Top PDF Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos através da gestão do conhecimento

Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos através da gestão do conhecimento

Melhoria do processo de desenvolvimento de produtos através da gestão do conhecimento

O processo de desenvolvimento de produtos (PDP) tem desempenhado um papel cada vez mais determinante para o aumento de competitividade das empresas. O alto grau de incertezas e riscos e a grande quantidade de decisões tomadas durante as etapas de projeto do PDP impactam diretamente no custo final do produto e, consequentemente, são fatores importantes para o sucesso de uma empresa. Dada a sua importância, diversos estudos têm buscado melhorar a gestão das etapas de projeto de produto. Nesse contexto, apesar de se observar a aplicação de ferramentas de gestão do conhecimento ao projeto de produto, não se verifica uma metodologia estruturada que reúna características de gestão de projetos, de gestão do conhecimento e que esteja voltada a tais etapas do PDP, fato que vem sendo apontado como promissor. Sendo assim, o objetivo desse estudo foi de desenvolver uma sistemática híbrida, envolvendo gestão de projetos e gestão do conhecimento, que pudesse ser utilizada para gerenciar o projeto de produtos. Para atingir esse objetivo, primeiramente realizou-se uma pesquisa bibliográfica dos temas relacionados, levantou-se o estado da arte das ferramentas de gestão de projeto existentes e analisaram-se, através de artigos e estudos de caso, exemplos de aplicação da gestão do conhecimento em empresas e no PDP. Posteriormente, desenvolveu-se uma sistemática de gestão, utilizando a estrutura básica da gestão de projetos e dando ênfase à gestão do conhecimento. Como parte do desenvolvimento dessa sistemática, iniciou-se o processo de elaboração de um protótipo de software, em Excel, a fim de demonstrar a aplicabilidade da sistemática desenvolvida na prática. Finalmente, aplicou-se um questionário semiestruturado sobre o tema para identificar o nível de relevância e importância do estudo realizado.
Mostrar mais

110 Ler mais

Uma ontologia para a Gestão do Conhecimento no Processo de Desenvolvimento de Produto.

Uma ontologia para a Gestão do Conhecimento no Processo de Desenvolvimento de Produto.

Resumo: As organizações necessitam gerenciar o conhecimento utilizado em seus processos de forma efetiva para promover o aprendizado organizacional e preservar seu capital intelectual. A Gestão do Conhecimento tem um papel fundamental no desenvolvimento de produtos como agente disseminador de informações para os atores envolvidos neste processo. O Processo de Desenvolvimento de Produto (PDP) tem natureza interdisciplinar e é caracterizado pelo elevado número de informações que são geradas e manipuladas. Portanto, neste processo, o compartilhamento de conhecimento, assim como a integração entre os recursos humanos, fazem-se necessários para a solução de problemas. Ontologias, enquanto sistemas de representação do conhecimento, são importantes para apoiar a organização, classificação, representação, recuperação e difusão do conhecimento no PDP. O objetivo deste artigo é descrever a elaboração de uma proposta de Gestão do Conhecimento utilizando ontologias, que apoie a representação, recuperação e disseminação de conhecimento relativo ao PDP. Para tanto, este artigo descreve um método para a formalização e construção de ontologias para subprocessos do PDP. Na sequência, apresenta o método para a construção da ontologia e sua aplicação no SENAI CIMATEC - Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia. Palavras-chave: Gestão do conhecimento. Ontologia. Processo de Desenvolvimento do produto. Melhoria de processos.
Mostrar mais

15 Ler mais

PROPOSTA E APLICAÇÃO DE UMA SISTEMÁTICA BASEADA NA GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA A MELHORIA DO PROCESSO DE COMPRAS PÚBLICAS

PROPOSTA E APLICAÇÃO DE UMA SISTEMÁTICA BASEADA NA GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA A MELHORIA DO PROCESSO DE COMPRAS PÚBLICAS

