Top PDF Conhecimento e uso do ouricuri (Syagrus coronata) e do babaçu (Orbignya phalerata) em Buíque, PE, Brasil.

Conhecimento e uso do ouricuri (Syagrus coronata) e do babaçu (Orbignya phalerata) em Buíque, PE, Brasil.

Conhecimento e uso do ouricuri (Syagrus coronata) e do babaçu (Orbignya phalerata) em Buíque, PE, Brasil.

RESUMO – (Conhecimento e uso do ouricuri (Syagrus coronata) e do babaçu (Orbignya phalerata) em Buíque, PE, Brasil). O Nordeste do Brasil abriga 80 espécies de palmeiras nativas, com baixo endemismo (27,5%), algumas delas ameaçadas pelas alterações destrutivas do habitat natural, associadas à exploração desordenada. Investigou-se do ponto de vista etnobotânico a importância do ouricuri (Syagrus coronata) e do babaçu (Orbignya phalerata) em uma comunidade estabelecida junto ao Parque Nacional Vale do Catimbau, município de Buíque, Pernambuco. A importância atribuída pelo povo local para essas espécies foi analisada sob os seguintes aspectos: número de usos, número de informantes que faziam uso de seus produtos diretos ou indiretos; grau de consenso entre os informantes referentes aos usos relatados. Os dados foram obtidos através de entrevistas semi-estruturadas (60 informantes) e de índices baseados em técnicas de consenso do informante. Foram citadas sete categorias de uso: alimento do homem; alimento de animais domésticos; alimento de animais silvestres; construção; artesanato; combustível; medicinal. Apesar da diversidade de usos (Sc = 33; Oph = 25), a importância das duas espécies está relacionada predominantemente ao aproveitamento da amêndoa, como mostram os índices de valor para frutos (Sc = 0,48; Oph = 0,56). Analisando a contribuição de cada espécie para o uso total, o ouricuri apresentou maior valor (8,58) em relação ao babaçu (6,31). Sinais de um processo de erosão do conhecimento foram observados, com vários usos apontados como não mais praticados na comunidade, particularmente os associados ao artesanato.
Mostrar mais

9 Ler mais

Avaliação do conhecimento e percepção dos profissionais da estratégia de saúde da família sobre o uso de plantas medicinais e fitoterapia em Petrolina-PE, Brasil.

Avaliação do conhecimento e percepção dos profissionais da estratégia de saúde da família sobre o uso de plantas medicinais e fitoterapia em Petrolina-PE, Brasil.

formação, constatou-se que 67 (69,8%) do total: 20 (20,8%) médicos, 25 (26%) enfermeiros, 18 (18,8%) Cirurgiões dentistas, 2 (2,1%) farmacêuticos e 2 (2,1%) nutricionistas não receberam tal orientação. Não houve signiicância estatística nessa resposta (p=0,178). O resultado encontrado foi bem menor que o de Menezes et al. (2012), em que 79,3% dos entrevistados não foram preparados na graduação. Apesar da itoterapia ser reconhecida oicialmente em nosso país como terapêutica complementar, percebemos no presente estudo, que a maioria dos proissionais atuantes no Vale do São Francisco não recebeu instruções durante a graduação sobre itoterapia e plantas medicinais, evidenciando as deiciências dos centros de formação, com ausência de disciplinas que abordem as práticas alternativas de saúde (Brasil, 2006). Para Rates et al. (2001) o problema da falta de capacitação seria resolvido se houvesse no currículo desses cursos, a disciplina de Farmacognosia, cuja base principal é o estudo dos aspectos farmacoterapêuticos de itofármacos e itoterápicos, visando ao estabelecimento de seu uso racional. Para Thiago & Tesser (2011), esse conhecimento sobre as terapias complementares, deveria ser adquirido durante a formação, pois na pesquisa deles a maioria (59,9%) dos entrevistados mostrou interesse em capacitações e todos concordaram que essas práticas deveriam ser abordadas na graduação.
Mostrar mais

10 Ler mais

Diversidade Palinológica das Convolvulaceae do Parque Nacional do Catimbau, Buíque, PE, Brasil.

Diversidade Palinológica das Convolvulaceae do Parque Nacional do Catimbau, Buíque, PE, Brasil.

Evolutivamente, Sengupta (1972) e Tellería & Daners (2003) observaram, quanto às aberturas, quatro tipos polínicos na família, sendo o tricolpado considerado plesiomórfico, penta-hexa-colpado, dodecolpado e o pantoporado considerado apomórfico. Essa proposta está em concordância com a teoria de que um maior número de aberturas possivelmente está relacionado a táxons mais derivados, tendo em vista que proporcionam maior sucesso reprodutivo por ampliar as oportunidades de germinação do tubo polínico (Furness & Rudall 2004). O conhecimento palinológico está também diretamente relacionado à biologia floral, uma vez que a morfologia polínica é um dos fatores responsáveis pelo estreitamento da relação planta-polinizador (Fergurson & Skavarla 1982; Jones & Jones 2001). Em um estudo de biologia floral com espécies do gênero Ipomoea L., Machado & Melhem (1987) sugerem que os espinhos característicos dos grãos de pólen desse gênero, auxiliam na sua fixação aos pêlos das abelhas, otimizando o processo de transporte.
Mostrar mais

9 Ler mais

Florística e fitogeografia da vegetação arbustiva subcaducifólia da Chapada de São José, Buíque, PE, Brasil.

Florística e fitogeografia da vegetação arbustiva subcaducifólia da Chapada de São José, Buíque, PE, Brasil.

RESUMO – (Florística e fitogeografia da vegetação arbustiva subcaducifólia da Chapada de São José, Buíque, PE, Brasil). Foi realizado o levantamento da flora angiospérmica de um trecho de vegetação arbustiva subcaducifólia na Chapada de São José, Buíque, Pernambuco, com a finalidade de ampliar o conhecimento sobre a flora daquela chapada, bem como compreender suas relações florísticas com outros conjuntos vegetacionais do Nordeste, especialmente no semi-árido. A flora angiospérmica foi composta por 192 táxons, distribuídos em 130 gêneros e 60 famílias. Euphorbiaceae, Caesalpiniaceae, Myrtaceae, Mimosaceae, Fabaceae e Cactaceae foram as mais representativas em número de espécies. A análise de agrupamento revelou que o tipo de substrato exerce uma forte influência na repartição espacial das espécies dentro do semi-árido e confirmou a existência de um conjunto de espécies indicadoras das áreas sedimentares, formado por Caesalpinia microphylla Mart. (Caesalpiniaceae), Bocoa mollis (Benth.) R.S. Cowan (Fabaceae), Byrsonima gardneriana A. Juss. (Malpighiaceae) e Zanthoxylum stelligerum Turic. (Rutaceae). A flora da área de estudo é relacionada com a da caatinga do cristalino, caatinga de áreas sedimentares e carrasco. Todavia, o alto número de espécies de Myrtaceae, raras na caatinga, o carácter subcaducifólio da vegetação e a presença de Cactaceae e Bromeliaceae, típicas da caatinga, sugerem que a área de estudo representa o final de um gradiente que se inicia em áreas sedimentares situadas em menores altitudes.
Mostrar mais

12 Ler mais

Valor de uso e estrutura da vegetação lenhosa às margens do riacho do Navio, Floresta, PE, Brasil.

Valor de uso e estrutura da vegetação lenhosa às margens do riacho do Navio, Floresta, PE, Brasil.

Nesse trabalho não foi confirmada a existência de relação entre a disponibilidade e o conhecimento dos usos das espécies da mata ciliar do riacho do Navio, não sendo possível se estabelecer se o maior ou menor conhecimento dos seus usos foi decorrente da importância da espécie na comunidade vegetal. O conhecimento da população local reflete as suas necessidades e o uso atual não está sistematicamente associado a impactos positivos ou negativos na conservação da espécie. É importante perceber, por outro lado, que o valor de uso, como enunciado, não é capaz de estimar o grau de utilização de determinada planta, o que seria possível apenas com a estimativa da freqüência e da intensidade de uso (cf. Albuquerque & Lucena 2005).
Mostrar mais

10 Ler mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES ALFABETIZADORES DO PNAIC DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CATENDE - PE: DESAFIOS E APRENDIZAGENS

FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES ALFABETIZADORES DO PNAIC DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CATENDE - PE: DESAFIOS E APRENDIZAGENS

A presente dissertação é desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP) do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). Esta tem como objetivo geral analisar a formação continuada oferecida aos professores alfabetizadores da rede municipal de ensino de Catende-PE, no âmbito do Programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, considerando as possibilidades de mudanças ou não na prática pedagógica dos professores egressos da primeira edição do Programa. Os objetivos específicos são: descrever a formação continuada do PNAIC no município de Catende; analisar as possíveis contribuições da proposta de formação continuada do PNAIC para professores alfabetizadores da rede municipal; e propor ações para potencializar a transformação das práticas docentes voltadas para a alfabetização no município de Catende. Proposto pelo Ministério da Educação (MEC), o PNAIC tem por objetivo alfabetizar todas as crianças até os oito anos de idade, e, para atingir esta meta, o programa traz como eixo principal, a formação continuada docente. A relevância desse estudo consiste nas reflexões feitas sobre os desdobramentos desse Programa na formação dos professores alfabetizadores e o reflexo desta nas salas de aula do terceiro ano do ensino fundamental. A abordagem da pesquisa é qualitativa e o tipo é estudo de caso, com produção de dados através da realização de uma seção reflexiva, realizada com vinte e um professores alfabetizadores das escolas urbanas, bem como do questionário aplicado a vinte e dois professores das escolas urbanas que participaram do PNAIC no período de 2013 a 2016 ininterruptamente. O referencial teórico foi construído a partir dos documentos do programa (BRASIL, 2015) e da contribuição de autores
Mostrar mais

191 Ler mais

O USO DAS TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO PELOS PROFESSORES DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO ESTADO DO CEARÁ – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O USO DAS TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO PELOS PROFESSORES DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO ESTADO DO CEARÁ – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

de Bruno e Mattos (2010), Porto (2006), Sancho (2006) e Alonso (2008) que permitem a construção analítica do atual processo de mudança paradigmática das relações escolares na transmissão do conhecimento motivado pela inserção das TICs na educação. Para ajudar a construir o panorama da situação atual do estado no que diz respeito ao investimento em TICs e habilidade dos profissionais da educação no uso dessas tecnologias utilizo as análises de Coelho (2009), dados e documentos oficiais nacionais e estaduais, bem como a pesquisa TIC Brasil 2010. A partir disso, proponho um conjunto de ações integradas para gestores, coordenadores dos laboratórios educacionais de informática (LEI) e professores regentes de sala que proporcionem um redimensionamento da gestão escolar e do fazer pedagógico na transformação do processo de ensino e de aprendizagem nas escolas estaduais da capital cearense. Ainda proponho um cronograma para o cumprimento dessas ações, bem como a captação orçamentária para a sua execução e um processo contínuo de monitoramento e avaliação da sua eficácia.
Mostrar mais

100 Ler mais

O USO DO AÇO INOX NAS ESTRUTURAS DA FUSELAGEM DE AERONAVES

O USO DO AÇO INOX NAS ESTRUTURAS DA FUSELAGEM DE AERONAVES

Em 23 de outubro de 1906, Alberto Santos Dumont voou cerca de 60 metros e a uma altura de dois a três metros com seu 14-Bis, no Campo de Bagatelle em Paris. Menos de um mês depois, em 12 de novembro, repetiu o feito e, diante de uma multidão de testemunhas, percorreu 220 metros a uma altura de 6 metros, figura (1.1). O voo do 14-Bis foi o primeiro verificado pelo Aeroclube da França de um aparelho mais pesado que o ar na Europa, e possivelmente a primeira demonstração pública de um veículo levantando voo por seus próprios meios, sem a necessidade de uma rampa para lançamento. O 14-Bis teve uma decolagem autopropelida, e por isso Santos Dumont é considerado por parte da comunidade científica e aeronáutica e principalmente em seu país de origem, o Brasil, como o Pai da Aviação.
Mostrar mais

82 Ler mais

Diagnóstico Sistemático do Pé Diabético – Normas de Orientação Clínica

Diagnóstico Sistemático do Pé Diabético – Normas de Orientação Clínica

alto risco (existência de isquemia ou neuropatia com deformidades do pé ou história de úlcera cicatrizada ou amputação prévia), que mantém vigilância cada 1 a 3 meses, pela equipa do p[r]

10 Ler mais

CAPÍTULO 2 – A POLÍTICA AGRÍCOLA NO BRASIL: EVOLUÇÃO,

CAPÍTULO 2 – A POLÍTICA AGRÍCOLA NO BRASIL: EVOLUÇÃO,

O Brasil não escapou à regra, com até mesmo grupos conservadores aptos a declarar apoio à reforma agrária ± desde que desenhada em conformidade com certas restrições (Carvalho, 1979: 178). A carestia de vida provocada por uma inflação acelerada pelos preços de alimentos apontava para a redistribuição de terras como remédio contra a baixa produção de gêneros alimentícios e, em acréscimo, para a consequente formação de um mercado consumidor mais dinâmico no campo, capaz de incentivar a demanda de produtos da indústria doméstica. Por sua vez, a tentativa de reclassificar os reinvestimentos de firmas estrangeiras era não apenas apoiada pelos grupos nacionalistas, mas por todos que tivessem consciência do desequilíbrio do balanço de pagamentos, para o qual as remessas de lucros concorriam cada vez mais desde o boom econômico do governo Kubitschek, que teve um de seus alicerces no investimento externo direto. Havia então adesão generalizada a uma agenda de reformas institucionais que incluíam a reforma bancária e do mercado de capitais, entre outras finalmente levadas a cabo depois de 1964, no governo militar (Abreu, 1990: 201). Quanto à reforma agrária, é difícil verificar se seus opositores incondicionais seriam à época significativamente menos numerosos do que os que se opunham verdadeiramente à modalidade de reforma por intermédio da emenda ao artigo 141 do texto constitucional ± cujo parágrafo 16 rezava que a indenização prévia e em dinheiro era condição para a desapropriação de terras (Carvalho, op.cit.: 174). 18
Mostrar mais

255 Ler mais

E Se o Brasil Não Tivesse Adotado Câmbio Flutuante em 1999

E Se o Brasil Não Tivesse Adotado Câmbio Flutuante em 1999

É proibida a reprodução parcial ou integral do conteúdo deste documento por qualquer meio de distribuição, digital ou.. impresso, sem a expressa autorização do REAP ou de seu autor.[r]

50 Ler mais

Em busca do fim do túnel — Outubro Revista

Em busca do fim do túnel — Outubro Revista

Somente assim, criaremos as condições necessárias para, pelo con- vencimento e persuasão, unificar nossas ações táticas e estratégicas, pois somente mulheres e homens livres podem engaja[r]

7 Ler mais

Qualidade da informação : um estudo de caso no mercado rural

Qualidade da informação : um estudo de caso no mercado rural

Como fontes internas, conforme questão 08 da pesquisa, percebeu-se que pró- prios sistemas corporativos da empresa devem, por meio do próprio processo ocorren- te nas agências, disponibilizar grande parte das informações rurais que serão classifi- cadas quanto à qualidade para uso nas agências bancárias. No caso de os sistemas cor- porativos não gerarem as informações necessárias no processo natural de operacionali- zação das rotinas da agência bancária, podem ser utilizados datawarehouses e data marts, que, por meio de processos de extração feitos por equipes especializadas, pode- riam modelar as informações necessárias com os dados suficientemente descritos compondo cada informação. Também foi citada na pesquisa, segundo os entrevistados, a geração de publicações elaboradas pela própria área que trata de assuntos rurais na empresa como fonte de informação interna.
Mostrar mais

130 Ler mais

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO EDUCACIONAL DO AMAZONAS: APROPRIAÇÃO E USO DOS DADOS PELA ESCOLA ESTADUAL MARIA CALDERARO

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO EDUCACIONAL DO AMAZONAS: APROPRIAÇÃO E USO DOS DADOS PELA ESCOLA ESTADUAL MARIA CALDERARO

No que se refere ao currículo, as palavras do Gestor evidenciam a necessidade de um alinhamento maior entre as rede Estadual e Municipal, considerando que, na Escola, uma quantidade significativa dos alunos é procedente de escolas da Rede Municipal. Nesse sentido, há uma proposta do MEC, denominada Base Nacional Comum Curricular, que visa a deixar claros os conhecimentos essenciais, aos quais todos os estudantes brasileiros têm direito de ter acesso e de se apropriar durante sua trajetória na Educação Básica, ano a ano, desde o ingresso na Creche até o final do EM. Os objetivos desta Base deverão estar presentes nos currículos de todas as escolas do Brasil, mas isso não quer dizer que os currículos serão todos iguais, a Base é indispensável, mas é apenas parte dos currículos desenvolvidos por estados, municípios e escolas.
Mostrar mais

95 Ler mais

AGROECOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS NA AMÉRICA LATINA: O CASO DO BRASIL

AGROECOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS NA AMÉRICA LATINA: O CASO DO BRASIL

A experiência brasileira na constituição e organização do movimento agroecológico, apresenta algumas carac- terísticas que merecem ser sublinhadas. Em primeiro lu- gar, o fato de que esse movimento foi se instituindo e se consolidando no decorrer das últimas décadas a partir de variados formatos e ênfases, mas sempre tendo como fundamento uma crítica objetiva aos padrões socialmente excludentes e ambientalmente predatórios que caracte- rizam a agricultura e o desenvolvimento rural no Brasil. A partir dessa leitura crítica sobre a natureza e das relações subjacentes ao modelo hegemônico de desenvolvimento rural, o campo agroecológico brasileiro, reunido na ANA e na ABA-Agroecologia, assume a compreensão de que o enfrentamento desse modelo é, antes de tudo, um desafio no plano político (Petersen 2008). Sob essa perspectiva, a proposta agroecológica emergiu e tem feito seu caminho num campo de disputa na sociedade, no qual a produção familiar assume uma franca oposição aos privilégios de uma elite econômica predatória e parasitária. Essa disputa política não poderá se resolver sem a efetivação de uma estratégia de ocupação massiva dos territórios pelas expe- riências da Agroecologia como força material de produ- ção e fonte de inspiração de políticas (Gomes de Almeida 2009).
Mostrar mais

11 Ler mais

AMARILDO DE SOUZA HORÁCIO

AMARILDO DE SOUZA HORÁCIO

O discurso governamental corrente é o do desenvolvimento dos assentamentos rurais, com acento na qualidade em detrimento da realização de novas desapropriações de terra. Isso não é o suficiente para construir uma política agrária consolidada a partir dos pequenos agricultores. Os dados representam os altos e baixos da política fundiária no Brasil, que exibem contradições como, por exemplo, no financiamento. Os valores do orçamento do Governo Federal destinados ao agronegócio representam sete vezes mais do que os destinados aos agricultores familiares. Em 2014, esses valores chegaram a R$21 bilhões e R$156,1 bilhões respectivamente (BRASIL, 2014). O último Censo Agropecuário do ano de 2006 mostrou que a agricultura familiar, que compreende os assentamentos e os pequenos agricultores, foi responsável por grande parcela da oferta de alimentos para o abastecimento interno da população brasileira com a oferta de alimentos como mandioca, feijão e arroz 49 . Destacamos o fato de muitos assentamentos serem definidos apenas no papel, pois na prática, após assentadas, muitas famílias convivem até seis anos em situação de acampamentos, sem infraestrutura básica como casa, crédito, estrada e outros.
Mostrar mais

156 Ler mais

Dados  vol.60 número3

Dados vol.60 número3

Embora não seja objetivo deste texto falar do conteúdo da coleção, pois outros artigos deste número cuidam disso, abro exceção para ressaltar, também no campo substantivo, a relevância do volume 23/1. Essa edi- ção coincidiu com o lançamento dos cursos de doutorado em Ciência Política e em Sociologia do antigo IUPERJ, cujo paraninfo foi o minis- tro Victor Nunes Leal. Sua trajetória foi devidamente registrada em ar- tigo de abertura de José Murilo de Carvalho, intitulado “Em Louvor de Victor Nunes Leal”, seguido de um texto do próprio Victor Nunes Leal, “O Coronelismo e o Coronelismo de Cada Um”, apresentado original- mente em março de 1980, na abertura do doutorado do instituto. Os de- mais artigos, por sua vez, traçam uma discussão crítica sobre o signifi- cado de fazer Ciências Sociais no Brasil, com balanços e interpretações sobre a Ciência Política, a Sociologia e a Antropologia, assinados por Wanderley Guilherme dos Santos, “A Ciência Política na América Lati- na: Nota Preliminar de Autocrítica”; Bolívar Lamounier, “Pensamento Político, Institucionalização Acadêmica e Relações de Dependência no Brasil”; Fabio Wanderley Reis, “O Grifo é Nosso! Academia, Democra- cia e Dependência”; Otávio Guilherme Velho, “Antropologia para Sue- co Ver”; e Maria Valéria Junho Pena, “Uma Nova Sociologia?”.
Mostrar mais

18 Ler mais

IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO EM DUAS ESCOLAS ESTADUAIS DO CAMPO EM MANACAPURU/AM – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO EM DUAS ESCOLAS ESTADUAIS DO CAMPO EM MANACAPURU/AM – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A presente dissertação foi desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP) do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF). O caso de gestão estudado discute a implementação do Programa Mais educação - PME em duas escolas do campo de Manacapuru. Os objetivos definidos para este estudo foram no sentido de verificar se a implementação dessa política, feita em duas escolas do campo, conseguiu efetivar a educação integral levando em consideração aspectos da educação do campo. Para tal, é feita uma contextualização da criação do PME no Brasil com a instituição da Portaria Interministerial nº 17/2007, passando pela chegada do programa no Amazonas e em Manacapuru considerando alguns elementos de sua rede escolar regular e do campo. Também é apresentada a história, estrutura e organização das escolas estaduais Mário Silva Dalmeida e Nossa Senhora do Rosário, focos de nossa pesquisa. Utilizamos como metodologia a pesquisa qualitativa usando a amostragem não-probabilistica por conveniência e tendo como método de investigação o estudo de caso, no qual foram usados instrumentos de coleta como: a análise documental e a aplicação de questionários semi estruturados aos gestores, monitores e professores comunitários. Diante do estudo, concluiu-se que por falta de formação continuada e da inexistência da obrigatoriedade de instrumentos de monitoramento e de avaliação da implementação, a concepção de educação integral e educação do campo por parte do atores se mostrou genérica e superficial distanciando ambas as escolas da proposta de educação contida no programa. Frente a isso, o PAE apresentado propõe: formação continuada para gestores, professores e monitores; aumento da equipe da coordenação estadual do PME; criação de instrumentos de registros, monitoramento e avaliação dos alunos no sistema integrado de Gestão Educacional do Amazonas – SIGEAM e inclusão das atividades dos macrocampos do PME realizados pelos alunos na Matriz Curricular do Ensino Fundamental.
Mostrar mais

108 Ler mais

Coleção História Social do Campesinato no Brasil

Coleção História Social do Campesinato no Brasil

processo em direção à autonomia integral” das classes subalternas, “come- çando pelas fases mais primitivas” (Gramsci, 1978, p.52), é então preciso vincular o surgimento dos primeiros elementos de identidade coletiva do campesinato nordestino – o esboço de um início de “consciência” comunal, forjada na articulação do movimento contra o Registro de Nascimentos e contra a “Lei do Censo” – com a construção do sistema de poder político e de controle social que cresceu das cinzas do escravismo. Porque esse sistema foi desenhado e montado conforme apareciam as características que começavam a identifi car a instabilidade, a insatisfação e a revolta dos vastos segmentos de pobres livres que habitavam as cidades e os campos do interior próximo do Brasil. Em outras palavras, cabe dizer que a estru- turação do aparelho do Estado na transição ao “trabalho livre e ao regime republicano se fez em função, sim, das necessidades peculiares ao tipo de capitalismo que a demanda do mercado mundial impunha ao país, mas voltado, fundamentalmente, para enfrentar os primórdios de organização de movimentos sociais entre a população pobre do campo e sua realimentação com os distúrbios urbanos a partir dos anos iniciais da segunda metade do século XIX. Desse germe de organização popular derivou a necessidade imperativa da constituição de uma intrincada rede de relações hegemônicas que soterraram efetivamente essas primeiras tentativas de organização e diluíram a força das comunidades no isolamento do morador, na responsa- bilidade individual diante de Deus e na proteção do coronel. Que o Estado tenha, pois, em certa medida, adquirido, nas primeiras décadas do século XX, o adereço do seu objeto primordial – a feição de uma estrutura de poder fundamentada no rígido controle da população camponesa dependente que “movimentava” engenhos, fazendas e plantations, sob a forma de colonos ou de moradores – é apenas uma mostra da força do processo que constitui o campo limitado deste ensaio.
Mostrar mais

337 Ler mais

O encontro da ciência e da tradição no Brasil: as plantas medicinais e as rezadeiras

O encontro da ciência e da tradição no Brasil: as plantas medicinais e as rezadeiras

Pelo estudo realizado é possível concluir que: a comunidade ligada ao PLI utiliza, tem acesso e conhecimento de uma grande diversidade de plantas medicinais para a cura e prevenção de doenças, uma vez que foram citadas 76 espécies de plantas medicinais. Sabe-se ainda que o costume de usar plantas medicinais se mantém através da transmissão do conhecimento via nome popular das plantas (Anexo II), sendo estes transmitido principalmente entre familiares, os quais trocam informações sobre determinadas plantas. Além disso, os resultados obtidos através da análise dos dados nos questionários,mostram que o uso dessas plantas é bastante significativo, tornando-se ainda mais significativo tendo em vista que grande parte do público entrevistado tem contato com meio científico e/ou nível superior de educação. O grau de estudo não é fundamental no conhecimento e uso das plantas medicinais, sendo este parte de uma tradição sociocultural, algumas vezes, complementado pela escola. As folhas, as cascas e as raízes são as partes dos vegetais mais utilizadas nas preparações medicamentosas. As preparações terapêuticas preferenciais são os chás, gargarejo e inalação, pela rapidez e facilidade no preparo. Estudos etnobotânicos e etnofarmacológicos são importantes visto que há cada vez mais a aproximação do conhecimento científico com o tradicional, no caso da mestiçagem cultural brasileira, um exemplo é o conhecimento das rezadeiras. Faz-se necessário ressaltar a importância de estudos neste sentido, pois o conhecimento deve ser levado a todos locais de forma a conscientizar a importância da cultura e tradição.
Mostrar mais

11 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados