Top PDF Pornografia infantil e pedofilia na internet: novos olhares

Pornografia infantil e pedofilia na internet: novos olhares

Pornografia infantil e pedofilia na internet: novos olhares

Ao longo do tempo, com o desenvolvimento da tecnologia, grandes avanços foram feitos, tais como, descobertas de doenças e suas respectivas curas, aperfeiçoamento nas transações comerciais, entre outros. Entretanto, a tecnologia trouxe consigo, inevitavelmente, novas formas de crimes, entre eles, os chamados crimes virtuais. Quando esses crimes começaram a fazer parte da realidade social, o direito brasileiro estava muito atrás nessa matéria, não conseguindo punir nem identificar os infratores, muitas vezes, por falta de legislação especial. O combate aos chamados crimes virtuais desperta interesses e parcerias internacionais. Por isto, será abordada especificamente, nesta monografia, a pornografia infantil e a pedofilia no mundo virtual, analisando, metódicamente, suas causas e consequências. Este trabalho, tem como objetivo avaliar e demonstrar a hiposuficiência das leis brasileiras sobre o assunto: tanto mostrando o que está sendo feito por parte das autoridades brasileiras para o combate desse tipo de crime, que ainda não é tipificado na legislação penal brasileira, quanto abordando perfis psicológicos, sociais e econômicos das vítimas e de seus agressores. A metodologia utilizada tem por base o método indutivo, utilizando-se de legislações brasileiras, livros especializados, internet e dados de instituições ligadas ao assunto. Por fim, esta monografia objetiva fornecer material suficiente para que haja uma conscientização geral de autoridades, vítimas e familiares, o que é justificado pelo texto constitucional brasileiro em seu artigo 227, que determina: é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à dignidade, ao respeito, à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.
Show more

51 Read more

A insegurança no mundo digital :   um olhar crítico acerca da pedofilia e pornografia infantil na Internet

A insegurança no mundo digital : um olhar crítico acerca da pedofilia e pornografia infantil na Internet

abreviatura da expressão binary digit, ‘dígito binário’ que corresponde a uma forma de contar pela qual se utilizam para cada dígito apenas duas possibilidades (0 ou 1). A identificação do significado das várias composições formuladas pelo conjunto de zeros e uns, só é possível porque existe uma tradução daquele singelo dado de fato para uma informação mais complexa. Vale dizer, como homem e máquina utilizam linguagens diferentes, para eles se entenderem é preciso existir um tradutor. Este tradutor é um programa de computador que adota os seguintes critérios: a) como cada bit só pode assumir dois valores ( 0/1) e isto é muito pouco para instruir a máquina sobre o que fazer, pois corresponderiam apenas às letras de um alfabeto feito de duas letras; é preciso formar uma palavra de certo tamanho; b) esta palavra, nos primeiros computadores pessoais tinha o tamanho de 8 bits justapostos o que se denominou ‘byte’. Portanto, byte é um conjunto de 8 bits; c) dependendo da maneira pela qual estão reunidos os bits que compõem um byte, portanto, comportam-se 256 composições diferentes; d) na medida em que o byte pode apresentar 256 composições diferentes, atribuiu-se, convencionalmente, para cada uma dessas composições um determinado significado de acordo com uma tabela padrão (a chamada tabela ASCII). Este significado pode ser um algarismo, uma letra, uma instrução para o computador, um comando, etc., dependendo da seqüência de zeros e uns que tiver sido gravada na memória ou num determinado meio (disquete etc.). Com a evolução dos equipamentos, os padrões mudam rapidamente: o que, há poucos anos, eram computadores de 8 bits, passaram a ser computadores de 16 bits, e estamos chegando aos de 32 ou 64 bits, tudo dependendo do tamanho da palavra básica que adotam para seus cálculos e funções. A idéia fundamental, porém, permanece inalterada. O ponto de partida é uma seqüência de sensibilizações efetuada em posições de memória; estas sensibilizações podem ser de dois tipos (sim/não – 0/1) e o conjunto formado por uma seqüência destes bits deverá ser traduzido para que se obtenham letras, algarismos, comandos, etc. Assim, a título de exemplo adotando a tabela ASCII de 8 dígitos, a palavra ‘CONTRATO’ (em maiúsculas) teria uma apresentação muito estranha dentro da memória do computador (se fosse em minúsculas teria outra apresentação), pois, a cada uma das letras corresponde uma seqüência de 8 bits do que resulta o seguinte: C=01000011; O=01001111; N=01001110; T=01010100; R=01010010; A=01000001; T01010100; O=01001111. Ou seja, a palavra CONTRATO em linguagem de máquina inteira corresponderia a esta seqüência: 01000011010011010011100101010001010010010000010101010001001111. A isto se acrescente ainda que existem dígitos verificadores, dígitos de controle, etc”. (Greco, Marco Aurélio. Internet e Direito. São Paulo: Dialética, 2000, p. 23-24.
Show more

153 Read more

PEDOFILIA

PEDOFILIA

O armazenamento de fotos de menores no computador, nos termos previstos no projeto, ensejou, há pouco tempo, acirrados debates na sociedade civil americana. O questionamento surgiu a partir de uma decisão da Corte Suprema dos Estados Unidos que, em abril de 2002, derrubou lei federal que considerava crime armazenar no computador fotos de menores em cenas sexuais. Consideraram os magistrados americanos ser muito abrangente o texto da lei, com o qual seria possível proibir até clássicos como Romeu e Julieta. A decisão foi considerada um atraso, no entendimento de que hoje a rede de pornografia infantil na internet fatura bilhões de dólares sem qualquer preocupação com a vida infantil. A internet é considerada atualmente o “paraíso” do pedófilo, sendo mínima a diferença de comportamento entre quem PRODUZ, DIVULGA ou simplesmente GUARDA no computador uma foto.
Show more

10 Read more

Aspectos destacados da pedofilia em redes sociais na internet

Aspectos destacados da pedofilia em redes sociais na internet

O art. 241, assim, passa a abranger de modo específico a pornografia infantil na Internet. Muito apropriado. A rede mundial tem sido um ambiente extremamente favorável à proliferação da pornografia e, de um modo ainda mais sensível, tem servido como campo fértil para a disseminação da ‘pedofilia’. Os pedófilos têm se utilizado da Internet para trocar fotos e imagens que descrevam práticas sexuais com menores pré-púberes, não somente para simplesmente extravasar suas (doentias) fantasias sexuais e até mesmo para difundir uma espécie de filosofia pedófila. Por sua vez, o Estado tem um interesse direto na repressão da pedofilia, quer seja ela a prática direta de um ato de abuso sexual contra menores, seja quando representa uma perpetuação ou um incentivo a esse tipo de crime – o que ocorre quando imagens de crianças molestadas sexualmente são divulgadas. Muitas pesquisas
Show more

86 Read more

Cartilha: Navegar com Segurança - Protegendo seus filhos da pedofilia e da pornografia infanto-juvenil na Internet

Cartilha: Navegar com Segurança - Protegendo seus filhos da pedofilia e da pornografia infanto-juvenil na Internet

imagem das partes genitais de uma criança com fins sexuais. A pornografia infantil alimenta os “clubes de pedofilia”, que servem para “associar” pedófilos pelo mundo, onde estes podem adquirir fotos ou vídeos contendo pornografia infantil ou, pior, “contratar” serviços de exploradores sexuais, fazer turismo sexual ou mesmo efetivar o tráfico de crianças e adolescentes e aliciá-los para práticas de abuso sexual.

48 Read more

Pornografia infantil : novos problemas face ao paradigma da pornografia virtual?

Pornografia infantil : novos problemas face ao paradigma da pornografia virtual?

governamental holandesa “Terre des Hommes” que incidiram sobre crianças Filipinas, estas posam nuas, mostram os seus órgãos sexuais, masturbam-se e, por vezes, têm relações sexuais com outros, se tal for requerido pelo predador. Este é um fenómeno que tem crescido de uma forma abismal e que se tem propagado como uma epidemia, uma vez que através da Internet, milhares de abusadores dispersos pelo mundo abordam e violentam crianças. Na tentativa de combater a exploração sexual das crianças, a Organização “Terre des Hommes” criou uma operação com o propósito de atrair e identificar predadores sexuais infantis, pelo que concebeu uma criança chamada “Sweetie” – uma criança filipina criada virtualmente com o propósito de entrar em chatrooms e ver como se propagava este crime, avaliando a dimensão do crime sexual e as possibilidades de criar mais material pornográfico com menores. Os resultados foram bem mais além do expetável 138 , revelando a
Show more

100 Read more

Documentação pedagógica: novos olhares para a prática pedagógica em um percurso de formação continuada com professoras da educação infantil

Documentação pedagógica: novos olhares para a prática pedagógica em um percurso de formação continuada com professoras da educação infantil

Perspectivas para a docência e formação de professores na Educação Infantil” aprovado pela CHAMADA PÚBLICA Nº 06/2017 FAPESC/CNPQ. Por meio desse projeto, foi realizado um curso de formação continuada com professores que atuam na Educação Infantil. Essa oportunidade revelou-se como essencial para promover um aprofundamento teórico-prático sobre o processo de documentação pedagógica, tendo em vista que, ao longo desse percurso formativo, previa-se a construção de uma documentação pedagógica por cada professor. Assim, eles iam contar sobre a experiência educativa vivenciada junto às crianças na educação infantil. Esse fato se constituiu como um grande desafio, considerando que a maioria das professoras participantes já lecionavam há muitos anos, mas desconheciam o processo de documentar na perspectiva apresentada. Ofertar um curso de extensão aos professores que tem como foco a construção de narrativas de seu cotidiano educativo possibilita novas experiências e essas, posteriormente, poderão ser recontadas e reavaliadas, de forma a tornar esses profissionais, também, protagonistas das suas histórias de ensino.
Show more

19 Read more

A criminalização da pornografia infantil simulada no ordenamento jurídico brasileiro

A criminalização da pornografia infantil simulada no ordenamento jurídico brasileiro

Em decorrência dos trabalhos da CPI da Pedofilia de 2008 do Senado Federal foi editada a lei 11.829/08, que modificou o Estatuto da Criança e do Adolescente e incluiu novas modalidades delituosas. Uma delas é a prática de pornografia infantil simulada, prevista no artigo 241-C. O tipo, ao contrário dos dispositivos que tratam de pornografia infantil real, não exige a participação de criança ou adolescente na situação sexual ou erotizada. Diante do contexto, essa pesquisa analisa se a criminalização da pornografia infantil simulada no Direito brasileiro é ou não devida, tendo em vista a necessidade de atuação minimalista do Direito Penal, que deve se limitar a tutelar os bens jurídicos mais importantes para a sociedade. No primeiro capítulo, tratou especificamente dos requisitos jurídico-penais e criminológicos necessários para se criminalizar uma conduta. No segundo, analisou a pornografia infantil simulada de uma forma geral e seu tratamento no Direito brasileiro. No terceiro, investigou se sua tipificação é ou não devida, concluindo que a pornografia infantil simulada deve ser descriminalizada do Direito brasileiro. Para tanto, utilizou-se de pesquisa bibliográfica e jurisprudencial.
Show more

69 Read more

Avaliação e caracterização do risco na pornografia infantil: estudo comparativo

Avaliação e caracterização do risco na pornografia infantil: estudo comparativo

A incalculável quantidade de fotografias de crianças com conteúdo sexual que circula na internet, permite que determinados indivíduos as utilizem com o propósito de obter gratificação sexual ou como estímulo para o desenvolvimento de fantasias (Wortley & Smallbone, 2006; Quayle & Taylor, 2002a). O valor monetário que estas imagens atingem, podem ainda levar um colecionador a ponderar o tráfico das imagens da sua própria exploração de menores (Quayle & Taylor, 2007). Young (2001) defende que a internet tem potenciado o estabelecimento de redes online de ofensores sexuais de crianças, onde a partilha de imagens pornográficas de menores é considerada normal e aceitável. A este respeito, alguns estudos referem que a inclusão em comunidades que comungam da mesma forma de pensamento, facilita a expressão de pontos de vista, promovendo a comunicação de fantasias partilhadas que reforçam o sistema de crenças dos indivíduos envolvidos (Quayle & Taylor, 2002b). Assim, é impossível analisar-se o fenómeno da pornografia infantil sem ter em consideração o papel da internet, nomeadamente quando a sua utilização tem contornos patológicos. Por tudo isto, Elliott e Beech (2009) referem que provavelmente o fator proximal chave relacionado com a manutenção da pornografia infantil online é, precisamente, a utilização patológica da internet, tendo sido desenvolvidas várias teorias a este respeito.
Show more

39 Read more

Metamorfoses midiáticas: novos textos, construção de novos olhares

Metamorfoses midiáticas: novos textos, construção de novos olhares

Todas essas mudanças – em especial com relação às novas linguagens – parecem causar transformações no modo de se conceber o conhecimento e a identidade linguístico-escolar de alunos e professores 4 . Desloca(m)-se, pois, o(s) modo(s) de produção (dominante) do conhecimento – por exemplo, os modos de se conceber a leitura, tipos de texto, etc. –, produzindo um rompimento no modo de leitura hegemônico, por exemplo, pautado na linearidade do significante 5 . Um exemplo disso é a criação dos textos produzidos sob o recurso da quadrinização, como é o caso dos QHs. Enquanto formas do discurso da mídia, da era das novas tecnologias de linguagem, os QHs subvertem a ideia de texto como um conjunto de palavras organizadas pelo imaginário: começo, meio, progressão e fim. Trata-se de um momento contemporâneo que vem instaurar novos modos de o sujeito se subjetivar nas e pelas “novas” práticas didático-pedagógicas – com base em textos de diferentes naturezas –, que começam a surgir na escola e nos LDs, principalmente aquelas relacionadas à leitura, estabelecendo e legitimando o que, onde e como ler. Neste sentido, o discurso da mídia – a sua irrupção na sociedade – convoca relações de poder-saber.
Show more

19 Read more

Olhares do espaço na educação infantil

Olhares do espaço na educação infantil

Até 1900, as primeiras iniciativas voltadas ao cuidado das crianças tinham caráter higienista, sendo as Santas Casas de Misericórdia e a Roda dos Expostos as principais instituições de cuidado. Entre 1900 e 1930, surgem as creches organizadas em associações religiosas ou filantrópicas que as viam como substitutas do cuidado materno. Ainda nesse lapso temporal, o Estado, mais precisamente a partir de 1922, passa a gerir creches, difundindo as finalidades dessas instituições: combater a pobreza e a mortalidade infantil; atender os filhos da trabalhadora, mas sob a perspectiva de substituta da mãe e; promover a ideologia da família (SEBASTIANI, 2009). De 1930 até os anos finais da década de 1980, a Educação Infantil regia-se tanto por práticas de
Show more

31 Read more

Ditadura militar na Bahia: novos olhares, novos objetos, novos horizontes

Ditadura militar na Bahia: novos olhares, novos objetos, novos horizontes

Eu comecei, na verdade, como militante artístico, em 1966. Teve aqui na Bahia uma grande Bienal de Artes Plásticas, uma Bienal Nacional, organizada pelo Juarez Paraíso. [...] A minha primeira militância foi de luta con- tra a arte decorativa, a arte que não se voltava para as realidades sociais, e pela procura de novos espaços. Nós fazíamos exposições em faculdades, em sindicatos, nas ruas, e muito próximo das organizações de esquerda. Naquela época, era uma arte engajada, arte de denúncia. Mas vem o AI-5 e fica difícil ser artista, por que os espaços todos se fecharam, existiam espiões em toda parte, em todo lugar onde existia gente aglomerada discutindo, tinha pelo menos um espião da repressão. A partir daí, fazer militância como artista ficou praticamente impossível. A minha op- ção foi abandonar a arte, eu abandonei completamente a arte, e entrei numa organização que era a princípio a Ju- ventude do Partido Comunista da Bahia. Nesse momen- to, eu me tornei militante mesmo, com uma vida clan- destina toda organizada [...] Na verdade, foi a falta de possibilidade de exercer a minha profissão de artista engajado, solidário com as lutas do povo brasileiro, que me levaram para a luta clandestina 8 .
Show more

288 Read more

Esporte e cinema : novos olhares

Esporte e cinema : novos olhares

O filme responde da forma mais irônica possível, travestindo craques de futebol de mulheres, em uma inversão de papéis que, diretamente, mostra que os homens terão que mudar; a mascu- linidade hegemônica “já era”, chegou uma “nova era”, na qual as relações entre os sexos poderão ser mais igualitárias. A sexuali- dade livre apresentada no filme é uma das facetas destes novos tempos, lado importante, essencial, porém não único: de fato, o filme, e os enredos que se entrelaçam com homossexuais ho- mens e mulheres, sexo livre, mulheres no comando, chutando bolas, transformando poderosos jogadores de futebol em obje- tos do desejo sexual, corpos a serem usufruídos e descartados, demonstra que as condutas corporais no Brasil, tanto em nível das práticas esportivas quanto das sexuais, estão sofrendo uma intensa mudança, influenciadas pelas grandes alterações nas re- lações sociais de gênero vivenciadas na sociedade brasileira.
Show more

264 Read more

A corporeidade do cego : novos olhares

A corporeidade do cego : novos olhares

Minha relação com a arte se firma com a música e a dança também (quando eu fiz um trabalho com a Mari de dança).. disciplina eletiva de expressão corporal no departamento de artes cêni[r]

162 Read more

Detecção de pornografia infantil em imagens através de técnicas de aprendizado profundo

Detecção de pornografia infantil em imagens através de técnicas de aprendizado profundo

Na fase seguinte, aqui denominada “fine tuning”, o conjunto de imagens de treinamento é segmentado em treino e validação, na proporção de 80/20% das imagens em cada segmento, e é utilizado para treinar um novo modelo da rede convolucional, a partir do modelo GoogLeNet ImageNet previamente treinado. Neste processo, o modelo de rede convolucional que obteve os melhores resultados na validação é selecionado e utilizado na extração das características de baixo nível. Como na fase anterior, às características é aplicado o classificador LIBSVM. Por não apresentarem melhora no resultado obtido com o LIBSVM nos experimentos realizados na fase “deep learning”, o classificador Random Forest e a técnica data augmentation não foram consideradas nesta fase. Destaca-se, porém, que outros experimentos deverão ser realizados antes de se concluir que o classificador Random Forest não é o mais adequado para o novo problema. No entanto, outro processo de classificação foi testado, passando-se as imagens do conjunto de teste para classificação pela camada softmax da rede convolucional obtida nesta fase, obtendo-se o resultado idêntico que o obtido com o LIBSVM. Adicionalmente, foram incluídas no conjunto de treinamento 20.100 imagens não- PI, obtidas do conjunto de teste do dataset MSCOCO 7 2014 (do inglês, Microsoft Common Objects in Context) (Lin et al. 2014), na tentativa de melhorar o acerto da classe negativa (e positiva, por consequência), com o incremento de imagens sem qualquer relação com pornografia infantil.
Show more

63 Read more

Juventude(s) : Novas Realidades, Novos Olhares

Juventude(s) : Novas Realidades, Novos Olhares

Entendemos organizar esta edição começando precisamente pelas questões relacionadas com o trabalho e o emprego seguindo-se as res- peitantes à educação, para posteriormente apresentarmos os capítulos que se centram sobre a cidadania e os novos movimentos sociais. No primeiro caso temos as reflexões de José Machado Pais, Ilona Kovács, Fernando Diogo e Patrícia Faria, bem como de Francisco Simões, um conjunto de quatro capítulos nos quais encontramos abordagens dis- tintas, mais teóricas e globais, por um lado, ou mais empíricas e parti- cularizadas, por outro, que suscitam importantes interrogações acerca da multiplicidade das trajetórias juvenis em contextos sociais cada vez mais plurais e incertos.
Show more

15 Read more

O COTIDIANO E A HISTÓRIA: CONSTRUINDO NOVOS OLHARES NA ADMINISTRAÇÃO.

O COTIDIANO E A HISTÓRIA: CONSTRUINDO NOVOS OLHARES NA ADMINISTRAÇÃO.

O cotidiano, contudo, é pouco trabalhado na Administra- ção e também nos estudos organizacionais, embora haja exce- ções, como o trabalho de Oliveira e Cavedon (2013), sobre a mi- cropolítica no cotidiano de um circo, e a investigação de Vargas e Junquilho (2013) sobre o fazer administrativo dos gestores. A partir de Certeau (1994, 1996), é possível não apenas analisar novos objetos de pesquisa na Administração, mas também lan- çar outros olhares sobre o que já é frequentemente estudado. Para Certeau (1994), estudar o cotidiano e enfatizar as ações dos sujeitos, bem como a criatividade e as formas de apropria- ção do real que emergem das múltiplas interações, permite uma reação à história única, representando uma reivindicação de espaço e um apelo à valorização da ação produzida no coti- diano por uma ininidade de sujeitos.
Show more

11 Read more

Novos olhares para os cenários e práticas da educação digital

Novos olhares para os cenários e práticas da educação digital

Atualmente, as mudanças culturais em curso são caraterizadas pelo computador e pelas novas necessidades que dele advêm. Os computadores permitem uma vaga sucessiva de paradigmas de interação pessoal, em rede e colaborativa, exigindo formas diferentes de estabelecer novos modelos de validação social e facilitação de ações. Assim, em vez de nos concentrarmos apenas na funcionalidade e usabilidade, avançámos para a criação de valor. Este foi o motivo que conduziu à crença de que a confiança poderia desempenhar um papel fundamental nestas mudanças. Esta opção é apoiada no fato de que a confiança é a essência de um relacionamento. Sociedade, organizações e economia tornam-se mais produtivas com o aumento dos níveis de confiança. Iniciámos este capítulo com a definição da perspetiva dos autores sobre o papel da confiança no design da interação, em particular, no desenvolvimento da partilha, da participação e da colaboração dentro dos contextos de ensino a distância online. Em seguida, explorámos a interconexão entre confiança e privacidade e entre partilha e colaboração em educação aberta. Concluímos com a apresentação de um conjunto de ferramentas para a interação de confiança que visam ajudar designers ou educadores a adicionarem elementos facilitadores da confiança nos cursos de ensino a distância.
Show more

234 Read more

Novos mares, novos olhares: o percurso de Angela Lago do livro ao site

Novos mares, novos olhares: o percurso de Angela Lago do livro ao site

Seus trabalhos gráficos em computador, ganham o 1º lugar no primeiro MAConcurso 23 , promovido pela Genesys, representante da Apple, pela utiliza- ção de computação gráfica em conjunto de obra em dezembro de 1993. Em 1993 foi um dos ilustradores escolhidos para participar da já mencionada Bie- nal Internacional, IBBY, distinção que se repete em 1995,1997, 2001 e 2007, sendo lá premiada em 1995 por Cena de Rua (RHJ-1994) e em 2007 por João Felizardo o rei dos negócios , livro originalmente lançado no México em 1993, e no Brasil apenas em 2006 pela Cosac- Naif . Por este mesmo livro recebe ain- da em 2007 os prêmios BIB Plaque 24 , Prêmio da Bienal Internacional da Bratis- lava, pela ilustração e o Hors-Concours na categoria: O Melhor Reconto, prê- mio da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.
Show more

93 Read more

Publicidade Infantil na Internet

Publicidade Infantil na Internet

A internet, ou mídia interativa conforme identifica Pinho, é um dos três veículos de comunicação disponíveis para veiculação de publicidade, sendo os outros dois a mídia impressa e a mídia eletrônica. A internet demonstra ser cada vez mais visada pelo mercado publicitário e se caracteriza por ser um misto entre meio de comunicação e sistema de vendas (2000, p. 186). No ambiente virtual, conforme constata Pinho, de início a publicidade se manifestava nos próprios sites das empresas presentes na internet e tinha o propósito de oferecer informações úteis a respeito de seus produtos e serviços, sendo que o tema geralmente estava ligado à informática ou com a própria internet. Atualmente a publicidade está em toda a internet, preconizando o que costumava-se dizer sobre como no futuro os consumidores seriam reconhecidos pelo nome. A internet proporciona tal relação, o que se mostra uma valiosa ferramenta para a comunicação persuasiva, a qual passa nesse ambiente virtual a se caracterizar também como interativa e individualizada (2000, p. 92-101).
Show more

72 Read more

Show all 10000 documents...