida em pacientes imunossuprimidos

A terapia combinada tem sido uma preocupação primordial de médicos na tentativa de diminuir a incidência emergente de microrganismos resistentes, de melhorar regimes posológicos e reduzir a toxicidade dos fármacos. Embora as definições de interações resultantes de fármacos combinados são demonstradas consistentemente na literatura, os limites estabelecidos pelos diferentes autores podem variar. As razões para essas discrepâncias, especialmente em estudos empregando diluição dupla, estão relacionados com o fato de que um único erro experimental nas diluições, pode diminuir o MIC ou MFC da droga pela metade ou aumentar a dupla. Nestas condições, é importante que várias repetições do experimento in vitro sejam realizadas antes de conclusões finais sobre o tipo de droga combinada pode ser feita (CHANG & CURY, 1998).
Mostrar mais

46 Ler mais

Avaliação da ação antifúngica de Citrus Limon Linn. frente a leveduras do Gênero Candida

Avaliação da ação antifúngica de Citrus Limon Linn. frente a leveduras do Gênero Candida

tanto in vivo quanto in vitro. Nos testes in vitro, o blastoporo ou levedura pode ser obtido a partir de seu crescimento em meios de cultura sólido ou líquido, enquanto que na forma micelial ou de pseudo-micélio, bem como de clamidoconídio, é influenciada por vários fatores ambientais, tais como alterações na composição de meios, adição de soro, crescimento sob condições semi-anaeróbicas ou baixa- tensão de CO2, pH baixo, dentre outros. O dimorfismo em Candida spp. (levedura e micélio) também foi observado em infecções ativas, com predominância da forma blastospórica (levedura) em indivíduos sadios portadores. De modo geral, a forma micelial encontra-se associada com a invasão do fungo, ao passo que as leveduras estão associadas com a colonização inicial. Desta forma, a capacidade de morfogênese contribui para o aumento do potencial patogênico do fungo, uma vez que a forma micelial apresenta maior resistência à fagocitose que as leveduras (LO et al., 1997; ROMANI et al., 2003). Em vista disto, como critério de identificação de C. albicans são utilizados testes de formação de tubo germinativo e clamidoconídios, que são caracterizados como estruturas de resistência formadas por uma parede celular grossa e citoplasma condensado. (LACAZ et al., 2002).
Mostrar mais

76 Ler mais

Leveduras emergentes causadoras de infecções invasivas, metodologias de identificação e perfís de susceptibilidade aos antifúngicos

Leveduras emergentes causadoras de infecções invasivas, metodologias de identificação e perfís de susceptibilidade aos antifúngicos

Histoplasma capsulatum, espécies de Coccidioides, Paracoccidioides brasiliensis e dermatófitos. Já contra os fungos, Aspergillus spp., Scedosporium apiospermum (Pseudallescheria boydii), Fusarium e Sporothrix schenckii possuem atividade intermediária. A Candida krusei e os agentes causadores da mucormicose mostram- se reistentes. Por conseguinte, esses fármacos não têm nenhuma atividade antibacteriana ou antiparasitária, com possível exceção de seu efeito antiparasitário contra Leishmania major, e o azól em fase de investigação, o posaconazol, que exibe alguma atividade in vitro contra mucormicose (BRUTON, LAZO & PARKER, 2007).
Mostrar mais

68 Ler mais

Atividade antifúngica do extrato de Psidium guajava Linn. (goiabeira) sobre leveduras do gênero Candida da cavidade oral: uma avaliação in vitro.

Atividade antifúngica do extrato de Psidium guajava Linn. (goiabeira) sobre leveduras do gênero Candida da cavidade oral: uma avaliação in vitro.

Em relação ao tratamento da candidose, vários agentes antifúngicos de uso tópico e sistêmico são utilizados de acordo com o quadro clínico e estado geral do paciente (Martins; Lacaz, 1980; Cury et al., 1977). A clorexidina é amplamente empregada através de bochechos, géis e pastilhas (Fowler; Jones, 1992). Candido et al. (1996) demonstraram in vitro a atividade antifúngica do Cepacol, da Malvona e do Periogard, e observaram que a clorexidina foi a substância mais efi caz, a qual inibiu todas as cepas de Candida albicans analisadas. Pedroso et al. (2004) acrescentaram que a atividade antifúngica da clorexidina frente a Candida albicans é concentração dependente.
Mostrar mais

5 Ler mais

Atividade in vitro de extratos brutos de duas espécies vegetais do cerrado sobre leveduras do gênero Candida.

Atividade in vitro de extratos brutos de duas espécies vegetais do cerrado sobre leveduras do gênero Candida.

A infecção causada pelo gênero Candida é denominada candidose e acomete indivíduos em todo o mundo. Estes microrganismos apresen- tam-se como comensais ao homem, podendo ser oportunistas em certas ocasiões, habitam normalmente o aparelho digestivo, respiratório, mucosa vaginal, oral e tegumento cutâneo. Seu espectro é bastante extenso, variando desde ma- nifestações banais como a colonização de muco- sas, até quadros sistêmicos com a invasão de vários órgãos. O diagnóstico clínico é sugerido pela presença de sintomas clássicos como pruri- dos, ardência, leucorreia e confirmado pelo di- agnóstico laboratorial precedido da coleta de amostras da secreção vaginal. A terapêutica indi- cada compreende várias classes de medicamen- tos antifúngicos orais e tópicos 15-18.
Mostrar mais

8 Ler mais

Análise da susceptibilidade de leveduras isoladas de insetos sociais aos antifúngicos

Análise da susceptibilidade de leveduras isoladas de insetos sociais aos antifúngicos

O gênero Trichosporon foi relatado como a causa mais comum de leveduras não pertencentes ao gênero Candida que causam infecções em pacientes com neoplasia hematológica, sendo responsável por uma taxa de mortalidade superior a 80% (PFALLER; DIEKEMA, 2004). Trichosporon asahii foi a espécie predominantemente isolada em nosso estudo. Ela encontra-se amplamente distribuída no ambiente e um grande número das cepas estudadas é isolado de pacientes imunocomprometidos (KURTZMAN et al., 2011). Esta espécie é conhecida por causar infecções invasivas profundas, sendo isolada de tecidos pulmonares, sangue e urina de pacientes acometidos por essas infecções. A espécie é raramente isolada também da pele ou cabelo de pacientes com piedra branca (KURTZMAN et al., 2011). A suscetibilidade a anfotericina B é variável no gênero Trichosporon e esta droga possui baixa atividade para algumas espécies desse gênero. T. asahii foi reportado como multiresistente a anfotericina B e fluconazol em alguns casos, enquanto os novos triazóis estão sendo mais ativos contra essa espécie, de forma que o voriconazol está sendo bastante utilizado no tratamento de infecções por T. asahii (PFALLER; DIEKEMA, 2004).
Mostrar mais

46 Ler mais

Efeito de antifúngicos em suspensões e biofilmes de Candida albicans e Candida dubliniensis

Efeito de antifúngicos em suspensões e biofilmes de Candida albicans e Candida dubliniensis

Num estádio mais avançado do processo de adesão, estabelece-se um conjunto de fenómenos que caracterizam a adesão secundária [44] . Nesta fase os microrganismos fracamente aderidos consolidam o processo de adesão, produzindo exopolissacáridos que formam complexos com os materiais da superfície onde aderem e/ou através de receptores específicos localizados na superfície das paredes celulares ou no caso de bactérias também nas extensões celulares (pêlos, fímbrias ou fibrilas). Após a adesão à superfície, dá-se início ao processo de maturação do biofilme. Um biofilme de leveduras maduro contém muitas microcolónias, formadas por espécies de levedura, que são interceptadas por canais de água que permitem a passagem dos nutrientes. Uma característica particular dos biofilmes formados por Candida é a mistura de formas que podem estar presentes no biofilme formado por cada uma das espécies. Os biofilmes maduros com um crescimento de cerca de 48 horas consistem numa rede densa de células sob a forma de leveduras, de hifas e pseudo-hifas (Figura 1.1) [45] .
Mostrar mais

85 Ler mais

ESTUDO COMPARATIVO DE HEMOCULTURAS E CATETERES POSITIVOS PARA LEVEDURAS DO GÊNERO CANDIDA DE ORIGEM HOSPITALAR

ESTUDO COMPARATIVO DE HEMOCULTURAS E CATETERES POSITIVOS PARA LEVEDURAS DO GÊNERO CANDIDA DE ORIGEM HOSPITALAR

realizada a metalização da superfície com banho de ouro, seguida pela análise em Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV) - EVO MA 10, para observação da formação de biofilme; 2- a solução fisiológica utilizada na lavagem dos cateteres foi utilizada na semeadura da amostra em CHROMagar® (DIFCO) e ágar Sabouraud (DIFCO) e incubadas a 37°C por 48 horas. Após o período de incubação, as cepas semeadas em ágar Sabouraud (DIFCO) foram utilizadas na realização da identificação e prova de resistência a antifúngicos por meio do CANDIFAST (ELITech®) e de identificação por intermédio do método automatizado VITEK® 2 Compact (Biomérieux); 3- realizou-se a semeadura das cepas obtidas de hemocultura coletada, no momento da remoção do cateter,em CHROMagar® (DIFCO), para a identificação presuntiva e ágar Sabouraud (DIFCO), que foi utilizado para realização da identificação por meio do CANDIFAST (ELITech®) e VITEK® 2 Compact (Biomérieux).
Mostrar mais

10 Ler mais

IDENTIFICAÇÃO DE LEVEDURAS DO GÊNERO Candida ISOLADAS DE HEMOCULTURAS DE PACIENTES ONCOLÓGICOS E PESQUISA DE BIOFILME

IDENTIFICAÇÃO DE LEVEDURAS DO GÊNERO Candida ISOLADAS DE HEMOCULTURAS DE PACIENTES ONCOLÓGICOS E PESQUISA DE BIOFILME

Cancer patients are susceptible to fungal infections due to the cytotoxic effects of chemotherapy, possible need for surgical procedures and hospital admissions, and the use of invasive medical devices. Among fungal infections, the ones caused by the genus Candida stand out, with C. albicans being the most prevalent. However, the emergence of non-albicans species has been described in different geographic regions. Non-albican Candida species may present variable susceptibilities to antifungal agents, which makes it important to identify them correctly. Our objective was to identify the species of the genus Candida isolated from blood cultures of cancer patients and evaluate their capacity of biofilm formation. A prospective experimental study was conducted for two years (2015 to 2017) with yeasts isolated from blood culture of patients admitted to a reference cancer hospital in the city of Curitiba, state of Paraná, Brazil. The microorganisms were identified by Matrix Associated Laser Desorption-Ionization Time-of-Flight and biofilm formation was identified by the phenotypic technique in a tube. A total of 42 isolates were identified in the study, distributed in 16 C. krusei, nine C. albicans, six C. parapsilosis, five C. glabrata, three C. guillermondii, two C. tropicalis and one C. novergensis. Out of these isolates, 25 were positive for biofilm formation, which was more frequent for C. non-albicans (23). Therefore, this study has demonstrated the importance of the rapid and reliable identification of yeast species and their capacity to form biofilm to ensure targeted treatment and knowledge about epidemiology.
Mostrar mais

10 Ler mais

Avaliação in vitro da berberina frente às cepas de Candida spp. e Cryptococcus neoformans resistentes ao fluconazol e sua atividade em isolados formadores de biofilme

Avaliação in vitro da berberina frente às cepas de Candida spp. e Cryptococcus neoformans resistentes ao fluconazol e sua atividade em isolados formadores de biofilme

Atualmente, a incidência de infecções fúngicas tem aumentado significativamente, contribuindo assim para morbidade e mortalidade. Esse fato que tem como umas das principais causas o aumento da resistência antimicrobiana, estando associado à produção de biofilme que tem um elevado nível de resistência antimicrobiana juntamente com o arsenal farmacológico antifúngico limitado, quando comparado ao arsenal antibacteriano, leva a necessidade do desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas. A berberina tem demonstrado ter ampla atividade antibacteriana e antifúngica. Dentro desse contexto, o objetivo foi avaliar o potencial antifúngico da berberina frente às cepas de Candida spp . e Cryptococcus neoformans resistentes ao fluconazol, bem como avaliar o efeito da berberina frente às cepas de Candida spp. em forma de bioflme. A avaliação do efeito antifúngico foi determinada pelo método de microdiluição em caldo (M27-A3) e por meio de técnicas de citometria de fluxo em que foram avaliados elementos que contribuam para elucidação do provável mecanismo de ação da berberina. Para a avaliação da atividade de células fúngicas do biofilme, utilizou-se o ensaio colorimétrico com o sal de tetrazólio (MTT), a fim de determinar a suscetibilidade das células sésseis. As cepas de Candida spp. e Cryptococcus neoformans resistentes ao fluconazol após 24h e 72h apresentaram a Concentração Inibitória Mínima (CIM) igual 8 µg/mL e 16 – 24 µg/mL, respectivamente, demonstrando assim, apresentar atividade antifúngica significativa, que sendo confirmada posteriormente por técnicas da citometria de fluxo, após a exposição das células ao composto sintético cloreto de berberina, foram observadas alterações concementes a ruptura da integridade da membrana plasmática e mitocondrial, danos ao DNA e provavelmente o desencadeamento de tais eventos conduziu a morte celular por apoptose. Em relação aos isolados formadores de biofilme, esses ao serem expostos a berberina apresentaram CIM inferior a 37,5 µg/mL (CIM 50 ), sendo a redução considerada estatisticamente significativa na atividade celular do
Mostrar mais

67 Ler mais

Resistência a Fármacos Antifúngicos por Candida e Abordagem Terapêutica

Resistência a Fármacos Antifúngicos por Candida e Abordagem Terapêutica

Actualmente, o tratamento das infecções fúngicas in- vasivas representa um grande desafio na prática clíni- ca, pelo que a instituição atempada de uma terapêu- tica apropriada contribui para um bom prognóstico destas infecções. 5 Porém, a complexidade do diag- nóstico conduz muitas vezes a atrasos na implemen- tação da terapêutica, e a agravar a situação anterior, surgem as resistências de Candida aos antifúngicos (AF) pelo seu uso inadequado, factor este responsá- vel pela emergência deste género e nomeadamente das espécies de Candida não-albicans (CNA). 6
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 10000 documents...