A gestão de compras desempenha um papel estratégico nas organizações públicas, visto que é sua função supri-las com os insumos, matéria prima e serviços, necessários para alcançar seus objetivos. Porém, os processos de compras públicas são altamente regulados e burocráticos, provocando disfunções que afetam o desempenho das aquisições. O objetivo desta pesquisa foi propor e aplicar uma sistemática para a melhoria do processo interno de compras em uma Instituição Federal de Ensino Superior (IFES) baseada na Gestão do Conhecimento. O método de pesquisa utilizado foi a pesquisa-ação e a organização estudada foi a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Os resultados obtidos compreenderam o desenvolvimento de uma sistemática, baseada na Gestão do Conhecimento, para a melhoria do processo de compras e a sua aplicação na unidade caso, que envolveu quatro etapas: 1] diagnóstico da situação problema: mapeamento do fluxo de informações do processo de compras, identificação dos atores, causas do problema, processos de conversão do conhecimento; identificação de potenciais iniciativas de gestão do conhecimento e a seleção do foco de atuação; 2] implementação; 3] Avaliação e 4] Replicação da solução. Conclui-se com base na discussão teórica e na análise dos resultados que a Gestão do Conhecimento pode contribuir para a melhoria do processo de compras das organizações públicas, ao implementar soluções focadas nos atores e nos processos de conversão de conhecimento.
Mostrar mais

143 Ler mais

Modelo para estruturação de um processo formal de desenvolvimento de produtos fundamentado em conceitos de gestão do conhecimento

Modelo para estruturação de um processo formal de desenvolvimento de produtos fundamentado em conceitos de gestão do conhecimento

A complexidade das tarefas de projetar e desenvolver produtos representa desafios permanentes para indivíduos e organizações, tornando a busca por conhecimentos científicos e tecnológicos, uma questão chave para o sucesso de projetos. Embora os estudos acadêmicos sobre o processo de projeto já datem mais de 40 anos, os relatos de pesquisas mostram que a absorção dos mesmos pela indústria está muito aquém do esperado. Reconhecendo nisso um problema que demanda uma investigação científica, desenvolveu-se um trabalho de pesquisa voltado a responder a seguinte questão: Como operacionalizar, em organizações manufatureiras, a transferência de conhecimento científico e tecnológico para o Processo de Desenvolvimento de Produtos (PDP)? Para buscar uma resposta à questão, empregou-se como metodologia de pesquisa, uma revisão bibliográfica, uma pesquisa de campo e um estudo de caso. Seguindo esse delineamento, analisou-se o PDP de quinze empresas manufatureiras, e comparou-se os resultados com outras pesquisas do gênero, disponíveis na literatura. A partir desse confronto de dados e informações, e com o apoio de teorias oriundas do Processo de Projeto e Gestão do Conhecimento (GC), foi desenvolvido um modelo que, fazendo uso de processos sistemáticos de busca, detecção e explicitação de conhecimentos, estabelece uma nova forma de promover a estruturação do PDP, baseada nas condições situacionais de cada organização e respeitando suas próprias opções estratégicas. A sistematização da transferência de conhecimento ocorre pela identificação e análise de Objetos de Conhecimento (OC). Objeto de Conhecimento é um conceito que recebeu uma definição particular no modelo, e sua função é classificar a natureza dos diversos conhecimentos que contribuem para as atividades de um processo
Mostrar mais

313 Ler mais

Proposição de um modelo para avaliar a gestão do conhecimento no processo de desenvolvimento de produtos

Proposição de um modelo para avaliar a gestão do conhecimento no processo de desenvolvimento de produtos

O método que predomina é o hipotético-dedutivo, à medida que parte de teorias existentes sobre o processo de DP e sobre a GC para encontrar respostas para um problema de pesquisa – entender como as conversões do conhecimento ocorrem nas dimensões do processo de DP –, porém continuamente descartando aquilo que não funciona (refutação) para a solução desse problema. No que se refere à abordagem do problema, o presente trabalho tem características que o classificam como uma pesquisa qualitativa. Em termos de objetivos gerais, trata- se de uma pesquisa descritiva, com poucos elementos de pesquisa exploratória e explicativa. Isto porque visa a descrever as características de determinado fenômeno em parte já exposto – o mencionado relacionamento entre conversões e dimensões –, delimitando-o por meio de um modelo que foca a avaliação e a interpretação e bem menos relações de causa e efeito (explicação). Portanto, o modelo de avaliação é construído segundo a orientação do método hipotético-dedutivo. Origina-se das teorias existentes sobre DP e GC, que já foram pré- selecionadas respectivamente em seções anteriores, em resposta ao problema de pesquisa apontado que é representado por ampla hipótese a ser validada: a possibilidade de construção de um modelo que relacione as conversões com as dimensões para avaliar a gestão de conhecimentos no desenvolvimento de produtos. Para se construir este modelo, continuando a orientação dada pelo método hipotético-dedutivo, buscou-se traduzir essa ampla hipótese de pesquisa para as especificidades dos diversos relacionamentos conversões – dimensões existentes. Para tanto, selecionou-se, das teorias sobre dimensões do DP e conversões do conhecimento, o conteúdo útil para formular hipóteses e melhores práticas, o qual permitiu a construção do modelo de avaliação.
Mostrar mais

11 Ler mais

Um processo para contratação de serviços de  desenvolvimento de software com ênfase em inovação e gestão  do conhecimento

Um processo para contratação de serviços de desenvolvimento de software com ênfase em inovação e gestão do conhecimento

Oito dos entrevistados acreditam que a tarefa “Desenvolver a primeira espiral de criação do conhecimento” não é suficiente para “empacotar” o conhecimento organizacional, pois vão existir detalhes de execução do projeto, entre outros que não vão estar entre as documentações geradas pela equipe de criação do conhecimento interna, ou ainda, por esquecimento, não foram colocadas, e o engenheiro do conhecimento, no caso o gestor de aquisição, pode, e muitas vezes irá acontecer, de não conhecer tudo em detalhes. Foi sugerido que, da equipe de criação do conhecimento formada para tarefa “Desenvolver a primeira espiral de criação do conhecimento”, viessem também alguns profissionais do conhecimento interno chave para a atividade “Desenvolver a segunda espiral de criação do conhecimento”. Outra observação feita é que é necessário que sempre haja uma forma de trocar informações, mesmo depois que a atividade “Preparação da Aquisição” tenha sido concluída, para uma melhor uniformização do conhecimento e consequentemente o desenvolvimento de um produto de melhor qualidade. Outra sugestão feita é que durante o processo de criação do conhecimento, fosse aberto um canal para receber críticas colaborativas do restante da organização. Por último, foi recomendado que houvesse uma revalidação com os stakeholders ao final da primeira espiral de criação do conhecimento.
Mostrar mais

225 Ler mais

Desenvolvimento de um modelo de gestão do conhecimento para a melhoria do processo de desenvolvimento de produtos

Desenvolvimento de um modelo de gestão do conhecimento para a melhoria do processo de desenvolvimento de produtos

As ações aprenda e contribua , formalizados, são relativamente novas para as organizações (WILLIAMS; BUKOWITZ, 1999, p. 26). Isso não sugere que, no passado, ninguém aprendia ou contribuía (cooperava) com conhecimentos. Entretanto, o reconhecimento formal do passo criar (aprender e cooperar para uma base de conhecimento organizacional) como um meio de criar vantagem competitiva é novo. O desafio para as organizações é encontrar formas de integrar o processo de aprendizado à maneira como as pessoas trabalham. Atualmente, conseguir que os empregados contribuam para a base de conhecimento comum com o que aprenderam é uma das maiores barreiras que as organizações têm a superar. Por um lado, as empresas podem poupar tempo e dinheiro, transferindo as melhores práticas , por exemplo, e aplicando esse conhecimento ganho com uma experiência em outra, até porque a tecnologia tornou relativamente fácil organizar, reter e transferir certos tipos de informação e conhecimento. Por outro lado, a contribuição não apenas consome tempo, mas também é vista como uma ameaça à viabilidade individual do empregado. Criar uma ferramenta de gestão do conhecimento pode ajudar com algumas das exigências de gerar conhecimento para ser utilizado em toda a organização. Logo, convencer as pessoas que a aprendizagem organizacional e a cooperação darão retorno, tanto para a organização como para elas próprias, é o inicio para o ciclo de criação da memória organizacional.
Mostrar mais

123 Ler mais

Representação do conhecimento gerado no processo de desenvolvimento de software através de storytelling.

Representação do conhecimento gerado no processo de desenvolvimento de software através de storytelling.

O objetivo deste trabalho foi prover a representação do conhecimento com recursos que permitam construir, contar histórias (storytelling) sobre os fatos acontecidos durante todo o processo de desenvolvimento. O mecanismo de storytelling foi escolhido por ser simples, de fácil utilização e ter um alto potencial de representação do conhecimento. Basta lembrarmos que o ser humano sempre passou conhecimento sobre suas mais diversas atividades, contando histórias sobre as mesmas. Adicionalmente, esta história será contada utilizando recursos multimídia, que enriquecerão a história contada, facilitando o seu entendimento. Para tanto, o artigo está organizado nas seguintes seções: (1) Introdução. (2) Processo de Desenvolvimento de Software. (3) Gestão do Conhecimento. (4) Storytelling. (5) História sobre Processo de Software. (6) Modelos. (7) ProcStory – Uma ferramenta que permite a construção de histórias. (8) Trabalhos relacionados. (9) Considerações Finais. (10) Referências.
Mostrar mais

12 Ler mais

Práticas para a melhoria contínua do Processo de Desenvolvimento de Produtos: análise comparativa de múltiplos casos.

Práticas para a melhoria contínua do Processo de Desenvolvimento de Produtos: análise comparativa de múltiplos casos.

A empresa apresenta estruturação do PDP, com etapas e gates, baseados no modelo Stage-Gate e no conceito do DFSS. Os próprios técnicos e pesquisadores do Laboratório de Serviço Técnico (divisão de P&D da empresa) são treinados pelo menos como Green Belts, para obterem maior facilidade na aplicação das ferramentas e técnicas do DFSS. Apesar de os pesquisadores e técnicos serem treinados como Green ou Black Belts, e da área de Seis Sigma prestar auxílio aos projetos de desenvolvimento de novos produtos, o conhecimento é utilizado para o desenvolvimento do produto via DFSS e não para a melhoria do PDP. Não há uma estruturação formal de aplicação da MC no PDP, existem iniciativas ad hoc com o objetivo de diminuir etapas consideradas desnecessárias, tempo de execução e desperdícios do PDP. As principais iniciativas de melhoria estão relacionadas com a melhor definição do que é requerido em cada etapa ou atividades do PDP, assim como melhores instruções para o preenchimento do Project Charter e definição de responsabilidades.
Mostrar mais

21 Ler mais

Relação da gestão do conhecimento e gestão da qualidade através da melhoria contínua na prestação de serviços em uma empresa de transporte público

Relação da gestão do conhecimento e gestão da qualidade através da melhoria contínua na prestação de serviços em uma empresa de transporte público

Ao longo da história da humanidade, inúmeras foram as transformações que ocorreram. O conhecimento que o ser humano e o que as organizações possuem são o seu verdadeiro diferencial competitivo. A gestão do conhecimento e suas práticas estão em evidência no meio empresarial, porém a era do conhecimento que vivenciamos não é a realidade na prática para um número elevado de empresas. Para estas, a gestão da qualidade, é uma alternativa para melhorar os seus padrões organizacionais de desempenho. O tema, portanto desta pesquisa é a Gestão do Conhecimento associada à Gestão da Qualidade para a melhoria contínua, e o objetivo geral foi de estabelecer a relação da Gestão da Qualidade e Gestão do Conhecimento através da melhoria contínua para empresas prestadoras de serviços. Visando o compartilhamento de informações e conhecimentos em um ambiente inovador, foi identificada a interface entre os elementos da Gestão da Qualidade e da Gestão do Conhecimento, quais as ferramentas da Gestão da Qualidade que favorecem o compartilhamento de informações e conhecimento, e as práticas caracterizadas para o processo de Gestão da Qualidade. O atual cenário mundial determina que os processos realizados pelas empresas ocorram em níveis de excelência e com a busca permanente pela melhoria contínua. Relacionando o tema proposto do trabalho, foram verificados conceitos através do referencial teórico confrontadas com a aplicação da Ferramenta FMEA, concluindo assim, através do estudo de caso em uma empresa de transporte público, a relação da gestão para que haja melhoria continua na prestação de serviços.
Mostrar mais

70 Ler mais

Melhoria da gestão de segurança em obras ferroviárias através do Lean

Melhoria da gestão de segurança em obras ferroviárias através do Lean

O processo de planeamento e controlo da produção facilita a implementação dos princípios de Lean Production, na medida em que se tende a reduzir actividades como, movimentação, inspecção e espera, bem como aquelas actividades que consomem tempo, mas não geram valor ao cliente final. As informações contidas no planeamento de longo prazo serão divulgadas aos intervenientes envolvidos na execução da obra. Os prazos que constam no planeamento de longo prazo são essenciais para a preparação do plano de médio prazo. Este planeamento espelha os desfasamentos efectivos entre o planeado e o executado. Outra importante decisão, relacionada a esse nível de planeamento, trata a estratégia de desenvolvimento da obra. Através deste estudo, é estabelecido o programa das diferentes actividades, eliminando-se possíveis pontos de colisão que possam existir entre equipas e propiciando-se a melhoria dos fluxos de materiais e mão-de-obra (Kurek, 2005).
Mostrar mais

195 Ler mais

Estudo da inserção da gestão do design no processo de  desenvolvimento de produtos de empresas de confecção brasileiras

Estudo da inserção da gestão do design no processo de desenvolvimento de produtos de empresas de confecção brasileiras

O Sourcing está relacionado com a busca do designer para realizar o projeto. Na pesquisa realizada, todas as empresas fazem uso do design interno. Em quatro das cinco empresas, a função de designer é realizada pela empresária ou por algum familiar. Apenas uma empresa possui designer profissional e uma equipe de criação. Apesar da formação dos empresários que executam a função ser técnica ou superior na área de moda, muitas vezes a base do conhecimento adquirido não é posta em prática, isso significa que nem com as competências adquiridas durante o curso superam os vícios já existentes e que não basta ter formação na área, é preciso se tornar um agente transformador nas práticas da empresa.Das cinco empresas, apenas uma possui um setor de criação com designers e tarefas direcionadas ao desenvolvimento de produtos. Quanto à contratação de projetos freelance, duas empresas nunca tiveram experiência com este tipo de contrato e três empresas já a tiveram, mas não aprovaram a experiência. Os motivos são claros, como por exemplo, desenhos desconexos em relação ao perfil da marca; falta de exclusividade dos desenhos e falta de envolvimento com a empresa. As fontes de sourcing mais citadas para contratar um designer foram as escolas de moda e indicação, uma das empresas não respondeu a esta questão alegando não saber a resposta.
Mostrar mais

20 Ler mais

A GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA MELHORIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

A GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA MELHORIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

vista como um processo que começa com o indivíduo aprendendo e compartilhando esse novo conhecimento. Há dois tipos de conhecimento: explícito e tácito, o primeiro é formal e sistemático, é desse modo, fácil de comunicar e de compartilhar, o segundo consiste em modelos mentais, convicções e perspectivas que não podem ser articuladas facilmente, mas podem ser compartilhadas e torna-se disponível e acessível a todos (JOÃO, 2004). NONAKA e TAKEUCHI (1995) apresentam que a criação do conhecimento na organização é uma interação contínua e dinâmica entre os dois tipos, o conhecimento tácito e o conhecimento explícito.
Mostrar mais

10 Ler mais

Análise das Produções Científicas em Gestão do Conhecimento no Desenvolvimento de Produtos: Produtividade na Base Scopus

Análise das Produções Científicas em Gestão do Conhecimento no Desenvolvimento de Produtos: Produtividade na Base Scopus

A gestão do conhecimento, fator estratégico de grande importância nas organizações contempo- râneas, apresenta natural proximidade com a inovação, onde o desenvolvimento de produtos é um processo crítico. Este artigo tem como principal objetivo realizar uma análise bibliométrica dos trabalhos desenvolvidos a partir do tema - Gestão do Conhecimento alinhado ao Desenvolvimento de Produtos. Embora esses assuntos tenham um histórico significativo de publicações já bem des- critas, justifica-se a atual análise por poucos estudos de levantamentos numéricos e classificações das publicações nessas temáticas. Para tanto, realizou-se uma pesquisa verificando as publicações científicas que compreendeu o período de 1996 a 2015, a partir de uma das maiores e mais conso- lidadas bases de dados internacionais, a Scopus da Editora Elsevier. A seleção dos trabalhos se deu a partir da combinação de termos em inglês que estivessem contidos no título, resumo e palavras chave das publicações. Como resultado, o período mais produtivo foi entre 2007 até 2011. O núme- ro de publicações aumentaram ao longo dos anos, tendo os Estados Unidos e a China os países que mais desenvolveram trabalhos. O artigo com mais citações foi “A pragmatic view of knowledge and
Mostrar mais

20 Ler mais

Melhoria do Processo de Compras: A Gestão de Fornecedores

Melhoria do Processo de Compras: A Gestão de Fornecedores

Tendo em conta as características do mercado de atuação, de grande diversificação e imprevisibilidade de gama, a empresa opta por uma estratégia de aquisição de artigos a partir de fornecedores não pertencentes à União Europeia, o que cria, em consequência, inúmeras ineficiências no seu atual processo de compras, nomeadamente no que concerne a lead times elevados e dias de rotação e valores de stock não otimizados. Com o propósito de combater estes problemas, a partir de uma matriz ABC adaptada e complementada com diversos indicadores comerciais, o estudo que se faz na presente dissertação passa pela identificação dos fornecedores mais importantes para posterior análise de parcerias de longo prazo, bem como de todos os fornecedores de menor valor na unidade de negócio e que serão alvo de uma análise de risco de eliminação. Paralelamente a esta análise, desenvolve-se uma ferramenta de avaliação e monitorização de fornecedores que servirá de apoio aos gestores comerciais nas suas tarefas de gestão. Por fim, faz-se ainda uma análise à atual estratégia de gestão da relação com os fornecedores por parte da empresa e propõe-se um desenvolvimento para implementação futura.
Mostrar mais

90 Ler mais

Método de análise de maturidade e priorização de melhorias na gestão do Processo de Desenvolvimento de Produtos.

Método de análise de maturidade e priorização de melhorias na gestão do Processo de Desenvolvimento de Produtos.

Duas características podem ser apontadas nos modelos de maturidade tradicionais. Primeiramente, eles não se detêm na investigação das piores práticas ou problemas persistentes na gestão do PDP. Uma abordagem nesse sentido foi proposta por Echeveste (2003), que gerou um questionário de problemas típicos do PDP para analisar a situação presente da GPDP da empresa. Os problemas são facilmente lembrados pelos administradores, que têm relativa facilidade para abordá-los, o que nem sempre ocorre quando o objeto são as melhores práticas da empresa. Em segundo lugar, os modelos de maturidade tradicionais não auxiliam objetivamente a tomada de decisão sobre quais aspectos melhorar na GPDP e quais passos adotar, tática e operacionalmente, para implementação da melhoria da gestão. Essa decisão fica a cargo dos gestores do processo, que percebem de maneira subjetiva, a partir da sua expertise , a ordem de prioridade que devem atribuir às melhores práticas indicadas pelos modelos de maturidade tradicionais.
Mostrar mais

19 Ler mais

Um modelo de gestão do conhecimento para a melhoria de qualidade do produto

Um modelo de gestão do conhecimento para a melhoria de qualidade do produto

Este trabalho objetiva mostrar a importância que o conhecimento representa para as organizações, principalmente em uma era em que a competição desconhece fronteiras. O conhecimento tornou-se o principal recurso de tudo o que é produzido pela organização. Os problemas de qualidade, custo e competitividade remonta em um problema muito mais fundamental, que é a incapacidade das organizações de aprender e abster-se de repetir constantemente os mesmos erros. O conhecimento organizacional e o fator que permite desenvolver uma competência de forma a elevar o nível de qualidade dos bens, serviços e métodos. O valor da maioria dos produtos e serviços depende de como são desenvolvidos os fatores intangíveis baseados no conhecimento. O conhecimento tácito de natureza subjetiva, altamente pessoal e difícil de formalizar, é a base do conhecimento organizacional. A eficiência da criação do conhecimento é dada pela capacidade da organização em converter o conhecimento tácito em conhecimento explícito. Assim, a criação de um novo conhecimento é o resultado de uma intensiva interação entre os membros da organização. A crescente importância que o conhecimento desempenha nos processos operacionais exige uma mudança comportamental da organização para administrar o novo recurso. A função da organização nesse processo é fornecer o contexto apropriado para facilitar as atividades de grupo, para criar e acumular conhecimento em nível organizacional. 0 foco da gestão do conhecimento, portanto, precisa estar nos fluxos de conhecimentos, visão, confiança e comunicação, e não na alocação de poder e recursos. Administrar essas colaborações requer uma mudança no conceito de trabalho tradicional.
Mostrar mais

172 Ler mais

Um estudo do processo de criação do conhecimento nas pequenas empresas de base tecnológica quando do desenvolvimento de novos produtos

Um estudo do processo de criação do conhecimento nas pequenas empresas de base tecnológica quando do desenvolvimento de novos produtos

2008. 219f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008. A presente pesquisa buscou analisar o processo de criação do conhecimento em relação ao desenvolvimento de novos produtos nas pequenas empresas de base tecnológica. Para tal, buscou identificar os fluxos de informação e de conhecimento frente ao processo de criação de novos conhecimentos para o desenvolvimento de produtos nas pequenas empresas de base tecnológica. Além disso, estudou as condições e fatores que interferem no processo de criação do conhecimento, assim como as ferramentas de groupware que podem apoiar tal processo. Como base para o desenvolvimento teórico do estudo, utilizou-se a teoria de criação do conhecimento organizacional de Nonaka e Takeuchi e complementarmente os modelos de gestão de conhecimento de Leornard-Barton e dos autores Probst, Raub e Romhardt. Trata-se de uma pesquisa exploratória-descritiva, por meio de uma abordagem de análise qualitativa e quantitativa, na qual se fez uso do procedimento “estudo de caso”. O campo de investigação do estudo compreendeu uma organização de base tecnológica, de pequeno porte, localizada na grande Florianópolis/SC, na qual foram aplicados as seguintes técnicas e instrumentos de coleta de dados: questionário estruturado, entrevista semi-estruturada e análise de documentos internos. Os resultados revelaram que o processo de criação do conhecimento depende de informações e conhecimentos advindos do meio interno e externo onde o conhecimento, fruto de um processo constante de interação, para ser ampliado organizacionalmente, necessita ser compartilhado e difundido entre os diferentes níveis da organização. Contextos adequados compostos por diversas condições e fatores podem facilitar esse processo, fomentando o fluxo de informação e conhecimento ao longo do desenvolvimento de novos produtos. As diversas ferramentas de groupware, se utilizadas adequadamente conforme as necessidades da organização, podem contribuir na comunicação, colaboração e coordenação entre os colaboradores na medida em que possibilitam a troca de idéias e experiências, o diálogo coletivo e uma maior interatividade entre eles.
Mostrar mais

220 Ler mais

Gestão do conhecimento tácito no desenvolvimento de produtos estudo de casos em empresas do setor automobilístico

Gestão do conhecimento tácito no desenvolvimento de produtos estudo de casos em empresas do setor automobilístico

O conhecimento tornou-se um importante recurso para as organizações contemporâneas inseridas em um contexto de negócios complexo e mutável. Assim, em organizações focadas no conhecimento, a preocupação com a criação e compartilhamento de conhecimentos é crucial a fim de a organização empreender a gestão estratégica do conhecimento organizacional, reconhecendo-o como fonte essencial de vantagem competitiva (KLEIN, 1998; PORTER, 1998). Isto porque, conforme apregoam Brito, Galvão e Oliveira (2012) e Centenaro, Bonemberger e Laimer (2016), o conhecimento organizacional tornou-se fonte de valor e criador de diferenciais competitivos à medida que proporciona inovação por meio da gestão do capital intelectual, que é incorporado a produtos, serviços e no processo de tomada de decisão pelas pessoas, tecnologias de informações e processos organizacionais.
Mostrar mais

12 Ler mais

Proposta de uma sistemática de gestão de requisitos para o processo de desenvolvimento de produtos sustentáveis.

Proposta de uma sistemática de gestão de requisitos para o processo de desenvolvimento de produtos sustentáveis.

Inicialmente, o esforço para evitar a poluição por meio do controle e melhoria dos processos originou a criação de uma série de diretrizes para a redução dos impactos ambientais nas fases de projeto, produção e utilização do produto, a exemplo do design para o meio ambiente (Design for Environment – DfE) (FIKSEL, 1993), do Manual de Ecodesign do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) (BREZET; HEMEL, 1997) e do conjunto de normas ISO 14000, estas últimas focadas na gestão ambiental das empresas (INTERNATIONAL..., 2009). Nas últimas décadas, a preocupação ambiental foi ampliada para a perspectiva do ciclo de vida do produto, incluindo também as fases de extração e transformação da matéria-prima e de consumo e reutilização dos produtos. Essa abordagem holística de sustentabilidade ambiental encontra-se presente no método ZERI (Zero Emissions Research & Initiative) (PAULI, 1998), na certificação Cradle to Cradle (McDONOUGH; BRAUNGART, 2002) e nos conceitos de ecologia industrial (FROSCH; GALLOPOULOS, 1989) e de logística reversa (TIBBEN-LEMBKE, 2002).
Mostrar mais

15 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados