Top PDF ESTIMATIVA DA ÁREA FOLIAR E DO PESO DE FOLHAS SECAS DE PLANTAS JOVENS DE CUPUAÇU (Theobroma grandiflorum (WILLD. EX SPRENG.) SCHUM. - STERCULIACEAE) POR MÉTODOS NÃO DESTRUTIVOS.

ESTIMATIVA DA ÁREA FOLIAR E DO PESO DE FOLHAS SECAS DE PLANTAS JOVENS DE CUPUAÇU (Theobroma grandiflorum (WILLD. EX SPRENG.) SCHUM. - STERCULIACEAE) POR MÉTODOS NÃO DESTRUTIVOS.

ESTIMATIVA DA ÁREA FOLIAR E DO PESO DE FOLHAS SECAS DE PLANTAS JOVENS DE CUPUAÇU (Theobroma grandiflorum (WILLD. EX SPRENG.) SCHUM. - STERCULIACEAE) POR MÉTODOS NÃO DESTRUTIVOS.

As fórmulas logarítmicas mostra- ram-se mais eficientes. Diferença em porcentagem dos valores calculados do peso da folha seca em relação aos observados. as variáveis CL e LL. As fórmu[r]

7 Ler mais

Estimativa da área foliar de plantas de lima ácida 'Tahiti' usando métodos não-destrutivos.

Estimativa da área foliar de plantas de lima ácida 'Tahiti' usando métodos não-destrutivos.

O método direto que envolve a contagem de folhas multiplicada por um valor médio da área foliar (AF média ) representativo da planta foi o que mais se aproximou dos resultados destrutivos considerados como referência em planta de lima ácida ´Tahiti’ adulta (Coelho Filho et al., 2003b). Segundo Whitworth et al. (1992), essa metodologia é mais robusta, sendo menos sensível aos erros de medidas. Por isso, esse método foi considerado padrão no presente estudo, por não ser destrutivo e apresentar rápida resposta e ainda tornar possível a determinação em muitas plantas, em função de se tratarem de plantas jovens.
Mostrar mais

5 Ler mais

Quantificação da área e do teor de clorofilas em folhas de plantas jovens de videira 'Cabernet Sauvignon' mediante métodos não destrutivos.

Quantificação da área e do teor de clorofilas em folhas de plantas jovens de videira 'Cabernet Sauvignon' mediante métodos não destrutivos.

Vários métodos têm sido utilizados para a estimativa da área foliar em videira, como é o caso de integradores de área, os quais apresentam alto custo, e da planimetria, a qual é diicultada pela irregulari- dade do formato da folha de videira. Todavia, estes métodos são destrutivos, pois requerem a remoção da folha da planta. A estimativa da área foliar por meio de medições simples e não destrutivas torna-se relevante, especialmente quando o objetivo é acom- panhar o processo de desenvolvimento mediante repetidas avaliações na mesma folha (Ramkhelawan & Brathwaite, 1990).
Mostrar mais

7 Ler mais

MARISA DE SANTANA DA COSTA MONITORAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO DA REDE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO PELO COMITÊ GESTÃO INTEGRADA DA ESCOLA – A DINÂMICA DE TRABALHO E SEUS DESAFIOS

MARISA DE SANTANA DA COSTA MONITORAMENTO DO SISTEMA DE GESTÃO DA REDE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO PELO COMITÊ GESTÃO INTEGRADA DA ESCOLA – A DINÂMICA DE TRABALHO E SEUS DESAFIOS

De acordo com o quadro apresentado, para aprimorar a atuação do Comitê GIDE junto às superintendências da SUGEN, foi proposta a criação de algumas rotinas, por parte do Comitê, e de governabilidade do Subsecretário de Gestão de Ensino, pois esta é a pessoa responsável pela articulação com os seus liderados. Dentro da rotina, será implantado ponto de controle mensal para aumentar o alinhamento entre as equipes e permitir que o Comitê tenha maior colaboração com esclarecimentos sobre os assuntos de cada área. Além de reuniões com superintendentes, a formação em assuntos fundamentais, tanto para os técnicos do Comitê quanto para os AAGEs, viabilizará a apropriação mais adequada dos assuntos pertinentes a cada área, diminuindo riscos de as informações perderem sua essência ao chegarem às unidades escolares. A primeira formação será com a SUPAA, para detalhamento de assuntos referentes às avaliações externas, com temas referentes aos resultados da rede e ao papel de cada profissional estratégico no processo. A segunda formação será com a SUPED, para detalhamento de todos os programas e projetos da SEEDUC/RJ, sobretudo aqueles para os quais os técnicos precisam ter um olhar mais específico quando realizarem visitas às unidades. A formação com a SUPLAN acontecerá com uma carga horária menor, devido o principal assunto ser referente ao processo de planejamento de matrículas da rede.
Mostrar mais

130 Ler mais

Aspectos da estrutura da raiz e do desenvolvimento de plantas de soja em solos compactados.

Aspectos da estrutura da raiz e do desenvolvimento de plantas de soja em solos compactados.

of some soil mass with a hydraulic press inside of iron cylinders. The soil compaction did not affect the anatomic structure of the roots, in any of the two cultivars. In the IAC-8, the leaf number, plant height and the dry matter of roots and stem decreased with the increase of soil density, and the root length was increased. In the IAC-14, the leaf number, foliar area, pod number, plant height, and weight of the dry matter of roots, stem and leaves decreased as the soil density increased, except for the intermediate densities (1.20 and 1.35), in which a trend to increase was observed in these variables. The soybean production was not affected by soil compaction, except for pod number in IAC-14, which showed differences as a function of the treatment. The results suggest that both cultivars can be well adapted to compacted soils in the analysed levels of compaction.
Mostrar mais

10 Ler mais

A IMPLEMENTAÇAO DA POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE GESTORES ESCOLARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE A PARTIR DA REGIONAL METROPOLITANA II

A IMPLEMENTAÇAO DA POLÍTICA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE GESTORES ESCOLARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA ANÁLISE A PARTIR DA REGIONAL METROPOLITANA II

contribuir com o desenvolvimento sustentável do país, investindo em projetos com foco na melhoria da qualidade da Educação Básica e da formação profissional técnica e superior. Quando pensamos em ações que contribuam para melhorar a qualidade da Educação Básica não falamos de algo trivial, mas sim, de ações amplas e complexas, dentre as quais podem ser destacadas: a necessidade de mudança de cultura e de paradigmas envolvendo a inovação tecnológica e o empreendedorismo; melhoria na infraestrutura e na formação inicial e continuada de docentes; priorizando à área pedagógica e às questões de âmbito social que em muitos momentos contribuem para o aumento da evasão e a distorção idade-série. Cientes de seu compromisso e em cumprimento com as metas traçadas no Mapa Estratégico de Desenvolvimento do Rio de Janeiro para o período de 2006/2015, a área de educação do Sistema FIRJAN decidiu investir na formação de gestores de escola dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, com o objetivo de inserir uma cultura empreendedora nos modelos de gestão educacional. Para a equipe do Sistema FIRJAN:
Mostrar mais

212 Ler mais

EVASÃO E PERMANÊNCIA NA EJA: POR UM TRABALHO DE QUALIDADE NA GESTÃO DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE

EVASÃO E PERMANÊNCIA NA EJA: POR UM TRABALHO DE QUALIDADE NA GESTÃO DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE

Todos os professores que assumiram as turmas de EJA anteriormente trabalhavam no ensino regular diurno ou noturno. A maioria dos profissionais tinha como referência a suplência semestral (antiga 1ª a 4ª séries) e o ensino regular noturno, que atendia aos jovens e adultos. Era necessário pensar em uma proposta específica, voltada para esse novo público que chegava à escola atraído pela Educação de Jovens e Adultos, com organização, linguagem, currículo e formas de avaliações próprias. Técnicos da Secretaria Municipal da Educação (SMED) e a acompanhante pedagógica da escola assessoravam o corpo docente para a construção de um projeto de EJA. Sua implantação também foi possível pelo esforço da equipe de gestão da escola, que enxergou, naquela época, uma oportunidade de aproximar a comunidade ao espaço escolar.
Mostrar mais

117 Ler mais

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: ÊXITOS E DESAFIOS

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: ÊXITOS E DESAFIOS

melhores resultados. O coordenador de área é avaliado quando se percebe que é atuante, propondo aos seus colegas maneiras de solucionar problemas que possam influenciar no resultado das avaliações dos educandos. O coordenador pedagógico é avaliado por sua atuação junto a todos os professores, pois deve estar sempre fomentando a cultura de novos processos que possibilitem a aprendizagem dos alunos. O diretor escolar é avaliado enquanto aquele que é responsável pela elaboração, coordenação, articulação e operacionalização do Plano de Ação da Escola, que compreende todos os Programas de Ação de todos os segmentos. É ele o responsável por fazer cumprir todas as diretrizes da Secretaria de Educação. Nessa perspectiva, todos os outros atores do cotidiano escolar também são avaliados de acordo com o artigo 16 da Portaria nº 823/2014, em que estão deliberadas as atribuições e competências de todos que compõem o quadro de pessoal das EMTIs.
Mostrar mais

149 Ler mais

4 PLANTAS RECUPERADORAS DE SOLO

4 PLANTAS RECUPERADORAS DE SOLO

Enquanto não tivermos um ambiente equilibrado a ocorrência de parasitas será comum. O agricultor ecologista poderá, então, lançar mão a algumas alternativas de controle que são aceitas para esse período de transição. Primeiramente, o agricultor deve sempre lembrar dos recursos que dispõe na propriedade. Assim, em muitos casos uma catação manual, o uso de água quente, sabão, cinza e outros, resolve o problema. Devem ser empregadas alternativas de pequeno impacto ambiental e de baixíssimo risco ao agricultor que aplica e ao consumidor. Existem muitas alternativas à base de minerais, produtos biológicos, plantas, animais e armadilhas. Vamos citar as principais.
Mostrar mais

56 Ler mais

ELAINE COSTA TOLEDO OS EFEITOS DA LEGISLAÇÃO NA PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

ELAINE COSTA TOLEDO OS EFEITOS DA LEGISLAÇÃO NA PRÁTICA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE NUTRIÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

Partindo da análise da dicotomia burocracia versus pedagógico, o autor percebe que há um espaço para diálogo e estreitamento de relações entre os atores envolvidos no estágio, permitindo, assim, “construir concepções de estágio que atendam às características de cada área do conhecimento ou até mesmo de cada curso” (PERES, 2013, p.93). Ele também destaca que o curso de Enfermagem dedica maior cuidado aos aspectos pedagógicos assim como para os burocráticos, emergindo uma “necessidade de prática contínua de procedimentos técnicos aliados fortemente à formação humana, haja vista a forte relação de zelo entre os enfermeiros e pacientes” (PERES, 2013, p.93). Observa-se que o curso de Nutrição possui pontos em comum com o curso de Enfermagem, bem como pode se beneficiar de algumas ações tomadas pelo curso para aprimorar o estágio, como a busca por interação entre os atores do estágio. É importante ressaltar que o curso de Nutrição se diferencia da Enfermagem pois possui além do professor orientador um nutricionista membro da COE com a função de assessorar nas atividades de estágio, especialmente nas questões burocráticas e nas visitas nos locais de estágio.
Mostrar mais

194 Ler mais

Desenvolvimento de plantas de algodão provenientes de sementes embebidas em cloreto de mepiquat.

Desenvolvimento de plantas de algodão provenientes de sementes embebidas em cloreto de mepiquat.

Quanto ao desenvolvimento, as plantas apresentaram- se, ao final do experimento, com 8,6 a 9,5 ramos e 4,6 a 6,1 botões florais, respectivamente, para os tratamentos com a dose de 7,5% e a testemunha, apresentando dife- rença significativa somente na dose de 7,5% (Tabela 1). O uso do cloreto de mepiquat na semente, indepen- dentemente da dose utilizada, promoveu a redução na área foliar por planta e por folha. Em relação à matéria

4 Ler mais

DESAFIOS E IMPACTOS DA EXTENSÃO NO ÂMBITO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

DESAFIOS E IMPACTOS DA EXTENSÃO NO ÂMBITO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Em 2008 foram iniciadas na Faculdade de Educação Física e Desportos (FAEFID) as obras para a reestruturação de seu espaço físico. Foram investidos 16 milhões de [r]

109 Ler mais

Marcos Aurelio Saquet Doutor em Geografia pela FCTUNESP (2001) Professor da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq Endereço eletrônico: saquetmarcoshotmail.com Marcos Leandro Mondardo Mestre em Ge

Marcos Aurelio Saquet Doutor em Geografia pela FCTUNESP (2001) Professor da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Unioeste Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq Endereço eletrônico: saquetmarcoshotmail.com Marcos Leandro Mondardo Mestre em Ge

Sob o ponto de vista geográfico, isso criaria a possibilidade de analisar a construção de territórios reticulares, pois é possível identificar padrões de distribuição e localização do[r]

10 Ler mais

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA EM UM ESTUDO DE CASO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA EM UM ESTUDO DE CASO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Não obstante a reconhecida necessidade desses serviços, tem-se observado graves falhas na gestão dos contratos de fornecimento de mão de obra terceirizada, bem com[r]

83 Ler mais

Avaliação da nutrição de plantações jovens de eucalipto por análise foliar e métodos não destrutivos

Avaliação da nutrição de plantações jovens de eucalipto por análise foliar e métodos não destrutivos

O crescimento e o estado de nutrição de jovens árvores de E. globulus não parecem ter sido afectados pelos resíduos de abate, quer estes tenham sido mantidos ou remo- vidos do sítio. A sua incorporação no solo promoveu o crescimento, mas as diferenças iniciais verificadas entre tratamentos esbate- ram-se com o tempo. A leguminosa L. luteus (IL e RL) gerou um aumento inicial do teor de N foliar, mas afectou negativamente o crescimento das árvores; contudo, no fim do estudo, o teor de N foi superior em IL, mas o crescimento foi semelhante ao de outros tratamentos. A aplicação de fertilizante azo- tado, pelo contrário, aumentou os teores de N e de pigmentos fotossintéticos, bem como os valores de SPAD, aproximadamente até 20 meses após a plantação, quer os resíduos de abate tenham sido mantidos ou removidos do sítio; o fertilizante promoveu o crescimento das árvores, principalmente quando os resí- duos foram incorporados no solo. Atenden- do à correlação entre o N foliar e os valores de SPAD, o medidor de clorofila parece ser uma técnica promissora para avaliar o teor de azoto em jovens plantações (até dois anos de idade). Nas condições Mediterrâneas em que o presente trabalho foi efectuado, o me- lhor sistema de gestão para o incremento da produtividade correspondeu à incorporação dos resíduos de abate associada à aplicação repetida de fertilizante azotado.
Mostrar mais

15 Ler mais

DISTRIBUIÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: UMA PROPOSTA DE REVISÃO DO MODELO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

DISTRIBUIÇÃO ORÇAMENTÁRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: UMA PROPOSTA DE REVISÃO DO MODELO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A UFV foi criada em 1922, ainda como Escola Superior de Agricultura e Veterinária (ESAV) de Viçosa. Instituída como universidade estadual no ano de 1932 e federalizada em 1948, a UFV possui sede em Viçosa, na Zona da Mata mineira, e conta com dois outros campi nas cidades de Florestal e Rio Paranaíba, ambos criados em 2006. Historicamente, tem, desde a sua criação, vocação para atuar no ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Ciências Agrárias e Exatas. Atualmente continua como referência de atuação nas atividades agrárias, mas sua excelência tem extrapolado essas áreas. Segundo o Relatório de Autoavaliação Institucional (2014), a universidade possui 67 cursos de graduação e 42 programas de pós-graduação, incluindo cursos na área de Ciências Humanas. Os campi de Viçosa e Florestal oferecem também o ensino médio federal.
Mostrar mais

116 Ler mais

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

Assim, a necessidade da analisar o desempenho dos aterros hidráulicos associados a contenção e armazenamento de rejeitos é uma conseqüência do crescimento da utilização deste tipo de estrutura no processo de disposição de rejeitos. Esta técnica tem sido utilizada pela maioria das mineradoras e tem se tornado cada vez mais viável em vista da grande quantidade de rejeito a ser estocado. No contexto da segurança e qualidade técnica tem-se notado um aumento das exigências de projeto, mudanças nos métodos construtivos, controle geotécnico mais rigoroso nos projetos e durante a fase de construção. Neste contexto, medidas de controle do nível freático, processo adicionais de densificação, implantação de sistemas eficientes de drenagem e utilização de camadas de transição têm sido incorporados aos processos construtivos atuais.
Mostrar mais

173 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd – CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd – CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

O Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, de 2007, e a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, instituída em 2009 foram a base para[r]

185 Ler mais

Comparação de métodos de estimativa de área foliar em morangueiro

Comparação de métodos de estimativa de área foliar em morangueiro

Para execução do experimento, foram coletadas da área experimental do setor de Olericultura após a segunda florada aleatoriamente trinta folhas sadias, ao acaso, em diferentes posições de plantas de morangueiro, cultivar Albion. No campo as plantas foram conduzidas em sistema de túneis plásticos com 0,8 m de altura na parte central, canteiros de 1,0 m de largura por 0,25 m de altura, utilizadas três linhas, espaçadas as plantas entre linhas e entre plantas por 0,30 m, em solo Latossolo Bruno Distroférrico típico. Os canteiros foram revestidos com filme de polietileno preto, sendo a irrigação realizada por sistema de gotejamento, de acordo com a necessidade hídrica da cultura.
Mostrar mais

8 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados